a percepÇÃo da incerteza ambiental e do ?· e a incerteza ambiental na percepção dos ......

Download A PERCEPÇÃO DA INCERTEZA AMBIENTAL E DO ?· e a incerteza ambiental na percepção dos ... inserida…

Post on 17-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1

A PERCEPO DA INCERTEZA AMBIENTAL E DO COMPORTAMENTO ESTRATGICO NO PROCESSO DE FORMULAO DE ESTRATGIAS EM PEQUENAS EMPRESAS

Autoria: Joo Paulo Gardelin, Carlos Ricardo Rossetto, Miguel Angel Verdinelli

RESUMO Este estudo teve como objetivo examinar o relacionamento entre o comportamento estratgico e a incerteza ambiental na percepo dos gestores. Para isto foi utilizada a taxonomia adaptada de Priem et al. (2002) para o construto incerteza que explicita 24 fatores agrupados em 5 clusters, sendo que dois deles se relacionam a fatores internos. A contribuio ao estudo do comportamento estratgico, cujo construto foi o modelo de Miles e Snow (1978) que caracteriza as estratgias adotadas pelas empresas em quatro tipologias: prospectores, analistas, defensivos e reativos, foi o de estudar como pequenas empresas brasileiras percebem seus ambientes e respondem a ele. Isto pode ser destacado, pois vrios autores brasileiros estudiosos do tema afirmam a carncia de estudos com esta configurao. A ltima contribuio, e talvez a mais relevante, foi a de relacionar comportamento estratgico com incerteza ambiental. Para execuo desta pesquisa optou-se pela abordagem quantitativa descritiva do tipo survey e a coleta de dados ocorreu atravs de questionrios entregues aos 203 representantes das empresas da Associao Comercial, Industrial, Servios e Agropecuria de Tapejara (ACISAT), que representaram a populao. Deste total, 53 questionrios (26,10%) foram respondidos. A anlise da relao entre os construtos incerteza e comportamento foi realizada atravs da tcnica ANOVA precedida dos testes de normalidade e de homocedasticidade a fim de verificar os pressupostos para a anlise. Quanto percepo de incerteza, 64% dos administradores percebem este ambiente com baixa incerteza e 30% com alta incerteza. Apenas 4% percebem mxima incerteza e 2% com mnima incerteza. No foi encontrada nenhuma varivel dentro dos clusters que pudesse ser caracterizada como de mxima ou de mnima incerteza. Os clusters que apresentaram maior nmero de fatores com baixa incerteza foram: mudanas sociais; competio; atuao do governo e custos de produo e vendas. O cluster que apresentou o maior nmero de fatores com alta incerteza foi o de recursos humanos, nas variveis que remetem ao ambiente interno das organizaes. Em relao ao comportamento estratgico percebeu-se que as empresas adotam uma postura prospectora (40%) seguido de analtica (33%), defensivo (16%) e reativo (11%). Portanto, os administradores pesquisados percebem o ambiente predominantemente de baixa incerteza e adotam um comportamento predominantemente prospector. No que tange relao entre incerteza e comportamento, pode-se concluir que no houve significncia nos resultados dos testes que possibilite afirmar que a percepo de incerteza leva a adoo de determinado comportamento estratgico. A relevncia deste trabalho est em trazer novas evidncias empricas ao entendimento de como as organizaes interpretam seus ambientes e se comportam para a busca constante de crescimento em seus setores de atuao. Como contribuio prtica apresenta aos gestores de microempresas fatores do ambiente organizacional relevantes para a tomada de deciso, bem como os instiga a uma reflexo sobre fatores internos como causadores de incerteza ambiental.

2

1. Introduo Os desafios incessantes que as organizaes enfrentam advm de uma srie de fatores determinados pelo ambiente. Desde os fatores mais simples aos mais complexos, todas as mudanas ambientais afetam de alguma forma o comportamento dos administradores e, por conseqncia, o comportamento das empresas no ambiente em que esto inseridas. As transformaes econmicas, como a crise financeira internacional de 2008, transformaes tecnolgicas, sociais e polticas fazem com que as organizaes se adaptem ou esto fadadas ao fracasso. Jabnoun et al. (2003) dizem que se as condies do ambiente so incertas ento as atenes para a orientao estratgica devem ser prioridades da administrao, j que se no houver uma conduo adequada dos processos organizacionais, as empresas correm o risco de no sobreviver neste ambiente. Para lidar com a incerteza as organizaes adotam determinados comportamentos estratgicos a fim de atingir objetivos propostos e, ainda, desempenhos superiores. Para Megginson et al. (1986, pg. 11) as estratgias podem ser consideradas como mecanismos que ajudam as organizaes a se adaptarem a seus ambientes e integrarem as operaes internas. Apesar da existncia de alguns estudos nacionais referentes relao ambiente e comportamento (SILVA; BATISTA, 2004; MORAES, 2004; GULINI, 2005; TONDOLO; TONDOLO, 2006; TEIXEIRA, 2007, TEIXEIRA; ROSSETTO; CARVALHO, 2009), eles no abordam fatores relacionados ao ambiente interno das organizaes quando o tema incerteza ambiental, ou seja, apenas abordam os fatos relacionados ao ambiente externo. Trabalhos internacionais, da mesma forma, abordam apenas fatores do ambiente externo. Jabnoun et al. (2003) abordam os fatores de incerteza macro-ambiental; competitivo; de mercado; e tecnolgico. Kreiser e Marino (2002); Suh et al. (2004) e Rueda-Manazares et al. (2008) consideram fatores externos quando utilizam os modelo de Duncan (1972) e Milliken (1987). A chamada nova taxonomia de Priem et al. (2002) sugerem que as capacidades internas da firma tambm exercem um papel importante na percepo de incerteza, e complementam dizendo que Bluedorn et al. (1994) citam que correto que a formao de estratgias pelos executivos deva considerar incertezas tanto no ambiente interno quanto no ambiente externo da firma e os resultados sugerem que as tipologias existentes so limitadas porque focam somente incertezas externas. As pesquisas tm focado mais para percepes de incerteza no ambiente externo das organizaes. Assim, atravs da anlise de fatores internos e externos maiores poderes explicativos podem resultar de modelos de incerteza enfrentado por executivos (PRIEM et al. 2002). Outro construto considerado no artigo foi o de comportamento estratgico atravs da tipologia de Miles e Snow (1978). Neste sentido outra contribuio deste estudo, j mencionada por outros autores desta temtica, foi verificar como se comportam estrategicamente pequenas empresas brasileiras situadas em ambientes turbulentos, devido crise mundial ocorrida nos ltimos anos. para aproveitar esta lacuna observada pelos autores que est pesquisa desenvolvida associando clusters adaptados de Priem et al. (2002) com o comportamento estratgico segundo a tipologia de Miles e Snow (1978). Portanto, o artigo tem como objetivo analisar os construtos incerteza ambiental e comportamento estratgico e tambm seu relacionamento na percepo dos gestores de pequenas empresas na cidade de Tapejara (RS) nos ltimos cinco anos (2006-2010). Assim esta pesquisa justifica-se pelo fato de contribuir teoricamente sobre o assunto, especificamente apresentando os fatores que influenciam a incerteza em ambientes empresariais brasileiros, especialmente em pequenas empresas, alm de relacion-la com o

3

comportamento estratgico. Alm disso, gera resultados que podero dar subsdios aos gestores quando da deciso do que monitorar no ambiente organizacional. 2. Ambiente A idia de organizaes como sistemas abertos leva em considerao que as organizaes e seus ambientes internos e externos interagem continuamente, fazendo parte de um sistema mais amplo. Miles e Snow (1978) ao estudar como as organizaes se comportam em funo do ambiente afirmam que toda a organizao est inserida em uma rede de influncias externas e relaes que podem ser rotuladas como ambiente que no uma entidade homognea, mas composta de uma combinao complexa de fatores como produto, mercado, costumes e prticas industriais, regulamentaes governamentais e relaes com fornecedores financeiros, de matria-prima e de servios. Os estudos e a pesquisa organizacional contempornea tm procurado examinar as organizaes sob pontos de vista que envolva a sua interao com o contexto ambiental mais amplo. No intuito de elucidar o ambiente empresarial competitivo, Montana e Charnov (2003) esclarecem que as organizaes existem dentro de muitos ambientes que influenciam seu funcionamento. As organizaes precisam responder s foras que exercem impacto imediato nas empresas, devem relacionar-se cuidadosamente com cada um dos fatores fundamentais, em especial a sociedade em que esto inseridas. Cada organizao tem um ambiente que real, mensurvel e externo mesma, sendo que esta realidade pode impor algumas limitaes ao modo de operar a empresa. O ambiente percebido reflete a interpretao subjetiva do ambiente real, que ocorre dentro da organizao (BOWDITCH; BUONO, 2002). Carrol e Buchholtz (2003) sugerem que o ambiente chave para o entendimento das relaes entre organizaes e sociedade. A forma como o termo considerado e o modo de descrev-lo possibilitam delinear questes fundamentais para o entendimento da discusso a que se prope o presente estudo. Por outro lado, ao considerar-se o carter mutvel e descontnuo do ambiente, deve-se dar nfase ao monitoramento dessas incongruncias ambientais que esto freqentemente interagindo, consciente ou inconscientemente, ou seja, deve-se aprender a conviver com as incertezas ambientais. Pode-se observar que os estudos organizacionais abordam as influncias do ambiente organizacional sobre o comportamento das empresas e tambm que o mesmo gera recursos s organizaes, em maior ou menor intensidade proporcionando maior ou menor grau de incerteza. 2.1 Incerteza ambiental Incerteza est relacionada percepo administrativa do ambiente geral de negcios ou como um componente imprevisvel (DESS; BEARD, 1984; MILLIKEN, 1987). No contexto ambiental, segundo Rueda-Manazares et al. (2008), quando os gerentes tm dvidas sobre a direo e viabilidade de futuras tecnologias ou sobre expectativas de mudanas de consumo e preferncias sociais para produtos e servios que so ambientalmente amigveis, ou sobre possveis mudanas na legislao, ento provavelmente h

Recommended

View more >