acervos de personalidades

Download Acervos de Personalidades

Post on 22-Mar-2016

236 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A 3ª edição da revista temática em homenagem ao ex-governador Mario Covas.

TRANSCRIPT

  • ano 1 - maro 2009 - n 3

    FUNDAO MARIO COVASem revista

  • acervos depersonalidades

    Em rEvista

  • editorial

    danando com acervos

    Detalhista, minucioso, perfeccionista, Mario Covas no tomava decises sem ter

    estudado a fundo o assunto. No importava se fosse a construo de um viaduto ou o

    enfrentamento de um adversrio poltico, a recepo a um chefe de Estado ou o rumo

    de uma campanha poltica. Pedia constantemente informaes a seus assessores diretos

    e no aceitava meias respostas, dados incompletos. Era um exigente assumido. Mas,

    ao mesmo tempo em que desesperava o pessoal de gabinete, Covas gerava um volume

    enorme e importante de documentos em todo cargo pblico que exercia. O resultado

    desse detalhismo o acervo que a Fundao Mario Covas tem o prazer de preservar.

    E se o acervo Mario Covas tem a marca da mincia, o que caracterizaria outros arquivos

    pessoais? Como a Fundao poderia aprender com a experincia de outras instituies

    de preservao de memria? Como poderia compartilhar sua experincia? Assim nasceu a

    ideia do Seminrio Acervos de Personalidades, que realizamos nos dias 20 a 22 de agosto

    de 2008, na sede da Fundao, reunindo arquivistas e historiadores responsveis por

    acervos diversos, de vrios Estados do pas e at de Portugal.

    Nos trs dias do evento, conhecemos o trabalho do Centro 25 de Abril com os documentos

    sobre a Revoluo dos Cravos, que devolveu a democracia a Portugal. Aprendemos com

    a abordagem organizacional adotada pela Casa de Oswaldo Cruz para os arquivos dos

    cientistas. Descobrimos porque o desprendimento do escritor Erico Verissimo complica a

    montagem de seu acervo literrio e a Fundao Energia e Saneamento tem tantas fotos

    de So Paulo. Nos entristecemos com as dificuldades do Centro de Memria da Bahia em

    obter recursos para manter suas preciosidades histricas. E nos alegramos com a bem-

    sucedida iniciativa da Unicamp de preservar a memria da regio de Campinas.

    O olhar de cada palestrante sobre o patrimnio histrico, cultural, cientfico ou

    arquitetnico que cuida o que veremos nas prximas pginas. Cada um com sua

    trajetria, suas peculiaridades, suas marcas. Inclusive o nosso.

    Antonio Carlos Rizeque Malufe

    Presidente da Fundao Mario Covas

    FUNDAO M AR IO COVAS EM RE V I S TA A cER V o S dE p ER S on A l Id A dE S 3

  • ndice

    Fotoclip 6

    Em debate, os arquivos 8

    Tudo em ordem no acervo Covas 12

    Lei Rouanet viabiliza Centro de Memria 16

    Enfim, a sede prpria 18

    O fio condutor de uma vida 22

    Temos de ir mais fundo no acervo 26

    Quando a pessoa maior que o cargo 30

    A mincia d o tom do arquivo 32

    Luz, gs, gua e preservao 36

    No 25 de Abril, o particular pblico 38

    Revoluo com cravos 42

    Existe arquivo inocente? 43

    Todo documento importante 44

    A COC na rota dos cientistas 48

    Dos prdios aos documentos 53

    FUNDAO M AR IO COVAS EM RE V I S TA A cER V o S dE p ER S on A l Id A dE S4

  • 108 anos de sade 54

    Facilidades para o pesquisador 56

    CMU, o guardio da memria de Campinas 58

    Francisco Glicrio contra o rei 61

    Adolfo Gordo e a primeiras leis da Repblica 63

    Grama e Izalene, prefeitos com acervo preservado 64

    A memria da Bahia 66

    Uma histria de persistncia 70

    O palcio Rio Branco 72

    Pedro Calmon, filho de Amargosa 73

    Erico Verissimo rene o acervo 75

    Em busca de um espao 79

    Da farmcia glria literria 81

    Lidar com o ALEV um privilgio 83

    Crditos 86

    FUNDAO M AR IO COVAS EM RE V I S TA A cER V o S dE p ER S on A l Id A dE S 5

  • fotoclip

  • Profissionais arquivistas discutem os desafios da Preservao de acervos de Personalidades em seminrio da fundao mario covas

    em debate, os arquivos

    Raquel Freitas, coordenadora do Centro de Memria da Fundao Mario Covas, em palestra no seminrio

    Como preservar os documentos pessoais da melhor forma possvel e, com eles,

    registrar a trajetria das personalidades que fizeram histria na poltica, nas

    artes, na cincia e em outras reas? A questo foi discutida em profundidade

    por profissionais arquivistas de vrias entidades nos dias 20, 21 e 22 de agosto de

    2008, durante o Seminrio Internacional Acervos de Personalidades: Desafios e

    Perspectivas. Promovido pela Fundao Mario Covas (FMC) em sua sede, o evento

    marcou a inaugurao do Centro de Memria e o lanamento do Guia do Acervo.

    FUNDAO M AR IO COVAS EM RE V I S TA A cER V o S dE p ER S on A l Id A dE S8

  • A atuao das entidades dedicadas manuteno

    de acervos de personalidades ainda pouco

    difundida no Brasil, mas o seminrio realizado

    pela Fundao Mario Covas mostrou a importncia

    de aes de preservao da memria como legado

    para as geraes futuras e o aperfeioamento

    da cidadania. Na grande maioria dos pases

    europeus, iniciativas como as empreendidas

    pela FMC tm tradio e contam com respaldo

    governamental, como se pode constatar ao

    conhecer a bem-sucedida experincia do Centro

    de Documentao 25 de Abril, de Portugal.

    De volta democracia

    No primeiro dia de palestras do seminrio, a

    professora Natrcia Coimbra, coordenadora do

    Centro de Documentao 25 de Abril, falou sobre

    acervos de personalidades pblicas em Portugal.

    A instituio, ligada Universidade de Coimbra,

    rene cerca de 3 milhes de documentos

    referentes ao movimento que restabeleceu a

    democracia no pas, em 1974, aps dcadas de

    convivncia com o regime ditatorial salazarista.

    Ao longo dos anos, o 25 de Abril se tornou

    o principal depsito documental da histria

    recente de Portugal. nosso dever no esquecer

    e no deixar perder a memria contida em nossos

    arquivos, afirmou em sua palestra.

    O arquivista, segundo Natrcia Coimbra, tem um

    papel crtico e fundamental na construo da

    narrativa sobre a trajetria da personalidade:

    Mais do que um relato histrico e imparcial,

    os nossos arquivos precisam ser transparentes,

    disse audincia da Fundao Mario Covas.

    O 25 de Abril foi o primeiro centro de memria

    portugus a ter uma pgina na internet e a

    Natrcia Coimbra fala sobre a preservao de acervos de personalidades pblicas em Portugal

    FUNDAO M AR IO COVAS EM RE V I S TA A cER V o S dE p ER S on A l Id A dE S 9

  • primeira biblioteca do pas com 8 mil volumes

    a oferecer sua base de dados via web.

    Experincia brasileira

    Profissionais de centros de memria sediados em

    diferentes Estados brasileiros deram inestimvel

    contribuio ao seminrio. Maria da Glria

    Bordini, professora da Universidade Federal

    do Rio Grande do Sul, falou de sua experincia

    com o acervo literrio do escritor gacho Erico

    Verissimo, na ocasio ainda sem sede definitiva

    e condio de ser aberto pesquisa pelo pblico.

    Paulo Roberto Elian dos Santos, vice-diretor

    da Casa de Oswaldo Cruz, da Fiocruz, no Rio de

    Janeiro, discorreu sobre os acervos dos cientistas

    brasileiros. Dadas as especificidades dos arquivos

    desses profissionais, a entidade adotou a

    organizao dos documentos por funo exercida

    pelo cientista, numa abordagem inovadora.

    Os desafios e perspectivas de instituies de

    memria foram o tema da palestra de Consuelo

    Novais Sampaio, da Fundao Pedro Calmon. A

    entidade cuida do acervo poltico do Estado da

    Bahia e vivia, na ocasio, o drama da reduo de

    recursos e da mudana de sede.

    Numa situao mais confortvel, Fernando

    Antonio Abraho falou do trabalho do Centro de

    Memria Unicamp, rgo de uma universidade

    pblica estadual dedicado preservao de

    acervos pessoais de personalidades da regio de

    Campinas, interior paulista.

    Raquel Freitas, coordenadora do Centro de

    Memria Mario Covas, e Marcia Pazin, especialista

    em organizao de arquivos, falaram de sua

    experincia na organizao da memria Covas,

    suas dificuldades e vitrias. H atualmente no

    Centro de Memria milhares de documentos

    textuais, 3.639 audiovisuais, 1.918 tridimensionais

    Luis Sergio Matarazzo, diretor secretrio da FMC, abre o evento com Natrcia Coimbra e Raquel Freitas

    FUNDAO M AR IO COVAS EM RE V I S TA A cER V o S dE p ER S on A l Id A dE S10

  • Profissionais arquivistas e historiadores compem a audincia do Seminrio Acervos de Personalidades

    Integrantes da equipe do Centro de Memria

    participam do evento como ouvintes

    e outros 11.402 documentos fotogrficos. Seu

    acervo conta a trajetria poltica de Mario Covas,

    desde a militncia na cidade de Santos, onde

    nasceu, at o perodo em que governou o Estado

    de So Paulo, passando pela atuao como

    deputado federal, prefeito nomeado da cidade

    de So Paulo e senador da Repblica.

    Contando com uma audincia de mais de cem

    profissionais ligados preservao de memria,

    o seminrio atingiu plenamente seus objetivos.

    Em primeiro lugar, o evento abordou temas

    relevantes para a rea, entre eles experincia

    de organizao de acervos de personalidades,

    construo da memria e potencial de pesquisa,

    acervos literrios e de cientistas, desafios e

    perspectivas de instituies de preservao da

    memria. O seminrio tambm funcionou como

    um meio de divulgao das metodologias de