a quinta disciplina - partir do livro de peter senge, a quinta disciplina. desde então, se tornou...

Download A quinta Disciplina - partir do livro de Peter Senge, A Quinta disciplina. Desde então, se tornou um…

Post on 03-Oct-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • A QUINTA DISCIPLINA

    ORGANIZAO DE APRENDIZAGEM OU APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL .......................... 2

    AS LEIS DA QUINTA DISCIPLINA .................................................................................................................. 3

    VAMOS QUESTIONAR NOSSOS PROGRAMAS GERENCIAIS? ............................................................... 5

    APLICAO DO RACIOCNIO SISTMICO NA APRENDIZAGEM EM CURSOS DE ADMINISTRAO ............................................................................................................................................ 11

    EDUCAO E APRENDIZAGEM CONTNUA EM UNIDADES DE INFORMAO ........................... 16

    FRUM: PETER SENGE DISCUTE LIDERANA ...................................................................................... 21

    GLOSSRIO ....................................................................................................................................................... 23

  • 2

    Organizao de Aprendizagem ou Aprendizagem Organizacional Introduo

    Apesar de alguns autores fazerem distino entre organizao de aprendizagem e aprendizagem organizacional, parece bastante razovel analisar e estudar o tema como um nico contexto. O que claro que a aprendizagem organizacional uma caracterstica da organizao de aprendizagem (a organizao que aprende). A aprendizagem organizacional um tema j bem conhecido nas disciplinas de organizao. um fenmeno sistmico nas empresas que permanece independente das pessoas. Sim, as organizaes podem no ter crebro, mas so dotadas de sistemas cognitivos que elas mesmo desenvolvem e vo sendo impregnados na sua cultura por meio, principalmente, de rotinas ou procedimentos Neste breve texto, ser utilizado o termo organizao de aprendizagem para que possa ficar claro que algumas habilidades tpicas da aprendizagem organizacional no garantem por si que uma empresa uma organizao de aprendizagem. Por exemplo: a habilidade "resoluo sistemtica de problemas" uma caracterstica das empresas que aprendem. Mas, se o aprendizado baseado na soluo de problemas (que um aprendizado defensivo - aprender como interromper o que no queremos) no for autogerador, ou seja, for gerado somente pelos problemas, ou o aprendido limitado a como eliminar as situaes indesejveis, a organizao no pode ser uma organizao de aprendizagem. A poca de aprender no somente quando existem crises. Organizao de aprendizagem por si um conceito, muito mais prximo da filosofia que das tcnicas, no podendo ser tratada como uma abordagem para melhorar as empresas. um conceito que vem sendo desenvolvido h mais de 50 anos e requer a conscientizao de que no existe fim, pois a ao e a reao advindas das mudanas externas ou internas, ocorridas no ambiente ou no indivduo, fazem parte do processo de aprendizagem. Apesar de j ser "antiga" a noo de organizao de aprendizagem foi popularizada a partir do livro de Peter Senge, A Quinta disciplina. Desde ento, se tornou um conceito mais difundido e uma proposio interessante. O seu principal contedo invoca a imagem de pessoas e grupos trabalhando para melhorar a inteligncia, a criatividade e a capacidade organizacional. Para isso, segundo Peter Senge, as organizaes devem desenvolver cinco disciplinas para continuamente estarem em processo de aprendizagem: maestria pessoal, relacionada com o autoconhecimento; modelos mentais, que trata de imagens que influenciam o modo como as pessoas vem o mundo; objetivos comuns, aborda as questes relacionadas clareza e compartilhamento de objetivos; aprendizado em grupo, relacionada ao desenvolvimento de habilidades coletivas e de aes coordenadas; e pensamento sistmico, um modelo conceitual, formado por um conjunto de conhecimentos ferramentas, que buscam o aperfeioamento do processo de aprendizagem como um todo. Na manufatura, as empresas continuamente aplicam ferramentas que facilitam o aprendizado ou mesmo desenvolvem mecanismos de aprendizagem a cada dia. Por exemplo no processo de desenvolvimento de produtos, a necessidade cada vez mais crescente do "aprender antes de fazer", incentivando o uso de ferramentas computacionais mais sofisticadas. Isso requer uma forte ligao com uma base de

  • 3

    dados composta no somente por informaes mais tradicionais, mas tambm por conhecimentos gerados, de forma dinmica, no processo de aprendizagem. Se as empresas vem desenvolvendo sua capacidade de aprender, por que to difcil ser uma organizao de aprendizagem? muito difcil fazer um diagnstico. Entretanto, algumas questes podem servir como ponto de partida para uma investigao mais detalhada:

    Ser que existe nas pessoas das empresas, alm da conscincia, a convico de que possvel ser uma organizao de aprendizagem?

    Os lderes realmente facilitam o compartilhamento de objetivos? As empresas acreditam que a melhor forma de aprender "fazendo",

    desprezando outros recursos, como modelos mentais por exemplo? Ser que existe uma preocupao muito grande em melhorar o ambiente, por

    exemplo com a implantao de novos sistemas, novas abordagens de gesto ou ferramentas de engenharia e de fabricao, inibindo ou limitando aes que poderiam alavancar a disciplina de desenvolvimento do indivduo (maestria pessoal)?

    A gesto de conhecimento ou competncias feita de forma dinmica? Ou seja, analisadas em um duplo sentido saber quais competncias e conhecimentos a empresa tem que permite alavancar novos negcios, e por outro lado, quais competncias e conhecimentos so necessrios desenvolver para atender ou acompanhar as mudanas atuais.

    Algumas pesquisas esto sendo desenvolvidas, abordando a questo da aprendizagem organizacional. Algumas procuram descrever os mecanismos de aprendizagem existentes e praticados por empresas, enquanto outras buscam avaliar a capacidade de aprendizagem das organizaes por meio da aplicao de questionrios "quantificveis". Tambm, outras formas de abordagem do tema so encontradas nos diversos centros que possuem grupos de pesquisa nessa rea. Isso mostra que a questo atraente e tem merecido ateno de grupos de pesquisadores e praticantes, principalmente devido relao entre aprendizagem e capacidade competitiva. Autor : Prof. Drio Alliprandini (UFSCar) AS LEIS DA QUINTA DISCIPLINA Textos extrados e adaptados, do livro A Quinta Disciplina, de Peter M Senge, Ed. Best Seller/lvaro Acioli Ac. Alvaro Acioli Membro Titular da Academia Fluminense de Medicina - Cadeira 07 1. OS PROBLEMAS DE HOJE VM DAS "SOLUES DE ONTEM ... Sempre ficamos intrigados com as causas de nossos problemas quando, na verdade, deveramos recordar as solues que demos para outros problemas do passado... Solues que transferem os problemas de uma parte do Sistema para outra freqentemente no so detectadas pois, ao contrrio do mercador de tapetes, os que resolverem o primeiro problema no so os mesmos que herdam o novo. 2. QUANTO MAIS VOC EMPURRA, MAIS O SISTEMA EMPURRA DE VOLTA ... Insistir, seja atravs de uma interveno cada vez mais agressiva, seja atravs da represso cada vez mais estressante dos instintos naturais, uma estratgia

  • 4

    exaustiva. ... Considere uma pessoa que para de fumar, engorda, comea a ter problemas com sua auto-imagem e volta a fumar para aliviar o estresse. 3. O COMPORTAMENTO MELHORA ANTES DE PIORAR ... Em sistemas humanos complexos, sempre h vrias alternativas para melhorar as coisas a curto prazo. Porm, o feedback de compensao pode voltar depois para assombr-lo. ... Uma soluo sempre parece maravilhosa quando cura primeiro os sintomas. As coisas podem melhorar ou talvez at o problema seja resolvido. Talvez, somente daqui a dois, trs ou quatro anos ele volte ou surjam novos, ainda piores. 4. A SADA MAIS FCIL NORMALMENTE NOS LEVA DE VOLTA PARA DENTRO Todos gostamos de utilizar solues conhecidas para resolver dificuldades, optando por aquilo que conhecemos melhor. ... Afinal, se a soluo fosse fcil de enxergar ou bvia a todas as pessoas, j teria sido encontrada. 5. A CURA PODE SER PIOR DO QUE A DOENA Quase sempre, a soluo fcil ou familiar no apenas ineficaz, mas perigosa, podendo criar dependncia. ... O alcoolismo, por exemplo, pode comear com o simples hbito de beber socialmente uma soluo para um problema de auto-estima baixa ou para o estresse provocado pelo excesso de trabalho. ... Qualquer soluo a longo prazo deve fortalecer a habilidade do sistema de arcar com as prprias responsabilidades. 6. MAIS RPIDO SIGNIFICA MAIS DEVAGAR ... Todos os sistemas naturais, dos ecossistemas aos animais e s organizaes, possuem seu prprio ritmo ideal de crescimento. O ritmo ideal muito mais lento do que o crescimento mais rpido possvel. Quando o crescimento se torna excessivo como ocorre com o cncer o prprio sistema buscar compensa-lo, diminuindo o ritmo e, provavelmente, colocando em risco a sobrevivncia da organizao. 7. CAUSA E EFEITO NO ESTO TO PRXIMOS NO TEMPO E NO ESPAO ... Chamo de efeitos os sintomas bvios que indicam a existncia de problemas uso abusivo de drogas, desemprego, crianas famintas, declnio nos pedidos, ... Como causa", refiro-me interao do sistema subjacente, que a maior responsvel pela gerao dos sintomas e que, quando identificada, pode gerar mudanas, resultando em melhorias duradouras. Por que isso um problema ? ... Existe uma diferena fundamental entre a natureza da realidade nos sistemas complexos e a forma predominante de como pensamos a respeito dessa realidade. 8. PEQUENAS MUDANAS PODEM PRODUZIR GRANDES RESULTADOS ...As solues obvias no funcionam na melhor das hipteses, melhoram os problemas a curto prazo, somente para pior-los a longo prazo. No entanto, h o outro lado da histria. O pensamento sistmico tambm mostra que pequenas atitudes bem focalizadas podem produzir melhorias significativas e duradouras, desde que atuem no lugar certo. ... A soluo de um problema difcil uma questo de descobrir onde est a maior alavancagem, uma muda