ACMULO DE BIOMASSA E EXPORTAO DE NUTRIENTES avaliar o acmulo de biomassa area e a exportao

Download ACMULO DE BIOMASSA E EXPORTAO DE NUTRIENTES avaliar o acmulo de biomassa area e a exportao

Post on 16-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

ACMULO DE BIOMASSA E EXPORTAO DE NUTRIENTES EM PLANTAES DE EUCALIPTO DE DIFERENTES IDADES Monalisa Fagundes Oliveira(1); Patrcia A. Bittencourt Barreto-Garcia(2) ; Vanessa de Souza Gomes(3) (1) Mestranda, UESB/Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, monalisaffagundes@gmail.com; (2) Professor, UESB/Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, patriciabarreto@uesb.edu.com.br; (3) Graduanda em Engenharia Florestal, UESB/Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, vanessadesouzagomes@hotmail.com. RESUMO Diante da expanso de plantios florestais no Brasil, torna-se importante conhecer a distribuio de biomassa e nutrientes, em suas diferentes fases de desenvolvimento, para que se possa adotar prticas de manejo adequadas. Objetivou-se avaliar o acmulo de biomassa area e a exportao de nutrientes em plantios de eucalipto de diferentes idades (1, 3, 5 e 13 anos). Foram selecionadas e abatidas quatro rvores em cada povoamento. Os componentes arbreos (folhas, galhos, casca e lenho) foram separados e tiveram suas massas frescas determinadas em campo. Amostras destes foram conduzidas ao laboratrio, secas em estufa, pesadas e modas para determinao dos teores de N, P, K, Ca, Mg e S. Na anlise dos dados, foram considerados dois manejos de resduos de colheita: convencional e conservacionista. A produo total de biomassa variou conforme a idade dos povoamentos, sendo que os povoamentos de 1 e 13 anos apresentaram menor e maior biomassa e exportao de nutrientes, respectivamente. O sistema conservacionista promove uma reduo da exportao de todos os nutrientes analisados. O Ca e Mg so os nutrientes mais afetados pelo tipo de manejo adotado, exportao 50% maior em relao ao manejo convencional. O N foi o nutriente menos impactado pelo tipo de manejo adotado. Palavras-chave: Plantios Florestais; Manejo Florestal; Resduos de Colheita. ABSTRACT Faced with the expansion of forest plantations in Brazil, it is important to know the distribution of biomass and nutrients in their different stages of development, so that appropriate management practices can be adopted. The objective was to evaluate the accumulation of aerial biomass and the export of nutrients in eucalyptus plantations of different ages (1, 3, 5 and 13 years). Four trees were selected and felled in each stand. The tree components (leaves, twigs, bark and wood) were separated and had their fresh masses determined in the field. Samples were taken to the laboratory, dried in an oven, weighed and ground to determine N, P, K, Ca, Mg and S contents. In the analysis of the data, two management of harvest residues were considered: conventional and conservationist. The total biomass production varied according to the age of the stands, with stands of 1 and 13 years old presenting lower and higher biomass and export of nutrients, respectively. The conservationist system promotes a reduction in the export of all nutrients analyzed. Ca and Mg are the nutrients most affected by the type of management adopted, exporting 50% higher than conventional management. N was the nutrient less impacted by the type of management adopted. Key words: Forest Planting; Forest management; Harvest Waste. INTRODUO No Brasil, as plantaes florestais comerciais vm se expandindo ao longo dos anos. Segundo a Indstria Brasileira de rvores (2017), em 2016, a rea de rvores plantadas no pas totalizou 7,8 milhes de hectares, crescimento de 0,5% em relao ao ano de 2015. Nessas plantaes predominam as espcies do gnero Eucalyptus, que ocupam 73% da rea total de florestas plantadas. O eucalipto tem sido extensivamente utilizado em plantios no Brasil devido a boa adaptabilidade s condies edafoclimticas, rpido crescimento, e ainda por ter aplicao em diferentes finalidades (MORA e GARCIA, 2000). A expanso desses plantios por diferentes regies do pas requer informaes sobre a sua produo e demanda de nutrientes. O conhecimento da distribuio de biomassa e nutrientes de povoamentos florestais, em suas diferentes fases de desenvolvimento, de fundamental importncia para a adoo de prticas de manejo adequadas, como a definio da melhor idade de colheita, o manejo dos resduos e a adubao de reposio (SCHUMACHER et al., 2013). Nesse sentido, o presente estudo objetivou avaliar o acmulo de biomassa area e a exportao de nutrientes em plantios de eucalipto de diferentes idades. MATERIAL E MTODOS Caracterizao da rea O estudo foi realizado em plantaes comerciais de eucalipto, constitudas de um mesmo material gentico (clone 1501, Eucalyptus urophylla x E. grandis), com diferentes idades (1, 3, 5 e 13 anos), e em espaamento de 3x3 m. Os povoamentos esto localizados no municpio de Aracruz, regio litornea do estado do Esprito Santo. O clima da regio tropical mido (Aw), segundo classificao de Kppen, com temperatura mdia anual de 23C e precipitao mdia de 1400 mm. A topografia predominantemente plana e o solo pertence a classe Argissolo Amarelo, apresentando elevada acidez e mdia fertilidade, com textura variando de mdia a argilosa (BARRETO et al., 2008). Amostragem e estimativa da biomassa Em cada povoamento florestal, foram demarcadas quatro parcelas de 18x18 m, sendo selecionada e abatida uma rvore em cada parcela, somando quatro amostras por povoamento. A determinao da biomassa das rvores selecionadas foi realizada considerando o mtodo de simples separao (SANQUETTA et al., 2004). As rvores foram fracionadas nos componentes: folhas, galhos, casca e lenho. Em seguida, o material foi pesado no campo em uma balana mecnica, para a determinao da biomassa verde total. Aps a pesagem, foram retiradas amostras de cada um dos componentes. No caso do lenho e da casca, foram coletadas trs amostras por rvore em diferentes posies no fuste (base, meio e extremidade superior). As amostras de cada componente foram levadas ao laboratrio, onde pesadas em balana de preciso e colocadas em estufa a temperatura de 65C at atingirem peso constante. Depois de secas, foram novamente pesadas para a obteno da massa seca. Com base nos valores de massa mida e seca de cada amostra e do peso mido obtido em campo, estimou-se a biomassa seca (kg) de cada um dos componentes da rvore e a biomassa total (kg) da parte area. Os valores foram projetados para hectare. Estimativa dos nutrientes Aps a secagem, as amostras foram modas em moinho de lminas do tipo Wiley e, aps esse procedimento, foi retirada uma alquota para a determinao dos teores de nutrientes na matria seca. As concentraes de nitrognio (N), fsforo (P), potssio (K), clcio (Ca), magnsio (Mg) e enxofre (S) foram determinadas de acordo com a metodologia proposta por Tedesco et al. (1995). Anlise Estatstica Os dados de biomassa e nutrientes foram submetidos anlise de varincia com delineamento inteiramente casualizado, adotando-se o teste t de Student a 5%, para comparao entre idades. RESULTADOS E DISCUSSO A produo total de biomassa variou conforme a idade dos plantios, sendo que os povoamentos de 1 e 13 anos apresentaram menor (7,23 Mg. ha-1) e maior (288,63 Mg .ha-1) quantidade de biomassa, respectivamente (Tabela 1). De acordo com Moura et al. (2006), com o avano da idade do povoamento florestal ocorre uma tendncia de aumento no acmulo de biomassa. Tal tendncia tem sido comumente observada outros estudos, como o de Sette Junior et al. (2006). Tabela 1. Acmulo de biomassa em plantios de eucalipto de diferentes idades. Idade Biomassa (Mg ha-1) (anos) Casca Folhas Galhos Lenho Total 1 0,39 d 2,48 a 2,29 b 2,08 d 7,23 d 3 7,99 c 2,61 a 3,21 b 38,55 c 52,36 c 5 13,44 b 1,85 b 2,57 b 82,96 b 100,82 b 13 24,80 a 2,12 ab 8,90 a 252,81 a 288,63 a Ao comparar os dois tipos de sistemas de colheita em todas as idades estudadas, nota-se que o sistema conservacionista tende a promover uma reduo da exportao de todos os nutrientes analisados (Tabela 2). Segundo Caldeira et al. (2014), a remoo dos nutrientes para fora do stio, influenciada pelo uso dos diferentes componentes da biomassa. Dentre os nutrientes avaliados, o Ca e Mg foram os mais afetados pelo tipo de manejo adotado, sendo que a exportao com o manejo convencional corresponde a uma diferena superior a 50% em relao ao que seria exportado com o manejo conservacionista. O nitrognio foi o nutriente menos impactado pelo tipo de manejo adotado (Tabela 2). Caldeira et al. (2002), estudando um povoamento de Acacia mearnsii, tambm verificaram que o sistema que propiciava a retirada da madeira com casca e a manuteno apenas de galhos e folhas, foi o que ocasionou maior exportao de nutrientes, principalmente de K, Ca e Mg. Tabela 2. Exportao de nutrientes em plantios de eucalipto de diferentes idades, considerando dois tipos de manejo de resduos. Idade Nutrientes (%) (anos) N P K Ca Mg S Manejo Conservacionista 1 6,2 10,1 17,6 4,9 8,4 16,2 3 40,6 33,8 47,0 20,7 20,7 57,0 5 49,4 39,2 57,0 25,0 23,6 40,0 13 62,9 54,5 52,6 20,4 31,3 42,1 Manejo Convencional 1 8,2 13,6 21,6 19,9 19,9 23,4 3 58,9 65,7 70,6 87,7 73,2 86,4 5 74,9 85,3 87,7 91,6 83,4 87,3 13 83,0 89,6 86,1 88,1 77,1 86,5 Manejo Convencional colheita do fuste com casca; Manejo conservacionista colheita do fuste sem casca. Freitas et al. (2004) salientaram que a grande remoo de Ca com a colheita convencional justificada pelo fato da casca apresentar maiores quantidades desse nutriente. De acordo Kramer e Kozlowski (1979), a concentrao de Mg pode ser elevada nas folhas de acordo com a poca do ano, devido o mesmo fazer parte do componente fotossinttico. Torna-se evidente que a manuteno de casca e folhas durante a colheita florestal propicia a permanncia de parte significativa dos nutrientes extrados durante o crescimento das rvores (SCHUMACHER et al., 2008). Ao analisar a exportao entre as idades dos plantios, observou-se que a idade de um ano apresentou a menor diferena entre os manejos. Esse resultado deve estar relacionado ao fato de que, na fase inicial de estabelecimento, o povoamento ainda no armazenou grande quantidade de biomassa e, consequentemente, de nutrientes. Corroborando essa informao, verificou-se que a idade mais avanada (13 anos) foi a que apresentou maior exportao dos nutrientes em ambos os sistemas. Segundo Poggiani et al. (1984), a exportao de nutrientes atravs da colheita florestal, est relacionada com a quantidade de biomassa de cada componente e com o respectivo teor de cada elemento. Pallardy (2008) afirma que o estoque de nutrientes nas plantas varia em funo da espcie, stio, poca do ano e idade. Os resultados obtidos evidenciam que a melhor forma de garantir a de manuteno dos nutrientes no stio florestal associar um sistema de manejo conservacionista (retirada apenas do fuste) idade de corte anterior aos 13 anos. CONCLUSES O plantio de 13 anos apresentou maior acmulo de biomassa (288,63 Mg ha-1) e maior exportao de nutrientes; O sistema de manejo conservacionista promove menor exportao de nutrientes; A exportao de Ca e Mg superior a 50% no manejo convencional em relao ao conservacionista. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS BARRETO, P. A. B.; GAMA-RODRIGUES. E. F.; GAMA-RODRIGUES, A. C.; BARROS, N. F.; FONSECA, S. Atividade, carbono e nitrognio da biomassa microbiana em plantaes de eucalipto, em uma sequncia de idades. Revista Brasileira de Cincia do Solo, Viosa, v. 32, n. 2, p. 611619, 2008. CALDEIRA, M. V. W.; GODINHO, T. O.; SAIDELLES, F. L. F.; VIERA, M.; SCHUMACHER, M. V.; CASTRO, K. C. Exportao de carbono e nutrientes pela colheita de Acacia mearnsii De Wild aos quatro anos de idade na Depresso Central, RS. Comunicata Scientiae, v. 5, n. 1, 2014. CALDEIRA, M. V. W.; RONDON NETO, R. M.; SCHUMACHER, M. V.; WATZLAVICK, L. F. Exportao de nutrientes em funo do tipo de explorao em um povoamento de Acacia mearnsii De Wild. Floresta e Ambiente, v. 9, n. 1, p. 97-104, 2002. FREITAS, R.; SCHUMACHER, M. V.; CALDEIRA, M. V. W.; SPATHELF, P. Biomassa e contedo de nutrientes em povoamento de Eucalyptus grandis W. Hill ex Maiden plantado em solo sujeito a arenizao, no municpio de Alegrete-RS. Biomassa & Energia, Viosa, v. 1, n. 1, p. 93-104, 2004. INDSTRIA BRASILEIRA DE RVORES - IB. Relatrio Ib 2017. So Paulo: IB, 2017. 80 p. KRAMER, J.P.; KOZLOWSKI, T. Physiology of woody plants. New York: Academic, 1979. 811p. MORA, A.L.; GARCIA, C.H. A cultura do eucalipto no Brasil. So Paulo, Sociedade Brasileira de Silvicultura, 2000. 112p. MOURA, O. N.; PASSOS, M. A. A.; FERREIRA, R. L. C.; MOLICA, S. G.; LIRA JUNIOR, M. D. A.; LIRA, M. D. A.; SANTOS, M. V. F. D. Distribuio de biomassa e nutrientes na parte area de Mimosa caesalpiniaefolia Benth. Revista rvore, v.30, n.6, p.877-884, 2006. PALLARDY, S. G. Physiology of wood plants. San Diego: Academic Press, 2008. 454p. POGGIANI, F.; ZEN, S.; MENDES, F. S.; SPINA-FRANA, F. Ciclagem e exportao de nutrientes em florestas para fins energticos. IPEF, Piracicaba, v. 27, p. 17-30, 1984. SANQUETTA, C. R.; CORTE, A. P. D.; BALBINOT, R.; LEAL, M. C. B. S.; ZILIOTTO, M. A. B. Proposta metodolgica para quantificao e monitoramento do carbono estocado em florestas plantadas. In: SANQUETTA, C.R.; ZILLIOTTO, M.A. B. Mercado de carbono: Mercado e cincia. Curitiba: 2004. SCHUMACHER, M. V.; BRUN, E. J.; ILLANA, V. B.; DISSIUTA, S. I.; AGNE, T. L. Biomassa e nutrientes em um povoamento de Hovenia dulcis Thunb., plantado na Fepagro Florestas, Santa Maria, RS. Cincia Florestal, v. 18, n. 1, p. 27-37, 2008. SCHUMACHER, M. V.; WITSCHORECK, R.; CALIL, F. N.; LOPES, V. G. Biomassa e nutrientes no corte raso de um povoamento de Pinus taeda L. de 27 anos de idade em Cambar do Sul-RS. Cincia Florestal, v. 23, n. 2, 2013. SETTE JUNIOR, C. R.; NAKAJIMA, N. Y.; GEROMINI, M. P. Captura de carbono orgnico em povoamentos de Pinus taeda L. na regio de Rio Negrinho, SC. FLORESTA, v. 36, n. 1, 2006. TEDESCO, M.J.; GIANELLO, C.; BISSANI, C. A.; BOHNEN, H.; VOLKWEISS, S. J. Anlises de solo, plantas e outros materiais. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 1995. 174p. (Boletim Tcnico).

Recommended

View more >