ação contra a mudança global do clima 49 Capítulo 4 ...ainfo. ?ão contra a mudança global do clima…

Download ação contra a mudança global do clima 49 Capítulo 4 ...ainfo. ?ão contra a mudança global do clima…

Post on 09-Feb-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

Ao contra a mudana global do clima 49

Captulo 4

Polticas, planos e estratgias nacionais para combate s mudanas climticasAryeverton Fortes de OliveiraGiampaolo Queiroz PellegrinoSantiago Vianna CuadraLuis Gustavo BarioniDaniel de Castro Victoria

IntroduoA transformao da agricultura acontece em um ambiente de mudana de para-digma tecnolgico e evoluo institucional, no qual a Embrapa contribui com a aplicao do conhecimento cientfico, tanto nos processos tecnolgicos quanto na promoo das polticas pblicas e seus instrumentos. Escolhas pblicas asser-tivas devem ser buscadas para promover com eficcia o desenvolvimento susten-tvel, implicando em uma transformao tecnolgica da agropecuria brasileira que visa assegurar a mitigao das emisses de gases de efeito estufa (GEE) e promover a adaptao eficiente de suas prticas e sistemas frente mudana do clima. O presente captulo trata de como a Embrapa tem contribudo para a meta 13.2Integrar medidas da mudana do clima nas polticas, estratgias e planeja-mentos nacionais.

As inovaes tecnolgicas e organizacionais para lidar com as vulnerabilidades da agricultura frente ao clima so parte significativa do desenvolvimento do agro-negcio, e, portanto, objeto importante dos trabalhos da Embrapa. A Empresa e seus parceiros contribuem singularmente para a inovao tecnolgica e formula-o de polticas pblicas. A compreenso e reduo da susceptibilidade das cul-turas ao clima, a identificao da exposio dos diferentes sistemas de produo aos eventos climticos e o reforo da capacidade adaptativa da agricultura so sistematicamente abordados nos programas de pesquisa da Embrapa. Estudos consistentes sobre a vulnerabilidade (Deconto,2008) e o apoio elaborao de cenrios de gesto de riscos so oferecidos sociedade e continuamente atua-lizados, consolidando e transferindo conhecimento em diferentes escalas para todo o territrio nacional.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentvel 1350

A Embrapa prioriza reas de pesquisa e promove a capacitao e transferncia de tecnologia nos diferentes tpicos das mudanas climticas.A Empresa desenhou um portflio de projetos de pesquisa com sete vertentes e temas principais e mais de 45linhas de pesquisa, desenvolvimento e inovao para os quais se estimula a submisso de projetos competitivos.Aproximadamente 150projetos e resultados esto associados a essas vertentes. Trs grandes projetos em rede, com abrangn-cia nacional, focam a anlise de vulnerabilidadee adaptao (Programa7 do Pla-no ABC), sejam eles: Simulao de Cenrios Agrcolas Futuros(Scaf ) , que analisa a vulnerabilidade das culturas agrcolas; Impactos das Mudanas Climticas Globais sobre Problemas Fitossanitrios(Climapest), que analisa a influncia das mudan-as climticas sobre os problemas fitossanitrios; e Rede AgroHidro, que analisa a relao entre a agricultura, os recursos hdricos e as mudanas climticas.

Desenvolvimento e mudanas no climaO desenvolvimento da agricultura revela que os agentes econmicos tm encon-trado meios para inovar e transformar processos de produo. Com papel ativo nesse curso de desenvolvimento, a Embrapa oferece tanto solues tecnolgicas para os produtores quanto conhecimento tcnico para a formulao e execuo de polticas pblicas. Informaes bsicas, sistemas de informao e de apoio aos tomadores de deciso da empresa tm promovido a boa governana e o equi-lbrio de interesses pblicos e privados. Sob a presso da mudana do clima, os interesses se voltam para inmeras negociaes globais e locais, muitas das quais so assessoradas pela Embrapa.

As condies de incerteza e complexidade que cercam a agricultura criam de-safios que ultrapassam a capacidade inerente dos produtores em avaliar suas condies de produo. A Embrapa, em sua misso de gerar conhecimento e in-formao, interpreta os sinais das mudanas do clima e a sensibilidade da exposi-o de sistemas produtivos em cada localidade do Pas, para que os desafios tc-nico-cientficos sejam coerentes s demandas. A promoo da competitividade do agronegcio, da eficincia tcnica e econmica do uso de recursos naturais e financeiros, a equidade social e a segurana e a qualidade alimentar devem estar em equilbrio, muito embora isso tenha sido um dos seus maiores desafios da agricultura nacional (Alves,2014).

Destarte, a adaptao da agricultura dever passar, nos prximos anos, pela uti-lizao de tecnologias da informao em processos de planejamento, gerencia-mento, monitoramento e avaliao de aes. A transformao digital das cadeias

http://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/plano-abc/plano-abc-agricultura-de-baixa-emissao-de-carbonohttp://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/plano-abc/plano-abc-agricultura-de-baixa-emissao-de-carbonohttps://www.macroprograma1.cnptia.embrapa.br/scaf/https://www.macroprograma1.cnptia.embrapa.br/climapesthttps://www.agropediabrasilis.cnptia.embrapa.br/web/agrohidro

Ao contra a mudana global do clima 51

agroindustriais e do campo ampliar as possibilidades de transferncia e gesto de riscos. A anteviso da necessidade dessa adaptao tecnolgica levar a Em-brapa e instituies parceiras a desenvolver tecnologias e inovaes que iro na-turalmente ao encontro da mitigao de emisses deGEE e controle de riscos.

Os processos biofsicos sero conhecidos em profundidade e controlados como nunca antes na produo de alimentos. Riscos e oportunidades sero conhecidos com menor incerteza, e processos decisrios sero conduzidos pelo conhecimen-to a priori das externalidades da produo. Um exemplo de produto que inte-gra informaes sobre o clima, o solo, as cultivares e o manejo o Zoneamento Agrcola de Risco Climtico (Zarc). Iniciado h mais de 20anos e conduzido com apoio da Embrapa, tem sido um dos mais importantes instrumentos de estmulo sustentabilidade da agricultura e da segurana alimentar brasileira. Por trs das informaes de riscos disponibilizadas para mais de 44 culturas agrcolas, h uma grande articulao entre conhecimentos empricos, monitoramento meteorol-gico, bem como validao e aproximao de modelos, os quais so contrastados com dados observados em cada municpio brasileiro.

Ademais, a Embrapa tem atuado diretamente no suporte das principais aes governamentais de mitigao e adaptao do setor agropecurio s mudanas climticas, por exemplo, por meio do Plano Setorial de Mitigao e de Adaptao s Mudanas Climticas Visando Consolidao de uma Economia de Baixa Emis-so de Carbono na AgriculturaPlano ABC (Brasil,2016a) e do Plano Nacional de Adaptao Mudana do ClimaPNA (Brasil,2016b). A Embrapa tem sido consul-tada e contribudo com informaes tcnicas, dados experimentais e estudos de simulao e otimizao para a definio de propostas brasileiras para a mitigao das emisses deGEE.

No mbito internacional, as principais propostas brasileiras para a mitigao das emisses deGEE so os Compromissos Voluntrios do Brasil (NAMAs, do ingls Nationally Appropriate Mitigation Actions) e as Contribuies Nacionalmente Determinadas (NDC, do ingls Nationally Determined Contributions). Em am-bos, a Embrapa contribuiu, por exemplo, com nmeros e estimativas da rea de pastagens degradadas a ser recuperada por integrao lavoura-pecuria-flores-taILPF(Brasil,2013) ou pastagens cultivadas, bem como nos clculos dos cus-tos diretos da adoo da tecnologia e do potencial de mitigao de emisses. Os estudos da Embrapa foram tambm essenciais para a definio do Plano ABC, a principal poltica do Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento (Mapa) com foco nas questes ambientais alinhadas gesto territorial dos recursos na-turais.

http://www.agricultura.gov.br/assuntos/riscos-seguro/risco-agropecuario/zoneamento-agricolahttp://www.agricultura.gov.br/assuntos/riscos-seguro/risco-agropecuario/zoneamento-agricolahttp://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/plano-abc/plano-abc-agricultura-de-baixa-emissao-de-carbonohttp://www.mma.gov.br/clima/adaptacao/plano-nacional-de-adaptacaohttp://www.mma.gov.br/clima/adaptacao/plano-nacional-de-adaptacaohttp://unfccc.int/focus/ndc_registry/items/9433.phphttps://www.embrapa.br/web/rede-ilpfhttp://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/plano-abc/plano-abc-agricultura-de-baixa-emissao-de-carbono

Objetivos de Desenvolvimento Sustentvel 1352

Informaes crticas para a formulao de polticas pblicasQuais sistemas agropecurios podem se tornar mais resilientes, mitigadores de emisses deGEE e que devem ser fortalecidos no Plano Nacional de Adaptao (PNA)? Qual o desempenho das diferentes culturas e cultivares em condies cli-mticas adversas? Quais avanos tecnolgicos devem ser buscados como forma de adaptao s situaes de elevada vulnerabilidade climtica?

Novas informaes que ajudem a responder a essas questes tm por caracters-tica o custo elevado de produo e baixo custo de cpia e distribuio. A primeira verso custosa, e a recuperao do investimento para produzi-la costuma ter elevado tempo de retorno ou mesmo ser impossvel. Desse modo, a informao climtica, agronmica e socioeconmica para o agronegcio dever ser fomen-tada por polticas de estado, a exemplo das Polticas Nacionais de Biocombus-tveisRenovaBio (Brasil,2017a) e de ILPF(Brasil,2013). Aao transversal das informaes em polticas pblicas se estende s decises do setor privado, con-tribuindo sempre para a implantao de sistemas produtivos adequados para a quebra de velhos paradigmas em razo da necessidade de respostas mudana do clima.

Polticas pblicas para adaptao

Polticas pblicas promovem o bem-estar social e econmico pela efetividade de suas aes. Para lidar com as questes da mudana do clima, a Embrapa dever concentrar esforos na identificao, desenvolvimento e adaptao de prticas agropecurias; no desenvolvimento e caracterizao de novas cultivares agrco-las (para uma ampla gama de culturas); no desenho e recomendao de novos sistemas integrados de produo animal e vegetal; na avaliao de alternativas de manejo de reciclagem e adubao dos solos; no uso inteligente da irrigao e dos solos; no controle de pragas e doenas; e na introduo de novas tecnologias, especialmente, no contexto de automao e agricultura de preciso. A Embrapa tem papel de relevo no fomento s polticas pblicas, uma vez que est presente nas mais diversas ecorregies do Pas, dispondo de conhecimento regional, es-trutura e logstica de laboratrios para a configurao de Unidades de Referncia Tecnolgica(URTs) com tecnologias particulares a cada polo de desenvolvimento ecorregional.

https://www.embrapa.br/web/rede-ilpf

Ao contra a mudana global do clima 53

Monitoramento e avaliao de programas pblicos e privados

A ao governamental passa pela operacionalizao integrada de grandes planos e polticas em programas e projetos, os quais subsidiama formulao de polticas pblicas de apoio definio dos NAMAs, do Plano ABC e das Contribuies Nacionalmente Determinadas (NCD) do Brasil (Oliveira et al., 2018), bem como pela participao do Pas em importantes estudos, como o do Banco Mundial (Gouvelloetal.,2010).

A Empresa tem contribudo de forma efetiva nas comunicaes nacionaisdeemis-ses e remoes e em diversos estudos quantitativos das emisses de sistemas agropecurios, demonstrando, via de regra, menores emisses de nossos siste-mas produtivos em relao ao estimado por anlises com modelos e fatores tier1 ou default.Os trabalhos da Embrapa concentram-se especialmente em:

Recuperao de pastagens degradadas.

Integrao lavoura-pecuria-floresta e sistemas agroflorestais.

Implantao e fortalecimento de sistemas de plantio direto.

Tratamento de dejetos animais.

Adaptao s mudanas climticas e aes transversais.

Merecem destaque as aes de monitoramento do Plano ABC. Para apoiar as aes de mitigao de emisses em sistemas pecurios, florestais e granferos nos diversos biomas brasileiros, a Embrapa tem fomentado projetos em rede como Pecus, Saltus e Fluxus. Para aprofundar o entendimento da relao entre pecuria e mudanas climticas, foi desenhado o projeto internacional FP7Animal Change, cofinanciado pela Unio Europeia.

A Embrapa mantm um nmero significativo de projetos dedicados adaptao gentica de culturas agrcolas para as mudanas climticas. Devem ser ressalta-das as iniciativas corporativas como o Zoneamento Agrcola de Risco Climtico e o Projeto Especial sobre a Governana da Plataforma ABC, bem como citam-se projetos dos diversos portflios e arranjos correlatos, como ILPF, Fixao Biolgica de Nitrognio(FBN), Pastagem, Sucroalcooleiro Energtico, Agricultura Irrigada, Convivncia com a Seca, Recursos Florestais Nativos, Recursos Genticos e Enge-nharia Gentica no Agronegcio, para listar apenas os portflios mais relevantes para a temtica.

http://unfccc.int/focus/mitigation/items/7172.phphttp://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/plano-abc/plano-abc-agricultura-de-baixa-emissao-de-carbonohttp://www.agricultura.gov.br/assuntos/sustentabilidade/plano-abc/plano-abc-agricultura-de-baixa-emissao-de-carbonohttp://www.cppse.embrapa.br/redepecus/https://www.embrapa.br/territorial/busca-de-projetos/-/projeto/203020/saltus---dinamica-da-emissao-de-gases-de-efeito-estufa-e-dos-estoques-de-carbono-em-florestas-brasileiras-naturais-e-plantadashttps://www.fluxus-rep.cnptia.embrapa.br/https://www.embrapa.br/web/rede-ilpf

Objetivos de Desenvolvimento Sustentvel 1354

Nos projetos de mudanas climticas, a Empresa investe tambm em projetos para desenvolvimento de tcnicas de sensoriamento remoto e mapeamento das culturas e de reas degradadas no Pas. Atua na capacitao e transferncia de tecnologia por meio de dias de campo, palestras, seminrios, oficinas, visitas tc-nicas de agricultores em reas de recuperao de pastagem, fazendas, eventos em 79 Unidades de Referncia Tecnolgica (URTs) e/ou em Unidades de Teste e Demonstrao (UTDs), em centros de pesquisa, etc., entre outras estratgias como um canal dedicado no Youtube.

As anlises de vulnerabilidade e resilincia da agricultura devem nortear a iden-tificao de reas e alternativas de adaptao da produo. A gesto de riscos uma das reas mais relevantes de atuao estratgica da Embrapa, a qual deve-r ser fortalecida nos prximos anos.Tambm, o fomento agregao de valor da produo integrada validada por normas de certificao de reduo de emis-ses.Os projetos da Empresa aprimoram as Anlises de Ciclo de Vida(ACV) dos produtos da pecuria, fortalecendo a comunicao efetiva nos mercados interno e externo. A Embrapa desenvolve ferramentas que aprimoram as anlises daefi-cincia tcnica e econmica nos sistemas produtivos incentivados pelo plano, que auxiliam seu direcionamentoe que promovem o cumprimento demetas am-pliadas pelasNDC, desde a ratificao do Acordo de Paris.

Negociaes e capacidade institucional para a adaptaoA Embrapa tem contribudo ativamente em negociaes internacionais, as quais levaram construo de planos e programas como o Plano ABC, Carne Carbono Neutro (Suleiman,2016) e do PNA. Especificamente, neste ltimo, duas estrat-gias nacionais para adaptao da agricultura brasileira s mudanas climticas contaram com apoio singular da Embrapa. Tomando como pressuposto de que as aes doPNA estabeleam sinergias entre as polticas e as estratgias de mitiga-o das emisses, duas metas estratgicas devem estar presentes na agenda da Embrapa: a)o desenvolvimento de um Sistema de Monitoramento e Simulao de Risco e Vulnerabilidade Agrcola; b)Ncleo de Inteligncia Climtica da Agri-cultura para Gesto do Risco Climtico na Poltica Agrcola Brasileira.

Essas metas melhoram a adaptao dos sistemas agroindustriais, reforando a capacidade e a competitividade do setor em termos biotecnolgicos, novos in-sumos, tecnologias de reciclagem e de culturas e integraes de processos com

http://unfccc.int/focus/ndc_registry/items/9433.phphttp://unfccc.int/paris_agreement/items/9485.php

Ao contra a mudana global do clima 55

maior potencial de agregao de valor, como por meio da certificao, gesto e transferncia de riscos.

A operacionalizao de polticas e estratgias setoriais de adaptao s mudanas do clima requer a modernizao, a elevao da competitividade, a gesto integrada de riscos e a agregao de valor. Promove-se a segurana alimentar e a qualidade nutricional dos alimentos, garantindo a produo em escala e qualidade adequadas para o desenvolvimento sustentvel em suas distintas dimenses. Tais esforos devem ocorrem simultaneamente em nveis local, regional e nacional. O entendimento deve ser sistmico e deve estimular redes de Cincia&Tecnologia que facilitem a integrao e o compartilhamento de informaes. Em forte sintonia com a gesto de polticas, preciso fomentar a transformao digital em curso na agricultura com a introduo de novos meios para a aquisio, processamento, compartilhamento e segurana de dados e metadados entre as iniciativas privada e pblica, bem como entre usurios e empresas.

Algumas das principais linhas tcnicas de interesse so:

O desenvolvimento de sistemas de armazenamento, recuperao, anlise e sntese de massas de dados (Big Data) (Crawford,2011).

A organizao e catalogao de dados e de seus respectivos metadados.

A modelagem, simulao e otimizao de agroecossistemas.

O monitoramento por meio de sensores remotos e orbitais.

A integrao de informaes ambientais, socioeconmicas, jurdicas, tec-nolgicas, dentre outras.

O desenvolvimento de aplicaes em Internet das Coisas (Santos et al., 2016) (interligao entre dispositivos/sensores autnomos e pes-soas), Inteligncia Artificial (Byrum,2017) (soluo de problemas com-plexos) e Blockchain (Ge et al., 2017) (transaes jurdicas e comerciais mais seguras).

Os principais produtos devero ser:

Sistema de Monitoramento, Avaliao de Risco e Vulnerabilidade Agrco-la: visa produo de indicadores, integrao de informaes, simulao de resultados e anlise de cenrios. Dever ser um banco de informao por meio da integrao e sntese de massas de dados de escalas distin-tas, referenciando programas e aes locais, regionais e nacionais. As in-formaes estaro disponveis e sero especialmente relevantes para a

Objetivos de Desenvolvimento Sustentvel 1356

comunicao e visualizao de resultados, a exemplo da plataforma inte-rativa MapBiomas.

Algoritmos computacionais: visam avaliao tcnica e econmica de agroecossistemas em diferentes cenrios e regies. Essas solues, imple-mentadas por meio de tcnicas de simulao, otimizao, assimilao de dados e inteligncia artificial, permitiro analisar estratgias de mitigao e adaptao, bem como apoiar a formulao de polticas pblicas.

Sistema de comunicao e visualizao (Data visualization,2018) de re-sultados: visa disponibilizar para diferentes atores dos setores pblico e privado informaes teis para suporte tomada de deciso com relao mudana do clima, em particular no que se refere indicao de mode-los de produo agropecuria e avaliao do impacto da adoo desses modelos para a reformulao de polticas pblicas. As informaes gera-das devero fornecer subsdios para polticas pblicas em negociaes internacionais, induzir a demanda pela produo de dados cientficos re-levantes e, por fim, auxiliar na discusso de contenciosos comerciais ou barreiras no tarifrias de ordem tcnica.

Infraestrutura de armazenamento, curadoria, processamento de dados e recuperao da informao: visa estabelecer regras de segurana, contro-le de acesso e uso da informao. Esta infraestrutura dever utilizar-se de meios de comunicao e troca de informao modernos que permitam a integrao com outras redes de pesquisa e bases de dados, de modo a garantir amplo acesso informao e de forma segura por meio de cola-borao nas escalas individual e institucional.

Consideraes finaisDiversas transformaes vm afetando a agricultura, seja no mbito tecnolgico, na percepo e exigncia dos consumidores, seja nas alteraes causadas pelas mudanas climticas. Nesse cenrio, o conhecimento cientfico imprescindvel para a tomada de decises nos setores pblico e privado, a formulao de pol-ticas de induo e de fomento, visando ao desenvolvimento de novas prticas e tecnologias que garantam a sustentabilidade da agricultura.

A Embrapa tem forte atuao em questes relacionadas s mudanas climticas e tem contribuindo significativamente para a inovao tecnolgica e a produo de conhecimentos. Por meio de seus projetos de pesquisa, a Empresa fornece

http://mapbiomas.org

Ao contra a mudana global do clima 57

sociedade estudos consistentes sobre as vulnerabilidades da agricultura e pro-duz conhecimentos para ampliar a sua capacidade adaptativa. Assim, a Embrapa cumpre seu papel de consolidar e transferir conhecimento para os mais diversos produtores rurais distribudos em praticamente todos os municpios dos estados da federao brasileira.

O conhecimento gerado pela Embrapa afeta a tomada de deciso do produtor e vem promovendo inmeras inovaes nas reas de tecnologia da informao, simulao computacional, Big Data, Internet das Coisas, inteligncia artificial, dentre outras. A poltica agrcola brasileira conta com o apoio da Embrapa para manter a ligao entre seus planos, programas e projetos com a realidade pro-dutiva e o estmulo da sustentabilidade e da segurana alimentar. A interao da Embrapa com os quadros tcnicos governamentais essencial para o sucesso da formulao e gesto do Plano ABC e do Plano Nacional de Adaptao Mudana do Clima (PNA). As negociaes internacionais e a formulao das propostas bra-sileiras para a mitigao das emisses de gases de efeito estufa NAMAs (Com-promisso..., 2014) e NDC(Brasil,2017b)so apoiadas diretamente pelas quan-tificaes, modelagem e anlises dos fatores de emisso geradas pela Empresa.

Referncias ALVES, E. Classes de renda na agricultura.Revista Agro DBO, v. 11, n. 63, p. 48-52, 2014.

BRASIL. Lei n 13.576 de 26 fevereiro de 2017. Dispe sobre a Poltica Nacional de Biocombustveis (RenovaBio) e d outras providncias. Dirio Oficial da Unio, Braslia, DF, 2017a. Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Lei n 12.805, de29 de abril de 2013. Institui a Poltica Nacional de Integrao Lavoura-Pecuria-Floresta e altera a Lei no8.171, de 17 de janeiro de 1991. Dirio Oficial da Unio, Braslia, DF, 2013. Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento. Plano ABC - Agricultura de baixa emisso de carbono. Braslia, DF, 2016a. Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Ministrio do Meio Ambiente. Contribuio Nacionalmente Determinada - NDC. Braslia, DF, 2017b. Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

BRASIL. Ministrio do Meio Ambiente. Plano Nacional de Adaptao. Braslia, DF, 2016b. Disponvel em:

Objetivos de Desenvolvimento Sustentvel 1358

BYRUM, J. A conversation with Joseph Byrum, PhD, MBA, PMP. Industrial Biotechnology, v. 13, n. 3, p. 101-102, 2017. DOI: 10.1089/ind.2017.29082.jby. COMPROMISSO voluntrio do Brasil. Braslia, DF: Ministrio do Meio Ambiente, 2014. Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

CRAWFORD, K. Six provocations for Big Data. In: SYMPOSIUM ON THE DYNAMICS OF THE INTERNET AND SOCIETY, 2011, New York. [Anais...]. New York: Data & Society Research Institute: Microsoft Research. 2011. 17 p. DOI: http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.192643.

DATA VISUALIZATION. Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

DECONTO, J. G. (Coord.).Aquecimento global e a nova geografia da produo agrcola no Brasil. [Braslia, DF]: Embrapa; [Campinas]: Ed. da Unicamp, 2008. 82 p.

GE, L.; BREWSTER, C.; SPEK, J.; SMEENK, A.; TOP, J.Blockchain for Agriculture and Food: findings from the pilot study. Wageningen: Wageningen Economic Research, 2017. 40 p. (Report 112). Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

GOUVELLO, C. de; SOARES FILHO, B. S.; NASSAR, A. (Coord.). Estudo de baixo carbono para o Brasil: uso da terra, mudanas do uso da terra e florestas: relatrio de sntese tcnica. Washington, DC: World Bank, 2010. 288 p.

OLIVEIRA, J. de M.; MADARI, B. E.; CARVALHO, M. T. de M.; ASSIS, P. C. R.; SILVEIRA, A. L. R.; LIMA, M. de L.; WRUCK, F. J.; MEDEIROS, J. C.; MACHADO, P. L. O. de A. Integrated farming systems for improving soil carbon balance in the southern Amazon of Brazil. Regional Environmental Change, v. 18, n. 1, p. 105-116, 2018. DOI: 10.1007/s10113-017-1146-0.

SANTOS, B. P.; SILVA, L. A. M.; CELES, C. S. F. S.; BORGES NETO, J. B.; PERES, B. S.; VIEIRA, M. A. M.; VIEIRA, L. F. M.; GOUSSEVSKAIA, O. N.; LOUREIRO, A. A. F. Internet das coisas: da teoria prtica. In: SIMPSIO BRASILEIRO DE REDES E COMPUTADORES E SISTEMAS DISTRIBUDOS, 34., 2016, Salvador. Livro de minicursos. Porto Alegre: SBC, 2016. p. 1-50. Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

SULEIMAN, K. Pesquisa desenvolve conceito carne carbono neutro para produo bovina. Braslia, DF: Embrapa, 2016. Disponvel em: . Acesso em: 8 fev. 2018.

http://www.brasil.gov.br/meio-ambiente/2011/11/o-compromisso-voluntario-do-brasilhttps://en.wikipedia.org/wiki/Data_visualizationhttps://www.wur.nl/upload_mm/d/c/0/b429c891-ab94-49c8-a309-beb9b6bba4df_2017-112%20Ge_def.pdfhttps://www.wur.nl/upload_mm/d/c/0/b429c891-ab94-49c8-a309-beb9b6bba4df_2017-112%20Ge_def.pdfhttp://homepages.dcc.ufmg.br/~mmvieira/cc/papers/internet-das-coisas.pdfhttp://homepages.dcc.ufmg.br/~mmvieira/cc/papers/internet-das-coisas.pdfhttps://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/13239171/pesquisa-desenvolve-conceito-carne-carbono-neutro-para-producao-bovinahttps://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/13239171/pesquisa-desenvolve-conceito-carne-carbono-neutro-para-producao-bovina

Recommended

View more >