a invalidade do ato administrativo no direito europeu dos particulares ao recurso de ... de controle...

Download A Invalidade do Ato Administrativo no Direito Europeu dos particulares ao recurso de ... de controle do Executivo e da Administrao, e ... e o rgo superior da administrao pblica”

Post on 06-Feb-2018

215 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 171

    REVISTA

    A Invalidade do Ato Administrativo noDireito Europeu

    The Invalidity of the Administrative Act in European Law

    Denise Andrade Arajo1

    Francisco das Chagas Juc Bomfim2

    RESUMO

    Este trabalho trata do direito administrativo europeu enquanto direito administrativo comunitrio, abordando o relacionamento entre o direito administrativo e o Estado, o qual enfraquecido em face da internacionalizao e transcendncia do princpio da legalidade. Dispe sobre os efeitos da consolidao de um orde-namento jurdico comunitrio, que exige crescente colaborao entre Administrao comunitria e Administraes nacionais, in-clusive em relao aos procedimentos administrativos e natu-reza dos respectivos atos. Aborda aspectos relativos invalidade do ato administrativo comunitrio, destacando-se a admissibili-dade dos particulares ao recurso de anulao, que o principal instrumento no controle de legalidade do sistema jurdico comu-nitrio, luz do princpio da tutela jurisdicional efetiva.

    Palavras-Chave: Direito Comunitrio. Direito Administrativo Eu-ropeu. Ato Administrativo Comunitrio. Invalidade. Anulao.

    1 Especialista em Contabilidade Pblica pelo Centro Universitrio 7 de Setembro. Audito-ra de Controle Interno da Controladoria e Ouvidoria Geral do Estado do Cear. E-mail: denise_arau-jo@yahoo.com

    2 Mestre em Cincias Jurdico-Econmicas pela Universidade do Porto Portugal. Profes-sor da Universidade de Fortaleza (Unifor). E-mail: franciscojuca@hotmail.com

  • 172

    ABSTRACT

    This paper deals with European administrative law as a Commu-nity administrative law, addressing the relationship between administrative law and the State, which is weakened in the face of internationalization and transcendence of the principle of legality. It provides for the effects of the consolidation of a Community legal order, which requires increased cooperation between the Community administration and national adminis-trations, including administrative procedures and the nature of their acts. It addresses aspects relating to the invalidity of the Community administrative act, highlighting the admissibility of individuals to the annulment action, which is the main instru-ment in the control of legality of the Community legal system, in light of the principle of effective judicial protection.

    Keywords: Community Law. European Administrative Law. Community Administrative Act. Invalidity. Annulment.

    1 INTRODUO

    O surgimento do direito administrativo est estreitamente relacionado ao surgimento do prprio Estado, somente vindo a consolidar-se com a instituio do Estado de Direito.

    O direito administrativo passa por mudanas, as quais conduzem discusso sobre a possibilidade de existir direito administrativo sem Estado ou para alm dele.

    Nesse contexto de mudanas comea a se construir um novo direito administrativo, o direito administrativo comunit-rio europeu.

    Neste trabalho sero abordadas as caractersticas desse

  • 173

    REVISTA

    novo direito administrativo, bem como do ato administrativo comunitrio, destacando-se alguns aspectos da sua invalidade, inclusive quanto legitimidade dos particulares ao recurso de anulao luz do princpio da tutela jurisdicional efetiva.

    2 O DIREITO ADMINISTRATIVO EUROPEU

    O surgimento do direito administrativo remonta ao surgi-mento do prprio Estado. Ainda ao tempo em que a figura do Estado no havia se constitudo com a fisionomia atual, havia normas que pretendiam regular a relao jurdica entre o poder e os integrantes das sociedades de modo geral.

    Na Idade Mdia no havia ambiente propcio para o de-senvolvimento do Direito Administrativo, uma vez que na po-ca das monarquias absolutas todo o poder pertencia ao sobera-no, sendo a lei sua prpria vontade.

    Assim, o Direito Administrativo somente veio a consoli-dar-se como ramo jurdico autnomo a partir da instituio do Estado de Direito, estruturado sobre o princpio da legalidade e da separao dos poderes. Nesse sentido, esclarece Carvalho Filho (2008, p. 7):

    O Direito Administrativo, contudo, como sistema jurdico de normas e princpios, somente veio a lume com a instituio do Estado de Direito, ou seja, quando o Poder criador do direito passou tambm a respeit-lo. O fenmeno nasce com os movimen-tos constitucionalistas, cujo incio se deu no final do sculo XVIII. Atravs do novo sistema, o Estado passava a ter rgos especficos para o exerccio da administrao pblica, e por via de consequncia, foi necessrio o desenvolvimento do quadro norma-

  • 174

    tivo disciplinador das relaes internas da Adminis-trao e das relaes entre esta e os administrados. Por isso pode-se considerar que foi a partir do s-culo XIX que o mundo jurdico abriu os olhos para esse novo ramo jurdico, o Direito Administrativo.

    possvel afirmar que o Direito Administrativo nasceu das revolues que acabaram com o Antigo Regime absolutista que vinha da Idade Mdia.

    Sobre o assunto, cabe mencionar a doutrina de Mannori (apud ANTUNES, 2008, p. 22): O direito administrativo surge, precisamente, quando o Estado assume a forma histrica de or-denamento jurdico geral. Nem antes, nem depois.

    E ainda o que diz Burdeau (apud ANTUNES, 2008. p. 22):

    Isto sucede primeiro na Inglaterra e nos Estados Uni-dos e, depois na Europa da Revoluo Francesa. com este ltimo modelo de Estado e de ordenamen-to jurdico que se criam as bases para o nascimento do direito administrativo, com destaque para o prin-cpio da legalidade especial, qual princpio ontol-gico deste ramo de direito pblico.

    O Direito Administrativo pode ser entendido como um produto da Europa continental ps-revolucionria, ressaltando-se que nem todos os pases tiveram a mesma histria nem estru-turaram pela mesma forma o seu poder.

    Ao comparar o desenvolvimento do Direito Administrati-vo na Inglaterra e na Frana, observa-se que ocorreu de forma diferenciada. Na Inglaterra, a separao entre Administrao e Poltica no se mostrou efetiva, diferentemente do que pode ser percebido na Frana.

    Alm disso, na Inglaterra no se observou uma dialti-

  • 175

    REVISTA

    ca entre Parlamento e Governo que propiciasse ao Parlamento editar normas de controle do Executivo e da Administrao, e assim favorecer o desenvolvimento do direito administrativo. Enquanto na Inglaterra prevalecia a ideia de poder privado, na Frana prevalecia a ideia de poder pblico.

    O entendimento de Antunes (2008, p. 27) no seguinte sentido:

    Como h dois modelos de Estado de Direito, tam-bm h dois modelos de direito administrativo. Um modelo mais substantivo e executivo e outro mais judicirio, ditados por eventos histricos igualmen-te distintos. Numa palavra, trata-se de espcies do mesmo gnero, que se vm a encontrar a nvel su-pranacional no direito administrativo comunitrio.

    O direito administrativo contribui diretamente para a constituio da doutrina geral do Estado, sendo este o centro da cincia jurdica enquanto pessoa coletiva pblica universal, o princpio de todas as coisas. Segundo Costa (apud ANTU-NES, 2008, p. 28): O Estado uma metarealidade, ontolgica e axiolgica-normativa. O Direito (pblico) no encontra ape-nas o Estado, representa-o, imagina-o e personifica-o.

    No plano interno, a personalidade jurdica do Estado se confunde com a personalidade jurdico-pblica da Administra-o. Assim sendo, traz-se discusso a possibilidade de existir direito administrativo sem Estado ou para alm dele.

    As transformaes de nosso tempo provocam mudanas no direito administrativo que passa a no ter como nica referncia o Estado, em face de sua europeizao ou internacionalizao.

    Segundo Konig (apud ANTUNES, 2008, p. 36), os princi-pais sintomas dessa mudana no direito administrativo, eviden-

  • 176

    ciada pela perda do centro-Estado, so os seguintes:

    - hiperponderao dos interesses no procedimento administrativo, com efeitos constitutivos ao nvel do ato administrativo (final);- uso abusivo do direito privado, com consequn-cias nefastas ao nvel de tipicidade dos atos pri-vatizao na forma de atividade da Administrao;- desconstruo das estruturas administrativas para iludir a legalidade das decises (exemplo novo: as fundaes universitrias, as fundaes pblicas de direito privado, fundaes centauro) privatizao na forma de organizao;- privatizao (orgnica e substantiva) do direito administrativo que coloca o problema da reserva constitucional do direito administrativo e da (sua) Administrao;- perda de centralidade da Administrao por atos, com a consequente privatizao da interpretao e qualificao jurdica do ato administrativo.

    As mudanas crescentes em relao utilizao de instru-mentos privados no exerccio da funo pblica fazem surgir uma nova forma de administrao pblica, inclusive podendo acarretar alteraes no tocante interpretao jurdica do ato administrativo.

    A Administrao Pblica incorpora um neoliberalismo extremo que a leva a desonerar-se de tarefas fundamentais. Alm disso, os objetos da interpretao do ato administrativo so a atividade procedimental e os princpios que a regem. Nes-se contexto, a interpretao qualificatria tradicional e nacio-nalista do ato administrativo revela-se insuficiente em face da sua crescente europeizao. Assinala Antunes (2008, p. 40): O direito administrativo europeu desenvolve tambm aqui, ao in-vs do que comum pensar-se, um papel importante na fixao de barreiras-limite contratualizao-privatizao da interpre-

  • 177

    REVISTA

    tao jurdica do ato administrativo. Essa transformao pela qual passa o direito administrati-

    vo indica uma crise dos princpios que o fundamentam, quais sejam: o princpio da estadualidade e o princpio da legalidade.

    A construo de um novo direito administrativo cabe ao direito administrativo europeu no sentido de buscar uma har-monizao entre ordenamentos jurdicos nacionais a partir da

Recommended

View more >