a região indo-Ásia-pacífico e o conceito de combate ... ?· dade do comando do pacífico....

Download A Região Indo-Ásia-Pacífico e o Conceito de Combate ... ?· dade do Comando do Pacífico. Primeiro,…

Post on 26-Nov-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Quarto Trimestre 2017 MILITARY REVIEW68

    A Regio Indo-sia-Pacfico e o Conceito de Combate MultidomnioGen Ex Robert B. Brown, Exrcito dos EUA

    A s Foras Armadas dos Estados Unidos (EUA) se encontram em uma encruzilha-da, enfrentando desafios institucionais e operacionais. A natureza da guerra continua a mudar em um ritmo rpido, exigindo que lderes militares reavaliem algumas de suas principais crenas. Essa situao j provocou a anlise e a melhoria de con-ceitos, de capacidades e de recursos humanos para garantir que as foras dos EUA estejam prontas para os conflitos atuais e futuros. Sem dvida, qual-quer conflito futuro ser cada vez mais complexo e

    abrangente, envolvendo aes atravs de mltiplos domnios terrestre, areo, martimo, espacial e ci-berntico por mltiplas Foras Singulares, s vezes simultaneamente1. O nascente conceito de Combate Multidomnio, sobre o qual alguns dos elementos es-to descritos em um documento vindouro produzido, juntamente, pelo Exrcito e pelo Corpo de Fuzileiros Navais, aborda a progressiva complexidade do campo de batalha e a sua exigncia pela integrao das Foras Singulares2. Embora ainda em fase de desen-volvimento e experimentao, o conceito j afeta as

  • 69MILITARY REVIEW Quarto Trimestre 2017

    MULTIDOMNIO NO PACFICO

    decises operacionais e sobre a distribuio de recur-sos, especialmente na regio Indo-sia-Pacfico.

    Este artigo apresenta trs tpicos para ilustrar como pensamos sobre a implementao do conceito Combate Multidomnio na rea de responsabili-dade do Comando do Pacfico. Primeiro, aborda brevemente a situao estratgica na regio Indo-sia-Pacfico, que tipifica a necessidade de um novo conceito operativo para integrar todas as Foras Armadas dos Estados Unidos. Depois, descreve o conceito Combate Multidomnio, incluindo os trs elementos que ajudam a definir os seus efeitos dese-jados: integrao conjunta, tecnologia e recursos hu-manos. Por ltimo, apresenta como pode se visualizar um cenrio de combate multidomnio no nvel ttico.

    O Contexto Estratgico na Regio Indo-sia-Pacfico

    Considerando que o equilbrio da situao inter-nacional nessa regio mais tnue do que nunca, o conceito Combate Multidomnio extremamente necessrio. A regio contm 36 pases em 16 zonas de fuso horrio, mais da metade da populao do mundo, 24 das 36 megacidades na Terra e abrange mais do que a metade da superfcie do planeta3. A regio contm

    trs das maiores economias do mundo, sete das maiores foras armadas e cinco dos sete parceiros com acordos de defesa mtua com os Estados Unidos4. Segundo o Alte Esq Harry B. Harris Jr., Comandante do Comando do Pacfico dos EUA, aproximadamente US$ 5,3 tri-lhes em comrcio global anual depende do livre acesso s rotas martimas [como as do Estreito de Malaca e do Mar da China Meridional, e] US$ 1,2 trilho desse comrcio martimo destinado a, ou exportado de, os Estados Unidos5. Adicionalmente, o Estreito de Malaca, sozinho, representa mais de 25% dos transpor-tes petrolferos e 50% do trnsito de gs natural, a cada dia6. Alm disso, a rea est exposta a desastres, com os seus tufes, terremotos, vulces, tsunamis e outros eventos representando mais de 60% dos desastres naturais do mundo7. Em resumo, a prosperidade global depende da estabilidade e da segurana dessa vasta e complexa regio.

    Essas dinmicas demogrficas e econmicas inte-ragem com a elevada taxa de inovao tecnolgica, somando-se complexidade poltica e militar en-contrada na regio Indo-sia-Pacfico. As drsticas mudanas tecnolgicas provocadas pelos sistemas militares no tripuladas, aprendizagem de mquinas, inteligncia artificial, nanotecnologia, biotecnologia e

    (Grfico por Sgt Mark A. Moore II, Exrcito dos EUA)

  • Quarto Trimestre 2017 MILITARY REVIEW70

    megadados apenas ampliam a competio militar entre rivais geopolticos. Muitas dessas novas ferramentas tecnolgicas dependem do emprego da conectividade digital com 7 bilhes de aparelhos conectados Internet, em 2016, e uma previso de 50 bilhes antes de 2020 que apenas aumenta a j perigosa situao no ciberespao e a sua dependncia dos meios espaciais para conectividade8.

    As inovaes tecnolgicas tambm alimentam e ampliam os desafios de segurana na regio Indo-sia-Pacfico, com alguns dos mais implacveis problemas mundiais entre eles. Os desafios incluem uma cada vez mais beligerante Coreia do Norte que compartilha a sua progressivamente mais capaz tecnologia de msseis com o Ir; uma crescente China que desafia as regras e normas internacionais; uma Rssia revanchista que cada vez mais ativa no Pacfico com uma postura militar provocativa; um atrito contnuo respaldado por armas nucleares entre a ndia e o Paquisto; intensas atividades de redes violentas de extremistas operando em naes aliadas e parceiras; e instabilidade poltica e diplomtica resultante de mudanas na liderana do poder executivo dos principais aliados e parceiros

    regionais. A ameaa mais perigosa na regio Indo-sia-Pacfico vem de atores regionais com arsenais nucleares com a inteno de minar a ordem internacional. As capacidades sofisticadas de negao de acesso e foras para-militares controladas pelo Estado e respaldadas por grandes foras militares com linhas de comunica-o interiores criam o perigo de faits accomplis [fatos consumados].

    Como a situao internacional, a situao militar , tambm, cada vez mais perigosa. Os adversrios e inimigos tm aprendido com os sucessos e fracassos dos EUA ao longo das ltimas dcadas. Eles reconhecem que os pontos fortes dos EUA, baseados na projeo de poder, operaes conjuntas e superioridade tecnolgica, levaram ao xito ttico sem precedentes. Como tal, ad-versrios tm desenvolvido capacidades e conceitos que tentam remover essas vantagens, aumentando a com-plexidade do campo de batalha para as Foras Armadas dos Estados Unidos. Essa situao levou ao aumento das reas comuns globais em disputa, com uma perda de dominncia militar dos EUA no ar e no mar devi-do s tecnologias e tticas de negao de acesso. Se os oponentes realizam aes graduais ou repentinas, os

    Martimo Espacial Areo

    Terrestre

    Humano

    Ciberntico

    Mdia social manipulada e engajamento

    cultural

    Campo de Batalha Multidomnio

    (Grfico por Arin Burgess, Military Review)

  • 71MILITARY REVIEW Quarto Trimestre 2017

    MULTIDOMNIO NO PACFICO

    Estados Unidos precisam melhorar significativamente a sua vantagem estratgica na regio Indo-sia-Pacfico, se no, arriscaro perder terreno nas esferas militar, diplomtica e econmica.

    Devido a essas tendncias estratgicas, tanto po-sitivas quanto negativas, as foras dos EUA e aliadas precisam manter as vantagens militares atuais e re-capturar aquelas que tenham sido perdidas. A redu-o do risco de conflito e a garantia da estabilidade do sistema internacional atual dependem da nossa capa-cidade de dissuadir atores importantes de cometerem aes agressivas e danosas. Precisamos interromper os ciclos de deciso inimigos e apresentar a eles mltiplos dilemas que produzam incerteza e paralisem os seus esforos. Se agresso leva ao conflito, no obstante, precisamos estar preparados para derrotar inequivo-camente nossos inimigos.

    Essa abordagem a fora motriz por trs do con-ceito Combate Multidomnio, que projetado para superar as tecnologias de negao de acesso e afetar conjuntamente todos os domnios para produzir reas localizadas de superioridade9. Dessa forma, esses efeitos restabelecero as capacidades de manobra de toda a fora conjunta, em qualquer regio, colocando o inimi-go em uma posio de desvantagem, para que as foras dos EUA possam obter a iniciativa.

    Elementos do Conceito Combate Multidomnio

    Inicialmente, talvez o conceito Combate Multidomnio parea como nada mais do que as tra-dicionais operaes conjuntas. H um fundo de ver-dade nisso. O que estamos tentando realizar efeitos atravs de domnios no inteiramente novo. Por exemplo, em Termpilas e em Salamina, os gregos anti-gos empregaram ambas foras terrestres e navais, para derrotar os invasores persas10. Em tempos bem mais recentes, os Estados Unidos da Amrica devem a sua independncia ao emprego eficaz das foras terrestres e navais americanas e francesas contra o exrcito do Lorde Cornwallis, em Yorktown.

    Outro exemplo histrico a Campanha de Vicksburg durante a Guerra Civil Americana. Com sua capacidade de controlar a navegao do Rio Mississippi, as foras de artilharia, infantaria e cavalaria dos con-federados de Vicksburg se constituam em um desafio formidvel de antiacesso e de negao de rea para as

    foras da Unio. O Gen Ulysses S. Grant, da Unio, s superou esse desafio ao combinar as capacidades e efeitos das suas prprias foras de artilharia, cavalaria e infantaria com navios da Marinha liderados pelo Almirante Andrew Hull Foote11.

    A introduo da aeronave, do submarino e do navioaerdromo durante a Primeira Guerra Mundial e a incorporao de comunicaes de rdio mvel e de sistemas de radar durante a Segunda Guerra Mundial aumentaram em muito a capacidade do comandante estratgico de operar atravs de vrios domnios, simul-taneamente. Mais recentemente, o desenvolvimento do conceito AirLand Battle (Combate Ar-Terra) nos anos 80 e depois o Air-Sea Battle (Combate Ar-Mar), em 2013, mostram que o pensamento militar evoluiu ao longo da mesma linha geral como vencer deci-sivamente, mesmo em inferioridade numrica ou em desvantagem tecnolgica, ao integrar as operaes em mltiplos domnios para apresentar mltiplos dilemas aos inimigos. As diferentes Foras Singulares tm regu-larmente apoiado uma outra em todos os domnios. Portanto, quando Harris diz que quer que o Exrcito produza efeitos fora do domnio terrestre, ele no est pedindo para fazer algo sem precedente. Entre 1794 e 1950, o Exrcito foi responsvel pela defesa costeira e de portos e depois pela defesa area da Ptria. O quadro de Warrant Officers (oficiais especialistas) do Exrcito se originou da necessidade, durante a Primei