aeroespaço 17

Download Aeroespaço 17

Post on 30-Mar-2016

244 views

Category:

Documents

22 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

http://www.decea.gov.br/wp-content/uploads/2008/10/aeroespaco17.pdf

TRANSCRIPT

  • AERO

    ESPA

    Informativo do Departamento de Controle do Espao Areo - DECEA

    NO

    TC

    IAS - Ano 3 - n 1 7

    SERVIO DE SINALIZAO DO AEROPORTO INTERNACIONAL TOM JOBIM - RJ

  • Informativo do Departamento de Controle do Espao Areo - DECEA, produzido pela Assessoria de Comunicao Social - ASCOM/DECEA

    Diretor-Geral:

    Ten Brig Ar Paulo Roberto Cardoso Vilarinho

    Assessor de Comunicao Social e Editor:

    Paullo Esteves - Cel Av R1

    Redao:

    Daisy Meireles (RJ 21523-JP)

    Telma Penteado (RJ 22794-JP)

    Diagramao & Capa:

    Filipe Bastos (MTB 26888-DRT/RJ)

    Fotograa:

    Luiz Eduardo Perez (RJ 201930-RF)

    Contatos:

    Home page: www.decea.gov.br

    Intraer: www.decea.intraer

    E-mail: esteves@ciscea.gov.br ou aeroespaco@decea.gov.br

    Endereo: Av. General Justo, 160 - Centro - 20021-130

    Rio de Janeiro/RJ

    Telefone: (21) 2123-6585

    Fax: (21) 2262-1691

    Editado em junho/2006

    Fotolitos e Impresso: Ingrafoto

    Expediente

    Nesta Edio

    4 Brigadeiro Barros o novo Chefe do SDAD do DECEA

    5Primeira Jornada de Assuntos Internacionais

    11 Reportagem Especial - 180 - meia volta, volver!

    14

    18 Semana Internacional de AIS movimenta o Aeroporto Tom Jobim - RJ

    19GEIV comemora 33 anos e homenageia seus integrantes

    20 ICA celebra seus 23 anos, enfrentando grandes e novos desafios

    21Base Area Naval de So Pedro da Aldeia moderniza seus sistemas de controle de trfego areo

    24 I Seminrio de Coordenao do Espao Areo no Teatro de Operaes

    26CCSIVAM entrega o CCG do SIPAM ao Governo Federal

    Nossa CapaSERVIO DE SINALIZAO DO AEROPORTO INTERNACIONAL TOM JOBIM - RJ

    Este agrante mostra o momento da chegada de um vo, quando o sinalizador (raqueteiro) indica o instante nal da parada do avio. Este ato, que tem como cenrio o Aeroporto Internacional Tom Jobim no Rio de Janeiro, repetido milhares de vezes por dia em inmeros aeroportos do mundo inteiro. Para ns do SISCEAB, este momento tem um simbolismo especial, porque indica a nalizao de uma tarefa que esteve, da decolagem deste avio at a parada dos seus motores, nos envolvendo diretamente.

    De fato , quando um vo chega a seu nal signica que estivemos mobilizados, todos ns, em nossas inmeras atividades, para que ele tivesse completado com xito sua misso. O vo chegou! A companhia area prestou o seu servio, os pilotos e demais operadores ans podem agora descansar, os passageiros chegaram em segurana e vo para seus destinos. E ns? Bem... ns temos que retomar o flego porque j h um outro avio nos chamando para dar partida e completar seu plano de vo. No h trguas nem descanso, coffeebreak ou paradinha no SISCEAB e este , a par do nosso maior desao, nosso maior orgulho: manter tudo funcionando nas 24 horas do dia pelos 365 dias do ano, sem interrupes, com presteza, ateno, cuidado e segurana.

    Eu no sabia! - O Servio de Busca e Salvamento

  • Editorial

    Cartas dos LeitoresAgradeo ao Brig Pinheiro as referncias gentis e

    carinhosas feitas minha participao na historia do SIVAM. Ser lembrado, anos depois, por uma ao de engajamento no esforo histrico da Fora Area nos destinos passados e futuros de nossa Amaznia - e ser - sempre graticante. Principalmente para os que foram os reais construtores do que inicialmente eram apenas idias visionrias que balizavam nossos esforos e que deagraram as aes iniciais do que era apenas um nome e uma idia pela qual j se brigava com coragem e persistncia, que engajou quatro chefes de governo no Brasil, as presidncias dos EEUU, Frana, Alemanha, Itlia, e os chefes de governo da Inglaterra e Sucia, no que foi chamado o maior projeto do sculo por sua amplido e capacidade. Apoiado por quatro ministros da Aeronutica e dois comandantes da Fora Area, engajando tambm quatro ministros da Defesa e que, anal, se tornou o grande sistema operacional de hoje, que o SIVAM/SIPAM. Peo-lhes transmitir ao

    Ten Brig Vilarinho, antigo e experimentado personagem no Sistema, e meu companheiro de misso no passado, meus cumprimentos por sua atuao na direo-geral dessa importante tarefa que a coordenao das atividades de controle do espao areo brasileiro. Finalmente, ao pessoal da Assessoria de Comunicao Social, meus cumprimentos pela qualidade dos trabalhos produzidos e pela gentileza da remessa regular da Aeroespao Notcias, que me mantm atualizado nessa atividade que, com empolgao, ocupou cerca de 15 anos de minha atividade prossional, de dezembro de 1967 a maio de 1982... foi por isso e a que nasceu o SIVAM.

    Ten Brig Ar SCRATESEx-ministro da Aeronutica

    Quero agradecer o envio das revistas do Departamento de Controle do Espao Areo. muito bom car

    informado dos acontecimentos militares do nosso Pas! Eu gosto e admiro muito quem trabalha controlando nossos espaos areos.

    Fbio R. CardosoDiretor Regional da Associao de Pilotos e

    Proprietrios de Aeronaves (APPA)

    Sou muito interessada em tudo que envolve defesa do espao areo e controle de trfego areo, pois meu sonho ser controladora de trfego areo, caso eu entre na EEAR em julho. Gosto muito da revista Aeroespao, principalmente porque consigo acess-la atravs da Internet, na pgina do DECEA.

    Gicele de Souza Vieira Florianpolis SC

    Solicitamos ao Ex.mo Sr. Diretor-Geral do DECEA, Ten Brig Ar Paulo Robero Cardoso Vilarinho, que

    nos permitisse - nesta edio - assinar o Editorial, na tentativa de explicar ao leitor algumas facetas da Aeroespao, que estariam por merecer algumas consideraes. Muito embora nosso contato com o pblico

    leitor da revista seja freqente, at em funo da colaborao que recebemos, nem sempre conseguimos atingir a grande maioria - e para ela, principalmente, que nos dirigimos agora.

    Nosso trabalho vem sendo estimulado pela aceitao manifesta de parcela de nosso pblico. Dizemos parcela de nosso pblico porque s podemos aferir a qualidade do nosso trabalho atravs das manifestaes espontneas que nos chegam para a seo Cartas dos Leitores. Na maioria das vezes, no entanto, as crticas chegam de maneira informal e exatamente em funo disto que nos vimos no dever de trazer a pblico algumas delas, no intuito de explicar - para todos quais so as mais freqentes e como respondemos a elas individualmente. Assim, h quem julgue a revista muito dispendiosa em funo da gramatura do papel utilizado e da inequvoca qualidade da impresso. Na verdade, e de fato, a revista desde sua retomada com esta nova congurao editorial, tinha, deliberadamente, a inteno de ser diferenciada do ponto de vista da qualidade com dois objetivos fundamentais: tornar-se atraente e ser, ao mesmo tempo, leve a agradvel, estimulando o pblico interno a procurar por ela e efetivamente fazer a sua leitura.

    A Revista Aeroespao entendida, ademais disto, como uma publicao tcnica porque registra acontecimentos de um ambiente humano e operacional muito especco e voltada, prioritariamente, ao pblico interno do SISCEAB. No h, portanto, sequer a inteno de que seja transformada em pea publicitria, at porque a lei no permite. Por ser assim, entendeu o Diretor-Geral do DECEA que a revista poderia sim ser diferenciada. O seu custo acaba sendo pequeno porque a sua produo toda feita com a prata da casa. A ASCOM prepara completamente a revista e somente encaminha grca o CD j pronto para o fotolito e impresso.

    As provas de prelo voltam para ns, fazemos as correes que eventualmente se apresentem e aprovamos para a impresso. Por outro lado, tambm tarefa da ASCOM embalar e enderear todas as revistas para que cheguem a seu destino. Presentemente, estamos trabalhando para que a distribuio se d pelo Correio, para dar mais agilidade ao processo. Alguns leitores talvez julgando poder baratear o custo da revista perguntam por que no a fazemos bimensal ou trimestralmente. A resposta que nosso compromisso editorial com o fato recm-ocorrido. Matrias caducas desestimulam a leitura e, alm disto, a Aeroespao pretende servir, tambm, como um documento atualizado que reporte nossos acontecimentos, sem falar no calor humano que o contato mensal propicia e que, no fundo, est na alma da revista.

    Sem mais delongas e dando os presentes questionamentos por ndos, a est a Aeroespao n 17, que contou mais uma vez com a generosa colaborao de nossos leitores, razo primeira e nica de nossa existncia. Aproveitem.

    Obrigada,

    EQUIPE AEROESPAO

  • Em cerimnia militar realizada no dia 09 de maio, presidida pelo Ten Brig Ar Paulo Roberto Cardoso Vilarinho, Dire-tor-Geral do DECEA, foi transmitido o cargo de Chefe do Subdepartamento de Administrao (SDAD) do DECEA, do Brig Ar Cludio Alves da Silva para o Brig Ar Antonio Carlos de Barros.

    A prxima misso do Brig Alves, que cheou o SDAD por 18 meses, co-mandar a Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronutica (ECEMAR). Em seu discurso de despedida, disse deixar o DECEA com a convico de que uma andorinha s no faz vero e que sem-pre contou com o apoio e a colaborao de todos os integrantes e segmentos do Departamento para dar andamento s atividades do Subdepartamento de Admi-nistrao. Foi um perodo de relaciona-mento maduro, voltado, prioritariamente, para o perfeito funcionamento dos nos-sos Sistemas - declarou o Brig Alves.

    O Brig Barros, natural do Rio de Janeiro. Ingressou na FAB em 1969 e atingiu o posto de Brigadeiro em julho de 2003. Alm de outras atividades im-portantes na FAB, comandou a UNIFA (Universidade da Fora Area), seu lti-mo cargo antes de assumir o SDAD.

    O Ten Brig Vilarinho elogiou o tra-balho desenvolvido pelo Brig Alves frente do SDAD, enfatizando que sua administrao trouxe conforto, segu-rana e, tambm, a tranqilidade de que nada passaria desapercebido para o Sistema, devido ao cuidado e meti-culosa ateno com que ele lidava com os acontecimentos. O Brig Alves deu uma demonstrao