a indstria farmacutica - cursinho triu | pela ... o filme o jardineiro fiel, do diretor fernando

Download A INDSTRIA FARMACUTICA - Cursinho TRIU | Pela ... o filme O Jardineiro Fiel, do diretor Fernando

Post on 08-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • A INDSTRIA FARMACUTICA

    Professores: Juliana (Histria)

    Luciana (Qumica)

    09 de abril

    2012

    AULA TEMTICA 2: QUMICA E HISTRIA

    1

  • http://gfarmaceutica.blogspot.com.br/2010/12/industria-farmaceutica.html

    Introduo

    Responsvel por produzir

    medicamentos;

    Atividade licenciada para pesquisar, desenvolver, comercializar e

    distribuir drogas farmacuticas;

    Maioria das indstrias farmacuticas surgiram nos finais do sculo XIX

    e XX;

    Nos ltimos anos surgiram no Brasil os medicamentos genricos;

    2

    http://gfarmaceutica.blogspot.com.br/2010/12/industria-farmaceutica.htmlhttp://gfarmaceutica.blogspot.com.br/2010/12/industria-farmaceutica.htmlhttp://gfarmaceutica.blogspot.com.br/2010/12/industria-farmaceutica.html

  • Introduo

    Fabrica e comercializa seus medicamentos

    aps um longo processo de pesquisas,

    descobertas e testes dos remdios desejados,

    aps meses ou anos de investimentos.

    Obteno de PATENTES, para que outras

    indstrias tenham que pagar royalties, caso

    desejem tambm fabric-lo.

    A maior parte do investimento

    recompensada pelo lucro advindo da venda

    de royalties e da comercializao direta dos

    medicamentos.

    http://gfarmaceutica.blogspot.com.br/2010/12/industria-farmaceutica.html 3

    http://gfarmaceutica.blogspot.com.br/2010/12/industria-farmaceutica.htmlhttp://gfarmaceutica.blogspot.com.br/2010/12/industria-farmaceutica.htmlhttp://gfarmaceutica.blogspot.com.br/2010/12/industria-farmaceutica.html

  • Introduo

    Patentes

    4

  • Segunda metade do sculo XVIII

    Revoluo industrial inglesa;

    Mecanizao da produo: no

    setor txtil; nos transportes

    (locomotiva a vapor);

    Posteriormente a expanso

    industrial atinge outros pases:

    Blgica, Frana, Itlia, Alemanha,

    Rssia, Estados Unidos e Japo.

    Revoluo Industrial

    5

  • Novas inovaes tcnicas:

    A partir de 1860: descoberta da eletricidade; transformao do ferro

    em ao; avano nos meios de transporte (automvel, avio); nos meios

    de comunicao (telgrafo e telefone);

    Desenvolvimento da indstria qumica.

    Segunda Revoluo Industrial

    6

  • consolidao do capitalismo como nova ordem econmica;

    separao entre capital e trabalho;

    imperialismo, colonialismo (quando forem estudar esse perodo e

    mais especificamente, o imperialismo, vocs vero que vrios

    pases africanos, dentre outros, foram afetados pela poltica

    imperialista de vrias potncias europias e dos Estados Unidos,

    aps a exploso industrial. Veremos ainda que, atualmente, muitos

    pases da frica sofrem com as aes dos pases desenvolvidos. E,

    no nosso caso, com a atuao de muitas indstrias farmacuticas.

    Breve contexto histrico do sculo XIX

    7

  • Introduo

    Origens

    O Estado brasileiro incentivou e forneceu recursos para alguns dos

    primeiros laboratrios farmacuticos;

    O Estado contribuiu tambm para a formao dos primeiros cientistas

    brasileiros que, posteriormente, se tornaram responsveis pelo

    desenvolvimento de planos de sade pblica, produo de soros, vacinas

    e medicamentos, por parte de empresas pioneiras.

    Nascimento e desenvolvimento no perodo de 1890 e 1950;

    Relao com a instituio da sade pblica, das

    prticas sanitrias de preveno e combate s

    doenas infecciosas e, em especial, com as

    instituies de pesquisa bsica e aplicada

    8

  • Expanso da cultura do caf em

    direo ao oeste paulista, um grande

    fluxo de imigrantes veio a reboque,

    garantindo a oferta de mo-de-obra

    barata.

    Medidas de combate a doenas e

    infeces se tornaram necessrias

    devido s pssimas condies

    sanitrias de portos, cortios e

    hospedarias que os abrigavam.

    Introduo

    Origens

    9

  • Uma grande variedade de produtos qumicos

    utilizados nas lavouras como sulfato de cobre,

    cloreto de clcio, cido sulfrico ainda eram

    importados de pases como Inglaterra, Alemanha

    e Estados Unidos.

    O pequeno e incipiente parque industrial

    brasileiro comeou por produzir anilinas vegetais,

    leos, ceras e medicamentos naturais que

    tiveram sua reduo, aps a descoberta e

    emprego industrial da sntese orgnica na

    Europa.

    Introduo

    Origens

    10

  • A Indstria Qumica comea a desenvolver e fabricar inmeros

    produtos para diversos segmentos industriais: farmacuticos,

    produtos de limpeza, fotoqumicos, fibras pticas, plsticos,

    agrcola (pesticidas, herbicidas, fertilizantes), etc.

    Indstria Qumica

    11

  • Empresa

    internaciona

    is e

    nacionais

    de destaque

    no setor

    farmacutic

    o, segundo

    pesquisa da

    Revista

    Exame:

    Atualidades Ranking Empresa Controle Sede no Brasil 1 Pfizer EUA So Paulo SP

    2 Novartis Suia So Paulo SP

    3 Sanofi-Aventis Frana So Paulo SP

    4 Roche Sua So Paulo SP

    5 Medley Frana Campinas SP

    6 AstraZeneca Anglo-Sueco Cotia - SP

    7 EMS Sigma Pharma Brasil Hortolndia

    8 Eurofarma Brasil So Paulo

    9 Ach Brasil Guarulhos SP

    10 Merck Alemanha Rio de Janeiro RJ

    11 Lilly EUA So Paulo

    12 Tortuga Brasil So Paulo

    13 Cristlia Brasil Itapira SP

    14 Farmacutica Brasil So Paulo SP

    15 Squibb EUA So Paulo SP

    12 Disponvel em: http://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceutico. Acesso em 05/04/2012.

    http://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceuticohttp://exame.abril.com.br/negocios/noticias-melhores-e-maiores/noticias/as-15-maiores-empresas-do-setor-farmaceutico

  • Compostos orgnicos naturais;

    Compostos sintticos;

    Diferentemente de alguns anos atrs, como no sculo XIX, quando s se dispunha

    de plantas naturais para a fabricao de remdios.

    Mas se no fosse a forma sinttica, estes medicamentos no seriam produzidos em

    larga escala pela Indstria farmacutica.

    Avano tecnolgico devido ao binmio sntese/anlise.

    Como se produz os remdios ???

    13

  • Sntese: reao que permite produzir uma determinada substncia (partindo-

    se de substncias mais simples);

    Anlise: processo que permite determinar a estrutura da molcula de uma

    dada substncia.

    Na prtica, o qumico extrai da planta a substncia de efeito curativo, faz-se

    ento a anlise dessa substncia para determinar sua estrutura molecular.

    Como os tomos esto organizados no interior da molcula? Este

    procedimento permite estudar o arranjo atmico.

    Em seguida parte-se para a sntese feita em laboratrio.

    Como se produz os remdios ???

    14

  • Para o desenvolvimento de uma nova droga, os processos de

    pesquisa e aprovao pelos rgo reguladores competentes seguem

    uma longa trajetria, envolvendo inicialmente a extrao da molcula,

    etapas de testes farmacolgicos, toxicolgicos e de segurana at a

    aprovao final.

    Os produtos farmacuticos podem ser classificados em quatro grandes

    categorias:

    Novas molculas;

    Produtos de prescrio mdica;

    Produtos OTC (over the counter);

    Produtos genricos.

    Como se produz os remdios ???

    15

  • Novas molculas:

    so os materiais farmoqumicos geralmente de altos valores

    agregados, fruto de altos investimentos realizados por laboratrios

    nas atividades de pesquisa e desenv

View more