A origem das espcies charles darwin

Download A origem das espcies charles darwin

Post on 01-Jul-2015

617 views

Category:

Documents

7 download

TRANSCRIPT

  • 1. A Origem das Espcies 24 de novembro de 1859

2. Sumrio 3. A Origem das Espcies ...em janeiro de 1860 foi publicada nova edio, e o livro teve um total de seis edies, durante a vida de Darwin. Nunca mais deixou de ser publicado, e j foi traduzido para mais de 30 lnguas. Apesar de ser um clssico cientfico, foi escrito para o leitor de cultura mdia do tempo de D. A teoria da evoluo a pedra fundamental da moderna biologia e o livro de Darwin, o completo alicerce dessa teoria. 4. A Origem das Espcies Ideia proposta: as espcies de plantas e de animais podem sofrer alteraes com o passar do tempo. Erasmus Darwin (tratado/evoluo sc. XVIII) Jean Baptiste de Lamarck (mutabiliII 1809) 3, 4, 20 pessoas (aspectos sobre evoluo) Porm, de Darwin que deriva a moderna teoria da evoluo. Por qu? 5. Duas so as razes principais Em primeiro lugar, Darwin paciente e sistematicamente fez uma avaliao de todos os tipos de evidncia sobre o assunto. Viajando, observando, colecionando e estudando os fenmenos geolgicos e biolgicos com os quais se defrontava. Leu extensa e profundamente e fez experincias cuidadosas. A obra pois alentada e de notvel profundidade. Em segundo lugar, Darwin conseguiu apresentar um mecanismo plausvel para explicar a modificao dasse le o na tu ral espcies:. 6. Seleo Natural 7. Um ensaio sobre o Princpio da Populao de Thomas Malthus Neste livro, Malthus acentuava que um princpio geral da natureza o fato de os organismos vivos produzirem um nmero maior de descendentes do que aquele que normalmente pode-se esperar que sobreviva at a maturidade produtiva. Ex. carvalho centenas de bolotas, pssaro dezenas de filhotes, salmo milhares de ovos. 8. Um ensaio sobre o Princpio da Populao de Thomas Malthus O trabalho de Malthus levou Darwin a compreender um ponto importante: devia haver uma seleo entre a prole para resolver quais devem sobreviver e quais perecero. A seleo natural pode, segundo Darwin, explicar a evoluo biolgica (descendncia com modificao). Assim como o homem pode efetuar mudanas espantosas nos animais domsticos, selecionando artificialmente caractersticas que considera desejveis, a natureza seleciona os membros de uma espcie mais capazes de enfrentar os rigores da vida. 9. Como dizia o filsofo evolucionista do sc. XIX Herbert Spencer, a natureza garante a sobrevivncia do mais apto 10. Alfredo Russel Wallace (1823-1913) O naturalista Alfred Russel Wallace, descobriu independentemente o princpio da seleo natural em 1858, o que fez com que Darwin se apressasse em publicar suas teorias. Wallace sempre creditou a Darwin a descoberta da seleo natural. Como resultado do pedido do prprio Wallace, Darwin abandonou um longo livro sobre seleo Natural (nunca terminado), e aplicou suas energias em uma Obra menos extensa sobre evoluo: A origem das espcies. 11. Que grande estupidez no ter pensado nisso! Thomas Henry Huxley foi um bilogo britnico que ficou conhecido como "O Buldogue de Darwin", por ser o principal defensor pblico da teoria da evoluo de Charles Darwin e um dos principais cientistas ingleses do sculo XIX. 12. Deus Antes de Darwin, a maioria dos bilogos considerava as espcies como grupos fixos e eternos, determinados por Deus. Uma vez que Deus criara diretamente as espcies individuais das plantas e animais, cada espcie possua suas caractersticas essenciais e definidas - tacitamente supostas como sendo as mesmas do membro original ou o par reprodutor de cada tipo ou espcie. Embora os naturalistas reconhecessem que era possvel alguma variao dentro de uma espcie, os cientistas pr-darwinianos insistiam em que havia limites naturais para essas variaes. 13. Tempo (como so incompreensivelmente vastos os perodos de tempo passado) Estimativas modernas calculam a idade da terra em aproximadamente 4 bilhes e 600 milhes de anos. Gradual Saltos (Natura non facit saltum) Hereditariedade (pangnese)O registro fssil, a origem das adaptaes complexas e principais grupos biolgicos, a hereditariedade e as variaes, e o tempo necessrio para que se processe a evoluo so apenas alguns dos muitos problemas que D. teve de enfrentar 14. A Origem das Espcies Darwin mostrou que a seleo natural tende a modificar as caractersticas dos indivduos ao longo das geraes, podendo gerar o aparecimento de novas espcies. A partir desta teoria pode-se estudar sob o aspecto evolutivo todo o parentesco entre os seres vivos da Terra, o que culminou em uma rvore genealgica da vida. Nela, os organismos unicelulares semelhantes s bactrias foram os primeiros seres vivos, surgidos a 3 bilhes de anos nos mares primitivos. Toda a informao gentica dos seres vivos est registrada no DNA, a protena que constitui os genes e cromossomos. 15. Imagens 16. Os princpios bsicos das ideias de Darwin podem ser assim resumidos: Os indivduos de uma mesma espcie apresentam variaes em todos os caracteres, no sendo, portanto, idnticos entre si. Todo organismo tem grande capacidade de reproduo, produzindo descendentes, mas, apenas alguns chegam idade adulta. O nmero de indivduos de uma espcie mantido mais ou menos constante ao longo das geraes. Existe grande "luta" pela vida entre os descendentes, pois apesar de nascerem muitos indivduos poucos sobrevivem. Na "luta" pela vida, organismos com variaes favorveis s condies do ambiente onde vivem tm maiores chances de sobreviver. Esses organismos tm maiores chances de deixar descendentes. Como h transmisso de caracteres de pais p/ filhos, eles apresentam essas variaes vantajosas. Ao longo das geraes, a atuao da seleo natural sobre os indivduos mantm ou melhora o grau de adaptao destes ao meio no qual esto inseridos. 17. M.B. 18. Como Darwin chegou teoria? 19. Como a evoluo acontece 20. rvore da vida 21. Exemplos de resistncia 22. Genes Mutao Novo Gene Gentipos XFentiposCromossomos23paresGametasMeioseDominanteX Recessivo 23. Mutaes Heterozigotos no possuem malria Especiao aloptrica em outro lugar Sazonal ou estacional Vida originou-se em ambiente no oxigenado e a atmosfera foi transformada Seleo natural atua sobre o indivduo ( para a espcie) 24. Variao na Domesticao Efeitos do hbito e do uso e desuso de certas partes Variao correlata; Herana Acreditando que sempre melhor estudar um grupo especial, estudei o pombo domstico. Criei todas as raas que pude comprar ou obter e recebi de presente peles de vrias partes do mundo. 25. "A disposio semelhante dos ossos na mo humana, na asa do morcego, na barbatana do golfinho e na perna do cavalo; o mesmo nmero de vrtebras no pescoo da girafa e no do elefante; todos estes fatos e um nmero infinito de outros semelhantes explicam-se facilmente pela teoria da descendncia com modificaes sucessivas, lentas e ligeiras [pequenas]. A semelhana de tipo entre a asa e a perna do morcego, ainda que destinadas a usos to diversos; entre as maxilas e as patas do escaravelho; entre as ptalas, os estames e pistilos de uma flor, explica-se igualmente em grande escala pela teoria da modificao gradual das partes e dos rgos que, num antepassado afastado de cada uma dessas classes, eram primitivamente semelhantes. Vemos claramente, segundo o princpio de que as variaes sucessivas no sobrevm sempre numa idade precoce e apenas so hereditrias na idade correspondente, porque os embries de mamferos, de aves, de rpteis e de peixes, so to semelhantes entre si e to diferentes no estado adulto. Podemos cessar de nos maravilhar [espantar] de que os embries* de um mamfero de respirao area, ou de uma ave, tenham fendas branquiais e artrias em rede, como no peixe, que deve, por meio de guelras bem desenvolvidas, respirar o ar dissolvido na gua." DARWIN, Charles. A Origem das Espcies - no meio da seleo natural ou a luta pela existncia na natureza, traduo de Mesquita Paul, p. 542-543, em ecologia.ib.usp.br/ffa/arquivos/abril/darwin1.pdf 26. Concluso 27. Concluso 28. Concluso 29. Concluso 30. Concluso