A Revoluo Constitucionalista de 1932

Download A Revoluo Constitucionalista de 1932

Post on 23-Mar-2016

215 views

Category:

Documents

0 download

DESCRIPTION

No incio de 1929, o governo de Washington Lus, ao nomear o paulista Jlio Prestes, apoiado por 17 estados, preteriu a vez de Minas Gerais no jogo da sucesso presidencial, rompendo a "poltica do caf-com-leite", na qual So Paulo e Minas Gerais, os estados mais ricos e populosos da Unio, alternavam-se no poder, desde o governo de Afonso Pena (1906-1909) que substituiu o paulista Rodrigues Alves na presidncia da Repblica.

TRANSCRIPT

A Revoluo Constitucionalista de 1932, Revoluo de 1932 ou Guerra Paulista, foi o movimento armado ocorrido no Estado de So Paulo, Brasil, entre os meses de julho e outubro de 1932, que tinha por objetivo a derrubada do Governo Pro

A Revoluo Constitucionalista de 1932, Revoluo de 1932 ou Guerra Paulista, foi o movimento armado ocorrido no Estado de So Paulo, Brasil, entre os meses de julho e outubro de 1932, que tinha por objetivo a derrubada do Governo Provisrio de Getlio Vargas e a promulgao de uma nova constituio para o Brasil[4].

Foi uma resposta paulista Revoluo de 1930, a qual acabou com a autonomia de que os estados gozavam durante a vigncia da Constituio de 1891. A Revoluo de 1930 impediu a posse do ex-presidente (atualmente denomina-se governador) do estado de So Paulo Jlio Prestes na presidncia da Repblica e derrubou do poder o presidente da repblica Washington Lus colocando fim Repblica Velha[5], invalidando a Constituio de 1891 e instaurando o Governo Provisrio, chefiado pelo candidato derrotado das eleies de 1930, Getlio Vargas.

Atualmente, o dia 9 de julho, que marca o incio da Revoluo de 1932, a data cvica mais importante do estado de So Paulo e feriado estadual. Os paulistas consideram a Revoluo de 1932 como sendo o maior movimento cvico de sua histria.

A lei 2.430, de 20 de junho de 2011, inscreveu os nomes de Martins, Miragaia, Drusio e Camargo, o MMDC, heris paulistas da Revoluo Constitucionalista de 1932, no Livro dos Heris da Ptria.[6]Foi a primeira grande revolta contra o governo de Getlio Vargas e o ltimo grande conflito armado ocorrido no Brasil.

No total, foram 87 dias de combates (de 9 de julho a 4 de outubro de 1932 - sendo o ltimo dois dias depois da rendio paulista), com um saldo oficial de 934 mortos, embora estimativas, no oficiais, reportem at 2200 mortos, sendo que numerosas cidades do interior do estado de So Paulo sofreram danos devido aos

Na primeira metade do sculo XX, o Estado de So Paulo vivenciou um acelerado processo de industrializao[8] e enriquecimento devido aos lucros da lavoura de caf e articulao da poltica do caf-com-leite, criada pelo presidente da repblica Dr. Campos Sales, pela qual se alternavam na presidncia da Repblica polticos dos Estados de So Paulo e de Minas Gerais[9].

No incio de 1929, o governo de Washington Lus, ao nomear o paulista Jlio Prestes, apoiado por 17 estados, preteriu a vez de Minas Gerais no jogo da sucesso presidencial, rompendo a "poltica do caf-com-leite", na qual So Paulo e Minas Gerais, os estados mais ricos e populosos da Unio, alternavam-se no poder, desde o governo de Afonso Pena (1906-1909) que substituiu o paulista Rodrigues Alves na presidncia da Repblica.

De acordo com este revezamento Minas Gerais - So Paulo na presidncia da repblica, o candidato oficial, em 1930, deveria ser um mineiro, que poderia ser o presidente de Minas Gerais Antnio Carlos Ribeiro de Andrada ou o vice-presidente da repblica Fernando de Melo Viana ou ainda o ex-presidente Artur Bernardes, entre outros prceres polticos mineiros. Porm, Washington Lus, depois de consultar os 20 presidentes de estado, em julho de 1929, recebeu o apoio de 17 deles a Jlio Prestes, e o indicou como candidato oficial presidncia da repblica nas eleies marcadas para 1 de maro de 1930. Minas Gerais, ento, rompe com So Paulo, une-se bancada gacha no Congresso Nacional e promete apoio a Getlio Vargas, se este concorresse presidncia[7].

Em setembro de 1929, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraba formaram a "Aliana Liberal" lanando Getlio Vargas presidncia e Joo Pessoa, da Paraba, a vice-presidente. Apoiavam Getlio tambm o Partido Democrtico de So Paulo, parte das classes mdias urbanas e apenas trs estados e os tenentes, que defendiam reformas sociais e econmicas para o pas. Os outros 17 estados da poca apoiaram Jlio Prestes.

Nesse momento, setembro de 1929, j era percebido, em So Paulo, que a Aliana Liberal, e uma eventual revoluo visava especificamente So Paulo. Nos debates, na Cmara dos Deputados, e no Senado Federal, em 1929, se dizia abertamente que se a Aliana Liberal no ganhasse a eleio haveria revoluo.[10]Tendo o senador estadual de So Paulo, Cndido Nazianzeno Nogueira da Motta, denunciado, profeticamente, na tribuna do Senado do Congresso Legislativo do Estado de So Paulo, em 24 de setembro de 1929, que:

A guerra anunciada pela chamada Aliana Liberal no contra o sr. Jlio Prestes, contra nosso estado de So Paulo, e isso no de hoje. A imperecvel inveja contra o nosso deslumbrante progresso que deveria ser motivo de orgulho para todo o Brasil. Em vez de nos agradecerem e apertarem em fraternos amplexos, nos cobrem de injrias e nos ameaam com ponta de lanas e patas de cavalo!

Cndido Nogueira da Motta

Cndido Nogueira da Motta citou ainda o senador fluminense Irineu Machado que previra a reao de So Paulo:

A reao contra a candidatura do Dr. Jlio Prestes representa no um gesto contra o presidente do estado, mas uma reao contra So Paulo, que se levantar porque isto significa um gesto de legtima defesa de seus prprios interesses"!

Irineu Machado

Em meio grave crise econmica, devido Grande Depresso de 1929 que derrubara os preos do caf, Jlio Prestes, que era membro do Partido Republicano Paulista, foi eleito presidente em 1 de maro de 1930, vencendo em 17 estados e no Distrito Federal, mas no tomou posse. Apesar da grande votao nos 3 estados aliancistas, Getlio Vargas foi largamente derrotado. Jlio Prestes, em So Paulo, teve 91% dos votos vlidos.[11]A ala mais radical da Aliana Liberal resolve pegar em armas e usa o assassinato de Joo Pessoa, em julho de 1930, como o estopim do movimento. O crime no teve motivos polticos, mas foi usado como tal, cujo impacto emocional deu novo nimo aos oposicionistas derrotados. Cresce o apoio popular e os preparativos do golpe foram levados adiante e com rapidez pois se aproximava o momento da posse de Jlio Prestes.

Em 3 de outubro de 1930 estoura a insurreio. Os rebeldes tomam os trs estados que irradiaram a revoluo: (Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Paraba) e rumam para a capital federal.[12]

Comitiva de Getlio Vargas (ao centro) fotografada por Claro Jansson durante sua passagem por Itarar (So Paulo) a caminho do Rio de Janeiro aps a Revoluo de 1930.

Em 24 de outubro de 1930, um golpe militar liderado por comandantes militares no Rio de Janeiro, depe Washington Lus e entrega, em 3 de novembro de 1930, o poder a Getlio Vargas.

Vitoriosa a revoluo de 1930, Getlio Vargas foi nomeado chefe do "Governo Provisrio" e pe fim supremacia poltica de So Paulo e Minas Gerais no governo federal. Entre outras aes, como a anistia dos rebeldes das revolues de 1922 e 1924, modificaes no sistema eleitoral e a criao do Ministrio do Trabalho.

Getlio tomou posse instalando no Brasil uma ditadura: suspendeu a Constituio e nomeou interventores em todos os estados, com exceo de Minas Gerais - reforando o conflito com So Paulo; dissolveu o congresso nacional, os congressos estaduais (cmaras e senados estaduais) e as cmaras municipais.

Alm de medidas de centralizao poltica, outras se seguiram visando ao controle econmico pelo governo central: os estados foram proibidos de contratar emprstimos externos sem autorizao do governo federal; o monoplio de compra e venda de moeda estrangeira pelo Banco do Brasil f-lo controlar, assim, o comrcio exterior. O governo impe, ainda, medidas para controlar os sindicatos e as relaes trabalhistas e cria instituies para intervir no setor agrcola como forma de enfraquecer os estados.

Jlio Prestes e o presidente Washington Lus e vrios outros apoiadores de Jlio Prestes foram exilados na Europa e os jornais que apoiavam Jlio Prestes foram destrudos (na poca se dizia empastelados), entre eles, os jornais paulistanos Folha de S. Paulo, "A Plateia" e o Correio Paulistano e os jornais cariocas A Noite e O Paiz.[13]Getlio nomeou interventores para o governo dos Estados, sendo que para So Paulo foi designado o tenente, promovido a coronel pela Revoluo de 1930, Joo Alberto Lins de Barros, o qual a oligarquia paulista tratava pejorativamente como um "forasteiro e plebeu" ou, ainda, por O pernambucano, codinome tambm adotado e difundido entre o povo paulista[14].

O Partido Democrtico (1930) que apoiara Getlio Vargas em So Paulo, conseguindo para Getlio 10% dos votos paulistas nas eleies de 1 de maro, no conseguiu indicar o interventor federal em So Paulo.

Para o comando da 2 Regio Militar de So Paulo foi designado o general Isidoro Dias Lopes, e para o comando da Polcia Militar do Estado de So Paulo, ento denominada "Fora Pblica", foi nomeado o major Miguel Costa. Ambos tinham tentado derrubar o governo paulista na Revoluo de 1924. Miguel Costa havia sido expulso da Fora Pblica por causa de suas aes em 1924. Isidoro Dias Lopes, porm, passou para o lado dos paulistas e foi um dos comandantes da Revoluo de 1932.

Aps a derrota de So Paulo em 24 de outubro de 1930, quando triunfou a Revoluo de 1930, foi deposto o presidente em exerccio de So Paulo Heitor Penteado e o estado passou a ser governado por:

"Gabinete dos 40 dias", tendo o Tenente Joo Alberto como Delegado Militar da Revoluo, formado por prceres do Partido Democrtico. O Gabinete dos 40 dias renunciou devido s presses dos tenentes, rompendo com Joo Alberto.

A partir da renncia do Gabinete dos 40 dias, So Paulo foi governado por interventores federais:

Tenente Joo Alberto Lins de Barros, de 25 de novembro de 1930 at 24 de julho de 1931.

Laudo Ferreira de Camargo, de 25 de julho de 1931 at 13 de novembro de 1931.

Coronel Manuel Rabelo Mendes, de 13 de novembro de 1931 at 7 de maro de 1932.

Pedro Manuel de Toledo, de 7 de maro de 1932 at o fim da Revoluo de 1932, em 2 de outubro de 1932. Em 23 de maio de 1932, Pedro de Toledo, foi aclamado pelos paulistas, governador de So Paulo.

Logo depois de vitoriosa a Revoluo de 1930, em 6 de novembro de 1930, Lus Carlos Prestes, que conhecia Joo Alberto do tempo da Coluna Prestes, lanou um manifesto onde dizia textualmente:

Nome:gabriel deivid lopes pinheiro 6 a data:02/07/2012

Recommended

View more >