aj para impressão

Download Aj para impressão

Post on 20-Aug-2015

1.580 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  1. 1. Direito Constitucional
    Questes Comentadas Tribunais Superiores
    Nvel Superior Analista Judicirio
    Por Rafael Soares
    Nenhuma Parte desta publicao poder ser reproduzida por qualquer meio ou forma sem a expressa autorizao do autor.A reproduo de trechos dever sempre citar a fonte.
    Prefcio
    A presente obra tem como funo apresentar para o candidato, o concurseiro, como so dispostas as questes e qual a melhor forma de pensar em resolv-las, so todas recentes, e de Tribunais Eleitorais, elaborados por diversas bancas, primeiro apresento as questes para verificar o nvel de habilidade do candidato e depois de marcar poder conferir a resposta comentada. As questes aqui dispostas so de nvel superior, ento necessrio do candidato muita ateno
    Ento Candidato Muita ateno e Boa Prova.
    ndice.
    QuestesPag. 1Padro de RespostasPag. 16BibliografiaPag. 29
    TRE GO Cespe/Unb
    ANALISTA JUDICIRIO - REA JUDICIRIA
    1.
    Liberdade de expresso. Garantia constitucional que no se tem como absoluta. Limites morais e jurdicos. O direito livre expresso no pode abrigar, em sua abrangncia, manifestaes de contedo imoral que implicam ilicitude penal. As liberdades pblicas no so incondicionais, por isso devem ser exercidas de maneira harmnica, observados os limites definidos na prpria Constituio Federal (CF), artigo 5., 2., primeira parte. O preceito fundamental de liberdade de expresso no consagra o direito incitao ao racismo, dado que um direito individual no pode constituir-se em salvaguarda de condutas ilcitas, como sucede com os delitos contra a honra. Prevalncia dos princpios da dignidade da pessoa humana e da igualdade jurdica.
    HC 82424, Relator(a): min. Moreira Alves, Relator(a) p/ Acrdo: min. Maurcio Corra, Tribunal Pleno, julgado em 17/9/2003, DJ 19/3/2004 PP-00017.
    No trecho reproduzido acima, o Supremo Tribunal Federal (STF) travou discusso sobre determinada publicao que continha manifestaes de contedo racista. A controvrsia residia em se definir a amplitude do princpio constitucional que garante a liberdade de expresso e decidir se esse princpio estaria ou no em conflito com o princpio da dignidade da pessoa humana e da igualdade. Como se percebe da leitura desse trecho, o STF, buscando harmonizar os princpios em jogo, deu prevalncia ao princpio da dignidade da pessoa humana e da igualdade jurdica em detrimento do princpio de liberdade de expresso. Com base nessas informaes, assinale a opo correspondente ao princpio de interpretao constitucional utilizado pelo STF para dirimir a questo.
    (A) princpio da conformidade funcional
    (B) princpio da mxima efetividade
    (C) princpio da fora normativa CF
    (D) princpio da concordncia prtica
    2.
    Luis vinha disputando as prvias do seu partido para se lanar candidato a senador da Repblica. Contudo, uma semana antes de o partido escolher seu candidato ao cargo, Luis foi condenado pena privativa de liberdade por crime de leso corporal culposa. Seus advogados interpuseram o recurso cabvel, do qual se aguarda julgamento.
    Considerando a situao hipottica apresentada, assinale a opo correta.
    (A) A condenao imposta a Luis no ter reflexos na sua pretenso poltica, visto que a sentena foi omissa quanto a perda dos direitos polticos.
    (B) A condenao imposta a Luis somente ter efeitos aps o trnsito em julgado.
    (C) A condenao imposta a Luis no ter reflexos na sua pretenso poltica, j que a condenao por crime culposo no acarreta a perda dos direitos polticos.
    (D) A condenao imposta a Luis somente ter efeitos se ele for condenado a cumprir a pena em regime fechado, pois, se obtiver qualquer benefcio processual que lhe possibilite cumprir a pena em liberdade seus direitos polticos permanecero intactos.
    3.
    A respeito da organizao do Estado brasileiro, assinale a opo correta.
    (A) Os municpios no so considerados entes federativos autnomos, visto que no so dotados de capacidade de auto-organizao e de autonomia financeira.
    (B) O Distrito Federal a capital do pas.
    (C) Os estados podem incorporar-se entre si, subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a outros, ou formarem novos estados ou territrios federais, mediante aprovao da populao diretamente interessada, por meio de plebiscito, e do Congresso Nacional, por lei complementar.
    (D) A criao, a incorporao, a fuso e o desmembramento de municpios, far-se-o por lei federal e sero submetidos pela populao diretamente interessada a referendo popular.
    4.
    Ainda acerca da organizao do Estado, assinale a opo correta.
    (A) Compete aos estados instituir diretrizes para o desenvolvimento urbano, inclusive habitao, saneamento bsico e transportes urbanos.
    (B) O controle externo e a fiscalizao dos municpios sero exercidos pelos respectivos poderes legislativos estaduais.
    (C) A CF estabelece, como preceito aplicvel aos municpios, que os prefeitos sero julgados perante os tribunais regionais federais.
    (D) Compete Unio organizar e manter o Poder Judicirio, o Ministrio Pblico e a Defensoria Pblica do Distrito Federal e dos Territrios.
    5.
    Esse mtodo parte da premissa de que existe uma relao necessria entre o texto e a realidade, entre preceitos jurdicos e os fatos que eles intentam regular. Para Mller, na tarefa de interpretar-concretizar a norma constitucional, o intrprete aplicador deve considerar tanto os elementos resultantes da interpretao do texto (programa normativo), como os decorrentes da investigao da realidade (domnio normativo). Isso porque, partindo do pressuposto de que a norma no se confunde com o texto normativo, afirma Mller que o texto apenas a ponta do iceberg; mas a norma no compreende apenas o texto, pois abrange tambm um pedao de realidade social, sendo esta talvez a parte mais significativa que o intrprete aplicador deve levar em conta para realizar o direito.
    Dirley da Cunha Jnior. Curso de Direito Constitucional. 2. ed. Salvador: Editora Juspodivum, 2008, p. 214. (com adaptaes).
    O trecho acima descreve o mtodo de interpretao constitucional denominado
    (A) mtodo normativo-estruturante.
    (B) mtodo tpico-problemtico.
    (C) mtodo hermenutico-clssico.
    (D) mtodo cientfico-espiritual.
    6.
    A respeito do sistema de controle de constitucionalidade brasileiro, assinale a opo correta.
    (A) No se admite o controle de constitucionalidade preventivo em sede de controle incidental.
    (B) O TSE tem competncia para exercer o controle concentrado de constitucionalidade em face da CF.
    (C) O Poder Legislativo, por meio das comisses de constituio e justia, exerce o controle de constitucionalidade de modo preventivo.
    (D) A CF prev que o controle concentrado de constitucionalidade no STF ser feito exclusivamente por meio da Ao Direta de Inconstitucionalidade (ADI), por ao e por omisso, e da Ao Declaratria de Constitucionalidade (ADC).
    __
    7.
    As normas constitucionais sobre mandato eletivo e processo eleitoral estabelecem que
    (A) o mandato poder ser impugnado perante a justia eleitoral at trinta dias aps a posse.
    (B) a lei que alterar o processo eleitoral s entrar em vigor um ano aps a sua promulgao, no se aplicando eleio que ocorrer em seguida.
    (C) so inelegveis para os mesmos cargos, no perodo subseqente, os prefeitos e quem os houver sucedido ou substitudo nos seis meses anteriores ao pleito.
    (D) no podem ser candidatos os analfabetos, os estrangeiros e, durante o perodo do servio militar obrigatrio, os conscritos.
    8.
    Acerca dos direitos polticos, julgue os itens a seguir.
    I A suspenso ou perda dos direitos polticos implica o cancelamento da inscrio do indivduo como eleitor.
    II O alistamento eleitoral obrigatrio para os brasileiros maiores de 18 anos e menores de 70 anos.
    III O militar em servio ativo inelegvel, razo pela qual s pode ser candidato se se afastar em definitivo da atividade.
    IV Como instrumentos da democracia direta, o plebiscito e o referendo podem ser realizados tanto mediante autorizao do Congresso Nacional quanto por iniciativa popular.
    Esto certos apenas os itens
    (A) I e II.
    (B) I e III.
    (C) II e IV.
    (D) III e IV.
    9.
    Tendo em vista a disciplina constitucional sobre elegibilidade e partidos polticos, assinale a opo correta.
    (A) Se o indivduo possuir capacidade eleitoral ativa (ser eleitor), automaticamente possuir a capacidade eleitoral passiva (poder ser eleito).
    (B) Como pessoas jurdicas de direito privado, os partidos polticos esto dispensados de prestar contas, justia eleitoral, dos recursos que movimentam.
    (C) Para a configurao de domiclio eleitoral, no basta que o interessado mantenha vnculos polticos, comunitrios ou familiares com o local pelo qual ser candidato, sendo necessrio que nele resida com animus definitivo.
    (D) Ningum pode concorrer como candidato avulso, sem partido poltico, pois a capacidade eleitoral passiva exige prvia filiao partidria.
    TRE MT 2009
    ANALISTA JUDICIRIO DA REA ADMINISTRATIVA CESPE/UNB
    10.
    Com relao aos direitos e deveres polticos estipulados na CF, assinale a opo correta.
    (A) O cidado com pouco mais de 70 anos de idade, alfabetizado e portador de ttulo eleitoral, obrigado a votar.
    (B) Um cidado com dezoito anos de idade, boliviano naturalizado brasileiro, no pode candidatar-se a vereador em uma pequena cidade do interior de um estado brasileiro, por faltar-lhe capacidade eleitoral passiva.
    (C) Ao governador de determinado estado da Federao que pretenda candidatar-se a deputado federal nas prximas eleies no se exigir a desincompatibilizao do cargo, visto que se trata de eleio para outro cargo pblico.
    (D) Caso um cidado com trinta anos de idade, militar com oito anos de servios prestados, pretenda se candidatar nas prximas eleies, ele dever ser afastado temporariamente pela autoridade superior e, se eleito, passar, aut