A herança intelectual da sociologia

Download A herança intelectual da sociologia

Post on 20-Jul-2015

493 views

Category:

Science

7 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>A herana intelectual da Sociologia</p> <p>A herana intelectual da SociologiaFERNANDES, Florestan. In: FORACCHI, Marialice Mencarini; MARTINS, Jos de Souza (Org.). Sociologia e Sociedade: leituras de introduo sociologia. Rio de Janeiro; So Paulo: Livros Tcnicos e Cientficos Editora.Sociologia como cincia e sociologia como preocupao com o homemp. 11[...], ao se falar do homem, como objeto de indagaes especficas do pensamento, impossvel fixar, com exatido, onde tais indagaes se iniciam e quais so os seus limites. Pode-se, no mximo, dizer que essas indagaes comeam a adquirir consistncia cientfica no mundo moderno, graas extenso dos princpios e do mtodo da cincia investigao das condies de existncia social dos seres humanos. Sob outros aspectos, j se disse que o homem sempre foi o principal objeto da curiosidade humana.Sociologia como cincia e sociologia como preocupao com o homemp. 11[...], ao se falar do homem, como objeto de indagaes especficas do pensamento, impossvel fixar, com exatido, onde tais indagaes se iniciam e quais so os seus limites. Pode-se, no mximo, dizer que essas indagaes comeam a adquirir consistncia cientfica no mundo moderno, graas extenso dos princpios e do mtodo da cincia investigao das condies de existncia social dos seres humanos. Sob outros aspectos, j se disse que o homem sempre foi o principal objeto da curiosidade humana. Sociologia como cincia e sociologia como preocupao com o homemp. 11[...], ao se falar do homem, como objeto de indagaes especficas do pensamento, impossvel fixar, com exatido, onde tais indagaes se iniciam e quais so os seus limites. Pode-se, no mximo, dizer que essas indagaes comeam a adquirir consistncia cientfica no mundo moderno, graas extenso dos princpios e do mtodo da cincia investigao das condies de existncia social dos seres humanos. Sob outros aspectos, j se disse que o homem sempre foi o principal objeto da curiosidade humana. Sociologia como cincia e sociologia como preocupao com o homemp. 11[...], ao se falar do homem, como objeto de indagaes especficas do pensamento, impossvel fixar, com exatido, onde tais indagaes se iniciam e quais so os seus limites. Pode-se, no mximo, dizer que essas indagaes comeam a adquirir consistncia cientfica no mundo moderno, graas extenso dos princpios e do mtodo da cincia investigao das condies de existncia social dos seres humanos. Sob outros aspectos, j se disse que o homem sempre foi o principal objeto da curiosidade humana. Sociologia como resultado das condies histricas em que ela surgep. 11[...], seria vo e improfcuo separar a Sociologia das condies histrico-sociais de existncia, nas quais ela se tornou intelectualmente possvel e necessria. [...]. Ela nasce e se desenvolve como um dos florescimentos intelectuais mais complicados das situaes de existncia nas modernas sociedades industriais e de classes. E seu progresso, lento mas contnuo, no sentido do saber cientfico-positivo, tambm se faz sob a presso das exigncias dessas situaes de existncia, que impuseram tanto ao pensamento prtico, quanto ao pensamento terico, tarefas demasiado complexas para as formas pr-cientficas de conhecimento.Sociologia como resultado das condies histricas em que ela surgep. 11[...], seria vo e improfcuo separar a Sociologia das condies histrico-sociais de existncia, nas quais ela se tornou intelectualmente possvel e necessria. [...]. Ela nasce e se desenvolve como um dos florescimentos intelectuais mais complicados das situaes de existncia nas modernas sociedades industriais e de classes. E seu progresso, lento mas contnuo, no sentido do saber cientfico-positivo, tambm se faz sob a presso das exigncias dessas situaes de existncia, que impuseram tanto ao pensamento prtico, quanto ao pensamento terico, tarefas demasiado complexas para as formas pr-cientficas de conhecimento.Sociologia como resultado das condies histricas em que ela surgep. 11Os pioneiros e fundadores dessa disciplina se caracterizam menos pelo exerccio de atividades intelectuais socialmente diferenciadas, que pela participao mais ou menos ativa das grandes correntes de opinio dominantes na poca, seja no terreno da reflexo ou da propagao de ideias, seja no terreno da ao. As ambies intelectuais de autores como Saint-Simon, Comte, Proudhon e Le Play, ou de Howard, Malthus e Owen, ou de von Stein, Marx e Riehl iam alm do conhecimento positivo da realidade social. Conservadores, reformistas ou revolucionrios, aspiravam fazer do conhecimento sociolgico um instrumento de ao.Sociologia como resultado das condies histricas em que ela surgep. 11Os pioneiros e fundadores dessa disciplina se caracterizam menos pelo exerccio de atividades intelectuais socialmente diferenciadas, que pela participao mais ou menos ativa das grandes correntes de opinio dominantes na poca, seja no terreno da reflexo ou da propagao de ideias, seja no terreno da ao. As ambies intelectuais de autores como Saint-Simon, Comte, Proudhon e Le Play, ou de Howard, Malthus e Owen, ou de von Stein, Marx e Riehl iam alm do conhecimento positivo da realidade social. Conservadores, reformistas ou revolucionrios, aspiravam fazer do conhecimento sociolgico um instrumento de ao.Sociologia como resultado das condies histricas em que ela surgep. 11Os pioneiros e fundadores dessa disciplina se caracterizam menos pelo exerccio de atividades intelectuais socialmente diferenciadas, que pela participao mais ou menos ativa das grandes correntes de opinio dominantes na poca, seja no terreno da reflexo ou da propagao de ideias, seja no terreno da ao. As ambies intelectuais de autores como Saint-Simon, Comte, Proudhon e Le Play, ou de Howard, Malthus e Owen, ou de von Stein, Marx e Riehl iam alm do conhecimento positivo da realidade social. Conservadores, reformistas ou revolucionrios, aspiravam fazer do conhecimento sociolgico um instrumento de ao.Sociologia como resultado das condies histricas em que ela surgep. 12Existe, portanto, fundamento razovel para a interpretao segundo a qual a Sociologia constitui um produto cultural das fermentaes intelectuais provocadas pelas revolues industriais e poltico-sociais, que abalaram o mundo ocidental moderno. De fato, a Sociologia no se imps em virtude de necessidades lgicas, pressentidas ou formuladas a partir da evoluo interna do sistema das cincias.As duas ordens de fatores sobre os quais se coloca a cincia p. 12...o desenvolvimento do sistema das cincias se tem processado sob o influxo de duas ordens de fatores. Uma, de natureza especificamente positivo-racional, ligada com as exigncias da prpria marcha das investigaes cientficas. Outra, de natureza ultracientfica, constituda pelo conjunto de necessidades prticas (econmicas, culturais e sociais), que podem ou precisam ser satisfeitas, de modo direto ou indireto, mediante a descoberta ou a utilizao de conhecimentos cientficos. [...], ...a Sociologia, nasceram da conjugao dos efeitos das crises sociais com os da revoluo da mentalidade, produzida pelo advento do pensamento cientficoEfeitos positivo e negativo da vinculao da Sociologia com as condies socio-histricasp. 12[...], certo que ela contribuiu para ajustar rapidamente o modelo da anlise cientfica natureza dos fenmenos sociais humanos, que ela favoreceu a adoo de padres de comunicao cientfica relativamente exotricos e que a ela se associa uma nova compreenso do objeto e das funes da cincia aplicadaEfeitos positivo e negativo da vinculao da Sociologia com as condies socio-histricasp. 12[...], certo que ela contribuiu para ajustar rapidamente o modelo da anlise cientfica natureza dos fenmenos sociais humanos, que ela favoreceu a adoo de padres de comunicao cientfica relativamente exotricos e que a ela se associa uma nova compreenso do objeto e das funes da cincia aplicadaEfeitos positivo e negativo da vinculao da Sociologia com as condies socio-histricasp. 12[...], nessa vinculao tambm se encontram as razes dos principais obstculos ao desenvolvimento posterior da Sociologia. [...], ...nela se inspirou a identificao, ainda hoje corrente, da Sociologia com a Filosofia da Questo Social o que acabava por reduzi-la s propores de uma Filosofia Poltica. [...] ...podia conduzir ao empobrecimento do campo de investigao da Sociologia, especialmente quando a supervalorizao da chamada Sociologia Histrica se processava em combinao com intuitos prticos mal definidos.</p> <p>Como entender a herana intelectual da sociologia, legado do sculo XIXp. 13[...], seria conveniente considerar: 1) as relaes da emergncia da Sociologia com os efeitos intelectuais dos processos de secularizao dos modos de conceber e de explicar o mundo; 2) as repercusses das tendncias de racionalizao e dos movimentos sociais na delimitao do horizonte intelectual dos pioneiros ou dos fundadores da Sociologia; 3) a natureza dos motivos e das ambies intelectuais, inerentes s primeiras tentativas de aproveitar os princpios do conhecimento cientfico na explicao da vida humana em sociedade Relaes da emergncia da Sociologia com os efeitos intelectuais dos processos de secularizao...p. 13-5A explicao sociolgica exige, [...], um estado de esprito que permita entender a vida em sociedade como estando submetida a uma ordem, produzida pelo prprio concurso das condies, fatores e produtos da vida social. Por isso, tal estado de esprito no s anterior ao aparecimento da Sociologia, como representa uma etapa necessria sua elaborao. No mundo moderno, [...], ele se constitui graas desagregao da sociedade feudal e evoluo do sistema capitalista de produo, com sua economia de mercado e a correspondente expanso das atividades urbanas.Processo pelo qual se deu a secularizao dos modos de conhecer no plano intelectualp. 13-5[...], a secularizao dos modos de conceber e de explicar o mundo est relacionada com transformaes radicais da mentalidade mdia. O efeito mais notvel e caracterstico dessas transformaes consiste no alargamento do mbito da percepo social alm dos limites do que era sancionado pela tradio, pela Religio ou pela Metafsica. [...]. Nas condies de inquietao e de instabilidade, ligadas desagregao da sociedade medieval e formao do mundo moderno, as inconsistncias daquelas categorias absolutas e estticas do pensamento se fizeram sentir com rapidez. Contudo, como se estava em uma era de revoluo social [...], elas no foram simplesmente impugnadas e rejeitadas: as formas de saber de que elas derivavam e que pareciam viciar, de diversas maneiras e sob diferentes fundamentos, o uso da razo, que foram condenadas e substitudas. Seja no plano prtico, seja no plano terico, impunham-se tarefas que pressupunham novos padres de apreciao axiolgica, mais ou menos livres dos influxos da tradio ou de concepes providencialistas.Processo pelo qual se deu a secularizao dos modos de conhecer no plano intelectualp. 13-5Portanto, o que se poderia designar como conscincia realista das condies de existncia emerge e progride atravs de exigncias de novas situaes de vida, mais complexas e instveis. Da o enriquecimento dos contedos e o alargamento dos nveis de percepo social do sujeito, exposto a um cosmos moral em que a capacidade de julgar, de decidir e de agir, passa a depender, de modo crescente, do grau de conscincia por ele alcanado sobre os mveis das aes dos outros ou os efeitos das possveis alteraes da estrutura e funcionamento das instituies.As consequencias no mbito do senso comump. 14As modificaes porque passou o conhecimento do senso comum tm sido subestimadas, em particular devido s inclinaes intelectualistas dos autores que estudam a histria do pensamento do mundo moderno. Mas, elas possuem uma significao excepcional, pois foi por meio delas que se projetaram na vida prtica as diversas noes que fizeram da atividade humana, individual ou coletiva, o prprio cerne de todo progresso econmico, poltico ou cultural. [...], foi o conhecimento do senso comum que se exps e teve de enfrentar as exigncias mais profundas e imediatas das novas situaes de existncia social. Por isso ele acabou servindo como verdadeiro foco de formao e cristalizao das categorias de pensamento, historicamente adequadas quelas situaes. Tome-se como exemplo a histria da Economia: noes que serviram, primordialmente, para definir o significado de aes, de obrigaes ou de relaes econmicas, na linguagem cotidiana foram ordenadas com base na experincia de atividades econmicas concretas e generalizadas, tudo dentro do mbito do conhecimento do senso comum.As consequencias no mbito do pensamento racional sistemticop. 14...coube ao pensamento racional sistemtico seja ordenar e dar expresso lgica s elaboraes realmente significativas do conhecimento do senso comum, seja estender os critrios de explicao secular do mundo a objetos e a temas que no caem dentro dos limites da reflexo prtica. Graas a estas duas funes, a Filosofia moderna ofereceu os meios intelectuais atravs dos quais se esboaram as primeiras tentativas de explicao realista sistemticas das condies e efeitos da vida humana em sociedade. Efeitos do processo de secularizao e a emergncia da Sociologiap. 14Em suma, aos efeitos do processo de secularizao da cultura na modificao da mentalidade mdia, o conhecimento do senso comum e do pensamento racional sistemtico devem-se a formao do ponto de vista sociolgico, a noo de que a vida humana em sociedade est sujeita a uma ordem social, e as primeiras tentativas de explicao realista dos fenmenos de convivncia humana. Efeitos do processo de secularizao e a emergncia da Sociologiap. 14-5Em suma, aos efeitos do processo de secularizao da cultura na modificao da mentalidade mdia, o conhecimento do senso comum e do pensamento racional sistemtico devem-se a formao do ponto de vista sociolgico, a noo de que a vida humana em sociedade est sujeita a uma ordem social, e as primeiras tentativas de explicao realista dos fenmenos de convivncia humana. A constituio da Sociologia, entretanto, altera sua relao com os produtos intelectuais e com as tendncias desse processo. Parece bvio que as influncias intelectuais descritas concorreram para produzir efeitos similares porque as questes que se passaram a colocar, a respeito das formas e natureza da ordem social, se tornaram demasiado variadas e complexas a ponto de exigirem o recurso contnuo investigao sistemtica e a formao de uma disciplina intelectual especfica. Tome-se Auguste Comte como referncia. Suas indagaes correspondiam a questes que no poderiam ser formuladas e respondidas no mbito do conhecimento do senso comum ou da Filosofia pr-cientfica. Repercusses das tendncias de racionalizao e dos movimentos sociais... p. 15No plano terico, elas levaram convico, [...], de que as regularidades de coexistncia e de sucesso, que permitem entender e explicar a ordem dos fenmenos nas manifestaes da vida social, no possuem uma natureza rgida e mecnica. certo que tal ordem foi descrita como algo que exclui tanto os influxos da providncia, quanto o arbtrio de indivduos ou grupos de indivduos. Repercusses das tendncias de racionalizao e dos movimentos sociais... p. 1...</p>