a voz do povo #112

Download A voz do povo #112

Post on 17-Mar-2016

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A voz do povo #112

TRANSCRIPT

  • Carro da semana

    Acesse: www.avozdopovo.com Fone: (19) 9733-7070 9850-0511 e-mail: comercial@avozdopovo.com

    Tempo Filmes em exibio Frase

    Moviecom TivoliSta Brbara d'Oeste (19)3458-7448

    2 Coelhos (Nacional) Alvin e os Esquilos 3 As Aventuras de Tintim Filha do Mal Millennium - Os Homens Que No Ama-vam as Mulheres Sherlock Holmes - O Jogo de Sombras

    Sexta . . . . . . . . .Min 22c Max 28cSol e aumento de nuvens de manh. Pancadas

    de chuva tarde e noite.

    Sbado . . . . . . .Min 20c Max 26cChuvoso durante o dia e a noite.

    Domingo . . . . .Min 19c Max 28cSSol com muitas nuvens durante o dia. Perodos

    de nublado, com chuva a qualquer hora.

    Fon

    te:

    Clim

    a Te

    mpo

    Chevrolet Cruze Hatch chega ao mercado custando em torno de R$ 60.000,00

    Ele gosta de competir. No sei

    at que ponto ele vaise convencer de que

    no para ele.Fernando Henrique Cardoso,sobre planos do ex-governadorde SP Jos Serra de se tornar

    presidente do Brasil

  • 2Nos ltimos dias, meses e tambm anostemos vivenciado uma autntica mon-tanha-russa de alteraes climticas.Invernos mais quentes do que deveriam ser, chu-vas em demasia, estiagens prolongadas, veresantecipados, quedas bruscas de temperatura,furaces e tornados em grande quantidade e atmesmo maremotos tem provocado a runa deagricultores, a destruio de cidades e a morte demilhares de pessoas.

    O planeta Terra est gritando alto. Os especial-istas sabem disso e acompanham com ateno asgrandes e pequenas alteraes que acontecem aoredor do planeta em busca de novas informaesque possam ajud-los a compreender melhor osproblemas e lev-los a solues.

    A tecnologia tem sido utilizada com o intuitode detectar as dificuldades ou mesmo sanaralguns desses infortnios. Novos equipamentosso criados nos laboratrios de todo o mundo. Acoleta de dados aprofunda-se e quanto maisficamos sabendo mais tomamos conscincia deque a resposta para os problemas no depende desolues mirabolantes ou de mquinas maravi-lhosas.

    O melhor e mais eficaz caminho passa neces-sariamente pela racionalizao do uso dos recur-sos naturais. Tudo depende basicamente da aodos seres humanos, de sua capacidade de gerir omundo que est ao seu redor, de evitar as perdase desperdcios.

    Reciclar virou palavra-chave nesse difcil que-bra-cabea da preservao ambiental. Poupartambm pedra de toque para a sobrevivncia daTerra e da prpria humanidade. Recuperar reasdevastadas ou impedir o avano das queimadas edas motos-serra sobre as florestas de vitalimportncia. Em termos gerais isso tudo significaque temos que ir com menos sede ao pote, pois afonte est secando e podemos todos morrer deinanio.

    Quando vemos o Amazonas, o rio de maiorvolume de gua do mundo passar por gravssimaestiagem, com os peixes morrendo na secura dosleitos dos rios que compem a bacia hidrogrfica

    do norte do Brasil e os pescadores pegando o seuganha po com as prprias mos temos que ficarmuito mais preocupados e reorientar as nossasaes.

    Dizem os chineses que a morte de uma simplesborboleta afeta de algum modo os rumos da vidaem nosso planeta. O que dizer ento da pre-datria forma de explorao dos recursosempreendida pelos homens ao longo dos ltimos300 anos com o advento do sistema industrial deproduo e seus afins surgidos posteriormente?

    Quantas rvores so necessrias para a pro-duo de papel? O que jogado fora nesse proces-so? De que modo podemos reaproveitar o papelou a madeira proveniente de objetos e produtosque iro ser jogados no lixo? Quais so os proce-dimentos mais eficazes para acelerar e reiterar oplantio de rvores?

    Quanto custa a recuperao de rios poludos?Em que pases esse trabalho j foi realizado comsucesso? A despoluio no acontece pelos custosou pela falta de vontade poltica? O que estare-mos legando as novas geraes se queimarmosnossas florestas ou continuarmos a poluir os rios?

    Que espcies naturais j desapareceram e seroconhecidas apenas a partir de fotos e livros? Quaisso os animais ameaados de extino no presentemomento e o que est sendo feito em favor des-ses bichos? O que estamos deixando de saberquando promovemos o sumio de espcies vege-tais ou animais? Os lucros imediatos obtidosatravs dessas aes causaro que prejuzos para ofuturo da humanidade?

    Perguntas, perguntas e mais perguntas se acu-mulam e parecem ter respostas que no satis-fazem completamente por no deter a destruio.Todos os remdios tomados at o presente sosuaves e doces demais para realmente significar asoluo dos problemas do planeta.

    Joo Lus de Almeida MachadoDoutor em Educao pela PUC-SP; Mestre em

    Educao, Arte e Histria da Cultura pelaUniversidade Presbiteriana Mackenzie (SP);

    Professor Universitrio e Pesquisador; Autor do livro"Na Sala de Aula com a Stima Arte - Aprendendo

    com o Cinema" (Editora Intersubjetiva).

    NO SHOPINGA Cobrana de R$ 4 para o estacionamento do

    Tivoli Shoping em Santa Barbara dOeste vemgerando muitas reclamaes de muncipes que uti-lizam o local, principalmente porque no ofereci-do cobertura para os veculos e falta estrutura ofe-recida aos clientes para que se cobre o devido valor.

    TRANSPORTE

    Os vereadores de Santa Brbara d'Oesteaprovaram durante a realizao da 4 ReunioOrdinria de 2012, o Projeto de Lei n 105/2011,de autoria do vereador Carlos Fontes (PSD), quedispe sobre a instituio de melhoria dos meiosde transportes pblicos no mbito do municpio.Tambm foram aprovados sete moes e noverequerimentos de informaes.

    HIDRMETRO

    J o Projeto de Lei n 136/2011, que dispesobre a autorizao para os usurios dos serviosde gua no municpio instalarem equipamentoeliminador de ar na tubulao de gua dohidrmetro, foi adiado a pedido do autor, overeador Jos Antonio Aborihan Gonalves, oZeca (PCdoB).

    APELO

    Os parlamentares aprovaram sete moes, sendoa primeira delas a Moo n 23/2012, de autoriado vereador Edison Carlos Bortolucci Jnior, oJuca (PSDB), que manifesta apelo ao governadorGeraldo Alckmin para que destine aparelhos deultrassonografia para Santa Brbara d'Oeste.

    REGIONAL

    De autoria do vereador Ademir da Silva (PT),foi aprovada a Moo 24/2012, que manifestaapelo ao prefeito Mrio Heins (PDT) para queseja implantada uma Regional da Prefeitura naregio dos bairros Mollon e Jardim dos Cedros, eoutra unidade na regio do bairro Santa Rita eVista Alegre.

    REPAROS

    J o tucano Laerte Silva autor das moes 25e 26/2012. A primeira manifesta apelo ao prefeitoe aos rgos competentes quanto a reparos namureta e bancos da parada de nibus metropoli-tano, localizada na avenida Santa Brbara,enquanto a segunda manifesta apelo ao prefeito eaos rgos competentes quanto a reparos emanuteno da praa localizada na rua Itarar, noJardim Icara.

    CADEIRA DE RODASDe autoria do vereador Anzio Tavares

    (DEM), a moo 27/2012 manifesta apelo aojuiz eleitoral de Santa Brbara d'Oeste, para adisponibilizao de cadeiras de rodas nos locaisde votao. De autoria do vereador AntonioCarlos Ribeiro, o Carlo Motorista (PDT), foiaprovada a Moo n 28/2012, que manifestaapelo ao prefeito quanto retomada das obrasde pavimentao da rua Sebastio Furlan, nobairro Cruzeiro do Sul.

    O Planeta Terra estdesfinhando minha gente!

  • Reportagem3

    ADefesa Civil de Americana participou nanoite do dia ultimo dia (02) do simuladonoturno de soterramento promovido peloDepartamento De Defesa Civil de Campinas eCoordenadoria Regional de Defesa Civil e coordena-do pelo 7 Grupamento de Bombeiros. A simulaoaconteceu das 19h s 20h com instrues gerais, e aparte prtica das 20h s 22h, s margens do CrregoAnhumas, no Jardim Madalena, em Campinas.Cerca de dez cidades participaram da simulao,entre elas o municpio de Santa Barbara dOeste.

    Na descrio da cena, houve um deslizamento deterra e soterramento, com o resgate de uma famlia,com trs desaparecidos, sendo um beb, uma criana eum homem adulto. Para tornar mais real, fora do soter-ramento havia pessoas simulando ser familiares dasvtimas soterradas. "Os familiares ficavam desesperadoscom o ocorrido e isso tornou a cena mais real", expli-cou Isaas Brugnerotto, agente de Defesa Civil.

    Essa encenao com os familiares contribui para otreinamento, apontando como deve proceder emsituao real, confortando os familiares e controlan-do a situao para melhor andamento do resgate.

    As quatro equipes realizavam as escavaes me-diante comando dos silvos (apitos) do comandante.Para dar mais "vida" cena, bombeiros ficaram otempo todo esguichando gua sobre a rea afetada, jque a noite estava limpa. Para iluminar o ambiente,

    os agentes utilizaram lanternas e tinham o apoio deum refletor mvel.

    Cerca de 80 pessoas participaram da simulao.Um dos bonecos-corpos estava soterrado a mais dedois metros de profundidade para dificultar e trazer arealidade do problema para os agentes. Conforme oscorpos iam sendo localizados, eram encaminhadosao Servio de Atendimento Mvel de Urgncia(SAMU) e, s assim, finalizada a simulao. "muito bom que nossos agentes participem desses

    treinamentos. Em uma situao dessa, o trabalhotem que ser realizado com rapidez e ao mesmotempo com cuidado", afirmou Fred Alves, diretor daDefesa Civil de Americana.

    Segundo Gerson de Oliveira, agente de DefesaCivil de Americana, esse o stimo simulado que aDefesa Civil participa no perodo de um ano. "Emcada simulao aprendemos novos procedimentos, ecada um tem sua importncia e particularidade",explica Gerson.

    Uma denncia annima levou ospatrulheiros da Gama (GuardaMunicipal de Americana) a loca-lizao de 18 pores de haxixe com15,30g, 64 pedras de crack com 32g, 14pores de maconha com 56g, pedaos decrack com 16,8g, alm de uma cdula dedez bolvares. As pores de entorpecentesestavam em uma casa em construo naRua Teotnio Amrico de Oliveira. A abor-dagem aconteceu nesta tera-feira, dia 7, s9h30.

    O pedreiro R.A.A., 27 que trabalhava no