Água Viva n° 85 (Abril á Junho de 2014)

Download Água Viva n° 85 (Abril á Junho de 2014)

Post on 06-Apr-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Consrcio PCJ inicia projeto com o obejtivo de impulsionar o uso de equipamentos mais inteligentes no trato com agua.

TRANSCRIPT

  • A tcnica de captao de gua do orvalho j realizada e estudada em diversos pases no mundo e no Brasil a tcnica tambm j foi testada no Estado do Esprito Santo. PG 04

    Captao de gua do orvalho pode

    tornar-se alternativa hdrica

    Estudo da equipe tcnica do Consrcio PCJ atenta para possibilidade de incremento na disponibilidade hdrica por meio de aes de combate s perdas visveis, como vazamentos. PG 06

    Combate s perdas visveis aumenta

    disponibilidade de gua

    Informativo

    www.agua.org.br

    gua Vivagua Vivagua Vivagua Viva n 852014

    Desde 1989

    Fechamento autorizado Pode ser aberto pela ECT

    Acesse o novo gua Viva e edies anteriores pelo site: www.agua.org.br ouposicione seu leitor de QR-Code.

    gua Viva online

    abril|junho

    tecnologiatecnologia

    ampliaoampliao

    hdricahdrica

    A a favor

    da

    da oferta

    +PGINA 05

    Consrcio PCJ inicia projeto com o objetivo

    de impulsionar o uso de equipamentos

    mais inteligentes no trato com a gua.

    www.fsc.org

    FSC-C115931

    100%

    Proveniente de florestas com boa

    gesto florestal

  • Prefeituras Consorciadas

    Empresas Consorciadas

    CO SR ID LE OI PR

    1948

    1899

    www.agua.org.br agua@agua.org.br 193475-9400

    Consrcio PCJ @consorcio_pcj ConsorcioPCJ

    @www

    2

    Expediente

    Consrcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundia CNPJ n 56.983.505/0001-78

    Entidade de Utilidade Pblica (Lei Estadual n 11.943/05 e Municipal n 4.202/05)

    Presidente: Prefeito de Indaiatuba - REINALDO NOGUEIRA; Vice-Presidente de Poltica de Recursos Hdricos: Prefeito de Amparo - LUIZ OSCAR VITALI JACOB; Vice-Presidente de Programas de Educao Ambiental: Prefeito de Pedreira - CARLOS EVANDRO POLLO; Vice-Presidente de Integrao Regional: Prefeito de Rio Claro - PALMNIO ALTIMARI FILHO; Vice-Presidente de Programas Regionais: Prefeito de Cosmpolis - ANTONIO FERNANDES NETO; Vice-Presidente de Programas de Resduos Slidos: Prefeito de Hortolndia - ANTONIO MEIRA; Vice-Presidente de Ampliao das Disponibilidades Hdricas: Prefeito de Atibaia - SAULO PEDROSO; Vice-Presidente para Proteo aos Mananciais: Representante da SABESP - HELIO RUBENS GONALVES FIGUEIREDO; Vice-Presidente de Tecnologia e Sistema de Gesto: Representante da ODEBRECHT - ROGRIO TADEU RAMOS SARRO; Vice-Presidente de Sistema de Monitoramento das guas: Representante da SANASA - ARLY DE LARA ROMEO

    Rafard, So Pedro, Jaguarina, Piracaia, Camanducaia, Vargem, Americana, Piracicaba, Limeira, Campinas, Rhodia, Arcelor Mittal, Ambev, Nivea e DAE Jundia.

    Nova Odessa e Holambra.

    Francisco Carlos Castro Lahz Secretrio Executivo do Consrcio PCJ; Jussara Cordeiro Santos Subsecretria Executiva do Consrcio PCJ; Andra Borges - Gerente Tcnica; Murilo Ferreira de Sant'Anna Jornalista Responsvel (Mtb 56896)

    Mayara Dias Acervo Consrcio PCJ

    Av. So Jernimo, 3100, Bairro Morada do Sol Americana (SP) Brasil CEP 13470-310; Tel./Fax: (19) 3475-9400 - www.agua.org.br

    Conselho Diretor:

    Conselheiros das Prefeituras Municipais e Empresas:

    Agentes de Interlocuo Consultiva:

    Conselho Editorial:

    Diagramao e Arte: Textos Apoio: Fotos:

    Secretaria Executiva:

    Marlon Cini

    gua Vivagua Vivagua VivaPalavra do Presidente

    abr | mai | jun [2014]

    A ltima gota que nos resta

    A cidade de Nova Iorque e a regio da Califrnia nos Estados Unidos, quando estavam passando por dficit hdrico grave no incio dos anos de 1990, ao invs de partir para a construo de reservatrios optaram por assumir tcnico e financeiramente a troca das torneiras e descar-gas sanitrias, inicialmente, em organismos pblicos e posteriormente a toda a comunidade, o que resultou em economia superior ao volume de gua demandada, resultando, ainda, em economia para o bolso do consumidor.Em 2014, na pior crise hdrica dos ltimos 90 anos, frente a uma total instabilidade de todos os setores, impactados por um evento extremo de repercusso histrica, provocando aes e restries, pnico, e bloqueios operacionais, surgiu o Consrcio PCJ, com uma equipe tcnica e administrativa, extremamente enxuta, porm, ousado, humilde e parceiro de todos os organis-mos da iniciativa pblica e privada, com progra-mas de sensibilizao.Diversas aes esto sendo realizadas, como o abrao ao Cantareira, com a participao de 400 pessoas, o lanamento de 25 mandamentos da estiagem e os 39 projetos, visando reverter a atual situao, mesmo com a ocorrncia de precipitaes abaixo da mdia histrica. O programa do Consrcio PCJ, Construindo Sustentabilidade, transformou-se em uma liderana para toda a comunidade que se espelha em aes e reduo das perdas visveis em sistemas pblicos, reduo dos consumos de gua em todos os nveis, substituies de equipamentos hidrulicos por opes mais econmicas. Em 31 de julho de 2014, o municpio de Atibaia lanou o pioneiro projeto Ao gua que objetiva trocar torneiras e descargas sanitrias por equipamentos mais modernos e de baixo consumo de gua. Ao lado do Projeto Constru-indo Sustentabilidade do Consrcio PCJ, esperamos que iniciativas como essa se tornem exemplo e sejam replicadas por todos os municpios. hora de nos unirmos e buscarmos solues para sobrevivermos crise hdrica. E uma eficiente gesto gota a gota o primeiro

    Reinaldo Nogueira

    Prefeito de Indaiatuba SP e

    Presidente do Consrcio PCJ

    Usina Costa Pinto Usina Santa Helena

  • abr | mai | jun [2014] 3

    gua Vivagua Vivagua Viva Crise Hdrica

    Consrcio PCJ crise

    hdrica 39 reivindicaes

    mobiliza comunidade quanto a

    e entrega aos orgos

    gestores

    O Consrcio PCJ, juntamente com o seu Conselho Fiscal, mobilizou a comunidade no manifesto "Salvem o Cantareira - gua para todos", ocor-rido dentro de um dos braos que formam o reservatrio Jaguari/Jacare, o maior do Sistema Cantareira, no dia 25 de abril, em Piracaia (SP). O ato contou com participao de 400 pessoas e teve como principal objetivo sensibilizar a populao e chamar a ateno do poder pblico sobre o valor econmico da gua.Durante o evento, foi entregue documento elaborado pelo Conselho Fiscal do Consrcio PCJ com 39 reivindicaes aos rgos gestores que tiveram representantes presentes no manifesto. O documento alerta "toda a sociedade sobre a crise provocada pela escassez hdrica na regio Sudeste Brasileira, sendo irradiada das regies abastecidas pelo Sistema Cantareira, cabeceiras do Rio Piracicaba, ressaltando que a gua um bem finito e possui valor econmico, ao mesmo tempo, propondo solu-

    es a curto, mdio e longo prazo, quanto aos efeitos dos eventos extre-mos. Dentre as propostas apresentadas, se destacam a solicitao da necessi-dade de se decretar Estado de Calamidade Pblica para as questes hdricas nas Bacias PCJ e do Alto Tiet; a reduo drstica do consumo de gua; incentivos fabricao de materiais hidrulicos que otimizem o consumo de gua; estimular em construes novas e j existentes a implantao de armazenamento de gua de chuva, entre outras aes que voc pode conferir posicionando o seu leitor de QR-Code, acima.Alm dessas 39 aes, o Consrcio PCJ elaborou em fevereiro os 25 man-damentos da estiagem e, em maro, redigiu junto com o Conselho Fiscal da entidade a Carta de Campinas com diversas solicitaes, como a

    3ampliao para 12 m /s o volume de gua vindo do Cantareira para as Bacias PCJ durante o perodo de estiagem.

    Reservatrio Jaguari/Jacare do Sistema Cantareira

    Posicione o

    leitor de

    QR-Code e

    leia o texto

    na ntegra

    Manifesto Salvem o Cantareira reuniu 400 pessoas que juntas abraaram o brao seco do reservatrio Jacare, em Piracaia (SP)

  • 4gua Vivagua Vivagua VivaAmpliao da Oferta Hdrica

    abr | mai | jun [2014]

    Captao de gua no

    garante crise

    do orvalho eficiente, mas

    abastecimento pblico durante a

    A tcnica de captao de gua do orvalho j realizada e estudada em diversos pases no mundo, e no Brasil a tcnica tambm j foi implantada em regies montanhosas, como por exemplo, no mosteiro Zen Morro da Vargem, localizado na cidade de Vitria (ES). Segundo o professor e pes-quisador da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Antnio Carlos Zuffo, por estarem aproximadamente h 200 metros de altitude, os moradores do mosteiro conseguem, quando necessrio, adquirir gua condensada das paredes de pedras que cercam o mosteiro, mas essa tc-nica ainda que eficiente para determinadas atividades, no seria o sufici-ente para amenizar a crise hdrica que as Bacias PCJ e a Grande So Paulo vivenciam desde o incio de 2014. "A captao de gua do orvalho eficiente, somente para atividades como a irrigao no setor rural, que necessita de uma vazo menor do que para o abastecimento pblico, tanto em nossa Bacia PCJ, quanto na Bacia do Alto Tite", explica.A tcnica, que mais eficiente em topos de morros, onde tem maior con-centrao de neblina e umidade do ar, consiste em captar a gua que fica no ar, atravs de uma superfcie metlica ou at mesmo malha de plstico, que esteja com uma temperatura superior a do ar, ento a neblina passa por essa superfcie, condensa a gua do ar, que escorre para o local de armazenamento, podendo captar cerca de 48 litros de gua por dia,

    segundo experincias aplicadas por arquitetos de Israel. Para o professor Antnio Zuffo, nas Bacias PCJ, a tcnica seria bem aplica-da no municpio de Jundia (SP), na Serra do Japi, onde h maior incidn-cia de nuvens, criando a possibilidade de captar maior volume de gua atravs dessa tcnica.

    guas subterrneas

    hdrica

    podem tornar-se

    alternativa

    Com o agravamento da crise hdrica e as chuvas abaixo das mdias histri-cas, somado a possibilidade de vazes muito restritas para o pico da estia-gem, o Consrcio PCJ produziu estudo sobre a disponibilidade hdrica nos aquferos presentes nas Bacias PCJ que possam servir como alternativa para captao de gua em momentos de escassez severa nos prximos meses. De acordo com os dados levantados pela entidade, h um potenci-al de extrao de gua desses aquferos na ordem de 255 metros cbicos por hora. O estudo do Consrcio PCJ considera, ainda, o levantamento feito pelo Departamento de gua e Energia Eltrica do Estado de So Paulo (DAEE) de 1997, que diz existirem mais de 138 bilhes de metros cbicos de gua subterrnea nas Bacias PCJ.O volume no suficiente para permitir bacia independncia de outros sistemas de captao, mas, segundo o Consrcio PCJ, poder servir de reserva tcnica emergencial para municpios e empresas que enfrentem

    restries de captao de gua superficial diante de um possvel agrava-mento da situao hdrica nos rios da regio.O projeto, intitulado Conscientizao, Informao e Prestao de Servi-os com Relao ao Potencial dos Aquferos Subterrneos Nas Bacias PCJ, est disponvel a municpios e empresas associados ao Consrcio PCJ. O projeto pode ser obtido com o coordenador de projetos, Jos Cezar Saad, pelo e-mail jose.cezar@agua.org.br.As Bacias PCJ esto passando por um fenmeno climtico extremo sem chuva, prova disso que desde o incio do ano choveu 300 milmetros a menos do que a mdia histrica e a vazo de gua que entra no Cantarei-ra, chamada de vazo de afluncia, foi 60% menor que a mdia histrica para o perodo. Na cidade de Campinas (SP), por exemplo, choveu no ms de maio apenas 26,1milimetros , sendo que o esperado para o ms so de 63,3 milimetros.

    Uso de gua do orvalho estudada em diversos pases como Israel

    Estudo do Consrcio PCJ diz haver potencial de 255m/hora de gua subterrnea nas Bacias PCJ

  • 5gua Vivagua Vivagua Viva Capa - Equipamentos inteligentes

    abri | mai | jun [2014]

    Equipamentos no consumo de

    destaque com a

    inteligentes gua ganham

    crise hdricaNo de hoje que o setor da construo civil sustentvel vem ganhando destaque em novos empreendimentos por todo o pas. A crise hdrica que assola a regio sudeste, com mais evidncia no Estado de So Paulo, tem aumentado a ateno dada por construtoras, engenheiros e arquitetos, no que diz respeito implantao de equipamentos que reduzam o con-sumo de gua, tanto em imveis comerciais como em residenciais. De acordo com Centro de Tecnologia de Edificaes (CTE), atualmente, o Brasil est em terceiro lugar no ranking de solicitao de certificaes para construes verdes, ficando atrs apenas de pases como Estados Unidos e China. O diretor da unidade de sustentabilidade do CTE, Anderson Beni-te, disse que mais de mil prdios esto em processo de certificao no pas, hoje, e que h um aumento da preocupao com a questo hdrica nesses empreendimentos. Temos sentido nesse ano um aumento da preocupao da eficincia no consumo de gua nas novas construes, atentou.Segundo Benite, o bnus promovido pela Sabesp nas contas de gua para quem reduzir o seu consumo despertou nos prdios comerciais o interes-se econmico, j que a economia de gua acarretar ganhos financeiros. O valor pago pela conta de gua num imvel comercial tende a ficar cada vez mais representativo, fazendo os empreendedores e proprietrios ver com outro olhar a questo da gua; diz ele.

    O assunto tem ganhado tamanho destaque que foi tema do 10 Semin-rio Tecnologia de Sistemas Prediais, promovido em maio pelo Sindicato da Indstria da Construo Civil do Estado de So Paulo (SindusCon-SP) em parceria com o Sindicato da Habitao (Secovi-SP). A construo civil sustentvel um tema que precisa ser desenvolvido, porque no moda; a sociedade precisa tratar do assunto com urgncia, comentou na oca-sio o presidente do SindusCon-SP, Srgio Watanabe.Eduardo Lacerda, da Techem do Brasil, atentou no seminrio para a importncia da disseminao da medio individualizada de gua e gs nos condomnios. O que no se mede no se controla. O que no se con-trola no se gerencia, comentou ele. Segundo Lacerda, seria uma mudana de cultura; a instalao bem simples e o marketing das cons-trutoras pode explorar de que a individualizao das medies de gua e gs reduz em at 45% o consumo do condomnio.Segundo o professor da Poli-USP, Orestes Gonalves, a medio individu-alizada tem mudado a topologia da rede de tubulaes e alterado as noes de horrio de pico. A incluso de aeradores e reguladores de vazo e a reduo do volume e vazo das descargas tambm tm contribudo para a mudana no trao dos projetistas de sistemas prediais.Para o diretor de sustentabilidade do CTE, as novas construes, atual-

    mente, tm investido no combate a vazamentos e na implantao de aparelhos redutores de vazo. possvel haver uma reduo de 30% no consumo de gua apenas com a medio individualizada e a deteco de vazamentos, comentou Benite.Atento a tudo isso, o Consrcio PCJ deu incio ao Projeto Construindo Sustentabilidade com o objetivo de apresentar as novidades no setor de construo civil sustentvel, com foco em equipamentos de baixo con-sumo de gua e energia eltrica. No hotsite, produzido para o projeto, possvel fazer um tour virtual pela Casa Modelo, construda pela entidade em 2009, e encontrar diversos equipamentos tecnolgicos que diminu-em o consumo de gua, sua faixa de preo e contato de fornecedores e endereos de onde podem ser encontrados.O Consrcio PCJ est empenhado, desde o incio da crise hdrica, em sensibilizar os governos sobre a importncia de se incentivar o setor de equipamentos que reduzam o consumo de gua e energia eltrica,com a reduo de impostos motivando a populao a atualizar suas residnci-as. Estudos da entidade atestam que uma...