A Pressão Atmosférica

Download A Pressão Atmosférica

Post on 25-Jun-2015

1.647 views

Category:

Documents

7 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Factores que influenciam a precipitaoPresso atmosfrica B. Latitude C. Relevo (altitude e orientao das vertentes) D. Proximidade ou afastamento ao mar E. Correntes martimasA.</p> <p>A. A presso atmosfrica: o peso que o ar exerce por unidade de superfcieExprime-se em cm ou mm de mercrio (cm/Hg ou mm/Hg) mas o mais frequente em milibares (mb)</p> <p>A P.A. varia com: A altitude A temperatura A densidade do ar A latitude 1. Com a altitude: medida que a altitude aumenta, a P.A. diminui, pois em altitude o ar mais rarefeito, tendo menos peso.</p> <p>Variao da P.A. com a altitude</p> <p>2. Com a temperatura:O ar quente mais leve O ar frio mais pesado medida que a T. aumenta, a presso diminui, porque o ar quente mais leve, porque menos denso.</p> <p>Com T.s mais baixas o ar mais pesado</p> <p>3. Com a densidade do ar:O ar mais denso mais pesado (mais presso). O ar menos denso menos pesado (menos presso), pois mais rarefeito. Quanto maior a densidade do ar, maior a presso e viceversa. Nota: O ar hmido mais denso ( + presso) do que o ar seco (- presso)O ar mais denso</p> <p>O ar menos denso</p> <p>A Presso atmosfrica:A P.A. , normalmente reduzida ao nvel do mar. Por isso, superfcie do globo a P.A. :</p> <p>normal quando o seu valor de 1013 mb alta - quando o seu valor superior a 1013 mb baixa - quando o seu valor inferior a 1013 mbO Barmetro o aparelho que mede a P.A. Os valores da P.A. so representados em mapas por meio de linhas isobricas (isbaras) que unem ponto de igual P.A.. Estas linhas formam os centros baromtricos de altas e baixas presses.</p> <p>Os centros baromtricos sistemas isobricos fechadosAltas Presses a P.A. superior a 1013 mb. So centros baromtricos em que os valores diminuem do centro para a periferia. So representados pela letra A ou sinal + So tambm designados por Anticiclones Baixas Presses a P.A. inferior a 1013 mb. So centros baromtricos em que os valores aumentam do centro para a periferia So representados pela letra B ou sinal So tambm designados por ciclones ou depresses baromtricas</p> <p>A circulao do ar nos centros baromtricosO ar desloca-se tanto na horizontal como na vertical, sempre das altas para as baixas presses. Esta circulao do ar vai dar origem a diferentes estados do tempo. Quando estas linhas se encontram muito prximas o gradiente baromtrico (diferena de presso) elevado e o vento forte; quando esto afastadas o vento fraco.</p> <p>A circulao do ar nos centros baromtricosH uma fora aparente resultante do movimento de rotao da Terra que se designa por fora de Coriolis ou fora geotrsfica. Deste modo, os ventos sofrem um desvio para a direita no H.N. e para a esquerda no H.S.</p> <p>Circulao horizontal do ar exercciosNos centros de altas pressesO ar superfcie divergenteA1035</p> <p>10301025</p> <p>Nos centros de baixas pressesO ar superfcie convergente</p> <p>1020</p> <p>B990</p> <p>9951000</p> <p>1005</p> <p>A circulao vertical do ar1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.</p> <p>Nas depresses baromtricas O ar converge superfcie, sendo obrigado a subir Ao subir o ar expande-se e arrefece Ganha humidade Atinge o ponto de saturao D-se a condensao Formao de nuvens Ocorrncia de precipitao Situao de Mau Tempo: cu muito nublado, com precipitao mais ou menos abundante e ventos moderados ou fortes (grande instabilidade do ar) Resumo: O ar convergente superfcie e ascendente (sobe) na vertical</p> <p>A circulao vertical do ar1. 2. 3. 4. 5. 6. 7.</p> <p>Nos anticiclones O ar descendente (subsidente) Ao descer o ar comprime-se e aquece Perde humidade Afasta-se do ponto de saturao No h condensao No h formao de nuvens Nem ocorrncia de precipitao superfcie ele diverge Situao de Bom Tempo: cu quase sempre limpo, atmosfera seca e vento fraco</p> <p>Resumo: O ar divergente superfcie e descendente (desce) na vertical</p> <p>Esquema da circulao do ar</p> <p>Depresso baromtrica sobre o Reino Unido</p> <p>Origem dos centros baromtricosAnticiclones - dinmicos: resultam dos movimentos da atmosfera, da subsidncia (descida) do ar (Anticiclone dos Aores).-</p> <p>So permanentes (existem ao longo do ano)</p> <p>- trmicos: resultam do intenso arrefecimento do ar</p> <p>em contacto com o solo muito frio. Ao arrefecer o ar comprime-se e torna-se mais denso (aumento da presso). - formam-se sobre os oceanos no Vero e no interior dos continentes no Inverno, sendo efmeros.</p> <p>Origem dos centros baromtricos (cont.)Depresses baromtricasdinmicas: formam-se a partir da ascenso do ar em resultado da convergncia de ventos (Depresso da Islndia). - So permanentes (existem ao longo do ano)-</p> <p>trmicas: resultam do intenso aquecimento do ar em contacto com as superfcies quentes. O ar aquece, dilatase, tornando mais leve, o que diminui a presso. - formam-se sobre os oceanos no Inverno e sobre os continentes no Vero), sendo efmeras.-</p> <p>Circulao geral da atmosfera(B. Influncia da latitude)A P.A. apresenta, ao nvel do globo, uma distribuio espacial simples, dispondo-se em faixas paralelas ao equador alternando entre as baixas e as altas presses-</p> <p>No Equador h sempre baixas presses; Nas regies subtropicais altas presses; Nas regies temperadas baixas presses; Nos Plos altas presses.</p> <p>Circulao geral da atmosfera: Baixas presses equatoriaisAs baixas presses equatorais localizam-se na faixa do equador e tm origem termodinmica (apesar de predominar a dinmica) devido: convergncia dos ventos alseos, vindos dos anticiclones subtropicais (dinmica) s elevadas temperaturas dilatam o ar, tornando-o mais leve, permitindo a sua ascenso (trmica). Ao subir, arrefecer, ganha humidade, atinge o ponto de saturao, h a condensao, formao de nuvens e ocorrncia de precipitao. Eis a justificao para a designao de zona mais pluviosa do mundo zona muito hmida com forte evaporao, mantendo-se quase sempre prx. da saturao.</p> <p>Origem das baixas presses equatoriais</p> <p>Origem das baixas presses equatoriais</p> <p>A Convergncia Intertropical e os DoldrumsOs ventos alseos de ambos os hemisfrios convergem para a faixa equatorial. Esta convergncia d origem a uma superfcie de descontinuidade Convergncia Intertropical (CIT). No entanto, no Vero, os alseos enfraquecem, no chegando a entrar em contacto, surgindo entre eles uma zona de calma atmosfrica calmas equatoriais ou doldrums, onde tambm grande a nebulosidade e a precipitao. Este sistema (altas presses subtropicais, alseos e CIT) sofre um deslocamento oscilatrio, segundo a latitude, acompanhando o movimento aparente do sol. medida que se desloca para norte ou para sul, arrasta consigo, no mesmo sentido, todo aquele sistema.</p> <p>Circulao geral da atmosfera: altas presses subtropicaisAs altas presses subtropicais correspondem a cada hemisfrio latitude de 30. N/S, na proximidade dos trpicos As altas presses subtropicais tm origem dinmica pois resultam da subsidncia (descida) do ar O ar pesado, sendo obrigado a descer, afastando-se do ponto de saturao, dando origem a situaes de bom tempo. Eis a justificao aparecimento dos desertos. para o grandesA A A</p> <p>A</p> <p>A</p> <p>A</p> <p>Circulao geral da atmosfera: baixas presses subpolaresAs baixas presses subpolares localizam-se nas latitudes mdias das regies temperadas.As baixas presses subpolares origem dinmica pois resultam ascendncia (subida) do ar e convergncia de ar quente anticiclones subtropicais e do ar frio altas presses polares tm da da dos das</p> <p>O ar obrigado a subir, arrefece, ganha humidade, atinge o ponto de saturao, h a condensao, formao de nuvens e ocorrncia de precipitao. A presso atmosfrica muito varivel por serem zonas muito perturbadas, onde h influncia dos sistemas frontais. Os ventos sopram sensivelmente de Oeste fluxos de Oeste. Embora alimentados por ar quente e seco da saltas presses subtropicais, os ventos de oeste (conhecidos tambm por Westerlies), tornam-se muito hmidos quando o seu trajecto ocenico. Em Portugal, estes so os ventos dominantes, exercendo grande influncia no clima do pas.A A A A A A</p> <p>O jet-streamEm altitude, onde a fora de atrito nula, o fluxo de Oeste ganha velocidade, dando origem a uma corrente de jacto Jet-stream no H.N e no H.S. O Jet-stream uma faixa de ventos horizontais, muito violentos que circulam de Oeste para Este, dando a volta ao Globo com velocidades entre os 100 e os 250 Km/h. Exercem grande influncia sobre a troposfera inferior, comandando, em grande parte, a evoluo dos estados de tempo, nas mdias e altas latitudes, influenciando o comportamento da frente polar. Por isso, o jet-stream considerado o sistema nervoso da atmosfera inferior</p> <p>Circulao geral da atmosfera: altas presses polaresAs altas presses polares localizam-se nas regies polares. As altas presses polares tm origem trmica pois resultam do intenso arrefecimento do ar em contacto com o solo gelado. Assim, no h a reteno de vapor de gua no ocorrendo o processo adiabtico. Das altas presses polares para as baixas presses subpolares gera-se um fluxo de ventos polares de leste. So ventos muito frios e secos, principalmente no seu trajecto continental. As regies polares so, assim, zonas muito secas e frias.A A A</p> <p>++++++++</p> <p>A</p> <p>A</p> <p>A</p> <p>++++++++</p> <p>Esquema-resumo circulao do ar superfcie e em altitude</p> <p>Distribuio dos grandes centros baromtricos em Janeiro e Julho</p> <p>Distribuio da precipitao a nvel mundial</p>

Recommended

View more >