adriana paese alexandre uezu andré cunha .profissionais, atuantes em instituições de pesquisa,

Download Adriana Paese Alexandre Uezu André Cunha .profissionais, atuantes em instituições de pesquisa,

Post on 09-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Adriana Paese

    Alexandre Uezu

    Maria Lucia Lorini

    Andr Cunha

    organizadores

    Conservacao_SIG.indb 1 9/8/2012 17:22:04

  • Copyright 2012 Oficina de Textos

    Grafia atualizada conforme o Acordo Ortogrfico da Lngua Portuguesa de 1990, em vigor no Brasil a partir de 2009.

    Conselho editorial Cylon Gonalves da Silva; Doris C. C. K. Kowaltowski; Jos Galizia Tundisi; Luis Enrique Snchez; Paulo Helene; Rozely Ferreira dos Santos; Teresa Gallotti Florenzano;

    Capa e projeto grfico Malu VallimDiagramao Malu Vallim e Douglas da Rocha YoshidaPreparao de texto Felipe MarquesReviso de texto Elisa Andrade BuzzoImpresso e acabamento Intergraf Ind. Grfica Ltda.

    Todos os direitos reservados Editora Oficina de TextosRua Cubato, 959CEP 04013-043 So Paulo SPtel. (11) 3085 7933 fax (11) 3083 0849www.ofitexto.com.bratend@ofitexto.com.br

    Dados Internacionais de Catalogao na Publicao (CIP)(Cmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

    Conservao da biodiversidade com SIG / organizadores Adriana Paese, Alexandre Uezu, Maria Lucia Lorini, Andr Cunha. -- So Paulo : Oficina de Textos, 2012.

    1. Biodiversidade - Conservao 2. Estudos ambientais 3. Sistemas de Informao Geogrfica (SIG) I. Paese, Adriana. II. Uezu, Alexandre. III. Lorini, Maria Lucia. IV. Cunha, Andr. Bibliografia ISBN 978-85-7975-042-7

    12-08809 CDD-621.3678

    ndices para catlogo sistemtico: 1. SIG : Sistemas de Informaes Geogrficas : Utilizao em estudos ambientais : Tecnologia 621.3678

    iniciais.indd 2 14/8/2012 12:12:07

  • AgrAdecimentos

    Os organizadores e autores do livro gostariam de agradecer s seguintes instituies o financiamento desta edio: The Society for Conservation GIS; Deutsche Gesellschaft fr Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH e Conservao Internacional.

    Os autores e organizadores agradecem tambm s seguintes associaes, instituies e empresas o apoio, o financiamento, a participao nas pesquisas e a dedicao de seus fun-cionrios e colaboradores que resultaram nesta obra:

    Associao Mico-Leo-Dourado; Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientfico e Tecnolgico; Associao de Preservao do Meio Ambiente e da Vida; Associao para a Proteo da Mata Atlntica do Nordeste; Associao Valor Natural; Brasil Florestas S.A.; Coordenao de Aperfeioamento de Pessoal de Nvel Superior; Centro de Pesquisas Am-bientais do Nordeste; Comisso Pr-ndio do Acre; Conservao Internacional; Fibria; Gordon and Betty Moore Foundation; Fundao Jardim Botnico do Rio de Janeiro; Fun-dao SOS Mata Atlntica; Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis; Instituto Chico Mendes de Conservao da Biodiversidade; Instituto Amigos da Reserva da Biosfera da Mata Atlntica; Instituto BioAtlntica; Instituto iBiosfera; Ins-tituto Floresta Viva; Instituto Terra de Preservao Ambiental; K2 Sistemas; Laboratrio de Ecologia e Restaurao Florestal (Esalq-USP); Mater Natura Instituto de Estudos Am-bientais; Ministrio do Meio Ambiente; Movimento de Defesa de Porto Seguro; Ncleo de Economia Socioambiental e Ncleo de Estudos em Contabilidade e Meio Ambiente (FEA--USP); Petrobras; Programa Conservao e Desenvolvimento Tropical (Universidade da Flrida); Rede de ONGs da Mata Atlntica; Secretaria do Meio Ambiente do Estado de So Paulo; Secretaria do Meio Ambiente do Estado do Rio Grande do Sul; Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hdricos do Esprito Santo; Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hdricos do Paran; Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Re-cursos Naturais do Acre; Secretaria de Cincia, Tecnologia e Meio Ambiente do Estado de Pernambuco; The Nature Conservancy; Universidade Federal de Pernambuco; Vale; World Wide Fund for Nature; Wildlife Conservation Society; e as comunidades Kaxinaw da Terra Indgena Praia do Carapan, assim como as demais comunidades indgenas e tradicionais pelo apoio para conduo dos trabalhos que resultaram em diversos captulos deste livro.

    Os organizadores e autores tambm agradecem s seguintes pessoas por sua contri-buio: Alexander Yumakaev, Ana Clia Costa, Ana Maria Godoy, Alessandra Ribeiro de Moraes, Alexander Copelo, Alexsandra Santiago, Andr Guimares, Andr Lima, Camilla Barcelos, Camila Rezende, Ceclia Cronemberger, Charles Convis, Cntia Pedrina Balieiro, Claudia Funi, Denise Claret, Eduardo Rosa, Enrico Marone, Gabriela Salim, Gabriela Viana, Henrique Rajo, Ingrid Prem, Jean Paul Metzger, Jos Maria Cardoso da Silva, Julia Ferreira Ribeiro, Karen Pessoa, Keila Carvalho, Luiz Paulo Pinto, Luke Parry, Marcia Silveira, Marco Aurlio Nalon, Marlon Prestes,Marcos Rosa, Mariana Morais Vidal, Miguel Calmon, Rejane

    Conservacao_SIG.indb 3 9/8/2012 17:22:04

  • Souza, Renato Crouzeilles, Pedro Castro, Silvio Gazeta, Thadeu Melo, Flvio Ponzoni e Laury Cullen Jr.

    Os organizadores agradecem especialmente os membros da SCGIS-Brasil por acreditarem e se dedicarem voluntariamente para a difuso do uso do SIG aplicado conservao da biodiver-sidade e bem-estar das populaes tradicionais, assim como pela paixo e motivao com que se dedicam para alcanar aes prticas em busca desse objetivo.

    Conservacao_SIG.indb 4 9/8/2012 17:22:04

  • conservAo dA biodiversidAde com sig: lAcunAs entre implementAo e pesquisA

    Existe atualmente no Brasil uma lacuna de publicaes voltadas a usurios de Sistemas de Informaes Geogrficas (SIG) envolvidos em projetos de conservao da biodiversidade. Esses profissionais, atuantes em instituies de pesquisa, organizaes governamentais e no governa-mentais, frequentemente adaptam tcnicas de anlise e modelos espaciais de outras disciplinas ou encontram solues em publicaes nacionais e internacionais, voltadas a usurios avanados de SIG, que no so relacionadas aos tpicos especficos da conservao da biodiversidade ou do desenvolvimento sustentvel.

    Muito tem sido feito, apesar da pouca divulgao dos trabalhos, e as oportunidades para a explorao de tcnicas de anlises para a conservao com SIG no Brasil so proporcionais heterogeneidade das suas regies, enorme riqueza e ao endemismo de espcies localizadas no territrio nacional e ao seu papel fundamental na conservao da biodiversidade global, por meio de aes de desmatamento evitado, criao de reas protegidas e recuperao de ecossistemas, entre outras.

    Trabalhos aplicados de SIG so frequentemente conduzidos fora dos centros de pesquisa por organizaes no governamentais ou comunidades e, apesar de os resultados desses trabalhos terem aplicaes prticas, raramente so publicados. J os inventrios e as avaliaes da biodiver-sidade divulgados em jornais cientficos so formulados com o objetivo de aprimorar as tcnicas de anlise para a identificao e a priorizao de reas para a conservao, mas raramente esto inseridas em um contexto de planejamento ou implementao.

    Os SIG tm sido amplamente empregados para o planejamento espacial de reas protegidas, o desenvolvimento de planos de manejo para espcies ameaadas, a modelagem de alteraes no uso e cobertura do solo e a priorizao de reas para a conservao nos nveis global, regional e local, direcionando investimentos em conservao por organizaes no governamentais, agn-cias multilaterais e fontes privadas. Observa-se atualmente uma mudana do foco de aes de grupos conservacionistas da proteo integral da biodiversidade para atividades que tambm promovam o bem estar humano. Em vez de investir unicamente na criao de reas protegidas e reservas privadas, tomadores de deciso esto crescentemente envolvidos em projetos de res-taurao florestal ou com algum componente para a melhoria de condies sociais, o sequestro de carbono ou o pagamento de servios ecossistmicos. Essa mudana de foco est relacionada implementao das aes de conservao e tambm s anlises espaciais, nos SIG, para o pla-nejamento dessas atividades. A mudana de foco das anlises com SIG so relacionadas com: (a)maior envolvimento de atores locais e comunidades no processo de tomada de decises; (b) en-tendimento e mitigao dos efeitos de problemas complexos (ocorrentes em mais de uma escala espacial e temporal), como as mudanas ambientais globais (incluindo o aquecimento global); (c)planejamento espacial de projetos de carbono (Reduo de Emisses por Desmatamento e De-gradao Florestal REDD), para o pagamento por servios ecossistmicos e restaurao florestal em paisagens fragmentadas; (d) o desenvolvimento de aplicaes marinhas; (e) o desenvolvi-mento de ferramentas e aplicativos de SIG para a utilizao pela Internet. Acreditamos serem esses os principais tpicos das anlises com SIG nos prximos anos.

    Conservacao_SIG.indb 5 9/8/2012 17:22:04

  • Apesar de o acesso tecnologia dos SIG e a disponibilidade de dados espaciais terem aumen-tado enormemente nos ltimos dez anos, ainda h uma grande demanda por informaes e pela criao de capacidades analticas em todas as regies do Pas, especialmente naquelas em que as aes de conservao so mais urgentes.

    A ideia da reunio de trabalhos de conservao com SIG nasceu na segunda reunio da Seo Brasileira da Society for Conservation GIS, realizada em maio de 2009, no Parque Nacional da Serra dos rgos, em Terespolis (RJ), aps a constatao de algumas dessas lacunas e oportu-nidades. Visualizamos esse trabalho como o primeiro de uma srie de publicaes da Society for Conservation GIS.

    Este livro voltado a usurios de SIG e a conservacionistas em organizaes no governamen-tais, universidades e centros de pesquisa. Ele tambm voltado a empreendedores ambientais, lderes comunitrios e populaes indgenas.

    Dois grupos de usurios de SIG podero se beneficiar desta publicao: (a) aqueles que traba-lham em organizaes governamentais ou no governamentais e esto prximos do dia a dia da implementao das aes de conservao; (b) usurios de SIG em universidades e instituies de pesquisa. Os

Recommended

View more >