Água e seres vivos

Download Água e  seres  vivos

Post on 13-Jan-2016

25 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

gua e seres vivos. Prof Lilian Larroca. Efeito dos vazamentos de leo. Acidentes ambientais e gua. Quando o leo vaza e contamina a gua, esse desastre ambiental tem um efeito destrutivo sobre o ambiente marinho. Prof . Lilian Larroca. Efeitos do leo nos seres marinhos:. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

O Ar

gua e seres vivosProf Lilian LarrocaEfeito dos vazamentos de leoAcidentes ambientais e gua.Quando o leo vaza e contamina a gua, esse desastre ambiental tem um efeito destrutivo sobre o ambiente marinho.

Prof. Lilian LarrocaEfeitos do leo nos seres marinhos:O leo adere (gruda) nas brnquias dos peixes, impedindo-os de respirarO leo tambm adere ao PLNCTON, eliminando-o.Brnquias: rgo responsvel pela absoro do oxignio da gua.

PLNCTON Conjunto de organismos que flutuam na gua, geralmente microscpicos.

Quando esse petrleo se deposita no fundo do mar, mata todos os seres vivos que existem ali. Esse efeito leva anos para desaparecer.

Prof. Lilian LarrocaPara que serve a gua?Uso domstico (15%): Beber, tomar banho, lavar roupa, carro, loua, limpar, cozinhar, regar plantas, descarga, etc...Uso industrial (23%): resfriar objetos quentes, alimentar caldeiras, dissolver substncias, lavar materiais e equipamentos, componente (ingrediente) de produtos industrializados... Prof. Lilian LarrocaPrincpio dos vasos comunicantesA gua contida em vrios recipientes, de formatos e tamanhos diferentes, interligados por um tubo, se comportar como se estivesse em um nico recipiente, mantendo em todos eles o mesmo nvel na horizontal.

Prof. Lilian LarrocaCaixas dguaFicam nos locais mais altos devido fora da gravidade e, tambm, ao princpio dos vasos comunicantes. Como os canos que ligam a caixa s torneiras tem ligao entre si, a gua vai correr naturalmente pelos encanamentos, procurando alcanar o mesmo nvel que est na caixa. Por isso, a gua chegar s torneiras. Prof. Lilian LarrocaDistribuio da gua nas cidadesTambm de acordo com o princpio dos vasos comunicantes, a gua distribuda nas cidades a partir de caixas dgua instaladas em locais altos. O princpio dos vasos comunicantes far que a gua procure igualar seu nvel ao da caixa dgua, abastecendo residncias e prdios.

Prof. Lilian LarrocaUsos do princpio dos vasos comunicantesO regador tambm utiliza o princpio dos vasos comunicantes.Nas pias e lavatrios, h um dispositivo chamado sifo, em que um pouco de gua fica depositada. Ele impede que o mau cheiro dos esgotos suba pelos canos.

Prof. Lilian LarrocaPoos artesianosH dois tipos de poos artesianos:Poos artesianos naturais

Poos artesianos cavados pelos seres humanosOcorrem quando a gua da chuva, que havia se infiltrado no solo formando lenis de gua subterrneos, jorram, podendo atingir vrios metros de altura. Cavados no solo pelo homem, que busca gua nos lenis subterrneos profundos.

Prof. Lilian LarrocaFalta de gua possvel perceber que apenas 1% da gua potvel e facilmente acessvel ao ser humano. Atualmente, 69% da gua que usamos de origem subterrnea. Prof. Lilian LarrocaDestilao da guaDestilao um processo realizado em laboratrio para conseguir gua pura. No destilador, a gua fervida para formar o vapor, que passa por um tubo de paredes frias, chamado condensador. Nesse lugar, o vapor se condensa e volta ao estado lquido. Os sais e outras impurezas ficam retidos no primeiro recipiente.

Prof. Lilian LarrocaImportncia da gua destiladaA gua destilada, muito utilizada em laboratrios, para produzir remdios e outras substncias que precisam ser diludas em gua pura. Tambm usada em baterias de carros. Ela pode ser bebida, mas no recomendado o seu uso devido falta de minerais teis ao nosso organismo.

Prof. Lilian LarrocaFormao de giseresEm algumas regies, a temperatura das rochas muito alta. Nesse caso, o lenol de gua que fica sobre essas rochas ferve, transformando-se em vapor, atingindo as rochas vizinhas. Quando a presso aumenta muito, a gua jorra da terra, juntamente com o vapor, formando uma coluna borbulhante chamada giser.

Prof. Lilian LarrocaCiclo da gua na naturezaguas subterrneas: quando chove, boa parte da gua penetra no solo. Uma parte da gua penetra at atingir camadas de solo que so impermeveis, como argila, rocha, etc.

Prof. Lilian LarrocaCiclo da gua na naturezaguas subterrneas: quando chove, boa parte da gua penetra no solo. Uma parte da gua penetra at atingir camadas de solo que so impermeveis, como argila, rocha, etc.

Prof. Lilian LarrocaComo os seres vivos obtm gua:As plantas obtm a gua de que necessitam retirando-a diretamente do solo atravs das razes. Os animais obtm gua bebendo-a diretamente ou atravs dos alimentos;

Prof. Lilian LarrocaOs seres vivos eliminam gua:Quando os seres humanos transpiram e respiram, parte dessa gua volta natureza em forma de vapor e lquido. Os animais tambm eliminam gua atravs da urina e das fezes. Quando os seres vivos morrem, toda a gua volta natureza.

Prof. Lilian Larrocagua na superfcieA maior parte da superfcie da Terra coberta por gua. As fontes formam os rios, que se juntam e formam rios maiores, que vo para o mar. Se forem represados, podem formar lagos e lagoas. Grande parte dessa gua sobe para a atmosfera em forma de vapor, atravs da ao do calor e do vento.Prof. Lilian Larrocagua na atmosferaO ar atmosfrico possui boa quantidade de vapor de gua, resultante da evaporao do excesso de gua do solo, da transpirao dos seres vivos, e evaporao da gua dos rios, mares, lagos e riachos.

Se o vapor sobe para camadas mais altas e, aps resfriamento, se transforma em gotas de chuva, orvalho, neve, granizo, etc, retornando ao solo novamente.

Prof. Lilian LarrocaCiclo da gua a movimentao da gua na natureza, que est continuamente mudando seu estado fsico na natureza, se movimentando da atmosfera para a terra, dos oceanos, mares, rios e seres vivos para a atmosfera, etc...

Quer ver a figura de novo? Rsrsrs....Prof. Lilian Larroca

Produo de energia atravs da guaA energia eltrica tambm pode ser produzida a partir da gua, atravs de usinas hidreltricas.O Brasil possui um dos maiores potenciais hidreltricos do mundo. Algumas usinas brasileiras so: Complexo de Urubupung, Hidreltrica de Itaipu, Usina Hidreltrica de Sobradinho, e de Paulo Afonso.

Prof. Lilian LarrocaComo economizar energia?Fazendo com que as indstrias trabalhem menos noite;Estabelecer horrio de vero;Revisar as instalaes hidreltricas das residncias; Apagar as lmpadas quando sair de algum cmodo; Desligar equipamentos eltricos quando ningum est usando;No se demorar no banho;Tomar banho frio no vero;Ligar o ferro uma ou duas vezes por semana e passar toda a roupa;No deixar a geladeira muito tempo aberto ao tirar ou colocar alguma coisa.

Prof. Lilian LarrocaOceanos A maior parte da gua da Terra se encontra nos oceanos Atlntico, Pacfico, ndico, rtico e Antrtico.

Prof. Lilian LarrocaPropriedades fsicas dos oceanos Temperatura: Varia desde frio nas regies polares at bem quente nos trpicos. Ela tambm varia de acordo com a profundidade.

Salinidade: H muito sal de cozinha na gua do mar (cloreto de sdio). A evaporao faz com que lagos e audes tambm se tornem salgados. Os mares tropicais so mais salgados que os polares.

Prof. Lilian LarrocaPropriedades fsicas dos oceanos Luminosidade: Com a profundidade, a gua dos oceanos tornam-se mais escuras.

Prof. Lilian LarrocaPropriedades fsicas dos oceanos Presso: Quanto maior for a profundidade, maior ser a presso exercida sobre os corpos imersos.

Prof. Lilian LarrocaPropriedades fsicas dos oceanos Mars: So o movimento rtmico do oceano, causado pela fora da gravidade do Sol e da Lua. A mar sobe duas vezes por dia, tarde e de madrugada. Elas tambm so influenciadas pela configurao do leito dos oceanos, perfil dos continentes e movimento de rotao da Terra.

Prof. Lilian LarrocaPropriedades fsicas dos oceanos Ondas: a gua ocenica est sempre em movimento. As ondas so causadas pelo vento. As grandes ondas podem viajar centenas de quilmetros pelos oceanos. No mar aberto, a ao de ondas no afeta a gua em regies muito abaixo da superfcie.

Prof. Lilian LarrocaMaremotos e tsunamisMaremotos: so ondas causadas por terremoto no fundo do oceano. So perigosas e poderosas, podendo destruir vilas e cidades inteiras. Tsunamis: so enormes ondas provocadas por tremores de terra ou vulces submarinos. Eles atravessam os oceanos a enormes velocidades, com altura mxima ao redor dos 50m. Na costa, com a diminuio da profundidade, essas onda empinam-se e desabam violentamente para frente, provocando enormes desastres.

Prof. Lilian LarrocaSalinasSo os locais onde existem tanques usados para extrair sal da gua do mar. A gua do mar levada atravs de bombas at alguns tanques. A gua evapora e o sal se acumula no fundo dos tanques.

Prof. Lilian LarrocaSalinasPara que haja uma salina, o local:Deve ser quente na maior parte do ano;Deve estar exposto a ventos intensos e pouca chuva;Os tanques devem ser rasos e com grandes superfcies de evaporao; As principais salinas brasileiras localizam-se no Rio Grande do Norte e no Rio de Janeiro.

Prof. Lilian LarrocaAmbiente marinho e seres vivosExistem muitos tipos de ambientes marinhos, habitados por diferentes formas de vidas adaptadas a essas condies.Prof. Lilian LarrocaEm regies profundas...As regies que se encontram a partir de 1.000 metros de profundidade so chamadas de fossas abissais. Na regio entre 300 a 4 mil metros habitam criaturas exticas os seres abissais.

Prof. Lilian LarrocaEm mar aberto...Em mar aberto habitam baleias, golfinhos, peixes (atum, tubaro, bacalhau).A baleia azul, o maior animal conhecido, vive em mar aberto.

Prof. Lilian LarrocaEm mar raso...Nos mares rasos existem outros seres vivos como ostras,mexilhes, camares e lagostas.

Prof. Lilian LarrocaPrximo praia...Prximo praia habitam tipos de seres que podem ficar fora da gua de uma mar alta at outra: siris, mexilhes, ourios, anmonas-do-mar. Eles podem aderir s rochas ou detritos, para no serem levados pelo movimento das ondas.

Prof. Lilian LarrocaPoluio na praiaO ecossistema da praia tm sofrido com a ao