a dívida pública em debate. (livro)

39
CADERNO DE ESTUDOS A DIVIDA PUBLICA Saiba o que ela tem a ver com a sua vida AUDITORIA

Upload: eduardo-carneiro

Post on 18-Nov-2014

716 views

Category:

Science


12 download

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

Page 1: A dívida pública em debate. (livro)

CADERNO DE ESTUDOS

A DIVIDA PUBLICAS a iba o q ue e la te m a v e r c o m a sua v id a

AUDITORIA

1

4Caderno de estudos

FICHA TEacuteCNICACopyright copy 2012 by Maria Lucia Fattorelli Auditoria Cidadatilde da Diacutevida

Todos os direitos reservados Impresso no Brasil Nenhum a parte deste livro pode ser utilizada reproduzida ou armazenada em qualquer forma ou meto seja mecacircnico ou eletrocircnico fotocoacutepia gravaccedilatildeo etc sem a permissatildeo por escrito da editora

IniciativaAuditoria Cidadatilde da D iacutevida (w w w aud itonacidadao rg b r)

AutoriaMaria Lucia Fattorelli

ColaboraccedilatildeoRodrigo Vieira de Aacutevila Eulaacutelia AlvarengaJoatildeo Pedro Casarotto Joatildeo Gabriel Lopes Carlos Eduardo Fontes Edson de Sousa Joana D lsquoArc Farinha Sam ille Xiacutemenes Mauriacutecio Joseacute Nunes Oliveira Tania Jam ardo Faillace Jacques DQrnellas Waldisley Rodrigues Maacutercia Tavares Maria Auxiliadora Mouratildeo Martinez Marliane Ferreira dos Santos

IlustraccedilatildeoNivaldo Marques Martins

Projeto graacuteficoRoberto Maia Sygrio Com unicaccedilatildeo amp Artes

Editoraccedilatildeo eletrocircnicaMojo Design

impressatildeoInove Graacutefica e Editora

Ficha catalograacutefica elaborada pela Inove Graacutefica e Editora

Fattorelli Maria LuciaCaderno de Estudos A Divida Puacuteblica em Debate

Maria Lucia Fattorelli Brasiacutelia 2012eop

1 Diacutevida Puacuteblica 2 Caderno de Estudos 3 Auditoria4 Brasil I Titulo

CDD 330981___________________________________ CDU 304(81)

iSBN 978-85-66343 00-7

A VENDA NO SiTE wwwinoveeditoracombr

[ A D V I D A H Uacute B L I C A E V D E U A T F

A P i T U L O 3

ODELO ECONOMICO UIVOCADO E JUSTICcedilA SOCIAL n-- mos o Brasil eacute um dos paiacuteses mais ricos _ _ndo sob todos os pontos de vista eco-

iacuteocial cultural natural e humano (CfiacuteS5- dessa riqueza os direitos sociais natildeo

soo zevidamente atendidos em nosso Paiacutes I - ^-ensa maioria da populaccedilatildeo que menos

bull re meios materiais a realizaccedilatildeo dos direi- Eacutes continua sendo uma utopia distante

uma pequena parcela dos brasileiros eacute ia rica e tem oportunidade de ter uma

liacuteSccedilna Existe um imenso fosso social

- SCIAMOS UM GRANDE S4SiDOXO NO BRASIL

= Economia Mundial

1 ior distribuiccedilatildeo de renda do mundo

1 i- no ranking de respeito aos Direitos -Tianos - IDH

PORQUE

E preciso compreender as raiacutezes dessas desishygualdades a fim de possibilitar um amplo

debate orientado para a busca de saiacutedas que modifiquem essa realidade

A adoccedilatildeo de equivocado modelo econoacutemico no Brasil tem aprofunshydado as desigualdades sociais e o desrespeito aos direitos humanos o que se evidencia pela anaacutelise dos seguintes aspectos f

Concentraccedilatildeo de Renda

Pri vatizaccedilotildees

Equivocado Regime de Metas de Inflaccedilatildeo

Modelo Tributaacuterio Injusto

Poliacutetica de Superaacutevit Primaacuterio e Diacutevida Puacuteblica

1 9A DI v i p a P j B 11 C A Q u a l L | Caderno de estudos

CONCENTRACcedilAtildeO DE RENDA

Um dos grandes problemas brasileiros e um dos mais facilmente observaacuteveis eacute que nossa

riqueza estaacute concentrada nas matildeos de poucos grandes proprietaacuterios - nacionais e estrangeiros- de terras e negoacutecios especialmente empreiteishyras e bancos que se dedicam a atividades financeiro-especulativas

Ao longo da nossa histoacuteria as decisotildees poliacuteticas e econoacutemicas tecircm privilegiado esses grandes proprieshytaacuterios (que geralmente financiam as campanhas eleitorais) favorecendo a concentraccedilatildeo de recursos e poder nas matildeos de poucos o que tem reforccedilado as desigualdades sociaisEm razatildeo disso o Brasil eacute consideshyrado atualmente o Bdeg paiacutes mais injusto do mundo

Apesar dos Programas Sociais existentes como o Bolsa Famiacutelia ainda estamos muito distantes de um patamar miacutenimo de justiccedila social

Outro dado indicativo da concentraccedilatildeo da ren da no Brasil foi divulgado peia ONU (Organizaccedilatildeo das Naccedilotildees Unidas) em 2008 indicando que para cada 1 doacutelar destinado aos 10 mais pobres 513 doacutelares satildeo destinados aos 10 mais ricos O niacutevel eacute comparaacutevel a paiacuteses como Guatemala (US$ 4820) Panamaacute US$ 5750) e El Salvador ltUS$ 5750) o que mostra o quatildeo privilegiadas satildeo as elites em nosso Paiacutes

O indice de Gini que mede a concentraccedilatildeo de renda dos paiacuteses - varia de 0a 1 Quanto mais proacuteximo de zero maior a igualdade entre a populaccedilatildeo e quanto mais proacuteximo de 1 mais extrema a desigualdade O Brasil tem o 3o pior iacutendice de Gini do mundo equivashylente a 0538

Em matildeos privadas a reivindicaccedilatildeo de lucros cada vez maiores tem levado ao fornecimento de serviccedilos cada vez mais caros Eacute o caso por exemshyplo dos serviccedilos de telefonia no Brasil que apoacutes a privatizaccedilotildees passaram a ser os mais caros do mundo ao mesmo tempo em que satildeo os campeshyotildees de reclamaccedilotildees dos consumidores As empreshy

sas de telefonia auferem lucros espantosos anualmente e natildeo realishyzam os investimentos necessaacuterios 0 mesmo ocorre com empresas de energia eleacutetrica e transportes puacuteblishycos serviccedilos altamente lucrativos devido ao alto preccedilo das tarifas cobradas

As privatizaccedilotildees tambeacutem aproshyfundaram a concentraccedilatildeo da renshyda no Paiacutes pois uma significativa parte do patrimoacutenio puacuteblico - que pertencia a naccedilatildeo - foi transferido

para privilegiados grandes proprietaacuterios do setor privado nacional e internacional

O processo de privatizaccedilotildees foi iniciado por Fernando Coiacutelor (Siderbraacutes Usiminas) mas avanccedilou tremendamente no governo de Fernando Henrique Cardoso quando foram vendidas as maiores empresas (Embraer Vale do Rio Doce Teiebraacutes Eletropaulo Light Rio jazishydas de petroacuteleo) e diversos bancos estaduais

PRIVATIZACcedilOtildeES

A s privatizaccedilotildees dos serviccedilos de telefonia energia transporte aleacutem de setores da

educaccedilatildeo e sauacutede significaram prejuiacutezos para os brasileiros pois os preccedilos vecircm aumentando bem acima da inflaccedilatildeo exercendo pressatildeo no aumento de diversos outros preccedilos de produtos e serviccedilos Grande parte da inflaccedilatildeo verificada no Paiacutes decorre do excessivo reajuste de tais tarifas sendo que o aumento salarial dos trabalhadores natildeo tem acompanhado a mesma evoluccedilatildeo o que significa uma deterioraccedilatildeo no poder de compra desses trabalhadores

Lula prosseguiu com o processo de privatizashyccedilotildees (rodovias hidroeleacutetricas bancos estaduais e jazidas petroliacuteferas inclusive do Preacute-Sal) Lula tamshybeacutem implementou outros tipos de privatizaccedilaacuteo

20Caderno de estudos | Aacute D I V DA P lj B L I C A = M D t 3 A TF

por meio das PPP - parcerias puacuteblico-privadas - e do Prollni programa que concede incentivos fisshycais a instituiccedilotildees privadas de ensino universitaacuterio em lugar de realizar investimentos para expansatildeo da educaccedilatildeo superior puacuteblica

A atual presidenta Dilma Rousseff tambeacutem realizou inaceitaacuteveis privatizaccedilotildees (previdecircncia dos servidores puacuteblicos aeroportos hospitais universitaacuterios)

A justificativa legal apresentada para a realizashyccedilatildeo dessas privatizaccedilotildees desde o governo Cotlor no inicio da deacutecada de 1990 foi a necessidade de pagamento da divida puacuteblica

Desde o iniacutecio foram feitas diversas denuacutenshycias de irregularidades sobre este processo Entidades de todo o Paiacutes se mobilizaram contra a entrega do patrimoacutenio puacuteblico Accedilotildees judiciais ajuizadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico aguardam ateacute os dias atuais uma decisatildeo final

Ateacute mesmo a Petrobras e o Banco do Brasil tiveram grande parte de suas accedilotildees vendidas a investidores privados - brasileiros e estrangeiros

Eacute importante ressaltar que grande parte das privatizashyccedilotildees foram financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econoacutemico e Social) e que tiacutetulos da diacutevida puacuteblica foram aceitos como moeda de privatizaccedilatildeo Tais tiacutetulos tBrady) vinham sendo negociados no mercado secundaacuterio por cerca de apenas 20 de seu valor de face e ao serem aceitos pelo valor integral para o pagamento das privatizaccedilotildees represenshytaram uma verdadeira liquidaccedilatildeo do patrimoacutenio puacuteblico brasileiro um grande negoacutecio para os compradores das empresas estatais Na praacutetica isso significa que o - jaacute baixo - valor pelo qual as empresas estatais foram leiloadas reduziu- -se ainda mais devido agrave aceitaccedilatildeo dos tiacutetulos da diacutevida brasileira como pagamento

Os efeitos das privatizaccedilotildees estenderam-se para muito aleacutem disso Com a venda de empreshysas puacuteblicas a multinacionais foi incrementada a importaccedilatildeo de insumos equipamentos e tecno- logias algo facilitado pelas medidas de abertura

comercial desencadeadas de Collor em diante por todos os governantes Aumentaram tambeacutem as remessas de lucros ao exterior incrementando- se as perdas de patrimoacutenio nacional Por fim a

diacutevida puacuteblica interna e externa que se falava em reduzir aumentou aceleradamente

Por lei os recursos apurados em privatizaccedilotildees destinam-se ao pagamento da diacutevida puacuteblica Apesar das privatizaccedilotildees essa diacutevida nunca diminuiu ao conshytraacuterio tem crescido continua mente desde o inicio do governa FHC passando por Lula e Dilma Tambeacutem aumentou o Passivo Externo devido ao crescimento das remessas de lucros e compras de insumos no exterior

EQUIVOCADO REGIME DE METAS DE INFLACcedilAtildeO

E evidente que todos os brasileiros satildeo favoshyraacuteveis ao controle da inflaccedilatildeo Ocorre que o

Regime de Metas adotado no Brasil sob detershyminaccedilatildeo do FMI desde 1998 natildeo tem controlado o tipo de inflaccedilatildeo verificado no Paiacutes e ainda sigshynifica um mecanismo de transferecircncia de renda da sociedade para o setor financeiro Isso ocorre I porque tal regime eacute calcado na elevaccedilatildeo da taxa

de juros Selic e no controle do volume de moeda em circulaccedilatildeo

No Brasil ao contraacuterio do que alegam governo e rentistas a inflaccedilatildeo atual natildeo eacute causada por suposto excesso de demanda mas tem sido provocada por contiacutenuos e elevados reajustes dos preccedilos de alimentos e preccedilos administrados principalmente de energia telefonia e combustiacutevel

Esses itens afetam todos os preccedilos de bens e serviccedilos venshy

didos no Paiacutes pois fazem parte da composiccedilatildeo de seus custos Adicionalmente o preccedilo dos alimentos e demais preccedilos administrados natildeo se reduzem quando o governo promove uma elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic

Para CQjTTIacutejatpoundr^sseripo de inflaccedilatildeo - deno- minad^inflaccedilatildeo de preccedilos^ o remeacutedio adeshyquado eacute o efetivo controle de tais preccedilos o que poderia ser feito pelo governo sem grandes dificuldades jaacute que estamos falando justamente de preccedilos que em tese devem ser administrados pelo poder puacuteblico Devido agrave privatizaccedilatildeo de tais serviccedilos a exigecircncia de altos lucros tem provoshycado a elevaccedilatildeo contiacutenua desses preccedilos Aleacutem de afetardiretamente a vida dos brasileiros que consomem tais serviccedilos a elevaccedilatildeo desses preshyccedilos tem pesado no cocircmputo da inflaccedilatildeo e natildeo sofre reduccedilatildeo alguma quando os juros sobem

21| Caderno do estudos

Da forma como regulamentado o Regime de Metas de Inflaccedilatildeo toda vez que a inflaccedilatildeo ameshyaccedila ultrapassar a meta estabelecida (atualmente em 45 ao ano) seu controle tem sido feito por meio da elevaccedilatildeo da taxa Selic desconsiderandoshy-se as verdadeiras causas do aumento de preccedilos no Brasil

Ao mesmo tempo em que os salaacuterios do setor puacuteblico e privado ficaram literalmente congeshylados a partir do Piano Real em 1995 a diacutevida puacuteblica federal passou a ter atualizaccedilatildeo moneshytaacuteria automaacutetica calculada com base em iacutendice publicado por instituiccedilatildeo privada - IGP-M da Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas - que indica a expecshytativa de inflaccedilatildeo

Aiacute estaacute um dos grandes equiacutevocos e distorshyccedilotildees do modelo econoacutemico em vigor no Paiacutes que privilegia o setor financeiro

0 resultado foi o crescimento explosivo dos gastos com a diacutevida puacuteblica federal em detrimenshyto dos gastos com serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo como mostra o graacutefico abaixo

A outra ferramenta utilizada pelo Banco Central para controlara inflaccedilatildeo tem provocado o crescimento acelerado da diacutevida e acumulado

reservas internacionais a um custo altiacutessimo para o Paiacutes Ateacute a presidenta Dilma reclamou do excesso de moeda que tem ingressado no Brasil manifestando-se publicamente contra o que chashymou de tsunami

0 mecanismo que impediria esse tsunami seria a implantaccedilatildeo de controle de capitais o que jaacute vem sendo praticado por diversos paiacuteses em todoo mundo

Ao contraacuterio de estabelecer esse controle sobre o ingresso de capitais o Banco Central tem enxugado esse excesso de moeda por meio das chamadas Operaccedilotildees de Mercado Aberto mediante as quais fica com o excesso de doacutelares e entrega tiacutetulos da diacutevida puacuteblica brasileira aos bancos

A justificativa para tais operaccedilotildees eacute o risco de que tal excesso possa provocar inflaccedilatildeo

Desde que o doacutelar comeccedilou a se desvalorizar em todo o mundo o volume dessas operaccedilotildees de mercado aberto passou a aumentar acelerashydamente pois os especuladores viram o gatilho acionado pelo Regime de Metas de Inflaccedilatildeo como uma tremenda oportunidade para trazer seus doacutelares para o Brasil e trocaacute-los por tiacutetulos

Orccedilamento Geral da Uniatildeo - Gastos Selecionados (R$ bilhotildees)

800 gt

se

C

Fonte Secretaria do Tesouro Nacional (STN)SIAF1 (Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal) Inclui a poundgC rolagem ou ldquorefinanciamento da diacutevida

22Caderno de estudos I A Q I v I C A F Uacute B L C A e m O F B A T E

Juros e

da diacutevida puacuteblica brasileira que pagam os maioshyres juros do mundo isentos de qualquer tributo podendo fugir do Paiacutes quando bem entenderem engordados pela variaccedilatildeo cambial

Por sua vez o Banco Central fica com os doacutelashyres e os destina agraves Reservas Internacionais que jaacute se aproximam de US$ 400 bilhotildees e natildeo rendem quase nada ao Paiacutes pois estatildeo aplicadas em granshyde parte em tiacutetulos da diacutevida norte americana que pagam juros proacuteximos de zero e ainda temos que arcar com os custos de senhoriagem

Por isso o Banco Central (BC) tem apresentashydo nos uacuteltimos anos prejuiacutezos bilionaacuterios R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 e no 1s semestre de 2011 R$ 445 bilhotildees tudo isso transshyferido para o Tesouro Nacional e arcado por todos os brasileiros Contudo quando o BC apresenta lucro operacional este eacute destinado exclusivamenshyte por lei para o pagamento da diacutevida

Dessa forma a prioridade do atual modelo econoacutemico para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrado nas poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria tem provocado grandes danos financeiros

MODELO TRIBUTAacuteRIO INJUSTO

A maneira mais oacutebvia de promover justiccedila fiscal e distribuir renda seria por meio da

cobranccedila de tributos de forma justa ou seja os mais ricos contribuiriam mais para que os recurshysos arrecadados pelo Estado pudessem ser aplicashydos em poliacuteticas puacuteblicas que beneficiassem toda a populaccedilatildeo especialmente aos mais pobres

Natildeo eacute isso que ocorre no Brasil O sistema trishybutaacuterio brasileiro eacute extremamente regressivo pois a maior parte dos tributos satildeo indiretos embutidos nos preccedilos de todos os produtos e serviccedilos que satildeo consumidos igualmente por pobres e ricos

bull Contraditoriamente os mais beneficiados comI aliacutequotas reduzidas isenccedilotildees incentivos fiscais j e deduccedilotildees satildeo justamente aqueles que mais ^poderiam contribuir para as financcedilas puacuteblicas

O exemplo mais contundente desse benefiacutecio eacute o fato de que ateacute hoje ainda natildeo foi regulamenshytado o Imposto sobre Grandes Fortunas previsto na Constituiccedilatildeo Federal de 1988

Adicionalmente desde o governo FHC a poliacuteshytica fiscal regressiva tem se voltado ao privileacutegio do sistema financeiro e grandes corporaccedilotildees

Dentre os benefiacutecios tributaacuterios concedishydos ao capital financeiro durante os anos FHC destacam-se

reduccedilatildeo da aliacutequota do Imposto de Renda das instituiccedilotildees financeiras - 1RPJ - de 25 para15

reduccedilatildeo do adicional do IRPJ de 12 e 18 para10

reduccedilatildeo da Contribuiccedilatildeo Social sobre o Lucro Liquido - CSLL de 30 para 8 posteriormente elevada para 9

reduccedilatildeo da base de caacutelculo do IRPJ e da CSLL ao permitir a deduccedilatildeo dos juros sobre capital proacuteprio

isenccedilatildeo do imposto de renda sobre remessa de lucros e dividendos ao exterior

Lula manteve todos esses privileacutegios e ainda concedeu outros sobressaindo-se a isenccedilatildeo de Imposto de Renda para estrangeiros que lucram com os tiacutetulos da diacutevida interna brasileira por meio da Lei 113122006

Ao mesmo tempo em que foram aprovadas leis que garantiram essas benesses ao grande capital outras normas aumentaram os tributos sobre o consumo impactando sobremaneira as classes mais baixas que empregam a totalidade de seus rendimentos no consumo de bens essenciais agrave sua sobrevivecircncia

23A n I V D A P Uacute B L I C A EM C E B A l L I Caderno de estudos

AS BENESSES TRIBUTARIAS DOS ESPECULADORES

Lei 113122006

Art 1 Fica reduzida a zero a aliacutequota do imposto de renda incidente sobre os rendimentos () proshyduzidos por tiacutetulos puacuteblicos adquiridos a partir de 16 de fevereiro de 2006 quando pagos creshyditados entregues ou remetidos a beneficiaacuterio residente ou domiciliado no exterior

Aleacutem disso desde o Plano Reai a classe trabashylhadora vem sendo pesadamente onerada face ao congelamento da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Fiacutesica

Essa medida faz com que o trabalhador passe a pagar mais Imposto de Renda quando obteacutem meros reajustes inflacionaacuterios que natildeo modificam seu padratildeo de vida ou sua capacidade contributiva Apesar dos reajustes ocorridos a atualizaccedilatildeo da tabela do IRPF ainda acumula mais de 50 de defa- sagem o que caracteriza um verdadeiro confisco

Essas injusticcedilas do modelo tributaacuterio aproshyfundam o fosso social De acordo com pesshyquisa recente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econoacutemica Aplicada) pessoas cuja renda mensai

familiar alcanccedilava ateacute dois salaacuterios miacutenimos comprometiam 539 dos seus ganhos com o pagamento de tributos enquanto que outras com renda superior a 30 salaacuterios miacutenimos comprometiam apenas 29 3 A mesma pesshyquisa mostra que cerca de 50 da nossa carga tributaacuteria eacute indireta incidindo sobre o consushymo e atingindo indiscriminadamente a toda a populaccedilatildeo independentemente da renda e da riqueza Dessa maneira o pobre que faz suas compras no supermercado paga o mesmo imposto do milionaacuterio A renda por sua vez influencia em apenas 19 a carga tributaacuteria do Paiacutes Nos Estados Unidos ela responde por 49 dos gastos dos cidadatildeos com tributos

A carga tributaacuteria brasileira em meacutedia natildeo eacute considerada alta se comparada agrave de outros paiacuteshyses Contudo quando se observa a ausecircncia ou extrema insuficiecircncia do devido retorno em bens e serviccedilos puacuteblicos constata-se o caraacuteter extrema mente injusto da tributaccedilatildeo brasileira Ademais os tributos arrecadados destinam-se principalmente para o pagamento de juros da diacutevida puacuteblica o que caracteriza seu desvio de finalidade

2 Fonte lthttpamaivDsuolcombramaivos09noticiagt

ldquoLEI KANDIR

A discussatildeo sobre a tributaccedilatildeo no Brasil natildeo pode passar ao largo de um dos instrumentos mais controversos de estiacutemulo agrave exportaccedilatildeo - a chamada LeiKandir

Esta lei (Lei Complementar 871996) entrou em vigor em 1996 Por seus dispositivos isenta do pagamento de tributo estadua - ICMS (Imposto sobre Circulaccedilatildeo de Mercadorias e Serviccedilos) - a comercializaccedilatildeo de produtos destinados agrave exportaccedilatildeo com o claro objetivo de atingir um superaacutevit na balanccedila comerciai e gerar divisas para o pagamento da diacutevida externa

Essa isenccedilatildeo de ICMS representou uma grande perda de receitas para Estados e Municiacutepios que repartem o produto da arrecadaccedilatildeo do imposto Ao mesmo tempo a medida favoreceu enormemente aos grandes exportadores

Para compensar a perda dos Estados e Municiacutepios a Uniatildeo se obrigou por meio da referida lei a compensar as unidades federativas na proporccedilatildeo de 75 para os Estados e 25 para os Municiacutepios A forma de compensaccedilatildeo contudo foi a emissatildeo de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica Por muito tempo a Uniatildeo restituiu apenas parcialmente o valor devido Atualmente o governo sequer reconhece o dever de indenizaccedilatildeo aos Estados omitindo-se ateacute mesmo de prever os recursos indenizatoacuterios na Lei Orccedilamentaacuteria agravando o problema de arrecadaccedilatildeo nos Estados A medida tem contribuiacutedo para agravar a crise das financcedilas estaduais estimulada por outro lado pelas imensas diacutevidas que estes contraem perante a Uniatildeo

2 4Caderno de estudos [ A Cl v 1 rgt A p uacute b l i c a e m C E U a t e

POLIacuteTICA DE SUPERAVIT PRIMAacuteRIO E DIacuteVIDA PUacuteBLICA

Embora ainda pouco discutido o principal problema econoacutemico do Brasil eacute a chamada

diacutevida puacuteblica tratada com mais detalhes nos capiacutetulos seguintes

JEcircSUPERAacuteVIT PRIMAacuteRIO

O superaacutevit primaacuterio eacute a economiardquo forccedilada de gastos puacuteblicos para o cumprimento de meta imposta pelo FMI ao Brasil desde 1998 Esse valor eacute calculado como um percentual do PIB mas recai unicamente sobre a parte do orccedilamento referente aos gastos primaacuterios isto eacute sobre os gastos e investimentos sociais

Os gastos com juros da diacutevida - classificados como natildeo-primaacuterios - natildeo entram nesse cocircmpushyto Da mesma forma as receitas natildeo-primaacuterias especialmente a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida tambeacutem natildeo entram no caacutelculo da meta de superaacutevit primaacuterio

A consequecircncia dessa foacutermula draconiana eacute o arrocho fiscal sobre os gastos sociais para que cada vez mais recursos puacuteblicos sejam destinados ao pagamento de juros da diacutevida Trata-se de escandaloso privileacutegio aos rentistas proprietaacuterios dos tiacutetulos da diacutevida brasileira - em sua imensa maioria instituiccedilotildees do sistema finanshyceiro nacional e internacional - pois os gastos

com os juros satildeo liberados da meta de superaacutevitDessa forma centenas de bilhotildees de reais de

recursos obtidos com a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida e demais fontes natildeo-primaacuterias (tais como o recebimento de juros e amortizaccedilotildees das diacutevidas de estados e municiacutepios com a Uniatildeo eventuais lucros do Banco Central entre outros) soacute podem ser destinados ao pagamento dos juros pois se forem destinados a gastos sociais a meta de superaacutevit primaacuterio natildeo seria cumprida

Por meio dessa foacutermula o privileacutegio do pagashymento de juros da diacutevida se sobrepotildee aos direitos sociais e ao atendimento das urgentes necessidashydes do povo brasileiro

0 Congresso Nacional aprovou em 17072012 a Lei de Diretrizes Orccedilamentarias (LDO) para 2013 prevendo a meta de superaacutevit primaacuterio correspondente a R$ 1559 bilhotildees para a Uniatildeo Estados e Municiacutepios Entretanto o seu efeito alcanccedila quase R$ 1 trilhatildeo ou seja cerca da metashyde do Orccedilamento Geral da Uniatildeo na medida em que obriga que receitas natildeo-primaacuterias sejam destinadas diretamente para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Por isso eacute urgente auditar essa diacutevida - como manda a Constituiccedilatildeo Federal - e destrinchar os malabarismos que tecircm sido feitos para desviar cada vez mais recursos puacuteblicos para o setor financeiro privado

Em 2011 foram gastos quase R$ 2 biiacutehotildees por dia com a diacutevida puacuteblica Quem paga essa conta

Todos noacutes brasileiros pagamos a diacutevida puacuteblica de vaacuterias formas Pagamos diretamente por meio dos tributos embutidos em tudo o que consumimos ou recebemos Pagamos tambeacutem por meio dos serviccedilos puacuteblicos que deixamos de receber em razatildeo do corte de

gastos da Sauacutede Educaccedilatildeo Seguranccedila Transporte Saneamento Cultura Assistecircncia Social etc Por isso todos temos o direito de saber afinal que diacutevida eacute essa

25A D V I D A F uacute B L CA F M D E B A T E Caderno de estudos

O PAGAMENTO DE JUROS E AMORTIZACcedilOtildeES DA DIacuteVIDA CONSOME QUASE A METADE DOS RECURSOS DA UNIAtildeO

Elaboraccedilatildeo Auditoria Cidadatilde da Divida Nota 0 valor de R$ 708 bilhotildees inclui o chamado refinanciamento ou roiacuteagem pois a CPI da Divida Puacuteblica comprovou que parte relevante dos juros satildeo contabilizados como tal Para mais informaccedilotildees ver lthttpwwwauditoriacidadaorgbrwp-contentuploads201204Numerosdividapdfgt

26Caderno de estudos | acirc I V i D A P D B L 1 e A IacuteM d e s a t p

Orccedilamento Geral da Uniatildeo de 2011 - Executado - Total R$ 1571 trilhatildeo

Juros e Amortizaccedilatildeo

da Diacutevida

4505mdash imdash

R$ 708 bilhotildees

Transferecircncia para Estados e Municiacutepios

012 Relaccedilotildees Exteriores

012 Organizaccedilatildeo Agraacuteria

010 Induacutestria

008 Com eacutercio e Serviccedilos

008 Urbanism o

006 Direitos de C idadania

004 Cultura

004 Com unicaccedilotildees

003 Energia

002 Desporto e Lazer

002 Saneam ento

000 H abitaccedilatildeo

Gestatildeo Am bien ta 015 Ciecircncia e Tecnologia 032

Essencial agrave Ju s ticcedila 034 Leg is la tivo 036

Seguranccedila Puacuteb lica 041 Agricu ltura 061 Transporte 068

A dm in istraccedilatildeo 110 Jud ic iaacute rio 134

Defesa Nacional 177 Trabalho 229

AssistecircnciaS 285 Educaccedilatildeo 299

Sauacutede 407

C A P Iacute T U L O

A DIacuteVIDA PUacuteBLICA BRASILEIRAT odas as naccedilotildees devem garantir vida digna agrave

sua populaccedilatildeo Por isso elas satildeo autorizadas a contrair diacutevidas dentro de determinados limites e condiccedilotildees legais pois nem sempre os recursos arrecadados por meio dos tributos alcanccedilam os montantes suficientes ao atendimento das necesshysidades sociais

Portanto a diacutevida puacuteblica deveria ser um importante instrumento de financiamento do Estado e um meio viabilizador da implementaccedilatildeo de investimentos e poliacuteticas puacuteblicas

Entretanto as auditorias realizadas nos uacuteltimos plusmnanos tecircm demonstrado que o processo de endi-

vidamento foi usurpado pelo sistema financeiro privado ou seja ao inveacutes de aportar recursos ao Estado a diacutevida puacuteblica tem sido utilizada como um mecanismo meramente financeiro que retira recursos puacuteblicos e os transfere principalmente para o setor financeiro privado Eacute o que chamashymos de Sistema da Divida

Para tratar a questatildeo politicamente e de forma democraacutetica devem ser fornecidos os instrumenshytos que possibilitem o plerro conhecimento da realidade financeira do Paiacutes tornando a populashyccedilatildeo capaz de decidir sobre que tipo de alocaccedilatildeo de recursos eacute mais desejaacutevel aos interesses da naccedilatildeo

0 QUE Eacute DIacuteVIDA PUacuteBLICA

A diacutevida puacuteblica abrange empreacutestimos contraiacuteshydos pelo Estado junto a instituiccedilotildees financeishy

ras puacuteblicas ou privadas no mercado financeiro interno ou externo bem como junto a empresas organismos nacionais e internacionais pessoas ou outros governos

A diacutevida puacuteblica federal pode ser formalizada por meio de contratos celebrados entre as partes ou por meio da oferta de tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Teoricamente a diacutevida puacuteblica eacute classificada como diacutevida interna ou diacutevida externa deacordo com a localizaccedilatildeo dos seus credores e com a moeda envolvida nas operaccedilotildees

Historicamente eacute muito importante estudar a evoluccedilatildeo dessas duas diacutevidas de forma separada como faremos nos capiacutetulos seguintes

RiacutePUacuteSUCA FEDfSATIVA DO SRftSJl (3

LETRA DO TESOURO NACIONAL100 00 00000

0 3AHC0 C lraquo TR t 0 0 laquoA $ U

H IacuteK Iraquoi lsquoiacutewhvi laquo raquo Sr raquo dt )gtraquolaquobull iacutej(L tf x

DEZ M IIH Ograve E S OE CRLJZEIRDS j

Poreacutem atualmente diante da ausecircncia de resshytriccedilotildees ao ingresso e saiacuteda de moedas internacioshynais no Brasil por meio do sistema bancaacuterio - o que convencionalmente se chama de liberdade de movimentaccedilatildeo de capitais - esses conceitos precisam ser revistos pois bancos e instituiccedilotildees estrangeiras satildeo credores da diacutevida internardquo da mesma forma que bancos e instituiccedilotildees brasishyleiros podem ser credores da diacutevida externa Aleacutem disso o Brasil tem emitido tiacutetulos da diacutevida externa em reais Tais exemplos demonstram que atualmente a natureza de ambas as diacutevidas- interna e externa - se confunde

Somando-se a chamada diacutevida interna com a externa temos o total da diacutevida puacuteblica brasileira

Em dezembro2011 a diacutevida puacuteblica brasileira alcanccedilou R$ 3 trilhotildees o que corshyresponde a 78 do PIB pois a Diacutevida interna alcanccedilou R$ 25 trilhotildees e a Diacutevida Externa supeshyrou os US$ 400 bilhotildees conforme cifras incluiacutedas no quadro a seguir

Tiacutetulos Puacuteblicos sagraveo obrigaccedilotildees assumidas pelo Estado Haacute muitos anos os tiacutetulos satildeo emitidos unica mente em forma eletrocircnica e natildeo em papel como Ilustra a figura acima

laquo 0 0 I

27a n f v l D a p j B L i c A e m D - li a T c | Caderno de estudos

DIacuteVIDA INTERNA DIacuteVIDA EXTERNA

28Caderno de estudos

Na teoria

Na praacutetica

Diacutevida interna eacute a diacutevida contraiacuteda em moeda nacional junto a residentes no Paiacutes

Grande parte dos tiacutetulos da divida interna brasileira tegravem sido adquiridos por estrangeiros

DIacuteVIDA INTERNA (DEZ2011)RS 253606558601768

(2 TRiLHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586 MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)Fonte Banco Centrai

Divida externa eacute a divida contraida em moeda estrangeira (doacutelar euro iene libra etc) junto a residentes no exterior

Desde 2005 com a desvalorizaccedilatildeo do doacutelar no mercado internacional o Brasil passou a emitir tiacutetulos da diacutevida externa em reaisDIacuteVIDA EXTERNA (DEZ2011)U5$ 40238510282823

(402 BILHOtildeES 385 MILHOtildeES 102 MIL828 DOacuteLARES E 23 CENTAVOS)Fonte Banco Central

No caso da diacutevida interna investidores intershynacionais usufruem os maiores lucros do mundo com as elevadiacutessimas taxas de juros praticadas no Brasil e NAtildeO PAGAM IMPOSTO DE RENDA

Em 2009 os estrangeiros que investiram em tiacutetulos da diacutevida interna brasileira chegaram a lucrar ateacute 50 em um soacute ano (devido agrave soma das altas taxas de juros com a valorizaccedilatildeo do real frente ao doacutelar) sem ter que pagar tributos por isso No mesmo ano o prejuiacutezo do Banco Central do Brasil foi de R$ 147 bilhotildees devido agrave desvalorishyzaccedilatildeo das reservas cambiais compradas com os doacutelares trocados por tiacutetulos da diacutevida interna nas Operaccedilotildees de Mercado Aberto

Constata-se que o processo de endividamenshyto se transformou em um meio de especulaccedilatildeo financeira Considerando que os pagamentos de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida consomem recursos que deveriam destinar-se ao atendishymento das necessidades sociais todo cidadatildeo brasileiro estaacute pagando essa conta e portanto precisa conhecer esse processo

OS NUacuteMEROS DA DIacuteVIDA

A s investigaccedilotildees promovidas pela CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos

Deputados (20092010) revelaram que natildeo haacute a devida transparecircncia nos dados divulgados pelo governo federal em relaccedilatildeo agrave diacutevida puacuteblica tanshyto no que se refere ao seu estoque como em relaccedilatildeo ao fluxo de recursos ou seja o volume de gastos anuais com o pagamento de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida

Tanto a CPI como a Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm denunciado graves distorccedilotildees na apresentashyccedilatildeo dos dados oficiais

| A D Iacute V I D A P C B L I U A L M D [ B A rsquo pound

CUSTO ANUAL DA DIacuteVIDA ou FLUXO DE RECURSOS

Anualmente o orccedilamento geral da Uniatildeo destina ao pagamento de juros e amortizaccedilotildees da diacutevida puacuteblica a mais relevante parcela dos recursos advindos da arrecadaccedilatildeo tributaacuteria e da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

No ano de 2011 o governo federal destinou 4505 do Orccedilamento Executado para tal servishyccedilo da diacutevida puacuteblica ou seja o montante de R$ 708 bilhotildees conforme dados oficiais publicado no SIAFI - Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal retratado no graacuteshyfico anterior

Por que o governo apresenta valores menores para o custo anual da diacutevida puacuteblica

Considerando que os dados apresentados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida satildeo obtidos unicamente por meio de fontes oficiais explishycaremos a seguir os artifiacutecios que tecircm sido utishylizados pelo governo e setores da miacutedia para aliviar a apresentaccedilatildeo dos nuacutemeros da diacutevida agrave sociedade

Cabe destacar os seguintes artifiacutecios que foram denunciados pela CPI da Diacutevida Puacuteblica

Natildeo satildeo divulgados os juros nominais da divida efetivamente pagos pelo Tesouro Nacional omitindo-se a maior parcela desshyses representada pela atualizaccedilatildeo monetaacuteria medida pelo IGP-M divulgado pela Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas Divulgam apenas os juros

0 que o governo divulga a tiacutetulo de juros no SIAFI corresponde tatildeo somente agrave parcela dos juros reais ou seja agrave parcela dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M Isso leva a uma grande distorccedilatildeo na compreensatildeo geral do efetivo gasto com a diacutevida puacuteblica em comparaccedilatildeo com todas as demais rubricas orccedilamentaacuterias Enquanto o gasto com juros da diacutevida exclui a atualizaccedilatildeo todas as demais rubricas embutem eventual atualizaccedilatildeo obtida e tal parcela natildeo eacute segregada

reaisrdquo que eacute parte dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M e que se mostrou muito superior ao IPCA divulgado pelo IBGE nos uacuteltimos 15 anos

Natildeo eacute divulgada a parcela do serviccedilo da diacutevida (juros e amortizaccedilotildees) paga com os recursos obtidos pela emissatildeo e leilatildeo de novos tiacutetulos sob a justificativa de que se trata de mera rola- gem ou refinanciamento

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica constatou e denunciou a contabilizaccedilatildeo irregular que tem considerado como amortizaccedilatildeo da diacutevida a parcela correspondente agrave atualizaccedilatildeo monetaacuteria e que na realidade eacute parte integrante dos juros nominais e natildeo da amortizaccedilatildeo do principal

Qualquer pessoa que jaacute assumiu alguma diacutevida sabe que a atualizaccedilatildeo monetaacuteria eacute parte integranshyte da remuneraccedilatildeo ou seja dos juros nominais

Diante disso para se obter o valor efetivo do gasto anuat com a diacutevida haacute que se incluir tamshybeacutem o valor que tem sido informado como mera rolagem ou refinanciamento pois nessa rubrica

estaacute incluiacuteda grande parte dos juros da diacutevidaEm 2011 o gasto total com a diacutevida puacuteblishy

ca brasileira somou R$ 708 bilhotildees conforme demonstramos

Outra razatildeo fundamental para computar a atualizaccedilatildeo monetaacuteria como remuneraccedilatildeo da divida estaacute relacionada com a utilizaccedilatildeo de um mesmo criteacuterio para a apresentaccedilatildeo dos dados do orccedilamento executado

Se natildeo for computada a atualizaccedilatildeo monetaacuteria (que eacute parte dos juros nominais) como gastos com a diacutevida puacuteblica haveraacute uma completa distorccedilatildeo na comparaccedilatildeo entre os gastos com a diacutevida e todos os demais gastos orccedilamentaacuterios

Isso porque todas as demais rubricas represhysentadas no orccedilamento - gastos com pessoal previdecircncia serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo etc - englobam a respectiva atualizaccedilatildeo monetaacuteria ou seja quando se obteacutem alguma reposiccedilatildeo infla- cionaacuteria nos salaacuterios dos servidores no vaiacuteor das aposentadorias ou em benefiacutecios sociais e outros serviccedilos puacuteblicos tal reposiccedilatildeo compotildee o valor de tal gasto refletido no Orccedilamento da Uniatildeo

Diante disso para que haja uma compatibishylidade entre todas as rubricas orccedilamentaacuterias o gasto efetivo da diacutevida que deveria constar no orccedilamento seria o valor dos juros nominais e natildeo somente os juros reaisrdquo (que superam a inflaccedilatildeo como tem constado de estatiacutesticas oficiais

ESTOQUE DA DIacuteVIDAO estoque da Diacutevida Interna alcanccedilou em

dezembro2011 o valor de R$ 253606558601768 (2 TRILHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586

MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)30 estoque da Diacutevida Externa alcanccedilou na

mesma dataUS$ 40238510282823 ou seja mais de 402 BILHOtildeES de doacutelares que

corresponde a cerca de R$ 692 bilhotildees consideshyrando-se a taxa de conversatildeo de R$ 1724

Portanto em dezembro2011 o estoque da diacutevida brasileira alcanccedilou

R$ 322816796288224 (3 TRILHOtildeES 228 BILHOtildeES 167 MILHOtildeES 962 MIL 882 REAIS E 24 CENTAVOS) que corresponde a 78 do P)B

3 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNota6conNI201201pfp iacuteipgt - Quadro 354 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNataEconNI20120l5ep zipgt - Quadros 51 e51 A

23A D I V i D A P Uacute B L I C A LM D E B A E Caderno de estudos

30Caderno de estudos

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais desta camos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida LiacutequidaComparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequiacutedaPIB

Exclusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liquida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico peias seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais) mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Aiacute estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aleacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos 0 acuacutemulo elevado de reservas inter nacionais tem provocado enorme custo ao Pais devido a essa disparidade de rendimentos

0 termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a diacutevida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequidardquo tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

| A D V I D A P Uacute B L I C A E V Q Iacute E A T L

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de priva- tizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

O governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo otildenus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros altiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequida com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPlB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequida Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paises praticam taxas muitas vezes menores5 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwhra5ileconomicocombrpagjnastaxas -de-juros_81htmlgt

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais destashycamos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida Liacutequida

Comparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequidaPIB

Exciusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liacutequida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico pelas seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Ai estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aieacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos O acuacutemulo elevado de reservas intershynacionais tem provocado enorme custo ao Paiacutes devido a essa disparidade de rendimentos

O termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a divida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequida tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

30Caderno de estudos 1 A DIacute V I DA r C S L CA f m D E B A T E

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de privashytizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

0 governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo ocircnus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros aftiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequidardquo com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPIB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequidardquo Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paiacuteses praticam taxas muitas vezes menores1 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwbrasileconomicocom brpagmast5yas- -de-juros_81htmtgt

EXCLUSAtildeO DA PARCELA REFERENTE Agrave DIacuteVIDA EXTERNA PRIVADA

0 estoque da diacutevida externa jaacute atingiu US$ 402 bilhotildees6e indui a diacutevida externa privada

pois a mesma envolve uma obrigaccedilatildeo do Estado O governo costuma divulgar um montante

bem menor de diacutevida externa A partir de 2001 a pretexto de adotar metodologia recomendada pelo FMI os dados da diacutevida externa passaram a ser divulgados sem os chamados empreacutestimos intercompanhias ou seja os empreacutestimos devishydos por multinacionais a suas matrizes no exterior

Dessa forma o dado divulgado pelo governo ao puacuteblico exclui parte da diacutevida externa contraiacuteda pelo setor privado ou seja devida por empresas e instituiccedilotildees do setor privado e natildeo pelo Estado

Cabe ressaltar inicialmente que apesar de parte da diacutevida externa ter sido de fato contrashyiacuteda por instituiccedilotildees do setor privado eacute o Estado o responsaacutevel por fornecer a moeda estrangeira para os devedores privados pagarem suas diacutevishydas ao exterior Para obter essa moeda estranshygeira o Estado se submete agrave adoccedilatildeo de poliacuteticas nocivas a fim de atrair capitais ao Paiacutes tais como altas taxas de juros acordos com o FMI (cujas imposiccedilotildees continuam presentes) e total libershydade de movimentaccedilatildeo de capitais financeiros Essas medidas afetam toda a economia do Paiacutes

Adicionalmente as investigaccedilotildees tecircm revelado que nas uacuteltimas deacutecadas diacutevidas do setor privado foram reiteradas vezes transferidas para o setor puacuteblico Por isso entendemos que deve ser comshyputado no montante da diacutevida externa tanto as diacutevidas contraiacutedas peio setor puacuteblico como pelo setor privado

AUSEcircNCIA DE TRANSPAREcircNCIA

A s divergecircncias na apresentaccedilatildeo tanto do estoque como do fluxo de gastos com a diacutevishy

da demonstram que natildeo tem sido devidamente respeitado o princiacutepio da TRANSPAREcircNCIA que deve reger todo ato do setor puacuteblico

Por isso a sociedade brasileira que paga essa elevada conta da diacutevida puacuteblica deve exigir mais

6 Verquadro5S1 e 51-Ada planilha do Banco Central disponiacuteveis no link lthttpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201112sepzipgt

transparecircncia dos dados relacionados ao endivishydamento puacuteblico brasileiro pois este tem absorshyvido a maior parte dos recursos orccedilamentaacuterios sacrificando toda a populaccedilatildeo e comprometen do o futuro do Paiacutes

A transparecircncia eacute um princiacutepio consagrado na Constituiccedilatildeo Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que todas as despesas e receitas da gestatildeo fiscal sejam publicadas de forma transshyparente e com amplo acesso puacuteblico

Portanto eacute nosso DIREITO ter acesso a todas as informaccedilotildees relacionadas com o endividamento puacuteblico

Como vimos a diacutevida brasileira jaacute supera os R$ 3 TRILHOtildeES e consome quase a metade dos recursos do Orccedilamento da Uniatildeo

COMO CHEGAMOS A ESTE PONTOA recente CPI da diacutevida Puacuteblica jogou luzes sobre este processo

A Diacutevida Puacuteblica Brasileira cresceu em decorshyrecircncia de mecanismos meramente finanshy

ceiros sem contrapartida em bens e serviccedilos ao Paiacutes e tambeacutem em decorrecircncia de operaccedilotildees obscuras

A histoacuteria da diacutevida tem sido uma verdadeira caixa preta

A Auditoria Cidadatilde da Diacutevida e entidades da sociedade civil participaram ativamente da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) da Diacutevida Puacuteblica e tiveram acesso a documentos que comeccedilam a jogar luzes sobre nossa histoacuteriaAgora as investigaccedilotildees devem ser aprofundadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico

A CPI da Diacutevida foi uma iniciativa do Deputado Federal Ivan Valente (PSOL-SP) e funcionou de agosto de 2009 a maio de 2010 A coordenadoshyra da Auditoria Cidadatilde da Diacutevida - Maria Lucia Fattorelli - foi requisitada para assessorar tecnishycamente a CPI devido agrave experiecircncia adquirida durante a auditoria oficial da diacutevida do Equador trabalho para o qual tambeacutem foi designada cujo relatoacuterio embasou ato soberano do Presidente Rafael Correa que anulou 70 da diacutevida externa equatoriana em tiacutetulos possibilitando aumento de investimentos sociais principalmente em sauacutede e educaccedilatildeo novas rodovias e o resgate da cidadania

31A 0 v I C A P Uacute B I C A E W 3 E S A T F | Caderno de estudos

No Brasil a CPI tambeacutem indicou documentos e provas de ilegalidade e ilegitimidade tanto da divida externa como da diacutevida interna como veremos a seguir Um dos mais importantes instrumentos

de investigaccedilatildeo por parte do Congresso Naciona eacute a Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) a qual tem forccedila investi- gativa proacutepria de autoridades judiciais

O QUE Eacute CPI

Nos capiacutetulos seguintes apresentaremos um breve histoacuterico da diacutevida externa a partir dos anos1970 e da diacutevida interna a partir do Plano Real em 1995 ambas ateacute os dias atuais Esses marcos iniciais foram os periacuteodos estabelecidos tambeacutem pela recente CPI da Diacutevida Puacuteblica

A D IacuteV IacuteD A tem im p e d id o a v id a d ig na e o a te n d im e n to aos d ire ito s h um an os

bull De onde veio essa diacutevida

bull Quanto tomamos emprestado e quanto jaacute pagamos

bull O que realmente devemos

Quem contraiu empreacutestimos

bull Onde foram aplicados os recursos

bull Quem se beneficiou

Qual a responsabilidade dos credores e organismos internacionais nesse processo

ldquoA vida sem luta eacute um mar morto no centro do organismo universal

M A C H A D O D E A S S I S

32Caderno de estudos | A d iacute v i d a p uacute b l i c a E m D E b a t F

C A P Iacute T U L O

DIVIDA EXTERNAA recente CPi da Diacutevida Puacuteblica realizada na

Cacircmara dos Deputados (20092010) teve acesso a documentos relacionados ao processhysos de endividamento externo desde 1970 Apesar das limitaccedilotildees da CPI as investigaccedilotildees revelaram importantes fatos que reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa audishytoria dessa diacutevida

O periacuteodo coincide com o fim da paridade doacutelar-ouro nos Estados Unidos anunciada em1971 o que permitiu a emissatildeo de grandes volushymes de doacutelares que foram entregues ao sistema bancaacuterio e por meio deste ofertados sob a forshyma de empreacutestimos que apresentavam taxas de juros aparentemente reduzidas de 5 a 6 ao ano devido ao excesso de moeda

Diacutevida Externa (US$ bilhotildees)

- r N m ^ m 0 M raquo Iacute J O - ( N r 0 ^ ^ v D N C 0 a O - f N n n T r i n 0 M X 3 0 O gt - r N f n r f lsquo i n 0 N C Ocirc 0 O f r s N N N N r s N r s r ^ c o c c c o a o c o c o c o a o o o o o o a rsquogt lt ^ lt T lt a G gt o gt C gt lt ^ lt ^ o o o o o o o o o O mdash r ~raquomdash i-rgpjrsoifSiNfNfSfMlNfN^

Fonte httpwwwbcbgQvbrftpNotaEconNI20l201sepzip - Quadros 51 e 51-A

DECADA DE 1970

A CPI comprovou que a diacutevida externa atua se originou na deacutecada de 1970 em plena ditashy

dura militar periacuteodo em que comeccedilou a crescer aceleradamente

0 primeiro aspecto da diacutevida externa brasileishyra a ser ressaltado eacute a contrataccedilatildeo por atos de governos ilegiacutetimos de vultosos compromissos natildeo transparentes

Essas taxas de juros eram flutuantes e variavam de acordo com as taxas de juros internacionais (Prime e Libor) que vinham de longo periacuteodo em que se mantinham baixas Aleacutem das taxas de juros os bancos cobravam outras taxas onerosas de compromisso de contrataccedilatildeo de agente de creacutedito enfim uma infinidade de taxas

Havia tambeacutem forte componente de diacutevidas contratadas pelo setor privado que utilizava o

3 3a d iacute v i d a P Uacute B L I C A EM D r R A T E I Caderro de estudos

endividamento como forma de especulaccedilatildeo financeira O setor privado que tinha acesso a creacuteditos externos no iniacutecio da deacutecada de 1970 era composto principalmente por bancos e empresas privadas inclusive multinacionais e estrangeiras instaladas no Paiacutes

Tanto o setor privado como o setor puacuteblico tomaram empreacutestimos externos junto a grandes bancos privados internacionais devido agrave grande oferta de creacuteditos com taxas baixas vinculadas agraves taxas de juros internacionais (Prime e Libor) Essas taxas eram controladas pelos proacuteprios bancos credores que compunham o FED (Federal

Reserve Bank Banco Central Norte-americano que eacute totalmente privado controlava a Prime) e a Associaccedilatildeo de Bancos Privados de Londres (que determinava a Libor) A partir de 1979 essas taxas saltaram de 5 ou 6 ao ano para 205

O graacutefico a seguir mostra o comportamento idecircnshytico das duas taxas demonstrando a conexatildeo entre os bancos privados internacionais que as ditavam

Sob pressatildeo diante da crise em 1982 surge o FMI exigindo que o Banco Central realizasse acordos com os bancos privados internacionais por meio dos quais assumiu tanto a diacutevida externa puacuteblica como tambeacutem a diacutevida externa privada Ao messhymo tempo houve forte pressatildeo dos credores que faziam parte da instituiccedilatildeo informal denominada Club de Paris para que o Brasil firmasse o tal acordo com a banca privada internacional Essa pressatildeo conjunta e articulada de credores configura clashyramente a ausecircncia de equiliacutebrio entre as partes

A CPI da Diacutevida denunciou que agrave eacutepoca da assinatura dos acordos com os bancos privados em 1983 a legislaccedilatildeo natildeo permitia consolidaccedilotildees e refinanciamentos de creacuteditos externos Aleacutem disso tais acordos continham inuacutemeras claacuteusulas ilegais e abusivas que natildeo chegaram a ser apro vadas pelo Congresso Nacional

Haacute fortes indiacutecios de nulidade nessa transfeshyrecircncia de diacutevida para o Banco Central que na deacutecada seguinte em 1994 foi transformada nos

Taxas de Juros - Libor e Prime25000

0000rmdash 3-o p laquomdash r i

r-o rOv

oo

o

o

pO

OcShvO

p00

O Ornoo 3-oo

CTS

OCO

CCOo

DEacuteCADA DE 1980

A elevaccedilatildeo brutal das taxas de juros internashycionais Prime e Libor impactou seriamente

os compromissos externos antes assumidos e a diacutevida se multiplicou provocando uma grande crise a partir de 1982

3 4Caderno de estudos I a d v i d a h j B i i c a e m D E B A T E

denominados bocircnus Brady tiacutetulos que depois serviram como moeda para comprar as empreshysas estrateacutegicas e lucrativas submetidas ao proshycesso de privatizaccedilatildeo a partir de 1996

A interferecircncia direta do FMI em assuntos intershynos do Paiacutes desde 1983 exigiu a implantaccedilatildeo de

medidas nefastas agrave economia brasileira Tal fato aliado a onerosas condiccedilotildees dos acordos da diacutevida externa que transferiram o ocircnus de diacutevidas puacuteblishycas e privadas a cargo do Banco Central agravashyram ainda mais a situaccedilatildeo do endividamento brasileiro e paralisaram o Paiacutes Por isso a deacutecada de 1980 ficou conhecida como deacutecada perdida

CAacuteLCULO DO IMPACTO PROVOCADO PELA ELEVACcedilAtildeO UNILATERAL DAS TAXAS DE JUROS

O impacto da elevaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais sobre a evoluccedilatildeo da

diacutevida externa brasileira foi impressionante como retrata o graacutefico a seguir

de US$ 223 bilhotildees cujo ressarcimento deve ser exigido pelo Brasil

INTERFEREcircNCIA DO FMI

Desde o primeiro acordo do Brasil com o FMI em 1983 esse organismo passou a exercer nefasta interferecircncia em assuntos internos do

Paiacutes agindo sempre em defesa dos bancos prishyvados internacionais

O poder do FMI no Paiacutes era impressionanshyte determinando o caminho a ser trilhado por nossa economia exigindo privatizaccedilotildees impondo draacutesticos ajustes fiscais que impedishyram investimentos e representaram imensos cortes nos gastos sociais suprimindo-se direitos

Diacutevida Externa Total (Puacuteblica e Privada) - US$ bilhotildees

Fonte Nota Teacutecnica DEPEC - 200924S Dados disponiacuteveis no Anexo II agrave Anaacutelise Prefiminar N2 5 da CPI da Diacutevida Puacuteblica

A linha azul do graacutefico acima mostra o impacshyto da alta unilateral e ilegal das taxas de juros nternacionais pelos bancos credores dos Estados Unidos e da Inglaterra a partir de 1979

A linha vermelha pontilhada demonstra a evo- jccedilatildeo da diacutevida externa brasileira caso os juros ivessem sido mantidos em 6 ao ano Constata-se que os pagamentos realizados no periacuteodo teriam sido suficientes para pagar toda a diacutevida externa e o Brasil ainda teria valores a serem ressarcidos

Esses caacutelculos indicaram um dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico calculado agrave eacutepoca da CPI de cerca

sociais baacutesicos agravando-se o desemprego e a miseacuteria

Devido agrave grande influecircncia do FMI consolidou- -se a crenccedila popular generalizada de que aqueshyle organismo seria o principal credor da diacutevida externa brasileira

A CPI provou que os credores privilegiados de sempre eram na realidade os grandes bancos privados internacionais como indica a aacuterea em vermelho no graacutefico a seguir A parcela da diacutevida externa com o FMI correspondia agrave linha verde do mesmo graacutefico

ft D i V I A D 8 L I S A EM D Z B

3 5Caderno de estudos

Diacutevida Externa Registrada no Banco Centrai - US$ bilhotildees - 1969 a 1994140

120

100

80

60

40

20

O ^ O i mdash r 4 r i 3 - in i1o r - o o c j copy mdash r N n n ^ - i n v O r x o O t T ^ O raquo mdash rvjco^j- gt C ) r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ - f ^ - r - r ^ i - ^ c c c o c o c o c o o o c o c o c x D c 3 0 c r C T raquo c j N Ov ogtO CTt CJn CT CTgt G ltTraquo O1 CT lt7 OS O CT O Q (J J Otilde QN ltJ Q Otildegt

Fonte Relatoacuterios Anuais do Sanco Central disportibilizados aacute CPI da Diacutevid3Nota Os ldquoEmpreacutestimos em Moeda indicados em vermelho ntgt graacutefica correspondem aos empreacutestimos junto a bancos comerciais sendo que a maioria corresponde a bancos privados internacionais

Interessante observar que a crise financeira

de 1982 foi provocada pelos grandes bancos

privados internacionais que promoveram a eleshy

vaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais (Libor e Prime) sendo que alguns anos antes

eles mesmos haviam seduzido os paiacuteses latino-

-americanos mediante a oferta de empreacutestimos

aparentemente baratos A crise financeira abriu caminho para a atuaccedilatildeo do FM impondo draacutestishy

cos ajustes fiscais que geraram sacrifiacutecios sociais

cortes de direitos privatizaccedilotildees etc

Eacute importante estabelecer um paralelo entre

esses fatos histoacutericos e a atual crise financeira

deflagrada em 2008 nos EUA e Europa que

tambeacutem foi provocada por atitudes dos grandes

bancos privados internacionais Eles emitiram

grande quantidade de derivativos sem lastro e

corriam risco de quebra tendo sido salvos pelas

naccedilotildees do Norte que logo em seguida se viram

em profunda crise Instalada a crise novamente

surge o FM agora na Europa impondo poliacuteticas

idecircnticas as que foram impostas agrave Ameacuterica Latina

na deacutecada de 1980

ESFORCcedilOS DE INVESTIGACcedilAtildeO DA DIacuteVIDA EXTERNA NA DEacuteCADA DE 1980

A crise da diacutevida externa vivida na deacutecada de 1980 foi tatildeo grave que diversas comissotildees

parlamentares dedicaram importantes esforccedilos no sentido de investigar as reais razotildees da crise e do espantoso crescimento da diacutevida externa brasileira

A primeira tarefa teacutecnica realizada a fim de assessorar a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica na Cacircmara dos Deputados consistiu em resgatar os relatoacuterios das referidas comissotildees anteriores pois suas apuraccedilotildees devem ser conhecidas natildeo soacute pelos parlamentares mas por todos os brasileiros conforme resumo a seguir

COMISSAtildeO PARLAMENTAR DE INQUEacuteRITO-CAcircMARA DOS DEPUTADOS1983

No ano de 1984 foi aprovado o relatoacuterio final da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito reashylizada na Cacircmara dos Deputados O documento

apontou graves indiacutecios de irregularidades ilegashylidades aleacutem dos previsiacuteveis e graves riscos que

36Caderno de estudos I A D IV r D A deg uacute 6 _ i C A EM U E R A r iacute

Comissatildeo Parlamentares e Resultado

CPI da Cacircmara dos Deputados destinada a apurar as causas Presidente Dep Alencar Furtadoe consequecircncias da divida brasileira e o Acordo com o FMI Relator Dep Sebastiatildeo Ne ryInstituiacuteda pelo Requerimento Ndeg 883 Instalada em 16081983 Relatoacuterio Final aprovado em setembro de 1984

Comissatildeo Especial do Senado Federal para a Diacutevida Externa destinada a ldquoexaminar a questatildeo da divida externa brasileira e avaliar

as razotildees que levaram o Governo a stspendero pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno Instituiacuteda pelo Requerimento ns 17 de 1987 Instalada em 14041987

Comissatildeo Mista destinada ldquoao exame analitico epericial dos atos e

fatos geradores do endividamento brasileiro para cumprir a missatildeo

constitucional -Ari 26 do Ato das Disposiccedilotildees Constitucionais

Transitoacuterias Instalada em 11041989

Presidente Senador Carlos ChiarelliacuteRelator Senador Fernando Henrique CardosoRelatoacuterio Final aprovado em 23 de agosto de 1989

Presidente Dep Waideck OrneiasRelator Senador Severo GomesRelatoacuterio Parcial aprovado em 9 de agosto de 19B9

Relator Dep Luiz SalomatildeoParecer Final apreciado em 5 de setembro de 1989NAtildeO VOTADO

ps contratos de endividamento externo represenshytavam para a soberania nacional Adicionalmente histoacuterico relatoacuterio final de autoria do Deputado ederal Sebastiatildeo Nery (PDT-RJ) evidenciou a oratica dos seguintes crimes

Violaccedilatildeo da competecircncia exclusiva do Congresso Nacional para ratificar ou rejeitar convenccedilotildees e atos internacionais praticados pelo Presidente da Repuacuteblica

bull Crime de responsabilidade contra a guarda e legal emprego de dinheiro puacuteblico (realizaccedilatildeo de despesas e contraccedilatildeo de empreacutestimos sem autorizaccedilatildeo legal)

diams Crime de responsabilidade contra a existecircncia da Uniatildeo cometido peio Presidente da Repuacuteblica e por ministros de Estado por violaccedilatildeo da vedashyccedilatildeo constitucional agrave celebraccedilatildeo de tratados que comprometam a dignidade da naccedilatildeo

1 Desrespeito aos princiacutepios constitucionais impliacuteshycitos da inalienabiiidade imprescritibilidade e impenhorabiiacuteidade do patrimoacutenio puacuteblico

Crime de responsabilidade contra a seguranccedila interna do Pais ao admitir a daccedilatildeo de bens do patrimoacutenio puacuteblico em garantia antecipada

bull Abdicaccedilatildeo da soberania nacional em favor das orientaccedilotildees do Fundo Monetaacuterio Internacional

Apesar dessas graves conclusotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi levada a cabo

COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL1987

Em 1987 o Senado Federal instalou a Comissatildeo Especial para a Diacutevida Externa destinada a

examinara questatildeo da diacutevida externa brasileira e avaliar as razotildees que levaram o governo a susshypender o pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno

O relator foi o entatildeo senador Fernando Henrique Cardoso (PMDB-SP) que em seu relashytoacuterio reiterou a necessidade de enfrentamento do problema do endividamento externo tendo em vista as graves irregularidades verificadas dentre as quais destacamos praacutetica do anato- cismo alta unilateral de juros corresponsabili- dade dos credores ilegalidades na negociaccedilatildeo da diacutevida falta de transparecircncia negociaccedilotildees sigilosas interferecircncia direta do FMI articushylaccedilatildeo de credores (FMI Club de Paris Comiteacute Assessor dos Bancos Privados) elevados custos sociais da diacutevida externa existecircncia de custos injustificaacuteveis estatizaccedilatildeo de diacutevidas privadas exportaccedilatildeo de capitais nacionais utilizaccedilatildeo deliberada de empresas estatais para obtenshyccedilatildeo de empreacutestimos no exterior desequiliacutebrio contratual das partes negociantes pulverizaccedilatildeo de credores e dificuldade de controle por parte do Banco Centrai comprovaccedilatildeo do reduzido do valor da diacutevida no mercado secundaacuterio o que natildeo foi levado em conta nas negociaccedilotildees entre outras

3 7n V I DA P J B L l C A CM D t E A T F | Caderno de estudos

Cade

Cabe ressaltar trecho do relatoacuterio apresentado por FHC que daacute notiacutecia sobre a poleacutemica negociashyccedilatildeo da diacutevida externa que envolveu dezenas de bilhotildees de doacutelares - cerca de US$ 60 bilhotildees - e que foi a base para a transformaccedilatildeo da diacutevida externa contratual em bocircnus Brady em 1994

O ACORDO PLURIANUAL DE 1988

No dia 6 de junho de 1988 quando a gestatildeo

Mailson da Noacutebrega mal tinha completado 6

meses o governo brasileiro assinou o Term

Sheet do acordo provisoacuterio de renegociaccedilatildeo

da diacutevida externa Ao mesmo tempo em

que o protocolo da negociaccedilatildeo era mantishy

do em absoluto o governo fazia publicar

uma Nota Oficial de tom autocongratula- toacuterio descrevendo a renegociaccedilatildeo preliminarshy

mente concluiacuteda como a melhor jaacute obtida por

um paiacutes devedor

Diante da insistente recusa das autoridashy

des oficiais o Presidente da Comissatildeo

teve de recorrer a contatos no exterior

para obter as informaccedilotildees que lhe eram

sonegadas dentro do Paiacutes O Term Sheet

chegaria agraves matildeos do Senador Carlos Chiarelli

por canais extraofidais no iniacutecio de julho Os

documentos oficiais foram entatildeo submetishy

dos a uma anaacutelise teacutecnica que constatou

estarem sendo incompletas imprecisas e

exageradamente otimistas as apreciaccedilotildees

sobre o acordo publicadas na Nota Oficial

Foram encontrados erros e omissotildees relashy

cionados aos seguintes toacutepicos do acordo

()

Como conclusatildeo pode-se dizer que os frutos

da negociaccedilatildeo dita realista e profissional

conduzida pelo Ministro Mailson da Noacutebrega

foi um dos mais draconianos acordos de

renegociaccedilatildeo jaacute realizados por uma naccedilatildeo

devedora nesta deacutecada Como evidecircncia

das distorccedilotildees do acordo podem ser citados

os lucros recordes auferidos pelos grandes

bancos em 1988 que segundo estimatishy

vas divulgadas pelo Wall Street Journal

teriam atingido a fantaacutestica cifra de US$

16 bilhaacuteo soacute com o acordo da divida brashysileira Quanto ao paiacutes devedor durante

os poucos meses em que o governo Sarney

consegui j cumprir parcialmente as sufocantes

disposiccedilotildees contratuais do acordo a econoshymia mergulhou em recessatildeo acompanhashy

da da maior inflaccedilatildeo de sua histoacuteria O

acordo de reescalonamento de 1988 previsto

para abranger um periacuteodo de sete anos na

praacutetica concedera menos do que um ano de

focirclego agrave economia brasileira Decorridos quashy

tro meses da assinatura o Ministro Mailson jaacute

admitia oficialmente a necessidade de contrair

empreacutestimos adicionais e suspender o relen-

ding rsquo e a conversatildeo Decorridos 9 meses o

Brasil voltava a atrasar os pagamentos da

divida externa entrando novamente em

moratoacuteria (Paacutegina 166)

Diversos autores mencionam que a referida negociaccedilatildeo teria ocorrido em 23091988 mas a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos Deputados teve acesso a documenshytos que comprovam que tal negociaccedilatildeo teria se concluiacutedo somente em 1989 portanto apoacutes a promulgaccedilatildeo da Constituiccedilatildeo Federal

Outros trechos do Relatoacuterio apresentado por FHC tambeacutem merecem destaque

TRECHOS DO RELATOacuteRIO FINAL DA COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL (1987)

RELATOR SEN FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Como os deacutebitos externos brasileiros haviam sido contratados basicamente a taxas de juros flutuanshytes o choque dos ju ros provocou uma el evaccedilatildeo da diacutevida sem contrapartida real de bens e serviccedilos A partir desse momento a diacutevida externa brasileira assume um caraacuteter eminentemente financeiro os novos empreacutestimos na verdade sacirco obtidos para rolar em grande medida e a niacutevel agregado os juros e as amortizaccedilotildees

lsquoA partir de 1983 a questatildeo da divida adquire nova dimensatildeo Segundo a Programaccedilatildeo do 5etor Externo PSE) submetida pelo Brasil aos banqueiros em Nova York em dezembro de 1982 a economia brasileira eacute direcionada para a obtenccedilatildeo de US$6 bilhotildees de superaacutevit comercial com uma previshysatildeo de deacuteficit em transaccedilotildees correntes de US$65 bilhotildees Como os juros dos deacutebitos externos previsshytos para 1983 estavam na casa dos US$10 bilhotildees fica daro que a partir desse momento o Brasii marchava para a chamada ldquotransferecircncia liacutequida de

38^arjprnn de estudos | A D v I 0 a P Uacute B L I C A F V D E = a t e

recursos reais para O exterior com o fim especiacutefico de servir aos credores externos

Do ponto de vista dos credores o Brasil teve um excelente desempenho dos US$6 bilhotildees de supeshyraacutevit comercial de 1983 passou a US$13 bilhotildees em 1984 e dessa forma cobriu os juros devidos Internamente poreacutem a recessatildeo foi profunda e com custos sociais elevadiacutessimos estima-se que cerca de 5 milhotildees de trabalhadores do setor formal foram lanccedilados no desemprego Foi seguramente a recessatildeo mais violenta da economia brasileira

A situaccedilatildeo que ora vivemos - arrocho salarial direto dos trabalhadores no setor puacuteblico e indi- reto de toda a forccedila de trabalho (via eliminaccedilatildeo do subsiacutedio do trigo por exemplo sem qualquer poliacutetica de renda compensatoacuteria) submissatildeo da poliacutetica econoacutemica agraves regras e monitoramento do FMI acomodaccedilatildeo aos interesses dos grandes bancos internacionais etc - natildeo passa de uma encenaccedilatildeo da inequiacutevoca demonstraccedilatildeo da falta de governo no Paiacutes Natildeo eacute a toa que os banqueishyros acenaram com o possiacutevel reescalonamento do principal da diacutevida para 20 anos 8 de carecircncia etc mas no essencial - refinanciamento de juros taxas de juros spread descontos monitoramento etc- natildeo cederam um miliacutemetro e se fixaram nos refishynanciamentos de parcela dos iuros (50) apenas para este ano (1987 foi o ano da moratoacuteria e o juro teraacute que ser refinanciado de fato pois o Pais natildeo tem caixa para pagaacute-lo) Em suma o horizonte em todas as frentes sobre o Paiacutes (aqui e no exterior) natildeo passa de 1988 eacute o sinal do limite

Registra-se a preocupaccedilatildeo de muitos dos Senadores com a questatildeo da legitimidadeda divida- posto que os contratos satildeo leoninos e foram feitos agrave revelia do Congresso Nacional - e com a questatildeo da jurisdiccedilatildeo

Os tiacutetulos da diacutevida dos paiacuteses passam a ser negociados com um desaacutegio crescente no chashymado mercado secundaacuterio sinalizando que parshycela da divida natildeo teria condiccedilotildees de ser pagaOs bancos aumentam suas reservas antecipando possiacuteveis ltperdasgtrsquorsquo

Embora o relator tenha ocupado a Presidecircncia da Repuacuteblica do Brasil durante dois mandatos- oito anos portanto nenhuma das irregu- laridades apontadas em seu relatoacuterio quando senador chegou a ser enfrentada Pelo contraacuterio o endividamento puacuteblico tanto interno quanto externo agravou-se apesar da privatizaccedilatildeo de cerca de 70 do patrimoacutenio puacuteblico nacional sob a justificativa de pagar a diacutevida

Constituiccedilatildeo Federal

A Constituiccedilatildeo de 1988 inseriu a previsatildeo de realishyzaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externaConstituiccedilatildeo Federal ADCT

ldquoAn 26 No prazo de um ano a contar da promulgashy

ccedilatildeo da Constituiccedilatildeo o Congresso Nacional promoshy

veraacute atraveacutes de Comissatildeo mista exame analitico e

pericial dos atos e fatos geradores do endividamento

externo brasileiro

Aleacutem disso a Constituiccedilatildeo Federal determinou taxativamente que os contratos de endividamento externo deveriam ser submetidos agrave aprovaccedilatildeo pelo Senado Federal

Constituiccedilatildeo Federal

Art 52 Compete privativamente ao Senado Federal

U

V - autorizar operaccedilotildees externas de natureza finanshy

ceira de interesse da Uniatildeo dos Estados do Distrito

Federal dos Territoacuterios e dos Municiacutepiosrdquo

Tal dispositivo indica que a vultosa negociaccedilatildeo concluiacuteda somente em 1989 seria completamente NULA pois natildeo foi autorizada pelo Congresso Nacional que sequer teve acesso aos termos da negociaccedilatildeo conforme constou do relatoacuterio apreshysentado por FHC cujo trecho foi antes transcrito

Comissatildeo Mista do Congresso Nacional1989

No ano de 1989 mais uma vez o Congresso Nacional debruccedilou-se sobre os contratos de endishyvidamento externo brasileiro aleacutem de planilhas de caacutelculo elaboradas pelo Banco Central para mais uma vez descobrir fraudes diversas dentre elas a renuacutencia agrave soberania pelo governo brasileishyro Ou seja mais uma revelaccedilatildeo de NULIDADE mas ainda assim a diacutevida continuou sendo paga e reciclada em negociaccedilotildees cada vez mais onerosas para o Paiacutes

Trecho do relatoacuterio apresentado pelo senashydor Severo Gomes que fez importante anaacutelise juriacutedica dos acordos merece ser destacado para conhecimento por todos os brasileiros O trecho a seguir se referia a um dos acordos celebrados pelo Banco Central com os bancos privados intershynacionais em 1982

39A D f V I 0 A P U B L I C A EM D E B A T E I Caderno de estudos

40Caderno de esludos

CLAacuteUSULA DE RENUacuteNCIA A SOBERANIA

Sem quaiquer sombra de duacutevida aqui estaacute o ponto mais espantoso dos Acordos De notar aliaacutes a grosshyseria dos credores ou a pusilanimidade dos negoshyciadores brasileiros admitindo uma claacuteusula que sobre ferir os brios nacionais eacute fundamentalmente inuacutetil no contexto da negociaccedilatildeo () Esta claacuteusula retrata um Brasil de joelhos sem brios poupados inerme e inerte imolado agrave irresponsabilidade dos que negociaram em seu nome e agrave cupidez de seus credores Poreacutem nada haacute de ser dito sobre essa nefanda claacuteusula mais expressivo do que o proacuteprio ilustriacutessimo Ministro Seabra Fagundes jaacute fez Este fato de o Brasil renunciar explicitamente a alegar a sua soberania faz deste documento talvez o mais triste da Histoacuteria poliacutetica do Paiacutes Nunca encontrei- e naacuteo sou muito ausente dos estudos da histoacuteria do Paiacutes - em todos os documentos histoacutericos do Brasil nada que se parecesse com esse documento porque renuacutencia de soberania talvez noacutes tenhamos tido renuacutencias iguais mas uma renuacutencia declarada agrave soberania do Paiacutes eacute a primeira vez que consta de uma documento para mim histoacuterico Este me parece um dos fatos mais graves de que somos contemporacircneos1

Sen Severo Gomes(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

0 relatoacuterio parcial do senador 5evero Gomes chegou a ser aprovado pelo plenaacuterio do Congresso poreacutem nenhuma de suas recomenshydaccedilotildees - que tratavam sobre o questionamento judicial da diacutevida - foram seguidas

0 segundo relator da Comissatildeo Mista Dep Luiz Salomatildeo tambeacutem apontou severas conclushysotildees dentre as quais destacamos

Factibilidade de reduzir o montante da diacutevida externa

Necessidade de deduzir do principal consignado pelos bancos que emprestaram a juros flutuanshytes o excedente avaliado em simulaccedilotildees feitas pelo Banco Central que variavam de 34 a 62 bilhotildees de doacutelares na eacutepoca

Necessidade de retomar as investigaccedilotildees e os processos judiciais tendentes a recuperar as pershydas provenientes de fraudes e negoacutecios iliacutecitos

Responsabilizar penalmente os responsaacuteveis internos e os cuacutemplices externos

Repatriar as divisas evadidas clandestinamente

I a c i v i D a p uacute b l i c a l m d e b agrave t ecirc

O relatoacuterio final sequer chegou a ser votado pela Comissatildeo Mista Levado ao plenaacuterio natildeo houve quoacuterum para a votaccedilatildeo

Manobras impediram que o relatoacuterio fosse votado na Comissatildeo Mista Sem o apoio da maioria da Comissatildeo o parecer foi levado a exame do Plenaacuterio do Congresso Os partidos majoritaacuterios na Cacircmara e no Senado optaram peia omissatildeo

Dep Luiz Salomatildeo(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

Apesar das importantes conclusotildees e graves indiacutecios de ilegalidades e nulidades apontados por todas essas comissotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi adotada e a diacutevida externa natildeo parou de crescer sendo objeto de sucessivas negociashyccedilotildees que a tornaram cada vez mais onerosa

Deacutecada de 1990Na deacutecada de 1990 no bojo do processo de

abertura econoacutemica promovido pelo governo Collor ao qual se seguiram a desestatizaccedilatildeo e a desreguiamentaccedilatildeo do mercado de capitais as insshytituiccedilotildees credoras internacionais aproveitaram-se da fragilidade e da subordinaccedilatildeo das economias nacionais para executar o chamado Plano Brady

0 engodo do Plano BradyEm 1994 o Brasil concluiu a implantaccedilatildeo do

denominado Plano BradyEsse plano significou a transformaccedilatildeo da diacutevishy

da externa com bancos privados internacionais- antes formalizada sob a forma de acordos na deacutecada de 1980 - em tiacutetulos da divida externa

Foram emitidos sete tipos de tiacutetulos da diacutevida externa em troca da diacutevida anterior e de juros vencidos em montante estimado em US$ 51 bilhotildees na eacutepoca

Natildeo haacute transparecircncia em relaccedilatildeo ao deta- Ihamento das diacutevidas objeto de conversatildeo Tal negociaccedilatildeo tal como as da deacutecada de 1980 tambeacutem natildeo levou em consideraccedilatildeo o valor de mercado da diacutevida anterior (de cerca de 20 do valor nominal conforme constou de acoacutershydatildeo do TCU) nem as ilegalidades que haviam sido arguidas por comissotildees parlamentares

anteriores e ainda exigiu a compra de garantias colaterais (tiacutetulos do Tesouro norte-americano de cerca de US$ 39 bilhotildees)

Caso fosse considerado o valor de mercado da diacutevida externa anterior o resultado do Plano Brady pode ser resumido da forma retratada no graacutefico a seguir

novos bocircnus ou tiacutetulos A transformaccedilatildeo de juros vencidos em tiacutetulos eacute uma comprovaccedilatildeo expliacutecita de anatocismo (juros sobre juros) conshysiderado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

A operaccedilatildeo de troca da diacutevida por bocircnus natildeo significou ingresso de recursos para o Paiacutes pois constituiu mera troca e foi feita em Luxemburgo

A renegociaccedilatildeo Brady aumentou a diacutevida (US$ bilhotildees)60

50

40

30

20

10

Valor da diacutevida em mercado Bocircnus Brady emitidos

Fonte Paulo Nogueira Batista Jr e Armeacutenio de Souza Rangel A Renegociaccedilatildeo da Diacutevida Externa Brasileira e o Plano Brady Avaliaccedilatildeo de aSguns dos principais resultados paacuteg 15 e 18 e Ceres Aires Cerqueira Diacutevida Externa Brasileira paacutegs 65122123 e 124

Evidencia-se um tremendo prejuiacutezo ao Paiacutes Apesar disso o discurso oficiai e da grande miacutedia na eacutepoca foi de que o Brasil obteve um importanshyte desconto nessa negociaccedilatildeo Trata-se de mais ri forte indiacutecio da necessidade de realizaccedilatildeo de Buditoria pois os tais bocircnus Brady serviram como T io e d a para a compra das estatais privatizadas

atilde partir de 1996 Dessa maneira ao mesmo tempo em que entregaacutevamos nosso patrimoacutenio aumen- iacuteavamos a lesatildeo ao eraacuterio

A negociaccedilatildeo Brady tambeacutem natildeo levou em snsideraccedilatildeo as recomendaccedilotildees das Comissotildees iHamentares do Congresso Nacional portan- to a nova diacutevida dos bocircnus Brady tambeacutem pode ter sua legitimidade e legalidade questionadas

O Plano Brady foi aplicado em 22 paiacuteses onsiderados subdesenvolvidos e trocou tanto 3 diacutevida anterior como os juros vencidos por

conhecido paraiacuteso fiscal como uma oferta privashyda sem registro na SEC (Securities and Exchcmge

Comission dos Estados Unidos da Ameacuterica) e natildeo atendeu agraves exigecircncias da Lei de Vatores de 19337 para uma oferta puacuteblica nos Estados Unidos Ou sej^ fQi uma operaccedilatildeo repleta de irregularidades

A nova^ao -^transformaccedilatildeo de uma diacutevida em outra - deve ter uma causa legiacutetima o que natildeo se confirmou na operaccedilatildeo Brady

Por fim cabe ressaltar que a diacutevida externa contratual com bancos privados vinha sendo objeto de graves questionamentos de ordem legal com suspeitas inclusive de prescriccedilatildeo dessa diacutevida em 1992 sendo que atos iliacutecitos natildeo podem gerar consequecircncias liacutecitas

7 A Lei de Valores de 1933 foi ed itada I ogo apoacutes a Grande Crise de 1929 e regulamentou a comercializaccedilatildeo de accedilotildees tiacutetulos e demais papeacuteis financeiros

A D Iacute V I D A P Uacute B L I C A EM D E B A T E

41Caderno de estudos

Resgates Antecipados com Pagam ento de Aacutegio

Anaacutelises teacutecnicas da CPI demonstraram que logo apoacutes o referido Plano Brady foram realishyzadas trocas desses tiacutetulos por novos tiacutetulos da diacutevida externa (Global) e interna (NTN) operaccedilotildees que possuem forte indiacutecio de dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico ante os significativos desaacutegios nas emissotildees dos boacutenus Global suas elevadas taxas de juros onerosas comissotildees e demais gastos assumidos pelo Brasil bem como face agraves elevashydiacutessimas taxas de juros da diacutevida interna

Observou-se tambeacutem que os boacutenus Brady foram objeto de troca por outros tiacutetulos da diacutevida externa (por exemplo C-Bond por A-Bond em 2005) que por sua vez foram objeto de resgate antecipado a partir de 2005

A CPI apurou que o Brasil tambeacutem tem comshyprado antecipadamente tiacutetulos da diacutevida externa Ao inveacutes de pedir desconto pela antecipaccedilatildeo do pagamento os elevados pagamentos foram feitos com aacutegio que chegou a alcanccedilar 70 do valor nominal dos tiacutetulos originais

Ora qual a razatildeo para resgatar obrigaccedilotildees antecipadamente e com pagamento de aacutegio

A resposta das autoridades do Paiacutes agrave CPI da Diacutevida Puacuteblica foi no sentido de que o endividashymento eacute regido pelo ldquobenchmark mecanismo de marcaccedilatildeo de mercado que mede entre outras coisas a expectativa dos credores

0 pagamento de aacutegio pelo Tesouro brasileiro compensou expectativas frustradas de detentoshyres de tiacutetulos da divida externa brasileira emitishyda em doacutelares Um dos aspectos que afetou tal expectativa foi a queda no valor de tal moeda a partir de 2005 Tal fato eacute bastante grave e demonstra a que ponto chega o privileacutegio do setor financeiro Em nosso Paiacutes faltam recursos para o atendimento de necessidades vitais de grande parte da populaccedilatildeo como demonstrado em capiacutetulos anteriores mas sobram recursos para remunerar o capital financeiro

Pagam ento antecipado ao FMI contradiccedilatildeo inexplicaacutevel

Em 2005 durante o Governo Lula foi amplashymente propagandeado o resgate antecipado ao

DIacuteVIDA INTERNA

D gt V l gt 1

pound x t e r n P s

A chamada diacutevida interna corresponde agrave diacutevida

mobiliaacuteria - diacutevida em tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Na praacutetica a diacutevida interna eacute tambeacutem exter na pois grande parte dos tiacutetushylos dessa diacutevida tem sido adquirida porestrangeirosque encontram no Brasil a maior taxa de juros do mundo liberdade de capitais e isenccedilatildeo tributaacuteria

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica analisou a evoluccedilatildeo da diacutevida interna a partir de 1995 tendo em vista que foi justamente a partir do Plano Real que seu crescimento se acelerou de maneira impressionante como mostra o graacutefico a seguir Em dezembro de 2011 a diacutevida interna superou a cifra de 25 trilhotildees de reais

Buscando explicaccedilotildees para a contrashypartida a justificativa para essa diacutevida a CPI constatou que as altas taxas de juros foram a principal causa do cresshycimento acelerado da diacutevida interna provando que este endividamenshyto tem uma origem meramente financeira sem contrapartida em termos de desenvolvimento social e econoacutemico

O Relatoacuterio Final da CPI aprovado pela base do governo e pelo PSDB reconheceu esse grave fato que tambeacutem constitui uma importante evidecircncia da necessidade de completa auditoria dessa diacutevishyda pois a aplicaccedilatildeo de juros sobre juros (ana- tocismo) jaacute foi considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

Os trabalhos da CPI apontaram uma seacuterie de indiacutecios de ilegalidades na diacutevida interna cabenshydo ressaltar os seguintes

Esta roupa me disfarccedila melhor

Vatildeo acreditar que o beneficiaacuterio dessa diacutevida interna eacute o

povo brasileiro

Falta de transparecircncia e graves deficishyecircncias de controle e registro do endividashymento puacuteblico tais como desaparecimento de documentos falta de registro dos juros nominais efetivamente pagos por regime de caixa a cada ano bem como dos fluxos de pagamentos e recebimentos segredo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida interna insufishyciecircncia de informaccedilotildees sobre as justificativas para a emissatildeo de diacutevida

Fonte httpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201201pfpzip - Quadro 35

Os deputados membros da CPI pertencentes aos grandes partidos se recusaram a aprovar Requerimento de Informaccedilotildees que exigiria do governo o nome dos credores da diacutevida interna brasileira Somente foi aprovado requerimento de dados agregados que serviram como base para a elaboraccedilatildeo do graacutefico ao lado

Considerando que a diacutevida eacute puacuteblica seria de se esperar que os seus beneficiaacuterios fossem devidamente anunciados tal como ocorre em diversas partes do mundo inclushysive nos Estados Unidos da Ameacuterica do Norte Aqui no Brasil frequentemente autoshyridades e a grande miacutedia argumentam que a diacutevida interna beneficia pequenos aplica- dores clientes de Fundos de Investimento Contudo tal discurso natildeo apresenta fundashymento soacutelido pois quando a CPI da Diacutevida Puacuteblica requereu informaccedilotildees sobre o pershyfil dos detentores da diacutevida interna nesses Fundos requerendo informaccedilatildeo sobre a distribuiccedilatildeo dos grandes e pequenos invesshytidores) o Banco Central afirmou que natildeo dispunha desta informaccedilatildeo

Assunccedilatildeo de diacutevidas privadas espeshycialmente do setor financeiro por meio do PROER PROES e diversas outras formas

Credores da Diacutevida Interna - Abril2010

nacirco-nnanceiras

Bancos nacionais e estrangeiros

55

Fonte Banco Central (abrif2010) httpwwwbcb0ovbr htmsinfecondemabma201Q04Nlmprensazipe Secretaria de Previdecircncia Complementar (Estatiacutestica Mensal- Dez2009) -paacuteg 3Notas (1) A rubrica Fundos de Pensatildeo inclui recursos desses Fundos que se encontram aplicados em Fundos de Investimento de Renda Fixa Consequentemente a rubrica Fundos de Investimento aparece descontada destes recursos(2) A rubrica Bancos Nacionais e Estrangeiros inclui os Tiacutetulos Vinculados (que representam principalmente o depoacutesito junto ao BC petas instituiccedilotildees financeiras de tiacutetulos puacuteblicos como garantia de operaccedilotildees em Bolsa de Valores) e as Operaccedilotildees de Mercado Aberto (que significam a retirada de moeda de circulaccedilatildeo mediante entrega agraves instituiccedilotildees financeiras dos 1 tiacutetulos puacuteblicos em poder do Banco Central)

4 6Caderno De estudos | A d iacute v i d a P i j R i c a t u D E B A T E

Descumprimento de atribuiccedilotildees legais e constitucionais peios oacutergatildeos de controle do endividamento puacuteblico federal comproshyvado pela ausecircncia de resposta dos oacutergatildeos oficiais de controle interno (Banco Central e Ministeacuterio da Fazenda) a pedidos de infor maccedilatildeo sobre a diacutevida puacuteblica brasileira e pela ausecircncia de realizaccedilatildeo de auditoria nas negociaccedilotildees com bancos privados internacioshynais pelo Tribunal de Contas da Uniatildeo (TCU) Quanto ao Congresso Nacional este vem des cumprindo haacute mais de 20 anos a determinashyccedilatildeo constitucional de realizaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externa brasileira Tambeacutem natildeo regulamentou o art 30 incisos I e II da Lei de Responsabilidade Fiscal que dizem respeito aos limites globais de endividamento

Danos patrimoniais agraves financcedilas do Paiacutes configurada pela praacutetica doanatocismo (juros sobre juros) jaacute considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal aleacutem do ofeshyrecimento de taxas de juros injustificadas e excessivamente elevadas

Conflito de interesses na determinaccedilatildeo da taxa baacutesica de juros Os membros do Copom que definem as taxas de juros e demais autoshyridades do Banco Central realizam reuniotildees com analistas independentesrsquo tendo a CPI apurado que estes constituem - em cerca de 95 ou seja em sua imensa maioria - represhysentantes dos segmentos financeiros direta- mente interessados o que pode caracterizar conflito de interesses Adicionalmente a CPI constatou que a maior parte dessas autoridashydes foi trabalhar no setor financeiro privado apoacutes deixar o Banco Central As taxas de juros Selic satildeo definidas pelos 8 (oito) membros do Copom com base em criteacuterios natildeo mateshymaacuteticos pois a decisatildeo eacute tomada a partir de apresentaccedilotildees teacutecnicas discussotildees e natildeo decorrem da aplicaccedilatildeo de uma foacutermula que definiria qual deveria ser a decisatildeo do Comiteacute sobre a meta da taxa Selic cabendo ressalshytar ainda que os votos de seus membros natildeo eram divulgados

Argumentos insustentaacuteveis para os elevados juros Aleacutem da ausecircncia de justishyficativas teacutecnicas para o abusivo patamar de juros praticados durante os 15 anos analisashydos o argumento de elevar taxas de juros para combater a inflaccedilatildeo tambeacutem natildeo se sustenta

Ao mesmo tempo em que as autoridades monetaacuterias defendem a elevaccedilatildeo das taxas de juros sob a justificativa de controle inflashycionaacuterio as mesmas autoridades permitem grandes aumentos nos preccedilos administrados (tarifas de energia telefone combustiacutevel entre outros) o que eacute um total contra-senso Adicionalmente os oacutergatildeos de defesa da livre concorrecircncia natildeo tecircm conseguido combater adequadamente os carteacuteis privados que tamshybeacutem afetam a formaccedilatildeo dos preccedilos

Danos agrave economia real As elevadas taxas de juros baacutesicos impulsionam as demais taxas de juros praticadas pelos bancos provocando aumento nos custos das induacutestrias e empresas em geral deprimindo o investimento o que ocasiona a reduccedilatildeo da oferta de produtos gerando inflaccedilatildeo As elevadas taxas de juros brasileiras satildeo as maiores de todo o mundo natildeo havendo justificativa plausiacutevel para tal patamar Esse custo tem imposto atraso ecoshynoacutemico imensuraacutevel ao Paiacutes

Poliacuteticas monetaacuteria e cambial equivoshycadas Danos decorrentes da excessiva acushymulaccedilatildeo de reservas internacionais por meio da elevaccedilatildeo acelerada do estoque do endivishydamento interno A principal justificativa para a compra de doacutelares pelo Banco Central tem sido a de enxugar o excesso de moeda e eviacute tar a valorizaccedilatildeo da moeda nacional poreacutem quando o BC compra a moeda americana termina estimulando ainda mais os especushyladores a trazerem moeda estrangeira ao Paiacutes

Prejuiacutezos do Banco Central O fato de o Banco Central manter crescentes e elevadas reservas em doacutelares em seu ativo desde 2005 e tiacutetulos da diacutevida Interna em seu passivo representa enorme transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor financeiro privashydo tendo em vista a forte desvalorizaccedilatildeo do doacutelar O prejuiacutezo do Banco Central alcanccedilou R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 RS 445 bilhotildees no 1-semestre de 2011 sendo que todo esse resultado negativo foi coberto pelo Tesouro Nacional ou seja foi arcado por toda a sociedade Isso caracteriza violaccedilatildeo do princiacutepio republicano em sentishydo de adequado trato da coisa puacuteblica pelos agentes do Estado cuja investigaccedilatildeo deve ser aprofundada para apurar eventual dano ao patrimoacutenio puacuteblico

A 0 I V I C A F II li L C A r M D t 8 A 1 E |

47Caderno de

III

Todos esses graves indiacutecios de iacuterregularidades apontados pela CPI reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa auditoria dessa diacutevida

A RECENTE QUEDA DA TAXA SELICEm 2011 a taxa Selic passou a cair reduzinshy

do-se ao patamar de 8 ao ano Entretanto estudos realizados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm demonstrado que justamente quando a taxa passou a cair o Tesouro Nacional passou a praticar vendas de tiacutetulos da diacutevida brasileira em taxas fixas e superiores agrave Selic Exatamente no dia 19042012 data em que a taxa Selic caiu a 9 como amplamente notishyciado nos grandes meios de comunicaccedilatildeo o Tesouro Nacional efetuou praticamente a totalidade de vendas de tiacutetulos da diacutevida brashysileira a taxas muito superiores que chegaram a 1079 ao ano

Ora qual a razatildeo para essa praacutetica evidenshytemente contraacuteria aos interesses do Paiacutes Uma das justificativas normalmente apresentadas eacute que o mercadordquo natildeo aceita comprar por taxas mais baixas

Mas quem eacute o m ercadoA venda de tiacutetulos se daacute por meio dos dealers

- reduzido grupo de grandes bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia na compra dos tiacutetulos leiloados pelo Tesouro Nacional em primeira matildeo8

Essa modalidade de negociaccedilatildeo foi introdushyzida a partir de 2001 com a ediccedilatildeo da Circular BACEN ns 3053 havendo um rodiacutezio entre as instituiccedilotildees financeiras Na data em que o preshysente Caderno estaacute sendo elaborado os dealers

satildeo os seguintes

8 Ver lthttpwwwtMourofazendagovbrhpdownloads Rltmking_Top_5 Janeiro_12_Mertado_Primariopdfgt

Quanto mais pagamos mdash mais devemos

GASTOSCOM

JUROS

48Caderno de estudos | A o l v i D A P uacute b l i c a FM DIacute E ATE

M

M

Tesouro NacionalINSTITUICcedilOtildeES CREDENCIADAS A OPERAR COM A CODIP E COM O DEMAB

10082012 a 3101201310022012 a 31072012

BCOBRADESCOS A

BCO BTG PACTUA L S A

BCOCITIBANKS A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO J P MORGAN S A

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

CM CAPITAL MARKETS CCTVM LTDA

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ITAU UNI BANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

BCO BARCLAYS S A

BCO BRADESCO S A

BCO BTG PACTUAL S A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

DEUTSCHE BANK S A - BCO ALEMAO

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ICAP DO BRASIL CTVM LTDABRAD

ITAU UNIBANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

Referecircncia Legal Decisatildeo-Conjunta 18 de 10022010 Ato Normativo Conjunto de 26 de 08022012 e Ato Normativo Conjunto 27 de 08022012

Depreende-se que o grupo de bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia de comprar os tiacutetulos colocam o Tesouro Nacional a serviccedilo do Sistema da Diacutevida pois soacute compram os tiacutetulos leiloados quando as condiccedilotildees oferecishydas atendem a seus interesses e dessa forma na praacutetica ditam as regras Assim tem funcionado o Sistema da Diacutevida

QUEM GANHA COM ESSE PROCESSODe todo esse processo de escoamento natildeo transshy

parente dos recursos puacuteblicos por meio da diacutevida puacuteblica - interna e externa - resta uma grande certeza os detentores dos tiacutetulos - em sua maioria bancos auferem no Brasil os maiores lucros do mundo como comprova o graacutefico a seguir

Lucro dos Bancos (R$ bilhotildees)80

60

40

20

Aparente queda Aumento de Provisotildees

00 O ltN m r r m 0 00 OQ CT O O O o o o O O o O T--(Jy C l O O O o o o o o o o Ormdash (N rsi ltN ltN ltN ltN ltN ltN r| ri

Fonte Banco Central do Brasil (httpwww4bcbgovbrtop50porttop50asp)

A D l V l D A P Uacute B L I C A E M D F S A T E

49Caderno de estudos

C A P Iacute T U L O 8

O SISTEMA DA DIacuteVIDASISTEMA DA DIacuteVIDA NO BRASIL

A nos de estudos sobre o endividamento puacuteblico no Brasil em outros paiacuteses da

Ameacuterica Latina e mais recentemente na Europa permitiram a identificaccedilatildeo de um mesmo modus

operandi um desvirtuamento do papel da diacutevida puacuteblica e sua utilizaccedilatildeo em benefiacutecio do setor financcedil

Em tese a diacutevida puacuteblica deveria funcionar (como um importante instrumento de financia-

lento do Estado ou seja um instrumento que ^viabilizaria aporte de recursos ao Estado a fim de complementar recursos necessaacuterios ao cum-

Entretanto as investigaccedilotildees realizadas em diversos paiacuteses tecircm comprovado que esse papei foi usurpado e a divida puacuteblica se transformou em um instrumento agrave disposiccedilatildeo dos donos do poder financeiro^ou seja ao inveacutes de jportar recursos ao Estado tem sido um mecanismo de transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor finarccedilceiro privado

Ta) proeza eacute possibilitada por um arcabouccedilo de privileacutegios de ordem lega poliacutetica finanshyceira e econoacutemica que denominamos Sistema da Diacutevida que visa a garantir prioridade absoluta aos pagamenshytos financeiros da diacutevida puacuteblica em detrimento de direitos humanos e sociais de toda a naccedilatildeo

A fim de exemplificar como opera o Sistema da Diacutevida no Brasil cabe mencionar alguns privishyleacutegios evidenciados no modelo econoacutemico e na estrutura legal possibishylitados pelo equivocado

sistema poliacutetico que permite o financiamento privado de campanhas eleitorais

MODELO ECONOacuteMICOO modelo econoacutemico adotado no Paiacutes eacute comshy

pletamente voltado para a garantia dos privileacuteshygios da diacutevida o que se evidencia pelas seguintes caracteriacutesticas

Poder exacerbado do setor financeiro espeshycialmente bancos privados e FMI frequenteshymente identificado como 0 Mercado cujo comportamento acaba justificando poliacuteticas econoacutemicas nocivas ao Paiacutes e que beneficiam somente a eles mesmos tais como a praacutetica de juros altos as privatizaccedilotildees de setores estashytais estrateacutegicos entre muitas outras

Financeirizaccedilatildeo baseada em papeacuteis caracteshyrizada pela proliferaccedilatildeo de Fundos Soberano do Preacute-Sal de Previdecircncia etc que absorvem todo o risco do mercado financeiro desregu- lado Tais fundos podem se transformar em veiacuteculos para a transmissatildeo para o Brasil dos papeacuteis podres que provocaram a atua crise financeira internacional

FUNDO DE PENSAtildeO

57a d I v i o a - uacute raquobull i r a f m d f r a t e | Caderno de estudos

58Caderno de estudos

Liberdade total para os fluxos de capitais pershymitindo que bancos nacionais utilizem setores sediados no exterior para usufruir da isenccedilatildeo tributaacuteria sobre os rendimentos proporcionashydos pelos mais elevados juros do mundo pagos pelo Brasil Adicionalmente essa liberdade de movimentaccedilatildeo deixa vulneraacuteveis as poliacuteticas monetaacuteria e cambia praticadas no Pais

Ausecircncia de Transparecircncia nas negociaccedilotildees que geraram endividamento puacuteblico na divulgaccedilatildeo dos valores dos juros nominais efetivamente pagos sigilo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida puacuteblica aleacutem da utilizaccedilatildeo de artifiacutecios e decishysotildees baseadas em documentos secretos natildeo acessiacuteveis agrave populaccedilatildeo

Prioridade para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrada em poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria que representam elevados ganhos ao setor financeiro

Privileacutegios tributaacuterios para o setor financeiro e grandes corporaccedilotildees e pesada carga tributaacuteria para a classe trabalhadora

Esse modelo vem submetendo sucessivos governantes - ainda que de partidos diferentes- ao mesmo poder econoacutemico que financia as suas campanhas eleitorais e dessa forma exerce grande influecircncia nas decisotildees poliacuteticas do Paiacutes

Adicionalmente os donos do poder financeiro exercem o controle da grande miacutedia como antes mencionado e natildeo raro financiam instituiccedilotildees de ensino para desenvolver robustas teses em defesa do funcionamento desse injusto modelo que os beneficia

OS PRIVILEacuteGIOS LEGAIS DA DIacuteVIDA

V imos que a diacutevida puacuteblica brasileira tem consumido anualmente quase a

metade dos recursos da Uniatildeo provenienshytes tanto de arrecadaccedilatildeo tributaacuteria como da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

Para conseguir essa faccedilanha a diacutevida conshyta com um enorme arcabouccedilo de ordem legal- uma superestrutura juriacutedica - que garante a prioridade de recursos para os pagamentos finanshyceiros da diacutevida puacuteblica enquanto que remanesce desassistida uma significativa porccedilatildeo dos direitos sociais e humanos do povo brasileiro

Constituiccedilatildeo FederalEacute na Constituiccedilatildeo Federal que tem iniacutecio o

arcabouccedilo juriacutedico que garante os privileacutegios da diacutevida Vejamos o que determina o art 166

Art 166 Os projetos de lei relativos ao plano pluria- nual agraves diretrizes orccedilamentarias ao orccedilamento anual

e aos creacuteditos adicionais seroo apreciados pelas duas

Casas do Congresso Nacional na forma do regimento

comum

U

sectS As emendas ao projeto de lei do orccedilamento

anual ou aos projetos que o modifiquem somente

podem ser aprovadas caso

()II - indiquem os recursos necessaacuterios admitidos

apenos os provenientes de anulaccedilatildeo de despesa

excluiacutedas as que incidam sobre

()b) serviccedilo da divida

Segundo diretriz consagrada no direito finanshyceiro toda despesa puacuteblica deve trazer consigo no orccedilamento em que estiver prevista a fonte e o montante dos recursos a elas destinados

0 dispositivo constitucional antes transcrito- letra b do art 166sect3Ecirc II - abriu exceccedilatildeo a essa regra quando se tratar de necessidade de recursos puacuteblicos destinados ao pagamento da diacutevida puacuteblica que NAtildeO necessitam ter sua fonshyte prevista no orccedilamento

0 efeito claro desse dispositivo eacute a liberaccedilatildeo indiscriminada de valores para o pagamento de serviccedilos da diacutevida inclusive com impacto negashytivo sobre os gastos sociais Quando os recursos- mesmo apoacutes os contingenciamentos de gastos sociais - nagraveo satildeo suficientes para pagar o serviccedilo da diacutevida novos tiacutetulos da diacutevida satildeo emitidos provocando-se elevaccedilatildeo contiacutenua de seu estoshyque apesar dos vultosos pagamentos

Aleacutem do mais este dispositivo constitucional impede que o Legislativo - por meio de emenshydas - altere o valor destinado ao pagamento do serviccedilo da diacutevida Em bom portuguecircs o Congresso Nacional fica vaacuterios meses discutindo tudo sobre o Orccedilamento menos o essencial ou seja o serviccedilo da diacutevida que consome a maior parcela dos recursos puacuteblicos

CONSTITUICcedilAtildeO FRAUDADA

A inserccedilatildeo desse dispositivo no texto constitushycional eacute bastante questionada

Importante estudo realizado no ano de 2006 por Adriano Benayon e Pedro Antonio Dourado de Rezende demonstrou uma grave irregularidade praticada durante o periacuteodo da Constituinte

O estudo Anatomia de uma Fraude agrave Constituiccedilatildeo eacute acompanhado de uma seacuterie de documentos fotos e publicaccedilotildees

Segundo os autores o projeto do atual art 166 da Constituiccedilatildeo natildeo incluiacutea nenhuma exceccedilatildeo ao dispositivo segundo o qual as emendas ao projeshyto de lei do orccedilamento anual ou aos projetos que o modifiquem somente podem ser aprovadas caso indiquem os recursos necessaacuterios E assim foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) No momento da sistematizaccedilatildeo do texto constitucional o artigo passou agrave votaccedilatildeo em segundo turno sem nenhushyma alteraccedilatildeo acompanhado das emendas correshylatas As emendas poderiam versar apenas sobre erros ou contradiccedilotildees Contudo no momento da votaccedilatildeo surgiram emendas que diziam respeito agrave alteraccedilatildeo de meacuterito

Ao cumprir a Ordem do Dia o presidente da ANC anunciou a fusatildeo das propostas de Emenda do artigo () com outras relativas a outros

artigos pondo em votaccedilatildeo um uacutenico texto para os tregraves artigos que supostamente as reunia para votaccedilatildeo simultacircnea Nesse iacutenterim foram irreshygularmente adicionados dispositivos agrave redaccedilacirco que havia sido aprovada em primeiro turno e que alteravam substancialmente o dispositivo originai Os dispositivos adicionados () surgishyram somente no Requerimento apresentado no dia de votaccedilatildeo Dessa forma as exceccedilotildees hoje verificadas no texto constitucional foram subshymetidas agrave votaccedilatildeo somente no 2o turno como se fosse meramente uma compilaccedilatildeo do que jatilde havia sido votado Induzidos os constituintes aprovaram o artigo por ampia maioria (408 favoshyraacuteveis 5 contraacuterios e 12 abstenccedilotildees)

Posteriormente a irregularidade foi assumishyda publicamente pelo entatildeo deputado Nelson Jobim

Apesar de denuacutencias e protestos ateacute o momento esse dispositivo que carrega forte evidecircncia de viacutecio de origem permanece intacto e produzindo onerosos efeitos Esse dispositivo constitucional suspeito de fraude garante prioshyridade absoluta agrave diacutevida puacuteblica

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL-LRF

Outro privileacutegio da diacutevida eacute evidenciado na Lei de Responsabilidade Fiscal - Lei

Complementar na 1012000 - LRFEsta lei saudada pela grande miacutedia e por setores

dominantes como se fosse a lei que viria potilder fim agrave corrupccedilatildeo puacuteblica na realidade natildeo trata de desvio de recursos maacute versaccedilatildeo ou mesmo corrupccedilatildeo

A referida lei trata de controle do gasto puacuteblico a fim de garantir o pagamento da diacutevida puacuteblica

A LRF resultou de uma imposiccedilatildeo do Fundo Monetaacuterio Internacional ao governo brasileiro seguindo a esteira do organismo no sentido da defesa incondicionada da austeridade fiscal

Na praacutetica essa austeridade significa o rigoroso controle dos gastos puacuteblicos gerando uma ecoshynomia forccedilada uma sobra de recursos que se denomina superavit primaacuterio destinado a garantir a confianccedila dos credores internacionais de que o Brasil teraacute recursos para honrar o pagamento dos vultosos juros da divida

59a d iacute v i c a f j e l c a FM o E 0 a i t I Caderno de estudos

Para cumprir a meta de superaacutevit primaacuterio os sucessivos governos tecircm iniciado cada ano com a ediccedilatildeo de um decreto para o contingenciamento de verbas que o orccedilamento votado no Congresso Nacional havia destinado agraves diversas aacutereas sociais

O atual governo da Presidenta Diiacutema editou em 2011 o Decreto 74452011 contingenciando o montante recorde de R$ 50 bilhotildees

Em 2012 novo recorde foi batido e o Decreto 76802012 contingenciou o montante de R$ 55 bilhotildees o que comprova a rigorosa contenccedilatildeo do orccedilamento destinado agraves aacutereas sociais

De acordo com o art 73 da LRF caso o admishynistrador puacuteblico deixe de pagar os serviccedilos da diacutevida - ainda que para evitar a falecircncia dos sershyviccedilos baacutesicos do Estado ou mesmo caso a diacutevida cresccedila de maneira inesperada por conta de uma elevaccedilatildeo dos juros - poderaacute responder por crime de responsabilidade

O Art16 da LRF tambeacutem impede que Legislativo aprove qualquer projeto de lei que implique em aumento de gastos sociais Por outro lado a refeshyrida lei natildeo estabelece limite algum para os gastos com a diacutevida puacuteblica Tambeacutem natildeo estabelece limite para o custo da poliacutetica monetaacuteria desemshypenhada pelo Banco Central - que gerou prejuiacutezos brutais de R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 201 Oe R$ 445 bilhotildees no I2 semestre de 2011

- e ainda por cima determina que esse prejuiacutezo seja absorvido pelo Tesouro Nacional

A mesma lei tambeacutem faz seacuterias restriccedilotildees a Estados e Municiacutepios impondo-lhes que sigam os objetivos da poliacutetica econoacutemica nacional os quais como temos demonstrado natildeo satildeo outros que natildeo garantir de modo absoluto o credor financeiro e congelar os dispecircndios sociais Trata-se de clara afronta ao principio federativo e mais uma das divershysas irregularidades legitimadas pelo ordenamento juriacutedico brasileiro que precisam ser revistas

LEI DE DIRETRIZES ORCcedilAMENTAacuteRIAS

T ambeacutem a LDO (Lei de DiretrizesOrccedilamentarias) que anualmente estabelece as linhas gerais

do orccedilamento do exerciacutecio posterior corrobora a primazia da diacutevida puacuteblica no ordenamento juriacutedico brasileiro A tiacutetulo de exemplo veja-se o que estabelece o art 2pound da diretriz orccedilamentaacuteria de 2012

Art 2o- A elaboraccedilatildeo e a aprovaccedilatildeo do Projeto de

Lei Orccedilamentaacuteria de 2012 bem como a execuccedilatildeo

da respectiva Lei deveratildeo ser compatiacuteveis com

a obtenccedilatildeo da meta de superaacutevit primaacuterio ()

9 MIRANDA Seacutergio A farsa do Lei de Responsabilidade Fiscal

Brasiacutelia- Cacircmara dos Deputados 2000

60

Caderno de estudos | D i v [gt A p tt 3 1 i o a F m l _ R a ~ t

Dessa forma a elaboraccedilatildeo do orccedilamento da Uniatildeo passa a ter como princiacutepio fundamental a obtenccedilatildeo de superaacutevit primaacuterio A partir do estashybelecimento desta reserva de recursos para a divishyda os recursos primaacuterios satildeo distribuiacutedos agraves demais rubricas Eacute importante ressaltar que essa poliacutetica que reserva centenas de bilhotildees de reais de receitas natildeo-primaacuterias para o pagamento de juros e amortishyzaccedilotildees da diacutevida - e aleacutem disso reserva parte subsshytancial das receitas primaacuterias tambeacutem para esse fim- tem travado completamente o desenvolvimento do paiacutes (ver item Superaacutevit Primaacuterio no capiacutetulo 3) A diacutevida absorve cerca de metade de todas as receitas - primaacuterias e natildeo-primaacuterias - impedindo a realizaccedilatildeo de investimentos reajustes salariais para servidores e atendimento agraves necessidades sociais

A LDO tambeacutem estabelece que a atualizaccedilatildeo da diacutevida puacuteblica federa natildeo deveraacute superar o IGP-M - iacutendice divulgado por instituiccedilatildeo privada a Fundaccedilatildeo Getulio Vargas

A LDO tem estabelecido que a parte do refishynanciamento da diacutevida puacuteblica deve constar separadamente do orccedilamento o que tem provoshycado grande distorccedilatildeo na divulgaccedilatildeo dos nuacutemeshyros oficiais da diacutevida como antes mencionado (ver item Os nuacutemeros da diacutevida no capiacutetulo 4)

O DOGMA DE COMPRARA CONFIANCcedilA DO DEUS MERCADO

O arcabouccedilo juriacutedico que privilegia os gasshytos financeiros em detrimento dos direitos

sociais eacute resultado de um processo da histoacuteria brasileira que consolidou no senso comum a ideia de que eacute mais importante para o Paiacutes manter sua imagem de bom pagador perante credores e especuladores que fornecer ao seu povo um serviccedilo puacuteblico de qualidade ainda que isso sigshynifique insistir no pagamento de diacutevidas ilegais ilegiacutetimas e insustentaacuteveis

Tambeacutem eacute de se notar com clareza a influecircncia externa sofrida para que fossem aprovadas medishydas como essa Apoacutes esgotar os recursos do paiacutes e travar o nosso desenvolvimento com as poliacuteticas impostas na deacutecada de 1980 o FMI continuou a impor com matildeo de ferro a agenda neoliberal no Brasil E isso se fez com especial vigor pela implanshytaccedilatildeo do Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo resultado de negociaccedilatildeo com o oacutergatildeo financeiro

Poressa metodologia posta em praacutetica a partir do Decreto n 308899 todas as vezes em que se projetar um aumento da inflaccedilatildeo em niacutevel superior ao programado ou houver excesso de moeda em circulaccedilatildeo ativam-se dois instrumentos (a) aumenshyto da taxa baacutesica de juros (Selic) (b) enxugamento de moeda em operaccedilotildees de mercado aberto

Qualquer que seja o instrumento utilizado o efeito resulta em aumento da diacutevida puacuteblica pois

a) A elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic provoca a elevaccedilatildeo dos compromissos financeiros relashycionados ao pagamento de juros da diacutevida Se os recursos existentes natildeo satildeo suficientes nova diacutevida eacute emitida

b) O enxugamento de moeda pelo Banco Centrai se daacute por meio da entrega de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica em troca do excesso de moeda

Dessa forma o Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo em praacutetica no Paiacutes natildeo tem servido para controlaro tipo de inflaccedilatildeo que temos (decorrente do reashyjuste excessivo de tarifas puacuteblicas e do preccedilo de alimentos) e na praacutetica tem sido um mecanismo de geraccedilatildeo de diacutevida puacuteblica

OUTROS PRIVILEacuteGIOS QUE GARANTEM A DESTINACcedilAtildeO DE RECURSOS PARA O PAGAMENTO DA DIacuteVIDA

A leacutem dos questionaacuteveis privileacutegios legais visshytos existem outros privileacutegios adicionais que

garantem a destinaccedilatildeo de recursos para o serviccedilo da diacutevida

Lucro do Banco Central Quando o Banco Central apura lucro operacional esse lucro eacute destinado exclusivamente ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Medida Provisoacuteria na 2179-362001 Art 2a sect1He Lei 118032008 Art 32

Os valores pagos na forma do inciso I do art 2nda Medida Provisoacuteria n 2179-36 de 24 de agosto de 2001 [lucro do BC] seracirco destinados exclusivamente ao pagamento da Diacutevida Puacuteblica Mobiliaacuteria Federal devendo ser paga prioritariamente aquela existente junto ao Banco Central do Brasil

61A D v i n a p u b l i c a em B F B A l E I Caderno de estudos

Por outro lado se o Banco Central apura prejushyiacutezo operacional a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que o Tesouro cubra este prejuiacutezo como antes mencionado

Lucro das estatais distribuiacutedos ao govershyno Enquanto a parcela das accedilotildees das estatais que se encontra em matildeos privadas garante a esses proprietaacuterios os respectivos dividendos os lucros referentes agrave parceia das estatais que ainda remanesce sob propriedade puacuteblica eacute destinada por iei para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Lei ns 95301997 - Art 1E Seratildeo destina dos agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

I - a receita do Tesouro Nacional decorshyrente do pagamento de participaccedilotildees e dividendos pelas entidades integrantes da Administraccedilatildeo Puacuteblica Federal indireta inclusive os relativos a lucros acumulados em exerciacutecios anteriores

Eacute por isso que a Petrobras por exemplo emboshyra seja uma das empresas mais lucrativas do mundo acaba contraindo diacutevidas para realizar investimentos Eacute por isso tambeacutem que embora sejamos autossuficientes na produccedilatildeo de petroacuteshyleo a gasolina brasileira eacute tatildeo cara para gerar lucros que iratildeo pagar a diacutevida

Pagamento da diacutevida dos Estados e Municiacutepios com a Uniatildeo A Uniatildeo natildeo usushyfrui dos recursos sacrificados por Estados e Municiacutepios para o pagamento de suas diacutevidas pois por lei o que a Uniatildeo recebe dos Estados e Municiacutepios destina-se exclusivamente ao pagamento da divida federal que em sua maior parte estaacute nas matildeos dos bancos nacionais e estrangeiros

Emissatildeo de novos tiacutetulos Esse constitui um dos principais privileacutegios da diacutevida jaacute que a lei autoriza a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevida Cabe ressaltar que a Constituiccedilatildeo Federal art 167 autoriza a emissatildeo de diacutevida somente para pagar amortizaccedilotildees (despesa de capital) vedando poreacutem a emissatildeo de diacutevida para pagar juros (despesa corrente)Entretanto a contabilizaccedilatildeo irregular de parte dos juros nominais (atualizaccedilatildeo monetaacuteria) como se fosse rolagem vem burlando essa vedaccedilatildeo constitucional

Constituiccedilatildeo Federal art 167Art 167 Satildeo vedados()

III - a realizaccedilatildeo de operaccedilotildees de creacuteditos que excedam o montante das despesas de capital

A Lei 101792001 tambeacutem permite a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevidas anteriores mas natildeo permite a emissatildeo de diacutevida para garantir direitos sociais aos brasileiros

Recursos obtidos com PrivatizaccedilotildeesPor lei os recursos advindos das privatizaccedilotildees do patrimoacutenio puacuteblico se destinaram ao pagashymento da diacutevida puacuteblica

Remuneraccedilatildeo da Conta Uacutenica do Tesouro pelo Banco CentralOs recursos auferidos com tal remuneraccedilatildeo se destinam ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Recursos autorizados pelas Medidas Provisoacuterias ndeg 435 e 450 convertidas nas Leis n2 118032008 e 119432009

62Caderno de estudos | a D I v i DA P Uacute B L I C A fcM D pound u iacute F

Tais medidas permitiram que todos os recursos rtatildeo gastos durante o ano de qualquer rubrica t de receita vinculada por lei a alguma aacuterea social fossem destinados a partir de 2008 ao pagagraveymdash mento da diacutevida puacuteblica T -

Em um uacutenico ano - 2008 - a MP 435 viabilizou a transferecircncia de cerca de R$ 40 bilhotildees de recurshysos antes vinculados a outras aacutereas estrateacutegicas (FUNDAF Royalties do Petroacuteleo entre outras) para o pagamento da diacutevida

Lei nE 119432009 (conversatildeo da MP 435) Art 13 O excesso de arrecadaccedilatildeo e o superaacutevit financeiro das fontes de recursos existentes no Tesouro Nacional poderatildeo ser destinados agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

Epor causa dessa impressionante estrutura legal que a diacutevida puacuteblica consegue absorver a cada ano quase a metade dos recursos da Uniatildeo apesar das evidecircncias de que essa diacutevida tem sido um instrumento meramente financeiro de mercado sem qualquer contrapartida

real para a populaccedilatildeoPor outro lado a populaccedilatildeo que paga a conta - por meto de elevada carga tributaacuteria e peta

ausecircncia dos serviccedilos sociais que tem direito - continua desprovida de bens e serviccedilos elementares a despeito da grande riqueza do nosso Paiacutes que vergonhosamente ostenta o tiacutetulo de um dos paiacuteses mais injustos e desiguais do mundo

Nacirco deveria ser assim Essa situaccedilatildeo precisa ser enfrentada e modificada

ldquoA luta pela verdade deve ter precedecircncia sobre todas as outras

A L B E R T E I N S T E I N

63a D I v i d a p ij B I i c A EM D E B A T E | Caderno de estudos

Page 2: A dívida pública em debate. (livro)

1

4Caderno de estudos

FICHA TEacuteCNICACopyright copy 2012 by Maria Lucia Fattorelli Auditoria Cidadatilde da Diacutevida

Todos os direitos reservados Impresso no Brasil Nenhum a parte deste livro pode ser utilizada reproduzida ou armazenada em qualquer forma ou meto seja mecacircnico ou eletrocircnico fotocoacutepia gravaccedilatildeo etc sem a permissatildeo por escrito da editora

IniciativaAuditoria Cidadatilde da D iacutevida (w w w aud itonacidadao rg b r)

AutoriaMaria Lucia Fattorelli

ColaboraccedilatildeoRodrigo Vieira de Aacutevila Eulaacutelia AlvarengaJoatildeo Pedro Casarotto Joatildeo Gabriel Lopes Carlos Eduardo Fontes Edson de Sousa Joana D lsquoArc Farinha Sam ille Xiacutemenes Mauriacutecio Joseacute Nunes Oliveira Tania Jam ardo Faillace Jacques DQrnellas Waldisley Rodrigues Maacutercia Tavares Maria Auxiliadora Mouratildeo Martinez Marliane Ferreira dos Santos

IlustraccedilatildeoNivaldo Marques Martins

Projeto graacuteficoRoberto Maia Sygrio Com unicaccedilatildeo amp Artes

Editoraccedilatildeo eletrocircnicaMojo Design

impressatildeoInove Graacutefica e Editora

Ficha catalograacutefica elaborada pela Inove Graacutefica e Editora

Fattorelli Maria LuciaCaderno de Estudos A Divida Puacuteblica em Debate

Maria Lucia Fattorelli Brasiacutelia 2012eop

1 Diacutevida Puacuteblica 2 Caderno de Estudos 3 Auditoria4 Brasil I Titulo

CDD 330981___________________________________ CDU 304(81)

iSBN 978-85-66343 00-7

A VENDA NO SiTE wwwinoveeditoracombr

[ A D V I D A H Uacute B L I C A E V D E U A T F

A P i T U L O 3

ODELO ECONOMICO UIVOCADO E JUSTICcedilA SOCIAL n-- mos o Brasil eacute um dos paiacuteses mais ricos _ _ndo sob todos os pontos de vista eco-

iacuteocial cultural natural e humano (CfiacuteS5- dessa riqueza os direitos sociais natildeo

soo zevidamente atendidos em nosso Paiacutes I - ^-ensa maioria da populaccedilatildeo que menos

bull re meios materiais a realizaccedilatildeo dos direi- Eacutes continua sendo uma utopia distante

uma pequena parcela dos brasileiros eacute ia rica e tem oportunidade de ter uma

liacuteSccedilna Existe um imenso fosso social

- SCIAMOS UM GRANDE S4SiDOXO NO BRASIL

= Economia Mundial

1 ior distribuiccedilatildeo de renda do mundo

1 i- no ranking de respeito aos Direitos -Tianos - IDH

PORQUE

E preciso compreender as raiacutezes dessas desishygualdades a fim de possibilitar um amplo

debate orientado para a busca de saiacutedas que modifiquem essa realidade

A adoccedilatildeo de equivocado modelo econoacutemico no Brasil tem aprofunshydado as desigualdades sociais e o desrespeito aos direitos humanos o que se evidencia pela anaacutelise dos seguintes aspectos f

Concentraccedilatildeo de Renda

Pri vatizaccedilotildees

Equivocado Regime de Metas de Inflaccedilatildeo

Modelo Tributaacuterio Injusto

Poliacutetica de Superaacutevit Primaacuterio e Diacutevida Puacuteblica

1 9A DI v i p a P j B 11 C A Q u a l L | Caderno de estudos

CONCENTRACcedilAtildeO DE RENDA

Um dos grandes problemas brasileiros e um dos mais facilmente observaacuteveis eacute que nossa

riqueza estaacute concentrada nas matildeos de poucos grandes proprietaacuterios - nacionais e estrangeiros- de terras e negoacutecios especialmente empreiteishyras e bancos que se dedicam a atividades financeiro-especulativas

Ao longo da nossa histoacuteria as decisotildees poliacuteticas e econoacutemicas tecircm privilegiado esses grandes proprieshytaacuterios (que geralmente financiam as campanhas eleitorais) favorecendo a concentraccedilatildeo de recursos e poder nas matildeos de poucos o que tem reforccedilado as desigualdades sociaisEm razatildeo disso o Brasil eacute consideshyrado atualmente o Bdeg paiacutes mais injusto do mundo

Apesar dos Programas Sociais existentes como o Bolsa Famiacutelia ainda estamos muito distantes de um patamar miacutenimo de justiccedila social

Outro dado indicativo da concentraccedilatildeo da ren da no Brasil foi divulgado peia ONU (Organizaccedilatildeo das Naccedilotildees Unidas) em 2008 indicando que para cada 1 doacutelar destinado aos 10 mais pobres 513 doacutelares satildeo destinados aos 10 mais ricos O niacutevel eacute comparaacutevel a paiacuteses como Guatemala (US$ 4820) Panamaacute US$ 5750) e El Salvador ltUS$ 5750) o que mostra o quatildeo privilegiadas satildeo as elites em nosso Paiacutes

O indice de Gini que mede a concentraccedilatildeo de renda dos paiacuteses - varia de 0a 1 Quanto mais proacuteximo de zero maior a igualdade entre a populaccedilatildeo e quanto mais proacuteximo de 1 mais extrema a desigualdade O Brasil tem o 3o pior iacutendice de Gini do mundo equivashylente a 0538

Em matildeos privadas a reivindicaccedilatildeo de lucros cada vez maiores tem levado ao fornecimento de serviccedilos cada vez mais caros Eacute o caso por exemshyplo dos serviccedilos de telefonia no Brasil que apoacutes a privatizaccedilotildees passaram a ser os mais caros do mundo ao mesmo tempo em que satildeo os campeshyotildees de reclamaccedilotildees dos consumidores As empreshy

sas de telefonia auferem lucros espantosos anualmente e natildeo realishyzam os investimentos necessaacuterios 0 mesmo ocorre com empresas de energia eleacutetrica e transportes puacuteblishycos serviccedilos altamente lucrativos devido ao alto preccedilo das tarifas cobradas

As privatizaccedilotildees tambeacutem aproshyfundaram a concentraccedilatildeo da renshyda no Paiacutes pois uma significativa parte do patrimoacutenio puacuteblico - que pertencia a naccedilatildeo - foi transferido

para privilegiados grandes proprietaacuterios do setor privado nacional e internacional

O processo de privatizaccedilotildees foi iniciado por Fernando Coiacutelor (Siderbraacutes Usiminas) mas avanccedilou tremendamente no governo de Fernando Henrique Cardoso quando foram vendidas as maiores empresas (Embraer Vale do Rio Doce Teiebraacutes Eletropaulo Light Rio jazishydas de petroacuteleo) e diversos bancos estaduais

PRIVATIZACcedilOtildeES

A s privatizaccedilotildees dos serviccedilos de telefonia energia transporte aleacutem de setores da

educaccedilatildeo e sauacutede significaram prejuiacutezos para os brasileiros pois os preccedilos vecircm aumentando bem acima da inflaccedilatildeo exercendo pressatildeo no aumento de diversos outros preccedilos de produtos e serviccedilos Grande parte da inflaccedilatildeo verificada no Paiacutes decorre do excessivo reajuste de tais tarifas sendo que o aumento salarial dos trabalhadores natildeo tem acompanhado a mesma evoluccedilatildeo o que significa uma deterioraccedilatildeo no poder de compra desses trabalhadores

Lula prosseguiu com o processo de privatizashyccedilotildees (rodovias hidroeleacutetricas bancos estaduais e jazidas petroliacuteferas inclusive do Preacute-Sal) Lula tamshybeacutem implementou outros tipos de privatizaccedilaacuteo

20Caderno de estudos | Aacute D I V DA P lj B L I C A = M D t 3 A TF

por meio das PPP - parcerias puacuteblico-privadas - e do Prollni programa que concede incentivos fisshycais a instituiccedilotildees privadas de ensino universitaacuterio em lugar de realizar investimentos para expansatildeo da educaccedilatildeo superior puacuteblica

A atual presidenta Dilma Rousseff tambeacutem realizou inaceitaacuteveis privatizaccedilotildees (previdecircncia dos servidores puacuteblicos aeroportos hospitais universitaacuterios)

A justificativa legal apresentada para a realizashyccedilatildeo dessas privatizaccedilotildees desde o governo Cotlor no inicio da deacutecada de 1990 foi a necessidade de pagamento da divida puacuteblica

Desde o iniacutecio foram feitas diversas denuacutenshycias de irregularidades sobre este processo Entidades de todo o Paiacutes se mobilizaram contra a entrega do patrimoacutenio puacuteblico Accedilotildees judiciais ajuizadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico aguardam ateacute os dias atuais uma decisatildeo final

Ateacute mesmo a Petrobras e o Banco do Brasil tiveram grande parte de suas accedilotildees vendidas a investidores privados - brasileiros e estrangeiros

Eacute importante ressaltar que grande parte das privatizashyccedilotildees foram financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econoacutemico e Social) e que tiacutetulos da diacutevida puacuteblica foram aceitos como moeda de privatizaccedilatildeo Tais tiacutetulos tBrady) vinham sendo negociados no mercado secundaacuterio por cerca de apenas 20 de seu valor de face e ao serem aceitos pelo valor integral para o pagamento das privatizaccedilotildees represenshytaram uma verdadeira liquidaccedilatildeo do patrimoacutenio puacuteblico brasileiro um grande negoacutecio para os compradores das empresas estatais Na praacutetica isso significa que o - jaacute baixo - valor pelo qual as empresas estatais foram leiloadas reduziu- -se ainda mais devido agrave aceitaccedilatildeo dos tiacutetulos da diacutevida brasileira como pagamento

Os efeitos das privatizaccedilotildees estenderam-se para muito aleacutem disso Com a venda de empreshysas puacuteblicas a multinacionais foi incrementada a importaccedilatildeo de insumos equipamentos e tecno- logias algo facilitado pelas medidas de abertura

comercial desencadeadas de Collor em diante por todos os governantes Aumentaram tambeacutem as remessas de lucros ao exterior incrementando- se as perdas de patrimoacutenio nacional Por fim a

diacutevida puacuteblica interna e externa que se falava em reduzir aumentou aceleradamente

Por lei os recursos apurados em privatizaccedilotildees destinam-se ao pagamento da diacutevida puacuteblica Apesar das privatizaccedilotildees essa diacutevida nunca diminuiu ao conshytraacuterio tem crescido continua mente desde o inicio do governa FHC passando por Lula e Dilma Tambeacutem aumentou o Passivo Externo devido ao crescimento das remessas de lucros e compras de insumos no exterior

EQUIVOCADO REGIME DE METAS DE INFLACcedilAtildeO

E evidente que todos os brasileiros satildeo favoshyraacuteveis ao controle da inflaccedilatildeo Ocorre que o

Regime de Metas adotado no Brasil sob detershyminaccedilatildeo do FMI desde 1998 natildeo tem controlado o tipo de inflaccedilatildeo verificado no Paiacutes e ainda sigshynifica um mecanismo de transferecircncia de renda da sociedade para o setor financeiro Isso ocorre I porque tal regime eacute calcado na elevaccedilatildeo da taxa

de juros Selic e no controle do volume de moeda em circulaccedilatildeo

No Brasil ao contraacuterio do que alegam governo e rentistas a inflaccedilatildeo atual natildeo eacute causada por suposto excesso de demanda mas tem sido provocada por contiacutenuos e elevados reajustes dos preccedilos de alimentos e preccedilos administrados principalmente de energia telefonia e combustiacutevel

Esses itens afetam todos os preccedilos de bens e serviccedilos venshy

didos no Paiacutes pois fazem parte da composiccedilatildeo de seus custos Adicionalmente o preccedilo dos alimentos e demais preccedilos administrados natildeo se reduzem quando o governo promove uma elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic

Para CQjTTIacutejatpoundr^sseripo de inflaccedilatildeo - deno- minad^inflaccedilatildeo de preccedilos^ o remeacutedio adeshyquado eacute o efetivo controle de tais preccedilos o que poderia ser feito pelo governo sem grandes dificuldades jaacute que estamos falando justamente de preccedilos que em tese devem ser administrados pelo poder puacuteblico Devido agrave privatizaccedilatildeo de tais serviccedilos a exigecircncia de altos lucros tem provoshycado a elevaccedilatildeo contiacutenua desses preccedilos Aleacutem de afetardiretamente a vida dos brasileiros que consomem tais serviccedilos a elevaccedilatildeo desses preshyccedilos tem pesado no cocircmputo da inflaccedilatildeo e natildeo sofre reduccedilatildeo alguma quando os juros sobem

21| Caderno do estudos

Da forma como regulamentado o Regime de Metas de Inflaccedilatildeo toda vez que a inflaccedilatildeo ameshyaccedila ultrapassar a meta estabelecida (atualmente em 45 ao ano) seu controle tem sido feito por meio da elevaccedilatildeo da taxa Selic desconsiderandoshy-se as verdadeiras causas do aumento de preccedilos no Brasil

Ao mesmo tempo em que os salaacuterios do setor puacuteblico e privado ficaram literalmente congeshylados a partir do Piano Real em 1995 a diacutevida puacuteblica federal passou a ter atualizaccedilatildeo moneshytaacuteria automaacutetica calculada com base em iacutendice publicado por instituiccedilatildeo privada - IGP-M da Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas - que indica a expecshytativa de inflaccedilatildeo

Aiacute estaacute um dos grandes equiacutevocos e distorshyccedilotildees do modelo econoacutemico em vigor no Paiacutes que privilegia o setor financeiro

0 resultado foi o crescimento explosivo dos gastos com a diacutevida puacuteblica federal em detrimenshyto dos gastos com serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo como mostra o graacutefico abaixo

A outra ferramenta utilizada pelo Banco Central para controlara inflaccedilatildeo tem provocado o crescimento acelerado da diacutevida e acumulado

reservas internacionais a um custo altiacutessimo para o Paiacutes Ateacute a presidenta Dilma reclamou do excesso de moeda que tem ingressado no Brasil manifestando-se publicamente contra o que chashymou de tsunami

0 mecanismo que impediria esse tsunami seria a implantaccedilatildeo de controle de capitais o que jaacute vem sendo praticado por diversos paiacuteses em todoo mundo

Ao contraacuterio de estabelecer esse controle sobre o ingresso de capitais o Banco Central tem enxugado esse excesso de moeda por meio das chamadas Operaccedilotildees de Mercado Aberto mediante as quais fica com o excesso de doacutelares e entrega tiacutetulos da diacutevida puacuteblica brasileira aos bancos

A justificativa para tais operaccedilotildees eacute o risco de que tal excesso possa provocar inflaccedilatildeo

Desde que o doacutelar comeccedilou a se desvalorizar em todo o mundo o volume dessas operaccedilotildees de mercado aberto passou a aumentar acelerashydamente pois os especuladores viram o gatilho acionado pelo Regime de Metas de Inflaccedilatildeo como uma tremenda oportunidade para trazer seus doacutelares para o Brasil e trocaacute-los por tiacutetulos

Orccedilamento Geral da Uniatildeo - Gastos Selecionados (R$ bilhotildees)

800 gt

se

C

Fonte Secretaria do Tesouro Nacional (STN)SIAF1 (Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal) Inclui a poundgC rolagem ou ldquorefinanciamento da diacutevida

22Caderno de estudos I A Q I v I C A F Uacute B L C A e m O F B A T E

Juros e

da diacutevida puacuteblica brasileira que pagam os maioshyres juros do mundo isentos de qualquer tributo podendo fugir do Paiacutes quando bem entenderem engordados pela variaccedilatildeo cambial

Por sua vez o Banco Central fica com os doacutelashyres e os destina agraves Reservas Internacionais que jaacute se aproximam de US$ 400 bilhotildees e natildeo rendem quase nada ao Paiacutes pois estatildeo aplicadas em granshyde parte em tiacutetulos da diacutevida norte americana que pagam juros proacuteximos de zero e ainda temos que arcar com os custos de senhoriagem

Por isso o Banco Central (BC) tem apresentashydo nos uacuteltimos anos prejuiacutezos bilionaacuterios R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 e no 1s semestre de 2011 R$ 445 bilhotildees tudo isso transshyferido para o Tesouro Nacional e arcado por todos os brasileiros Contudo quando o BC apresenta lucro operacional este eacute destinado exclusivamenshyte por lei para o pagamento da diacutevida

Dessa forma a prioridade do atual modelo econoacutemico para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrado nas poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria tem provocado grandes danos financeiros

MODELO TRIBUTAacuteRIO INJUSTO

A maneira mais oacutebvia de promover justiccedila fiscal e distribuir renda seria por meio da

cobranccedila de tributos de forma justa ou seja os mais ricos contribuiriam mais para que os recurshysos arrecadados pelo Estado pudessem ser aplicashydos em poliacuteticas puacuteblicas que beneficiassem toda a populaccedilatildeo especialmente aos mais pobres

Natildeo eacute isso que ocorre no Brasil O sistema trishybutaacuterio brasileiro eacute extremamente regressivo pois a maior parte dos tributos satildeo indiretos embutidos nos preccedilos de todos os produtos e serviccedilos que satildeo consumidos igualmente por pobres e ricos

bull Contraditoriamente os mais beneficiados comI aliacutequotas reduzidas isenccedilotildees incentivos fiscais j e deduccedilotildees satildeo justamente aqueles que mais ^poderiam contribuir para as financcedilas puacuteblicas

O exemplo mais contundente desse benefiacutecio eacute o fato de que ateacute hoje ainda natildeo foi regulamenshytado o Imposto sobre Grandes Fortunas previsto na Constituiccedilatildeo Federal de 1988

Adicionalmente desde o governo FHC a poliacuteshytica fiscal regressiva tem se voltado ao privileacutegio do sistema financeiro e grandes corporaccedilotildees

Dentre os benefiacutecios tributaacuterios concedishydos ao capital financeiro durante os anos FHC destacam-se

reduccedilatildeo da aliacutequota do Imposto de Renda das instituiccedilotildees financeiras - 1RPJ - de 25 para15

reduccedilatildeo do adicional do IRPJ de 12 e 18 para10

reduccedilatildeo da Contribuiccedilatildeo Social sobre o Lucro Liquido - CSLL de 30 para 8 posteriormente elevada para 9

reduccedilatildeo da base de caacutelculo do IRPJ e da CSLL ao permitir a deduccedilatildeo dos juros sobre capital proacuteprio

isenccedilatildeo do imposto de renda sobre remessa de lucros e dividendos ao exterior

Lula manteve todos esses privileacutegios e ainda concedeu outros sobressaindo-se a isenccedilatildeo de Imposto de Renda para estrangeiros que lucram com os tiacutetulos da diacutevida interna brasileira por meio da Lei 113122006

Ao mesmo tempo em que foram aprovadas leis que garantiram essas benesses ao grande capital outras normas aumentaram os tributos sobre o consumo impactando sobremaneira as classes mais baixas que empregam a totalidade de seus rendimentos no consumo de bens essenciais agrave sua sobrevivecircncia

23A n I V D A P Uacute B L I C A EM C E B A l L I Caderno de estudos

AS BENESSES TRIBUTARIAS DOS ESPECULADORES

Lei 113122006

Art 1 Fica reduzida a zero a aliacutequota do imposto de renda incidente sobre os rendimentos () proshyduzidos por tiacutetulos puacuteblicos adquiridos a partir de 16 de fevereiro de 2006 quando pagos creshyditados entregues ou remetidos a beneficiaacuterio residente ou domiciliado no exterior

Aleacutem disso desde o Plano Reai a classe trabashylhadora vem sendo pesadamente onerada face ao congelamento da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Fiacutesica

Essa medida faz com que o trabalhador passe a pagar mais Imposto de Renda quando obteacutem meros reajustes inflacionaacuterios que natildeo modificam seu padratildeo de vida ou sua capacidade contributiva Apesar dos reajustes ocorridos a atualizaccedilatildeo da tabela do IRPF ainda acumula mais de 50 de defa- sagem o que caracteriza um verdadeiro confisco

Essas injusticcedilas do modelo tributaacuterio aproshyfundam o fosso social De acordo com pesshyquisa recente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econoacutemica Aplicada) pessoas cuja renda mensai

familiar alcanccedilava ateacute dois salaacuterios miacutenimos comprometiam 539 dos seus ganhos com o pagamento de tributos enquanto que outras com renda superior a 30 salaacuterios miacutenimos comprometiam apenas 29 3 A mesma pesshyquisa mostra que cerca de 50 da nossa carga tributaacuteria eacute indireta incidindo sobre o consushymo e atingindo indiscriminadamente a toda a populaccedilatildeo independentemente da renda e da riqueza Dessa maneira o pobre que faz suas compras no supermercado paga o mesmo imposto do milionaacuterio A renda por sua vez influencia em apenas 19 a carga tributaacuteria do Paiacutes Nos Estados Unidos ela responde por 49 dos gastos dos cidadatildeos com tributos

A carga tributaacuteria brasileira em meacutedia natildeo eacute considerada alta se comparada agrave de outros paiacuteshyses Contudo quando se observa a ausecircncia ou extrema insuficiecircncia do devido retorno em bens e serviccedilos puacuteblicos constata-se o caraacuteter extrema mente injusto da tributaccedilatildeo brasileira Ademais os tributos arrecadados destinam-se principalmente para o pagamento de juros da diacutevida puacuteblica o que caracteriza seu desvio de finalidade

2 Fonte lthttpamaivDsuolcombramaivos09noticiagt

ldquoLEI KANDIR

A discussatildeo sobre a tributaccedilatildeo no Brasil natildeo pode passar ao largo de um dos instrumentos mais controversos de estiacutemulo agrave exportaccedilatildeo - a chamada LeiKandir

Esta lei (Lei Complementar 871996) entrou em vigor em 1996 Por seus dispositivos isenta do pagamento de tributo estadua - ICMS (Imposto sobre Circulaccedilatildeo de Mercadorias e Serviccedilos) - a comercializaccedilatildeo de produtos destinados agrave exportaccedilatildeo com o claro objetivo de atingir um superaacutevit na balanccedila comerciai e gerar divisas para o pagamento da diacutevida externa

Essa isenccedilatildeo de ICMS representou uma grande perda de receitas para Estados e Municiacutepios que repartem o produto da arrecadaccedilatildeo do imposto Ao mesmo tempo a medida favoreceu enormemente aos grandes exportadores

Para compensar a perda dos Estados e Municiacutepios a Uniatildeo se obrigou por meio da referida lei a compensar as unidades federativas na proporccedilatildeo de 75 para os Estados e 25 para os Municiacutepios A forma de compensaccedilatildeo contudo foi a emissatildeo de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica Por muito tempo a Uniatildeo restituiu apenas parcialmente o valor devido Atualmente o governo sequer reconhece o dever de indenizaccedilatildeo aos Estados omitindo-se ateacute mesmo de prever os recursos indenizatoacuterios na Lei Orccedilamentaacuteria agravando o problema de arrecadaccedilatildeo nos Estados A medida tem contribuiacutedo para agravar a crise das financcedilas estaduais estimulada por outro lado pelas imensas diacutevidas que estes contraem perante a Uniatildeo

2 4Caderno de estudos [ A Cl v 1 rgt A p uacute b l i c a e m C E U a t e

POLIacuteTICA DE SUPERAVIT PRIMAacuteRIO E DIacuteVIDA PUacuteBLICA

Embora ainda pouco discutido o principal problema econoacutemico do Brasil eacute a chamada

diacutevida puacuteblica tratada com mais detalhes nos capiacutetulos seguintes

JEcircSUPERAacuteVIT PRIMAacuteRIO

O superaacutevit primaacuterio eacute a economiardquo forccedilada de gastos puacuteblicos para o cumprimento de meta imposta pelo FMI ao Brasil desde 1998 Esse valor eacute calculado como um percentual do PIB mas recai unicamente sobre a parte do orccedilamento referente aos gastos primaacuterios isto eacute sobre os gastos e investimentos sociais

Os gastos com juros da diacutevida - classificados como natildeo-primaacuterios - natildeo entram nesse cocircmpushyto Da mesma forma as receitas natildeo-primaacuterias especialmente a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida tambeacutem natildeo entram no caacutelculo da meta de superaacutevit primaacuterio

A consequecircncia dessa foacutermula draconiana eacute o arrocho fiscal sobre os gastos sociais para que cada vez mais recursos puacuteblicos sejam destinados ao pagamento de juros da diacutevida Trata-se de escandaloso privileacutegio aos rentistas proprietaacuterios dos tiacutetulos da diacutevida brasileira - em sua imensa maioria instituiccedilotildees do sistema finanshyceiro nacional e internacional - pois os gastos

com os juros satildeo liberados da meta de superaacutevitDessa forma centenas de bilhotildees de reais de

recursos obtidos com a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida e demais fontes natildeo-primaacuterias (tais como o recebimento de juros e amortizaccedilotildees das diacutevidas de estados e municiacutepios com a Uniatildeo eventuais lucros do Banco Central entre outros) soacute podem ser destinados ao pagamento dos juros pois se forem destinados a gastos sociais a meta de superaacutevit primaacuterio natildeo seria cumprida

Por meio dessa foacutermula o privileacutegio do pagashymento de juros da diacutevida se sobrepotildee aos direitos sociais e ao atendimento das urgentes necessidashydes do povo brasileiro

0 Congresso Nacional aprovou em 17072012 a Lei de Diretrizes Orccedilamentarias (LDO) para 2013 prevendo a meta de superaacutevit primaacuterio correspondente a R$ 1559 bilhotildees para a Uniatildeo Estados e Municiacutepios Entretanto o seu efeito alcanccedila quase R$ 1 trilhatildeo ou seja cerca da metashyde do Orccedilamento Geral da Uniatildeo na medida em que obriga que receitas natildeo-primaacuterias sejam destinadas diretamente para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Por isso eacute urgente auditar essa diacutevida - como manda a Constituiccedilatildeo Federal - e destrinchar os malabarismos que tecircm sido feitos para desviar cada vez mais recursos puacuteblicos para o setor financeiro privado

Em 2011 foram gastos quase R$ 2 biiacutehotildees por dia com a diacutevida puacuteblica Quem paga essa conta

Todos noacutes brasileiros pagamos a diacutevida puacuteblica de vaacuterias formas Pagamos diretamente por meio dos tributos embutidos em tudo o que consumimos ou recebemos Pagamos tambeacutem por meio dos serviccedilos puacuteblicos que deixamos de receber em razatildeo do corte de

gastos da Sauacutede Educaccedilatildeo Seguranccedila Transporte Saneamento Cultura Assistecircncia Social etc Por isso todos temos o direito de saber afinal que diacutevida eacute essa

25A D V I D A F uacute B L CA F M D E B A T E Caderno de estudos

O PAGAMENTO DE JUROS E AMORTIZACcedilOtildeES DA DIacuteVIDA CONSOME QUASE A METADE DOS RECURSOS DA UNIAtildeO

Elaboraccedilatildeo Auditoria Cidadatilde da Divida Nota 0 valor de R$ 708 bilhotildees inclui o chamado refinanciamento ou roiacuteagem pois a CPI da Divida Puacuteblica comprovou que parte relevante dos juros satildeo contabilizados como tal Para mais informaccedilotildees ver lthttpwwwauditoriacidadaorgbrwp-contentuploads201204Numerosdividapdfgt

26Caderno de estudos | acirc I V i D A P D B L 1 e A IacuteM d e s a t p

Orccedilamento Geral da Uniatildeo de 2011 - Executado - Total R$ 1571 trilhatildeo

Juros e Amortizaccedilatildeo

da Diacutevida

4505mdash imdash

R$ 708 bilhotildees

Transferecircncia para Estados e Municiacutepios

012 Relaccedilotildees Exteriores

012 Organizaccedilatildeo Agraacuteria

010 Induacutestria

008 Com eacutercio e Serviccedilos

008 Urbanism o

006 Direitos de C idadania

004 Cultura

004 Com unicaccedilotildees

003 Energia

002 Desporto e Lazer

002 Saneam ento

000 H abitaccedilatildeo

Gestatildeo Am bien ta 015 Ciecircncia e Tecnologia 032

Essencial agrave Ju s ticcedila 034 Leg is la tivo 036

Seguranccedila Puacuteb lica 041 Agricu ltura 061 Transporte 068

A dm in istraccedilatildeo 110 Jud ic iaacute rio 134

Defesa Nacional 177 Trabalho 229

AssistecircnciaS 285 Educaccedilatildeo 299

Sauacutede 407

C A P Iacute T U L O

A DIacuteVIDA PUacuteBLICA BRASILEIRAT odas as naccedilotildees devem garantir vida digna agrave

sua populaccedilatildeo Por isso elas satildeo autorizadas a contrair diacutevidas dentro de determinados limites e condiccedilotildees legais pois nem sempre os recursos arrecadados por meio dos tributos alcanccedilam os montantes suficientes ao atendimento das necesshysidades sociais

Portanto a diacutevida puacuteblica deveria ser um importante instrumento de financiamento do Estado e um meio viabilizador da implementaccedilatildeo de investimentos e poliacuteticas puacuteblicas

Entretanto as auditorias realizadas nos uacuteltimos plusmnanos tecircm demonstrado que o processo de endi-

vidamento foi usurpado pelo sistema financeiro privado ou seja ao inveacutes de aportar recursos ao Estado a diacutevida puacuteblica tem sido utilizada como um mecanismo meramente financeiro que retira recursos puacuteblicos e os transfere principalmente para o setor financeiro privado Eacute o que chamashymos de Sistema da Divida

Para tratar a questatildeo politicamente e de forma democraacutetica devem ser fornecidos os instrumenshytos que possibilitem o plerro conhecimento da realidade financeira do Paiacutes tornando a populashyccedilatildeo capaz de decidir sobre que tipo de alocaccedilatildeo de recursos eacute mais desejaacutevel aos interesses da naccedilatildeo

0 QUE Eacute DIacuteVIDA PUacuteBLICA

A diacutevida puacuteblica abrange empreacutestimos contraiacuteshydos pelo Estado junto a instituiccedilotildees financeishy

ras puacuteblicas ou privadas no mercado financeiro interno ou externo bem como junto a empresas organismos nacionais e internacionais pessoas ou outros governos

A diacutevida puacuteblica federal pode ser formalizada por meio de contratos celebrados entre as partes ou por meio da oferta de tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Teoricamente a diacutevida puacuteblica eacute classificada como diacutevida interna ou diacutevida externa deacordo com a localizaccedilatildeo dos seus credores e com a moeda envolvida nas operaccedilotildees

Historicamente eacute muito importante estudar a evoluccedilatildeo dessas duas diacutevidas de forma separada como faremos nos capiacutetulos seguintes

RiacutePUacuteSUCA FEDfSATIVA DO SRftSJl (3

LETRA DO TESOURO NACIONAL100 00 00000

0 3AHC0 C lraquo TR t 0 0 laquoA $ U

H IacuteK Iraquoi lsquoiacutewhvi laquo raquo Sr raquo dt )gtraquolaquobull iacutej(L tf x

DEZ M IIH Ograve E S OE CRLJZEIRDS j

Poreacutem atualmente diante da ausecircncia de resshytriccedilotildees ao ingresso e saiacuteda de moedas internacioshynais no Brasil por meio do sistema bancaacuterio - o que convencionalmente se chama de liberdade de movimentaccedilatildeo de capitais - esses conceitos precisam ser revistos pois bancos e instituiccedilotildees estrangeiras satildeo credores da diacutevida internardquo da mesma forma que bancos e instituiccedilotildees brasishyleiros podem ser credores da diacutevida externa Aleacutem disso o Brasil tem emitido tiacutetulos da diacutevida externa em reais Tais exemplos demonstram que atualmente a natureza de ambas as diacutevidas- interna e externa - se confunde

Somando-se a chamada diacutevida interna com a externa temos o total da diacutevida puacuteblica brasileira

Em dezembro2011 a diacutevida puacuteblica brasileira alcanccedilou R$ 3 trilhotildees o que corshyresponde a 78 do PIB pois a Diacutevida interna alcanccedilou R$ 25 trilhotildees e a Diacutevida Externa supeshyrou os US$ 400 bilhotildees conforme cifras incluiacutedas no quadro a seguir

Tiacutetulos Puacuteblicos sagraveo obrigaccedilotildees assumidas pelo Estado Haacute muitos anos os tiacutetulos satildeo emitidos unica mente em forma eletrocircnica e natildeo em papel como Ilustra a figura acima

laquo 0 0 I

27a n f v l D a p j B L i c A e m D - li a T c | Caderno de estudos

DIacuteVIDA INTERNA DIacuteVIDA EXTERNA

28Caderno de estudos

Na teoria

Na praacutetica

Diacutevida interna eacute a diacutevida contraiacuteda em moeda nacional junto a residentes no Paiacutes

Grande parte dos tiacutetulos da divida interna brasileira tegravem sido adquiridos por estrangeiros

DIacuteVIDA INTERNA (DEZ2011)RS 253606558601768

(2 TRiLHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586 MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)Fonte Banco Centrai

Divida externa eacute a divida contraida em moeda estrangeira (doacutelar euro iene libra etc) junto a residentes no exterior

Desde 2005 com a desvalorizaccedilatildeo do doacutelar no mercado internacional o Brasil passou a emitir tiacutetulos da diacutevida externa em reaisDIacuteVIDA EXTERNA (DEZ2011)U5$ 40238510282823

(402 BILHOtildeES 385 MILHOtildeES 102 MIL828 DOacuteLARES E 23 CENTAVOS)Fonte Banco Central

No caso da diacutevida interna investidores intershynacionais usufruem os maiores lucros do mundo com as elevadiacutessimas taxas de juros praticadas no Brasil e NAtildeO PAGAM IMPOSTO DE RENDA

Em 2009 os estrangeiros que investiram em tiacutetulos da diacutevida interna brasileira chegaram a lucrar ateacute 50 em um soacute ano (devido agrave soma das altas taxas de juros com a valorizaccedilatildeo do real frente ao doacutelar) sem ter que pagar tributos por isso No mesmo ano o prejuiacutezo do Banco Central do Brasil foi de R$ 147 bilhotildees devido agrave desvalorishyzaccedilatildeo das reservas cambiais compradas com os doacutelares trocados por tiacutetulos da diacutevida interna nas Operaccedilotildees de Mercado Aberto

Constata-se que o processo de endividamenshyto se transformou em um meio de especulaccedilatildeo financeira Considerando que os pagamentos de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida consomem recursos que deveriam destinar-se ao atendishymento das necessidades sociais todo cidadatildeo brasileiro estaacute pagando essa conta e portanto precisa conhecer esse processo

OS NUacuteMEROS DA DIacuteVIDA

A s investigaccedilotildees promovidas pela CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos

Deputados (20092010) revelaram que natildeo haacute a devida transparecircncia nos dados divulgados pelo governo federal em relaccedilatildeo agrave diacutevida puacuteblica tanshyto no que se refere ao seu estoque como em relaccedilatildeo ao fluxo de recursos ou seja o volume de gastos anuais com o pagamento de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida

Tanto a CPI como a Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm denunciado graves distorccedilotildees na apresentashyccedilatildeo dos dados oficiais

| A D Iacute V I D A P C B L I U A L M D [ B A rsquo pound

CUSTO ANUAL DA DIacuteVIDA ou FLUXO DE RECURSOS

Anualmente o orccedilamento geral da Uniatildeo destina ao pagamento de juros e amortizaccedilotildees da diacutevida puacuteblica a mais relevante parcela dos recursos advindos da arrecadaccedilatildeo tributaacuteria e da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

No ano de 2011 o governo federal destinou 4505 do Orccedilamento Executado para tal servishyccedilo da diacutevida puacuteblica ou seja o montante de R$ 708 bilhotildees conforme dados oficiais publicado no SIAFI - Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal retratado no graacuteshyfico anterior

Por que o governo apresenta valores menores para o custo anual da diacutevida puacuteblica

Considerando que os dados apresentados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida satildeo obtidos unicamente por meio de fontes oficiais explishycaremos a seguir os artifiacutecios que tecircm sido utishylizados pelo governo e setores da miacutedia para aliviar a apresentaccedilatildeo dos nuacutemeros da diacutevida agrave sociedade

Cabe destacar os seguintes artifiacutecios que foram denunciados pela CPI da Diacutevida Puacuteblica

Natildeo satildeo divulgados os juros nominais da divida efetivamente pagos pelo Tesouro Nacional omitindo-se a maior parcela desshyses representada pela atualizaccedilatildeo monetaacuteria medida pelo IGP-M divulgado pela Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas Divulgam apenas os juros

0 que o governo divulga a tiacutetulo de juros no SIAFI corresponde tatildeo somente agrave parcela dos juros reais ou seja agrave parcela dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M Isso leva a uma grande distorccedilatildeo na compreensatildeo geral do efetivo gasto com a diacutevida puacuteblica em comparaccedilatildeo com todas as demais rubricas orccedilamentaacuterias Enquanto o gasto com juros da diacutevida exclui a atualizaccedilatildeo todas as demais rubricas embutem eventual atualizaccedilatildeo obtida e tal parcela natildeo eacute segregada

reaisrdquo que eacute parte dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M e que se mostrou muito superior ao IPCA divulgado pelo IBGE nos uacuteltimos 15 anos

Natildeo eacute divulgada a parcela do serviccedilo da diacutevida (juros e amortizaccedilotildees) paga com os recursos obtidos pela emissatildeo e leilatildeo de novos tiacutetulos sob a justificativa de que se trata de mera rola- gem ou refinanciamento

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica constatou e denunciou a contabilizaccedilatildeo irregular que tem considerado como amortizaccedilatildeo da diacutevida a parcela correspondente agrave atualizaccedilatildeo monetaacuteria e que na realidade eacute parte integrante dos juros nominais e natildeo da amortizaccedilatildeo do principal

Qualquer pessoa que jaacute assumiu alguma diacutevida sabe que a atualizaccedilatildeo monetaacuteria eacute parte integranshyte da remuneraccedilatildeo ou seja dos juros nominais

Diante disso para se obter o valor efetivo do gasto anuat com a diacutevida haacute que se incluir tamshybeacutem o valor que tem sido informado como mera rolagem ou refinanciamento pois nessa rubrica

estaacute incluiacuteda grande parte dos juros da diacutevidaEm 2011 o gasto total com a diacutevida puacuteblishy

ca brasileira somou R$ 708 bilhotildees conforme demonstramos

Outra razatildeo fundamental para computar a atualizaccedilatildeo monetaacuteria como remuneraccedilatildeo da divida estaacute relacionada com a utilizaccedilatildeo de um mesmo criteacuterio para a apresentaccedilatildeo dos dados do orccedilamento executado

Se natildeo for computada a atualizaccedilatildeo monetaacuteria (que eacute parte dos juros nominais) como gastos com a diacutevida puacuteblica haveraacute uma completa distorccedilatildeo na comparaccedilatildeo entre os gastos com a diacutevida e todos os demais gastos orccedilamentaacuterios

Isso porque todas as demais rubricas represhysentadas no orccedilamento - gastos com pessoal previdecircncia serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo etc - englobam a respectiva atualizaccedilatildeo monetaacuteria ou seja quando se obteacutem alguma reposiccedilatildeo infla- cionaacuteria nos salaacuterios dos servidores no vaiacuteor das aposentadorias ou em benefiacutecios sociais e outros serviccedilos puacuteblicos tal reposiccedilatildeo compotildee o valor de tal gasto refletido no Orccedilamento da Uniatildeo

Diante disso para que haja uma compatibishylidade entre todas as rubricas orccedilamentaacuterias o gasto efetivo da diacutevida que deveria constar no orccedilamento seria o valor dos juros nominais e natildeo somente os juros reaisrdquo (que superam a inflaccedilatildeo como tem constado de estatiacutesticas oficiais

ESTOQUE DA DIacuteVIDAO estoque da Diacutevida Interna alcanccedilou em

dezembro2011 o valor de R$ 253606558601768 (2 TRILHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586

MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)30 estoque da Diacutevida Externa alcanccedilou na

mesma dataUS$ 40238510282823 ou seja mais de 402 BILHOtildeES de doacutelares que

corresponde a cerca de R$ 692 bilhotildees consideshyrando-se a taxa de conversatildeo de R$ 1724

Portanto em dezembro2011 o estoque da diacutevida brasileira alcanccedilou

R$ 322816796288224 (3 TRILHOtildeES 228 BILHOtildeES 167 MILHOtildeES 962 MIL 882 REAIS E 24 CENTAVOS) que corresponde a 78 do P)B

3 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNota6conNI201201pfp iacuteipgt - Quadro 354 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNataEconNI20120l5ep zipgt - Quadros 51 e51 A

23A D I V i D A P Uacute B L I C A LM D E B A E Caderno de estudos

30Caderno de estudos

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais desta camos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida LiacutequidaComparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequiacutedaPIB

Exclusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liquida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico peias seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais) mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Aiacute estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aleacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos 0 acuacutemulo elevado de reservas inter nacionais tem provocado enorme custo ao Pais devido a essa disparidade de rendimentos

0 termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a diacutevida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequidardquo tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

| A D V I D A P Uacute B L I C A E V Q Iacute E A T L

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de priva- tizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

O governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo otildenus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros altiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequida com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPlB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequida Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paises praticam taxas muitas vezes menores5 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwhra5ileconomicocombrpagjnastaxas -de-juros_81htmlgt

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais destashycamos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida Liacutequida

Comparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequidaPIB

Exciusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liacutequida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico pelas seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Ai estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aieacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos O acuacutemulo elevado de reservas intershynacionais tem provocado enorme custo ao Paiacutes devido a essa disparidade de rendimentos

O termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a divida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequida tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

30Caderno de estudos 1 A DIacute V I DA r C S L CA f m D E B A T E

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de privashytizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

0 governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo ocircnus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros aftiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequidardquo com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPIB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequidardquo Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paiacuteses praticam taxas muitas vezes menores1 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwbrasileconomicocom brpagmast5yas- -de-juros_81htmtgt

EXCLUSAtildeO DA PARCELA REFERENTE Agrave DIacuteVIDA EXTERNA PRIVADA

0 estoque da diacutevida externa jaacute atingiu US$ 402 bilhotildees6e indui a diacutevida externa privada

pois a mesma envolve uma obrigaccedilatildeo do Estado O governo costuma divulgar um montante

bem menor de diacutevida externa A partir de 2001 a pretexto de adotar metodologia recomendada pelo FMI os dados da diacutevida externa passaram a ser divulgados sem os chamados empreacutestimos intercompanhias ou seja os empreacutestimos devishydos por multinacionais a suas matrizes no exterior

Dessa forma o dado divulgado pelo governo ao puacuteblico exclui parte da diacutevida externa contraiacuteda pelo setor privado ou seja devida por empresas e instituiccedilotildees do setor privado e natildeo pelo Estado

Cabe ressaltar inicialmente que apesar de parte da diacutevida externa ter sido de fato contrashyiacuteda por instituiccedilotildees do setor privado eacute o Estado o responsaacutevel por fornecer a moeda estrangeira para os devedores privados pagarem suas diacutevishydas ao exterior Para obter essa moeda estranshygeira o Estado se submete agrave adoccedilatildeo de poliacuteticas nocivas a fim de atrair capitais ao Paiacutes tais como altas taxas de juros acordos com o FMI (cujas imposiccedilotildees continuam presentes) e total libershydade de movimentaccedilatildeo de capitais financeiros Essas medidas afetam toda a economia do Paiacutes

Adicionalmente as investigaccedilotildees tecircm revelado que nas uacuteltimas deacutecadas diacutevidas do setor privado foram reiteradas vezes transferidas para o setor puacuteblico Por isso entendemos que deve ser comshyputado no montante da diacutevida externa tanto as diacutevidas contraiacutedas peio setor puacuteblico como pelo setor privado

AUSEcircNCIA DE TRANSPAREcircNCIA

A s divergecircncias na apresentaccedilatildeo tanto do estoque como do fluxo de gastos com a diacutevishy

da demonstram que natildeo tem sido devidamente respeitado o princiacutepio da TRANSPAREcircNCIA que deve reger todo ato do setor puacuteblico

Por isso a sociedade brasileira que paga essa elevada conta da diacutevida puacuteblica deve exigir mais

6 Verquadro5S1 e 51-Ada planilha do Banco Central disponiacuteveis no link lthttpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201112sepzipgt

transparecircncia dos dados relacionados ao endivishydamento puacuteblico brasileiro pois este tem absorshyvido a maior parte dos recursos orccedilamentaacuterios sacrificando toda a populaccedilatildeo e comprometen do o futuro do Paiacutes

A transparecircncia eacute um princiacutepio consagrado na Constituiccedilatildeo Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que todas as despesas e receitas da gestatildeo fiscal sejam publicadas de forma transshyparente e com amplo acesso puacuteblico

Portanto eacute nosso DIREITO ter acesso a todas as informaccedilotildees relacionadas com o endividamento puacuteblico

Como vimos a diacutevida brasileira jaacute supera os R$ 3 TRILHOtildeES e consome quase a metade dos recursos do Orccedilamento da Uniatildeo

COMO CHEGAMOS A ESTE PONTOA recente CPI da diacutevida Puacuteblica jogou luzes sobre este processo

A Diacutevida Puacuteblica Brasileira cresceu em decorshyrecircncia de mecanismos meramente finanshy

ceiros sem contrapartida em bens e serviccedilos ao Paiacutes e tambeacutem em decorrecircncia de operaccedilotildees obscuras

A histoacuteria da diacutevida tem sido uma verdadeira caixa preta

A Auditoria Cidadatilde da Diacutevida e entidades da sociedade civil participaram ativamente da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) da Diacutevida Puacuteblica e tiveram acesso a documentos que comeccedilam a jogar luzes sobre nossa histoacuteriaAgora as investigaccedilotildees devem ser aprofundadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico

A CPI da Diacutevida foi uma iniciativa do Deputado Federal Ivan Valente (PSOL-SP) e funcionou de agosto de 2009 a maio de 2010 A coordenadoshyra da Auditoria Cidadatilde da Diacutevida - Maria Lucia Fattorelli - foi requisitada para assessorar tecnishycamente a CPI devido agrave experiecircncia adquirida durante a auditoria oficial da diacutevida do Equador trabalho para o qual tambeacutem foi designada cujo relatoacuterio embasou ato soberano do Presidente Rafael Correa que anulou 70 da diacutevida externa equatoriana em tiacutetulos possibilitando aumento de investimentos sociais principalmente em sauacutede e educaccedilatildeo novas rodovias e o resgate da cidadania

31A 0 v I C A P Uacute B I C A E W 3 E S A T F | Caderno de estudos

No Brasil a CPI tambeacutem indicou documentos e provas de ilegalidade e ilegitimidade tanto da divida externa como da diacutevida interna como veremos a seguir Um dos mais importantes instrumentos

de investigaccedilatildeo por parte do Congresso Naciona eacute a Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) a qual tem forccedila investi- gativa proacutepria de autoridades judiciais

O QUE Eacute CPI

Nos capiacutetulos seguintes apresentaremos um breve histoacuterico da diacutevida externa a partir dos anos1970 e da diacutevida interna a partir do Plano Real em 1995 ambas ateacute os dias atuais Esses marcos iniciais foram os periacuteodos estabelecidos tambeacutem pela recente CPI da Diacutevida Puacuteblica

A D IacuteV IacuteD A tem im p e d id o a v id a d ig na e o a te n d im e n to aos d ire ito s h um an os

bull De onde veio essa diacutevida

bull Quanto tomamos emprestado e quanto jaacute pagamos

bull O que realmente devemos

Quem contraiu empreacutestimos

bull Onde foram aplicados os recursos

bull Quem se beneficiou

Qual a responsabilidade dos credores e organismos internacionais nesse processo

ldquoA vida sem luta eacute um mar morto no centro do organismo universal

M A C H A D O D E A S S I S

32Caderno de estudos | A d iacute v i d a p uacute b l i c a E m D E b a t F

C A P Iacute T U L O

DIVIDA EXTERNAA recente CPi da Diacutevida Puacuteblica realizada na

Cacircmara dos Deputados (20092010) teve acesso a documentos relacionados ao processhysos de endividamento externo desde 1970 Apesar das limitaccedilotildees da CPI as investigaccedilotildees revelaram importantes fatos que reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa audishytoria dessa diacutevida

O periacuteodo coincide com o fim da paridade doacutelar-ouro nos Estados Unidos anunciada em1971 o que permitiu a emissatildeo de grandes volushymes de doacutelares que foram entregues ao sistema bancaacuterio e por meio deste ofertados sob a forshyma de empreacutestimos que apresentavam taxas de juros aparentemente reduzidas de 5 a 6 ao ano devido ao excesso de moeda

Diacutevida Externa (US$ bilhotildees)

- r N m ^ m 0 M raquo Iacute J O - ( N r 0 ^ ^ v D N C 0 a O - f N n n T r i n 0 M X 3 0 O gt - r N f n r f lsquo i n 0 N C Ocirc 0 O f r s N N N N r s N r s r ^ c o c c c o a o c o c o c o a o o o o o o a rsquogt lt ^ lt T lt a G gt o gt C gt lt ^ lt ^ o o o o o o o o o O mdash r ~raquomdash i-rgpjrsoifSiNfNfSfMlNfN^

Fonte httpwwwbcbgQvbrftpNotaEconNI20l201sepzip - Quadros 51 e 51-A

DECADA DE 1970

A CPI comprovou que a diacutevida externa atua se originou na deacutecada de 1970 em plena ditashy

dura militar periacuteodo em que comeccedilou a crescer aceleradamente

0 primeiro aspecto da diacutevida externa brasileishyra a ser ressaltado eacute a contrataccedilatildeo por atos de governos ilegiacutetimos de vultosos compromissos natildeo transparentes

Essas taxas de juros eram flutuantes e variavam de acordo com as taxas de juros internacionais (Prime e Libor) que vinham de longo periacuteodo em que se mantinham baixas Aleacutem das taxas de juros os bancos cobravam outras taxas onerosas de compromisso de contrataccedilatildeo de agente de creacutedito enfim uma infinidade de taxas

Havia tambeacutem forte componente de diacutevidas contratadas pelo setor privado que utilizava o

3 3a d iacute v i d a P Uacute B L I C A EM D r R A T E I Caderro de estudos

endividamento como forma de especulaccedilatildeo financeira O setor privado que tinha acesso a creacuteditos externos no iniacutecio da deacutecada de 1970 era composto principalmente por bancos e empresas privadas inclusive multinacionais e estrangeiras instaladas no Paiacutes

Tanto o setor privado como o setor puacuteblico tomaram empreacutestimos externos junto a grandes bancos privados internacionais devido agrave grande oferta de creacuteditos com taxas baixas vinculadas agraves taxas de juros internacionais (Prime e Libor) Essas taxas eram controladas pelos proacuteprios bancos credores que compunham o FED (Federal

Reserve Bank Banco Central Norte-americano que eacute totalmente privado controlava a Prime) e a Associaccedilatildeo de Bancos Privados de Londres (que determinava a Libor) A partir de 1979 essas taxas saltaram de 5 ou 6 ao ano para 205

O graacutefico a seguir mostra o comportamento idecircnshytico das duas taxas demonstrando a conexatildeo entre os bancos privados internacionais que as ditavam

Sob pressatildeo diante da crise em 1982 surge o FMI exigindo que o Banco Central realizasse acordos com os bancos privados internacionais por meio dos quais assumiu tanto a diacutevida externa puacuteblica como tambeacutem a diacutevida externa privada Ao messhymo tempo houve forte pressatildeo dos credores que faziam parte da instituiccedilatildeo informal denominada Club de Paris para que o Brasil firmasse o tal acordo com a banca privada internacional Essa pressatildeo conjunta e articulada de credores configura clashyramente a ausecircncia de equiliacutebrio entre as partes

A CPI da Diacutevida denunciou que agrave eacutepoca da assinatura dos acordos com os bancos privados em 1983 a legislaccedilatildeo natildeo permitia consolidaccedilotildees e refinanciamentos de creacuteditos externos Aleacutem disso tais acordos continham inuacutemeras claacuteusulas ilegais e abusivas que natildeo chegaram a ser apro vadas pelo Congresso Nacional

Haacute fortes indiacutecios de nulidade nessa transfeshyrecircncia de diacutevida para o Banco Central que na deacutecada seguinte em 1994 foi transformada nos

Taxas de Juros - Libor e Prime25000

0000rmdash 3-o p laquomdash r i

r-o rOv

oo

o

o

pO

OcShvO

p00

O Ornoo 3-oo

CTS

OCO

CCOo

DEacuteCADA DE 1980

A elevaccedilatildeo brutal das taxas de juros internashycionais Prime e Libor impactou seriamente

os compromissos externos antes assumidos e a diacutevida se multiplicou provocando uma grande crise a partir de 1982

3 4Caderno de estudos I a d v i d a h j B i i c a e m D E B A T E

denominados bocircnus Brady tiacutetulos que depois serviram como moeda para comprar as empreshysas estrateacutegicas e lucrativas submetidas ao proshycesso de privatizaccedilatildeo a partir de 1996

A interferecircncia direta do FMI em assuntos intershynos do Paiacutes desde 1983 exigiu a implantaccedilatildeo de

medidas nefastas agrave economia brasileira Tal fato aliado a onerosas condiccedilotildees dos acordos da diacutevida externa que transferiram o ocircnus de diacutevidas puacuteblishycas e privadas a cargo do Banco Central agravashyram ainda mais a situaccedilatildeo do endividamento brasileiro e paralisaram o Paiacutes Por isso a deacutecada de 1980 ficou conhecida como deacutecada perdida

CAacuteLCULO DO IMPACTO PROVOCADO PELA ELEVACcedilAtildeO UNILATERAL DAS TAXAS DE JUROS

O impacto da elevaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais sobre a evoluccedilatildeo da

diacutevida externa brasileira foi impressionante como retrata o graacutefico a seguir

de US$ 223 bilhotildees cujo ressarcimento deve ser exigido pelo Brasil

INTERFEREcircNCIA DO FMI

Desde o primeiro acordo do Brasil com o FMI em 1983 esse organismo passou a exercer nefasta interferecircncia em assuntos internos do

Paiacutes agindo sempre em defesa dos bancos prishyvados internacionais

O poder do FMI no Paiacutes era impressionanshyte determinando o caminho a ser trilhado por nossa economia exigindo privatizaccedilotildees impondo draacutesticos ajustes fiscais que impedishyram investimentos e representaram imensos cortes nos gastos sociais suprimindo-se direitos

Diacutevida Externa Total (Puacuteblica e Privada) - US$ bilhotildees

Fonte Nota Teacutecnica DEPEC - 200924S Dados disponiacuteveis no Anexo II agrave Anaacutelise Prefiminar N2 5 da CPI da Diacutevida Puacuteblica

A linha azul do graacutefico acima mostra o impacshyto da alta unilateral e ilegal das taxas de juros nternacionais pelos bancos credores dos Estados Unidos e da Inglaterra a partir de 1979

A linha vermelha pontilhada demonstra a evo- jccedilatildeo da diacutevida externa brasileira caso os juros ivessem sido mantidos em 6 ao ano Constata-se que os pagamentos realizados no periacuteodo teriam sido suficientes para pagar toda a diacutevida externa e o Brasil ainda teria valores a serem ressarcidos

Esses caacutelculos indicaram um dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico calculado agrave eacutepoca da CPI de cerca

sociais baacutesicos agravando-se o desemprego e a miseacuteria

Devido agrave grande influecircncia do FMI consolidou- -se a crenccedila popular generalizada de que aqueshyle organismo seria o principal credor da diacutevida externa brasileira

A CPI provou que os credores privilegiados de sempre eram na realidade os grandes bancos privados internacionais como indica a aacuterea em vermelho no graacutefico a seguir A parcela da diacutevida externa com o FMI correspondia agrave linha verde do mesmo graacutefico

ft D i V I A D 8 L I S A EM D Z B

3 5Caderno de estudos

Diacutevida Externa Registrada no Banco Centrai - US$ bilhotildees - 1969 a 1994140

120

100

80

60

40

20

O ^ O i mdash r 4 r i 3 - in i1o r - o o c j copy mdash r N n n ^ - i n v O r x o O t T ^ O raquo mdash rvjco^j- gt C ) r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ - f ^ - r - r ^ i - ^ c c c o c o c o c o o o c o c o c x D c 3 0 c r C T raquo c j N Ov ogtO CTt CJn CT CTgt G ltTraquo O1 CT lt7 OS O CT O Q (J J Otilde QN ltJ Q Otildegt

Fonte Relatoacuterios Anuais do Sanco Central disportibilizados aacute CPI da Diacutevid3Nota Os ldquoEmpreacutestimos em Moeda indicados em vermelho ntgt graacutefica correspondem aos empreacutestimos junto a bancos comerciais sendo que a maioria corresponde a bancos privados internacionais

Interessante observar que a crise financeira

de 1982 foi provocada pelos grandes bancos

privados internacionais que promoveram a eleshy

vaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais (Libor e Prime) sendo que alguns anos antes

eles mesmos haviam seduzido os paiacuteses latino-

-americanos mediante a oferta de empreacutestimos

aparentemente baratos A crise financeira abriu caminho para a atuaccedilatildeo do FM impondo draacutestishy

cos ajustes fiscais que geraram sacrifiacutecios sociais

cortes de direitos privatizaccedilotildees etc

Eacute importante estabelecer um paralelo entre

esses fatos histoacutericos e a atual crise financeira

deflagrada em 2008 nos EUA e Europa que

tambeacutem foi provocada por atitudes dos grandes

bancos privados internacionais Eles emitiram

grande quantidade de derivativos sem lastro e

corriam risco de quebra tendo sido salvos pelas

naccedilotildees do Norte que logo em seguida se viram

em profunda crise Instalada a crise novamente

surge o FM agora na Europa impondo poliacuteticas

idecircnticas as que foram impostas agrave Ameacuterica Latina

na deacutecada de 1980

ESFORCcedilOS DE INVESTIGACcedilAtildeO DA DIacuteVIDA EXTERNA NA DEacuteCADA DE 1980

A crise da diacutevida externa vivida na deacutecada de 1980 foi tatildeo grave que diversas comissotildees

parlamentares dedicaram importantes esforccedilos no sentido de investigar as reais razotildees da crise e do espantoso crescimento da diacutevida externa brasileira

A primeira tarefa teacutecnica realizada a fim de assessorar a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica na Cacircmara dos Deputados consistiu em resgatar os relatoacuterios das referidas comissotildees anteriores pois suas apuraccedilotildees devem ser conhecidas natildeo soacute pelos parlamentares mas por todos os brasileiros conforme resumo a seguir

COMISSAtildeO PARLAMENTAR DE INQUEacuteRITO-CAcircMARA DOS DEPUTADOS1983

No ano de 1984 foi aprovado o relatoacuterio final da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito reashylizada na Cacircmara dos Deputados O documento

apontou graves indiacutecios de irregularidades ilegashylidades aleacutem dos previsiacuteveis e graves riscos que

36Caderno de estudos I A D IV r D A deg uacute 6 _ i C A EM U E R A r iacute

Comissatildeo Parlamentares e Resultado

CPI da Cacircmara dos Deputados destinada a apurar as causas Presidente Dep Alencar Furtadoe consequecircncias da divida brasileira e o Acordo com o FMI Relator Dep Sebastiatildeo Ne ryInstituiacuteda pelo Requerimento Ndeg 883 Instalada em 16081983 Relatoacuterio Final aprovado em setembro de 1984

Comissatildeo Especial do Senado Federal para a Diacutevida Externa destinada a ldquoexaminar a questatildeo da divida externa brasileira e avaliar

as razotildees que levaram o Governo a stspendero pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno Instituiacuteda pelo Requerimento ns 17 de 1987 Instalada em 14041987

Comissatildeo Mista destinada ldquoao exame analitico epericial dos atos e

fatos geradores do endividamento brasileiro para cumprir a missatildeo

constitucional -Ari 26 do Ato das Disposiccedilotildees Constitucionais

Transitoacuterias Instalada em 11041989

Presidente Senador Carlos ChiarelliacuteRelator Senador Fernando Henrique CardosoRelatoacuterio Final aprovado em 23 de agosto de 1989

Presidente Dep Waideck OrneiasRelator Senador Severo GomesRelatoacuterio Parcial aprovado em 9 de agosto de 19B9

Relator Dep Luiz SalomatildeoParecer Final apreciado em 5 de setembro de 1989NAtildeO VOTADO

ps contratos de endividamento externo represenshytavam para a soberania nacional Adicionalmente histoacuterico relatoacuterio final de autoria do Deputado ederal Sebastiatildeo Nery (PDT-RJ) evidenciou a oratica dos seguintes crimes

Violaccedilatildeo da competecircncia exclusiva do Congresso Nacional para ratificar ou rejeitar convenccedilotildees e atos internacionais praticados pelo Presidente da Repuacuteblica

bull Crime de responsabilidade contra a guarda e legal emprego de dinheiro puacuteblico (realizaccedilatildeo de despesas e contraccedilatildeo de empreacutestimos sem autorizaccedilatildeo legal)

diams Crime de responsabilidade contra a existecircncia da Uniatildeo cometido peio Presidente da Repuacuteblica e por ministros de Estado por violaccedilatildeo da vedashyccedilatildeo constitucional agrave celebraccedilatildeo de tratados que comprometam a dignidade da naccedilatildeo

1 Desrespeito aos princiacutepios constitucionais impliacuteshycitos da inalienabiiidade imprescritibilidade e impenhorabiiacuteidade do patrimoacutenio puacuteblico

Crime de responsabilidade contra a seguranccedila interna do Pais ao admitir a daccedilatildeo de bens do patrimoacutenio puacuteblico em garantia antecipada

bull Abdicaccedilatildeo da soberania nacional em favor das orientaccedilotildees do Fundo Monetaacuterio Internacional

Apesar dessas graves conclusotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi levada a cabo

COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL1987

Em 1987 o Senado Federal instalou a Comissatildeo Especial para a Diacutevida Externa destinada a

examinara questatildeo da diacutevida externa brasileira e avaliar as razotildees que levaram o governo a susshypender o pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno

O relator foi o entatildeo senador Fernando Henrique Cardoso (PMDB-SP) que em seu relashytoacuterio reiterou a necessidade de enfrentamento do problema do endividamento externo tendo em vista as graves irregularidades verificadas dentre as quais destacamos praacutetica do anato- cismo alta unilateral de juros corresponsabili- dade dos credores ilegalidades na negociaccedilatildeo da diacutevida falta de transparecircncia negociaccedilotildees sigilosas interferecircncia direta do FMI articushylaccedilatildeo de credores (FMI Club de Paris Comiteacute Assessor dos Bancos Privados) elevados custos sociais da diacutevida externa existecircncia de custos injustificaacuteveis estatizaccedilatildeo de diacutevidas privadas exportaccedilatildeo de capitais nacionais utilizaccedilatildeo deliberada de empresas estatais para obtenshyccedilatildeo de empreacutestimos no exterior desequiliacutebrio contratual das partes negociantes pulverizaccedilatildeo de credores e dificuldade de controle por parte do Banco Centrai comprovaccedilatildeo do reduzido do valor da diacutevida no mercado secundaacuterio o que natildeo foi levado em conta nas negociaccedilotildees entre outras

3 7n V I DA P J B L l C A CM D t E A T F | Caderno de estudos

Cade

Cabe ressaltar trecho do relatoacuterio apresentado por FHC que daacute notiacutecia sobre a poleacutemica negociashyccedilatildeo da diacutevida externa que envolveu dezenas de bilhotildees de doacutelares - cerca de US$ 60 bilhotildees - e que foi a base para a transformaccedilatildeo da diacutevida externa contratual em bocircnus Brady em 1994

O ACORDO PLURIANUAL DE 1988

No dia 6 de junho de 1988 quando a gestatildeo

Mailson da Noacutebrega mal tinha completado 6

meses o governo brasileiro assinou o Term

Sheet do acordo provisoacuterio de renegociaccedilatildeo

da diacutevida externa Ao mesmo tempo em

que o protocolo da negociaccedilatildeo era mantishy

do em absoluto o governo fazia publicar

uma Nota Oficial de tom autocongratula- toacuterio descrevendo a renegociaccedilatildeo preliminarshy

mente concluiacuteda como a melhor jaacute obtida por

um paiacutes devedor

Diante da insistente recusa das autoridashy

des oficiais o Presidente da Comissatildeo

teve de recorrer a contatos no exterior

para obter as informaccedilotildees que lhe eram

sonegadas dentro do Paiacutes O Term Sheet

chegaria agraves matildeos do Senador Carlos Chiarelli

por canais extraofidais no iniacutecio de julho Os

documentos oficiais foram entatildeo submetishy

dos a uma anaacutelise teacutecnica que constatou

estarem sendo incompletas imprecisas e

exageradamente otimistas as apreciaccedilotildees

sobre o acordo publicadas na Nota Oficial

Foram encontrados erros e omissotildees relashy

cionados aos seguintes toacutepicos do acordo

()

Como conclusatildeo pode-se dizer que os frutos

da negociaccedilatildeo dita realista e profissional

conduzida pelo Ministro Mailson da Noacutebrega

foi um dos mais draconianos acordos de

renegociaccedilatildeo jaacute realizados por uma naccedilatildeo

devedora nesta deacutecada Como evidecircncia

das distorccedilotildees do acordo podem ser citados

os lucros recordes auferidos pelos grandes

bancos em 1988 que segundo estimatishy

vas divulgadas pelo Wall Street Journal

teriam atingido a fantaacutestica cifra de US$

16 bilhaacuteo soacute com o acordo da divida brashysileira Quanto ao paiacutes devedor durante

os poucos meses em que o governo Sarney

consegui j cumprir parcialmente as sufocantes

disposiccedilotildees contratuais do acordo a econoshymia mergulhou em recessatildeo acompanhashy

da da maior inflaccedilatildeo de sua histoacuteria O

acordo de reescalonamento de 1988 previsto

para abranger um periacuteodo de sete anos na

praacutetica concedera menos do que um ano de

focirclego agrave economia brasileira Decorridos quashy

tro meses da assinatura o Ministro Mailson jaacute

admitia oficialmente a necessidade de contrair

empreacutestimos adicionais e suspender o relen-

ding rsquo e a conversatildeo Decorridos 9 meses o

Brasil voltava a atrasar os pagamentos da

divida externa entrando novamente em

moratoacuteria (Paacutegina 166)

Diversos autores mencionam que a referida negociaccedilatildeo teria ocorrido em 23091988 mas a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos Deputados teve acesso a documenshytos que comprovam que tal negociaccedilatildeo teria se concluiacutedo somente em 1989 portanto apoacutes a promulgaccedilatildeo da Constituiccedilatildeo Federal

Outros trechos do Relatoacuterio apresentado por FHC tambeacutem merecem destaque

TRECHOS DO RELATOacuteRIO FINAL DA COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL (1987)

RELATOR SEN FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Como os deacutebitos externos brasileiros haviam sido contratados basicamente a taxas de juros flutuanshytes o choque dos ju ros provocou uma el evaccedilatildeo da diacutevida sem contrapartida real de bens e serviccedilos A partir desse momento a diacutevida externa brasileira assume um caraacuteter eminentemente financeiro os novos empreacutestimos na verdade sacirco obtidos para rolar em grande medida e a niacutevel agregado os juros e as amortizaccedilotildees

lsquoA partir de 1983 a questatildeo da divida adquire nova dimensatildeo Segundo a Programaccedilatildeo do 5etor Externo PSE) submetida pelo Brasil aos banqueiros em Nova York em dezembro de 1982 a economia brasileira eacute direcionada para a obtenccedilatildeo de US$6 bilhotildees de superaacutevit comercial com uma previshysatildeo de deacuteficit em transaccedilotildees correntes de US$65 bilhotildees Como os juros dos deacutebitos externos previsshytos para 1983 estavam na casa dos US$10 bilhotildees fica daro que a partir desse momento o Brasii marchava para a chamada ldquotransferecircncia liacutequida de

38^arjprnn de estudos | A D v I 0 a P Uacute B L I C A F V D E = a t e

recursos reais para O exterior com o fim especiacutefico de servir aos credores externos

Do ponto de vista dos credores o Brasil teve um excelente desempenho dos US$6 bilhotildees de supeshyraacutevit comercial de 1983 passou a US$13 bilhotildees em 1984 e dessa forma cobriu os juros devidos Internamente poreacutem a recessatildeo foi profunda e com custos sociais elevadiacutessimos estima-se que cerca de 5 milhotildees de trabalhadores do setor formal foram lanccedilados no desemprego Foi seguramente a recessatildeo mais violenta da economia brasileira

A situaccedilatildeo que ora vivemos - arrocho salarial direto dos trabalhadores no setor puacuteblico e indi- reto de toda a forccedila de trabalho (via eliminaccedilatildeo do subsiacutedio do trigo por exemplo sem qualquer poliacutetica de renda compensatoacuteria) submissatildeo da poliacutetica econoacutemica agraves regras e monitoramento do FMI acomodaccedilatildeo aos interesses dos grandes bancos internacionais etc - natildeo passa de uma encenaccedilatildeo da inequiacutevoca demonstraccedilatildeo da falta de governo no Paiacutes Natildeo eacute a toa que os banqueishyros acenaram com o possiacutevel reescalonamento do principal da diacutevida para 20 anos 8 de carecircncia etc mas no essencial - refinanciamento de juros taxas de juros spread descontos monitoramento etc- natildeo cederam um miliacutemetro e se fixaram nos refishynanciamentos de parcela dos iuros (50) apenas para este ano (1987 foi o ano da moratoacuteria e o juro teraacute que ser refinanciado de fato pois o Pais natildeo tem caixa para pagaacute-lo) Em suma o horizonte em todas as frentes sobre o Paiacutes (aqui e no exterior) natildeo passa de 1988 eacute o sinal do limite

Registra-se a preocupaccedilatildeo de muitos dos Senadores com a questatildeo da legitimidadeda divida- posto que os contratos satildeo leoninos e foram feitos agrave revelia do Congresso Nacional - e com a questatildeo da jurisdiccedilatildeo

Os tiacutetulos da diacutevida dos paiacuteses passam a ser negociados com um desaacutegio crescente no chashymado mercado secundaacuterio sinalizando que parshycela da divida natildeo teria condiccedilotildees de ser pagaOs bancos aumentam suas reservas antecipando possiacuteveis ltperdasgtrsquorsquo

Embora o relator tenha ocupado a Presidecircncia da Repuacuteblica do Brasil durante dois mandatos- oito anos portanto nenhuma das irregu- laridades apontadas em seu relatoacuterio quando senador chegou a ser enfrentada Pelo contraacuterio o endividamento puacuteblico tanto interno quanto externo agravou-se apesar da privatizaccedilatildeo de cerca de 70 do patrimoacutenio puacuteblico nacional sob a justificativa de pagar a diacutevida

Constituiccedilatildeo Federal

A Constituiccedilatildeo de 1988 inseriu a previsatildeo de realishyzaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externaConstituiccedilatildeo Federal ADCT

ldquoAn 26 No prazo de um ano a contar da promulgashy

ccedilatildeo da Constituiccedilatildeo o Congresso Nacional promoshy

veraacute atraveacutes de Comissatildeo mista exame analitico e

pericial dos atos e fatos geradores do endividamento

externo brasileiro

Aleacutem disso a Constituiccedilatildeo Federal determinou taxativamente que os contratos de endividamento externo deveriam ser submetidos agrave aprovaccedilatildeo pelo Senado Federal

Constituiccedilatildeo Federal

Art 52 Compete privativamente ao Senado Federal

U

V - autorizar operaccedilotildees externas de natureza finanshy

ceira de interesse da Uniatildeo dos Estados do Distrito

Federal dos Territoacuterios e dos Municiacutepiosrdquo

Tal dispositivo indica que a vultosa negociaccedilatildeo concluiacuteda somente em 1989 seria completamente NULA pois natildeo foi autorizada pelo Congresso Nacional que sequer teve acesso aos termos da negociaccedilatildeo conforme constou do relatoacuterio apreshysentado por FHC cujo trecho foi antes transcrito

Comissatildeo Mista do Congresso Nacional1989

No ano de 1989 mais uma vez o Congresso Nacional debruccedilou-se sobre os contratos de endishyvidamento externo brasileiro aleacutem de planilhas de caacutelculo elaboradas pelo Banco Central para mais uma vez descobrir fraudes diversas dentre elas a renuacutencia agrave soberania pelo governo brasileishyro Ou seja mais uma revelaccedilatildeo de NULIDADE mas ainda assim a diacutevida continuou sendo paga e reciclada em negociaccedilotildees cada vez mais onerosas para o Paiacutes

Trecho do relatoacuterio apresentado pelo senashydor Severo Gomes que fez importante anaacutelise juriacutedica dos acordos merece ser destacado para conhecimento por todos os brasileiros O trecho a seguir se referia a um dos acordos celebrados pelo Banco Central com os bancos privados intershynacionais em 1982

39A D f V I 0 A P U B L I C A EM D E B A T E I Caderno de estudos

40Caderno de esludos

CLAacuteUSULA DE RENUacuteNCIA A SOBERANIA

Sem quaiquer sombra de duacutevida aqui estaacute o ponto mais espantoso dos Acordos De notar aliaacutes a grosshyseria dos credores ou a pusilanimidade dos negoshyciadores brasileiros admitindo uma claacuteusula que sobre ferir os brios nacionais eacute fundamentalmente inuacutetil no contexto da negociaccedilatildeo () Esta claacuteusula retrata um Brasil de joelhos sem brios poupados inerme e inerte imolado agrave irresponsabilidade dos que negociaram em seu nome e agrave cupidez de seus credores Poreacutem nada haacute de ser dito sobre essa nefanda claacuteusula mais expressivo do que o proacuteprio ilustriacutessimo Ministro Seabra Fagundes jaacute fez Este fato de o Brasil renunciar explicitamente a alegar a sua soberania faz deste documento talvez o mais triste da Histoacuteria poliacutetica do Paiacutes Nunca encontrei- e naacuteo sou muito ausente dos estudos da histoacuteria do Paiacutes - em todos os documentos histoacutericos do Brasil nada que se parecesse com esse documento porque renuacutencia de soberania talvez noacutes tenhamos tido renuacutencias iguais mas uma renuacutencia declarada agrave soberania do Paiacutes eacute a primeira vez que consta de uma documento para mim histoacuterico Este me parece um dos fatos mais graves de que somos contemporacircneos1

Sen Severo Gomes(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

0 relatoacuterio parcial do senador 5evero Gomes chegou a ser aprovado pelo plenaacuterio do Congresso poreacutem nenhuma de suas recomenshydaccedilotildees - que tratavam sobre o questionamento judicial da diacutevida - foram seguidas

0 segundo relator da Comissatildeo Mista Dep Luiz Salomatildeo tambeacutem apontou severas conclushysotildees dentre as quais destacamos

Factibilidade de reduzir o montante da diacutevida externa

Necessidade de deduzir do principal consignado pelos bancos que emprestaram a juros flutuanshytes o excedente avaliado em simulaccedilotildees feitas pelo Banco Central que variavam de 34 a 62 bilhotildees de doacutelares na eacutepoca

Necessidade de retomar as investigaccedilotildees e os processos judiciais tendentes a recuperar as pershydas provenientes de fraudes e negoacutecios iliacutecitos

Responsabilizar penalmente os responsaacuteveis internos e os cuacutemplices externos

Repatriar as divisas evadidas clandestinamente

I a c i v i D a p uacute b l i c a l m d e b agrave t ecirc

O relatoacuterio final sequer chegou a ser votado pela Comissatildeo Mista Levado ao plenaacuterio natildeo houve quoacuterum para a votaccedilatildeo

Manobras impediram que o relatoacuterio fosse votado na Comissatildeo Mista Sem o apoio da maioria da Comissatildeo o parecer foi levado a exame do Plenaacuterio do Congresso Os partidos majoritaacuterios na Cacircmara e no Senado optaram peia omissatildeo

Dep Luiz Salomatildeo(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

Apesar das importantes conclusotildees e graves indiacutecios de ilegalidades e nulidades apontados por todas essas comissotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi adotada e a diacutevida externa natildeo parou de crescer sendo objeto de sucessivas negociashyccedilotildees que a tornaram cada vez mais onerosa

Deacutecada de 1990Na deacutecada de 1990 no bojo do processo de

abertura econoacutemica promovido pelo governo Collor ao qual se seguiram a desestatizaccedilatildeo e a desreguiamentaccedilatildeo do mercado de capitais as insshytituiccedilotildees credoras internacionais aproveitaram-se da fragilidade e da subordinaccedilatildeo das economias nacionais para executar o chamado Plano Brady

0 engodo do Plano BradyEm 1994 o Brasil concluiu a implantaccedilatildeo do

denominado Plano BradyEsse plano significou a transformaccedilatildeo da diacutevishy

da externa com bancos privados internacionais- antes formalizada sob a forma de acordos na deacutecada de 1980 - em tiacutetulos da divida externa

Foram emitidos sete tipos de tiacutetulos da diacutevida externa em troca da diacutevida anterior e de juros vencidos em montante estimado em US$ 51 bilhotildees na eacutepoca

Natildeo haacute transparecircncia em relaccedilatildeo ao deta- Ihamento das diacutevidas objeto de conversatildeo Tal negociaccedilatildeo tal como as da deacutecada de 1980 tambeacutem natildeo levou em consideraccedilatildeo o valor de mercado da diacutevida anterior (de cerca de 20 do valor nominal conforme constou de acoacutershydatildeo do TCU) nem as ilegalidades que haviam sido arguidas por comissotildees parlamentares

anteriores e ainda exigiu a compra de garantias colaterais (tiacutetulos do Tesouro norte-americano de cerca de US$ 39 bilhotildees)

Caso fosse considerado o valor de mercado da diacutevida externa anterior o resultado do Plano Brady pode ser resumido da forma retratada no graacutefico a seguir

novos bocircnus ou tiacutetulos A transformaccedilatildeo de juros vencidos em tiacutetulos eacute uma comprovaccedilatildeo expliacutecita de anatocismo (juros sobre juros) conshysiderado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

A operaccedilatildeo de troca da diacutevida por bocircnus natildeo significou ingresso de recursos para o Paiacutes pois constituiu mera troca e foi feita em Luxemburgo

A renegociaccedilatildeo Brady aumentou a diacutevida (US$ bilhotildees)60

50

40

30

20

10

Valor da diacutevida em mercado Bocircnus Brady emitidos

Fonte Paulo Nogueira Batista Jr e Armeacutenio de Souza Rangel A Renegociaccedilatildeo da Diacutevida Externa Brasileira e o Plano Brady Avaliaccedilatildeo de aSguns dos principais resultados paacuteg 15 e 18 e Ceres Aires Cerqueira Diacutevida Externa Brasileira paacutegs 65122123 e 124

Evidencia-se um tremendo prejuiacutezo ao Paiacutes Apesar disso o discurso oficiai e da grande miacutedia na eacutepoca foi de que o Brasil obteve um importanshyte desconto nessa negociaccedilatildeo Trata-se de mais ri forte indiacutecio da necessidade de realizaccedilatildeo de Buditoria pois os tais bocircnus Brady serviram como T io e d a para a compra das estatais privatizadas

atilde partir de 1996 Dessa maneira ao mesmo tempo em que entregaacutevamos nosso patrimoacutenio aumen- iacuteavamos a lesatildeo ao eraacuterio

A negociaccedilatildeo Brady tambeacutem natildeo levou em snsideraccedilatildeo as recomendaccedilotildees das Comissotildees iHamentares do Congresso Nacional portan- to a nova diacutevida dos bocircnus Brady tambeacutem pode ter sua legitimidade e legalidade questionadas

O Plano Brady foi aplicado em 22 paiacuteses onsiderados subdesenvolvidos e trocou tanto 3 diacutevida anterior como os juros vencidos por

conhecido paraiacuteso fiscal como uma oferta privashyda sem registro na SEC (Securities and Exchcmge

Comission dos Estados Unidos da Ameacuterica) e natildeo atendeu agraves exigecircncias da Lei de Vatores de 19337 para uma oferta puacuteblica nos Estados Unidos Ou sej^ fQi uma operaccedilatildeo repleta de irregularidades

A nova^ao -^transformaccedilatildeo de uma diacutevida em outra - deve ter uma causa legiacutetima o que natildeo se confirmou na operaccedilatildeo Brady

Por fim cabe ressaltar que a diacutevida externa contratual com bancos privados vinha sendo objeto de graves questionamentos de ordem legal com suspeitas inclusive de prescriccedilatildeo dessa diacutevida em 1992 sendo que atos iliacutecitos natildeo podem gerar consequecircncias liacutecitas

7 A Lei de Valores de 1933 foi ed itada I ogo apoacutes a Grande Crise de 1929 e regulamentou a comercializaccedilatildeo de accedilotildees tiacutetulos e demais papeacuteis financeiros

A D Iacute V I D A P Uacute B L I C A EM D E B A T E

41Caderno de estudos

Resgates Antecipados com Pagam ento de Aacutegio

Anaacutelises teacutecnicas da CPI demonstraram que logo apoacutes o referido Plano Brady foram realishyzadas trocas desses tiacutetulos por novos tiacutetulos da diacutevida externa (Global) e interna (NTN) operaccedilotildees que possuem forte indiacutecio de dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico ante os significativos desaacutegios nas emissotildees dos boacutenus Global suas elevadas taxas de juros onerosas comissotildees e demais gastos assumidos pelo Brasil bem como face agraves elevashydiacutessimas taxas de juros da diacutevida interna

Observou-se tambeacutem que os boacutenus Brady foram objeto de troca por outros tiacutetulos da diacutevida externa (por exemplo C-Bond por A-Bond em 2005) que por sua vez foram objeto de resgate antecipado a partir de 2005

A CPI apurou que o Brasil tambeacutem tem comshyprado antecipadamente tiacutetulos da diacutevida externa Ao inveacutes de pedir desconto pela antecipaccedilatildeo do pagamento os elevados pagamentos foram feitos com aacutegio que chegou a alcanccedilar 70 do valor nominal dos tiacutetulos originais

Ora qual a razatildeo para resgatar obrigaccedilotildees antecipadamente e com pagamento de aacutegio

A resposta das autoridades do Paiacutes agrave CPI da Diacutevida Puacuteblica foi no sentido de que o endividashymento eacute regido pelo ldquobenchmark mecanismo de marcaccedilatildeo de mercado que mede entre outras coisas a expectativa dos credores

0 pagamento de aacutegio pelo Tesouro brasileiro compensou expectativas frustradas de detentoshyres de tiacutetulos da divida externa brasileira emitishyda em doacutelares Um dos aspectos que afetou tal expectativa foi a queda no valor de tal moeda a partir de 2005 Tal fato eacute bastante grave e demonstra a que ponto chega o privileacutegio do setor financeiro Em nosso Paiacutes faltam recursos para o atendimento de necessidades vitais de grande parte da populaccedilatildeo como demonstrado em capiacutetulos anteriores mas sobram recursos para remunerar o capital financeiro

Pagam ento antecipado ao FMI contradiccedilatildeo inexplicaacutevel

Em 2005 durante o Governo Lula foi amplashymente propagandeado o resgate antecipado ao

DIacuteVIDA INTERNA

D gt V l gt 1

pound x t e r n P s

A chamada diacutevida interna corresponde agrave diacutevida

mobiliaacuteria - diacutevida em tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Na praacutetica a diacutevida interna eacute tambeacutem exter na pois grande parte dos tiacutetushylos dessa diacutevida tem sido adquirida porestrangeirosque encontram no Brasil a maior taxa de juros do mundo liberdade de capitais e isenccedilatildeo tributaacuteria

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica analisou a evoluccedilatildeo da diacutevida interna a partir de 1995 tendo em vista que foi justamente a partir do Plano Real que seu crescimento se acelerou de maneira impressionante como mostra o graacutefico a seguir Em dezembro de 2011 a diacutevida interna superou a cifra de 25 trilhotildees de reais

Buscando explicaccedilotildees para a contrashypartida a justificativa para essa diacutevida a CPI constatou que as altas taxas de juros foram a principal causa do cresshycimento acelerado da diacutevida interna provando que este endividamenshyto tem uma origem meramente financeira sem contrapartida em termos de desenvolvimento social e econoacutemico

O Relatoacuterio Final da CPI aprovado pela base do governo e pelo PSDB reconheceu esse grave fato que tambeacutem constitui uma importante evidecircncia da necessidade de completa auditoria dessa diacutevishyda pois a aplicaccedilatildeo de juros sobre juros (ana- tocismo) jaacute foi considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

Os trabalhos da CPI apontaram uma seacuterie de indiacutecios de ilegalidades na diacutevida interna cabenshydo ressaltar os seguintes

Esta roupa me disfarccedila melhor

Vatildeo acreditar que o beneficiaacuterio dessa diacutevida interna eacute o

povo brasileiro

Falta de transparecircncia e graves deficishyecircncias de controle e registro do endividashymento puacuteblico tais como desaparecimento de documentos falta de registro dos juros nominais efetivamente pagos por regime de caixa a cada ano bem como dos fluxos de pagamentos e recebimentos segredo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida interna insufishyciecircncia de informaccedilotildees sobre as justificativas para a emissatildeo de diacutevida

Fonte httpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201201pfpzip - Quadro 35

Os deputados membros da CPI pertencentes aos grandes partidos se recusaram a aprovar Requerimento de Informaccedilotildees que exigiria do governo o nome dos credores da diacutevida interna brasileira Somente foi aprovado requerimento de dados agregados que serviram como base para a elaboraccedilatildeo do graacutefico ao lado

Considerando que a diacutevida eacute puacuteblica seria de se esperar que os seus beneficiaacuterios fossem devidamente anunciados tal como ocorre em diversas partes do mundo inclushysive nos Estados Unidos da Ameacuterica do Norte Aqui no Brasil frequentemente autoshyridades e a grande miacutedia argumentam que a diacutevida interna beneficia pequenos aplica- dores clientes de Fundos de Investimento Contudo tal discurso natildeo apresenta fundashymento soacutelido pois quando a CPI da Diacutevida Puacuteblica requereu informaccedilotildees sobre o pershyfil dos detentores da diacutevida interna nesses Fundos requerendo informaccedilatildeo sobre a distribuiccedilatildeo dos grandes e pequenos invesshytidores) o Banco Central afirmou que natildeo dispunha desta informaccedilatildeo

Assunccedilatildeo de diacutevidas privadas espeshycialmente do setor financeiro por meio do PROER PROES e diversas outras formas

Credores da Diacutevida Interna - Abril2010

nacirco-nnanceiras

Bancos nacionais e estrangeiros

55

Fonte Banco Central (abrif2010) httpwwwbcb0ovbr htmsinfecondemabma201Q04Nlmprensazipe Secretaria de Previdecircncia Complementar (Estatiacutestica Mensal- Dez2009) -paacuteg 3Notas (1) A rubrica Fundos de Pensatildeo inclui recursos desses Fundos que se encontram aplicados em Fundos de Investimento de Renda Fixa Consequentemente a rubrica Fundos de Investimento aparece descontada destes recursos(2) A rubrica Bancos Nacionais e Estrangeiros inclui os Tiacutetulos Vinculados (que representam principalmente o depoacutesito junto ao BC petas instituiccedilotildees financeiras de tiacutetulos puacuteblicos como garantia de operaccedilotildees em Bolsa de Valores) e as Operaccedilotildees de Mercado Aberto (que significam a retirada de moeda de circulaccedilatildeo mediante entrega agraves instituiccedilotildees financeiras dos 1 tiacutetulos puacuteblicos em poder do Banco Central)

4 6Caderno De estudos | A d iacute v i d a P i j R i c a t u D E B A T E

Descumprimento de atribuiccedilotildees legais e constitucionais peios oacutergatildeos de controle do endividamento puacuteblico federal comproshyvado pela ausecircncia de resposta dos oacutergatildeos oficiais de controle interno (Banco Central e Ministeacuterio da Fazenda) a pedidos de infor maccedilatildeo sobre a diacutevida puacuteblica brasileira e pela ausecircncia de realizaccedilatildeo de auditoria nas negociaccedilotildees com bancos privados internacioshynais pelo Tribunal de Contas da Uniatildeo (TCU) Quanto ao Congresso Nacional este vem des cumprindo haacute mais de 20 anos a determinashyccedilatildeo constitucional de realizaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externa brasileira Tambeacutem natildeo regulamentou o art 30 incisos I e II da Lei de Responsabilidade Fiscal que dizem respeito aos limites globais de endividamento

Danos patrimoniais agraves financcedilas do Paiacutes configurada pela praacutetica doanatocismo (juros sobre juros) jaacute considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal aleacutem do ofeshyrecimento de taxas de juros injustificadas e excessivamente elevadas

Conflito de interesses na determinaccedilatildeo da taxa baacutesica de juros Os membros do Copom que definem as taxas de juros e demais autoshyridades do Banco Central realizam reuniotildees com analistas independentesrsquo tendo a CPI apurado que estes constituem - em cerca de 95 ou seja em sua imensa maioria - represhysentantes dos segmentos financeiros direta- mente interessados o que pode caracterizar conflito de interesses Adicionalmente a CPI constatou que a maior parte dessas autoridashydes foi trabalhar no setor financeiro privado apoacutes deixar o Banco Central As taxas de juros Selic satildeo definidas pelos 8 (oito) membros do Copom com base em criteacuterios natildeo mateshymaacuteticos pois a decisatildeo eacute tomada a partir de apresentaccedilotildees teacutecnicas discussotildees e natildeo decorrem da aplicaccedilatildeo de uma foacutermula que definiria qual deveria ser a decisatildeo do Comiteacute sobre a meta da taxa Selic cabendo ressalshytar ainda que os votos de seus membros natildeo eram divulgados

Argumentos insustentaacuteveis para os elevados juros Aleacutem da ausecircncia de justishyficativas teacutecnicas para o abusivo patamar de juros praticados durante os 15 anos analisashydos o argumento de elevar taxas de juros para combater a inflaccedilatildeo tambeacutem natildeo se sustenta

Ao mesmo tempo em que as autoridades monetaacuterias defendem a elevaccedilatildeo das taxas de juros sob a justificativa de controle inflashycionaacuterio as mesmas autoridades permitem grandes aumentos nos preccedilos administrados (tarifas de energia telefone combustiacutevel entre outros) o que eacute um total contra-senso Adicionalmente os oacutergatildeos de defesa da livre concorrecircncia natildeo tecircm conseguido combater adequadamente os carteacuteis privados que tamshybeacutem afetam a formaccedilatildeo dos preccedilos

Danos agrave economia real As elevadas taxas de juros baacutesicos impulsionam as demais taxas de juros praticadas pelos bancos provocando aumento nos custos das induacutestrias e empresas em geral deprimindo o investimento o que ocasiona a reduccedilatildeo da oferta de produtos gerando inflaccedilatildeo As elevadas taxas de juros brasileiras satildeo as maiores de todo o mundo natildeo havendo justificativa plausiacutevel para tal patamar Esse custo tem imposto atraso ecoshynoacutemico imensuraacutevel ao Paiacutes

Poliacuteticas monetaacuteria e cambial equivoshycadas Danos decorrentes da excessiva acushymulaccedilatildeo de reservas internacionais por meio da elevaccedilatildeo acelerada do estoque do endivishydamento interno A principal justificativa para a compra de doacutelares pelo Banco Central tem sido a de enxugar o excesso de moeda e eviacute tar a valorizaccedilatildeo da moeda nacional poreacutem quando o BC compra a moeda americana termina estimulando ainda mais os especushyladores a trazerem moeda estrangeira ao Paiacutes

Prejuiacutezos do Banco Central O fato de o Banco Central manter crescentes e elevadas reservas em doacutelares em seu ativo desde 2005 e tiacutetulos da diacutevida Interna em seu passivo representa enorme transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor financeiro privashydo tendo em vista a forte desvalorizaccedilatildeo do doacutelar O prejuiacutezo do Banco Central alcanccedilou R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 RS 445 bilhotildees no 1-semestre de 2011 sendo que todo esse resultado negativo foi coberto pelo Tesouro Nacional ou seja foi arcado por toda a sociedade Isso caracteriza violaccedilatildeo do princiacutepio republicano em sentishydo de adequado trato da coisa puacuteblica pelos agentes do Estado cuja investigaccedilatildeo deve ser aprofundada para apurar eventual dano ao patrimoacutenio puacuteblico

A 0 I V I C A F II li L C A r M D t 8 A 1 E |

47Caderno de

III

Todos esses graves indiacutecios de iacuterregularidades apontados pela CPI reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa auditoria dessa diacutevida

A RECENTE QUEDA DA TAXA SELICEm 2011 a taxa Selic passou a cair reduzinshy

do-se ao patamar de 8 ao ano Entretanto estudos realizados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm demonstrado que justamente quando a taxa passou a cair o Tesouro Nacional passou a praticar vendas de tiacutetulos da diacutevida brasileira em taxas fixas e superiores agrave Selic Exatamente no dia 19042012 data em que a taxa Selic caiu a 9 como amplamente notishyciado nos grandes meios de comunicaccedilatildeo o Tesouro Nacional efetuou praticamente a totalidade de vendas de tiacutetulos da diacutevida brashysileira a taxas muito superiores que chegaram a 1079 ao ano

Ora qual a razatildeo para essa praacutetica evidenshytemente contraacuteria aos interesses do Paiacutes Uma das justificativas normalmente apresentadas eacute que o mercadordquo natildeo aceita comprar por taxas mais baixas

Mas quem eacute o m ercadoA venda de tiacutetulos se daacute por meio dos dealers

- reduzido grupo de grandes bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia na compra dos tiacutetulos leiloados pelo Tesouro Nacional em primeira matildeo8

Essa modalidade de negociaccedilatildeo foi introdushyzida a partir de 2001 com a ediccedilatildeo da Circular BACEN ns 3053 havendo um rodiacutezio entre as instituiccedilotildees financeiras Na data em que o preshysente Caderno estaacute sendo elaborado os dealers

satildeo os seguintes

8 Ver lthttpwwwtMourofazendagovbrhpdownloads Rltmking_Top_5 Janeiro_12_Mertado_Primariopdfgt

Quanto mais pagamos mdash mais devemos

GASTOSCOM

JUROS

48Caderno de estudos | A o l v i D A P uacute b l i c a FM DIacute E ATE

M

M

Tesouro NacionalINSTITUICcedilOtildeES CREDENCIADAS A OPERAR COM A CODIP E COM O DEMAB

10082012 a 3101201310022012 a 31072012

BCOBRADESCOS A

BCO BTG PACTUA L S A

BCOCITIBANKS A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO J P MORGAN S A

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

CM CAPITAL MARKETS CCTVM LTDA

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ITAU UNI BANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

BCO BARCLAYS S A

BCO BRADESCO S A

BCO BTG PACTUAL S A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

DEUTSCHE BANK S A - BCO ALEMAO

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ICAP DO BRASIL CTVM LTDABRAD

ITAU UNIBANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

Referecircncia Legal Decisatildeo-Conjunta 18 de 10022010 Ato Normativo Conjunto de 26 de 08022012 e Ato Normativo Conjunto 27 de 08022012

Depreende-se que o grupo de bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia de comprar os tiacutetulos colocam o Tesouro Nacional a serviccedilo do Sistema da Diacutevida pois soacute compram os tiacutetulos leiloados quando as condiccedilotildees oferecishydas atendem a seus interesses e dessa forma na praacutetica ditam as regras Assim tem funcionado o Sistema da Diacutevida

QUEM GANHA COM ESSE PROCESSODe todo esse processo de escoamento natildeo transshy

parente dos recursos puacuteblicos por meio da diacutevida puacuteblica - interna e externa - resta uma grande certeza os detentores dos tiacutetulos - em sua maioria bancos auferem no Brasil os maiores lucros do mundo como comprova o graacutefico a seguir

Lucro dos Bancos (R$ bilhotildees)80

60

40

20

Aparente queda Aumento de Provisotildees

00 O ltN m r r m 0 00 OQ CT O O O o o o O O o O T--(Jy C l O O O o o o o o o o Ormdash (N rsi ltN ltN ltN ltN ltN ltN r| ri

Fonte Banco Central do Brasil (httpwww4bcbgovbrtop50porttop50asp)

A D l V l D A P Uacute B L I C A E M D F S A T E

49Caderno de estudos

C A P Iacute T U L O 8

O SISTEMA DA DIacuteVIDASISTEMA DA DIacuteVIDA NO BRASIL

A nos de estudos sobre o endividamento puacuteblico no Brasil em outros paiacuteses da

Ameacuterica Latina e mais recentemente na Europa permitiram a identificaccedilatildeo de um mesmo modus

operandi um desvirtuamento do papel da diacutevida puacuteblica e sua utilizaccedilatildeo em benefiacutecio do setor financcedil

Em tese a diacutevida puacuteblica deveria funcionar (como um importante instrumento de financia-

lento do Estado ou seja um instrumento que ^viabilizaria aporte de recursos ao Estado a fim de complementar recursos necessaacuterios ao cum-

Entretanto as investigaccedilotildees realizadas em diversos paiacuteses tecircm comprovado que esse papei foi usurpado e a divida puacuteblica se transformou em um instrumento agrave disposiccedilatildeo dos donos do poder financeiro^ou seja ao inveacutes de jportar recursos ao Estado tem sido um mecanismo de transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor finarccedilceiro privado

Ta) proeza eacute possibilitada por um arcabouccedilo de privileacutegios de ordem lega poliacutetica finanshyceira e econoacutemica que denominamos Sistema da Diacutevida que visa a garantir prioridade absoluta aos pagamenshytos financeiros da diacutevida puacuteblica em detrimento de direitos humanos e sociais de toda a naccedilatildeo

A fim de exemplificar como opera o Sistema da Diacutevida no Brasil cabe mencionar alguns privishyleacutegios evidenciados no modelo econoacutemico e na estrutura legal possibishylitados pelo equivocado

sistema poliacutetico que permite o financiamento privado de campanhas eleitorais

MODELO ECONOacuteMICOO modelo econoacutemico adotado no Paiacutes eacute comshy

pletamente voltado para a garantia dos privileacuteshygios da diacutevida o que se evidencia pelas seguintes caracteriacutesticas

Poder exacerbado do setor financeiro espeshycialmente bancos privados e FMI frequenteshymente identificado como 0 Mercado cujo comportamento acaba justificando poliacuteticas econoacutemicas nocivas ao Paiacutes e que beneficiam somente a eles mesmos tais como a praacutetica de juros altos as privatizaccedilotildees de setores estashytais estrateacutegicos entre muitas outras

Financeirizaccedilatildeo baseada em papeacuteis caracteshyrizada pela proliferaccedilatildeo de Fundos Soberano do Preacute-Sal de Previdecircncia etc que absorvem todo o risco do mercado financeiro desregu- lado Tais fundos podem se transformar em veiacuteculos para a transmissatildeo para o Brasil dos papeacuteis podres que provocaram a atua crise financeira internacional

FUNDO DE PENSAtildeO

57a d I v i o a - uacute raquobull i r a f m d f r a t e | Caderno de estudos

58Caderno de estudos

Liberdade total para os fluxos de capitais pershymitindo que bancos nacionais utilizem setores sediados no exterior para usufruir da isenccedilatildeo tributaacuteria sobre os rendimentos proporcionashydos pelos mais elevados juros do mundo pagos pelo Brasil Adicionalmente essa liberdade de movimentaccedilatildeo deixa vulneraacuteveis as poliacuteticas monetaacuteria e cambia praticadas no Pais

Ausecircncia de Transparecircncia nas negociaccedilotildees que geraram endividamento puacuteblico na divulgaccedilatildeo dos valores dos juros nominais efetivamente pagos sigilo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida puacuteblica aleacutem da utilizaccedilatildeo de artifiacutecios e decishysotildees baseadas em documentos secretos natildeo acessiacuteveis agrave populaccedilatildeo

Prioridade para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrada em poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria que representam elevados ganhos ao setor financeiro

Privileacutegios tributaacuterios para o setor financeiro e grandes corporaccedilotildees e pesada carga tributaacuteria para a classe trabalhadora

Esse modelo vem submetendo sucessivos governantes - ainda que de partidos diferentes- ao mesmo poder econoacutemico que financia as suas campanhas eleitorais e dessa forma exerce grande influecircncia nas decisotildees poliacuteticas do Paiacutes

Adicionalmente os donos do poder financeiro exercem o controle da grande miacutedia como antes mencionado e natildeo raro financiam instituiccedilotildees de ensino para desenvolver robustas teses em defesa do funcionamento desse injusto modelo que os beneficia

OS PRIVILEacuteGIOS LEGAIS DA DIacuteVIDA

V imos que a diacutevida puacuteblica brasileira tem consumido anualmente quase a

metade dos recursos da Uniatildeo provenienshytes tanto de arrecadaccedilatildeo tributaacuteria como da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

Para conseguir essa faccedilanha a diacutevida conshyta com um enorme arcabouccedilo de ordem legal- uma superestrutura juriacutedica - que garante a prioridade de recursos para os pagamentos finanshyceiros da diacutevida puacuteblica enquanto que remanesce desassistida uma significativa porccedilatildeo dos direitos sociais e humanos do povo brasileiro

Constituiccedilatildeo FederalEacute na Constituiccedilatildeo Federal que tem iniacutecio o

arcabouccedilo juriacutedico que garante os privileacutegios da diacutevida Vejamos o que determina o art 166

Art 166 Os projetos de lei relativos ao plano pluria- nual agraves diretrizes orccedilamentarias ao orccedilamento anual

e aos creacuteditos adicionais seroo apreciados pelas duas

Casas do Congresso Nacional na forma do regimento

comum

U

sectS As emendas ao projeto de lei do orccedilamento

anual ou aos projetos que o modifiquem somente

podem ser aprovadas caso

()II - indiquem os recursos necessaacuterios admitidos

apenos os provenientes de anulaccedilatildeo de despesa

excluiacutedas as que incidam sobre

()b) serviccedilo da divida

Segundo diretriz consagrada no direito finanshyceiro toda despesa puacuteblica deve trazer consigo no orccedilamento em que estiver prevista a fonte e o montante dos recursos a elas destinados

0 dispositivo constitucional antes transcrito- letra b do art 166sect3Ecirc II - abriu exceccedilatildeo a essa regra quando se tratar de necessidade de recursos puacuteblicos destinados ao pagamento da diacutevida puacuteblica que NAtildeO necessitam ter sua fonshyte prevista no orccedilamento

0 efeito claro desse dispositivo eacute a liberaccedilatildeo indiscriminada de valores para o pagamento de serviccedilos da diacutevida inclusive com impacto negashytivo sobre os gastos sociais Quando os recursos- mesmo apoacutes os contingenciamentos de gastos sociais - nagraveo satildeo suficientes para pagar o serviccedilo da diacutevida novos tiacutetulos da diacutevida satildeo emitidos provocando-se elevaccedilatildeo contiacutenua de seu estoshyque apesar dos vultosos pagamentos

Aleacutem do mais este dispositivo constitucional impede que o Legislativo - por meio de emenshydas - altere o valor destinado ao pagamento do serviccedilo da diacutevida Em bom portuguecircs o Congresso Nacional fica vaacuterios meses discutindo tudo sobre o Orccedilamento menos o essencial ou seja o serviccedilo da diacutevida que consome a maior parcela dos recursos puacuteblicos

CONSTITUICcedilAtildeO FRAUDADA

A inserccedilatildeo desse dispositivo no texto constitushycional eacute bastante questionada

Importante estudo realizado no ano de 2006 por Adriano Benayon e Pedro Antonio Dourado de Rezende demonstrou uma grave irregularidade praticada durante o periacuteodo da Constituinte

O estudo Anatomia de uma Fraude agrave Constituiccedilatildeo eacute acompanhado de uma seacuterie de documentos fotos e publicaccedilotildees

Segundo os autores o projeto do atual art 166 da Constituiccedilatildeo natildeo incluiacutea nenhuma exceccedilatildeo ao dispositivo segundo o qual as emendas ao projeshyto de lei do orccedilamento anual ou aos projetos que o modifiquem somente podem ser aprovadas caso indiquem os recursos necessaacuterios E assim foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) No momento da sistematizaccedilatildeo do texto constitucional o artigo passou agrave votaccedilatildeo em segundo turno sem nenhushyma alteraccedilatildeo acompanhado das emendas correshylatas As emendas poderiam versar apenas sobre erros ou contradiccedilotildees Contudo no momento da votaccedilatildeo surgiram emendas que diziam respeito agrave alteraccedilatildeo de meacuterito

Ao cumprir a Ordem do Dia o presidente da ANC anunciou a fusatildeo das propostas de Emenda do artigo () com outras relativas a outros

artigos pondo em votaccedilatildeo um uacutenico texto para os tregraves artigos que supostamente as reunia para votaccedilatildeo simultacircnea Nesse iacutenterim foram irreshygularmente adicionados dispositivos agrave redaccedilacirco que havia sido aprovada em primeiro turno e que alteravam substancialmente o dispositivo originai Os dispositivos adicionados () surgishyram somente no Requerimento apresentado no dia de votaccedilatildeo Dessa forma as exceccedilotildees hoje verificadas no texto constitucional foram subshymetidas agrave votaccedilatildeo somente no 2o turno como se fosse meramente uma compilaccedilatildeo do que jatilde havia sido votado Induzidos os constituintes aprovaram o artigo por ampia maioria (408 favoshyraacuteveis 5 contraacuterios e 12 abstenccedilotildees)

Posteriormente a irregularidade foi assumishyda publicamente pelo entatildeo deputado Nelson Jobim

Apesar de denuacutencias e protestos ateacute o momento esse dispositivo que carrega forte evidecircncia de viacutecio de origem permanece intacto e produzindo onerosos efeitos Esse dispositivo constitucional suspeito de fraude garante prioshyridade absoluta agrave diacutevida puacuteblica

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL-LRF

Outro privileacutegio da diacutevida eacute evidenciado na Lei de Responsabilidade Fiscal - Lei

Complementar na 1012000 - LRFEsta lei saudada pela grande miacutedia e por setores

dominantes como se fosse a lei que viria potilder fim agrave corrupccedilatildeo puacuteblica na realidade natildeo trata de desvio de recursos maacute versaccedilatildeo ou mesmo corrupccedilatildeo

A referida lei trata de controle do gasto puacuteblico a fim de garantir o pagamento da diacutevida puacuteblica

A LRF resultou de uma imposiccedilatildeo do Fundo Monetaacuterio Internacional ao governo brasileiro seguindo a esteira do organismo no sentido da defesa incondicionada da austeridade fiscal

Na praacutetica essa austeridade significa o rigoroso controle dos gastos puacuteblicos gerando uma ecoshynomia forccedilada uma sobra de recursos que se denomina superavit primaacuterio destinado a garantir a confianccedila dos credores internacionais de que o Brasil teraacute recursos para honrar o pagamento dos vultosos juros da divida

59a d iacute v i c a f j e l c a FM o E 0 a i t I Caderno de estudos

Para cumprir a meta de superaacutevit primaacuterio os sucessivos governos tecircm iniciado cada ano com a ediccedilatildeo de um decreto para o contingenciamento de verbas que o orccedilamento votado no Congresso Nacional havia destinado agraves diversas aacutereas sociais

O atual governo da Presidenta Diiacutema editou em 2011 o Decreto 74452011 contingenciando o montante recorde de R$ 50 bilhotildees

Em 2012 novo recorde foi batido e o Decreto 76802012 contingenciou o montante de R$ 55 bilhotildees o que comprova a rigorosa contenccedilatildeo do orccedilamento destinado agraves aacutereas sociais

De acordo com o art 73 da LRF caso o admishynistrador puacuteblico deixe de pagar os serviccedilos da diacutevida - ainda que para evitar a falecircncia dos sershyviccedilos baacutesicos do Estado ou mesmo caso a diacutevida cresccedila de maneira inesperada por conta de uma elevaccedilatildeo dos juros - poderaacute responder por crime de responsabilidade

O Art16 da LRF tambeacutem impede que Legislativo aprove qualquer projeto de lei que implique em aumento de gastos sociais Por outro lado a refeshyrida lei natildeo estabelece limite algum para os gastos com a diacutevida puacuteblica Tambeacutem natildeo estabelece limite para o custo da poliacutetica monetaacuteria desemshypenhada pelo Banco Central - que gerou prejuiacutezos brutais de R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 201 Oe R$ 445 bilhotildees no I2 semestre de 2011

- e ainda por cima determina que esse prejuiacutezo seja absorvido pelo Tesouro Nacional

A mesma lei tambeacutem faz seacuterias restriccedilotildees a Estados e Municiacutepios impondo-lhes que sigam os objetivos da poliacutetica econoacutemica nacional os quais como temos demonstrado natildeo satildeo outros que natildeo garantir de modo absoluto o credor financeiro e congelar os dispecircndios sociais Trata-se de clara afronta ao principio federativo e mais uma das divershysas irregularidades legitimadas pelo ordenamento juriacutedico brasileiro que precisam ser revistas

LEI DE DIRETRIZES ORCcedilAMENTAacuteRIAS

T ambeacutem a LDO (Lei de DiretrizesOrccedilamentarias) que anualmente estabelece as linhas gerais

do orccedilamento do exerciacutecio posterior corrobora a primazia da diacutevida puacuteblica no ordenamento juriacutedico brasileiro A tiacutetulo de exemplo veja-se o que estabelece o art 2pound da diretriz orccedilamentaacuteria de 2012

Art 2o- A elaboraccedilatildeo e a aprovaccedilatildeo do Projeto de

Lei Orccedilamentaacuteria de 2012 bem como a execuccedilatildeo

da respectiva Lei deveratildeo ser compatiacuteveis com

a obtenccedilatildeo da meta de superaacutevit primaacuterio ()

9 MIRANDA Seacutergio A farsa do Lei de Responsabilidade Fiscal

Brasiacutelia- Cacircmara dos Deputados 2000

60

Caderno de estudos | D i v [gt A p tt 3 1 i o a F m l _ R a ~ t

Dessa forma a elaboraccedilatildeo do orccedilamento da Uniatildeo passa a ter como princiacutepio fundamental a obtenccedilatildeo de superaacutevit primaacuterio A partir do estashybelecimento desta reserva de recursos para a divishyda os recursos primaacuterios satildeo distribuiacutedos agraves demais rubricas Eacute importante ressaltar que essa poliacutetica que reserva centenas de bilhotildees de reais de receitas natildeo-primaacuterias para o pagamento de juros e amortishyzaccedilotildees da diacutevida - e aleacutem disso reserva parte subsshytancial das receitas primaacuterias tambeacutem para esse fim- tem travado completamente o desenvolvimento do paiacutes (ver item Superaacutevit Primaacuterio no capiacutetulo 3) A diacutevida absorve cerca de metade de todas as receitas - primaacuterias e natildeo-primaacuterias - impedindo a realizaccedilatildeo de investimentos reajustes salariais para servidores e atendimento agraves necessidades sociais

A LDO tambeacutem estabelece que a atualizaccedilatildeo da diacutevida puacuteblica federa natildeo deveraacute superar o IGP-M - iacutendice divulgado por instituiccedilatildeo privada a Fundaccedilatildeo Getulio Vargas

A LDO tem estabelecido que a parte do refishynanciamento da diacutevida puacuteblica deve constar separadamente do orccedilamento o que tem provoshycado grande distorccedilatildeo na divulgaccedilatildeo dos nuacutemeshyros oficiais da diacutevida como antes mencionado (ver item Os nuacutemeros da diacutevida no capiacutetulo 4)

O DOGMA DE COMPRARA CONFIANCcedilA DO DEUS MERCADO

O arcabouccedilo juriacutedico que privilegia os gasshytos financeiros em detrimento dos direitos

sociais eacute resultado de um processo da histoacuteria brasileira que consolidou no senso comum a ideia de que eacute mais importante para o Paiacutes manter sua imagem de bom pagador perante credores e especuladores que fornecer ao seu povo um serviccedilo puacuteblico de qualidade ainda que isso sigshynifique insistir no pagamento de diacutevidas ilegais ilegiacutetimas e insustentaacuteveis

Tambeacutem eacute de se notar com clareza a influecircncia externa sofrida para que fossem aprovadas medishydas como essa Apoacutes esgotar os recursos do paiacutes e travar o nosso desenvolvimento com as poliacuteticas impostas na deacutecada de 1980 o FMI continuou a impor com matildeo de ferro a agenda neoliberal no Brasil E isso se fez com especial vigor pela implanshytaccedilatildeo do Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo resultado de negociaccedilatildeo com o oacutergatildeo financeiro

Poressa metodologia posta em praacutetica a partir do Decreto n 308899 todas as vezes em que se projetar um aumento da inflaccedilatildeo em niacutevel superior ao programado ou houver excesso de moeda em circulaccedilatildeo ativam-se dois instrumentos (a) aumenshyto da taxa baacutesica de juros (Selic) (b) enxugamento de moeda em operaccedilotildees de mercado aberto

Qualquer que seja o instrumento utilizado o efeito resulta em aumento da diacutevida puacuteblica pois

a) A elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic provoca a elevaccedilatildeo dos compromissos financeiros relashycionados ao pagamento de juros da diacutevida Se os recursos existentes natildeo satildeo suficientes nova diacutevida eacute emitida

b) O enxugamento de moeda pelo Banco Centrai se daacute por meio da entrega de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica em troca do excesso de moeda

Dessa forma o Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo em praacutetica no Paiacutes natildeo tem servido para controlaro tipo de inflaccedilatildeo que temos (decorrente do reashyjuste excessivo de tarifas puacuteblicas e do preccedilo de alimentos) e na praacutetica tem sido um mecanismo de geraccedilatildeo de diacutevida puacuteblica

OUTROS PRIVILEacuteGIOS QUE GARANTEM A DESTINACcedilAtildeO DE RECURSOS PARA O PAGAMENTO DA DIacuteVIDA

A leacutem dos questionaacuteveis privileacutegios legais visshytos existem outros privileacutegios adicionais que

garantem a destinaccedilatildeo de recursos para o serviccedilo da diacutevida

Lucro do Banco Central Quando o Banco Central apura lucro operacional esse lucro eacute destinado exclusivamente ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Medida Provisoacuteria na 2179-362001 Art 2a sect1He Lei 118032008 Art 32

Os valores pagos na forma do inciso I do art 2nda Medida Provisoacuteria n 2179-36 de 24 de agosto de 2001 [lucro do BC] seracirco destinados exclusivamente ao pagamento da Diacutevida Puacuteblica Mobiliaacuteria Federal devendo ser paga prioritariamente aquela existente junto ao Banco Central do Brasil

61A D v i n a p u b l i c a em B F B A l E I Caderno de estudos

Por outro lado se o Banco Central apura prejushyiacutezo operacional a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que o Tesouro cubra este prejuiacutezo como antes mencionado

Lucro das estatais distribuiacutedos ao govershyno Enquanto a parcela das accedilotildees das estatais que se encontra em matildeos privadas garante a esses proprietaacuterios os respectivos dividendos os lucros referentes agrave parceia das estatais que ainda remanesce sob propriedade puacuteblica eacute destinada por iei para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Lei ns 95301997 - Art 1E Seratildeo destina dos agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

I - a receita do Tesouro Nacional decorshyrente do pagamento de participaccedilotildees e dividendos pelas entidades integrantes da Administraccedilatildeo Puacuteblica Federal indireta inclusive os relativos a lucros acumulados em exerciacutecios anteriores

Eacute por isso que a Petrobras por exemplo emboshyra seja uma das empresas mais lucrativas do mundo acaba contraindo diacutevidas para realizar investimentos Eacute por isso tambeacutem que embora sejamos autossuficientes na produccedilatildeo de petroacuteshyleo a gasolina brasileira eacute tatildeo cara para gerar lucros que iratildeo pagar a diacutevida

Pagamento da diacutevida dos Estados e Municiacutepios com a Uniatildeo A Uniatildeo natildeo usushyfrui dos recursos sacrificados por Estados e Municiacutepios para o pagamento de suas diacutevidas pois por lei o que a Uniatildeo recebe dos Estados e Municiacutepios destina-se exclusivamente ao pagamento da divida federal que em sua maior parte estaacute nas matildeos dos bancos nacionais e estrangeiros

Emissatildeo de novos tiacutetulos Esse constitui um dos principais privileacutegios da diacutevida jaacute que a lei autoriza a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevida Cabe ressaltar que a Constituiccedilatildeo Federal art 167 autoriza a emissatildeo de diacutevida somente para pagar amortizaccedilotildees (despesa de capital) vedando poreacutem a emissatildeo de diacutevida para pagar juros (despesa corrente)Entretanto a contabilizaccedilatildeo irregular de parte dos juros nominais (atualizaccedilatildeo monetaacuteria) como se fosse rolagem vem burlando essa vedaccedilatildeo constitucional

Constituiccedilatildeo Federal art 167Art 167 Satildeo vedados()

III - a realizaccedilatildeo de operaccedilotildees de creacuteditos que excedam o montante das despesas de capital

A Lei 101792001 tambeacutem permite a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevidas anteriores mas natildeo permite a emissatildeo de diacutevida para garantir direitos sociais aos brasileiros

Recursos obtidos com PrivatizaccedilotildeesPor lei os recursos advindos das privatizaccedilotildees do patrimoacutenio puacuteblico se destinaram ao pagashymento da diacutevida puacuteblica

Remuneraccedilatildeo da Conta Uacutenica do Tesouro pelo Banco CentralOs recursos auferidos com tal remuneraccedilatildeo se destinam ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Recursos autorizados pelas Medidas Provisoacuterias ndeg 435 e 450 convertidas nas Leis n2 118032008 e 119432009

62Caderno de estudos | a D I v i DA P Uacute B L I C A fcM D pound u iacute F

Tais medidas permitiram que todos os recursos rtatildeo gastos durante o ano de qualquer rubrica t de receita vinculada por lei a alguma aacuterea social fossem destinados a partir de 2008 ao pagagraveymdash mento da diacutevida puacuteblica T -

Em um uacutenico ano - 2008 - a MP 435 viabilizou a transferecircncia de cerca de R$ 40 bilhotildees de recurshysos antes vinculados a outras aacutereas estrateacutegicas (FUNDAF Royalties do Petroacuteleo entre outras) para o pagamento da diacutevida

Lei nE 119432009 (conversatildeo da MP 435) Art 13 O excesso de arrecadaccedilatildeo e o superaacutevit financeiro das fontes de recursos existentes no Tesouro Nacional poderatildeo ser destinados agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

Epor causa dessa impressionante estrutura legal que a diacutevida puacuteblica consegue absorver a cada ano quase a metade dos recursos da Uniatildeo apesar das evidecircncias de que essa diacutevida tem sido um instrumento meramente financeiro de mercado sem qualquer contrapartida

real para a populaccedilatildeoPor outro lado a populaccedilatildeo que paga a conta - por meto de elevada carga tributaacuteria e peta

ausecircncia dos serviccedilos sociais que tem direito - continua desprovida de bens e serviccedilos elementares a despeito da grande riqueza do nosso Paiacutes que vergonhosamente ostenta o tiacutetulo de um dos paiacuteses mais injustos e desiguais do mundo

Nacirco deveria ser assim Essa situaccedilatildeo precisa ser enfrentada e modificada

ldquoA luta pela verdade deve ter precedecircncia sobre todas as outras

A L B E R T E I N S T E I N

63a D I v i d a p ij B I i c A EM D E B A T E | Caderno de estudos

Page 3: A dívida pública em debate. (livro)

A P i T U L O 3

ODELO ECONOMICO UIVOCADO E JUSTICcedilA SOCIAL n-- mos o Brasil eacute um dos paiacuteses mais ricos _ _ndo sob todos os pontos de vista eco-

iacuteocial cultural natural e humano (CfiacuteS5- dessa riqueza os direitos sociais natildeo

soo zevidamente atendidos em nosso Paiacutes I - ^-ensa maioria da populaccedilatildeo que menos

bull re meios materiais a realizaccedilatildeo dos direi- Eacutes continua sendo uma utopia distante

uma pequena parcela dos brasileiros eacute ia rica e tem oportunidade de ter uma

liacuteSccedilna Existe um imenso fosso social

- SCIAMOS UM GRANDE S4SiDOXO NO BRASIL

= Economia Mundial

1 ior distribuiccedilatildeo de renda do mundo

1 i- no ranking de respeito aos Direitos -Tianos - IDH

PORQUE

E preciso compreender as raiacutezes dessas desishygualdades a fim de possibilitar um amplo

debate orientado para a busca de saiacutedas que modifiquem essa realidade

A adoccedilatildeo de equivocado modelo econoacutemico no Brasil tem aprofunshydado as desigualdades sociais e o desrespeito aos direitos humanos o que se evidencia pela anaacutelise dos seguintes aspectos f

Concentraccedilatildeo de Renda

Pri vatizaccedilotildees

Equivocado Regime de Metas de Inflaccedilatildeo

Modelo Tributaacuterio Injusto

Poliacutetica de Superaacutevit Primaacuterio e Diacutevida Puacuteblica

1 9A DI v i p a P j B 11 C A Q u a l L | Caderno de estudos

CONCENTRACcedilAtildeO DE RENDA

Um dos grandes problemas brasileiros e um dos mais facilmente observaacuteveis eacute que nossa

riqueza estaacute concentrada nas matildeos de poucos grandes proprietaacuterios - nacionais e estrangeiros- de terras e negoacutecios especialmente empreiteishyras e bancos que se dedicam a atividades financeiro-especulativas

Ao longo da nossa histoacuteria as decisotildees poliacuteticas e econoacutemicas tecircm privilegiado esses grandes proprieshytaacuterios (que geralmente financiam as campanhas eleitorais) favorecendo a concentraccedilatildeo de recursos e poder nas matildeos de poucos o que tem reforccedilado as desigualdades sociaisEm razatildeo disso o Brasil eacute consideshyrado atualmente o Bdeg paiacutes mais injusto do mundo

Apesar dos Programas Sociais existentes como o Bolsa Famiacutelia ainda estamos muito distantes de um patamar miacutenimo de justiccedila social

Outro dado indicativo da concentraccedilatildeo da ren da no Brasil foi divulgado peia ONU (Organizaccedilatildeo das Naccedilotildees Unidas) em 2008 indicando que para cada 1 doacutelar destinado aos 10 mais pobres 513 doacutelares satildeo destinados aos 10 mais ricos O niacutevel eacute comparaacutevel a paiacuteses como Guatemala (US$ 4820) Panamaacute US$ 5750) e El Salvador ltUS$ 5750) o que mostra o quatildeo privilegiadas satildeo as elites em nosso Paiacutes

O indice de Gini que mede a concentraccedilatildeo de renda dos paiacuteses - varia de 0a 1 Quanto mais proacuteximo de zero maior a igualdade entre a populaccedilatildeo e quanto mais proacuteximo de 1 mais extrema a desigualdade O Brasil tem o 3o pior iacutendice de Gini do mundo equivashylente a 0538

Em matildeos privadas a reivindicaccedilatildeo de lucros cada vez maiores tem levado ao fornecimento de serviccedilos cada vez mais caros Eacute o caso por exemshyplo dos serviccedilos de telefonia no Brasil que apoacutes a privatizaccedilotildees passaram a ser os mais caros do mundo ao mesmo tempo em que satildeo os campeshyotildees de reclamaccedilotildees dos consumidores As empreshy

sas de telefonia auferem lucros espantosos anualmente e natildeo realishyzam os investimentos necessaacuterios 0 mesmo ocorre com empresas de energia eleacutetrica e transportes puacuteblishycos serviccedilos altamente lucrativos devido ao alto preccedilo das tarifas cobradas

As privatizaccedilotildees tambeacutem aproshyfundaram a concentraccedilatildeo da renshyda no Paiacutes pois uma significativa parte do patrimoacutenio puacuteblico - que pertencia a naccedilatildeo - foi transferido

para privilegiados grandes proprietaacuterios do setor privado nacional e internacional

O processo de privatizaccedilotildees foi iniciado por Fernando Coiacutelor (Siderbraacutes Usiminas) mas avanccedilou tremendamente no governo de Fernando Henrique Cardoso quando foram vendidas as maiores empresas (Embraer Vale do Rio Doce Teiebraacutes Eletropaulo Light Rio jazishydas de petroacuteleo) e diversos bancos estaduais

PRIVATIZACcedilOtildeES

A s privatizaccedilotildees dos serviccedilos de telefonia energia transporte aleacutem de setores da

educaccedilatildeo e sauacutede significaram prejuiacutezos para os brasileiros pois os preccedilos vecircm aumentando bem acima da inflaccedilatildeo exercendo pressatildeo no aumento de diversos outros preccedilos de produtos e serviccedilos Grande parte da inflaccedilatildeo verificada no Paiacutes decorre do excessivo reajuste de tais tarifas sendo que o aumento salarial dos trabalhadores natildeo tem acompanhado a mesma evoluccedilatildeo o que significa uma deterioraccedilatildeo no poder de compra desses trabalhadores

Lula prosseguiu com o processo de privatizashyccedilotildees (rodovias hidroeleacutetricas bancos estaduais e jazidas petroliacuteferas inclusive do Preacute-Sal) Lula tamshybeacutem implementou outros tipos de privatizaccedilaacuteo

20Caderno de estudos | Aacute D I V DA P lj B L I C A = M D t 3 A TF

por meio das PPP - parcerias puacuteblico-privadas - e do Prollni programa que concede incentivos fisshycais a instituiccedilotildees privadas de ensino universitaacuterio em lugar de realizar investimentos para expansatildeo da educaccedilatildeo superior puacuteblica

A atual presidenta Dilma Rousseff tambeacutem realizou inaceitaacuteveis privatizaccedilotildees (previdecircncia dos servidores puacuteblicos aeroportos hospitais universitaacuterios)

A justificativa legal apresentada para a realizashyccedilatildeo dessas privatizaccedilotildees desde o governo Cotlor no inicio da deacutecada de 1990 foi a necessidade de pagamento da divida puacuteblica

Desde o iniacutecio foram feitas diversas denuacutenshycias de irregularidades sobre este processo Entidades de todo o Paiacutes se mobilizaram contra a entrega do patrimoacutenio puacuteblico Accedilotildees judiciais ajuizadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico aguardam ateacute os dias atuais uma decisatildeo final

Ateacute mesmo a Petrobras e o Banco do Brasil tiveram grande parte de suas accedilotildees vendidas a investidores privados - brasileiros e estrangeiros

Eacute importante ressaltar que grande parte das privatizashyccedilotildees foram financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econoacutemico e Social) e que tiacutetulos da diacutevida puacuteblica foram aceitos como moeda de privatizaccedilatildeo Tais tiacutetulos tBrady) vinham sendo negociados no mercado secundaacuterio por cerca de apenas 20 de seu valor de face e ao serem aceitos pelo valor integral para o pagamento das privatizaccedilotildees represenshytaram uma verdadeira liquidaccedilatildeo do patrimoacutenio puacuteblico brasileiro um grande negoacutecio para os compradores das empresas estatais Na praacutetica isso significa que o - jaacute baixo - valor pelo qual as empresas estatais foram leiloadas reduziu- -se ainda mais devido agrave aceitaccedilatildeo dos tiacutetulos da diacutevida brasileira como pagamento

Os efeitos das privatizaccedilotildees estenderam-se para muito aleacutem disso Com a venda de empreshysas puacuteblicas a multinacionais foi incrementada a importaccedilatildeo de insumos equipamentos e tecno- logias algo facilitado pelas medidas de abertura

comercial desencadeadas de Collor em diante por todos os governantes Aumentaram tambeacutem as remessas de lucros ao exterior incrementando- se as perdas de patrimoacutenio nacional Por fim a

diacutevida puacuteblica interna e externa que se falava em reduzir aumentou aceleradamente

Por lei os recursos apurados em privatizaccedilotildees destinam-se ao pagamento da diacutevida puacuteblica Apesar das privatizaccedilotildees essa diacutevida nunca diminuiu ao conshytraacuterio tem crescido continua mente desde o inicio do governa FHC passando por Lula e Dilma Tambeacutem aumentou o Passivo Externo devido ao crescimento das remessas de lucros e compras de insumos no exterior

EQUIVOCADO REGIME DE METAS DE INFLACcedilAtildeO

E evidente que todos os brasileiros satildeo favoshyraacuteveis ao controle da inflaccedilatildeo Ocorre que o

Regime de Metas adotado no Brasil sob detershyminaccedilatildeo do FMI desde 1998 natildeo tem controlado o tipo de inflaccedilatildeo verificado no Paiacutes e ainda sigshynifica um mecanismo de transferecircncia de renda da sociedade para o setor financeiro Isso ocorre I porque tal regime eacute calcado na elevaccedilatildeo da taxa

de juros Selic e no controle do volume de moeda em circulaccedilatildeo

No Brasil ao contraacuterio do que alegam governo e rentistas a inflaccedilatildeo atual natildeo eacute causada por suposto excesso de demanda mas tem sido provocada por contiacutenuos e elevados reajustes dos preccedilos de alimentos e preccedilos administrados principalmente de energia telefonia e combustiacutevel

Esses itens afetam todos os preccedilos de bens e serviccedilos venshy

didos no Paiacutes pois fazem parte da composiccedilatildeo de seus custos Adicionalmente o preccedilo dos alimentos e demais preccedilos administrados natildeo se reduzem quando o governo promove uma elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic

Para CQjTTIacutejatpoundr^sseripo de inflaccedilatildeo - deno- minad^inflaccedilatildeo de preccedilos^ o remeacutedio adeshyquado eacute o efetivo controle de tais preccedilos o que poderia ser feito pelo governo sem grandes dificuldades jaacute que estamos falando justamente de preccedilos que em tese devem ser administrados pelo poder puacuteblico Devido agrave privatizaccedilatildeo de tais serviccedilos a exigecircncia de altos lucros tem provoshycado a elevaccedilatildeo contiacutenua desses preccedilos Aleacutem de afetardiretamente a vida dos brasileiros que consomem tais serviccedilos a elevaccedilatildeo desses preshyccedilos tem pesado no cocircmputo da inflaccedilatildeo e natildeo sofre reduccedilatildeo alguma quando os juros sobem

21| Caderno do estudos

Da forma como regulamentado o Regime de Metas de Inflaccedilatildeo toda vez que a inflaccedilatildeo ameshyaccedila ultrapassar a meta estabelecida (atualmente em 45 ao ano) seu controle tem sido feito por meio da elevaccedilatildeo da taxa Selic desconsiderandoshy-se as verdadeiras causas do aumento de preccedilos no Brasil

Ao mesmo tempo em que os salaacuterios do setor puacuteblico e privado ficaram literalmente congeshylados a partir do Piano Real em 1995 a diacutevida puacuteblica federal passou a ter atualizaccedilatildeo moneshytaacuteria automaacutetica calculada com base em iacutendice publicado por instituiccedilatildeo privada - IGP-M da Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas - que indica a expecshytativa de inflaccedilatildeo

Aiacute estaacute um dos grandes equiacutevocos e distorshyccedilotildees do modelo econoacutemico em vigor no Paiacutes que privilegia o setor financeiro

0 resultado foi o crescimento explosivo dos gastos com a diacutevida puacuteblica federal em detrimenshyto dos gastos com serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo como mostra o graacutefico abaixo

A outra ferramenta utilizada pelo Banco Central para controlara inflaccedilatildeo tem provocado o crescimento acelerado da diacutevida e acumulado

reservas internacionais a um custo altiacutessimo para o Paiacutes Ateacute a presidenta Dilma reclamou do excesso de moeda que tem ingressado no Brasil manifestando-se publicamente contra o que chashymou de tsunami

0 mecanismo que impediria esse tsunami seria a implantaccedilatildeo de controle de capitais o que jaacute vem sendo praticado por diversos paiacuteses em todoo mundo

Ao contraacuterio de estabelecer esse controle sobre o ingresso de capitais o Banco Central tem enxugado esse excesso de moeda por meio das chamadas Operaccedilotildees de Mercado Aberto mediante as quais fica com o excesso de doacutelares e entrega tiacutetulos da diacutevida puacuteblica brasileira aos bancos

A justificativa para tais operaccedilotildees eacute o risco de que tal excesso possa provocar inflaccedilatildeo

Desde que o doacutelar comeccedilou a se desvalorizar em todo o mundo o volume dessas operaccedilotildees de mercado aberto passou a aumentar acelerashydamente pois os especuladores viram o gatilho acionado pelo Regime de Metas de Inflaccedilatildeo como uma tremenda oportunidade para trazer seus doacutelares para o Brasil e trocaacute-los por tiacutetulos

Orccedilamento Geral da Uniatildeo - Gastos Selecionados (R$ bilhotildees)

800 gt

se

C

Fonte Secretaria do Tesouro Nacional (STN)SIAF1 (Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal) Inclui a poundgC rolagem ou ldquorefinanciamento da diacutevida

22Caderno de estudos I A Q I v I C A F Uacute B L C A e m O F B A T E

Juros e

da diacutevida puacuteblica brasileira que pagam os maioshyres juros do mundo isentos de qualquer tributo podendo fugir do Paiacutes quando bem entenderem engordados pela variaccedilatildeo cambial

Por sua vez o Banco Central fica com os doacutelashyres e os destina agraves Reservas Internacionais que jaacute se aproximam de US$ 400 bilhotildees e natildeo rendem quase nada ao Paiacutes pois estatildeo aplicadas em granshyde parte em tiacutetulos da diacutevida norte americana que pagam juros proacuteximos de zero e ainda temos que arcar com os custos de senhoriagem

Por isso o Banco Central (BC) tem apresentashydo nos uacuteltimos anos prejuiacutezos bilionaacuterios R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 e no 1s semestre de 2011 R$ 445 bilhotildees tudo isso transshyferido para o Tesouro Nacional e arcado por todos os brasileiros Contudo quando o BC apresenta lucro operacional este eacute destinado exclusivamenshyte por lei para o pagamento da diacutevida

Dessa forma a prioridade do atual modelo econoacutemico para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrado nas poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria tem provocado grandes danos financeiros

MODELO TRIBUTAacuteRIO INJUSTO

A maneira mais oacutebvia de promover justiccedila fiscal e distribuir renda seria por meio da

cobranccedila de tributos de forma justa ou seja os mais ricos contribuiriam mais para que os recurshysos arrecadados pelo Estado pudessem ser aplicashydos em poliacuteticas puacuteblicas que beneficiassem toda a populaccedilatildeo especialmente aos mais pobres

Natildeo eacute isso que ocorre no Brasil O sistema trishybutaacuterio brasileiro eacute extremamente regressivo pois a maior parte dos tributos satildeo indiretos embutidos nos preccedilos de todos os produtos e serviccedilos que satildeo consumidos igualmente por pobres e ricos

bull Contraditoriamente os mais beneficiados comI aliacutequotas reduzidas isenccedilotildees incentivos fiscais j e deduccedilotildees satildeo justamente aqueles que mais ^poderiam contribuir para as financcedilas puacuteblicas

O exemplo mais contundente desse benefiacutecio eacute o fato de que ateacute hoje ainda natildeo foi regulamenshytado o Imposto sobre Grandes Fortunas previsto na Constituiccedilatildeo Federal de 1988

Adicionalmente desde o governo FHC a poliacuteshytica fiscal regressiva tem se voltado ao privileacutegio do sistema financeiro e grandes corporaccedilotildees

Dentre os benefiacutecios tributaacuterios concedishydos ao capital financeiro durante os anos FHC destacam-se

reduccedilatildeo da aliacutequota do Imposto de Renda das instituiccedilotildees financeiras - 1RPJ - de 25 para15

reduccedilatildeo do adicional do IRPJ de 12 e 18 para10

reduccedilatildeo da Contribuiccedilatildeo Social sobre o Lucro Liquido - CSLL de 30 para 8 posteriormente elevada para 9

reduccedilatildeo da base de caacutelculo do IRPJ e da CSLL ao permitir a deduccedilatildeo dos juros sobre capital proacuteprio

isenccedilatildeo do imposto de renda sobre remessa de lucros e dividendos ao exterior

Lula manteve todos esses privileacutegios e ainda concedeu outros sobressaindo-se a isenccedilatildeo de Imposto de Renda para estrangeiros que lucram com os tiacutetulos da diacutevida interna brasileira por meio da Lei 113122006

Ao mesmo tempo em que foram aprovadas leis que garantiram essas benesses ao grande capital outras normas aumentaram os tributos sobre o consumo impactando sobremaneira as classes mais baixas que empregam a totalidade de seus rendimentos no consumo de bens essenciais agrave sua sobrevivecircncia

23A n I V D A P Uacute B L I C A EM C E B A l L I Caderno de estudos

AS BENESSES TRIBUTARIAS DOS ESPECULADORES

Lei 113122006

Art 1 Fica reduzida a zero a aliacutequota do imposto de renda incidente sobre os rendimentos () proshyduzidos por tiacutetulos puacuteblicos adquiridos a partir de 16 de fevereiro de 2006 quando pagos creshyditados entregues ou remetidos a beneficiaacuterio residente ou domiciliado no exterior

Aleacutem disso desde o Plano Reai a classe trabashylhadora vem sendo pesadamente onerada face ao congelamento da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Fiacutesica

Essa medida faz com que o trabalhador passe a pagar mais Imposto de Renda quando obteacutem meros reajustes inflacionaacuterios que natildeo modificam seu padratildeo de vida ou sua capacidade contributiva Apesar dos reajustes ocorridos a atualizaccedilatildeo da tabela do IRPF ainda acumula mais de 50 de defa- sagem o que caracteriza um verdadeiro confisco

Essas injusticcedilas do modelo tributaacuterio aproshyfundam o fosso social De acordo com pesshyquisa recente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econoacutemica Aplicada) pessoas cuja renda mensai

familiar alcanccedilava ateacute dois salaacuterios miacutenimos comprometiam 539 dos seus ganhos com o pagamento de tributos enquanto que outras com renda superior a 30 salaacuterios miacutenimos comprometiam apenas 29 3 A mesma pesshyquisa mostra que cerca de 50 da nossa carga tributaacuteria eacute indireta incidindo sobre o consushymo e atingindo indiscriminadamente a toda a populaccedilatildeo independentemente da renda e da riqueza Dessa maneira o pobre que faz suas compras no supermercado paga o mesmo imposto do milionaacuterio A renda por sua vez influencia em apenas 19 a carga tributaacuteria do Paiacutes Nos Estados Unidos ela responde por 49 dos gastos dos cidadatildeos com tributos

A carga tributaacuteria brasileira em meacutedia natildeo eacute considerada alta se comparada agrave de outros paiacuteshyses Contudo quando se observa a ausecircncia ou extrema insuficiecircncia do devido retorno em bens e serviccedilos puacuteblicos constata-se o caraacuteter extrema mente injusto da tributaccedilatildeo brasileira Ademais os tributos arrecadados destinam-se principalmente para o pagamento de juros da diacutevida puacuteblica o que caracteriza seu desvio de finalidade

2 Fonte lthttpamaivDsuolcombramaivos09noticiagt

ldquoLEI KANDIR

A discussatildeo sobre a tributaccedilatildeo no Brasil natildeo pode passar ao largo de um dos instrumentos mais controversos de estiacutemulo agrave exportaccedilatildeo - a chamada LeiKandir

Esta lei (Lei Complementar 871996) entrou em vigor em 1996 Por seus dispositivos isenta do pagamento de tributo estadua - ICMS (Imposto sobre Circulaccedilatildeo de Mercadorias e Serviccedilos) - a comercializaccedilatildeo de produtos destinados agrave exportaccedilatildeo com o claro objetivo de atingir um superaacutevit na balanccedila comerciai e gerar divisas para o pagamento da diacutevida externa

Essa isenccedilatildeo de ICMS representou uma grande perda de receitas para Estados e Municiacutepios que repartem o produto da arrecadaccedilatildeo do imposto Ao mesmo tempo a medida favoreceu enormemente aos grandes exportadores

Para compensar a perda dos Estados e Municiacutepios a Uniatildeo se obrigou por meio da referida lei a compensar as unidades federativas na proporccedilatildeo de 75 para os Estados e 25 para os Municiacutepios A forma de compensaccedilatildeo contudo foi a emissatildeo de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica Por muito tempo a Uniatildeo restituiu apenas parcialmente o valor devido Atualmente o governo sequer reconhece o dever de indenizaccedilatildeo aos Estados omitindo-se ateacute mesmo de prever os recursos indenizatoacuterios na Lei Orccedilamentaacuteria agravando o problema de arrecadaccedilatildeo nos Estados A medida tem contribuiacutedo para agravar a crise das financcedilas estaduais estimulada por outro lado pelas imensas diacutevidas que estes contraem perante a Uniatildeo

2 4Caderno de estudos [ A Cl v 1 rgt A p uacute b l i c a e m C E U a t e

POLIacuteTICA DE SUPERAVIT PRIMAacuteRIO E DIacuteVIDA PUacuteBLICA

Embora ainda pouco discutido o principal problema econoacutemico do Brasil eacute a chamada

diacutevida puacuteblica tratada com mais detalhes nos capiacutetulos seguintes

JEcircSUPERAacuteVIT PRIMAacuteRIO

O superaacutevit primaacuterio eacute a economiardquo forccedilada de gastos puacuteblicos para o cumprimento de meta imposta pelo FMI ao Brasil desde 1998 Esse valor eacute calculado como um percentual do PIB mas recai unicamente sobre a parte do orccedilamento referente aos gastos primaacuterios isto eacute sobre os gastos e investimentos sociais

Os gastos com juros da diacutevida - classificados como natildeo-primaacuterios - natildeo entram nesse cocircmpushyto Da mesma forma as receitas natildeo-primaacuterias especialmente a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida tambeacutem natildeo entram no caacutelculo da meta de superaacutevit primaacuterio

A consequecircncia dessa foacutermula draconiana eacute o arrocho fiscal sobre os gastos sociais para que cada vez mais recursos puacuteblicos sejam destinados ao pagamento de juros da diacutevida Trata-se de escandaloso privileacutegio aos rentistas proprietaacuterios dos tiacutetulos da diacutevida brasileira - em sua imensa maioria instituiccedilotildees do sistema finanshyceiro nacional e internacional - pois os gastos

com os juros satildeo liberados da meta de superaacutevitDessa forma centenas de bilhotildees de reais de

recursos obtidos com a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida e demais fontes natildeo-primaacuterias (tais como o recebimento de juros e amortizaccedilotildees das diacutevidas de estados e municiacutepios com a Uniatildeo eventuais lucros do Banco Central entre outros) soacute podem ser destinados ao pagamento dos juros pois se forem destinados a gastos sociais a meta de superaacutevit primaacuterio natildeo seria cumprida

Por meio dessa foacutermula o privileacutegio do pagashymento de juros da diacutevida se sobrepotildee aos direitos sociais e ao atendimento das urgentes necessidashydes do povo brasileiro

0 Congresso Nacional aprovou em 17072012 a Lei de Diretrizes Orccedilamentarias (LDO) para 2013 prevendo a meta de superaacutevit primaacuterio correspondente a R$ 1559 bilhotildees para a Uniatildeo Estados e Municiacutepios Entretanto o seu efeito alcanccedila quase R$ 1 trilhatildeo ou seja cerca da metashyde do Orccedilamento Geral da Uniatildeo na medida em que obriga que receitas natildeo-primaacuterias sejam destinadas diretamente para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Por isso eacute urgente auditar essa diacutevida - como manda a Constituiccedilatildeo Federal - e destrinchar os malabarismos que tecircm sido feitos para desviar cada vez mais recursos puacuteblicos para o setor financeiro privado

Em 2011 foram gastos quase R$ 2 biiacutehotildees por dia com a diacutevida puacuteblica Quem paga essa conta

Todos noacutes brasileiros pagamos a diacutevida puacuteblica de vaacuterias formas Pagamos diretamente por meio dos tributos embutidos em tudo o que consumimos ou recebemos Pagamos tambeacutem por meio dos serviccedilos puacuteblicos que deixamos de receber em razatildeo do corte de

gastos da Sauacutede Educaccedilatildeo Seguranccedila Transporte Saneamento Cultura Assistecircncia Social etc Por isso todos temos o direito de saber afinal que diacutevida eacute essa

25A D V I D A F uacute B L CA F M D E B A T E Caderno de estudos

O PAGAMENTO DE JUROS E AMORTIZACcedilOtildeES DA DIacuteVIDA CONSOME QUASE A METADE DOS RECURSOS DA UNIAtildeO

Elaboraccedilatildeo Auditoria Cidadatilde da Divida Nota 0 valor de R$ 708 bilhotildees inclui o chamado refinanciamento ou roiacuteagem pois a CPI da Divida Puacuteblica comprovou que parte relevante dos juros satildeo contabilizados como tal Para mais informaccedilotildees ver lthttpwwwauditoriacidadaorgbrwp-contentuploads201204Numerosdividapdfgt

26Caderno de estudos | acirc I V i D A P D B L 1 e A IacuteM d e s a t p

Orccedilamento Geral da Uniatildeo de 2011 - Executado - Total R$ 1571 trilhatildeo

Juros e Amortizaccedilatildeo

da Diacutevida

4505mdash imdash

R$ 708 bilhotildees

Transferecircncia para Estados e Municiacutepios

012 Relaccedilotildees Exteriores

012 Organizaccedilatildeo Agraacuteria

010 Induacutestria

008 Com eacutercio e Serviccedilos

008 Urbanism o

006 Direitos de C idadania

004 Cultura

004 Com unicaccedilotildees

003 Energia

002 Desporto e Lazer

002 Saneam ento

000 H abitaccedilatildeo

Gestatildeo Am bien ta 015 Ciecircncia e Tecnologia 032

Essencial agrave Ju s ticcedila 034 Leg is la tivo 036

Seguranccedila Puacuteb lica 041 Agricu ltura 061 Transporte 068

A dm in istraccedilatildeo 110 Jud ic iaacute rio 134

Defesa Nacional 177 Trabalho 229

AssistecircnciaS 285 Educaccedilatildeo 299

Sauacutede 407

C A P Iacute T U L O

A DIacuteVIDA PUacuteBLICA BRASILEIRAT odas as naccedilotildees devem garantir vida digna agrave

sua populaccedilatildeo Por isso elas satildeo autorizadas a contrair diacutevidas dentro de determinados limites e condiccedilotildees legais pois nem sempre os recursos arrecadados por meio dos tributos alcanccedilam os montantes suficientes ao atendimento das necesshysidades sociais

Portanto a diacutevida puacuteblica deveria ser um importante instrumento de financiamento do Estado e um meio viabilizador da implementaccedilatildeo de investimentos e poliacuteticas puacuteblicas

Entretanto as auditorias realizadas nos uacuteltimos plusmnanos tecircm demonstrado que o processo de endi-

vidamento foi usurpado pelo sistema financeiro privado ou seja ao inveacutes de aportar recursos ao Estado a diacutevida puacuteblica tem sido utilizada como um mecanismo meramente financeiro que retira recursos puacuteblicos e os transfere principalmente para o setor financeiro privado Eacute o que chamashymos de Sistema da Divida

Para tratar a questatildeo politicamente e de forma democraacutetica devem ser fornecidos os instrumenshytos que possibilitem o plerro conhecimento da realidade financeira do Paiacutes tornando a populashyccedilatildeo capaz de decidir sobre que tipo de alocaccedilatildeo de recursos eacute mais desejaacutevel aos interesses da naccedilatildeo

0 QUE Eacute DIacuteVIDA PUacuteBLICA

A diacutevida puacuteblica abrange empreacutestimos contraiacuteshydos pelo Estado junto a instituiccedilotildees financeishy

ras puacuteblicas ou privadas no mercado financeiro interno ou externo bem como junto a empresas organismos nacionais e internacionais pessoas ou outros governos

A diacutevida puacuteblica federal pode ser formalizada por meio de contratos celebrados entre as partes ou por meio da oferta de tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Teoricamente a diacutevida puacuteblica eacute classificada como diacutevida interna ou diacutevida externa deacordo com a localizaccedilatildeo dos seus credores e com a moeda envolvida nas operaccedilotildees

Historicamente eacute muito importante estudar a evoluccedilatildeo dessas duas diacutevidas de forma separada como faremos nos capiacutetulos seguintes

RiacutePUacuteSUCA FEDfSATIVA DO SRftSJl (3

LETRA DO TESOURO NACIONAL100 00 00000

0 3AHC0 C lraquo TR t 0 0 laquoA $ U

H IacuteK Iraquoi lsquoiacutewhvi laquo raquo Sr raquo dt )gtraquolaquobull iacutej(L tf x

DEZ M IIH Ograve E S OE CRLJZEIRDS j

Poreacutem atualmente diante da ausecircncia de resshytriccedilotildees ao ingresso e saiacuteda de moedas internacioshynais no Brasil por meio do sistema bancaacuterio - o que convencionalmente se chama de liberdade de movimentaccedilatildeo de capitais - esses conceitos precisam ser revistos pois bancos e instituiccedilotildees estrangeiras satildeo credores da diacutevida internardquo da mesma forma que bancos e instituiccedilotildees brasishyleiros podem ser credores da diacutevida externa Aleacutem disso o Brasil tem emitido tiacutetulos da diacutevida externa em reais Tais exemplos demonstram que atualmente a natureza de ambas as diacutevidas- interna e externa - se confunde

Somando-se a chamada diacutevida interna com a externa temos o total da diacutevida puacuteblica brasileira

Em dezembro2011 a diacutevida puacuteblica brasileira alcanccedilou R$ 3 trilhotildees o que corshyresponde a 78 do PIB pois a Diacutevida interna alcanccedilou R$ 25 trilhotildees e a Diacutevida Externa supeshyrou os US$ 400 bilhotildees conforme cifras incluiacutedas no quadro a seguir

Tiacutetulos Puacuteblicos sagraveo obrigaccedilotildees assumidas pelo Estado Haacute muitos anos os tiacutetulos satildeo emitidos unica mente em forma eletrocircnica e natildeo em papel como Ilustra a figura acima

laquo 0 0 I

27a n f v l D a p j B L i c A e m D - li a T c | Caderno de estudos

DIacuteVIDA INTERNA DIacuteVIDA EXTERNA

28Caderno de estudos

Na teoria

Na praacutetica

Diacutevida interna eacute a diacutevida contraiacuteda em moeda nacional junto a residentes no Paiacutes

Grande parte dos tiacutetulos da divida interna brasileira tegravem sido adquiridos por estrangeiros

DIacuteVIDA INTERNA (DEZ2011)RS 253606558601768

(2 TRiLHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586 MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)Fonte Banco Centrai

Divida externa eacute a divida contraida em moeda estrangeira (doacutelar euro iene libra etc) junto a residentes no exterior

Desde 2005 com a desvalorizaccedilatildeo do doacutelar no mercado internacional o Brasil passou a emitir tiacutetulos da diacutevida externa em reaisDIacuteVIDA EXTERNA (DEZ2011)U5$ 40238510282823

(402 BILHOtildeES 385 MILHOtildeES 102 MIL828 DOacuteLARES E 23 CENTAVOS)Fonte Banco Central

No caso da diacutevida interna investidores intershynacionais usufruem os maiores lucros do mundo com as elevadiacutessimas taxas de juros praticadas no Brasil e NAtildeO PAGAM IMPOSTO DE RENDA

Em 2009 os estrangeiros que investiram em tiacutetulos da diacutevida interna brasileira chegaram a lucrar ateacute 50 em um soacute ano (devido agrave soma das altas taxas de juros com a valorizaccedilatildeo do real frente ao doacutelar) sem ter que pagar tributos por isso No mesmo ano o prejuiacutezo do Banco Central do Brasil foi de R$ 147 bilhotildees devido agrave desvalorishyzaccedilatildeo das reservas cambiais compradas com os doacutelares trocados por tiacutetulos da diacutevida interna nas Operaccedilotildees de Mercado Aberto

Constata-se que o processo de endividamenshyto se transformou em um meio de especulaccedilatildeo financeira Considerando que os pagamentos de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida consomem recursos que deveriam destinar-se ao atendishymento das necessidades sociais todo cidadatildeo brasileiro estaacute pagando essa conta e portanto precisa conhecer esse processo

OS NUacuteMEROS DA DIacuteVIDA

A s investigaccedilotildees promovidas pela CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos

Deputados (20092010) revelaram que natildeo haacute a devida transparecircncia nos dados divulgados pelo governo federal em relaccedilatildeo agrave diacutevida puacuteblica tanshyto no que se refere ao seu estoque como em relaccedilatildeo ao fluxo de recursos ou seja o volume de gastos anuais com o pagamento de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida

Tanto a CPI como a Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm denunciado graves distorccedilotildees na apresentashyccedilatildeo dos dados oficiais

| A D Iacute V I D A P C B L I U A L M D [ B A rsquo pound

CUSTO ANUAL DA DIacuteVIDA ou FLUXO DE RECURSOS

Anualmente o orccedilamento geral da Uniatildeo destina ao pagamento de juros e amortizaccedilotildees da diacutevida puacuteblica a mais relevante parcela dos recursos advindos da arrecadaccedilatildeo tributaacuteria e da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

No ano de 2011 o governo federal destinou 4505 do Orccedilamento Executado para tal servishyccedilo da diacutevida puacuteblica ou seja o montante de R$ 708 bilhotildees conforme dados oficiais publicado no SIAFI - Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal retratado no graacuteshyfico anterior

Por que o governo apresenta valores menores para o custo anual da diacutevida puacuteblica

Considerando que os dados apresentados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida satildeo obtidos unicamente por meio de fontes oficiais explishycaremos a seguir os artifiacutecios que tecircm sido utishylizados pelo governo e setores da miacutedia para aliviar a apresentaccedilatildeo dos nuacutemeros da diacutevida agrave sociedade

Cabe destacar os seguintes artifiacutecios que foram denunciados pela CPI da Diacutevida Puacuteblica

Natildeo satildeo divulgados os juros nominais da divida efetivamente pagos pelo Tesouro Nacional omitindo-se a maior parcela desshyses representada pela atualizaccedilatildeo monetaacuteria medida pelo IGP-M divulgado pela Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas Divulgam apenas os juros

0 que o governo divulga a tiacutetulo de juros no SIAFI corresponde tatildeo somente agrave parcela dos juros reais ou seja agrave parcela dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M Isso leva a uma grande distorccedilatildeo na compreensatildeo geral do efetivo gasto com a diacutevida puacuteblica em comparaccedilatildeo com todas as demais rubricas orccedilamentaacuterias Enquanto o gasto com juros da diacutevida exclui a atualizaccedilatildeo todas as demais rubricas embutem eventual atualizaccedilatildeo obtida e tal parcela natildeo eacute segregada

reaisrdquo que eacute parte dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M e que se mostrou muito superior ao IPCA divulgado pelo IBGE nos uacuteltimos 15 anos

Natildeo eacute divulgada a parcela do serviccedilo da diacutevida (juros e amortizaccedilotildees) paga com os recursos obtidos pela emissatildeo e leilatildeo de novos tiacutetulos sob a justificativa de que se trata de mera rola- gem ou refinanciamento

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica constatou e denunciou a contabilizaccedilatildeo irregular que tem considerado como amortizaccedilatildeo da diacutevida a parcela correspondente agrave atualizaccedilatildeo monetaacuteria e que na realidade eacute parte integrante dos juros nominais e natildeo da amortizaccedilatildeo do principal

Qualquer pessoa que jaacute assumiu alguma diacutevida sabe que a atualizaccedilatildeo monetaacuteria eacute parte integranshyte da remuneraccedilatildeo ou seja dos juros nominais

Diante disso para se obter o valor efetivo do gasto anuat com a diacutevida haacute que se incluir tamshybeacutem o valor que tem sido informado como mera rolagem ou refinanciamento pois nessa rubrica

estaacute incluiacuteda grande parte dos juros da diacutevidaEm 2011 o gasto total com a diacutevida puacuteblishy

ca brasileira somou R$ 708 bilhotildees conforme demonstramos

Outra razatildeo fundamental para computar a atualizaccedilatildeo monetaacuteria como remuneraccedilatildeo da divida estaacute relacionada com a utilizaccedilatildeo de um mesmo criteacuterio para a apresentaccedilatildeo dos dados do orccedilamento executado

Se natildeo for computada a atualizaccedilatildeo monetaacuteria (que eacute parte dos juros nominais) como gastos com a diacutevida puacuteblica haveraacute uma completa distorccedilatildeo na comparaccedilatildeo entre os gastos com a diacutevida e todos os demais gastos orccedilamentaacuterios

Isso porque todas as demais rubricas represhysentadas no orccedilamento - gastos com pessoal previdecircncia serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo etc - englobam a respectiva atualizaccedilatildeo monetaacuteria ou seja quando se obteacutem alguma reposiccedilatildeo infla- cionaacuteria nos salaacuterios dos servidores no vaiacuteor das aposentadorias ou em benefiacutecios sociais e outros serviccedilos puacuteblicos tal reposiccedilatildeo compotildee o valor de tal gasto refletido no Orccedilamento da Uniatildeo

Diante disso para que haja uma compatibishylidade entre todas as rubricas orccedilamentaacuterias o gasto efetivo da diacutevida que deveria constar no orccedilamento seria o valor dos juros nominais e natildeo somente os juros reaisrdquo (que superam a inflaccedilatildeo como tem constado de estatiacutesticas oficiais

ESTOQUE DA DIacuteVIDAO estoque da Diacutevida Interna alcanccedilou em

dezembro2011 o valor de R$ 253606558601768 (2 TRILHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586

MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)30 estoque da Diacutevida Externa alcanccedilou na

mesma dataUS$ 40238510282823 ou seja mais de 402 BILHOtildeES de doacutelares que

corresponde a cerca de R$ 692 bilhotildees consideshyrando-se a taxa de conversatildeo de R$ 1724

Portanto em dezembro2011 o estoque da diacutevida brasileira alcanccedilou

R$ 322816796288224 (3 TRILHOtildeES 228 BILHOtildeES 167 MILHOtildeES 962 MIL 882 REAIS E 24 CENTAVOS) que corresponde a 78 do P)B

3 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNota6conNI201201pfp iacuteipgt - Quadro 354 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNataEconNI20120l5ep zipgt - Quadros 51 e51 A

23A D I V i D A P Uacute B L I C A LM D E B A E Caderno de estudos

30Caderno de estudos

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais desta camos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida LiacutequidaComparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequiacutedaPIB

Exclusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liquida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico peias seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais) mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Aiacute estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aleacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos 0 acuacutemulo elevado de reservas inter nacionais tem provocado enorme custo ao Pais devido a essa disparidade de rendimentos

0 termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a diacutevida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequidardquo tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

| A D V I D A P Uacute B L I C A E V Q Iacute E A T L

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de priva- tizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

O governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo otildenus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros altiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequida com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPlB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequida Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paises praticam taxas muitas vezes menores5 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwhra5ileconomicocombrpagjnastaxas -de-juros_81htmlgt

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais destashycamos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida Liacutequida

Comparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequidaPIB

Exciusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liacutequida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico pelas seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Ai estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aieacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos O acuacutemulo elevado de reservas intershynacionais tem provocado enorme custo ao Paiacutes devido a essa disparidade de rendimentos

O termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a divida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequida tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

30Caderno de estudos 1 A DIacute V I DA r C S L CA f m D E B A T E

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de privashytizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

0 governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo ocircnus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros aftiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequidardquo com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPIB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequidardquo Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paiacuteses praticam taxas muitas vezes menores1 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwbrasileconomicocom brpagmast5yas- -de-juros_81htmtgt

EXCLUSAtildeO DA PARCELA REFERENTE Agrave DIacuteVIDA EXTERNA PRIVADA

0 estoque da diacutevida externa jaacute atingiu US$ 402 bilhotildees6e indui a diacutevida externa privada

pois a mesma envolve uma obrigaccedilatildeo do Estado O governo costuma divulgar um montante

bem menor de diacutevida externa A partir de 2001 a pretexto de adotar metodologia recomendada pelo FMI os dados da diacutevida externa passaram a ser divulgados sem os chamados empreacutestimos intercompanhias ou seja os empreacutestimos devishydos por multinacionais a suas matrizes no exterior

Dessa forma o dado divulgado pelo governo ao puacuteblico exclui parte da diacutevida externa contraiacuteda pelo setor privado ou seja devida por empresas e instituiccedilotildees do setor privado e natildeo pelo Estado

Cabe ressaltar inicialmente que apesar de parte da diacutevida externa ter sido de fato contrashyiacuteda por instituiccedilotildees do setor privado eacute o Estado o responsaacutevel por fornecer a moeda estrangeira para os devedores privados pagarem suas diacutevishydas ao exterior Para obter essa moeda estranshygeira o Estado se submete agrave adoccedilatildeo de poliacuteticas nocivas a fim de atrair capitais ao Paiacutes tais como altas taxas de juros acordos com o FMI (cujas imposiccedilotildees continuam presentes) e total libershydade de movimentaccedilatildeo de capitais financeiros Essas medidas afetam toda a economia do Paiacutes

Adicionalmente as investigaccedilotildees tecircm revelado que nas uacuteltimas deacutecadas diacutevidas do setor privado foram reiteradas vezes transferidas para o setor puacuteblico Por isso entendemos que deve ser comshyputado no montante da diacutevida externa tanto as diacutevidas contraiacutedas peio setor puacuteblico como pelo setor privado

AUSEcircNCIA DE TRANSPAREcircNCIA

A s divergecircncias na apresentaccedilatildeo tanto do estoque como do fluxo de gastos com a diacutevishy

da demonstram que natildeo tem sido devidamente respeitado o princiacutepio da TRANSPAREcircNCIA que deve reger todo ato do setor puacuteblico

Por isso a sociedade brasileira que paga essa elevada conta da diacutevida puacuteblica deve exigir mais

6 Verquadro5S1 e 51-Ada planilha do Banco Central disponiacuteveis no link lthttpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201112sepzipgt

transparecircncia dos dados relacionados ao endivishydamento puacuteblico brasileiro pois este tem absorshyvido a maior parte dos recursos orccedilamentaacuterios sacrificando toda a populaccedilatildeo e comprometen do o futuro do Paiacutes

A transparecircncia eacute um princiacutepio consagrado na Constituiccedilatildeo Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que todas as despesas e receitas da gestatildeo fiscal sejam publicadas de forma transshyparente e com amplo acesso puacuteblico

Portanto eacute nosso DIREITO ter acesso a todas as informaccedilotildees relacionadas com o endividamento puacuteblico

Como vimos a diacutevida brasileira jaacute supera os R$ 3 TRILHOtildeES e consome quase a metade dos recursos do Orccedilamento da Uniatildeo

COMO CHEGAMOS A ESTE PONTOA recente CPI da diacutevida Puacuteblica jogou luzes sobre este processo

A Diacutevida Puacuteblica Brasileira cresceu em decorshyrecircncia de mecanismos meramente finanshy

ceiros sem contrapartida em bens e serviccedilos ao Paiacutes e tambeacutem em decorrecircncia de operaccedilotildees obscuras

A histoacuteria da diacutevida tem sido uma verdadeira caixa preta

A Auditoria Cidadatilde da Diacutevida e entidades da sociedade civil participaram ativamente da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) da Diacutevida Puacuteblica e tiveram acesso a documentos que comeccedilam a jogar luzes sobre nossa histoacuteriaAgora as investigaccedilotildees devem ser aprofundadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico

A CPI da Diacutevida foi uma iniciativa do Deputado Federal Ivan Valente (PSOL-SP) e funcionou de agosto de 2009 a maio de 2010 A coordenadoshyra da Auditoria Cidadatilde da Diacutevida - Maria Lucia Fattorelli - foi requisitada para assessorar tecnishycamente a CPI devido agrave experiecircncia adquirida durante a auditoria oficial da diacutevida do Equador trabalho para o qual tambeacutem foi designada cujo relatoacuterio embasou ato soberano do Presidente Rafael Correa que anulou 70 da diacutevida externa equatoriana em tiacutetulos possibilitando aumento de investimentos sociais principalmente em sauacutede e educaccedilatildeo novas rodovias e o resgate da cidadania

31A 0 v I C A P Uacute B I C A E W 3 E S A T F | Caderno de estudos

No Brasil a CPI tambeacutem indicou documentos e provas de ilegalidade e ilegitimidade tanto da divida externa como da diacutevida interna como veremos a seguir Um dos mais importantes instrumentos

de investigaccedilatildeo por parte do Congresso Naciona eacute a Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) a qual tem forccedila investi- gativa proacutepria de autoridades judiciais

O QUE Eacute CPI

Nos capiacutetulos seguintes apresentaremos um breve histoacuterico da diacutevida externa a partir dos anos1970 e da diacutevida interna a partir do Plano Real em 1995 ambas ateacute os dias atuais Esses marcos iniciais foram os periacuteodos estabelecidos tambeacutem pela recente CPI da Diacutevida Puacuteblica

A D IacuteV IacuteD A tem im p e d id o a v id a d ig na e o a te n d im e n to aos d ire ito s h um an os

bull De onde veio essa diacutevida

bull Quanto tomamos emprestado e quanto jaacute pagamos

bull O que realmente devemos

Quem contraiu empreacutestimos

bull Onde foram aplicados os recursos

bull Quem se beneficiou

Qual a responsabilidade dos credores e organismos internacionais nesse processo

ldquoA vida sem luta eacute um mar morto no centro do organismo universal

M A C H A D O D E A S S I S

32Caderno de estudos | A d iacute v i d a p uacute b l i c a E m D E b a t F

C A P Iacute T U L O

DIVIDA EXTERNAA recente CPi da Diacutevida Puacuteblica realizada na

Cacircmara dos Deputados (20092010) teve acesso a documentos relacionados ao processhysos de endividamento externo desde 1970 Apesar das limitaccedilotildees da CPI as investigaccedilotildees revelaram importantes fatos que reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa audishytoria dessa diacutevida

O periacuteodo coincide com o fim da paridade doacutelar-ouro nos Estados Unidos anunciada em1971 o que permitiu a emissatildeo de grandes volushymes de doacutelares que foram entregues ao sistema bancaacuterio e por meio deste ofertados sob a forshyma de empreacutestimos que apresentavam taxas de juros aparentemente reduzidas de 5 a 6 ao ano devido ao excesso de moeda

Diacutevida Externa (US$ bilhotildees)

- r N m ^ m 0 M raquo Iacute J O - ( N r 0 ^ ^ v D N C 0 a O - f N n n T r i n 0 M X 3 0 O gt - r N f n r f lsquo i n 0 N C Ocirc 0 O f r s N N N N r s N r s r ^ c o c c c o a o c o c o c o a o o o o o o a rsquogt lt ^ lt T lt a G gt o gt C gt lt ^ lt ^ o o o o o o o o o O mdash r ~raquomdash i-rgpjrsoifSiNfNfSfMlNfN^

Fonte httpwwwbcbgQvbrftpNotaEconNI20l201sepzip - Quadros 51 e 51-A

DECADA DE 1970

A CPI comprovou que a diacutevida externa atua se originou na deacutecada de 1970 em plena ditashy

dura militar periacuteodo em que comeccedilou a crescer aceleradamente

0 primeiro aspecto da diacutevida externa brasileishyra a ser ressaltado eacute a contrataccedilatildeo por atos de governos ilegiacutetimos de vultosos compromissos natildeo transparentes

Essas taxas de juros eram flutuantes e variavam de acordo com as taxas de juros internacionais (Prime e Libor) que vinham de longo periacuteodo em que se mantinham baixas Aleacutem das taxas de juros os bancos cobravam outras taxas onerosas de compromisso de contrataccedilatildeo de agente de creacutedito enfim uma infinidade de taxas

Havia tambeacutem forte componente de diacutevidas contratadas pelo setor privado que utilizava o

3 3a d iacute v i d a P Uacute B L I C A EM D r R A T E I Caderro de estudos

endividamento como forma de especulaccedilatildeo financeira O setor privado que tinha acesso a creacuteditos externos no iniacutecio da deacutecada de 1970 era composto principalmente por bancos e empresas privadas inclusive multinacionais e estrangeiras instaladas no Paiacutes

Tanto o setor privado como o setor puacuteblico tomaram empreacutestimos externos junto a grandes bancos privados internacionais devido agrave grande oferta de creacuteditos com taxas baixas vinculadas agraves taxas de juros internacionais (Prime e Libor) Essas taxas eram controladas pelos proacuteprios bancos credores que compunham o FED (Federal

Reserve Bank Banco Central Norte-americano que eacute totalmente privado controlava a Prime) e a Associaccedilatildeo de Bancos Privados de Londres (que determinava a Libor) A partir de 1979 essas taxas saltaram de 5 ou 6 ao ano para 205

O graacutefico a seguir mostra o comportamento idecircnshytico das duas taxas demonstrando a conexatildeo entre os bancos privados internacionais que as ditavam

Sob pressatildeo diante da crise em 1982 surge o FMI exigindo que o Banco Central realizasse acordos com os bancos privados internacionais por meio dos quais assumiu tanto a diacutevida externa puacuteblica como tambeacutem a diacutevida externa privada Ao messhymo tempo houve forte pressatildeo dos credores que faziam parte da instituiccedilatildeo informal denominada Club de Paris para que o Brasil firmasse o tal acordo com a banca privada internacional Essa pressatildeo conjunta e articulada de credores configura clashyramente a ausecircncia de equiliacutebrio entre as partes

A CPI da Diacutevida denunciou que agrave eacutepoca da assinatura dos acordos com os bancos privados em 1983 a legislaccedilatildeo natildeo permitia consolidaccedilotildees e refinanciamentos de creacuteditos externos Aleacutem disso tais acordos continham inuacutemeras claacuteusulas ilegais e abusivas que natildeo chegaram a ser apro vadas pelo Congresso Nacional

Haacute fortes indiacutecios de nulidade nessa transfeshyrecircncia de diacutevida para o Banco Central que na deacutecada seguinte em 1994 foi transformada nos

Taxas de Juros - Libor e Prime25000

0000rmdash 3-o p laquomdash r i

r-o rOv

oo

o

o

pO

OcShvO

p00

O Ornoo 3-oo

CTS

OCO

CCOo

DEacuteCADA DE 1980

A elevaccedilatildeo brutal das taxas de juros internashycionais Prime e Libor impactou seriamente

os compromissos externos antes assumidos e a diacutevida se multiplicou provocando uma grande crise a partir de 1982

3 4Caderno de estudos I a d v i d a h j B i i c a e m D E B A T E

denominados bocircnus Brady tiacutetulos que depois serviram como moeda para comprar as empreshysas estrateacutegicas e lucrativas submetidas ao proshycesso de privatizaccedilatildeo a partir de 1996

A interferecircncia direta do FMI em assuntos intershynos do Paiacutes desde 1983 exigiu a implantaccedilatildeo de

medidas nefastas agrave economia brasileira Tal fato aliado a onerosas condiccedilotildees dos acordos da diacutevida externa que transferiram o ocircnus de diacutevidas puacuteblishycas e privadas a cargo do Banco Central agravashyram ainda mais a situaccedilatildeo do endividamento brasileiro e paralisaram o Paiacutes Por isso a deacutecada de 1980 ficou conhecida como deacutecada perdida

CAacuteLCULO DO IMPACTO PROVOCADO PELA ELEVACcedilAtildeO UNILATERAL DAS TAXAS DE JUROS

O impacto da elevaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais sobre a evoluccedilatildeo da

diacutevida externa brasileira foi impressionante como retrata o graacutefico a seguir

de US$ 223 bilhotildees cujo ressarcimento deve ser exigido pelo Brasil

INTERFEREcircNCIA DO FMI

Desde o primeiro acordo do Brasil com o FMI em 1983 esse organismo passou a exercer nefasta interferecircncia em assuntos internos do

Paiacutes agindo sempre em defesa dos bancos prishyvados internacionais

O poder do FMI no Paiacutes era impressionanshyte determinando o caminho a ser trilhado por nossa economia exigindo privatizaccedilotildees impondo draacutesticos ajustes fiscais que impedishyram investimentos e representaram imensos cortes nos gastos sociais suprimindo-se direitos

Diacutevida Externa Total (Puacuteblica e Privada) - US$ bilhotildees

Fonte Nota Teacutecnica DEPEC - 200924S Dados disponiacuteveis no Anexo II agrave Anaacutelise Prefiminar N2 5 da CPI da Diacutevida Puacuteblica

A linha azul do graacutefico acima mostra o impacshyto da alta unilateral e ilegal das taxas de juros nternacionais pelos bancos credores dos Estados Unidos e da Inglaterra a partir de 1979

A linha vermelha pontilhada demonstra a evo- jccedilatildeo da diacutevida externa brasileira caso os juros ivessem sido mantidos em 6 ao ano Constata-se que os pagamentos realizados no periacuteodo teriam sido suficientes para pagar toda a diacutevida externa e o Brasil ainda teria valores a serem ressarcidos

Esses caacutelculos indicaram um dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico calculado agrave eacutepoca da CPI de cerca

sociais baacutesicos agravando-se o desemprego e a miseacuteria

Devido agrave grande influecircncia do FMI consolidou- -se a crenccedila popular generalizada de que aqueshyle organismo seria o principal credor da diacutevida externa brasileira

A CPI provou que os credores privilegiados de sempre eram na realidade os grandes bancos privados internacionais como indica a aacuterea em vermelho no graacutefico a seguir A parcela da diacutevida externa com o FMI correspondia agrave linha verde do mesmo graacutefico

ft D i V I A D 8 L I S A EM D Z B

3 5Caderno de estudos

Diacutevida Externa Registrada no Banco Centrai - US$ bilhotildees - 1969 a 1994140

120

100

80

60

40

20

O ^ O i mdash r 4 r i 3 - in i1o r - o o c j copy mdash r N n n ^ - i n v O r x o O t T ^ O raquo mdash rvjco^j- gt C ) r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ - f ^ - r - r ^ i - ^ c c c o c o c o c o o o c o c o c x D c 3 0 c r C T raquo c j N Ov ogtO CTt CJn CT CTgt G ltTraquo O1 CT lt7 OS O CT O Q (J J Otilde QN ltJ Q Otildegt

Fonte Relatoacuterios Anuais do Sanco Central disportibilizados aacute CPI da Diacutevid3Nota Os ldquoEmpreacutestimos em Moeda indicados em vermelho ntgt graacutefica correspondem aos empreacutestimos junto a bancos comerciais sendo que a maioria corresponde a bancos privados internacionais

Interessante observar que a crise financeira

de 1982 foi provocada pelos grandes bancos

privados internacionais que promoveram a eleshy

vaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais (Libor e Prime) sendo que alguns anos antes

eles mesmos haviam seduzido os paiacuteses latino-

-americanos mediante a oferta de empreacutestimos

aparentemente baratos A crise financeira abriu caminho para a atuaccedilatildeo do FM impondo draacutestishy

cos ajustes fiscais que geraram sacrifiacutecios sociais

cortes de direitos privatizaccedilotildees etc

Eacute importante estabelecer um paralelo entre

esses fatos histoacutericos e a atual crise financeira

deflagrada em 2008 nos EUA e Europa que

tambeacutem foi provocada por atitudes dos grandes

bancos privados internacionais Eles emitiram

grande quantidade de derivativos sem lastro e

corriam risco de quebra tendo sido salvos pelas

naccedilotildees do Norte que logo em seguida se viram

em profunda crise Instalada a crise novamente

surge o FM agora na Europa impondo poliacuteticas

idecircnticas as que foram impostas agrave Ameacuterica Latina

na deacutecada de 1980

ESFORCcedilOS DE INVESTIGACcedilAtildeO DA DIacuteVIDA EXTERNA NA DEacuteCADA DE 1980

A crise da diacutevida externa vivida na deacutecada de 1980 foi tatildeo grave que diversas comissotildees

parlamentares dedicaram importantes esforccedilos no sentido de investigar as reais razotildees da crise e do espantoso crescimento da diacutevida externa brasileira

A primeira tarefa teacutecnica realizada a fim de assessorar a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica na Cacircmara dos Deputados consistiu em resgatar os relatoacuterios das referidas comissotildees anteriores pois suas apuraccedilotildees devem ser conhecidas natildeo soacute pelos parlamentares mas por todos os brasileiros conforme resumo a seguir

COMISSAtildeO PARLAMENTAR DE INQUEacuteRITO-CAcircMARA DOS DEPUTADOS1983

No ano de 1984 foi aprovado o relatoacuterio final da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito reashylizada na Cacircmara dos Deputados O documento

apontou graves indiacutecios de irregularidades ilegashylidades aleacutem dos previsiacuteveis e graves riscos que

36Caderno de estudos I A D IV r D A deg uacute 6 _ i C A EM U E R A r iacute

Comissatildeo Parlamentares e Resultado

CPI da Cacircmara dos Deputados destinada a apurar as causas Presidente Dep Alencar Furtadoe consequecircncias da divida brasileira e o Acordo com o FMI Relator Dep Sebastiatildeo Ne ryInstituiacuteda pelo Requerimento Ndeg 883 Instalada em 16081983 Relatoacuterio Final aprovado em setembro de 1984

Comissatildeo Especial do Senado Federal para a Diacutevida Externa destinada a ldquoexaminar a questatildeo da divida externa brasileira e avaliar

as razotildees que levaram o Governo a stspendero pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno Instituiacuteda pelo Requerimento ns 17 de 1987 Instalada em 14041987

Comissatildeo Mista destinada ldquoao exame analitico epericial dos atos e

fatos geradores do endividamento brasileiro para cumprir a missatildeo

constitucional -Ari 26 do Ato das Disposiccedilotildees Constitucionais

Transitoacuterias Instalada em 11041989

Presidente Senador Carlos ChiarelliacuteRelator Senador Fernando Henrique CardosoRelatoacuterio Final aprovado em 23 de agosto de 1989

Presidente Dep Waideck OrneiasRelator Senador Severo GomesRelatoacuterio Parcial aprovado em 9 de agosto de 19B9

Relator Dep Luiz SalomatildeoParecer Final apreciado em 5 de setembro de 1989NAtildeO VOTADO

ps contratos de endividamento externo represenshytavam para a soberania nacional Adicionalmente histoacuterico relatoacuterio final de autoria do Deputado ederal Sebastiatildeo Nery (PDT-RJ) evidenciou a oratica dos seguintes crimes

Violaccedilatildeo da competecircncia exclusiva do Congresso Nacional para ratificar ou rejeitar convenccedilotildees e atos internacionais praticados pelo Presidente da Repuacuteblica

bull Crime de responsabilidade contra a guarda e legal emprego de dinheiro puacuteblico (realizaccedilatildeo de despesas e contraccedilatildeo de empreacutestimos sem autorizaccedilatildeo legal)

diams Crime de responsabilidade contra a existecircncia da Uniatildeo cometido peio Presidente da Repuacuteblica e por ministros de Estado por violaccedilatildeo da vedashyccedilatildeo constitucional agrave celebraccedilatildeo de tratados que comprometam a dignidade da naccedilatildeo

1 Desrespeito aos princiacutepios constitucionais impliacuteshycitos da inalienabiiidade imprescritibilidade e impenhorabiiacuteidade do patrimoacutenio puacuteblico

Crime de responsabilidade contra a seguranccedila interna do Pais ao admitir a daccedilatildeo de bens do patrimoacutenio puacuteblico em garantia antecipada

bull Abdicaccedilatildeo da soberania nacional em favor das orientaccedilotildees do Fundo Monetaacuterio Internacional

Apesar dessas graves conclusotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi levada a cabo

COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL1987

Em 1987 o Senado Federal instalou a Comissatildeo Especial para a Diacutevida Externa destinada a

examinara questatildeo da diacutevida externa brasileira e avaliar as razotildees que levaram o governo a susshypender o pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno

O relator foi o entatildeo senador Fernando Henrique Cardoso (PMDB-SP) que em seu relashytoacuterio reiterou a necessidade de enfrentamento do problema do endividamento externo tendo em vista as graves irregularidades verificadas dentre as quais destacamos praacutetica do anato- cismo alta unilateral de juros corresponsabili- dade dos credores ilegalidades na negociaccedilatildeo da diacutevida falta de transparecircncia negociaccedilotildees sigilosas interferecircncia direta do FMI articushylaccedilatildeo de credores (FMI Club de Paris Comiteacute Assessor dos Bancos Privados) elevados custos sociais da diacutevida externa existecircncia de custos injustificaacuteveis estatizaccedilatildeo de diacutevidas privadas exportaccedilatildeo de capitais nacionais utilizaccedilatildeo deliberada de empresas estatais para obtenshyccedilatildeo de empreacutestimos no exterior desequiliacutebrio contratual das partes negociantes pulverizaccedilatildeo de credores e dificuldade de controle por parte do Banco Centrai comprovaccedilatildeo do reduzido do valor da diacutevida no mercado secundaacuterio o que natildeo foi levado em conta nas negociaccedilotildees entre outras

3 7n V I DA P J B L l C A CM D t E A T F | Caderno de estudos

Cade

Cabe ressaltar trecho do relatoacuterio apresentado por FHC que daacute notiacutecia sobre a poleacutemica negociashyccedilatildeo da diacutevida externa que envolveu dezenas de bilhotildees de doacutelares - cerca de US$ 60 bilhotildees - e que foi a base para a transformaccedilatildeo da diacutevida externa contratual em bocircnus Brady em 1994

O ACORDO PLURIANUAL DE 1988

No dia 6 de junho de 1988 quando a gestatildeo

Mailson da Noacutebrega mal tinha completado 6

meses o governo brasileiro assinou o Term

Sheet do acordo provisoacuterio de renegociaccedilatildeo

da diacutevida externa Ao mesmo tempo em

que o protocolo da negociaccedilatildeo era mantishy

do em absoluto o governo fazia publicar

uma Nota Oficial de tom autocongratula- toacuterio descrevendo a renegociaccedilatildeo preliminarshy

mente concluiacuteda como a melhor jaacute obtida por

um paiacutes devedor

Diante da insistente recusa das autoridashy

des oficiais o Presidente da Comissatildeo

teve de recorrer a contatos no exterior

para obter as informaccedilotildees que lhe eram

sonegadas dentro do Paiacutes O Term Sheet

chegaria agraves matildeos do Senador Carlos Chiarelli

por canais extraofidais no iniacutecio de julho Os

documentos oficiais foram entatildeo submetishy

dos a uma anaacutelise teacutecnica que constatou

estarem sendo incompletas imprecisas e

exageradamente otimistas as apreciaccedilotildees

sobre o acordo publicadas na Nota Oficial

Foram encontrados erros e omissotildees relashy

cionados aos seguintes toacutepicos do acordo

()

Como conclusatildeo pode-se dizer que os frutos

da negociaccedilatildeo dita realista e profissional

conduzida pelo Ministro Mailson da Noacutebrega

foi um dos mais draconianos acordos de

renegociaccedilatildeo jaacute realizados por uma naccedilatildeo

devedora nesta deacutecada Como evidecircncia

das distorccedilotildees do acordo podem ser citados

os lucros recordes auferidos pelos grandes

bancos em 1988 que segundo estimatishy

vas divulgadas pelo Wall Street Journal

teriam atingido a fantaacutestica cifra de US$

16 bilhaacuteo soacute com o acordo da divida brashysileira Quanto ao paiacutes devedor durante

os poucos meses em que o governo Sarney

consegui j cumprir parcialmente as sufocantes

disposiccedilotildees contratuais do acordo a econoshymia mergulhou em recessatildeo acompanhashy

da da maior inflaccedilatildeo de sua histoacuteria O

acordo de reescalonamento de 1988 previsto

para abranger um periacuteodo de sete anos na

praacutetica concedera menos do que um ano de

focirclego agrave economia brasileira Decorridos quashy

tro meses da assinatura o Ministro Mailson jaacute

admitia oficialmente a necessidade de contrair

empreacutestimos adicionais e suspender o relen-

ding rsquo e a conversatildeo Decorridos 9 meses o

Brasil voltava a atrasar os pagamentos da

divida externa entrando novamente em

moratoacuteria (Paacutegina 166)

Diversos autores mencionam que a referida negociaccedilatildeo teria ocorrido em 23091988 mas a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos Deputados teve acesso a documenshytos que comprovam que tal negociaccedilatildeo teria se concluiacutedo somente em 1989 portanto apoacutes a promulgaccedilatildeo da Constituiccedilatildeo Federal

Outros trechos do Relatoacuterio apresentado por FHC tambeacutem merecem destaque

TRECHOS DO RELATOacuteRIO FINAL DA COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL (1987)

RELATOR SEN FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Como os deacutebitos externos brasileiros haviam sido contratados basicamente a taxas de juros flutuanshytes o choque dos ju ros provocou uma el evaccedilatildeo da diacutevida sem contrapartida real de bens e serviccedilos A partir desse momento a diacutevida externa brasileira assume um caraacuteter eminentemente financeiro os novos empreacutestimos na verdade sacirco obtidos para rolar em grande medida e a niacutevel agregado os juros e as amortizaccedilotildees

lsquoA partir de 1983 a questatildeo da divida adquire nova dimensatildeo Segundo a Programaccedilatildeo do 5etor Externo PSE) submetida pelo Brasil aos banqueiros em Nova York em dezembro de 1982 a economia brasileira eacute direcionada para a obtenccedilatildeo de US$6 bilhotildees de superaacutevit comercial com uma previshysatildeo de deacuteficit em transaccedilotildees correntes de US$65 bilhotildees Como os juros dos deacutebitos externos previsshytos para 1983 estavam na casa dos US$10 bilhotildees fica daro que a partir desse momento o Brasii marchava para a chamada ldquotransferecircncia liacutequida de

38^arjprnn de estudos | A D v I 0 a P Uacute B L I C A F V D E = a t e

recursos reais para O exterior com o fim especiacutefico de servir aos credores externos

Do ponto de vista dos credores o Brasil teve um excelente desempenho dos US$6 bilhotildees de supeshyraacutevit comercial de 1983 passou a US$13 bilhotildees em 1984 e dessa forma cobriu os juros devidos Internamente poreacutem a recessatildeo foi profunda e com custos sociais elevadiacutessimos estima-se que cerca de 5 milhotildees de trabalhadores do setor formal foram lanccedilados no desemprego Foi seguramente a recessatildeo mais violenta da economia brasileira

A situaccedilatildeo que ora vivemos - arrocho salarial direto dos trabalhadores no setor puacuteblico e indi- reto de toda a forccedila de trabalho (via eliminaccedilatildeo do subsiacutedio do trigo por exemplo sem qualquer poliacutetica de renda compensatoacuteria) submissatildeo da poliacutetica econoacutemica agraves regras e monitoramento do FMI acomodaccedilatildeo aos interesses dos grandes bancos internacionais etc - natildeo passa de uma encenaccedilatildeo da inequiacutevoca demonstraccedilatildeo da falta de governo no Paiacutes Natildeo eacute a toa que os banqueishyros acenaram com o possiacutevel reescalonamento do principal da diacutevida para 20 anos 8 de carecircncia etc mas no essencial - refinanciamento de juros taxas de juros spread descontos monitoramento etc- natildeo cederam um miliacutemetro e se fixaram nos refishynanciamentos de parcela dos iuros (50) apenas para este ano (1987 foi o ano da moratoacuteria e o juro teraacute que ser refinanciado de fato pois o Pais natildeo tem caixa para pagaacute-lo) Em suma o horizonte em todas as frentes sobre o Paiacutes (aqui e no exterior) natildeo passa de 1988 eacute o sinal do limite

Registra-se a preocupaccedilatildeo de muitos dos Senadores com a questatildeo da legitimidadeda divida- posto que os contratos satildeo leoninos e foram feitos agrave revelia do Congresso Nacional - e com a questatildeo da jurisdiccedilatildeo

Os tiacutetulos da diacutevida dos paiacuteses passam a ser negociados com um desaacutegio crescente no chashymado mercado secundaacuterio sinalizando que parshycela da divida natildeo teria condiccedilotildees de ser pagaOs bancos aumentam suas reservas antecipando possiacuteveis ltperdasgtrsquorsquo

Embora o relator tenha ocupado a Presidecircncia da Repuacuteblica do Brasil durante dois mandatos- oito anos portanto nenhuma das irregu- laridades apontadas em seu relatoacuterio quando senador chegou a ser enfrentada Pelo contraacuterio o endividamento puacuteblico tanto interno quanto externo agravou-se apesar da privatizaccedilatildeo de cerca de 70 do patrimoacutenio puacuteblico nacional sob a justificativa de pagar a diacutevida

Constituiccedilatildeo Federal

A Constituiccedilatildeo de 1988 inseriu a previsatildeo de realishyzaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externaConstituiccedilatildeo Federal ADCT

ldquoAn 26 No prazo de um ano a contar da promulgashy

ccedilatildeo da Constituiccedilatildeo o Congresso Nacional promoshy

veraacute atraveacutes de Comissatildeo mista exame analitico e

pericial dos atos e fatos geradores do endividamento

externo brasileiro

Aleacutem disso a Constituiccedilatildeo Federal determinou taxativamente que os contratos de endividamento externo deveriam ser submetidos agrave aprovaccedilatildeo pelo Senado Federal

Constituiccedilatildeo Federal

Art 52 Compete privativamente ao Senado Federal

U

V - autorizar operaccedilotildees externas de natureza finanshy

ceira de interesse da Uniatildeo dos Estados do Distrito

Federal dos Territoacuterios e dos Municiacutepiosrdquo

Tal dispositivo indica que a vultosa negociaccedilatildeo concluiacuteda somente em 1989 seria completamente NULA pois natildeo foi autorizada pelo Congresso Nacional que sequer teve acesso aos termos da negociaccedilatildeo conforme constou do relatoacuterio apreshysentado por FHC cujo trecho foi antes transcrito

Comissatildeo Mista do Congresso Nacional1989

No ano de 1989 mais uma vez o Congresso Nacional debruccedilou-se sobre os contratos de endishyvidamento externo brasileiro aleacutem de planilhas de caacutelculo elaboradas pelo Banco Central para mais uma vez descobrir fraudes diversas dentre elas a renuacutencia agrave soberania pelo governo brasileishyro Ou seja mais uma revelaccedilatildeo de NULIDADE mas ainda assim a diacutevida continuou sendo paga e reciclada em negociaccedilotildees cada vez mais onerosas para o Paiacutes

Trecho do relatoacuterio apresentado pelo senashydor Severo Gomes que fez importante anaacutelise juriacutedica dos acordos merece ser destacado para conhecimento por todos os brasileiros O trecho a seguir se referia a um dos acordos celebrados pelo Banco Central com os bancos privados intershynacionais em 1982

39A D f V I 0 A P U B L I C A EM D E B A T E I Caderno de estudos

40Caderno de esludos

CLAacuteUSULA DE RENUacuteNCIA A SOBERANIA

Sem quaiquer sombra de duacutevida aqui estaacute o ponto mais espantoso dos Acordos De notar aliaacutes a grosshyseria dos credores ou a pusilanimidade dos negoshyciadores brasileiros admitindo uma claacuteusula que sobre ferir os brios nacionais eacute fundamentalmente inuacutetil no contexto da negociaccedilatildeo () Esta claacuteusula retrata um Brasil de joelhos sem brios poupados inerme e inerte imolado agrave irresponsabilidade dos que negociaram em seu nome e agrave cupidez de seus credores Poreacutem nada haacute de ser dito sobre essa nefanda claacuteusula mais expressivo do que o proacuteprio ilustriacutessimo Ministro Seabra Fagundes jaacute fez Este fato de o Brasil renunciar explicitamente a alegar a sua soberania faz deste documento talvez o mais triste da Histoacuteria poliacutetica do Paiacutes Nunca encontrei- e naacuteo sou muito ausente dos estudos da histoacuteria do Paiacutes - em todos os documentos histoacutericos do Brasil nada que se parecesse com esse documento porque renuacutencia de soberania talvez noacutes tenhamos tido renuacutencias iguais mas uma renuacutencia declarada agrave soberania do Paiacutes eacute a primeira vez que consta de uma documento para mim histoacuterico Este me parece um dos fatos mais graves de que somos contemporacircneos1

Sen Severo Gomes(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

0 relatoacuterio parcial do senador 5evero Gomes chegou a ser aprovado pelo plenaacuterio do Congresso poreacutem nenhuma de suas recomenshydaccedilotildees - que tratavam sobre o questionamento judicial da diacutevida - foram seguidas

0 segundo relator da Comissatildeo Mista Dep Luiz Salomatildeo tambeacutem apontou severas conclushysotildees dentre as quais destacamos

Factibilidade de reduzir o montante da diacutevida externa

Necessidade de deduzir do principal consignado pelos bancos que emprestaram a juros flutuanshytes o excedente avaliado em simulaccedilotildees feitas pelo Banco Central que variavam de 34 a 62 bilhotildees de doacutelares na eacutepoca

Necessidade de retomar as investigaccedilotildees e os processos judiciais tendentes a recuperar as pershydas provenientes de fraudes e negoacutecios iliacutecitos

Responsabilizar penalmente os responsaacuteveis internos e os cuacutemplices externos

Repatriar as divisas evadidas clandestinamente

I a c i v i D a p uacute b l i c a l m d e b agrave t ecirc

O relatoacuterio final sequer chegou a ser votado pela Comissatildeo Mista Levado ao plenaacuterio natildeo houve quoacuterum para a votaccedilatildeo

Manobras impediram que o relatoacuterio fosse votado na Comissatildeo Mista Sem o apoio da maioria da Comissatildeo o parecer foi levado a exame do Plenaacuterio do Congresso Os partidos majoritaacuterios na Cacircmara e no Senado optaram peia omissatildeo

Dep Luiz Salomatildeo(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

Apesar das importantes conclusotildees e graves indiacutecios de ilegalidades e nulidades apontados por todas essas comissotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi adotada e a diacutevida externa natildeo parou de crescer sendo objeto de sucessivas negociashyccedilotildees que a tornaram cada vez mais onerosa

Deacutecada de 1990Na deacutecada de 1990 no bojo do processo de

abertura econoacutemica promovido pelo governo Collor ao qual se seguiram a desestatizaccedilatildeo e a desreguiamentaccedilatildeo do mercado de capitais as insshytituiccedilotildees credoras internacionais aproveitaram-se da fragilidade e da subordinaccedilatildeo das economias nacionais para executar o chamado Plano Brady

0 engodo do Plano BradyEm 1994 o Brasil concluiu a implantaccedilatildeo do

denominado Plano BradyEsse plano significou a transformaccedilatildeo da diacutevishy

da externa com bancos privados internacionais- antes formalizada sob a forma de acordos na deacutecada de 1980 - em tiacutetulos da divida externa

Foram emitidos sete tipos de tiacutetulos da diacutevida externa em troca da diacutevida anterior e de juros vencidos em montante estimado em US$ 51 bilhotildees na eacutepoca

Natildeo haacute transparecircncia em relaccedilatildeo ao deta- Ihamento das diacutevidas objeto de conversatildeo Tal negociaccedilatildeo tal como as da deacutecada de 1980 tambeacutem natildeo levou em consideraccedilatildeo o valor de mercado da diacutevida anterior (de cerca de 20 do valor nominal conforme constou de acoacutershydatildeo do TCU) nem as ilegalidades que haviam sido arguidas por comissotildees parlamentares

anteriores e ainda exigiu a compra de garantias colaterais (tiacutetulos do Tesouro norte-americano de cerca de US$ 39 bilhotildees)

Caso fosse considerado o valor de mercado da diacutevida externa anterior o resultado do Plano Brady pode ser resumido da forma retratada no graacutefico a seguir

novos bocircnus ou tiacutetulos A transformaccedilatildeo de juros vencidos em tiacutetulos eacute uma comprovaccedilatildeo expliacutecita de anatocismo (juros sobre juros) conshysiderado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

A operaccedilatildeo de troca da diacutevida por bocircnus natildeo significou ingresso de recursos para o Paiacutes pois constituiu mera troca e foi feita em Luxemburgo

A renegociaccedilatildeo Brady aumentou a diacutevida (US$ bilhotildees)60

50

40

30

20

10

Valor da diacutevida em mercado Bocircnus Brady emitidos

Fonte Paulo Nogueira Batista Jr e Armeacutenio de Souza Rangel A Renegociaccedilatildeo da Diacutevida Externa Brasileira e o Plano Brady Avaliaccedilatildeo de aSguns dos principais resultados paacuteg 15 e 18 e Ceres Aires Cerqueira Diacutevida Externa Brasileira paacutegs 65122123 e 124

Evidencia-se um tremendo prejuiacutezo ao Paiacutes Apesar disso o discurso oficiai e da grande miacutedia na eacutepoca foi de que o Brasil obteve um importanshyte desconto nessa negociaccedilatildeo Trata-se de mais ri forte indiacutecio da necessidade de realizaccedilatildeo de Buditoria pois os tais bocircnus Brady serviram como T io e d a para a compra das estatais privatizadas

atilde partir de 1996 Dessa maneira ao mesmo tempo em que entregaacutevamos nosso patrimoacutenio aumen- iacuteavamos a lesatildeo ao eraacuterio

A negociaccedilatildeo Brady tambeacutem natildeo levou em snsideraccedilatildeo as recomendaccedilotildees das Comissotildees iHamentares do Congresso Nacional portan- to a nova diacutevida dos bocircnus Brady tambeacutem pode ter sua legitimidade e legalidade questionadas

O Plano Brady foi aplicado em 22 paiacuteses onsiderados subdesenvolvidos e trocou tanto 3 diacutevida anterior como os juros vencidos por

conhecido paraiacuteso fiscal como uma oferta privashyda sem registro na SEC (Securities and Exchcmge

Comission dos Estados Unidos da Ameacuterica) e natildeo atendeu agraves exigecircncias da Lei de Vatores de 19337 para uma oferta puacuteblica nos Estados Unidos Ou sej^ fQi uma operaccedilatildeo repleta de irregularidades

A nova^ao -^transformaccedilatildeo de uma diacutevida em outra - deve ter uma causa legiacutetima o que natildeo se confirmou na operaccedilatildeo Brady

Por fim cabe ressaltar que a diacutevida externa contratual com bancos privados vinha sendo objeto de graves questionamentos de ordem legal com suspeitas inclusive de prescriccedilatildeo dessa diacutevida em 1992 sendo que atos iliacutecitos natildeo podem gerar consequecircncias liacutecitas

7 A Lei de Valores de 1933 foi ed itada I ogo apoacutes a Grande Crise de 1929 e regulamentou a comercializaccedilatildeo de accedilotildees tiacutetulos e demais papeacuteis financeiros

A D Iacute V I D A P Uacute B L I C A EM D E B A T E

41Caderno de estudos

Resgates Antecipados com Pagam ento de Aacutegio

Anaacutelises teacutecnicas da CPI demonstraram que logo apoacutes o referido Plano Brady foram realishyzadas trocas desses tiacutetulos por novos tiacutetulos da diacutevida externa (Global) e interna (NTN) operaccedilotildees que possuem forte indiacutecio de dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico ante os significativos desaacutegios nas emissotildees dos boacutenus Global suas elevadas taxas de juros onerosas comissotildees e demais gastos assumidos pelo Brasil bem como face agraves elevashydiacutessimas taxas de juros da diacutevida interna

Observou-se tambeacutem que os boacutenus Brady foram objeto de troca por outros tiacutetulos da diacutevida externa (por exemplo C-Bond por A-Bond em 2005) que por sua vez foram objeto de resgate antecipado a partir de 2005

A CPI apurou que o Brasil tambeacutem tem comshyprado antecipadamente tiacutetulos da diacutevida externa Ao inveacutes de pedir desconto pela antecipaccedilatildeo do pagamento os elevados pagamentos foram feitos com aacutegio que chegou a alcanccedilar 70 do valor nominal dos tiacutetulos originais

Ora qual a razatildeo para resgatar obrigaccedilotildees antecipadamente e com pagamento de aacutegio

A resposta das autoridades do Paiacutes agrave CPI da Diacutevida Puacuteblica foi no sentido de que o endividashymento eacute regido pelo ldquobenchmark mecanismo de marcaccedilatildeo de mercado que mede entre outras coisas a expectativa dos credores

0 pagamento de aacutegio pelo Tesouro brasileiro compensou expectativas frustradas de detentoshyres de tiacutetulos da divida externa brasileira emitishyda em doacutelares Um dos aspectos que afetou tal expectativa foi a queda no valor de tal moeda a partir de 2005 Tal fato eacute bastante grave e demonstra a que ponto chega o privileacutegio do setor financeiro Em nosso Paiacutes faltam recursos para o atendimento de necessidades vitais de grande parte da populaccedilatildeo como demonstrado em capiacutetulos anteriores mas sobram recursos para remunerar o capital financeiro

Pagam ento antecipado ao FMI contradiccedilatildeo inexplicaacutevel

Em 2005 durante o Governo Lula foi amplashymente propagandeado o resgate antecipado ao

DIacuteVIDA INTERNA

D gt V l gt 1

pound x t e r n P s

A chamada diacutevida interna corresponde agrave diacutevida

mobiliaacuteria - diacutevida em tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Na praacutetica a diacutevida interna eacute tambeacutem exter na pois grande parte dos tiacutetushylos dessa diacutevida tem sido adquirida porestrangeirosque encontram no Brasil a maior taxa de juros do mundo liberdade de capitais e isenccedilatildeo tributaacuteria

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica analisou a evoluccedilatildeo da diacutevida interna a partir de 1995 tendo em vista que foi justamente a partir do Plano Real que seu crescimento se acelerou de maneira impressionante como mostra o graacutefico a seguir Em dezembro de 2011 a diacutevida interna superou a cifra de 25 trilhotildees de reais

Buscando explicaccedilotildees para a contrashypartida a justificativa para essa diacutevida a CPI constatou que as altas taxas de juros foram a principal causa do cresshycimento acelerado da diacutevida interna provando que este endividamenshyto tem uma origem meramente financeira sem contrapartida em termos de desenvolvimento social e econoacutemico

O Relatoacuterio Final da CPI aprovado pela base do governo e pelo PSDB reconheceu esse grave fato que tambeacutem constitui uma importante evidecircncia da necessidade de completa auditoria dessa diacutevishyda pois a aplicaccedilatildeo de juros sobre juros (ana- tocismo) jaacute foi considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

Os trabalhos da CPI apontaram uma seacuterie de indiacutecios de ilegalidades na diacutevida interna cabenshydo ressaltar os seguintes

Esta roupa me disfarccedila melhor

Vatildeo acreditar que o beneficiaacuterio dessa diacutevida interna eacute o

povo brasileiro

Falta de transparecircncia e graves deficishyecircncias de controle e registro do endividashymento puacuteblico tais como desaparecimento de documentos falta de registro dos juros nominais efetivamente pagos por regime de caixa a cada ano bem como dos fluxos de pagamentos e recebimentos segredo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida interna insufishyciecircncia de informaccedilotildees sobre as justificativas para a emissatildeo de diacutevida

Fonte httpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201201pfpzip - Quadro 35

Os deputados membros da CPI pertencentes aos grandes partidos se recusaram a aprovar Requerimento de Informaccedilotildees que exigiria do governo o nome dos credores da diacutevida interna brasileira Somente foi aprovado requerimento de dados agregados que serviram como base para a elaboraccedilatildeo do graacutefico ao lado

Considerando que a diacutevida eacute puacuteblica seria de se esperar que os seus beneficiaacuterios fossem devidamente anunciados tal como ocorre em diversas partes do mundo inclushysive nos Estados Unidos da Ameacuterica do Norte Aqui no Brasil frequentemente autoshyridades e a grande miacutedia argumentam que a diacutevida interna beneficia pequenos aplica- dores clientes de Fundos de Investimento Contudo tal discurso natildeo apresenta fundashymento soacutelido pois quando a CPI da Diacutevida Puacuteblica requereu informaccedilotildees sobre o pershyfil dos detentores da diacutevida interna nesses Fundos requerendo informaccedilatildeo sobre a distribuiccedilatildeo dos grandes e pequenos invesshytidores) o Banco Central afirmou que natildeo dispunha desta informaccedilatildeo

Assunccedilatildeo de diacutevidas privadas espeshycialmente do setor financeiro por meio do PROER PROES e diversas outras formas

Credores da Diacutevida Interna - Abril2010

nacirco-nnanceiras

Bancos nacionais e estrangeiros

55

Fonte Banco Central (abrif2010) httpwwwbcb0ovbr htmsinfecondemabma201Q04Nlmprensazipe Secretaria de Previdecircncia Complementar (Estatiacutestica Mensal- Dez2009) -paacuteg 3Notas (1) A rubrica Fundos de Pensatildeo inclui recursos desses Fundos que se encontram aplicados em Fundos de Investimento de Renda Fixa Consequentemente a rubrica Fundos de Investimento aparece descontada destes recursos(2) A rubrica Bancos Nacionais e Estrangeiros inclui os Tiacutetulos Vinculados (que representam principalmente o depoacutesito junto ao BC petas instituiccedilotildees financeiras de tiacutetulos puacuteblicos como garantia de operaccedilotildees em Bolsa de Valores) e as Operaccedilotildees de Mercado Aberto (que significam a retirada de moeda de circulaccedilatildeo mediante entrega agraves instituiccedilotildees financeiras dos 1 tiacutetulos puacuteblicos em poder do Banco Central)

4 6Caderno De estudos | A d iacute v i d a P i j R i c a t u D E B A T E

Descumprimento de atribuiccedilotildees legais e constitucionais peios oacutergatildeos de controle do endividamento puacuteblico federal comproshyvado pela ausecircncia de resposta dos oacutergatildeos oficiais de controle interno (Banco Central e Ministeacuterio da Fazenda) a pedidos de infor maccedilatildeo sobre a diacutevida puacuteblica brasileira e pela ausecircncia de realizaccedilatildeo de auditoria nas negociaccedilotildees com bancos privados internacioshynais pelo Tribunal de Contas da Uniatildeo (TCU) Quanto ao Congresso Nacional este vem des cumprindo haacute mais de 20 anos a determinashyccedilatildeo constitucional de realizaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externa brasileira Tambeacutem natildeo regulamentou o art 30 incisos I e II da Lei de Responsabilidade Fiscal que dizem respeito aos limites globais de endividamento

Danos patrimoniais agraves financcedilas do Paiacutes configurada pela praacutetica doanatocismo (juros sobre juros) jaacute considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal aleacutem do ofeshyrecimento de taxas de juros injustificadas e excessivamente elevadas

Conflito de interesses na determinaccedilatildeo da taxa baacutesica de juros Os membros do Copom que definem as taxas de juros e demais autoshyridades do Banco Central realizam reuniotildees com analistas independentesrsquo tendo a CPI apurado que estes constituem - em cerca de 95 ou seja em sua imensa maioria - represhysentantes dos segmentos financeiros direta- mente interessados o que pode caracterizar conflito de interesses Adicionalmente a CPI constatou que a maior parte dessas autoridashydes foi trabalhar no setor financeiro privado apoacutes deixar o Banco Central As taxas de juros Selic satildeo definidas pelos 8 (oito) membros do Copom com base em criteacuterios natildeo mateshymaacuteticos pois a decisatildeo eacute tomada a partir de apresentaccedilotildees teacutecnicas discussotildees e natildeo decorrem da aplicaccedilatildeo de uma foacutermula que definiria qual deveria ser a decisatildeo do Comiteacute sobre a meta da taxa Selic cabendo ressalshytar ainda que os votos de seus membros natildeo eram divulgados

Argumentos insustentaacuteveis para os elevados juros Aleacutem da ausecircncia de justishyficativas teacutecnicas para o abusivo patamar de juros praticados durante os 15 anos analisashydos o argumento de elevar taxas de juros para combater a inflaccedilatildeo tambeacutem natildeo se sustenta

Ao mesmo tempo em que as autoridades monetaacuterias defendem a elevaccedilatildeo das taxas de juros sob a justificativa de controle inflashycionaacuterio as mesmas autoridades permitem grandes aumentos nos preccedilos administrados (tarifas de energia telefone combustiacutevel entre outros) o que eacute um total contra-senso Adicionalmente os oacutergatildeos de defesa da livre concorrecircncia natildeo tecircm conseguido combater adequadamente os carteacuteis privados que tamshybeacutem afetam a formaccedilatildeo dos preccedilos

Danos agrave economia real As elevadas taxas de juros baacutesicos impulsionam as demais taxas de juros praticadas pelos bancos provocando aumento nos custos das induacutestrias e empresas em geral deprimindo o investimento o que ocasiona a reduccedilatildeo da oferta de produtos gerando inflaccedilatildeo As elevadas taxas de juros brasileiras satildeo as maiores de todo o mundo natildeo havendo justificativa plausiacutevel para tal patamar Esse custo tem imposto atraso ecoshynoacutemico imensuraacutevel ao Paiacutes

Poliacuteticas monetaacuteria e cambial equivoshycadas Danos decorrentes da excessiva acushymulaccedilatildeo de reservas internacionais por meio da elevaccedilatildeo acelerada do estoque do endivishydamento interno A principal justificativa para a compra de doacutelares pelo Banco Central tem sido a de enxugar o excesso de moeda e eviacute tar a valorizaccedilatildeo da moeda nacional poreacutem quando o BC compra a moeda americana termina estimulando ainda mais os especushyladores a trazerem moeda estrangeira ao Paiacutes

Prejuiacutezos do Banco Central O fato de o Banco Central manter crescentes e elevadas reservas em doacutelares em seu ativo desde 2005 e tiacutetulos da diacutevida Interna em seu passivo representa enorme transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor financeiro privashydo tendo em vista a forte desvalorizaccedilatildeo do doacutelar O prejuiacutezo do Banco Central alcanccedilou R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 RS 445 bilhotildees no 1-semestre de 2011 sendo que todo esse resultado negativo foi coberto pelo Tesouro Nacional ou seja foi arcado por toda a sociedade Isso caracteriza violaccedilatildeo do princiacutepio republicano em sentishydo de adequado trato da coisa puacuteblica pelos agentes do Estado cuja investigaccedilatildeo deve ser aprofundada para apurar eventual dano ao patrimoacutenio puacuteblico

A 0 I V I C A F II li L C A r M D t 8 A 1 E |

47Caderno de

III

Todos esses graves indiacutecios de iacuterregularidades apontados pela CPI reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa auditoria dessa diacutevida

A RECENTE QUEDA DA TAXA SELICEm 2011 a taxa Selic passou a cair reduzinshy

do-se ao patamar de 8 ao ano Entretanto estudos realizados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm demonstrado que justamente quando a taxa passou a cair o Tesouro Nacional passou a praticar vendas de tiacutetulos da diacutevida brasileira em taxas fixas e superiores agrave Selic Exatamente no dia 19042012 data em que a taxa Selic caiu a 9 como amplamente notishyciado nos grandes meios de comunicaccedilatildeo o Tesouro Nacional efetuou praticamente a totalidade de vendas de tiacutetulos da diacutevida brashysileira a taxas muito superiores que chegaram a 1079 ao ano

Ora qual a razatildeo para essa praacutetica evidenshytemente contraacuteria aos interesses do Paiacutes Uma das justificativas normalmente apresentadas eacute que o mercadordquo natildeo aceita comprar por taxas mais baixas

Mas quem eacute o m ercadoA venda de tiacutetulos se daacute por meio dos dealers

- reduzido grupo de grandes bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia na compra dos tiacutetulos leiloados pelo Tesouro Nacional em primeira matildeo8

Essa modalidade de negociaccedilatildeo foi introdushyzida a partir de 2001 com a ediccedilatildeo da Circular BACEN ns 3053 havendo um rodiacutezio entre as instituiccedilotildees financeiras Na data em que o preshysente Caderno estaacute sendo elaborado os dealers

satildeo os seguintes

8 Ver lthttpwwwtMourofazendagovbrhpdownloads Rltmking_Top_5 Janeiro_12_Mertado_Primariopdfgt

Quanto mais pagamos mdash mais devemos

GASTOSCOM

JUROS

48Caderno de estudos | A o l v i D A P uacute b l i c a FM DIacute E ATE

M

M

Tesouro NacionalINSTITUICcedilOtildeES CREDENCIADAS A OPERAR COM A CODIP E COM O DEMAB

10082012 a 3101201310022012 a 31072012

BCOBRADESCOS A

BCO BTG PACTUA L S A

BCOCITIBANKS A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO J P MORGAN S A

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

CM CAPITAL MARKETS CCTVM LTDA

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ITAU UNI BANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

BCO BARCLAYS S A

BCO BRADESCO S A

BCO BTG PACTUAL S A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

DEUTSCHE BANK S A - BCO ALEMAO

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ICAP DO BRASIL CTVM LTDABRAD

ITAU UNIBANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

Referecircncia Legal Decisatildeo-Conjunta 18 de 10022010 Ato Normativo Conjunto de 26 de 08022012 e Ato Normativo Conjunto 27 de 08022012

Depreende-se que o grupo de bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia de comprar os tiacutetulos colocam o Tesouro Nacional a serviccedilo do Sistema da Diacutevida pois soacute compram os tiacutetulos leiloados quando as condiccedilotildees oferecishydas atendem a seus interesses e dessa forma na praacutetica ditam as regras Assim tem funcionado o Sistema da Diacutevida

QUEM GANHA COM ESSE PROCESSODe todo esse processo de escoamento natildeo transshy

parente dos recursos puacuteblicos por meio da diacutevida puacuteblica - interna e externa - resta uma grande certeza os detentores dos tiacutetulos - em sua maioria bancos auferem no Brasil os maiores lucros do mundo como comprova o graacutefico a seguir

Lucro dos Bancos (R$ bilhotildees)80

60

40

20

Aparente queda Aumento de Provisotildees

00 O ltN m r r m 0 00 OQ CT O O O o o o O O o O T--(Jy C l O O O o o o o o o o Ormdash (N rsi ltN ltN ltN ltN ltN ltN r| ri

Fonte Banco Central do Brasil (httpwww4bcbgovbrtop50porttop50asp)

A D l V l D A P Uacute B L I C A E M D F S A T E

49Caderno de estudos

C A P Iacute T U L O 8

O SISTEMA DA DIacuteVIDASISTEMA DA DIacuteVIDA NO BRASIL

A nos de estudos sobre o endividamento puacuteblico no Brasil em outros paiacuteses da

Ameacuterica Latina e mais recentemente na Europa permitiram a identificaccedilatildeo de um mesmo modus

operandi um desvirtuamento do papel da diacutevida puacuteblica e sua utilizaccedilatildeo em benefiacutecio do setor financcedil

Em tese a diacutevida puacuteblica deveria funcionar (como um importante instrumento de financia-

lento do Estado ou seja um instrumento que ^viabilizaria aporte de recursos ao Estado a fim de complementar recursos necessaacuterios ao cum-

Entretanto as investigaccedilotildees realizadas em diversos paiacuteses tecircm comprovado que esse papei foi usurpado e a divida puacuteblica se transformou em um instrumento agrave disposiccedilatildeo dos donos do poder financeiro^ou seja ao inveacutes de jportar recursos ao Estado tem sido um mecanismo de transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor finarccedilceiro privado

Ta) proeza eacute possibilitada por um arcabouccedilo de privileacutegios de ordem lega poliacutetica finanshyceira e econoacutemica que denominamos Sistema da Diacutevida que visa a garantir prioridade absoluta aos pagamenshytos financeiros da diacutevida puacuteblica em detrimento de direitos humanos e sociais de toda a naccedilatildeo

A fim de exemplificar como opera o Sistema da Diacutevida no Brasil cabe mencionar alguns privishyleacutegios evidenciados no modelo econoacutemico e na estrutura legal possibishylitados pelo equivocado

sistema poliacutetico que permite o financiamento privado de campanhas eleitorais

MODELO ECONOacuteMICOO modelo econoacutemico adotado no Paiacutes eacute comshy

pletamente voltado para a garantia dos privileacuteshygios da diacutevida o que se evidencia pelas seguintes caracteriacutesticas

Poder exacerbado do setor financeiro espeshycialmente bancos privados e FMI frequenteshymente identificado como 0 Mercado cujo comportamento acaba justificando poliacuteticas econoacutemicas nocivas ao Paiacutes e que beneficiam somente a eles mesmos tais como a praacutetica de juros altos as privatizaccedilotildees de setores estashytais estrateacutegicos entre muitas outras

Financeirizaccedilatildeo baseada em papeacuteis caracteshyrizada pela proliferaccedilatildeo de Fundos Soberano do Preacute-Sal de Previdecircncia etc que absorvem todo o risco do mercado financeiro desregu- lado Tais fundos podem se transformar em veiacuteculos para a transmissatildeo para o Brasil dos papeacuteis podres que provocaram a atua crise financeira internacional

FUNDO DE PENSAtildeO

57a d I v i o a - uacute raquobull i r a f m d f r a t e | Caderno de estudos

58Caderno de estudos

Liberdade total para os fluxos de capitais pershymitindo que bancos nacionais utilizem setores sediados no exterior para usufruir da isenccedilatildeo tributaacuteria sobre os rendimentos proporcionashydos pelos mais elevados juros do mundo pagos pelo Brasil Adicionalmente essa liberdade de movimentaccedilatildeo deixa vulneraacuteveis as poliacuteticas monetaacuteria e cambia praticadas no Pais

Ausecircncia de Transparecircncia nas negociaccedilotildees que geraram endividamento puacuteblico na divulgaccedilatildeo dos valores dos juros nominais efetivamente pagos sigilo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida puacuteblica aleacutem da utilizaccedilatildeo de artifiacutecios e decishysotildees baseadas em documentos secretos natildeo acessiacuteveis agrave populaccedilatildeo

Prioridade para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrada em poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria que representam elevados ganhos ao setor financeiro

Privileacutegios tributaacuterios para o setor financeiro e grandes corporaccedilotildees e pesada carga tributaacuteria para a classe trabalhadora

Esse modelo vem submetendo sucessivos governantes - ainda que de partidos diferentes- ao mesmo poder econoacutemico que financia as suas campanhas eleitorais e dessa forma exerce grande influecircncia nas decisotildees poliacuteticas do Paiacutes

Adicionalmente os donos do poder financeiro exercem o controle da grande miacutedia como antes mencionado e natildeo raro financiam instituiccedilotildees de ensino para desenvolver robustas teses em defesa do funcionamento desse injusto modelo que os beneficia

OS PRIVILEacuteGIOS LEGAIS DA DIacuteVIDA

V imos que a diacutevida puacuteblica brasileira tem consumido anualmente quase a

metade dos recursos da Uniatildeo provenienshytes tanto de arrecadaccedilatildeo tributaacuteria como da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

Para conseguir essa faccedilanha a diacutevida conshyta com um enorme arcabouccedilo de ordem legal- uma superestrutura juriacutedica - que garante a prioridade de recursos para os pagamentos finanshyceiros da diacutevida puacuteblica enquanto que remanesce desassistida uma significativa porccedilatildeo dos direitos sociais e humanos do povo brasileiro

Constituiccedilatildeo FederalEacute na Constituiccedilatildeo Federal que tem iniacutecio o

arcabouccedilo juriacutedico que garante os privileacutegios da diacutevida Vejamos o que determina o art 166

Art 166 Os projetos de lei relativos ao plano pluria- nual agraves diretrizes orccedilamentarias ao orccedilamento anual

e aos creacuteditos adicionais seroo apreciados pelas duas

Casas do Congresso Nacional na forma do regimento

comum

U

sectS As emendas ao projeto de lei do orccedilamento

anual ou aos projetos que o modifiquem somente

podem ser aprovadas caso

()II - indiquem os recursos necessaacuterios admitidos

apenos os provenientes de anulaccedilatildeo de despesa

excluiacutedas as que incidam sobre

()b) serviccedilo da divida

Segundo diretriz consagrada no direito finanshyceiro toda despesa puacuteblica deve trazer consigo no orccedilamento em que estiver prevista a fonte e o montante dos recursos a elas destinados

0 dispositivo constitucional antes transcrito- letra b do art 166sect3Ecirc II - abriu exceccedilatildeo a essa regra quando se tratar de necessidade de recursos puacuteblicos destinados ao pagamento da diacutevida puacuteblica que NAtildeO necessitam ter sua fonshyte prevista no orccedilamento

0 efeito claro desse dispositivo eacute a liberaccedilatildeo indiscriminada de valores para o pagamento de serviccedilos da diacutevida inclusive com impacto negashytivo sobre os gastos sociais Quando os recursos- mesmo apoacutes os contingenciamentos de gastos sociais - nagraveo satildeo suficientes para pagar o serviccedilo da diacutevida novos tiacutetulos da diacutevida satildeo emitidos provocando-se elevaccedilatildeo contiacutenua de seu estoshyque apesar dos vultosos pagamentos

Aleacutem do mais este dispositivo constitucional impede que o Legislativo - por meio de emenshydas - altere o valor destinado ao pagamento do serviccedilo da diacutevida Em bom portuguecircs o Congresso Nacional fica vaacuterios meses discutindo tudo sobre o Orccedilamento menos o essencial ou seja o serviccedilo da diacutevida que consome a maior parcela dos recursos puacuteblicos

CONSTITUICcedilAtildeO FRAUDADA

A inserccedilatildeo desse dispositivo no texto constitushycional eacute bastante questionada

Importante estudo realizado no ano de 2006 por Adriano Benayon e Pedro Antonio Dourado de Rezende demonstrou uma grave irregularidade praticada durante o periacuteodo da Constituinte

O estudo Anatomia de uma Fraude agrave Constituiccedilatildeo eacute acompanhado de uma seacuterie de documentos fotos e publicaccedilotildees

Segundo os autores o projeto do atual art 166 da Constituiccedilatildeo natildeo incluiacutea nenhuma exceccedilatildeo ao dispositivo segundo o qual as emendas ao projeshyto de lei do orccedilamento anual ou aos projetos que o modifiquem somente podem ser aprovadas caso indiquem os recursos necessaacuterios E assim foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) No momento da sistematizaccedilatildeo do texto constitucional o artigo passou agrave votaccedilatildeo em segundo turno sem nenhushyma alteraccedilatildeo acompanhado das emendas correshylatas As emendas poderiam versar apenas sobre erros ou contradiccedilotildees Contudo no momento da votaccedilatildeo surgiram emendas que diziam respeito agrave alteraccedilatildeo de meacuterito

Ao cumprir a Ordem do Dia o presidente da ANC anunciou a fusatildeo das propostas de Emenda do artigo () com outras relativas a outros

artigos pondo em votaccedilatildeo um uacutenico texto para os tregraves artigos que supostamente as reunia para votaccedilatildeo simultacircnea Nesse iacutenterim foram irreshygularmente adicionados dispositivos agrave redaccedilacirco que havia sido aprovada em primeiro turno e que alteravam substancialmente o dispositivo originai Os dispositivos adicionados () surgishyram somente no Requerimento apresentado no dia de votaccedilatildeo Dessa forma as exceccedilotildees hoje verificadas no texto constitucional foram subshymetidas agrave votaccedilatildeo somente no 2o turno como se fosse meramente uma compilaccedilatildeo do que jatilde havia sido votado Induzidos os constituintes aprovaram o artigo por ampia maioria (408 favoshyraacuteveis 5 contraacuterios e 12 abstenccedilotildees)

Posteriormente a irregularidade foi assumishyda publicamente pelo entatildeo deputado Nelson Jobim

Apesar de denuacutencias e protestos ateacute o momento esse dispositivo que carrega forte evidecircncia de viacutecio de origem permanece intacto e produzindo onerosos efeitos Esse dispositivo constitucional suspeito de fraude garante prioshyridade absoluta agrave diacutevida puacuteblica

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL-LRF

Outro privileacutegio da diacutevida eacute evidenciado na Lei de Responsabilidade Fiscal - Lei

Complementar na 1012000 - LRFEsta lei saudada pela grande miacutedia e por setores

dominantes como se fosse a lei que viria potilder fim agrave corrupccedilatildeo puacuteblica na realidade natildeo trata de desvio de recursos maacute versaccedilatildeo ou mesmo corrupccedilatildeo

A referida lei trata de controle do gasto puacuteblico a fim de garantir o pagamento da diacutevida puacuteblica

A LRF resultou de uma imposiccedilatildeo do Fundo Monetaacuterio Internacional ao governo brasileiro seguindo a esteira do organismo no sentido da defesa incondicionada da austeridade fiscal

Na praacutetica essa austeridade significa o rigoroso controle dos gastos puacuteblicos gerando uma ecoshynomia forccedilada uma sobra de recursos que se denomina superavit primaacuterio destinado a garantir a confianccedila dos credores internacionais de que o Brasil teraacute recursos para honrar o pagamento dos vultosos juros da divida

59a d iacute v i c a f j e l c a FM o E 0 a i t I Caderno de estudos

Para cumprir a meta de superaacutevit primaacuterio os sucessivos governos tecircm iniciado cada ano com a ediccedilatildeo de um decreto para o contingenciamento de verbas que o orccedilamento votado no Congresso Nacional havia destinado agraves diversas aacutereas sociais

O atual governo da Presidenta Diiacutema editou em 2011 o Decreto 74452011 contingenciando o montante recorde de R$ 50 bilhotildees

Em 2012 novo recorde foi batido e o Decreto 76802012 contingenciou o montante de R$ 55 bilhotildees o que comprova a rigorosa contenccedilatildeo do orccedilamento destinado agraves aacutereas sociais

De acordo com o art 73 da LRF caso o admishynistrador puacuteblico deixe de pagar os serviccedilos da diacutevida - ainda que para evitar a falecircncia dos sershyviccedilos baacutesicos do Estado ou mesmo caso a diacutevida cresccedila de maneira inesperada por conta de uma elevaccedilatildeo dos juros - poderaacute responder por crime de responsabilidade

O Art16 da LRF tambeacutem impede que Legislativo aprove qualquer projeto de lei que implique em aumento de gastos sociais Por outro lado a refeshyrida lei natildeo estabelece limite algum para os gastos com a diacutevida puacuteblica Tambeacutem natildeo estabelece limite para o custo da poliacutetica monetaacuteria desemshypenhada pelo Banco Central - que gerou prejuiacutezos brutais de R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 201 Oe R$ 445 bilhotildees no I2 semestre de 2011

- e ainda por cima determina que esse prejuiacutezo seja absorvido pelo Tesouro Nacional

A mesma lei tambeacutem faz seacuterias restriccedilotildees a Estados e Municiacutepios impondo-lhes que sigam os objetivos da poliacutetica econoacutemica nacional os quais como temos demonstrado natildeo satildeo outros que natildeo garantir de modo absoluto o credor financeiro e congelar os dispecircndios sociais Trata-se de clara afronta ao principio federativo e mais uma das divershysas irregularidades legitimadas pelo ordenamento juriacutedico brasileiro que precisam ser revistas

LEI DE DIRETRIZES ORCcedilAMENTAacuteRIAS

T ambeacutem a LDO (Lei de DiretrizesOrccedilamentarias) que anualmente estabelece as linhas gerais

do orccedilamento do exerciacutecio posterior corrobora a primazia da diacutevida puacuteblica no ordenamento juriacutedico brasileiro A tiacutetulo de exemplo veja-se o que estabelece o art 2pound da diretriz orccedilamentaacuteria de 2012

Art 2o- A elaboraccedilatildeo e a aprovaccedilatildeo do Projeto de

Lei Orccedilamentaacuteria de 2012 bem como a execuccedilatildeo

da respectiva Lei deveratildeo ser compatiacuteveis com

a obtenccedilatildeo da meta de superaacutevit primaacuterio ()

9 MIRANDA Seacutergio A farsa do Lei de Responsabilidade Fiscal

Brasiacutelia- Cacircmara dos Deputados 2000

60

Caderno de estudos | D i v [gt A p tt 3 1 i o a F m l _ R a ~ t

Dessa forma a elaboraccedilatildeo do orccedilamento da Uniatildeo passa a ter como princiacutepio fundamental a obtenccedilatildeo de superaacutevit primaacuterio A partir do estashybelecimento desta reserva de recursos para a divishyda os recursos primaacuterios satildeo distribuiacutedos agraves demais rubricas Eacute importante ressaltar que essa poliacutetica que reserva centenas de bilhotildees de reais de receitas natildeo-primaacuterias para o pagamento de juros e amortishyzaccedilotildees da diacutevida - e aleacutem disso reserva parte subsshytancial das receitas primaacuterias tambeacutem para esse fim- tem travado completamente o desenvolvimento do paiacutes (ver item Superaacutevit Primaacuterio no capiacutetulo 3) A diacutevida absorve cerca de metade de todas as receitas - primaacuterias e natildeo-primaacuterias - impedindo a realizaccedilatildeo de investimentos reajustes salariais para servidores e atendimento agraves necessidades sociais

A LDO tambeacutem estabelece que a atualizaccedilatildeo da diacutevida puacuteblica federa natildeo deveraacute superar o IGP-M - iacutendice divulgado por instituiccedilatildeo privada a Fundaccedilatildeo Getulio Vargas

A LDO tem estabelecido que a parte do refishynanciamento da diacutevida puacuteblica deve constar separadamente do orccedilamento o que tem provoshycado grande distorccedilatildeo na divulgaccedilatildeo dos nuacutemeshyros oficiais da diacutevida como antes mencionado (ver item Os nuacutemeros da diacutevida no capiacutetulo 4)

O DOGMA DE COMPRARA CONFIANCcedilA DO DEUS MERCADO

O arcabouccedilo juriacutedico que privilegia os gasshytos financeiros em detrimento dos direitos

sociais eacute resultado de um processo da histoacuteria brasileira que consolidou no senso comum a ideia de que eacute mais importante para o Paiacutes manter sua imagem de bom pagador perante credores e especuladores que fornecer ao seu povo um serviccedilo puacuteblico de qualidade ainda que isso sigshynifique insistir no pagamento de diacutevidas ilegais ilegiacutetimas e insustentaacuteveis

Tambeacutem eacute de se notar com clareza a influecircncia externa sofrida para que fossem aprovadas medishydas como essa Apoacutes esgotar os recursos do paiacutes e travar o nosso desenvolvimento com as poliacuteticas impostas na deacutecada de 1980 o FMI continuou a impor com matildeo de ferro a agenda neoliberal no Brasil E isso se fez com especial vigor pela implanshytaccedilatildeo do Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo resultado de negociaccedilatildeo com o oacutergatildeo financeiro

Poressa metodologia posta em praacutetica a partir do Decreto n 308899 todas as vezes em que se projetar um aumento da inflaccedilatildeo em niacutevel superior ao programado ou houver excesso de moeda em circulaccedilatildeo ativam-se dois instrumentos (a) aumenshyto da taxa baacutesica de juros (Selic) (b) enxugamento de moeda em operaccedilotildees de mercado aberto

Qualquer que seja o instrumento utilizado o efeito resulta em aumento da diacutevida puacuteblica pois

a) A elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic provoca a elevaccedilatildeo dos compromissos financeiros relashycionados ao pagamento de juros da diacutevida Se os recursos existentes natildeo satildeo suficientes nova diacutevida eacute emitida

b) O enxugamento de moeda pelo Banco Centrai se daacute por meio da entrega de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica em troca do excesso de moeda

Dessa forma o Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo em praacutetica no Paiacutes natildeo tem servido para controlaro tipo de inflaccedilatildeo que temos (decorrente do reashyjuste excessivo de tarifas puacuteblicas e do preccedilo de alimentos) e na praacutetica tem sido um mecanismo de geraccedilatildeo de diacutevida puacuteblica

OUTROS PRIVILEacuteGIOS QUE GARANTEM A DESTINACcedilAtildeO DE RECURSOS PARA O PAGAMENTO DA DIacuteVIDA

A leacutem dos questionaacuteveis privileacutegios legais visshytos existem outros privileacutegios adicionais que

garantem a destinaccedilatildeo de recursos para o serviccedilo da diacutevida

Lucro do Banco Central Quando o Banco Central apura lucro operacional esse lucro eacute destinado exclusivamente ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Medida Provisoacuteria na 2179-362001 Art 2a sect1He Lei 118032008 Art 32

Os valores pagos na forma do inciso I do art 2nda Medida Provisoacuteria n 2179-36 de 24 de agosto de 2001 [lucro do BC] seracirco destinados exclusivamente ao pagamento da Diacutevida Puacuteblica Mobiliaacuteria Federal devendo ser paga prioritariamente aquela existente junto ao Banco Central do Brasil

61A D v i n a p u b l i c a em B F B A l E I Caderno de estudos

Por outro lado se o Banco Central apura prejushyiacutezo operacional a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que o Tesouro cubra este prejuiacutezo como antes mencionado

Lucro das estatais distribuiacutedos ao govershyno Enquanto a parcela das accedilotildees das estatais que se encontra em matildeos privadas garante a esses proprietaacuterios os respectivos dividendos os lucros referentes agrave parceia das estatais que ainda remanesce sob propriedade puacuteblica eacute destinada por iei para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Lei ns 95301997 - Art 1E Seratildeo destina dos agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

I - a receita do Tesouro Nacional decorshyrente do pagamento de participaccedilotildees e dividendos pelas entidades integrantes da Administraccedilatildeo Puacuteblica Federal indireta inclusive os relativos a lucros acumulados em exerciacutecios anteriores

Eacute por isso que a Petrobras por exemplo emboshyra seja uma das empresas mais lucrativas do mundo acaba contraindo diacutevidas para realizar investimentos Eacute por isso tambeacutem que embora sejamos autossuficientes na produccedilatildeo de petroacuteshyleo a gasolina brasileira eacute tatildeo cara para gerar lucros que iratildeo pagar a diacutevida

Pagamento da diacutevida dos Estados e Municiacutepios com a Uniatildeo A Uniatildeo natildeo usushyfrui dos recursos sacrificados por Estados e Municiacutepios para o pagamento de suas diacutevidas pois por lei o que a Uniatildeo recebe dos Estados e Municiacutepios destina-se exclusivamente ao pagamento da divida federal que em sua maior parte estaacute nas matildeos dos bancos nacionais e estrangeiros

Emissatildeo de novos tiacutetulos Esse constitui um dos principais privileacutegios da diacutevida jaacute que a lei autoriza a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevida Cabe ressaltar que a Constituiccedilatildeo Federal art 167 autoriza a emissatildeo de diacutevida somente para pagar amortizaccedilotildees (despesa de capital) vedando poreacutem a emissatildeo de diacutevida para pagar juros (despesa corrente)Entretanto a contabilizaccedilatildeo irregular de parte dos juros nominais (atualizaccedilatildeo monetaacuteria) como se fosse rolagem vem burlando essa vedaccedilatildeo constitucional

Constituiccedilatildeo Federal art 167Art 167 Satildeo vedados()

III - a realizaccedilatildeo de operaccedilotildees de creacuteditos que excedam o montante das despesas de capital

A Lei 101792001 tambeacutem permite a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevidas anteriores mas natildeo permite a emissatildeo de diacutevida para garantir direitos sociais aos brasileiros

Recursos obtidos com PrivatizaccedilotildeesPor lei os recursos advindos das privatizaccedilotildees do patrimoacutenio puacuteblico se destinaram ao pagashymento da diacutevida puacuteblica

Remuneraccedilatildeo da Conta Uacutenica do Tesouro pelo Banco CentralOs recursos auferidos com tal remuneraccedilatildeo se destinam ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Recursos autorizados pelas Medidas Provisoacuterias ndeg 435 e 450 convertidas nas Leis n2 118032008 e 119432009

62Caderno de estudos | a D I v i DA P Uacute B L I C A fcM D pound u iacute F

Tais medidas permitiram que todos os recursos rtatildeo gastos durante o ano de qualquer rubrica t de receita vinculada por lei a alguma aacuterea social fossem destinados a partir de 2008 ao pagagraveymdash mento da diacutevida puacuteblica T -

Em um uacutenico ano - 2008 - a MP 435 viabilizou a transferecircncia de cerca de R$ 40 bilhotildees de recurshysos antes vinculados a outras aacutereas estrateacutegicas (FUNDAF Royalties do Petroacuteleo entre outras) para o pagamento da diacutevida

Lei nE 119432009 (conversatildeo da MP 435) Art 13 O excesso de arrecadaccedilatildeo e o superaacutevit financeiro das fontes de recursos existentes no Tesouro Nacional poderatildeo ser destinados agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

Epor causa dessa impressionante estrutura legal que a diacutevida puacuteblica consegue absorver a cada ano quase a metade dos recursos da Uniatildeo apesar das evidecircncias de que essa diacutevida tem sido um instrumento meramente financeiro de mercado sem qualquer contrapartida

real para a populaccedilatildeoPor outro lado a populaccedilatildeo que paga a conta - por meto de elevada carga tributaacuteria e peta

ausecircncia dos serviccedilos sociais que tem direito - continua desprovida de bens e serviccedilos elementares a despeito da grande riqueza do nosso Paiacutes que vergonhosamente ostenta o tiacutetulo de um dos paiacuteses mais injustos e desiguais do mundo

Nacirco deveria ser assim Essa situaccedilatildeo precisa ser enfrentada e modificada

ldquoA luta pela verdade deve ter precedecircncia sobre todas as outras

A L B E R T E I N S T E I N

63a D I v i d a p ij B I i c A EM D E B A T E | Caderno de estudos

Page 4: A dívida pública em debate. (livro)

CONCENTRACcedilAtildeO DE RENDA

Um dos grandes problemas brasileiros e um dos mais facilmente observaacuteveis eacute que nossa

riqueza estaacute concentrada nas matildeos de poucos grandes proprietaacuterios - nacionais e estrangeiros- de terras e negoacutecios especialmente empreiteishyras e bancos que se dedicam a atividades financeiro-especulativas

Ao longo da nossa histoacuteria as decisotildees poliacuteticas e econoacutemicas tecircm privilegiado esses grandes proprieshytaacuterios (que geralmente financiam as campanhas eleitorais) favorecendo a concentraccedilatildeo de recursos e poder nas matildeos de poucos o que tem reforccedilado as desigualdades sociaisEm razatildeo disso o Brasil eacute consideshyrado atualmente o Bdeg paiacutes mais injusto do mundo

Apesar dos Programas Sociais existentes como o Bolsa Famiacutelia ainda estamos muito distantes de um patamar miacutenimo de justiccedila social

Outro dado indicativo da concentraccedilatildeo da ren da no Brasil foi divulgado peia ONU (Organizaccedilatildeo das Naccedilotildees Unidas) em 2008 indicando que para cada 1 doacutelar destinado aos 10 mais pobres 513 doacutelares satildeo destinados aos 10 mais ricos O niacutevel eacute comparaacutevel a paiacuteses como Guatemala (US$ 4820) Panamaacute US$ 5750) e El Salvador ltUS$ 5750) o que mostra o quatildeo privilegiadas satildeo as elites em nosso Paiacutes

O indice de Gini que mede a concentraccedilatildeo de renda dos paiacuteses - varia de 0a 1 Quanto mais proacuteximo de zero maior a igualdade entre a populaccedilatildeo e quanto mais proacuteximo de 1 mais extrema a desigualdade O Brasil tem o 3o pior iacutendice de Gini do mundo equivashylente a 0538

Em matildeos privadas a reivindicaccedilatildeo de lucros cada vez maiores tem levado ao fornecimento de serviccedilos cada vez mais caros Eacute o caso por exemshyplo dos serviccedilos de telefonia no Brasil que apoacutes a privatizaccedilotildees passaram a ser os mais caros do mundo ao mesmo tempo em que satildeo os campeshyotildees de reclamaccedilotildees dos consumidores As empreshy

sas de telefonia auferem lucros espantosos anualmente e natildeo realishyzam os investimentos necessaacuterios 0 mesmo ocorre com empresas de energia eleacutetrica e transportes puacuteblishycos serviccedilos altamente lucrativos devido ao alto preccedilo das tarifas cobradas

As privatizaccedilotildees tambeacutem aproshyfundaram a concentraccedilatildeo da renshyda no Paiacutes pois uma significativa parte do patrimoacutenio puacuteblico - que pertencia a naccedilatildeo - foi transferido

para privilegiados grandes proprietaacuterios do setor privado nacional e internacional

O processo de privatizaccedilotildees foi iniciado por Fernando Coiacutelor (Siderbraacutes Usiminas) mas avanccedilou tremendamente no governo de Fernando Henrique Cardoso quando foram vendidas as maiores empresas (Embraer Vale do Rio Doce Teiebraacutes Eletropaulo Light Rio jazishydas de petroacuteleo) e diversos bancos estaduais

PRIVATIZACcedilOtildeES

A s privatizaccedilotildees dos serviccedilos de telefonia energia transporte aleacutem de setores da

educaccedilatildeo e sauacutede significaram prejuiacutezos para os brasileiros pois os preccedilos vecircm aumentando bem acima da inflaccedilatildeo exercendo pressatildeo no aumento de diversos outros preccedilos de produtos e serviccedilos Grande parte da inflaccedilatildeo verificada no Paiacutes decorre do excessivo reajuste de tais tarifas sendo que o aumento salarial dos trabalhadores natildeo tem acompanhado a mesma evoluccedilatildeo o que significa uma deterioraccedilatildeo no poder de compra desses trabalhadores

Lula prosseguiu com o processo de privatizashyccedilotildees (rodovias hidroeleacutetricas bancos estaduais e jazidas petroliacuteferas inclusive do Preacute-Sal) Lula tamshybeacutem implementou outros tipos de privatizaccedilaacuteo

20Caderno de estudos | Aacute D I V DA P lj B L I C A = M D t 3 A TF

por meio das PPP - parcerias puacuteblico-privadas - e do Prollni programa que concede incentivos fisshycais a instituiccedilotildees privadas de ensino universitaacuterio em lugar de realizar investimentos para expansatildeo da educaccedilatildeo superior puacuteblica

A atual presidenta Dilma Rousseff tambeacutem realizou inaceitaacuteveis privatizaccedilotildees (previdecircncia dos servidores puacuteblicos aeroportos hospitais universitaacuterios)

A justificativa legal apresentada para a realizashyccedilatildeo dessas privatizaccedilotildees desde o governo Cotlor no inicio da deacutecada de 1990 foi a necessidade de pagamento da divida puacuteblica

Desde o iniacutecio foram feitas diversas denuacutenshycias de irregularidades sobre este processo Entidades de todo o Paiacutes se mobilizaram contra a entrega do patrimoacutenio puacuteblico Accedilotildees judiciais ajuizadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico aguardam ateacute os dias atuais uma decisatildeo final

Ateacute mesmo a Petrobras e o Banco do Brasil tiveram grande parte de suas accedilotildees vendidas a investidores privados - brasileiros e estrangeiros

Eacute importante ressaltar que grande parte das privatizashyccedilotildees foram financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econoacutemico e Social) e que tiacutetulos da diacutevida puacuteblica foram aceitos como moeda de privatizaccedilatildeo Tais tiacutetulos tBrady) vinham sendo negociados no mercado secundaacuterio por cerca de apenas 20 de seu valor de face e ao serem aceitos pelo valor integral para o pagamento das privatizaccedilotildees represenshytaram uma verdadeira liquidaccedilatildeo do patrimoacutenio puacuteblico brasileiro um grande negoacutecio para os compradores das empresas estatais Na praacutetica isso significa que o - jaacute baixo - valor pelo qual as empresas estatais foram leiloadas reduziu- -se ainda mais devido agrave aceitaccedilatildeo dos tiacutetulos da diacutevida brasileira como pagamento

Os efeitos das privatizaccedilotildees estenderam-se para muito aleacutem disso Com a venda de empreshysas puacuteblicas a multinacionais foi incrementada a importaccedilatildeo de insumos equipamentos e tecno- logias algo facilitado pelas medidas de abertura

comercial desencadeadas de Collor em diante por todos os governantes Aumentaram tambeacutem as remessas de lucros ao exterior incrementando- se as perdas de patrimoacutenio nacional Por fim a

diacutevida puacuteblica interna e externa que se falava em reduzir aumentou aceleradamente

Por lei os recursos apurados em privatizaccedilotildees destinam-se ao pagamento da diacutevida puacuteblica Apesar das privatizaccedilotildees essa diacutevida nunca diminuiu ao conshytraacuterio tem crescido continua mente desde o inicio do governa FHC passando por Lula e Dilma Tambeacutem aumentou o Passivo Externo devido ao crescimento das remessas de lucros e compras de insumos no exterior

EQUIVOCADO REGIME DE METAS DE INFLACcedilAtildeO

E evidente que todos os brasileiros satildeo favoshyraacuteveis ao controle da inflaccedilatildeo Ocorre que o

Regime de Metas adotado no Brasil sob detershyminaccedilatildeo do FMI desde 1998 natildeo tem controlado o tipo de inflaccedilatildeo verificado no Paiacutes e ainda sigshynifica um mecanismo de transferecircncia de renda da sociedade para o setor financeiro Isso ocorre I porque tal regime eacute calcado na elevaccedilatildeo da taxa

de juros Selic e no controle do volume de moeda em circulaccedilatildeo

No Brasil ao contraacuterio do que alegam governo e rentistas a inflaccedilatildeo atual natildeo eacute causada por suposto excesso de demanda mas tem sido provocada por contiacutenuos e elevados reajustes dos preccedilos de alimentos e preccedilos administrados principalmente de energia telefonia e combustiacutevel

Esses itens afetam todos os preccedilos de bens e serviccedilos venshy

didos no Paiacutes pois fazem parte da composiccedilatildeo de seus custos Adicionalmente o preccedilo dos alimentos e demais preccedilos administrados natildeo se reduzem quando o governo promove uma elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic

Para CQjTTIacutejatpoundr^sseripo de inflaccedilatildeo - deno- minad^inflaccedilatildeo de preccedilos^ o remeacutedio adeshyquado eacute o efetivo controle de tais preccedilos o que poderia ser feito pelo governo sem grandes dificuldades jaacute que estamos falando justamente de preccedilos que em tese devem ser administrados pelo poder puacuteblico Devido agrave privatizaccedilatildeo de tais serviccedilos a exigecircncia de altos lucros tem provoshycado a elevaccedilatildeo contiacutenua desses preccedilos Aleacutem de afetardiretamente a vida dos brasileiros que consomem tais serviccedilos a elevaccedilatildeo desses preshyccedilos tem pesado no cocircmputo da inflaccedilatildeo e natildeo sofre reduccedilatildeo alguma quando os juros sobem

21| Caderno do estudos

Da forma como regulamentado o Regime de Metas de Inflaccedilatildeo toda vez que a inflaccedilatildeo ameshyaccedila ultrapassar a meta estabelecida (atualmente em 45 ao ano) seu controle tem sido feito por meio da elevaccedilatildeo da taxa Selic desconsiderandoshy-se as verdadeiras causas do aumento de preccedilos no Brasil

Ao mesmo tempo em que os salaacuterios do setor puacuteblico e privado ficaram literalmente congeshylados a partir do Piano Real em 1995 a diacutevida puacuteblica federal passou a ter atualizaccedilatildeo moneshytaacuteria automaacutetica calculada com base em iacutendice publicado por instituiccedilatildeo privada - IGP-M da Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas - que indica a expecshytativa de inflaccedilatildeo

Aiacute estaacute um dos grandes equiacutevocos e distorshyccedilotildees do modelo econoacutemico em vigor no Paiacutes que privilegia o setor financeiro

0 resultado foi o crescimento explosivo dos gastos com a diacutevida puacuteblica federal em detrimenshyto dos gastos com serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo como mostra o graacutefico abaixo

A outra ferramenta utilizada pelo Banco Central para controlara inflaccedilatildeo tem provocado o crescimento acelerado da diacutevida e acumulado

reservas internacionais a um custo altiacutessimo para o Paiacutes Ateacute a presidenta Dilma reclamou do excesso de moeda que tem ingressado no Brasil manifestando-se publicamente contra o que chashymou de tsunami

0 mecanismo que impediria esse tsunami seria a implantaccedilatildeo de controle de capitais o que jaacute vem sendo praticado por diversos paiacuteses em todoo mundo

Ao contraacuterio de estabelecer esse controle sobre o ingresso de capitais o Banco Central tem enxugado esse excesso de moeda por meio das chamadas Operaccedilotildees de Mercado Aberto mediante as quais fica com o excesso de doacutelares e entrega tiacutetulos da diacutevida puacuteblica brasileira aos bancos

A justificativa para tais operaccedilotildees eacute o risco de que tal excesso possa provocar inflaccedilatildeo

Desde que o doacutelar comeccedilou a se desvalorizar em todo o mundo o volume dessas operaccedilotildees de mercado aberto passou a aumentar acelerashydamente pois os especuladores viram o gatilho acionado pelo Regime de Metas de Inflaccedilatildeo como uma tremenda oportunidade para trazer seus doacutelares para o Brasil e trocaacute-los por tiacutetulos

Orccedilamento Geral da Uniatildeo - Gastos Selecionados (R$ bilhotildees)

800 gt

se

C

Fonte Secretaria do Tesouro Nacional (STN)SIAF1 (Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal) Inclui a poundgC rolagem ou ldquorefinanciamento da diacutevida

22Caderno de estudos I A Q I v I C A F Uacute B L C A e m O F B A T E

Juros e

da diacutevida puacuteblica brasileira que pagam os maioshyres juros do mundo isentos de qualquer tributo podendo fugir do Paiacutes quando bem entenderem engordados pela variaccedilatildeo cambial

Por sua vez o Banco Central fica com os doacutelashyres e os destina agraves Reservas Internacionais que jaacute se aproximam de US$ 400 bilhotildees e natildeo rendem quase nada ao Paiacutes pois estatildeo aplicadas em granshyde parte em tiacutetulos da diacutevida norte americana que pagam juros proacuteximos de zero e ainda temos que arcar com os custos de senhoriagem

Por isso o Banco Central (BC) tem apresentashydo nos uacuteltimos anos prejuiacutezos bilionaacuterios R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 e no 1s semestre de 2011 R$ 445 bilhotildees tudo isso transshyferido para o Tesouro Nacional e arcado por todos os brasileiros Contudo quando o BC apresenta lucro operacional este eacute destinado exclusivamenshyte por lei para o pagamento da diacutevida

Dessa forma a prioridade do atual modelo econoacutemico para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrado nas poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria tem provocado grandes danos financeiros

MODELO TRIBUTAacuteRIO INJUSTO

A maneira mais oacutebvia de promover justiccedila fiscal e distribuir renda seria por meio da

cobranccedila de tributos de forma justa ou seja os mais ricos contribuiriam mais para que os recurshysos arrecadados pelo Estado pudessem ser aplicashydos em poliacuteticas puacuteblicas que beneficiassem toda a populaccedilatildeo especialmente aos mais pobres

Natildeo eacute isso que ocorre no Brasil O sistema trishybutaacuterio brasileiro eacute extremamente regressivo pois a maior parte dos tributos satildeo indiretos embutidos nos preccedilos de todos os produtos e serviccedilos que satildeo consumidos igualmente por pobres e ricos

bull Contraditoriamente os mais beneficiados comI aliacutequotas reduzidas isenccedilotildees incentivos fiscais j e deduccedilotildees satildeo justamente aqueles que mais ^poderiam contribuir para as financcedilas puacuteblicas

O exemplo mais contundente desse benefiacutecio eacute o fato de que ateacute hoje ainda natildeo foi regulamenshytado o Imposto sobre Grandes Fortunas previsto na Constituiccedilatildeo Federal de 1988

Adicionalmente desde o governo FHC a poliacuteshytica fiscal regressiva tem se voltado ao privileacutegio do sistema financeiro e grandes corporaccedilotildees

Dentre os benefiacutecios tributaacuterios concedishydos ao capital financeiro durante os anos FHC destacam-se

reduccedilatildeo da aliacutequota do Imposto de Renda das instituiccedilotildees financeiras - 1RPJ - de 25 para15

reduccedilatildeo do adicional do IRPJ de 12 e 18 para10

reduccedilatildeo da Contribuiccedilatildeo Social sobre o Lucro Liquido - CSLL de 30 para 8 posteriormente elevada para 9

reduccedilatildeo da base de caacutelculo do IRPJ e da CSLL ao permitir a deduccedilatildeo dos juros sobre capital proacuteprio

isenccedilatildeo do imposto de renda sobre remessa de lucros e dividendos ao exterior

Lula manteve todos esses privileacutegios e ainda concedeu outros sobressaindo-se a isenccedilatildeo de Imposto de Renda para estrangeiros que lucram com os tiacutetulos da diacutevida interna brasileira por meio da Lei 113122006

Ao mesmo tempo em que foram aprovadas leis que garantiram essas benesses ao grande capital outras normas aumentaram os tributos sobre o consumo impactando sobremaneira as classes mais baixas que empregam a totalidade de seus rendimentos no consumo de bens essenciais agrave sua sobrevivecircncia

23A n I V D A P Uacute B L I C A EM C E B A l L I Caderno de estudos

AS BENESSES TRIBUTARIAS DOS ESPECULADORES

Lei 113122006

Art 1 Fica reduzida a zero a aliacutequota do imposto de renda incidente sobre os rendimentos () proshyduzidos por tiacutetulos puacuteblicos adquiridos a partir de 16 de fevereiro de 2006 quando pagos creshyditados entregues ou remetidos a beneficiaacuterio residente ou domiciliado no exterior

Aleacutem disso desde o Plano Reai a classe trabashylhadora vem sendo pesadamente onerada face ao congelamento da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Fiacutesica

Essa medida faz com que o trabalhador passe a pagar mais Imposto de Renda quando obteacutem meros reajustes inflacionaacuterios que natildeo modificam seu padratildeo de vida ou sua capacidade contributiva Apesar dos reajustes ocorridos a atualizaccedilatildeo da tabela do IRPF ainda acumula mais de 50 de defa- sagem o que caracteriza um verdadeiro confisco

Essas injusticcedilas do modelo tributaacuterio aproshyfundam o fosso social De acordo com pesshyquisa recente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econoacutemica Aplicada) pessoas cuja renda mensai

familiar alcanccedilava ateacute dois salaacuterios miacutenimos comprometiam 539 dos seus ganhos com o pagamento de tributos enquanto que outras com renda superior a 30 salaacuterios miacutenimos comprometiam apenas 29 3 A mesma pesshyquisa mostra que cerca de 50 da nossa carga tributaacuteria eacute indireta incidindo sobre o consushymo e atingindo indiscriminadamente a toda a populaccedilatildeo independentemente da renda e da riqueza Dessa maneira o pobre que faz suas compras no supermercado paga o mesmo imposto do milionaacuterio A renda por sua vez influencia em apenas 19 a carga tributaacuteria do Paiacutes Nos Estados Unidos ela responde por 49 dos gastos dos cidadatildeos com tributos

A carga tributaacuteria brasileira em meacutedia natildeo eacute considerada alta se comparada agrave de outros paiacuteshyses Contudo quando se observa a ausecircncia ou extrema insuficiecircncia do devido retorno em bens e serviccedilos puacuteblicos constata-se o caraacuteter extrema mente injusto da tributaccedilatildeo brasileira Ademais os tributos arrecadados destinam-se principalmente para o pagamento de juros da diacutevida puacuteblica o que caracteriza seu desvio de finalidade

2 Fonte lthttpamaivDsuolcombramaivos09noticiagt

ldquoLEI KANDIR

A discussatildeo sobre a tributaccedilatildeo no Brasil natildeo pode passar ao largo de um dos instrumentos mais controversos de estiacutemulo agrave exportaccedilatildeo - a chamada LeiKandir

Esta lei (Lei Complementar 871996) entrou em vigor em 1996 Por seus dispositivos isenta do pagamento de tributo estadua - ICMS (Imposto sobre Circulaccedilatildeo de Mercadorias e Serviccedilos) - a comercializaccedilatildeo de produtos destinados agrave exportaccedilatildeo com o claro objetivo de atingir um superaacutevit na balanccedila comerciai e gerar divisas para o pagamento da diacutevida externa

Essa isenccedilatildeo de ICMS representou uma grande perda de receitas para Estados e Municiacutepios que repartem o produto da arrecadaccedilatildeo do imposto Ao mesmo tempo a medida favoreceu enormemente aos grandes exportadores

Para compensar a perda dos Estados e Municiacutepios a Uniatildeo se obrigou por meio da referida lei a compensar as unidades federativas na proporccedilatildeo de 75 para os Estados e 25 para os Municiacutepios A forma de compensaccedilatildeo contudo foi a emissatildeo de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica Por muito tempo a Uniatildeo restituiu apenas parcialmente o valor devido Atualmente o governo sequer reconhece o dever de indenizaccedilatildeo aos Estados omitindo-se ateacute mesmo de prever os recursos indenizatoacuterios na Lei Orccedilamentaacuteria agravando o problema de arrecadaccedilatildeo nos Estados A medida tem contribuiacutedo para agravar a crise das financcedilas estaduais estimulada por outro lado pelas imensas diacutevidas que estes contraem perante a Uniatildeo

2 4Caderno de estudos [ A Cl v 1 rgt A p uacute b l i c a e m C E U a t e

POLIacuteTICA DE SUPERAVIT PRIMAacuteRIO E DIacuteVIDA PUacuteBLICA

Embora ainda pouco discutido o principal problema econoacutemico do Brasil eacute a chamada

diacutevida puacuteblica tratada com mais detalhes nos capiacutetulos seguintes

JEcircSUPERAacuteVIT PRIMAacuteRIO

O superaacutevit primaacuterio eacute a economiardquo forccedilada de gastos puacuteblicos para o cumprimento de meta imposta pelo FMI ao Brasil desde 1998 Esse valor eacute calculado como um percentual do PIB mas recai unicamente sobre a parte do orccedilamento referente aos gastos primaacuterios isto eacute sobre os gastos e investimentos sociais

Os gastos com juros da diacutevida - classificados como natildeo-primaacuterios - natildeo entram nesse cocircmpushyto Da mesma forma as receitas natildeo-primaacuterias especialmente a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida tambeacutem natildeo entram no caacutelculo da meta de superaacutevit primaacuterio

A consequecircncia dessa foacutermula draconiana eacute o arrocho fiscal sobre os gastos sociais para que cada vez mais recursos puacuteblicos sejam destinados ao pagamento de juros da diacutevida Trata-se de escandaloso privileacutegio aos rentistas proprietaacuterios dos tiacutetulos da diacutevida brasileira - em sua imensa maioria instituiccedilotildees do sistema finanshyceiro nacional e internacional - pois os gastos

com os juros satildeo liberados da meta de superaacutevitDessa forma centenas de bilhotildees de reais de

recursos obtidos com a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida e demais fontes natildeo-primaacuterias (tais como o recebimento de juros e amortizaccedilotildees das diacutevidas de estados e municiacutepios com a Uniatildeo eventuais lucros do Banco Central entre outros) soacute podem ser destinados ao pagamento dos juros pois se forem destinados a gastos sociais a meta de superaacutevit primaacuterio natildeo seria cumprida

Por meio dessa foacutermula o privileacutegio do pagashymento de juros da diacutevida se sobrepotildee aos direitos sociais e ao atendimento das urgentes necessidashydes do povo brasileiro

0 Congresso Nacional aprovou em 17072012 a Lei de Diretrizes Orccedilamentarias (LDO) para 2013 prevendo a meta de superaacutevit primaacuterio correspondente a R$ 1559 bilhotildees para a Uniatildeo Estados e Municiacutepios Entretanto o seu efeito alcanccedila quase R$ 1 trilhatildeo ou seja cerca da metashyde do Orccedilamento Geral da Uniatildeo na medida em que obriga que receitas natildeo-primaacuterias sejam destinadas diretamente para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Por isso eacute urgente auditar essa diacutevida - como manda a Constituiccedilatildeo Federal - e destrinchar os malabarismos que tecircm sido feitos para desviar cada vez mais recursos puacuteblicos para o setor financeiro privado

Em 2011 foram gastos quase R$ 2 biiacutehotildees por dia com a diacutevida puacuteblica Quem paga essa conta

Todos noacutes brasileiros pagamos a diacutevida puacuteblica de vaacuterias formas Pagamos diretamente por meio dos tributos embutidos em tudo o que consumimos ou recebemos Pagamos tambeacutem por meio dos serviccedilos puacuteblicos que deixamos de receber em razatildeo do corte de

gastos da Sauacutede Educaccedilatildeo Seguranccedila Transporte Saneamento Cultura Assistecircncia Social etc Por isso todos temos o direito de saber afinal que diacutevida eacute essa

25A D V I D A F uacute B L CA F M D E B A T E Caderno de estudos

O PAGAMENTO DE JUROS E AMORTIZACcedilOtildeES DA DIacuteVIDA CONSOME QUASE A METADE DOS RECURSOS DA UNIAtildeO

Elaboraccedilatildeo Auditoria Cidadatilde da Divida Nota 0 valor de R$ 708 bilhotildees inclui o chamado refinanciamento ou roiacuteagem pois a CPI da Divida Puacuteblica comprovou que parte relevante dos juros satildeo contabilizados como tal Para mais informaccedilotildees ver lthttpwwwauditoriacidadaorgbrwp-contentuploads201204Numerosdividapdfgt

26Caderno de estudos | acirc I V i D A P D B L 1 e A IacuteM d e s a t p

Orccedilamento Geral da Uniatildeo de 2011 - Executado - Total R$ 1571 trilhatildeo

Juros e Amortizaccedilatildeo

da Diacutevida

4505mdash imdash

R$ 708 bilhotildees

Transferecircncia para Estados e Municiacutepios

012 Relaccedilotildees Exteriores

012 Organizaccedilatildeo Agraacuteria

010 Induacutestria

008 Com eacutercio e Serviccedilos

008 Urbanism o

006 Direitos de C idadania

004 Cultura

004 Com unicaccedilotildees

003 Energia

002 Desporto e Lazer

002 Saneam ento

000 H abitaccedilatildeo

Gestatildeo Am bien ta 015 Ciecircncia e Tecnologia 032

Essencial agrave Ju s ticcedila 034 Leg is la tivo 036

Seguranccedila Puacuteb lica 041 Agricu ltura 061 Transporte 068

A dm in istraccedilatildeo 110 Jud ic iaacute rio 134

Defesa Nacional 177 Trabalho 229

AssistecircnciaS 285 Educaccedilatildeo 299

Sauacutede 407

C A P Iacute T U L O

A DIacuteVIDA PUacuteBLICA BRASILEIRAT odas as naccedilotildees devem garantir vida digna agrave

sua populaccedilatildeo Por isso elas satildeo autorizadas a contrair diacutevidas dentro de determinados limites e condiccedilotildees legais pois nem sempre os recursos arrecadados por meio dos tributos alcanccedilam os montantes suficientes ao atendimento das necesshysidades sociais

Portanto a diacutevida puacuteblica deveria ser um importante instrumento de financiamento do Estado e um meio viabilizador da implementaccedilatildeo de investimentos e poliacuteticas puacuteblicas

Entretanto as auditorias realizadas nos uacuteltimos plusmnanos tecircm demonstrado que o processo de endi-

vidamento foi usurpado pelo sistema financeiro privado ou seja ao inveacutes de aportar recursos ao Estado a diacutevida puacuteblica tem sido utilizada como um mecanismo meramente financeiro que retira recursos puacuteblicos e os transfere principalmente para o setor financeiro privado Eacute o que chamashymos de Sistema da Divida

Para tratar a questatildeo politicamente e de forma democraacutetica devem ser fornecidos os instrumenshytos que possibilitem o plerro conhecimento da realidade financeira do Paiacutes tornando a populashyccedilatildeo capaz de decidir sobre que tipo de alocaccedilatildeo de recursos eacute mais desejaacutevel aos interesses da naccedilatildeo

0 QUE Eacute DIacuteVIDA PUacuteBLICA

A diacutevida puacuteblica abrange empreacutestimos contraiacuteshydos pelo Estado junto a instituiccedilotildees financeishy

ras puacuteblicas ou privadas no mercado financeiro interno ou externo bem como junto a empresas organismos nacionais e internacionais pessoas ou outros governos

A diacutevida puacuteblica federal pode ser formalizada por meio de contratos celebrados entre as partes ou por meio da oferta de tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Teoricamente a diacutevida puacuteblica eacute classificada como diacutevida interna ou diacutevida externa deacordo com a localizaccedilatildeo dos seus credores e com a moeda envolvida nas operaccedilotildees

Historicamente eacute muito importante estudar a evoluccedilatildeo dessas duas diacutevidas de forma separada como faremos nos capiacutetulos seguintes

RiacutePUacuteSUCA FEDfSATIVA DO SRftSJl (3

LETRA DO TESOURO NACIONAL100 00 00000

0 3AHC0 C lraquo TR t 0 0 laquoA $ U

H IacuteK Iraquoi lsquoiacutewhvi laquo raquo Sr raquo dt )gtraquolaquobull iacutej(L tf x

DEZ M IIH Ograve E S OE CRLJZEIRDS j

Poreacutem atualmente diante da ausecircncia de resshytriccedilotildees ao ingresso e saiacuteda de moedas internacioshynais no Brasil por meio do sistema bancaacuterio - o que convencionalmente se chama de liberdade de movimentaccedilatildeo de capitais - esses conceitos precisam ser revistos pois bancos e instituiccedilotildees estrangeiras satildeo credores da diacutevida internardquo da mesma forma que bancos e instituiccedilotildees brasishyleiros podem ser credores da diacutevida externa Aleacutem disso o Brasil tem emitido tiacutetulos da diacutevida externa em reais Tais exemplos demonstram que atualmente a natureza de ambas as diacutevidas- interna e externa - se confunde

Somando-se a chamada diacutevida interna com a externa temos o total da diacutevida puacuteblica brasileira

Em dezembro2011 a diacutevida puacuteblica brasileira alcanccedilou R$ 3 trilhotildees o que corshyresponde a 78 do PIB pois a Diacutevida interna alcanccedilou R$ 25 trilhotildees e a Diacutevida Externa supeshyrou os US$ 400 bilhotildees conforme cifras incluiacutedas no quadro a seguir

Tiacutetulos Puacuteblicos sagraveo obrigaccedilotildees assumidas pelo Estado Haacute muitos anos os tiacutetulos satildeo emitidos unica mente em forma eletrocircnica e natildeo em papel como Ilustra a figura acima

laquo 0 0 I

27a n f v l D a p j B L i c A e m D - li a T c | Caderno de estudos

DIacuteVIDA INTERNA DIacuteVIDA EXTERNA

28Caderno de estudos

Na teoria

Na praacutetica

Diacutevida interna eacute a diacutevida contraiacuteda em moeda nacional junto a residentes no Paiacutes

Grande parte dos tiacutetulos da divida interna brasileira tegravem sido adquiridos por estrangeiros

DIacuteVIDA INTERNA (DEZ2011)RS 253606558601768

(2 TRiLHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586 MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)Fonte Banco Centrai

Divida externa eacute a divida contraida em moeda estrangeira (doacutelar euro iene libra etc) junto a residentes no exterior

Desde 2005 com a desvalorizaccedilatildeo do doacutelar no mercado internacional o Brasil passou a emitir tiacutetulos da diacutevida externa em reaisDIacuteVIDA EXTERNA (DEZ2011)U5$ 40238510282823

(402 BILHOtildeES 385 MILHOtildeES 102 MIL828 DOacuteLARES E 23 CENTAVOS)Fonte Banco Central

No caso da diacutevida interna investidores intershynacionais usufruem os maiores lucros do mundo com as elevadiacutessimas taxas de juros praticadas no Brasil e NAtildeO PAGAM IMPOSTO DE RENDA

Em 2009 os estrangeiros que investiram em tiacutetulos da diacutevida interna brasileira chegaram a lucrar ateacute 50 em um soacute ano (devido agrave soma das altas taxas de juros com a valorizaccedilatildeo do real frente ao doacutelar) sem ter que pagar tributos por isso No mesmo ano o prejuiacutezo do Banco Central do Brasil foi de R$ 147 bilhotildees devido agrave desvalorishyzaccedilatildeo das reservas cambiais compradas com os doacutelares trocados por tiacutetulos da diacutevida interna nas Operaccedilotildees de Mercado Aberto

Constata-se que o processo de endividamenshyto se transformou em um meio de especulaccedilatildeo financeira Considerando que os pagamentos de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida consomem recursos que deveriam destinar-se ao atendishymento das necessidades sociais todo cidadatildeo brasileiro estaacute pagando essa conta e portanto precisa conhecer esse processo

OS NUacuteMEROS DA DIacuteVIDA

A s investigaccedilotildees promovidas pela CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos

Deputados (20092010) revelaram que natildeo haacute a devida transparecircncia nos dados divulgados pelo governo federal em relaccedilatildeo agrave diacutevida puacuteblica tanshyto no que se refere ao seu estoque como em relaccedilatildeo ao fluxo de recursos ou seja o volume de gastos anuais com o pagamento de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida

Tanto a CPI como a Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm denunciado graves distorccedilotildees na apresentashyccedilatildeo dos dados oficiais

| A D Iacute V I D A P C B L I U A L M D [ B A rsquo pound

CUSTO ANUAL DA DIacuteVIDA ou FLUXO DE RECURSOS

Anualmente o orccedilamento geral da Uniatildeo destina ao pagamento de juros e amortizaccedilotildees da diacutevida puacuteblica a mais relevante parcela dos recursos advindos da arrecadaccedilatildeo tributaacuteria e da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

No ano de 2011 o governo federal destinou 4505 do Orccedilamento Executado para tal servishyccedilo da diacutevida puacuteblica ou seja o montante de R$ 708 bilhotildees conforme dados oficiais publicado no SIAFI - Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal retratado no graacuteshyfico anterior

Por que o governo apresenta valores menores para o custo anual da diacutevida puacuteblica

Considerando que os dados apresentados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida satildeo obtidos unicamente por meio de fontes oficiais explishycaremos a seguir os artifiacutecios que tecircm sido utishylizados pelo governo e setores da miacutedia para aliviar a apresentaccedilatildeo dos nuacutemeros da diacutevida agrave sociedade

Cabe destacar os seguintes artifiacutecios que foram denunciados pela CPI da Diacutevida Puacuteblica

Natildeo satildeo divulgados os juros nominais da divida efetivamente pagos pelo Tesouro Nacional omitindo-se a maior parcela desshyses representada pela atualizaccedilatildeo monetaacuteria medida pelo IGP-M divulgado pela Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas Divulgam apenas os juros

0 que o governo divulga a tiacutetulo de juros no SIAFI corresponde tatildeo somente agrave parcela dos juros reais ou seja agrave parcela dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M Isso leva a uma grande distorccedilatildeo na compreensatildeo geral do efetivo gasto com a diacutevida puacuteblica em comparaccedilatildeo com todas as demais rubricas orccedilamentaacuterias Enquanto o gasto com juros da diacutevida exclui a atualizaccedilatildeo todas as demais rubricas embutem eventual atualizaccedilatildeo obtida e tal parcela natildeo eacute segregada

reaisrdquo que eacute parte dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M e que se mostrou muito superior ao IPCA divulgado pelo IBGE nos uacuteltimos 15 anos

Natildeo eacute divulgada a parcela do serviccedilo da diacutevida (juros e amortizaccedilotildees) paga com os recursos obtidos pela emissatildeo e leilatildeo de novos tiacutetulos sob a justificativa de que se trata de mera rola- gem ou refinanciamento

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica constatou e denunciou a contabilizaccedilatildeo irregular que tem considerado como amortizaccedilatildeo da diacutevida a parcela correspondente agrave atualizaccedilatildeo monetaacuteria e que na realidade eacute parte integrante dos juros nominais e natildeo da amortizaccedilatildeo do principal

Qualquer pessoa que jaacute assumiu alguma diacutevida sabe que a atualizaccedilatildeo monetaacuteria eacute parte integranshyte da remuneraccedilatildeo ou seja dos juros nominais

Diante disso para se obter o valor efetivo do gasto anuat com a diacutevida haacute que se incluir tamshybeacutem o valor que tem sido informado como mera rolagem ou refinanciamento pois nessa rubrica

estaacute incluiacuteda grande parte dos juros da diacutevidaEm 2011 o gasto total com a diacutevida puacuteblishy

ca brasileira somou R$ 708 bilhotildees conforme demonstramos

Outra razatildeo fundamental para computar a atualizaccedilatildeo monetaacuteria como remuneraccedilatildeo da divida estaacute relacionada com a utilizaccedilatildeo de um mesmo criteacuterio para a apresentaccedilatildeo dos dados do orccedilamento executado

Se natildeo for computada a atualizaccedilatildeo monetaacuteria (que eacute parte dos juros nominais) como gastos com a diacutevida puacuteblica haveraacute uma completa distorccedilatildeo na comparaccedilatildeo entre os gastos com a diacutevida e todos os demais gastos orccedilamentaacuterios

Isso porque todas as demais rubricas represhysentadas no orccedilamento - gastos com pessoal previdecircncia serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo etc - englobam a respectiva atualizaccedilatildeo monetaacuteria ou seja quando se obteacutem alguma reposiccedilatildeo infla- cionaacuteria nos salaacuterios dos servidores no vaiacuteor das aposentadorias ou em benefiacutecios sociais e outros serviccedilos puacuteblicos tal reposiccedilatildeo compotildee o valor de tal gasto refletido no Orccedilamento da Uniatildeo

Diante disso para que haja uma compatibishylidade entre todas as rubricas orccedilamentaacuterias o gasto efetivo da diacutevida que deveria constar no orccedilamento seria o valor dos juros nominais e natildeo somente os juros reaisrdquo (que superam a inflaccedilatildeo como tem constado de estatiacutesticas oficiais

ESTOQUE DA DIacuteVIDAO estoque da Diacutevida Interna alcanccedilou em

dezembro2011 o valor de R$ 253606558601768 (2 TRILHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586

MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)30 estoque da Diacutevida Externa alcanccedilou na

mesma dataUS$ 40238510282823 ou seja mais de 402 BILHOtildeES de doacutelares que

corresponde a cerca de R$ 692 bilhotildees consideshyrando-se a taxa de conversatildeo de R$ 1724

Portanto em dezembro2011 o estoque da diacutevida brasileira alcanccedilou

R$ 322816796288224 (3 TRILHOtildeES 228 BILHOtildeES 167 MILHOtildeES 962 MIL 882 REAIS E 24 CENTAVOS) que corresponde a 78 do P)B

3 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNota6conNI201201pfp iacuteipgt - Quadro 354 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNataEconNI20120l5ep zipgt - Quadros 51 e51 A

23A D I V i D A P Uacute B L I C A LM D E B A E Caderno de estudos

30Caderno de estudos

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais desta camos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida LiacutequidaComparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequiacutedaPIB

Exclusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liquida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico peias seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais) mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Aiacute estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aleacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos 0 acuacutemulo elevado de reservas inter nacionais tem provocado enorme custo ao Pais devido a essa disparidade de rendimentos

0 termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a diacutevida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequidardquo tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

| A D V I D A P Uacute B L I C A E V Q Iacute E A T L

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de priva- tizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

O governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo otildenus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros altiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequida com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPlB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequida Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paises praticam taxas muitas vezes menores5 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwhra5ileconomicocombrpagjnastaxas -de-juros_81htmlgt

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais destashycamos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida Liacutequida

Comparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequidaPIB

Exciusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liacutequida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico pelas seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Ai estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aieacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos O acuacutemulo elevado de reservas intershynacionais tem provocado enorme custo ao Paiacutes devido a essa disparidade de rendimentos

O termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a divida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequida tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

30Caderno de estudos 1 A DIacute V I DA r C S L CA f m D E B A T E

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de privashytizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

0 governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo ocircnus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros aftiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequidardquo com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPIB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequidardquo Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paiacuteses praticam taxas muitas vezes menores1 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwbrasileconomicocom brpagmast5yas- -de-juros_81htmtgt

EXCLUSAtildeO DA PARCELA REFERENTE Agrave DIacuteVIDA EXTERNA PRIVADA

0 estoque da diacutevida externa jaacute atingiu US$ 402 bilhotildees6e indui a diacutevida externa privada

pois a mesma envolve uma obrigaccedilatildeo do Estado O governo costuma divulgar um montante

bem menor de diacutevida externa A partir de 2001 a pretexto de adotar metodologia recomendada pelo FMI os dados da diacutevida externa passaram a ser divulgados sem os chamados empreacutestimos intercompanhias ou seja os empreacutestimos devishydos por multinacionais a suas matrizes no exterior

Dessa forma o dado divulgado pelo governo ao puacuteblico exclui parte da diacutevida externa contraiacuteda pelo setor privado ou seja devida por empresas e instituiccedilotildees do setor privado e natildeo pelo Estado

Cabe ressaltar inicialmente que apesar de parte da diacutevida externa ter sido de fato contrashyiacuteda por instituiccedilotildees do setor privado eacute o Estado o responsaacutevel por fornecer a moeda estrangeira para os devedores privados pagarem suas diacutevishydas ao exterior Para obter essa moeda estranshygeira o Estado se submete agrave adoccedilatildeo de poliacuteticas nocivas a fim de atrair capitais ao Paiacutes tais como altas taxas de juros acordos com o FMI (cujas imposiccedilotildees continuam presentes) e total libershydade de movimentaccedilatildeo de capitais financeiros Essas medidas afetam toda a economia do Paiacutes

Adicionalmente as investigaccedilotildees tecircm revelado que nas uacuteltimas deacutecadas diacutevidas do setor privado foram reiteradas vezes transferidas para o setor puacuteblico Por isso entendemos que deve ser comshyputado no montante da diacutevida externa tanto as diacutevidas contraiacutedas peio setor puacuteblico como pelo setor privado

AUSEcircNCIA DE TRANSPAREcircNCIA

A s divergecircncias na apresentaccedilatildeo tanto do estoque como do fluxo de gastos com a diacutevishy

da demonstram que natildeo tem sido devidamente respeitado o princiacutepio da TRANSPAREcircNCIA que deve reger todo ato do setor puacuteblico

Por isso a sociedade brasileira que paga essa elevada conta da diacutevida puacuteblica deve exigir mais

6 Verquadro5S1 e 51-Ada planilha do Banco Central disponiacuteveis no link lthttpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201112sepzipgt

transparecircncia dos dados relacionados ao endivishydamento puacuteblico brasileiro pois este tem absorshyvido a maior parte dos recursos orccedilamentaacuterios sacrificando toda a populaccedilatildeo e comprometen do o futuro do Paiacutes

A transparecircncia eacute um princiacutepio consagrado na Constituiccedilatildeo Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que todas as despesas e receitas da gestatildeo fiscal sejam publicadas de forma transshyparente e com amplo acesso puacuteblico

Portanto eacute nosso DIREITO ter acesso a todas as informaccedilotildees relacionadas com o endividamento puacuteblico

Como vimos a diacutevida brasileira jaacute supera os R$ 3 TRILHOtildeES e consome quase a metade dos recursos do Orccedilamento da Uniatildeo

COMO CHEGAMOS A ESTE PONTOA recente CPI da diacutevida Puacuteblica jogou luzes sobre este processo

A Diacutevida Puacuteblica Brasileira cresceu em decorshyrecircncia de mecanismos meramente finanshy

ceiros sem contrapartida em bens e serviccedilos ao Paiacutes e tambeacutem em decorrecircncia de operaccedilotildees obscuras

A histoacuteria da diacutevida tem sido uma verdadeira caixa preta

A Auditoria Cidadatilde da Diacutevida e entidades da sociedade civil participaram ativamente da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) da Diacutevida Puacuteblica e tiveram acesso a documentos que comeccedilam a jogar luzes sobre nossa histoacuteriaAgora as investigaccedilotildees devem ser aprofundadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico

A CPI da Diacutevida foi uma iniciativa do Deputado Federal Ivan Valente (PSOL-SP) e funcionou de agosto de 2009 a maio de 2010 A coordenadoshyra da Auditoria Cidadatilde da Diacutevida - Maria Lucia Fattorelli - foi requisitada para assessorar tecnishycamente a CPI devido agrave experiecircncia adquirida durante a auditoria oficial da diacutevida do Equador trabalho para o qual tambeacutem foi designada cujo relatoacuterio embasou ato soberano do Presidente Rafael Correa que anulou 70 da diacutevida externa equatoriana em tiacutetulos possibilitando aumento de investimentos sociais principalmente em sauacutede e educaccedilatildeo novas rodovias e o resgate da cidadania

31A 0 v I C A P Uacute B I C A E W 3 E S A T F | Caderno de estudos

No Brasil a CPI tambeacutem indicou documentos e provas de ilegalidade e ilegitimidade tanto da divida externa como da diacutevida interna como veremos a seguir Um dos mais importantes instrumentos

de investigaccedilatildeo por parte do Congresso Naciona eacute a Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) a qual tem forccedila investi- gativa proacutepria de autoridades judiciais

O QUE Eacute CPI

Nos capiacutetulos seguintes apresentaremos um breve histoacuterico da diacutevida externa a partir dos anos1970 e da diacutevida interna a partir do Plano Real em 1995 ambas ateacute os dias atuais Esses marcos iniciais foram os periacuteodos estabelecidos tambeacutem pela recente CPI da Diacutevida Puacuteblica

A D IacuteV IacuteD A tem im p e d id o a v id a d ig na e o a te n d im e n to aos d ire ito s h um an os

bull De onde veio essa diacutevida

bull Quanto tomamos emprestado e quanto jaacute pagamos

bull O que realmente devemos

Quem contraiu empreacutestimos

bull Onde foram aplicados os recursos

bull Quem se beneficiou

Qual a responsabilidade dos credores e organismos internacionais nesse processo

ldquoA vida sem luta eacute um mar morto no centro do organismo universal

M A C H A D O D E A S S I S

32Caderno de estudos | A d iacute v i d a p uacute b l i c a E m D E b a t F

C A P Iacute T U L O

DIVIDA EXTERNAA recente CPi da Diacutevida Puacuteblica realizada na

Cacircmara dos Deputados (20092010) teve acesso a documentos relacionados ao processhysos de endividamento externo desde 1970 Apesar das limitaccedilotildees da CPI as investigaccedilotildees revelaram importantes fatos que reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa audishytoria dessa diacutevida

O periacuteodo coincide com o fim da paridade doacutelar-ouro nos Estados Unidos anunciada em1971 o que permitiu a emissatildeo de grandes volushymes de doacutelares que foram entregues ao sistema bancaacuterio e por meio deste ofertados sob a forshyma de empreacutestimos que apresentavam taxas de juros aparentemente reduzidas de 5 a 6 ao ano devido ao excesso de moeda

Diacutevida Externa (US$ bilhotildees)

- r N m ^ m 0 M raquo Iacute J O - ( N r 0 ^ ^ v D N C 0 a O - f N n n T r i n 0 M X 3 0 O gt - r N f n r f lsquo i n 0 N C Ocirc 0 O f r s N N N N r s N r s r ^ c o c c c o a o c o c o c o a o o o o o o a rsquogt lt ^ lt T lt a G gt o gt C gt lt ^ lt ^ o o o o o o o o o O mdash r ~raquomdash i-rgpjrsoifSiNfNfSfMlNfN^

Fonte httpwwwbcbgQvbrftpNotaEconNI20l201sepzip - Quadros 51 e 51-A

DECADA DE 1970

A CPI comprovou que a diacutevida externa atua se originou na deacutecada de 1970 em plena ditashy

dura militar periacuteodo em que comeccedilou a crescer aceleradamente

0 primeiro aspecto da diacutevida externa brasileishyra a ser ressaltado eacute a contrataccedilatildeo por atos de governos ilegiacutetimos de vultosos compromissos natildeo transparentes

Essas taxas de juros eram flutuantes e variavam de acordo com as taxas de juros internacionais (Prime e Libor) que vinham de longo periacuteodo em que se mantinham baixas Aleacutem das taxas de juros os bancos cobravam outras taxas onerosas de compromisso de contrataccedilatildeo de agente de creacutedito enfim uma infinidade de taxas

Havia tambeacutem forte componente de diacutevidas contratadas pelo setor privado que utilizava o

3 3a d iacute v i d a P Uacute B L I C A EM D r R A T E I Caderro de estudos

endividamento como forma de especulaccedilatildeo financeira O setor privado que tinha acesso a creacuteditos externos no iniacutecio da deacutecada de 1970 era composto principalmente por bancos e empresas privadas inclusive multinacionais e estrangeiras instaladas no Paiacutes

Tanto o setor privado como o setor puacuteblico tomaram empreacutestimos externos junto a grandes bancos privados internacionais devido agrave grande oferta de creacuteditos com taxas baixas vinculadas agraves taxas de juros internacionais (Prime e Libor) Essas taxas eram controladas pelos proacuteprios bancos credores que compunham o FED (Federal

Reserve Bank Banco Central Norte-americano que eacute totalmente privado controlava a Prime) e a Associaccedilatildeo de Bancos Privados de Londres (que determinava a Libor) A partir de 1979 essas taxas saltaram de 5 ou 6 ao ano para 205

O graacutefico a seguir mostra o comportamento idecircnshytico das duas taxas demonstrando a conexatildeo entre os bancos privados internacionais que as ditavam

Sob pressatildeo diante da crise em 1982 surge o FMI exigindo que o Banco Central realizasse acordos com os bancos privados internacionais por meio dos quais assumiu tanto a diacutevida externa puacuteblica como tambeacutem a diacutevida externa privada Ao messhymo tempo houve forte pressatildeo dos credores que faziam parte da instituiccedilatildeo informal denominada Club de Paris para que o Brasil firmasse o tal acordo com a banca privada internacional Essa pressatildeo conjunta e articulada de credores configura clashyramente a ausecircncia de equiliacutebrio entre as partes

A CPI da Diacutevida denunciou que agrave eacutepoca da assinatura dos acordos com os bancos privados em 1983 a legislaccedilatildeo natildeo permitia consolidaccedilotildees e refinanciamentos de creacuteditos externos Aleacutem disso tais acordos continham inuacutemeras claacuteusulas ilegais e abusivas que natildeo chegaram a ser apro vadas pelo Congresso Nacional

Haacute fortes indiacutecios de nulidade nessa transfeshyrecircncia de diacutevida para o Banco Central que na deacutecada seguinte em 1994 foi transformada nos

Taxas de Juros - Libor e Prime25000

0000rmdash 3-o p laquomdash r i

r-o rOv

oo

o

o

pO

OcShvO

p00

O Ornoo 3-oo

CTS

OCO

CCOo

DEacuteCADA DE 1980

A elevaccedilatildeo brutal das taxas de juros internashycionais Prime e Libor impactou seriamente

os compromissos externos antes assumidos e a diacutevida se multiplicou provocando uma grande crise a partir de 1982

3 4Caderno de estudos I a d v i d a h j B i i c a e m D E B A T E

denominados bocircnus Brady tiacutetulos que depois serviram como moeda para comprar as empreshysas estrateacutegicas e lucrativas submetidas ao proshycesso de privatizaccedilatildeo a partir de 1996

A interferecircncia direta do FMI em assuntos intershynos do Paiacutes desde 1983 exigiu a implantaccedilatildeo de

medidas nefastas agrave economia brasileira Tal fato aliado a onerosas condiccedilotildees dos acordos da diacutevida externa que transferiram o ocircnus de diacutevidas puacuteblishycas e privadas a cargo do Banco Central agravashyram ainda mais a situaccedilatildeo do endividamento brasileiro e paralisaram o Paiacutes Por isso a deacutecada de 1980 ficou conhecida como deacutecada perdida

CAacuteLCULO DO IMPACTO PROVOCADO PELA ELEVACcedilAtildeO UNILATERAL DAS TAXAS DE JUROS

O impacto da elevaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais sobre a evoluccedilatildeo da

diacutevida externa brasileira foi impressionante como retrata o graacutefico a seguir

de US$ 223 bilhotildees cujo ressarcimento deve ser exigido pelo Brasil

INTERFEREcircNCIA DO FMI

Desde o primeiro acordo do Brasil com o FMI em 1983 esse organismo passou a exercer nefasta interferecircncia em assuntos internos do

Paiacutes agindo sempre em defesa dos bancos prishyvados internacionais

O poder do FMI no Paiacutes era impressionanshyte determinando o caminho a ser trilhado por nossa economia exigindo privatizaccedilotildees impondo draacutesticos ajustes fiscais que impedishyram investimentos e representaram imensos cortes nos gastos sociais suprimindo-se direitos

Diacutevida Externa Total (Puacuteblica e Privada) - US$ bilhotildees

Fonte Nota Teacutecnica DEPEC - 200924S Dados disponiacuteveis no Anexo II agrave Anaacutelise Prefiminar N2 5 da CPI da Diacutevida Puacuteblica

A linha azul do graacutefico acima mostra o impacshyto da alta unilateral e ilegal das taxas de juros nternacionais pelos bancos credores dos Estados Unidos e da Inglaterra a partir de 1979

A linha vermelha pontilhada demonstra a evo- jccedilatildeo da diacutevida externa brasileira caso os juros ivessem sido mantidos em 6 ao ano Constata-se que os pagamentos realizados no periacuteodo teriam sido suficientes para pagar toda a diacutevida externa e o Brasil ainda teria valores a serem ressarcidos

Esses caacutelculos indicaram um dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico calculado agrave eacutepoca da CPI de cerca

sociais baacutesicos agravando-se o desemprego e a miseacuteria

Devido agrave grande influecircncia do FMI consolidou- -se a crenccedila popular generalizada de que aqueshyle organismo seria o principal credor da diacutevida externa brasileira

A CPI provou que os credores privilegiados de sempre eram na realidade os grandes bancos privados internacionais como indica a aacuterea em vermelho no graacutefico a seguir A parcela da diacutevida externa com o FMI correspondia agrave linha verde do mesmo graacutefico

ft D i V I A D 8 L I S A EM D Z B

3 5Caderno de estudos

Diacutevida Externa Registrada no Banco Centrai - US$ bilhotildees - 1969 a 1994140

120

100

80

60

40

20

O ^ O i mdash r 4 r i 3 - in i1o r - o o c j copy mdash r N n n ^ - i n v O r x o O t T ^ O raquo mdash rvjco^j- gt C ) r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ - f ^ - r - r ^ i - ^ c c c o c o c o c o o o c o c o c x D c 3 0 c r C T raquo c j N Ov ogtO CTt CJn CT CTgt G ltTraquo O1 CT lt7 OS O CT O Q (J J Otilde QN ltJ Q Otildegt

Fonte Relatoacuterios Anuais do Sanco Central disportibilizados aacute CPI da Diacutevid3Nota Os ldquoEmpreacutestimos em Moeda indicados em vermelho ntgt graacutefica correspondem aos empreacutestimos junto a bancos comerciais sendo que a maioria corresponde a bancos privados internacionais

Interessante observar que a crise financeira

de 1982 foi provocada pelos grandes bancos

privados internacionais que promoveram a eleshy

vaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais (Libor e Prime) sendo que alguns anos antes

eles mesmos haviam seduzido os paiacuteses latino-

-americanos mediante a oferta de empreacutestimos

aparentemente baratos A crise financeira abriu caminho para a atuaccedilatildeo do FM impondo draacutestishy

cos ajustes fiscais que geraram sacrifiacutecios sociais

cortes de direitos privatizaccedilotildees etc

Eacute importante estabelecer um paralelo entre

esses fatos histoacutericos e a atual crise financeira

deflagrada em 2008 nos EUA e Europa que

tambeacutem foi provocada por atitudes dos grandes

bancos privados internacionais Eles emitiram

grande quantidade de derivativos sem lastro e

corriam risco de quebra tendo sido salvos pelas

naccedilotildees do Norte que logo em seguida se viram

em profunda crise Instalada a crise novamente

surge o FM agora na Europa impondo poliacuteticas

idecircnticas as que foram impostas agrave Ameacuterica Latina

na deacutecada de 1980

ESFORCcedilOS DE INVESTIGACcedilAtildeO DA DIacuteVIDA EXTERNA NA DEacuteCADA DE 1980

A crise da diacutevida externa vivida na deacutecada de 1980 foi tatildeo grave que diversas comissotildees

parlamentares dedicaram importantes esforccedilos no sentido de investigar as reais razotildees da crise e do espantoso crescimento da diacutevida externa brasileira

A primeira tarefa teacutecnica realizada a fim de assessorar a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica na Cacircmara dos Deputados consistiu em resgatar os relatoacuterios das referidas comissotildees anteriores pois suas apuraccedilotildees devem ser conhecidas natildeo soacute pelos parlamentares mas por todos os brasileiros conforme resumo a seguir

COMISSAtildeO PARLAMENTAR DE INQUEacuteRITO-CAcircMARA DOS DEPUTADOS1983

No ano de 1984 foi aprovado o relatoacuterio final da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito reashylizada na Cacircmara dos Deputados O documento

apontou graves indiacutecios de irregularidades ilegashylidades aleacutem dos previsiacuteveis e graves riscos que

36Caderno de estudos I A D IV r D A deg uacute 6 _ i C A EM U E R A r iacute

Comissatildeo Parlamentares e Resultado

CPI da Cacircmara dos Deputados destinada a apurar as causas Presidente Dep Alencar Furtadoe consequecircncias da divida brasileira e o Acordo com o FMI Relator Dep Sebastiatildeo Ne ryInstituiacuteda pelo Requerimento Ndeg 883 Instalada em 16081983 Relatoacuterio Final aprovado em setembro de 1984

Comissatildeo Especial do Senado Federal para a Diacutevida Externa destinada a ldquoexaminar a questatildeo da divida externa brasileira e avaliar

as razotildees que levaram o Governo a stspendero pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno Instituiacuteda pelo Requerimento ns 17 de 1987 Instalada em 14041987

Comissatildeo Mista destinada ldquoao exame analitico epericial dos atos e

fatos geradores do endividamento brasileiro para cumprir a missatildeo

constitucional -Ari 26 do Ato das Disposiccedilotildees Constitucionais

Transitoacuterias Instalada em 11041989

Presidente Senador Carlos ChiarelliacuteRelator Senador Fernando Henrique CardosoRelatoacuterio Final aprovado em 23 de agosto de 1989

Presidente Dep Waideck OrneiasRelator Senador Severo GomesRelatoacuterio Parcial aprovado em 9 de agosto de 19B9

Relator Dep Luiz SalomatildeoParecer Final apreciado em 5 de setembro de 1989NAtildeO VOTADO

ps contratos de endividamento externo represenshytavam para a soberania nacional Adicionalmente histoacuterico relatoacuterio final de autoria do Deputado ederal Sebastiatildeo Nery (PDT-RJ) evidenciou a oratica dos seguintes crimes

Violaccedilatildeo da competecircncia exclusiva do Congresso Nacional para ratificar ou rejeitar convenccedilotildees e atos internacionais praticados pelo Presidente da Repuacuteblica

bull Crime de responsabilidade contra a guarda e legal emprego de dinheiro puacuteblico (realizaccedilatildeo de despesas e contraccedilatildeo de empreacutestimos sem autorizaccedilatildeo legal)

diams Crime de responsabilidade contra a existecircncia da Uniatildeo cometido peio Presidente da Repuacuteblica e por ministros de Estado por violaccedilatildeo da vedashyccedilatildeo constitucional agrave celebraccedilatildeo de tratados que comprometam a dignidade da naccedilatildeo

1 Desrespeito aos princiacutepios constitucionais impliacuteshycitos da inalienabiiidade imprescritibilidade e impenhorabiiacuteidade do patrimoacutenio puacuteblico

Crime de responsabilidade contra a seguranccedila interna do Pais ao admitir a daccedilatildeo de bens do patrimoacutenio puacuteblico em garantia antecipada

bull Abdicaccedilatildeo da soberania nacional em favor das orientaccedilotildees do Fundo Monetaacuterio Internacional

Apesar dessas graves conclusotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi levada a cabo

COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL1987

Em 1987 o Senado Federal instalou a Comissatildeo Especial para a Diacutevida Externa destinada a

examinara questatildeo da diacutevida externa brasileira e avaliar as razotildees que levaram o governo a susshypender o pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno

O relator foi o entatildeo senador Fernando Henrique Cardoso (PMDB-SP) que em seu relashytoacuterio reiterou a necessidade de enfrentamento do problema do endividamento externo tendo em vista as graves irregularidades verificadas dentre as quais destacamos praacutetica do anato- cismo alta unilateral de juros corresponsabili- dade dos credores ilegalidades na negociaccedilatildeo da diacutevida falta de transparecircncia negociaccedilotildees sigilosas interferecircncia direta do FMI articushylaccedilatildeo de credores (FMI Club de Paris Comiteacute Assessor dos Bancos Privados) elevados custos sociais da diacutevida externa existecircncia de custos injustificaacuteveis estatizaccedilatildeo de diacutevidas privadas exportaccedilatildeo de capitais nacionais utilizaccedilatildeo deliberada de empresas estatais para obtenshyccedilatildeo de empreacutestimos no exterior desequiliacutebrio contratual das partes negociantes pulverizaccedilatildeo de credores e dificuldade de controle por parte do Banco Centrai comprovaccedilatildeo do reduzido do valor da diacutevida no mercado secundaacuterio o que natildeo foi levado em conta nas negociaccedilotildees entre outras

3 7n V I DA P J B L l C A CM D t E A T F | Caderno de estudos

Cade

Cabe ressaltar trecho do relatoacuterio apresentado por FHC que daacute notiacutecia sobre a poleacutemica negociashyccedilatildeo da diacutevida externa que envolveu dezenas de bilhotildees de doacutelares - cerca de US$ 60 bilhotildees - e que foi a base para a transformaccedilatildeo da diacutevida externa contratual em bocircnus Brady em 1994

O ACORDO PLURIANUAL DE 1988

No dia 6 de junho de 1988 quando a gestatildeo

Mailson da Noacutebrega mal tinha completado 6

meses o governo brasileiro assinou o Term

Sheet do acordo provisoacuterio de renegociaccedilatildeo

da diacutevida externa Ao mesmo tempo em

que o protocolo da negociaccedilatildeo era mantishy

do em absoluto o governo fazia publicar

uma Nota Oficial de tom autocongratula- toacuterio descrevendo a renegociaccedilatildeo preliminarshy

mente concluiacuteda como a melhor jaacute obtida por

um paiacutes devedor

Diante da insistente recusa das autoridashy

des oficiais o Presidente da Comissatildeo

teve de recorrer a contatos no exterior

para obter as informaccedilotildees que lhe eram

sonegadas dentro do Paiacutes O Term Sheet

chegaria agraves matildeos do Senador Carlos Chiarelli

por canais extraofidais no iniacutecio de julho Os

documentos oficiais foram entatildeo submetishy

dos a uma anaacutelise teacutecnica que constatou

estarem sendo incompletas imprecisas e

exageradamente otimistas as apreciaccedilotildees

sobre o acordo publicadas na Nota Oficial

Foram encontrados erros e omissotildees relashy

cionados aos seguintes toacutepicos do acordo

()

Como conclusatildeo pode-se dizer que os frutos

da negociaccedilatildeo dita realista e profissional

conduzida pelo Ministro Mailson da Noacutebrega

foi um dos mais draconianos acordos de

renegociaccedilatildeo jaacute realizados por uma naccedilatildeo

devedora nesta deacutecada Como evidecircncia

das distorccedilotildees do acordo podem ser citados

os lucros recordes auferidos pelos grandes

bancos em 1988 que segundo estimatishy

vas divulgadas pelo Wall Street Journal

teriam atingido a fantaacutestica cifra de US$

16 bilhaacuteo soacute com o acordo da divida brashysileira Quanto ao paiacutes devedor durante

os poucos meses em que o governo Sarney

consegui j cumprir parcialmente as sufocantes

disposiccedilotildees contratuais do acordo a econoshymia mergulhou em recessatildeo acompanhashy

da da maior inflaccedilatildeo de sua histoacuteria O

acordo de reescalonamento de 1988 previsto

para abranger um periacuteodo de sete anos na

praacutetica concedera menos do que um ano de

focirclego agrave economia brasileira Decorridos quashy

tro meses da assinatura o Ministro Mailson jaacute

admitia oficialmente a necessidade de contrair

empreacutestimos adicionais e suspender o relen-

ding rsquo e a conversatildeo Decorridos 9 meses o

Brasil voltava a atrasar os pagamentos da

divida externa entrando novamente em

moratoacuteria (Paacutegina 166)

Diversos autores mencionam que a referida negociaccedilatildeo teria ocorrido em 23091988 mas a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos Deputados teve acesso a documenshytos que comprovam que tal negociaccedilatildeo teria se concluiacutedo somente em 1989 portanto apoacutes a promulgaccedilatildeo da Constituiccedilatildeo Federal

Outros trechos do Relatoacuterio apresentado por FHC tambeacutem merecem destaque

TRECHOS DO RELATOacuteRIO FINAL DA COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL (1987)

RELATOR SEN FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Como os deacutebitos externos brasileiros haviam sido contratados basicamente a taxas de juros flutuanshytes o choque dos ju ros provocou uma el evaccedilatildeo da diacutevida sem contrapartida real de bens e serviccedilos A partir desse momento a diacutevida externa brasileira assume um caraacuteter eminentemente financeiro os novos empreacutestimos na verdade sacirco obtidos para rolar em grande medida e a niacutevel agregado os juros e as amortizaccedilotildees

lsquoA partir de 1983 a questatildeo da divida adquire nova dimensatildeo Segundo a Programaccedilatildeo do 5etor Externo PSE) submetida pelo Brasil aos banqueiros em Nova York em dezembro de 1982 a economia brasileira eacute direcionada para a obtenccedilatildeo de US$6 bilhotildees de superaacutevit comercial com uma previshysatildeo de deacuteficit em transaccedilotildees correntes de US$65 bilhotildees Como os juros dos deacutebitos externos previsshytos para 1983 estavam na casa dos US$10 bilhotildees fica daro que a partir desse momento o Brasii marchava para a chamada ldquotransferecircncia liacutequida de

38^arjprnn de estudos | A D v I 0 a P Uacute B L I C A F V D E = a t e

recursos reais para O exterior com o fim especiacutefico de servir aos credores externos

Do ponto de vista dos credores o Brasil teve um excelente desempenho dos US$6 bilhotildees de supeshyraacutevit comercial de 1983 passou a US$13 bilhotildees em 1984 e dessa forma cobriu os juros devidos Internamente poreacutem a recessatildeo foi profunda e com custos sociais elevadiacutessimos estima-se que cerca de 5 milhotildees de trabalhadores do setor formal foram lanccedilados no desemprego Foi seguramente a recessatildeo mais violenta da economia brasileira

A situaccedilatildeo que ora vivemos - arrocho salarial direto dos trabalhadores no setor puacuteblico e indi- reto de toda a forccedila de trabalho (via eliminaccedilatildeo do subsiacutedio do trigo por exemplo sem qualquer poliacutetica de renda compensatoacuteria) submissatildeo da poliacutetica econoacutemica agraves regras e monitoramento do FMI acomodaccedilatildeo aos interesses dos grandes bancos internacionais etc - natildeo passa de uma encenaccedilatildeo da inequiacutevoca demonstraccedilatildeo da falta de governo no Paiacutes Natildeo eacute a toa que os banqueishyros acenaram com o possiacutevel reescalonamento do principal da diacutevida para 20 anos 8 de carecircncia etc mas no essencial - refinanciamento de juros taxas de juros spread descontos monitoramento etc- natildeo cederam um miliacutemetro e se fixaram nos refishynanciamentos de parcela dos iuros (50) apenas para este ano (1987 foi o ano da moratoacuteria e o juro teraacute que ser refinanciado de fato pois o Pais natildeo tem caixa para pagaacute-lo) Em suma o horizonte em todas as frentes sobre o Paiacutes (aqui e no exterior) natildeo passa de 1988 eacute o sinal do limite

Registra-se a preocupaccedilatildeo de muitos dos Senadores com a questatildeo da legitimidadeda divida- posto que os contratos satildeo leoninos e foram feitos agrave revelia do Congresso Nacional - e com a questatildeo da jurisdiccedilatildeo

Os tiacutetulos da diacutevida dos paiacuteses passam a ser negociados com um desaacutegio crescente no chashymado mercado secundaacuterio sinalizando que parshycela da divida natildeo teria condiccedilotildees de ser pagaOs bancos aumentam suas reservas antecipando possiacuteveis ltperdasgtrsquorsquo

Embora o relator tenha ocupado a Presidecircncia da Repuacuteblica do Brasil durante dois mandatos- oito anos portanto nenhuma das irregu- laridades apontadas em seu relatoacuterio quando senador chegou a ser enfrentada Pelo contraacuterio o endividamento puacuteblico tanto interno quanto externo agravou-se apesar da privatizaccedilatildeo de cerca de 70 do patrimoacutenio puacuteblico nacional sob a justificativa de pagar a diacutevida

Constituiccedilatildeo Federal

A Constituiccedilatildeo de 1988 inseriu a previsatildeo de realishyzaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externaConstituiccedilatildeo Federal ADCT

ldquoAn 26 No prazo de um ano a contar da promulgashy

ccedilatildeo da Constituiccedilatildeo o Congresso Nacional promoshy

veraacute atraveacutes de Comissatildeo mista exame analitico e

pericial dos atos e fatos geradores do endividamento

externo brasileiro

Aleacutem disso a Constituiccedilatildeo Federal determinou taxativamente que os contratos de endividamento externo deveriam ser submetidos agrave aprovaccedilatildeo pelo Senado Federal

Constituiccedilatildeo Federal

Art 52 Compete privativamente ao Senado Federal

U

V - autorizar operaccedilotildees externas de natureza finanshy

ceira de interesse da Uniatildeo dos Estados do Distrito

Federal dos Territoacuterios e dos Municiacutepiosrdquo

Tal dispositivo indica que a vultosa negociaccedilatildeo concluiacuteda somente em 1989 seria completamente NULA pois natildeo foi autorizada pelo Congresso Nacional que sequer teve acesso aos termos da negociaccedilatildeo conforme constou do relatoacuterio apreshysentado por FHC cujo trecho foi antes transcrito

Comissatildeo Mista do Congresso Nacional1989

No ano de 1989 mais uma vez o Congresso Nacional debruccedilou-se sobre os contratos de endishyvidamento externo brasileiro aleacutem de planilhas de caacutelculo elaboradas pelo Banco Central para mais uma vez descobrir fraudes diversas dentre elas a renuacutencia agrave soberania pelo governo brasileishyro Ou seja mais uma revelaccedilatildeo de NULIDADE mas ainda assim a diacutevida continuou sendo paga e reciclada em negociaccedilotildees cada vez mais onerosas para o Paiacutes

Trecho do relatoacuterio apresentado pelo senashydor Severo Gomes que fez importante anaacutelise juriacutedica dos acordos merece ser destacado para conhecimento por todos os brasileiros O trecho a seguir se referia a um dos acordos celebrados pelo Banco Central com os bancos privados intershynacionais em 1982

39A D f V I 0 A P U B L I C A EM D E B A T E I Caderno de estudos

40Caderno de esludos

CLAacuteUSULA DE RENUacuteNCIA A SOBERANIA

Sem quaiquer sombra de duacutevida aqui estaacute o ponto mais espantoso dos Acordos De notar aliaacutes a grosshyseria dos credores ou a pusilanimidade dos negoshyciadores brasileiros admitindo uma claacuteusula que sobre ferir os brios nacionais eacute fundamentalmente inuacutetil no contexto da negociaccedilatildeo () Esta claacuteusula retrata um Brasil de joelhos sem brios poupados inerme e inerte imolado agrave irresponsabilidade dos que negociaram em seu nome e agrave cupidez de seus credores Poreacutem nada haacute de ser dito sobre essa nefanda claacuteusula mais expressivo do que o proacuteprio ilustriacutessimo Ministro Seabra Fagundes jaacute fez Este fato de o Brasil renunciar explicitamente a alegar a sua soberania faz deste documento talvez o mais triste da Histoacuteria poliacutetica do Paiacutes Nunca encontrei- e naacuteo sou muito ausente dos estudos da histoacuteria do Paiacutes - em todos os documentos histoacutericos do Brasil nada que se parecesse com esse documento porque renuacutencia de soberania talvez noacutes tenhamos tido renuacutencias iguais mas uma renuacutencia declarada agrave soberania do Paiacutes eacute a primeira vez que consta de uma documento para mim histoacuterico Este me parece um dos fatos mais graves de que somos contemporacircneos1

Sen Severo Gomes(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

0 relatoacuterio parcial do senador 5evero Gomes chegou a ser aprovado pelo plenaacuterio do Congresso poreacutem nenhuma de suas recomenshydaccedilotildees - que tratavam sobre o questionamento judicial da diacutevida - foram seguidas

0 segundo relator da Comissatildeo Mista Dep Luiz Salomatildeo tambeacutem apontou severas conclushysotildees dentre as quais destacamos

Factibilidade de reduzir o montante da diacutevida externa

Necessidade de deduzir do principal consignado pelos bancos que emprestaram a juros flutuanshytes o excedente avaliado em simulaccedilotildees feitas pelo Banco Central que variavam de 34 a 62 bilhotildees de doacutelares na eacutepoca

Necessidade de retomar as investigaccedilotildees e os processos judiciais tendentes a recuperar as pershydas provenientes de fraudes e negoacutecios iliacutecitos

Responsabilizar penalmente os responsaacuteveis internos e os cuacutemplices externos

Repatriar as divisas evadidas clandestinamente

I a c i v i D a p uacute b l i c a l m d e b agrave t ecirc

O relatoacuterio final sequer chegou a ser votado pela Comissatildeo Mista Levado ao plenaacuterio natildeo houve quoacuterum para a votaccedilatildeo

Manobras impediram que o relatoacuterio fosse votado na Comissatildeo Mista Sem o apoio da maioria da Comissatildeo o parecer foi levado a exame do Plenaacuterio do Congresso Os partidos majoritaacuterios na Cacircmara e no Senado optaram peia omissatildeo

Dep Luiz Salomatildeo(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

Apesar das importantes conclusotildees e graves indiacutecios de ilegalidades e nulidades apontados por todas essas comissotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi adotada e a diacutevida externa natildeo parou de crescer sendo objeto de sucessivas negociashyccedilotildees que a tornaram cada vez mais onerosa

Deacutecada de 1990Na deacutecada de 1990 no bojo do processo de

abertura econoacutemica promovido pelo governo Collor ao qual se seguiram a desestatizaccedilatildeo e a desreguiamentaccedilatildeo do mercado de capitais as insshytituiccedilotildees credoras internacionais aproveitaram-se da fragilidade e da subordinaccedilatildeo das economias nacionais para executar o chamado Plano Brady

0 engodo do Plano BradyEm 1994 o Brasil concluiu a implantaccedilatildeo do

denominado Plano BradyEsse plano significou a transformaccedilatildeo da diacutevishy

da externa com bancos privados internacionais- antes formalizada sob a forma de acordos na deacutecada de 1980 - em tiacutetulos da divida externa

Foram emitidos sete tipos de tiacutetulos da diacutevida externa em troca da diacutevida anterior e de juros vencidos em montante estimado em US$ 51 bilhotildees na eacutepoca

Natildeo haacute transparecircncia em relaccedilatildeo ao deta- Ihamento das diacutevidas objeto de conversatildeo Tal negociaccedilatildeo tal como as da deacutecada de 1980 tambeacutem natildeo levou em consideraccedilatildeo o valor de mercado da diacutevida anterior (de cerca de 20 do valor nominal conforme constou de acoacutershydatildeo do TCU) nem as ilegalidades que haviam sido arguidas por comissotildees parlamentares

anteriores e ainda exigiu a compra de garantias colaterais (tiacutetulos do Tesouro norte-americano de cerca de US$ 39 bilhotildees)

Caso fosse considerado o valor de mercado da diacutevida externa anterior o resultado do Plano Brady pode ser resumido da forma retratada no graacutefico a seguir

novos bocircnus ou tiacutetulos A transformaccedilatildeo de juros vencidos em tiacutetulos eacute uma comprovaccedilatildeo expliacutecita de anatocismo (juros sobre juros) conshysiderado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

A operaccedilatildeo de troca da diacutevida por bocircnus natildeo significou ingresso de recursos para o Paiacutes pois constituiu mera troca e foi feita em Luxemburgo

A renegociaccedilatildeo Brady aumentou a diacutevida (US$ bilhotildees)60

50

40

30

20

10

Valor da diacutevida em mercado Bocircnus Brady emitidos

Fonte Paulo Nogueira Batista Jr e Armeacutenio de Souza Rangel A Renegociaccedilatildeo da Diacutevida Externa Brasileira e o Plano Brady Avaliaccedilatildeo de aSguns dos principais resultados paacuteg 15 e 18 e Ceres Aires Cerqueira Diacutevida Externa Brasileira paacutegs 65122123 e 124

Evidencia-se um tremendo prejuiacutezo ao Paiacutes Apesar disso o discurso oficiai e da grande miacutedia na eacutepoca foi de que o Brasil obteve um importanshyte desconto nessa negociaccedilatildeo Trata-se de mais ri forte indiacutecio da necessidade de realizaccedilatildeo de Buditoria pois os tais bocircnus Brady serviram como T io e d a para a compra das estatais privatizadas

atilde partir de 1996 Dessa maneira ao mesmo tempo em que entregaacutevamos nosso patrimoacutenio aumen- iacuteavamos a lesatildeo ao eraacuterio

A negociaccedilatildeo Brady tambeacutem natildeo levou em snsideraccedilatildeo as recomendaccedilotildees das Comissotildees iHamentares do Congresso Nacional portan- to a nova diacutevida dos bocircnus Brady tambeacutem pode ter sua legitimidade e legalidade questionadas

O Plano Brady foi aplicado em 22 paiacuteses onsiderados subdesenvolvidos e trocou tanto 3 diacutevida anterior como os juros vencidos por

conhecido paraiacuteso fiscal como uma oferta privashyda sem registro na SEC (Securities and Exchcmge

Comission dos Estados Unidos da Ameacuterica) e natildeo atendeu agraves exigecircncias da Lei de Vatores de 19337 para uma oferta puacuteblica nos Estados Unidos Ou sej^ fQi uma operaccedilatildeo repleta de irregularidades

A nova^ao -^transformaccedilatildeo de uma diacutevida em outra - deve ter uma causa legiacutetima o que natildeo se confirmou na operaccedilatildeo Brady

Por fim cabe ressaltar que a diacutevida externa contratual com bancos privados vinha sendo objeto de graves questionamentos de ordem legal com suspeitas inclusive de prescriccedilatildeo dessa diacutevida em 1992 sendo que atos iliacutecitos natildeo podem gerar consequecircncias liacutecitas

7 A Lei de Valores de 1933 foi ed itada I ogo apoacutes a Grande Crise de 1929 e regulamentou a comercializaccedilatildeo de accedilotildees tiacutetulos e demais papeacuteis financeiros

A D Iacute V I D A P Uacute B L I C A EM D E B A T E

41Caderno de estudos

Resgates Antecipados com Pagam ento de Aacutegio

Anaacutelises teacutecnicas da CPI demonstraram que logo apoacutes o referido Plano Brady foram realishyzadas trocas desses tiacutetulos por novos tiacutetulos da diacutevida externa (Global) e interna (NTN) operaccedilotildees que possuem forte indiacutecio de dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico ante os significativos desaacutegios nas emissotildees dos boacutenus Global suas elevadas taxas de juros onerosas comissotildees e demais gastos assumidos pelo Brasil bem como face agraves elevashydiacutessimas taxas de juros da diacutevida interna

Observou-se tambeacutem que os boacutenus Brady foram objeto de troca por outros tiacutetulos da diacutevida externa (por exemplo C-Bond por A-Bond em 2005) que por sua vez foram objeto de resgate antecipado a partir de 2005

A CPI apurou que o Brasil tambeacutem tem comshyprado antecipadamente tiacutetulos da diacutevida externa Ao inveacutes de pedir desconto pela antecipaccedilatildeo do pagamento os elevados pagamentos foram feitos com aacutegio que chegou a alcanccedilar 70 do valor nominal dos tiacutetulos originais

Ora qual a razatildeo para resgatar obrigaccedilotildees antecipadamente e com pagamento de aacutegio

A resposta das autoridades do Paiacutes agrave CPI da Diacutevida Puacuteblica foi no sentido de que o endividashymento eacute regido pelo ldquobenchmark mecanismo de marcaccedilatildeo de mercado que mede entre outras coisas a expectativa dos credores

0 pagamento de aacutegio pelo Tesouro brasileiro compensou expectativas frustradas de detentoshyres de tiacutetulos da divida externa brasileira emitishyda em doacutelares Um dos aspectos que afetou tal expectativa foi a queda no valor de tal moeda a partir de 2005 Tal fato eacute bastante grave e demonstra a que ponto chega o privileacutegio do setor financeiro Em nosso Paiacutes faltam recursos para o atendimento de necessidades vitais de grande parte da populaccedilatildeo como demonstrado em capiacutetulos anteriores mas sobram recursos para remunerar o capital financeiro

Pagam ento antecipado ao FMI contradiccedilatildeo inexplicaacutevel

Em 2005 durante o Governo Lula foi amplashymente propagandeado o resgate antecipado ao

DIacuteVIDA INTERNA

D gt V l gt 1

pound x t e r n P s

A chamada diacutevida interna corresponde agrave diacutevida

mobiliaacuteria - diacutevida em tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Na praacutetica a diacutevida interna eacute tambeacutem exter na pois grande parte dos tiacutetushylos dessa diacutevida tem sido adquirida porestrangeirosque encontram no Brasil a maior taxa de juros do mundo liberdade de capitais e isenccedilatildeo tributaacuteria

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica analisou a evoluccedilatildeo da diacutevida interna a partir de 1995 tendo em vista que foi justamente a partir do Plano Real que seu crescimento se acelerou de maneira impressionante como mostra o graacutefico a seguir Em dezembro de 2011 a diacutevida interna superou a cifra de 25 trilhotildees de reais

Buscando explicaccedilotildees para a contrashypartida a justificativa para essa diacutevida a CPI constatou que as altas taxas de juros foram a principal causa do cresshycimento acelerado da diacutevida interna provando que este endividamenshyto tem uma origem meramente financeira sem contrapartida em termos de desenvolvimento social e econoacutemico

O Relatoacuterio Final da CPI aprovado pela base do governo e pelo PSDB reconheceu esse grave fato que tambeacutem constitui uma importante evidecircncia da necessidade de completa auditoria dessa diacutevishyda pois a aplicaccedilatildeo de juros sobre juros (ana- tocismo) jaacute foi considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

Os trabalhos da CPI apontaram uma seacuterie de indiacutecios de ilegalidades na diacutevida interna cabenshydo ressaltar os seguintes

Esta roupa me disfarccedila melhor

Vatildeo acreditar que o beneficiaacuterio dessa diacutevida interna eacute o

povo brasileiro

Falta de transparecircncia e graves deficishyecircncias de controle e registro do endividashymento puacuteblico tais como desaparecimento de documentos falta de registro dos juros nominais efetivamente pagos por regime de caixa a cada ano bem como dos fluxos de pagamentos e recebimentos segredo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida interna insufishyciecircncia de informaccedilotildees sobre as justificativas para a emissatildeo de diacutevida

Fonte httpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201201pfpzip - Quadro 35

Os deputados membros da CPI pertencentes aos grandes partidos se recusaram a aprovar Requerimento de Informaccedilotildees que exigiria do governo o nome dos credores da diacutevida interna brasileira Somente foi aprovado requerimento de dados agregados que serviram como base para a elaboraccedilatildeo do graacutefico ao lado

Considerando que a diacutevida eacute puacuteblica seria de se esperar que os seus beneficiaacuterios fossem devidamente anunciados tal como ocorre em diversas partes do mundo inclushysive nos Estados Unidos da Ameacuterica do Norte Aqui no Brasil frequentemente autoshyridades e a grande miacutedia argumentam que a diacutevida interna beneficia pequenos aplica- dores clientes de Fundos de Investimento Contudo tal discurso natildeo apresenta fundashymento soacutelido pois quando a CPI da Diacutevida Puacuteblica requereu informaccedilotildees sobre o pershyfil dos detentores da diacutevida interna nesses Fundos requerendo informaccedilatildeo sobre a distribuiccedilatildeo dos grandes e pequenos invesshytidores) o Banco Central afirmou que natildeo dispunha desta informaccedilatildeo

Assunccedilatildeo de diacutevidas privadas espeshycialmente do setor financeiro por meio do PROER PROES e diversas outras formas

Credores da Diacutevida Interna - Abril2010

nacirco-nnanceiras

Bancos nacionais e estrangeiros

55

Fonte Banco Central (abrif2010) httpwwwbcb0ovbr htmsinfecondemabma201Q04Nlmprensazipe Secretaria de Previdecircncia Complementar (Estatiacutestica Mensal- Dez2009) -paacuteg 3Notas (1) A rubrica Fundos de Pensatildeo inclui recursos desses Fundos que se encontram aplicados em Fundos de Investimento de Renda Fixa Consequentemente a rubrica Fundos de Investimento aparece descontada destes recursos(2) A rubrica Bancos Nacionais e Estrangeiros inclui os Tiacutetulos Vinculados (que representam principalmente o depoacutesito junto ao BC petas instituiccedilotildees financeiras de tiacutetulos puacuteblicos como garantia de operaccedilotildees em Bolsa de Valores) e as Operaccedilotildees de Mercado Aberto (que significam a retirada de moeda de circulaccedilatildeo mediante entrega agraves instituiccedilotildees financeiras dos 1 tiacutetulos puacuteblicos em poder do Banco Central)

4 6Caderno De estudos | A d iacute v i d a P i j R i c a t u D E B A T E

Descumprimento de atribuiccedilotildees legais e constitucionais peios oacutergatildeos de controle do endividamento puacuteblico federal comproshyvado pela ausecircncia de resposta dos oacutergatildeos oficiais de controle interno (Banco Central e Ministeacuterio da Fazenda) a pedidos de infor maccedilatildeo sobre a diacutevida puacuteblica brasileira e pela ausecircncia de realizaccedilatildeo de auditoria nas negociaccedilotildees com bancos privados internacioshynais pelo Tribunal de Contas da Uniatildeo (TCU) Quanto ao Congresso Nacional este vem des cumprindo haacute mais de 20 anos a determinashyccedilatildeo constitucional de realizaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externa brasileira Tambeacutem natildeo regulamentou o art 30 incisos I e II da Lei de Responsabilidade Fiscal que dizem respeito aos limites globais de endividamento

Danos patrimoniais agraves financcedilas do Paiacutes configurada pela praacutetica doanatocismo (juros sobre juros) jaacute considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal aleacutem do ofeshyrecimento de taxas de juros injustificadas e excessivamente elevadas

Conflito de interesses na determinaccedilatildeo da taxa baacutesica de juros Os membros do Copom que definem as taxas de juros e demais autoshyridades do Banco Central realizam reuniotildees com analistas independentesrsquo tendo a CPI apurado que estes constituem - em cerca de 95 ou seja em sua imensa maioria - represhysentantes dos segmentos financeiros direta- mente interessados o que pode caracterizar conflito de interesses Adicionalmente a CPI constatou que a maior parte dessas autoridashydes foi trabalhar no setor financeiro privado apoacutes deixar o Banco Central As taxas de juros Selic satildeo definidas pelos 8 (oito) membros do Copom com base em criteacuterios natildeo mateshymaacuteticos pois a decisatildeo eacute tomada a partir de apresentaccedilotildees teacutecnicas discussotildees e natildeo decorrem da aplicaccedilatildeo de uma foacutermula que definiria qual deveria ser a decisatildeo do Comiteacute sobre a meta da taxa Selic cabendo ressalshytar ainda que os votos de seus membros natildeo eram divulgados

Argumentos insustentaacuteveis para os elevados juros Aleacutem da ausecircncia de justishyficativas teacutecnicas para o abusivo patamar de juros praticados durante os 15 anos analisashydos o argumento de elevar taxas de juros para combater a inflaccedilatildeo tambeacutem natildeo se sustenta

Ao mesmo tempo em que as autoridades monetaacuterias defendem a elevaccedilatildeo das taxas de juros sob a justificativa de controle inflashycionaacuterio as mesmas autoridades permitem grandes aumentos nos preccedilos administrados (tarifas de energia telefone combustiacutevel entre outros) o que eacute um total contra-senso Adicionalmente os oacutergatildeos de defesa da livre concorrecircncia natildeo tecircm conseguido combater adequadamente os carteacuteis privados que tamshybeacutem afetam a formaccedilatildeo dos preccedilos

Danos agrave economia real As elevadas taxas de juros baacutesicos impulsionam as demais taxas de juros praticadas pelos bancos provocando aumento nos custos das induacutestrias e empresas em geral deprimindo o investimento o que ocasiona a reduccedilatildeo da oferta de produtos gerando inflaccedilatildeo As elevadas taxas de juros brasileiras satildeo as maiores de todo o mundo natildeo havendo justificativa plausiacutevel para tal patamar Esse custo tem imposto atraso ecoshynoacutemico imensuraacutevel ao Paiacutes

Poliacuteticas monetaacuteria e cambial equivoshycadas Danos decorrentes da excessiva acushymulaccedilatildeo de reservas internacionais por meio da elevaccedilatildeo acelerada do estoque do endivishydamento interno A principal justificativa para a compra de doacutelares pelo Banco Central tem sido a de enxugar o excesso de moeda e eviacute tar a valorizaccedilatildeo da moeda nacional poreacutem quando o BC compra a moeda americana termina estimulando ainda mais os especushyladores a trazerem moeda estrangeira ao Paiacutes

Prejuiacutezos do Banco Central O fato de o Banco Central manter crescentes e elevadas reservas em doacutelares em seu ativo desde 2005 e tiacutetulos da diacutevida Interna em seu passivo representa enorme transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor financeiro privashydo tendo em vista a forte desvalorizaccedilatildeo do doacutelar O prejuiacutezo do Banco Central alcanccedilou R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 RS 445 bilhotildees no 1-semestre de 2011 sendo que todo esse resultado negativo foi coberto pelo Tesouro Nacional ou seja foi arcado por toda a sociedade Isso caracteriza violaccedilatildeo do princiacutepio republicano em sentishydo de adequado trato da coisa puacuteblica pelos agentes do Estado cuja investigaccedilatildeo deve ser aprofundada para apurar eventual dano ao patrimoacutenio puacuteblico

A 0 I V I C A F II li L C A r M D t 8 A 1 E |

47Caderno de

III

Todos esses graves indiacutecios de iacuterregularidades apontados pela CPI reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa auditoria dessa diacutevida

A RECENTE QUEDA DA TAXA SELICEm 2011 a taxa Selic passou a cair reduzinshy

do-se ao patamar de 8 ao ano Entretanto estudos realizados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm demonstrado que justamente quando a taxa passou a cair o Tesouro Nacional passou a praticar vendas de tiacutetulos da diacutevida brasileira em taxas fixas e superiores agrave Selic Exatamente no dia 19042012 data em que a taxa Selic caiu a 9 como amplamente notishyciado nos grandes meios de comunicaccedilatildeo o Tesouro Nacional efetuou praticamente a totalidade de vendas de tiacutetulos da diacutevida brashysileira a taxas muito superiores que chegaram a 1079 ao ano

Ora qual a razatildeo para essa praacutetica evidenshytemente contraacuteria aos interesses do Paiacutes Uma das justificativas normalmente apresentadas eacute que o mercadordquo natildeo aceita comprar por taxas mais baixas

Mas quem eacute o m ercadoA venda de tiacutetulos se daacute por meio dos dealers

- reduzido grupo de grandes bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia na compra dos tiacutetulos leiloados pelo Tesouro Nacional em primeira matildeo8

Essa modalidade de negociaccedilatildeo foi introdushyzida a partir de 2001 com a ediccedilatildeo da Circular BACEN ns 3053 havendo um rodiacutezio entre as instituiccedilotildees financeiras Na data em que o preshysente Caderno estaacute sendo elaborado os dealers

satildeo os seguintes

8 Ver lthttpwwwtMourofazendagovbrhpdownloads Rltmking_Top_5 Janeiro_12_Mertado_Primariopdfgt

Quanto mais pagamos mdash mais devemos

GASTOSCOM

JUROS

48Caderno de estudos | A o l v i D A P uacute b l i c a FM DIacute E ATE

M

M

Tesouro NacionalINSTITUICcedilOtildeES CREDENCIADAS A OPERAR COM A CODIP E COM O DEMAB

10082012 a 3101201310022012 a 31072012

BCOBRADESCOS A

BCO BTG PACTUA L S A

BCOCITIBANKS A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO J P MORGAN S A

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

CM CAPITAL MARKETS CCTVM LTDA

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ITAU UNI BANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

BCO BARCLAYS S A

BCO BRADESCO S A

BCO BTG PACTUAL S A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

DEUTSCHE BANK S A - BCO ALEMAO

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ICAP DO BRASIL CTVM LTDABRAD

ITAU UNIBANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

Referecircncia Legal Decisatildeo-Conjunta 18 de 10022010 Ato Normativo Conjunto de 26 de 08022012 e Ato Normativo Conjunto 27 de 08022012

Depreende-se que o grupo de bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia de comprar os tiacutetulos colocam o Tesouro Nacional a serviccedilo do Sistema da Diacutevida pois soacute compram os tiacutetulos leiloados quando as condiccedilotildees oferecishydas atendem a seus interesses e dessa forma na praacutetica ditam as regras Assim tem funcionado o Sistema da Diacutevida

QUEM GANHA COM ESSE PROCESSODe todo esse processo de escoamento natildeo transshy

parente dos recursos puacuteblicos por meio da diacutevida puacuteblica - interna e externa - resta uma grande certeza os detentores dos tiacutetulos - em sua maioria bancos auferem no Brasil os maiores lucros do mundo como comprova o graacutefico a seguir

Lucro dos Bancos (R$ bilhotildees)80

60

40

20

Aparente queda Aumento de Provisotildees

00 O ltN m r r m 0 00 OQ CT O O O o o o O O o O T--(Jy C l O O O o o o o o o o Ormdash (N rsi ltN ltN ltN ltN ltN ltN r| ri

Fonte Banco Central do Brasil (httpwww4bcbgovbrtop50porttop50asp)

A D l V l D A P Uacute B L I C A E M D F S A T E

49Caderno de estudos

C A P Iacute T U L O 8

O SISTEMA DA DIacuteVIDASISTEMA DA DIacuteVIDA NO BRASIL

A nos de estudos sobre o endividamento puacuteblico no Brasil em outros paiacuteses da

Ameacuterica Latina e mais recentemente na Europa permitiram a identificaccedilatildeo de um mesmo modus

operandi um desvirtuamento do papel da diacutevida puacuteblica e sua utilizaccedilatildeo em benefiacutecio do setor financcedil

Em tese a diacutevida puacuteblica deveria funcionar (como um importante instrumento de financia-

lento do Estado ou seja um instrumento que ^viabilizaria aporte de recursos ao Estado a fim de complementar recursos necessaacuterios ao cum-

Entretanto as investigaccedilotildees realizadas em diversos paiacuteses tecircm comprovado que esse papei foi usurpado e a divida puacuteblica se transformou em um instrumento agrave disposiccedilatildeo dos donos do poder financeiro^ou seja ao inveacutes de jportar recursos ao Estado tem sido um mecanismo de transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor finarccedilceiro privado

Ta) proeza eacute possibilitada por um arcabouccedilo de privileacutegios de ordem lega poliacutetica finanshyceira e econoacutemica que denominamos Sistema da Diacutevida que visa a garantir prioridade absoluta aos pagamenshytos financeiros da diacutevida puacuteblica em detrimento de direitos humanos e sociais de toda a naccedilatildeo

A fim de exemplificar como opera o Sistema da Diacutevida no Brasil cabe mencionar alguns privishyleacutegios evidenciados no modelo econoacutemico e na estrutura legal possibishylitados pelo equivocado

sistema poliacutetico que permite o financiamento privado de campanhas eleitorais

MODELO ECONOacuteMICOO modelo econoacutemico adotado no Paiacutes eacute comshy

pletamente voltado para a garantia dos privileacuteshygios da diacutevida o que se evidencia pelas seguintes caracteriacutesticas

Poder exacerbado do setor financeiro espeshycialmente bancos privados e FMI frequenteshymente identificado como 0 Mercado cujo comportamento acaba justificando poliacuteticas econoacutemicas nocivas ao Paiacutes e que beneficiam somente a eles mesmos tais como a praacutetica de juros altos as privatizaccedilotildees de setores estashytais estrateacutegicos entre muitas outras

Financeirizaccedilatildeo baseada em papeacuteis caracteshyrizada pela proliferaccedilatildeo de Fundos Soberano do Preacute-Sal de Previdecircncia etc que absorvem todo o risco do mercado financeiro desregu- lado Tais fundos podem se transformar em veiacuteculos para a transmissatildeo para o Brasil dos papeacuteis podres que provocaram a atua crise financeira internacional

FUNDO DE PENSAtildeO

57a d I v i o a - uacute raquobull i r a f m d f r a t e | Caderno de estudos

58Caderno de estudos

Liberdade total para os fluxos de capitais pershymitindo que bancos nacionais utilizem setores sediados no exterior para usufruir da isenccedilatildeo tributaacuteria sobre os rendimentos proporcionashydos pelos mais elevados juros do mundo pagos pelo Brasil Adicionalmente essa liberdade de movimentaccedilatildeo deixa vulneraacuteveis as poliacuteticas monetaacuteria e cambia praticadas no Pais

Ausecircncia de Transparecircncia nas negociaccedilotildees que geraram endividamento puacuteblico na divulgaccedilatildeo dos valores dos juros nominais efetivamente pagos sigilo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida puacuteblica aleacutem da utilizaccedilatildeo de artifiacutecios e decishysotildees baseadas em documentos secretos natildeo acessiacuteveis agrave populaccedilatildeo

Prioridade para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrada em poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria que representam elevados ganhos ao setor financeiro

Privileacutegios tributaacuterios para o setor financeiro e grandes corporaccedilotildees e pesada carga tributaacuteria para a classe trabalhadora

Esse modelo vem submetendo sucessivos governantes - ainda que de partidos diferentes- ao mesmo poder econoacutemico que financia as suas campanhas eleitorais e dessa forma exerce grande influecircncia nas decisotildees poliacuteticas do Paiacutes

Adicionalmente os donos do poder financeiro exercem o controle da grande miacutedia como antes mencionado e natildeo raro financiam instituiccedilotildees de ensino para desenvolver robustas teses em defesa do funcionamento desse injusto modelo que os beneficia

OS PRIVILEacuteGIOS LEGAIS DA DIacuteVIDA

V imos que a diacutevida puacuteblica brasileira tem consumido anualmente quase a

metade dos recursos da Uniatildeo provenienshytes tanto de arrecadaccedilatildeo tributaacuteria como da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

Para conseguir essa faccedilanha a diacutevida conshyta com um enorme arcabouccedilo de ordem legal- uma superestrutura juriacutedica - que garante a prioridade de recursos para os pagamentos finanshyceiros da diacutevida puacuteblica enquanto que remanesce desassistida uma significativa porccedilatildeo dos direitos sociais e humanos do povo brasileiro

Constituiccedilatildeo FederalEacute na Constituiccedilatildeo Federal que tem iniacutecio o

arcabouccedilo juriacutedico que garante os privileacutegios da diacutevida Vejamos o que determina o art 166

Art 166 Os projetos de lei relativos ao plano pluria- nual agraves diretrizes orccedilamentarias ao orccedilamento anual

e aos creacuteditos adicionais seroo apreciados pelas duas

Casas do Congresso Nacional na forma do regimento

comum

U

sectS As emendas ao projeto de lei do orccedilamento

anual ou aos projetos que o modifiquem somente

podem ser aprovadas caso

()II - indiquem os recursos necessaacuterios admitidos

apenos os provenientes de anulaccedilatildeo de despesa

excluiacutedas as que incidam sobre

()b) serviccedilo da divida

Segundo diretriz consagrada no direito finanshyceiro toda despesa puacuteblica deve trazer consigo no orccedilamento em que estiver prevista a fonte e o montante dos recursos a elas destinados

0 dispositivo constitucional antes transcrito- letra b do art 166sect3Ecirc II - abriu exceccedilatildeo a essa regra quando se tratar de necessidade de recursos puacuteblicos destinados ao pagamento da diacutevida puacuteblica que NAtildeO necessitam ter sua fonshyte prevista no orccedilamento

0 efeito claro desse dispositivo eacute a liberaccedilatildeo indiscriminada de valores para o pagamento de serviccedilos da diacutevida inclusive com impacto negashytivo sobre os gastos sociais Quando os recursos- mesmo apoacutes os contingenciamentos de gastos sociais - nagraveo satildeo suficientes para pagar o serviccedilo da diacutevida novos tiacutetulos da diacutevida satildeo emitidos provocando-se elevaccedilatildeo contiacutenua de seu estoshyque apesar dos vultosos pagamentos

Aleacutem do mais este dispositivo constitucional impede que o Legislativo - por meio de emenshydas - altere o valor destinado ao pagamento do serviccedilo da diacutevida Em bom portuguecircs o Congresso Nacional fica vaacuterios meses discutindo tudo sobre o Orccedilamento menos o essencial ou seja o serviccedilo da diacutevida que consome a maior parcela dos recursos puacuteblicos

CONSTITUICcedilAtildeO FRAUDADA

A inserccedilatildeo desse dispositivo no texto constitushycional eacute bastante questionada

Importante estudo realizado no ano de 2006 por Adriano Benayon e Pedro Antonio Dourado de Rezende demonstrou uma grave irregularidade praticada durante o periacuteodo da Constituinte

O estudo Anatomia de uma Fraude agrave Constituiccedilatildeo eacute acompanhado de uma seacuterie de documentos fotos e publicaccedilotildees

Segundo os autores o projeto do atual art 166 da Constituiccedilatildeo natildeo incluiacutea nenhuma exceccedilatildeo ao dispositivo segundo o qual as emendas ao projeshyto de lei do orccedilamento anual ou aos projetos que o modifiquem somente podem ser aprovadas caso indiquem os recursos necessaacuterios E assim foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) No momento da sistematizaccedilatildeo do texto constitucional o artigo passou agrave votaccedilatildeo em segundo turno sem nenhushyma alteraccedilatildeo acompanhado das emendas correshylatas As emendas poderiam versar apenas sobre erros ou contradiccedilotildees Contudo no momento da votaccedilatildeo surgiram emendas que diziam respeito agrave alteraccedilatildeo de meacuterito

Ao cumprir a Ordem do Dia o presidente da ANC anunciou a fusatildeo das propostas de Emenda do artigo () com outras relativas a outros

artigos pondo em votaccedilatildeo um uacutenico texto para os tregraves artigos que supostamente as reunia para votaccedilatildeo simultacircnea Nesse iacutenterim foram irreshygularmente adicionados dispositivos agrave redaccedilacirco que havia sido aprovada em primeiro turno e que alteravam substancialmente o dispositivo originai Os dispositivos adicionados () surgishyram somente no Requerimento apresentado no dia de votaccedilatildeo Dessa forma as exceccedilotildees hoje verificadas no texto constitucional foram subshymetidas agrave votaccedilatildeo somente no 2o turno como se fosse meramente uma compilaccedilatildeo do que jatilde havia sido votado Induzidos os constituintes aprovaram o artigo por ampia maioria (408 favoshyraacuteveis 5 contraacuterios e 12 abstenccedilotildees)

Posteriormente a irregularidade foi assumishyda publicamente pelo entatildeo deputado Nelson Jobim

Apesar de denuacutencias e protestos ateacute o momento esse dispositivo que carrega forte evidecircncia de viacutecio de origem permanece intacto e produzindo onerosos efeitos Esse dispositivo constitucional suspeito de fraude garante prioshyridade absoluta agrave diacutevida puacuteblica

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL-LRF

Outro privileacutegio da diacutevida eacute evidenciado na Lei de Responsabilidade Fiscal - Lei

Complementar na 1012000 - LRFEsta lei saudada pela grande miacutedia e por setores

dominantes como se fosse a lei que viria potilder fim agrave corrupccedilatildeo puacuteblica na realidade natildeo trata de desvio de recursos maacute versaccedilatildeo ou mesmo corrupccedilatildeo

A referida lei trata de controle do gasto puacuteblico a fim de garantir o pagamento da diacutevida puacuteblica

A LRF resultou de uma imposiccedilatildeo do Fundo Monetaacuterio Internacional ao governo brasileiro seguindo a esteira do organismo no sentido da defesa incondicionada da austeridade fiscal

Na praacutetica essa austeridade significa o rigoroso controle dos gastos puacuteblicos gerando uma ecoshynomia forccedilada uma sobra de recursos que se denomina superavit primaacuterio destinado a garantir a confianccedila dos credores internacionais de que o Brasil teraacute recursos para honrar o pagamento dos vultosos juros da divida

59a d iacute v i c a f j e l c a FM o E 0 a i t I Caderno de estudos

Para cumprir a meta de superaacutevit primaacuterio os sucessivos governos tecircm iniciado cada ano com a ediccedilatildeo de um decreto para o contingenciamento de verbas que o orccedilamento votado no Congresso Nacional havia destinado agraves diversas aacutereas sociais

O atual governo da Presidenta Diiacutema editou em 2011 o Decreto 74452011 contingenciando o montante recorde de R$ 50 bilhotildees

Em 2012 novo recorde foi batido e o Decreto 76802012 contingenciou o montante de R$ 55 bilhotildees o que comprova a rigorosa contenccedilatildeo do orccedilamento destinado agraves aacutereas sociais

De acordo com o art 73 da LRF caso o admishynistrador puacuteblico deixe de pagar os serviccedilos da diacutevida - ainda que para evitar a falecircncia dos sershyviccedilos baacutesicos do Estado ou mesmo caso a diacutevida cresccedila de maneira inesperada por conta de uma elevaccedilatildeo dos juros - poderaacute responder por crime de responsabilidade

O Art16 da LRF tambeacutem impede que Legislativo aprove qualquer projeto de lei que implique em aumento de gastos sociais Por outro lado a refeshyrida lei natildeo estabelece limite algum para os gastos com a diacutevida puacuteblica Tambeacutem natildeo estabelece limite para o custo da poliacutetica monetaacuteria desemshypenhada pelo Banco Central - que gerou prejuiacutezos brutais de R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 201 Oe R$ 445 bilhotildees no I2 semestre de 2011

- e ainda por cima determina que esse prejuiacutezo seja absorvido pelo Tesouro Nacional

A mesma lei tambeacutem faz seacuterias restriccedilotildees a Estados e Municiacutepios impondo-lhes que sigam os objetivos da poliacutetica econoacutemica nacional os quais como temos demonstrado natildeo satildeo outros que natildeo garantir de modo absoluto o credor financeiro e congelar os dispecircndios sociais Trata-se de clara afronta ao principio federativo e mais uma das divershysas irregularidades legitimadas pelo ordenamento juriacutedico brasileiro que precisam ser revistas

LEI DE DIRETRIZES ORCcedilAMENTAacuteRIAS

T ambeacutem a LDO (Lei de DiretrizesOrccedilamentarias) que anualmente estabelece as linhas gerais

do orccedilamento do exerciacutecio posterior corrobora a primazia da diacutevida puacuteblica no ordenamento juriacutedico brasileiro A tiacutetulo de exemplo veja-se o que estabelece o art 2pound da diretriz orccedilamentaacuteria de 2012

Art 2o- A elaboraccedilatildeo e a aprovaccedilatildeo do Projeto de

Lei Orccedilamentaacuteria de 2012 bem como a execuccedilatildeo

da respectiva Lei deveratildeo ser compatiacuteveis com

a obtenccedilatildeo da meta de superaacutevit primaacuterio ()

9 MIRANDA Seacutergio A farsa do Lei de Responsabilidade Fiscal

Brasiacutelia- Cacircmara dos Deputados 2000

60

Caderno de estudos | D i v [gt A p tt 3 1 i o a F m l _ R a ~ t

Dessa forma a elaboraccedilatildeo do orccedilamento da Uniatildeo passa a ter como princiacutepio fundamental a obtenccedilatildeo de superaacutevit primaacuterio A partir do estashybelecimento desta reserva de recursos para a divishyda os recursos primaacuterios satildeo distribuiacutedos agraves demais rubricas Eacute importante ressaltar que essa poliacutetica que reserva centenas de bilhotildees de reais de receitas natildeo-primaacuterias para o pagamento de juros e amortishyzaccedilotildees da diacutevida - e aleacutem disso reserva parte subsshytancial das receitas primaacuterias tambeacutem para esse fim- tem travado completamente o desenvolvimento do paiacutes (ver item Superaacutevit Primaacuterio no capiacutetulo 3) A diacutevida absorve cerca de metade de todas as receitas - primaacuterias e natildeo-primaacuterias - impedindo a realizaccedilatildeo de investimentos reajustes salariais para servidores e atendimento agraves necessidades sociais

A LDO tambeacutem estabelece que a atualizaccedilatildeo da diacutevida puacuteblica federa natildeo deveraacute superar o IGP-M - iacutendice divulgado por instituiccedilatildeo privada a Fundaccedilatildeo Getulio Vargas

A LDO tem estabelecido que a parte do refishynanciamento da diacutevida puacuteblica deve constar separadamente do orccedilamento o que tem provoshycado grande distorccedilatildeo na divulgaccedilatildeo dos nuacutemeshyros oficiais da diacutevida como antes mencionado (ver item Os nuacutemeros da diacutevida no capiacutetulo 4)

O DOGMA DE COMPRARA CONFIANCcedilA DO DEUS MERCADO

O arcabouccedilo juriacutedico que privilegia os gasshytos financeiros em detrimento dos direitos

sociais eacute resultado de um processo da histoacuteria brasileira que consolidou no senso comum a ideia de que eacute mais importante para o Paiacutes manter sua imagem de bom pagador perante credores e especuladores que fornecer ao seu povo um serviccedilo puacuteblico de qualidade ainda que isso sigshynifique insistir no pagamento de diacutevidas ilegais ilegiacutetimas e insustentaacuteveis

Tambeacutem eacute de se notar com clareza a influecircncia externa sofrida para que fossem aprovadas medishydas como essa Apoacutes esgotar os recursos do paiacutes e travar o nosso desenvolvimento com as poliacuteticas impostas na deacutecada de 1980 o FMI continuou a impor com matildeo de ferro a agenda neoliberal no Brasil E isso se fez com especial vigor pela implanshytaccedilatildeo do Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo resultado de negociaccedilatildeo com o oacutergatildeo financeiro

Poressa metodologia posta em praacutetica a partir do Decreto n 308899 todas as vezes em que se projetar um aumento da inflaccedilatildeo em niacutevel superior ao programado ou houver excesso de moeda em circulaccedilatildeo ativam-se dois instrumentos (a) aumenshyto da taxa baacutesica de juros (Selic) (b) enxugamento de moeda em operaccedilotildees de mercado aberto

Qualquer que seja o instrumento utilizado o efeito resulta em aumento da diacutevida puacuteblica pois

a) A elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic provoca a elevaccedilatildeo dos compromissos financeiros relashycionados ao pagamento de juros da diacutevida Se os recursos existentes natildeo satildeo suficientes nova diacutevida eacute emitida

b) O enxugamento de moeda pelo Banco Centrai se daacute por meio da entrega de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica em troca do excesso de moeda

Dessa forma o Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo em praacutetica no Paiacutes natildeo tem servido para controlaro tipo de inflaccedilatildeo que temos (decorrente do reashyjuste excessivo de tarifas puacuteblicas e do preccedilo de alimentos) e na praacutetica tem sido um mecanismo de geraccedilatildeo de diacutevida puacuteblica

OUTROS PRIVILEacuteGIOS QUE GARANTEM A DESTINACcedilAtildeO DE RECURSOS PARA O PAGAMENTO DA DIacuteVIDA

A leacutem dos questionaacuteveis privileacutegios legais visshytos existem outros privileacutegios adicionais que

garantem a destinaccedilatildeo de recursos para o serviccedilo da diacutevida

Lucro do Banco Central Quando o Banco Central apura lucro operacional esse lucro eacute destinado exclusivamente ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Medida Provisoacuteria na 2179-362001 Art 2a sect1He Lei 118032008 Art 32

Os valores pagos na forma do inciso I do art 2nda Medida Provisoacuteria n 2179-36 de 24 de agosto de 2001 [lucro do BC] seracirco destinados exclusivamente ao pagamento da Diacutevida Puacuteblica Mobiliaacuteria Federal devendo ser paga prioritariamente aquela existente junto ao Banco Central do Brasil

61A D v i n a p u b l i c a em B F B A l E I Caderno de estudos

Por outro lado se o Banco Central apura prejushyiacutezo operacional a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que o Tesouro cubra este prejuiacutezo como antes mencionado

Lucro das estatais distribuiacutedos ao govershyno Enquanto a parcela das accedilotildees das estatais que se encontra em matildeos privadas garante a esses proprietaacuterios os respectivos dividendos os lucros referentes agrave parceia das estatais que ainda remanesce sob propriedade puacuteblica eacute destinada por iei para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Lei ns 95301997 - Art 1E Seratildeo destina dos agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

I - a receita do Tesouro Nacional decorshyrente do pagamento de participaccedilotildees e dividendos pelas entidades integrantes da Administraccedilatildeo Puacuteblica Federal indireta inclusive os relativos a lucros acumulados em exerciacutecios anteriores

Eacute por isso que a Petrobras por exemplo emboshyra seja uma das empresas mais lucrativas do mundo acaba contraindo diacutevidas para realizar investimentos Eacute por isso tambeacutem que embora sejamos autossuficientes na produccedilatildeo de petroacuteshyleo a gasolina brasileira eacute tatildeo cara para gerar lucros que iratildeo pagar a diacutevida

Pagamento da diacutevida dos Estados e Municiacutepios com a Uniatildeo A Uniatildeo natildeo usushyfrui dos recursos sacrificados por Estados e Municiacutepios para o pagamento de suas diacutevidas pois por lei o que a Uniatildeo recebe dos Estados e Municiacutepios destina-se exclusivamente ao pagamento da divida federal que em sua maior parte estaacute nas matildeos dos bancos nacionais e estrangeiros

Emissatildeo de novos tiacutetulos Esse constitui um dos principais privileacutegios da diacutevida jaacute que a lei autoriza a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevida Cabe ressaltar que a Constituiccedilatildeo Federal art 167 autoriza a emissatildeo de diacutevida somente para pagar amortizaccedilotildees (despesa de capital) vedando poreacutem a emissatildeo de diacutevida para pagar juros (despesa corrente)Entretanto a contabilizaccedilatildeo irregular de parte dos juros nominais (atualizaccedilatildeo monetaacuteria) como se fosse rolagem vem burlando essa vedaccedilatildeo constitucional

Constituiccedilatildeo Federal art 167Art 167 Satildeo vedados()

III - a realizaccedilatildeo de operaccedilotildees de creacuteditos que excedam o montante das despesas de capital

A Lei 101792001 tambeacutem permite a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevidas anteriores mas natildeo permite a emissatildeo de diacutevida para garantir direitos sociais aos brasileiros

Recursos obtidos com PrivatizaccedilotildeesPor lei os recursos advindos das privatizaccedilotildees do patrimoacutenio puacuteblico se destinaram ao pagashymento da diacutevida puacuteblica

Remuneraccedilatildeo da Conta Uacutenica do Tesouro pelo Banco CentralOs recursos auferidos com tal remuneraccedilatildeo se destinam ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Recursos autorizados pelas Medidas Provisoacuterias ndeg 435 e 450 convertidas nas Leis n2 118032008 e 119432009

62Caderno de estudos | a D I v i DA P Uacute B L I C A fcM D pound u iacute F

Tais medidas permitiram que todos os recursos rtatildeo gastos durante o ano de qualquer rubrica t de receita vinculada por lei a alguma aacuterea social fossem destinados a partir de 2008 ao pagagraveymdash mento da diacutevida puacuteblica T -

Em um uacutenico ano - 2008 - a MP 435 viabilizou a transferecircncia de cerca de R$ 40 bilhotildees de recurshysos antes vinculados a outras aacutereas estrateacutegicas (FUNDAF Royalties do Petroacuteleo entre outras) para o pagamento da diacutevida

Lei nE 119432009 (conversatildeo da MP 435) Art 13 O excesso de arrecadaccedilatildeo e o superaacutevit financeiro das fontes de recursos existentes no Tesouro Nacional poderatildeo ser destinados agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

Epor causa dessa impressionante estrutura legal que a diacutevida puacuteblica consegue absorver a cada ano quase a metade dos recursos da Uniatildeo apesar das evidecircncias de que essa diacutevida tem sido um instrumento meramente financeiro de mercado sem qualquer contrapartida

real para a populaccedilatildeoPor outro lado a populaccedilatildeo que paga a conta - por meto de elevada carga tributaacuteria e peta

ausecircncia dos serviccedilos sociais que tem direito - continua desprovida de bens e serviccedilos elementares a despeito da grande riqueza do nosso Paiacutes que vergonhosamente ostenta o tiacutetulo de um dos paiacuteses mais injustos e desiguais do mundo

Nacirco deveria ser assim Essa situaccedilatildeo precisa ser enfrentada e modificada

ldquoA luta pela verdade deve ter precedecircncia sobre todas as outras

A L B E R T E I N S T E I N

63a D I v i d a p ij B I i c A EM D E B A T E | Caderno de estudos

Page 5: A dívida pública em debate. (livro)

por meio das PPP - parcerias puacuteblico-privadas - e do Prollni programa que concede incentivos fisshycais a instituiccedilotildees privadas de ensino universitaacuterio em lugar de realizar investimentos para expansatildeo da educaccedilatildeo superior puacuteblica

A atual presidenta Dilma Rousseff tambeacutem realizou inaceitaacuteveis privatizaccedilotildees (previdecircncia dos servidores puacuteblicos aeroportos hospitais universitaacuterios)

A justificativa legal apresentada para a realizashyccedilatildeo dessas privatizaccedilotildees desde o governo Cotlor no inicio da deacutecada de 1990 foi a necessidade de pagamento da divida puacuteblica

Desde o iniacutecio foram feitas diversas denuacutenshycias de irregularidades sobre este processo Entidades de todo o Paiacutes se mobilizaram contra a entrega do patrimoacutenio puacuteblico Accedilotildees judiciais ajuizadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico aguardam ateacute os dias atuais uma decisatildeo final

Ateacute mesmo a Petrobras e o Banco do Brasil tiveram grande parte de suas accedilotildees vendidas a investidores privados - brasileiros e estrangeiros

Eacute importante ressaltar que grande parte das privatizashyccedilotildees foram financiadas pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econoacutemico e Social) e que tiacutetulos da diacutevida puacuteblica foram aceitos como moeda de privatizaccedilatildeo Tais tiacutetulos tBrady) vinham sendo negociados no mercado secundaacuterio por cerca de apenas 20 de seu valor de face e ao serem aceitos pelo valor integral para o pagamento das privatizaccedilotildees represenshytaram uma verdadeira liquidaccedilatildeo do patrimoacutenio puacuteblico brasileiro um grande negoacutecio para os compradores das empresas estatais Na praacutetica isso significa que o - jaacute baixo - valor pelo qual as empresas estatais foram leiloadas reduziu- -se ainda mais devido agrave aceitaccedilatildeo dos tiacutetulos da diacutevida brasileira como pagamento

Os efeitos das privatizaccedilotildees estenderam-se para muito aleacutem disso Com a venda de empreshysas puacuteblicas a multinacionais foi incrementada a importaccedilatildeo de insumos equipamentos e tecno- logias algo facilitado pelas medidas de abertura

comercial desencadeadas de Collor em diante por todos os governantes Aumentaram tambeacutem as remessas de lucros ao exterior incrementando- se as perdas de patrimoacutenio nacional Por fim a

diacutevida puacuteblica interna e externa que se falava em reduzir aumentou aceleradamente

Por lei os recursos apurados em privatizaccedilotildees destinam-se ao pagamento da diacutevida puacuteblica Apesar das privatizaccedilotildees essa diacutevida nunca diminuiu ao conshytraacuterio tem crescido continua mente desde o inicio do governa FHC passando por Lula e Dilma Tambeacutem aumentou o Passivo Externo devido ao crescimento das remessas de lucros e compras de insumos no exterior

EQUIVOCADO REGIME DE METAS DE INFLACcedilAtildeO

E evidente que todos os brasileiros satildeo favoshyraacuteveis ao controle da inflaccedilatildeo Ocorre que o

Regime de Metas adotado no Brasil sob detershyminaccedilatildeo do FMI desde 1998 natildeo tem controlado o tipo de inflaccedilatildeo verificado no Paiacutes e ainda sigshynifica um mecanismo de transferecircncia de renda da sociedade para o setor financeiro Isso ocorre I porque tal regime eacute calcado na elevaccedilatildeo da taxa

de juros Selic e no controle do volume de moeda em circulaccedilatildeo

No Brasil ao contraacuterio do que alegam governo e rentistas a inflaccedilatildeo atual natildeo eacute causada por suposto excesso de demanda mas tem sido provocada por contiacutenuos e elevados reajustes dos preccedilos de alimentos e preccedilos administrados principalmente de energia telefonia e combustiacutevel

Esses itens afetam todos os preccedilos de bens e serviccedilos venshy

didos no Paiacutes pois fazem parte da composiccedilatildeo de seus custos Adicionalmente o preccedilo dos alimentos e demais preccedilos administrados natildeo se reduzem quando o governo promove uma elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic

Para CQjTTIacutejatpoundr^sseripo de inflaccedilatildeo - deno- minad^inflaccedilatildeo de preccedilos^ o remeacutedio adeshyquado eacute o efetivo controle de tais preccedilos o que poderia ser feito pelo governo sem grandes dificuldades jaacute que estamos falando justamente de preccedilos que em tese devem ser administrados pelo poder puacuteblico Devido agrave privatizaccedilatildeo de tais serviccedilos a exigecircncia de altos lucros tem provoshycado a elevaccedilatildeo contiacutenua desses preccedilos Aleacutem de afetardiretamente a vida dos brasileiros que consomem tais serviccedilos a elevaccedilatildeo desses preshyccedilos tem pesado no cocircmputo da inflaccedilatildeo e natildeo sofre reduccedilatildeo alguma quando os juros sobem

21| Caderno do estudos

Da forma como regulamentado o Regime de Metas de Inflaccedilatildeo toda vez que a inflaccedilatildeo ameshyaccedila ultrapassar a meta estabelecida (atualmente em 45 ao ano) seu controle tem sido feito por meio da elevaccedilatildeo da taxa Selic desconsiderandoshy-se as verdadeiras causas do aumento de preccedilos no Brasil

Ao mesmo tempo em que os salaacuterios do setor puacuteblico e privado ficaram literalmente congeshylados a partir do Piano Real em 1995 a diacutevida puacuteblica federal passou a ter atualizaccedilatildeo moneshytaacuteria automaacutetica calculada com base em iacutendice publicado por instituiccedilatildeo privada - IGP-M da Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas - que indica a expecshytativa de inflaccedilatildeo

Aiacute estaacute um dos grandes equiacutevocos e distorshyccedilotildees do modelo econoacutemico em vigor no Paiacutes que privilegia o setor financeiro

0 resultado foi o crescimento explosivo dos gastos com a diacutevida puacuteblica federal em detrimenshyto dos gastos com serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo como mostra o graacutefico abaixo

A outra ferramenta utilizada pelo Banco Central para controlara inflaccedilatildeo tem provocado o crescimento acelerado da diacutevida e acumulado

reservas internacionais a um custo altiacutessimo para o Paiacutes Ateacute a presidenta Dilma reclamou do excesso de moeda que tem ingressado no Brasil manifestando-se publicamente contra o que chashymou de tsunami

0 mecanismo que impediria esse tsunami seria a implantaccedilatildeo de controle de capitais o que jaacute vem sendo praticado por diversos paiacuteses em todoo mundo

Ao contraacuterio de estabelecer esse controle sobre o ingresso de capitais o Banco Central tem enxugado esse excesso de moeda por meio das chamadas Operaccedilotildees de Mercado Aberto mediante as quais fica com o excesso de doacutelares e entrega tiacutetulos da diacutevida puacuteblica brasileira aos bancos

A justificativa para tais operaccedilotildees eacute o risco de que tal excesso possa provocar inflaccedilatildeo

Desde que o doacutelar comeccedilou a se desvalorizar em todo o mundo o volume dessas operaccedilotildees de mercado aberto passou a aumentar acelerashydamente pois os especuladores viram o gatilho acionado pelo Regime de Metas de Inflaccedilatildeo como uma tremenda oportunidade para trazer seus doacutelares para o Brasil e trocaacute-los por tiacutetulos

Orccedilamento Geral da Uniatildeo - Gastos Selecionados (R$ bilhotildees)

800 gt

se

C

Fonte Secretaria do Tesouro Nacional (STN)SIAF1 (Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal) Inclui a poundgC rolagem ou ldquorefinanciamento da diacutevida

22Caderno de estudos I A Q I v I C A F Uacute B L C A e m O F B A T E

Juros e

da diacutevida puacuteblica brasileira que pagam os maioshyres juros do mundo isentos de qualquer tributo podendo fugir do Paiacutes quando bem entenderem engordados pela variaccedilatildeo cambial

Por sua vez o Banco Central fica com os doacutelashyres e os destina agraves Reservas Internacionais que jaacute se aproximam de US$ 400 bilhotildees e natildeo rendem quase nada ao Paiacutes pois estatildeo aplicadas em granshyde parte em tiacutetulos da diacutevida norte americana que pagam juros proacuteximos de zero e ainda temos que arcar com os custos de senhoriagem

Por isso o Banco Central (BC) tem apresentashydo nos uacuteltimos anos prejuiacutezos bilionaacuterios R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 e no 1s semestre de 2011 R$ 445 bilhotildees tudo isso transshyferido para o Tesouro Nacional e arcado por todos os brasileiros Contudo quando o BC apresenta lucro operacional este eacute destinado exclusivamenshyte por lei para o pagamento da diacutevida

Dessa forma a prioridade do atual modelo econoacutemico para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrado nas poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria tem provocado grandes danos financeiros

MODELO TRIBUTAacuteRIO INJUSTO

A maneira mais oacutebvia de promover justiccedila fiscal e distribuir renda seria por meio da

cobranccedila de tributos de forma justa ou seja os mais ricos contribuiriam mais para que os recurshysos arrecadados pelo Estado pudessem ser aplicashydos em poliacuteticas puacuteblicas que beneficiassem toda a populaccedilatildeo especialmente aos mais pobres

Natildeo eacute isso que ocorre no Brasil O sistema trishybutaacuterio brasileiro eacute extremamente regressivo pois a maior parte dos tributos satildeo indiretos embutidos nos preccedilos de todos os produtos e serviccedilos que satildeo consumidos igualmente por pobres e ricos

bull Contraditoriamente os mais beneficiados comI aliacutequotas reduzidas isenccedilotildees incentivos fiscais j e deduccedilotildees satildeo justamente aqueles que mais ^poderiam contribuir para as financcedilas puacuteblicas

O exemplo mais contundente desse benefiacutecio eacute o fato de que ateacute hoje ainda natildeo foi regulamenshytado o Imposto sobre Grandes Fortunas previsto na Constituiccedilatildeo Federal de 1988

Adicionalmente desde o governo FHC a poliacuteshytica fiscal regressiva tem se voltado ao privileacutegio do sistema financeiro e grandes corporaccedilotildees

Dentre os benefiacutecios tributaacuterios concedishydos ao capital financeiro durante os anos FHC destacam-se

reduccedilatildeo da aliacutequota do Imposto de Renda das instituiccedilotildees financeiras - 1RPJ - de 25 para15

reduccedilatildeo do adicional do IRPJ de 12 e 18 para10

reduccedilatildeo da Contribuiccedilatildeo Social sobre o Lucro Liquido - CSLL de 30 para 8 posteriormente elevada para 9

reduccedilatildeo da base de caacutelculo do IRPJ e da CSLL ao permitir a deduccedilatildeo dos juros sobre capital proacuteprio

isenccedilatildeo do imposto de renda sobre remessa de lucros e dividendos ao exterior

Lula manteve todos esses privileacutegios e ainda concedeu outros sobressaindo-se a isenccedilatildeo de Imposto de Renda para estrangeiros que lucram com os tiacutetulos da diacutevida interna brasileira por meio da Lei 113122006

Ao mesmo tempo em que foram aprovadas leis que garantiram essas benesses ao grande capital outras normas aumentaram os tributos sobre o consumo impactando sobremaneira as classes mais baixas que empregam a totalidade de seus rendimentos no consumo de bens essenciais agrave sua sobrevivecircncia

23A n I V D A P Uacute B L I C A EM C E B A l L I Caderno de estudos

AS BENESSES TRIBUTARIAS DOS ESPECULADORES

Lei 113122006

Art 1 Fica reduzida a zero a aliacutequota do imposto de renda incidente sobre os rendimentos () proshyduzidos por tiacutetulos puacuteblicos adquiridos a partir de 16 de fevereiro de 2006 quando pagos creshyditados entregues ou remetidos a beneficiaacuterio residente ou domiciliado no exterior

Aleacutem disso desde o Plano Reai a classe trabashylhadora vem sendo pesadamente onerada face ao congelamento da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Fiacutesica

Essa medida faz com que o trabalhador passe a pagar mais Imposto de Renda quando obteacutem meros reajustes inflacionaacuterios que natildeo modificam seu padratildeo de vida ou sua capacidade contributiva Apesar dos reajustes ocorridos a atualizaccedilatildeo da tabela do IRPF ainda acumula mais de 50 de defa- sagem o que caracteriza um verdadeiro confisco

Essas injusticcedilas do modelo tributaacuterio aproshyfundam o fosso social De acordo com pesshyquisa recente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econoacutemica Aplicada) pessoas cuja renda mensai

familiar alcanccedilava ateacute dois salaacuterios miacutenimos comprometiam 539 dos seus ganhos com o pagamento de tributos enquanto que outras com renda superior a 30 salaacuterios miacutenimos comprometiam apenas 29 3 A mesma pesshyquisa mostra que cerca de 50 da nossa carga tributaacuteria eacute indireta incidindo sobre o consushymo e atingindo indiscriminadamente a toda a populaccedilatildeo independentemente da renda e da riqueza Dessa maneira o pobre que faz suas compras no supermercado paga o mesmo imposto do milionaacuterio A renda por sua vez influencia em apenas 19 a carga tributaacuteria do Paiacutes Nos Estados Unidos ela responde por 49 dos gastos dos cidadatildeos com tributos

A carga tributaacuteria brasileira em meacutedia natildeo eacute considerada alta se comparada agrave de outros paiacuteshyses Contudo quando se observa a ausecircncia ou extrema insuficiecircncia do devido retorno em bens e serviccedilos puacuteblicos constata-se o caraacuteter extrema mente injusto da tributaccedilatildeo brasileira Ademais os tributos arrecadados destinam-se principalmente para o pagamento de juros da diacutevida puacuteblica o que caracteriza seu desvio de finalidade

2 Fonte lthttpamaivDsuolcombramaivos09noticiagt

ldquoLEI KANDIR

A discussatildeo sobre a tributaccedilatildeo no Brasil natildeo pode passar ao largo de um dos instrumentos mais controversos de estiacutemulo agrave exportaccedilatildeo - a chamada LeiKandir

Esta lei (Lei Complementar 871996) entrou em vigor em 1996 Por seus dispositivos isenta do pagamento de tributo estadua - ICMS (Imposto sobre Circulaccedilatildeo de Mercadorias e Serviccedilos) - a comercializaccedilatildeo de produtos destinados agrave exportaccedilatildeo com o claro objetivo de atingir um superaacutevit na balanccedila comerciai e gerar divisas para o pagamento da diacutevida externa

Essa isenccedilatildeo de ICMS representou uma grande perda de receitas para Estados e Municiacutepios que repartem o produto da arrecadaccedilatildeo do imposto Ao mesmo tempo a medida favoreceu enormemente aos grandes exportadores

Para compensar a perda dos Estados e Municiacutepios a Uniatildeo se obrigou por meio da referida lei a compensar as unidades federativas na proporccedilatildeo de 75 para os Estados e 25 para os Municiacutepios A forma de compensaccedilatildeo contudo foi a emissatildeo de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica Por muito tempo a Uniatildeo restituiu apenas parcialmente o valor devido Atualmente o governo sequer reconhece o dever de indenizaccedilatildeo aos Estados omitindo-se ateacute mesmo de prever os recursos indenizatoacuterios na Lei Orccedilamentaacuteria agravando o problema de arrecadaccedilatildeo nos Estados A medida tem contribuiacutedo para agravar a crise das financcedilas estaduais estimulada por outro lado pelas imensas diacutevidas que estes contraem perante a Uniatildeo

2 4Caderno de estudos [ A Cl v 1 rgt A p uacute b l i c a e m C E U a t e

POLIacuteTICA DE SUPERAVIT PRIMAacuteRIO E DIacuteVIDA PUacuteBLICA

Embora ainda pouco discutido o principal problema econoacutemico do Brasil eacute a chamada

diacutevida puacuteblica tratada com mais detalhes nos capiacutetulos seguintes

JEcircSUPERAacuteVIT PRIMAacuteRIO

O superaacutevit primaacuterio eacute a economiardquo forccedilada de gastos puacuteblicos para o cumprimento de meta imposta pelo FMI ao Brasil desde 1998 Esse valor eacute calculado como um percentual do PIB mas recai unicamente sobre a parte do orccedilamento referente aos gastos primaacuterios isto eacute sobre os gastos e investimentos sociais

Os gastos com juros da diacutevida - classificados como natildeo-primaacuterios - natildeo entram nesse cocircmpushyto Da mesma forma as receitas natildeo-primaacuterias especialmente a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida tambeacutem natildeo entram no caacutelculo da meta de superaacutevit primaacuterio

A consequecircncia dessa foacutermula draconiana eacute o arrocho fiscal sobre os gastos sociais para que cada vez mais recursos puacuteblicos sejam destinados ao pagamento de juros da diacutevida Trata-se de escandaloso privileacutegio aos rentistas proprietaacuterios dos tiacutetulos da diacutevida brasileira - em sua imensa maioria instituiccedilotildees do sistema finanshyceiro nacional e internacional - pois os gastos

com os juros satildeo liberados da meta de superaacutevitDessa forma centenas de bilhotildees de reais de

recursos obtidos com a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida e demais fontes natildeo-primaacuterias (tais como o recebimento de juros e amortizaccedilotildees das diacutevidas de estados e municiacutepios com a Uniatildeo eventuais lucros do Banco Central entre outros) soacute podem ser destinados ao pagamento dos juros pois se forem destinados a gastos sociais a meta de superaacutevit primaacuterio natildeo seria cumprida

Por meio dessa foacutermula o privileacutegio do pagashymento de juros da diacutevida se sobrepotildee aos direitos sociais e ao atendimento das urgentes necessidashydes do povo brasileiro

0 Congresso Nacional aprovou em 17072012 a Lei de Diretrizes Orccedilamentarias (LDO) para 2013 prevendo a meta de superaacutevit primaacuterio correspondente a R$ 1559 bilhotildees para a Uniatildeo Estados e Municiacutepios Entretanto o seu efeito alcanccedila quase R$ 1 trilhatildeo ou seja cerca da metashyde do Orccedilamento Geral da Uniatildeo na medida em que obriga que receitas natildeo-primaacuterias sejam destinadas diretamente para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Por isso eacute urgente auditar essa diacutevida - como manda a Constituiccedilatildeo Federal - e destrinchar os malabarismos que tecircm sido feitos para desviar cada vez mais recursos puacuteblicos para o setor financeiro privado

Em 2011 foram gastos quase R$ 2 biiacutehotildees por dia com a diacutevida puacuteblica Quem paga essa conta

Todos noacutes brasileiros pagamos a diacutevida puacuteblica de vaacuterias formas Pagamos diretamente por meio dos tributos embutidos em tudo o que consumimos ou recebemos Pagamos tambeacutem por meio dos serviccedilos puacuteblicos que deixamos de receber em razatildeo do corte de

gastos da Sauacutede Educaccedilatildeo Seguranccedila Transporte Saneamento Cultura Assistecircncia Social etc Por isso todos temos o direito de saber afinal que diacutevida eacute essa

25A D V I D A F uacute B L CA F M D E B A T E Caderno de estudos

O PAGAMENTO DE JUROS E AMORTIZACcedilOtildeES DA DIacuteVIDA CONSOME QUASE A METADE DOS RECURSOS DA UNIAtildeO

Elaboraccedilatildeo Auditoria Cidadatilde da Divida Nota 0 valor de R$ 708 bilhotildees inclui o chamado refinanciamento ou roiacuteagem pois a CPI da Divida Puacuteblica comprovou que parte relevante dos juros satildeo contabilizados como tal Para mais informaccedilotildees ver lthttpwwwauditoriacidadaorgbrwp-contentuploads201204Numerosdividapdfgt

26Caderno de estudos | acirc I V i D A P D B L 1 e A IacuteM d e s a t p

Orccedilamento Geral da Uniatildeo de 2011 - Executado - Total R$ 1571 trilhatildeo

Juros e Amortizaccedilatildeo

da Diacutevida

4505mdash imdash

R$ 708 bilhotildees

Transferecircncia para Estados e Municiacutepios

012 Relaccedilotildees Exteriores

012 Organizaccedilatildeo Agraacuteria

010 Induacutestria

008 Com eacutercio e Serviccedilos

008 Urbanism o

006 Direitos de C idadania

004 Cultura

004 Com unicaccedilotildees

003 Energia

002 Desporto e Lazer

002 Saneam ento

000 H abitaccedilatildeo

Gestatildeo Am bien ta 015 Ciecircncia e Tecnologia 032

Essencial agrave Ju s ticcedila 034 Leg is la tivo 036

Seguranccedila Puacuteb lica 041 Agricu ltura 061 Transporte 068

A dm in istraccedilatildeo 110 Jud ic iaacute rio 134

Defesa Nacional 177 Trabalho 229

AssistecircnciaS 285 Educaccedilatildeo 299

Sauacutede 407

C A P Iacute T U L O

A DIacuteVIDA PUacuteBLICA BRASILEIRAT odas as naccedilotildees devem garantir vida digna agrave

sua populaccedilatildeo Por isso elas satildeo autorizadas a contrair diacutevidas dentro de determinados limites e condiccedilotildees legais pois nem sempre os recursos arrecadados por meio dos tributos alcanccedilam os montantes suficientes ao atendimento das necesshysidades sociais

Portanto a diacutevida puacuteblica deveria ser um importante instrumento de financiamento do Estado e um meio viabilizador da implementaccedilatildeo de investimentos e poliacuteticas puacuteblicas

Entretanto as auditorias realizadas nos uacuteltimos plusmnanos tecircm demonstrado que o processo de endi-

vidamento foi usurpado pelo sistema financeiro privado ou seja ao inveacutes de aportar recursos ao Estado a diacutevida puacuteblica tem sido utilizada como um mecanismo meramente financeiro que retira recursos puacuteblicos e os transfere principalmente para o setor financeiro privado Eacute o que chamashymos de Sistema da Divida

Para tratar a questatildeo politicamente e de forma democraacutetica devem ser fornecidos os instrumenshytos que possibilitem o plerro conhecimento da realidade financeira do Paiacutes tornando a populashyccedilatildeo capaz de decidir sobre que tipo de alocaccedilatildeo de recursos eacute mais desejaacutevel aos interesses da naccedilatildeo

0 QUE Eacute DIacuteVIDA PUacuteBLICA

A diacutevida puacuteblica abrange empreacutestimos contraiacuteshydos pelo Estado junto a instituiccedilotildees financeishy

ras puacuteblicas ou privadas no mercado financeiro interno ou externo bem como junto a empresas organismos nacionais e internacionais pessoas ou outros governos

A diacutevida puacuteblica federal pode ser formalizada por meio de contratos celebrados entre as partes ou por meio da oferta de tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Teoricamente a diacutevida puacuteblica eacute classificada como diacutevida interna ou diacutevida externa deacordo com a localizaccedilatildeo dos seus credores e com a moeda envolvida nas operaccedilotildees

Historicamente eacute muito importante estudar a evoluccedilatildeo dessas duas diacutevidas de forma separada como faremos nos capiacutetulos seguintes

RiacutePUacuteSUCA FEDfSATIVA DO SRftSJl (3

LETRA DO TESOURO NACIONAL100 00 00000

0 3AHC0 C lraquo TR t 0 0 laquoA $ U

H IacuteK Iraquoi lsquoiacutewhvi laquo raquo Sr raquo dt )gtraquolaquobull iacutej(L tf x

DEZ M IIH Ograve E S OE CRLJZEIRDS j

Poreacutem atualmente diante da ausecircncia de resshytriccedilotildees ao ingresso e saiacuteda de moedas internacioshynais no Brasil por meio do sistema bancaacuterio - o que convencionalmente se chama de liberdade de movimentaccedilatildeo de capitais - esses conceitos precisam ser revistos pois bancos e instituiccedilotildees estrangeiras satildeo credores da diacutevida internardquo da mesma forma que bancos e instituiccedilotildees brasishyleiros podem ser credores da diacutevida externa Aleacutem disso o Brasil tem emitido tiacutetulos da diacutevida externa em reais Tais exemplos demonstram que atualmente a natureza de ambas as diacutevidas- interna e externa - se confunde

Somando-se a chamada diacutevida interna com a externa temos o total da diacutevida puacuteblica brasileira

Em dezembro2011 a diacutevida puacuteblica brasileira alcanccedilou R$ 3 trilhotildees o que corshyresponde a 78 do PIB pois a Diacutevida interna alcanccedilou R$ 25 trilhotildees e a Diacutevida Externa supeshyrou os US$ 400 bilhotildees conforme cifras incluiacutedas no quadro a seguir

Tiacutetulos Puacuteblicos sagraveo obrigaccedilotildees assumidas pelo Estado Haacute muitos anos os tiacutetulos satildeo emitidos unica mente em forma eletrocircnica e natildeo em papel como Ilustra a figura acima

laquo 0 0 I

27a n f v l D a p j B L i c A e m D - li a T c | Caderno de estudos

DIacuteVIDA INTERNA DIacuteVIDA EXTERNA

28Caderno de estudos

Na teoria

Na praacutetica

Diacutevida interna eacute a diacutevida contraiacuteda em moeda nacional junto a residentes no Paiacutes

Grande parte dos tiacutetulos da divida interna brasileira tegravem sido adquiridos por estrangeiros

DIacuteVIDA INTERNA (DEZ2011)RS 253606558601768

(2 TRiLHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586 MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)Fonte Banco Centrai

Divida externa eacute a divida contraida em moeda estrangeira (doacutelar euro iene libra etc) junto a residentes no exterior

Desde 2005 com a desvalorizaccedilatildeo do doacutelar no mercado internacional o Brasil passou a emitir tiacutetulos da diacutevida externa em reaisDIacuteVIDA EXTERNA (DEZ2011)U5$ 40238510282823

(402 BILHOtildeES 385 MILHOtildeES 102 MIL828 DOacuteLARES E 23 CENTAVOS)Fonte Banco Central

No caso da diacutevida interna investidores intershynacionais usufruem os maiores lucros do mundo com as elevadiacutessimas taxas de juros praticadas no Brasil e NAtildeO PAGAM IMPOSTO DE RENDA

Em 2009 os estrangeiros que investiram em tiacutetulos da diacutevida interna brasileira chegaram a lucrar ateacute 50 em um soacute ano (devido agrave soma das altas taxas de juros com a valorizaccedilatildeo do real frente ao doacutelar) sem ter que pagar tributos por isso No mesmo ano o prejuiacutezo do Banco Central do Brasil foi de R$ 147 bilhotildees devido agrave desvalorishyzaccedilatildeo das reservas cambiais compradas com os doacutelares trocados por tiacutetulos da diacutevida interna nas Operaccedilotildees de Mercado Aberto

Constata-se que o processo de endividamenshyto se transformou em um meio de especulaccedilatildeo financeira Considerando que os pagamentos de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida consomem recursos que deveriam destinar-se ao atendishymento das necessidades sociais todo cidadatildeo brasileiro estaacute pagando essa conta e portanto precisa conhecer esse processo

OS NUacuteMEROS DA DIacuteVIDA

A s investigaccedilotildees promovidas pela CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos

Deputados (20092010) revelaram que natildeo haacute a devida transparecircncia nos dados divulgados pelo governo federal em relaccedilatildeo agrave diacutevida puacuteblica tanshyto no que se refere ao seu estoque como em relaccedilatildeo ao fluxo de recursos ou seja o volume de gastos anuais com o pagamento de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida

Tanto a CPI como a Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm denunciado graves distorccedilotildees na apresentashyccedilatildeo dos dados oficiais

| A D Iacute V I D A P C B L I U A L M D [ B A rsquo pound

CUSTO ANUAL DA DIacuteVIDA ou FLUXO DE RECURSOS

Anualmente o orccedilamento geral da Uniatildeo destina ao pagamento de juros e amortizaccedilotildees da diacutevida puacuteblica a mais relevante parcela dos recursos advindos da arrecadaccedilatildeo tributaacuteria e da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

No ano de 2011 o governo federal destinou 4505 do Orccedilamento Executado para tal servishyccedilo da diacutevida puacuteblica ou seja o montante de R$ 708 bilhotildees conforme dados oficiais publicado no SIAFI - Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal retratado no graacuteshyfico anterior

Por que o governo apresenta valores menores para o custo anual da diacutevida puacuteblica

Considerando que os dados apresentados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida satildeo obtidos unicamente por meio de fontes oficiais explishycaremos a seguir os artifiacutecios que tecircm sido utishylizados pelo governo e setores da miacutedia para aliviar a apresentaccedilatildeo dos nuacutemeros da diacutevida agrave sociedade

Cabe destacar os seguintes artifiacutecios que foram denunciados pela CPI da Diacutevida Puacuteblica

Natildeo satildeo divulgados os juros nominais da divida efetivamente pagos pelo Tesouro Nacional omitindo-se a maior parcela desshyses representada pela atualizaccedilatildeo monetaacuteria medida pelo IGP-M divulgado pela Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas Divulgam apenas os juros

0 que o governo divulga a tiacutetulo de juros no SIAFI corresponde tatildeo somente agrave parcela dos juros reais ou seja agrave parcela dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M Isso leva a uma grande distorccedilatildeo na compreensatildeo geral do efetivo gasto com a diacutevida puacuteblica em comparaccedilatildeo com todas as demais rubricas orccedilamentaacuterias Enquanto o gasto com juros da diacutevida exclui a atualizaccedilatildeo todas as demais rubricas embutem eventual atualizaccedilatildeo obtida e tal parcela natildeo eacute segregada

reaisrdquo que eacute parte dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M e que se mostrou muito superior ao IPCA divulgado pelo IBGE nos uacuteltimos 15 anos

Natildeo eacute divulgada a parcela do serviccedilo da diacutevida (juros e amortizaccedilotildees) paga com os recursos obtidos pela emissatildeo e leilatildeo de novos tiacutetulos sob a justificativa de que se trata de mera rola- gem ou refinanciamento

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica constatou e denunciou a contabilizaccedilatildeo irregular que tem considerado como amortizaccedilatildeo da diacutevida a parcela correspondente agrave atualizaccedilatildeo monetaacuteria e que na realidade eacute parte integrante dos juros nominais e natildeo da amortizaccedilatildeo do principal

Qualquer pessoa que jaacute assumiu alguma diacutevida sabe que a atualizaccedilatildeo monetaacuteria eacute parte integranshyte da remuneraccedilatildeo ou seja dos juros nominais

Diante disso para se obter o valor efetivo do gasto anuat com a diacutevida haacute que se incluir tamshybeacutem o valor que tem sido informado como mera rolagem ou refinanciamento pois nessa rubrica

estaacute incluiacuteda grande parte dos juros da diacutevidaEm 2011 o gasto total com a diacutevida puacuteblishy

ca brasileira somou R$ 708 bilhotildees conforme demonstramos

Outra razatildeo fundamental para computar a atualizaccedilatildeo monetaacuteria como remuneraccedilatildeo da divida estaacute relacionada com a utilizaccedilatildeo de um mesmo criteacuterio para a apresentaccedilatildeo dos dados do orccedilamento executado

Se natildeo for computada a atualizaccedilatildeo monetaacuteria (que eacute parte dos juros nominais) como gastos com a diacutevida puacuteblica haveraacute uma completa distorccedilatildeo na comparaccedilatildeo entre os gastos com a diacutevida e todos os demais gastos orccedilamentaacuterios

Isso porque todas as demais rubricas represhysentadas no orccedilamento - gastos com pessoal previdecircncia serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo etc - englobam a respectiva atualizaccedilatildeo monetaacuteria ou seja quando se obteacutem alguma reposiccedilatildeo infla- cionaacuteria nos salaacuterios dos servidores no vaiacuteor das aposentadorias ou em benefiacutecios sociais e outros serviccedilos puacuteblicos tal reposiccedilatildeo compotildee o valor de tal gasto refletido no Orccedilamento da Uniatildeo

Diante disso para que haja uma compatibishylidade entre todas as rubricas orccedilamentaacuterias o gasto efetivo da diacutevida que deveria constar no orccedilamento seria o valor dos juros nominais e natildeo somente os juros reaisrdquo (que superam a inflaccedilatildeo como tem constado de estatiacutesticas oficiais

ESTOQUE DA DIacuteVIDAO estoque da Diacutevida Interna alcanccedilou em

dezembro2011 o valor de R$ 253606558601768 (2 TRILHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586

MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)30 estoque da Diacutevida Externa alcanccedilou na

mesma dataUS$ 40238510282823 ou seja mais de 402 BILHOtildeES de doacutelares que

corresponde a cerca de R$ 692 bilhotildees consideshyrando-se a taxa de conversatildeo de R$ 1724

Portanto em dezembro2011 o estoque da diacutevida brasileira alcanccedilou

R$ 322816796288224 (3 TRILHOtildeES 228 BILHOtildeES 167 MILHOtildeES 962 MIL 882 REAIS E 24 CENTAVOS) que corresponde a 78 do P)B

3 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNota6conNI201201pfp iacuteipgt - Quadro 354 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNataEconNI20120l5ep zipgt - Quadros 51 e51 A

23A D I V i D A P Uacute B L I C A LM D E B A E Caderno de estudos

30Caderno de estudos

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais desta camos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida LiacutequidaComparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequiacutedaPIB

Exclusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liquida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico peias seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais) mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Aiacute estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aleacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos 0 acuacutemulo elevado de reservas inter nacionais tem provocado enorme custo ao Pais devido a essa disparidade de rendimentos

0 termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a diacutevida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequidardquo tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

| A D V I D A P Uacute B L I C A E V Q Iacute E A T L

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de priva- tizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

O governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo otildenus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros altiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequida com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPlB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequida Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paises praticam taxas muitas vezes menores5 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwhra5ileconomicocombrpagjnastaxas -de-juros_81htmlgt

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais destashycamos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida Liacutequida

Comparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequidaPIB

Exciusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liacutequida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico pelas seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Ai estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aieacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos O acuacutemulo elevado de reservas intershynacionais tem provocado enorme custo ao Paiacutes devido a essa disparidade de rendimentos

O termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a divida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequida tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

30Caderno de estudos 1 A DIacute V I DA r C S L CA f m D E B A T E

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de privashytizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

0 governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo ocircnus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros aftiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequidardquo com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPIB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequidardquo Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paiacuteses praticam taxas muitas vezes menores1 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwbrasileconomicocom brpagmast5yas- -de-juros_81htmtgt

EXCLUSAtildeO DA PARCELA REFERENTE Agrave DIacuteVIDA EXTERNA PRIVADA

0 estoque da diacutevida externa jaacute atingiu US$ 402 bilhotildees6e indui a diacutevida externa privada

pois a mesma envolve uma obrigaccedilatildeo do Estado O governo costuma divulgar um montante

bem menor de diacutevida externa A partir de 2001 a pretexto de adotar metodologia recomendada pelo FMI os dados da diacutevida externa passaram a ser divulgados sem os chamados empreacutestimos intercompanhias ou seja os empreacutestimos devishydos por multinacionais a suas matrizes no exterior

Dessa forma o dado divulgado pelo governo ao puacuteblico exclui parte da diacutevida externa contraiacuteda pelo setor privado ou seja devida por empresas e instituiccedilotildees do setor privado e natildeo pelo Estado

Cabe ressaltar inicialmente que apesar de parte da diacutevida externa ter sido de fato contrashyiacuteda por instituiccedilotildees do setor privado eacute o Estado o responsaacutevel por fornecer a moeda estrangeira para os devedores privados pagarem suas diacutevishydas ao exterior Para obter essa moeda estranshygeira o Estado se submete agrave adoccedilatildeo de poliacuteticas nocivas a fim de atrair capitais ao Paiacutes tais como altas taxas de juros acordos com o FMI (cujas imposiccedilotildees continuam presentes) e total libershydade de movimentaccedilatildeo de capitais financeiros Essas medidas afetam toda a economia do Paiacutes

Adicionalmente as investigaccedilotildees tecircm revelado que nas uacuteltimas deacutecadas diacutevidas do setor privado foram reiteradas vezes transferidas para o setor puacuteblico Por isso entendemos que deve ser comshyputado no montante da diacutevida externa tanto as diacutevidas contraiacutedas peio setor puacuteblico como pelo setor privado

AUSEcircNCIA DE TRANSPAREcircNCIA

A s divergecircncias na apresentaccedilatildeo tanto do estoque como do fluxo de gastos com a diacutevishy

da demonstram que natildeo tem sido devidamente respeitado o princiacutepio da TRANSPAREcircNCIA que deve reger todo ato do setor puacuteblico

Por isso a sociedade brasileira que paga essa elevada conta da diacutevida puacuteblica deve exigir mais

6 Verquadro5S1 e 51-Ada planilha do Banco Central disponiacuteveis no link lthttpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201112sepzipgt

transparecircncia dos dados relacionados ao endivishydamento puacuteblico brasileiro pois este tem absorshyvido a maior parte dos recursos orccedilamentaacuterios sacrificando toda a populaccedilatildeo e comprometen do o futuro do Paiacutes

A transparecircncia eacute um princiacutepio consagrado na Constituiccedilatildeo Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que todas as despesas e receitas da gestatildeo fiscal sejam publicadas de forma transshyparente e com amplo acesso puacuteblico

Portanto eacute nosso DIREITO ter acesso a todas as informaccedilotildees relacionadas com o endividamento puacuteblico

Como vimos a diacutevida brasileira jaacute supera os R$ 3 TRILHOtildeES e consome quase a metade dos recursos do Orccedilamento da Uniatildeo

COMO CHEGAMOS A ESTE PONTOA recente CPI da diacutevida Puacuteblica jogou luzes sobre este processo

A Diacutevida Puacuteblica Brasileira cresceu em decorshyrecircncia de mecanismos meramente finanshy

ceiros sem contrapartida em bens e serviccedilos ao Paiacutes e tambeacutem em decorrecircncia de operaccedilotildees obscuras

A histoacuteria da diacutevida tem sido uma verdadeira caixa preta

A Auditoria Cidadatilde da Diacutevida e entidades da sociedade civil participaram ativamente da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) da Diacutevida Puacuteblica e tiveram acesso a documentos que comeccedilam a jogar luzes sobre nossa histoacuteriaAgora as investigaccedilotildees devem ser aprofundadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico

A CPI da Diacutevida foi uma iniciativa do Deputado Federal Ivan Valente (PSOL-SP) e funcionou de agosto de 2009 a maio de 2010 A coordenadoshyra da Auditoria Cidadatilde da Diacutevida - Maria Lucia Fattorelli - foi requisitada para assessorar tecnishycamente a CPI devido agrave experiecircncia adquirida durante a auditoria oficial da diacutevida do Equador trabalho para o qual tambeacutem foi designada cujo relatoacuterio embasou ato soberano do Presidente Rafael Correa que anulou 70 da diacutevida externa equatoriana em tiacutetulos possibilitando aumento de investimentos sociais principalmente em sauacutede e educaccedilatildeo novas rodovias e o resgate da cidadania

31A 0 v I C A P Uacute B I C A E W 3 E S A T F | Caderno de estudos

No Brasil a CPI tambeacutem indicou documentos e provas de ilegalidade e ilegitimidade tanto da divida externa como da diacutevida interna como veremos a seguir Um dos mais importantes instrumentos

de investigaccedilatildeo por parte do Congresso Naciona eacute a Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) a qual tem forccedila investi- gativa proacutepria de autoridades judiciais

O QUE Eacute CPI

Nos capiacutetulos seguintes apresentaremos um breve histoacuterico da diacutevida externa a partir dos anos1970 e da diacutevida interna a partir do Plano Real em 1995 ambas ateacute os dias atuais Esses marcos iniciais foram os periacuteodos estabelecidos tambeacutem pela recente CPI da Diacutevida Puacuteblica

A D IacuteV IacuteD A tem im p e d id o a v id a d ig na e o a te n d im e n to aos d ire ito s h um an os

bull De onde veio essa diacutevida

bull Quanto tomamos emprestado e quanto jaacute pagamos

bull O que realmente devemos

Quem contraiu empreacutestimos

bull Onde foram aplicados os recursos

bull Quem se beneficiou

Qual a responsabilidade dos credores e organismos internacionais nesse processo

ldquoA vida sem luta eacute um mar morto no centro do organismo universal

M A C H A D O D E A S S I S

32Caderno de estudos | A d iacute v i d a p uacute b l i c a E m D E b a t F

C A P Iacute T U L O

DIVIDA EXTERNAA recente CPi da Diacutevida Puacuteblica realizada na

Cacircmara dos Deputados (20092010) teve acesso a documentos relacionados ao processhysos de endividamento externo desde 1970 Apesar das limitaccedilotildees da CPI as investigaccedilotildees revelaram importantes fatos que reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa audishytoria dessa diacutevida

O periacuteodo coincide com o fim da paridade doacutelar-ouro nos Estados Unidos anunciada em1971 o que permitiu a emissatildeo de grandes volushymes de doacutelares que foram entregues ao sistema bancaacuterio e por meio deste ofertados sob a forshyma de empreacutestimos que apresentavam taxas de juros aparentemente reduzidas de 5 a 6 ao ano devido ao excesso de moeda

Diacutevida Externa (US$ bilhotildees)

- r N m ^ m 0 M raquo Iacute J O - ( N r 0 ^ ^ v D N C 0 a O - f N n n T r i n 0 M X 3 0 O gt - r N f n r f lsquo i n 0 N C Ocirc 0 O f r s N N N N r s N r s r ^ c o c c c o a o c o c o c o a o o o o o o a rsquogt lt ^ lt T lt a G gt o gt C gt lt ^ lt ^ o o o o o o o o o O mdash r ~raquomdash i-rgpjrsoifSiNfNfSfMlNfN^

Fonte httpwwwbcbgQvbrftpNotaEconNI20l201sepzip - Quadros 51 e 51-A

DECADA DE 1970

A CPI comprovou que a diacutevida externa atua se originou na deacutecada de 1970 em plena ditashy

dura militar periacuteodo em que comeccedilou a crescer aceleradamente

0 primeiro aspecto da diacutevida externa brasileishyra a ser ressaltado eacute a contrataccedilatildeo por atos de governos ilegiacutetimos de vultosos compromissos natildeo transparentes

Essas taxas de juros eram flutuantes e variavam de acordo com as taxas de juros internacionais (Prime e Libor) que vinham de longo periacuteodo em que se mantinham baixas Aleacutem das taxas de juros os bancos cobravam outras taxas onerosas de compromisso de contrataccedilatildeo de agente de creacutedito enfim uma infinidade de taxas

Havia tambeacutem forte componente de diacutevidas contratadas pelo setor privado que utilizava o

3 3a d iacute v i d a P Uacute B L I C A EM D r R A T E I Caderro de estudos

endividamento como forma de especulaccedilatildeo financeira O setor privado que tinha acesso a creacuteditos externos no iniacutecio da deacutecada de 1970 era composto principalmente por bancos e empresas privadas inclusive multinacionais e estrangeiras instaladas no Paiacutes

Tanto o setor privado como o setor puacuteblico tomaram empreacutestimos externos junto a grandes bancos privados internacionais devido agrave grande oferta de creacuteditos com taxas baixas vinculadas agraves taxas de juros internacionais (Prime e Libor) Essas taxas eram controladas pelos proacuteprios bancos credores que compunham o FED (Federal

Reserve Bank Banco Central Norte-americano que eacute totalmente privado controlava a Prime) e a Associaccedilatildeo de Bancos Privados de Londres (que determinava a Libor) A partir de 1979 essas taxas saltaram de 5 ou 6 ao ano para 205

O graacutefico a seguir mostra o comportamento idecircnshytico das duas taxas demonstrando a conexatildeo entre os bancos privados internacionais que as ditavam

Sob pressatildeo diante da crise em 1982 surge o FMI exigindo que o Banco Central realizasse acordos com os bancos privados internacionais por meio dos quais assumiu tanto a diacutevida externa puacuteblica como tambeacutem a diacutevida externa privada Ao messhymo tempo houve forte pressatildeo dos credores que faziam parte da instituiccedilatildeo informal denominada Club de Paris para que o Brasil firmasse o tal acordo com a banca privada internacional Essa pressatildeo conjunta e articulada de credores configura clashyramente a ausecircncia de equiliacutebrio entre as partes

A CPI da Diacutevida denunciou que agrave eacutepoca da assinatura dos acordos com os bancos privados em 1983 a legislaccedilatildeo natildeo permitia consolidaccedilotildees e refinanciamentos de creacuteditos externos Aleacutem disso tais acordos continham inuacutemeras claacuteusulas ilegais e abusivas que natildeo chegaram a ser apro vadas pelo Congresso Nacional

Haacute fortes indiacutecios de nulidade nessa transfeshyrecircncia de diacutevida para o Banco Central que na deacutecada seguinte em 1994 foi transformada nos

Taxas de Juros - Libor e Prime25000

0000rmdash 3-o p laquomdash r i

r-o rOv

oo

o

o

pO

OcShvO

p00

O Ornoo 3-oo

CTS

OCO

CCOo

DEacuteCADA DE 1980

A elevaccedilatildeo brutal das taxas de juros internashycionais Prime e Libor impactou seriamente

os compromissos externos antes assumidos e a diacutevida se multiplicou provocando uma grande crise a partir de 1982

3 4Caderno de estudos I a d v i d a h j B i i c a e m D E B A T E

denominados bocircnus Brady tiacutetulos que depois serviram como moeda para comprar as empreshysas estrateacutegicas e lucrativas submetidas ao proshycesso de privatizaccedilatildeo a partir de 1996

A interferecircncia direta do FMI em assuntos intershynos do Paiacutes desde 1983 exigiu a implantaccedilatildeo de

medidas nefastas agrave economia brasileira Tal fato aliado a onerosas condiccedilotildees dos acordos da diacutevida externa que transferiram o ocircnus de diacutevidas puacuteblishycas e privadas a cargo do Banco Central agravashyram ainda mais a situaccedilatildeo do endividamento brasileiro e paralisaram o Paiacutes Por isso a deacutecada de 1980 ficou conhecida como deacutecada perdida

CAacuteLCULO DO IMPACTO PROVOCADO PELA ELEVACcedilAtildeO UNILATERAL DAS TAXAS DE JUROS

O impacto da elevaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais sobre a evoluccedilatildeo da

diacutevida externa brasileira foi impressionante como retrata o graacutefico a seguir

de US$ 223 bilhotildees cujo ressarcimento deve ser exigido pelo Brasil

INTERFEREcircNCIA DO FMI

Desde o primeiro acordo do Brasil com o FMI em 1983 esse organismo passou a exercer nefasta interferecircncia em assuntos internos do

Paiacutes agindo sempre em defesa dos bancos prishyvados internacionais

O poder do FMI no Paiacutes era impressionanshyte determinando o caminho a ser trilhado por nossa economia exigindo privatizaccedilotildees impondo draacutesticos ajustes fiscais que impedishyram investimentos e representaram imensos cortes nos gastos sociais suprimindo-se direitos

Diacutevida Externa Total (Puacuteblica e Privada) - US$ bilhotildees

Fonte Nota Teacutecnica DEPEC - 200924S Dados disponiacuteveis no Anexo II agrave Anaacutelise Prefiminar N2 5 da CPI da Diacutevida Puacuteblica

A linha azul do graacutefico acima mostra o impacshyto da alta unilateral e ilegal das taxas de juros nternacionais pelos bancos credores dos Estados Unidos e da Inglaterra a partir de 1979

A linha vermelha pontilhada demonstra a evo- jccedilatildeo da diacutevida externa brasileira caso os juros ivessem sido mantidos em 6 ao ano Constata-se que os pagamentos realizados no periacuteodo teriam sido suficientes para pagar toda a diacutevida externa e o Brasil ainda teria valores a serem ressarcidos

Esses caacutelculos indicaram um dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico calculado agrave eacutepoca da CPI de cerca

sociais baacutesicos agravando-se o desemprego e a miseacuteria

Devido agrave grande influecircncia do FMI consolidou- -se a crenccedila popular generalizada de que aqueshyle organismo seria o principal credor da diacutevida externa brasileira

A CPI provou que os credores privilegiados de sempre eram na realidade os grandes bancos privados internacionais como indica a aacuterea em vermelho no graacutefico a seguir A parcela da diacutevida externa com o FMI correspondia agrave linha verde do mesmo graacutefico

ft D i V I A D 8 L I S A EM D Z B

3 5Caderno de estudos

Diacutevida Externa Registrada no Banco Centrai - US$ bilhotildees - 1969 a 1994140

120

100

80

60

40

20

O ^ O i mdash r 4 r i 3 - in i1o r - o o c j copy mdash r N n n ^ - i n v O r x o O t T ^ O raquo mdash rvjco^j- gt C ) r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ - f ^ - r - r ^ i - ^ c c c o c o c o c o o o c o c o c x D c 3 0 c r C T raquo c j N Ov ogtO CTt CJn CT CTgt G ltTraquo O1 CT lt7 OS O CT O Q (J J Otilde QN ltJ Q Otildegt

Fonte Relatoacuterios Anuais do Sanco Central disportibilizados aacute CPI da Diacutevid3Nota Os ldquoEmpreacutestimos em Moeda indicados em vermelho ntgt graacutefica correspondem aos empreacutestimos junto a bancos comerciais sendo que a maioria corresponde a bancos privados internacionais

Interessante observar que a crise financeira

de 1982 foi provocada pelos grandes bancos

privados internacionais que promoveram a eleshy

vaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais (Libor e Prime) sendo que alguns anos antes

eles mesmos haviam seduzido os paiacuteses latino-

-americanos mediante a oferta de empreacutestimos

aparentemente baratos A crise financeira abriu caminho para a atuaccedilatildeo do FM impondo draacutestishy

cos ajustes fiscais que geraram sacrifiacutecios sociais

cortes de direitos privatizaccedilotildees etc

Eacute importante estabelecer um paralelo entre

esses fatos histoacutericos e a atual crise financeira

deflagrada em 2008 nos EUA e Europa que

tambeacutem foi provocada por atitudes dos grandes

bancos privados internacionais Eles emitiram

grande quantidade de derivativos sem lastro e

corriam risco de quebra tendo sido salvos pelas

naccedilotildees do Norte que logo em seguida se viram

em profunda crise Instalada a crise novamente

surge o FM agora na Europa impondo poliacuteticas

idecircnticas as que foram impostas agrave Ameacuterica Latina

na deacutecada de 1980

ESFORCcedilOS DE INVESTIGACcedilAtildeO DA DIacuteVIDA EXTERNA NA DEacuteCADA DE 1980

A crise da diacutevida externa vivida na deacutecada de 1980 foi tatildeo grave que diversas comissotildees

parlamentares dedicaram importantes esforccedilos no sentido de investigar as reais razotildees da crise e do espantoso crescimento da diacutevida externa brasileira

A primeira tarefa teacutecnica realizada a fim de assessorar a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica na Cacircmara dos Deputados consistiu em resgatar os relatoacuterios das referidas comissotildees anteriores pois suas apuraccedilotildees devem ser conhecidas natildeo soacute pelos parlamentares mas por todos os brasileiros conforme resumo a seguir

COMISSAtildeO PARLAMENTAR DE INQUEacuteRITO-CAcircMARA DOS DEPUTADOS1983

No ano de 1984 foi aprovado o relatoacuterio final da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito reashylizada na Cacircmara dos Deputados O documento

apontou graves indiacutecios de irregularidades ilegashylidades aleacutem dos previsiacuteveis e graves riscos que

36Caderno de estudos I A D IV r D A deg uacute 6 _ i C A EM U E R A r iacute

Comissatildeo Parlamentares e Resultado

CPI da Cacircmara dos Deputados destinada a apurar as causas Presidente Dep Alencar Furtadoe consequecircncias da divida brasileira e o Acordo com o FMI Relator Dep Sebastiatildeo Ne ryInstituiacuteda pelo Requerimento Ndeg 883 Instalada em 16081983 Relatoacuterio Final aprovado em setembro de 1984

Comissatildeo Especial do Senado Federal para a Diacutevida Externa destinada a ldquoexaminar a questatildeo da divida externa brasileira e avaliar

as razotildees que levaram o Governo a stspendero pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno Instituiacuteda pelo Requerimento ns 17 de 1987 Instalada em 14041987

Comissatildeo Mista destinada ldquoao exame analitico epericial dos atos e

fatos geradores do endividamento brasileiro para cumprir a missatildeo

constitucional -Ari 26 do Ato das Disposiccedilotildees Constitucionais

Transitoacuterias Instalada em 11041989

Presidente Senador Carlos ChiarelliacuteRelator Senador Fernando Henrique CardosoRelatoacuterio Final aprovado em 23 de agosto de 1989

Presidente Dep Waideck OrneiasRelator Senador Severo GomesRelatoacuterio Parcial aprovado em 9 de agosto de 19B9

Relator Dep Luiz SalomatildeoParecer Final apreciado em 5 de setembro de 1989NAtildeO VOTADO

ps contratos de endividamento externo represenshytavam para a soberania nacional Adicionalmente histoacuterico relatoacuterio final de autoria do Deputado ederal Sebastiatildeo Nery (PDT-RJ) evidenciou a oratica dos seguintes crimes

Violaccedilatildeo da competecircncia exclusiva do Congresso Nacional para ratificar ou rejeitar convenccedilotildees e atos internacionais praticados pelo Presidente da Repuacuteblica

bull Crime de responsabilidade contra a guarda e legal emprego de dinheiro puacuteblico (realizaccedilatildeo de despesas e contraccedilatildeo de empreacutestimos sem autorizaccedilatildeo legal)

diams Crime de responsabilidade contra a existecircncia da Uniatildeo cometido peio Presidente da Repuacuteblica e por ministros de Estado por violaccedilatildeo da vedashyccedilatildeo constitucional agrave celebraccedilatildeo de tratados que comprometam a dignidade da naccedilatildeo

1 Desrespeito aos princiacutepios constitucionais impliacuteshycitos da inalienabiiidade imprescritibilidade e impenhorabiiacuteidade do patrimoacutenio puacuteblico

Crime de responsabilidade contra a seguranccedila interna do Pais ao admitir a daccedilatildeo de bens do patrimoacutenio puacuteblico em garantia antecipada

bull Abdicaccedilatildeo da soberania nacional em favor das orientaccedilotildees do Fundo Monetaacuterio Internacional

Apesar dessas graves conclusotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi levada a cabo

COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL1987

Em 1987 o Senado Federal instalou a Comissatildeo Especial para a Diacutevida Externa destinada a

examinara questatildeo da diacutevida externa brasileira e avaliar as razotildees que levaram o governo a susshypender o pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno

O relator foi o entatildeo senador Fernando Henrique Cardoso (PMDB-SP) que em seu relashytoacuterio reiterou a necessidade de enfrentamento do problema do endividamento externo tendo em vista as graves irregularidades verificadas dentre as quais destacamos praacutetica do anato- cismo alta unilateral de juros corresponsabili- dade dos credores ilegalidades na negociaccedilatildeo da diacutevida falta de transparecircncia negociaccedilotildees sigilosas interferecircncia direta do FMI articushylaccedilatildeo de credores (FMI Club de Paris Comiteacute Assessor dos Bancos Privados) elevados custos sociais da diacutevida externa existecircncia de custos injustificaacuteveis estatizaccedilatildeo de diacutevidas privadas exportaccedilatildeo de capitais nacionais utilizaccedilatildeo deliberada de empresas estatais para obtenshyccedilatildeo de empreacutestimos no exterior desequiliacutebrio contratual das partes negociantes pulverizaccedilatildeo de credores e dificuldade de controle por parte do Banco Centrai comprovaccedilatildeo do reduzido do valor da diacutevida no mercado secundaacuterio o que natildeo foi levado em conta nas negociaccedilotildees entre outras

3 7n V I DA P J B L l C A CM D t E A T F | Caderno de estudos

Cade

Cabe ressaltar trecho do relatoacuterio apresentado por FHC que daacute notiacutecia sobre a poleacutemica negociashyccedilatildeo da diacutevida externa que envolveu dezenas de bilhotildees de doacutelares - cerca de US$ 60 bilhotildees - e que foi a base para a transformaccedilatildeo da diacutevida externa contratual em bocircnus Brady em 1994

O ACORDO PLURIANUAL DE 1988

No dia 6 de junho de 1988 quando a gestatildeo

Mailson da Noacutebrega mal tinha completado 6

meses o governo brasileiro assinou o Term

Sheet do acordo provisoacuterio de renegociaccedilatildeo

da diacutevida externa Ao mesmo tempo em

que o protocolo da negociaccedilatildeo era mantishy

do em absoluto o governo fazia publicar

uma Nota Oficial de tom autocongratula- toacuterio descrevendo a renegociaccedilatildeo preliminarshy

mente concluiacuteda como a melhor jaacute obtida por

um paiacutes devedor

Diante da insistente recusa das autoridashy

des oficiais o Presidente da Comissatildeo

teve de recorrer a contatos no exterior

para obter as informaccedilotildees que lhe eram

sonegadas dentro do Paiacutes O Term Sheet

chegaria agraves matildeos do Senador Carlos Chiarelli

por canais extraofidais no iniacutecio de julho Os

documentos oficiais foram entatildeo submetishy

dos a uma anaacutelise teacutecnica que constatou

estarem sendo incompletas imprecisas e

exageradamente otimistas as apreciaccedilotildees

sobre o acordo publicadas na Nota Oficial

Foram encontrados erros e omissotildees relashy

cionados aos seguintes toacutepicos do acordo

()

Como conclusatildeo pode-se dizer que os frutos

da negociaccedilatildeo dita realista e profissional

conduzida pelo Ministro Mailson da Noacutebrega

foi um dos mais draconianos acordos de

renegociaccedilatildeo jaacute realizados por uma naccedilatildeo

devedora nesta deacutecada Como evidecircncia

das distorccedilotildees do acordo podem ser citados

os lucros recordes auferidos pelos grandes

bancos em 1988 que segundo estimatishy

vas divulgadas pelo Wall Street Journal

teriam atingido a fantaacutestica cifra de US$

16 bilhaacuteo soacute com o acordo da divida brashysileira Quanto ao paiacutes devedor durante

os poucos meses em que o governo Sarney

consegui j cumprir parcialmente as sufocantes

disposiccedilotildees contratuais do acordo a econoshymia mergulhou em recessatildeo acompanhashy

da da maior inflaccedilatildeo de sua histoacuteria O

acordo de reescalonamento de 1988 previsto

para abranger um periacuteodo de sete anos na

praacutetica concedera menos do que um ano de

focirclego agrave economia brasileira Decorridos quashy

tro meses da assinatura o Ministro Mailson jaacute

admitia oficialmente a necessidade de contrair

empreacutestimos adicionais e suspender o relen-

ding rsquo e a conversatildeo Decorridos 9 meses o

Brasil voltava a atrasar os pagamentos da

divida externa entrando novamente em

moratoacuteria (Paacutegina 166)

Diversos autores mencionam que a referida negociaccedilatildeo teria ocorrido em 23091988 mas a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos Deputados teve acesso a documenshytos que comprovam que tal negociaccedilatildeo teria se concluiacutedo somente em 1989 portanto apoacutes a promulgaccedilatildeo da Constituiccedilatildeo Federal

Outros trechos do Relatoacuterio apresentado por FHC tambeacutem merecem destaque

TRECHOS DO RELATOacuteRIO FINAL DA COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL (1987)

RELATOR SEN FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Como os deacutebitos externos brasileiros haviam sido contratados basicamente a taxas de juros flutuanshytes o choque dos ju ros provocou uma el evaccedilatildeo da diacutevida sem contrapartida real de bens e serviccedilos A partir desse momento a diacutevida externa brasileira assume um caraacuteter eminentemente financeiro os novos empreacutestimos na verdade sacirco obtidos para rolar em grande medida e a niacutevel agregado os juros e as amortizaccedilotildees

lsquoA partir de 1983 a questatildeo da divida adquire nova dimensatildeo Segundo a Programaccedilatildeo do 5etor Externo PSE) submetida pelo Brasil aos banqueiros em Nova York em dezembro de 1982 a economia brasileira eacute direcionada para a obtenccedilatildeo de US$6 bilhotildees de superaacutevit comercial com uma previshysatildeo de deacuteficit em transaccedilotildees correntes de US$65 bilhotildees Como os juros dos deacutebitos externos previsshytos para 1983 estavam na casa dos US$10 bilhotildees fica daro que a partir desse momento o Brasii marchava para a chamada ldquotransferecircncia liacutequida de

38^arjprnn de estudos | A D v I 0 a P Uacute B L I C A F V D E = a t e

recursos reais para O exterior com o fim especiacutefico de servir aos credores externos

Do ponto de vista dos credores o Brasil teve um excelente desempenho dos US$6 bilhotildees de supeshyraacutevit comercial de 1983 passou a US$13 bilhotildees em 1984 e dessa forma cobriu os juros devidos Internamente poreacutem a recessatildeo foi profunda e com custos sociais elevadiacutessimos estima-se que cerca de 5 milhotildees de trabalhadores do setor formal foram lanccedilados no desemprego Foi seguramente a recessatildeo mais violenta da economia brasileira

A situaccedilatildeo que ora vivemos - arrocho salarial direto dos trabalhadores no setor puacuteblico e indi- reto de toda a forccedila de trabalho (via eliminaccedilatildeo do subsiacutedio do trigo por exemplo sem qualquer poliacutetica de renda compensatoacuteria) submissatildeo da poliacutetica econoacutemica agraves regras e monitoramento do FMI acomodaccedilatildeo aos interesses dos grandes bancos internacionais etc - natildeo passa de uma encenaccedilatildeo da inequiacutevoca demonstraccedilatildeo da falta de governo no Paiacutes Natildeo eacute a toa que os banqueishyros acenaram com o possiacutevel reescalonamento do principal da diacutevida para 20 anos 8 de carecircncia etc mas no essencial - refinanciamento de juros taxas de juros spread descontos monitoramento etc- natildeo cederam um miliacutemetro e se fixaram nos refishynanciamentos de parcela dos iuros (50) apenas para este ano (1987 foi o ano da moratoacuteria e o juro teraacute que ser refinanciado de fato pois o Pais natildeo tem caixa para pagaacute-lo) Em suma o horizonte em todas as frentes sobre o Paiacutes (aqui e no exterior) natildeo passa de 1988 eacute o sinal do limite

Registra-se a preocupaccedilatildeo de muitos dos Senadores com a questatildeo da legitimidadeda divida- posto que os contratos satildeo leoninos e foram feitos agrave revelia do Congresso Nacional - e com a questatildeo da jurisdiccedilatildeo

Os tiacutetulos da diacutevida dos paiacuteses passam a ser negociados com um desaacutegio crescente no chashymado mercado secundaacuterio sinalizando que parshycela da divida natildeo teria condiccedilotildees de ser pagaOs bancos aumentam suas reservas antecipando possiacuteveis ltperdasgtrsquorsquo

Embora o relator tenha ocupado a Presidecircncia da Repuacuteblica do Brasil durante dois mandatos- oito anos portanto nenhuma das irregu- laridades apontadas em seu relatoacuterio quando senador chegou a ser enfrentada Pelo contraacuterio o endividamento puacuteblico tanto interno quanto externo agravou-se apesar da privatizaccedilatildeo de cerca de 70 do patrimoacutenio puacuteblico nacional sob a justificativa de pagar a diacutevida

Constituiccedilatildeo Federal

A Constituiccedilatildeo de 1988 inseriu a previsatildeo de realishyzaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externaConstituiccedilatildeo Federal ADCT

ldquoAn 26 No prazo de um ano a contar da promulgashy

ccedilatildeo da Constituiccedilatildeo o Congresso Nacional promoshy

veraacute atraveacutes de Comissatildeo mista exame analitico e

pericial dos atos e fatos geradores do endividamento

externo brasileiro

Aleacutem disso a Constituiccedilatildeo Federal determinou taxativamente que os contratos de endividamento externo deveriam ser submetidos agrave aprovaccedilatildeo pelo Senado Federal

Constituiccedilatildeo Federal

Art 52 Compete privativamente ao Senado Federal

U

V - autorizar operaccedilotildees externas de natureza finanshy

ceira de interesse da Uniatildeo dos Estados do Distrito

Federal dos Territoacuterios e dos Municiacutepiosrdquo

Tal dispositivo indica que a vultosa negociaccedilatildeo concluiacuteda somente em 1989 seria completamente NULA pois natildeo foi autorizada pelo Congresso Nacional que sequer teve acesso aos termos da negociaccedilatildeo conforme constou do relatoacuterio apreshysentado por FHC cujo trecho foi antes transcrito

Comissatildeo Mista do Congresso Nacional1989

No ano de 1989 mais uma vez o Congresso Nacional debruccedilou-se sobre os contratos de endishyvidamento externo brasileiro aleacutem de planilhas de caacutelculo elaboradas pelo Banco Central para mais uma vez descobrir fraudes diversas dentre elas a renuacutencia agrave soberania pelo governo brasileishyro Ou seja mais uma revelaccedilatildeo de NULIDADE mas ainda assim a diacutevida continuou sendo paga e reciclada em negociaccedilotildees cada vez mais onerosas para o Paiacutes

Trecho do relatoacuterio apresentado pelo senashydor Severo Gomes que fez importante anaacutelise juriacutedica dos acordos merece ser destacado para conhecimento por todos os brasileiros O trecho a seguir se referia a um dos acordos celebrados pelo Banco Central com os bancos privados intershynacionais em 1982

39A D f V I 0 A P U B L I C A EM D E B A T E I Caderno de estudos

40Caderno de esludos

CLAacuteUSULA DE RENUacuteNCIA A SOBERANIA

Sem quaiquer sombra de duacutevida aqui estaacute o ponto mais espantoso dos Acordos De notar aliaacutes a grosshyseria dos credores ou a pusilanimidade dos negoshyciadores brasileiros admitindo uma claacuteusula que sobre ferir os brios nacionais eacute fundamentalmente inuacutetil no contexto da negociaccedilatildeo () Esta claacuteusula retrata um Brasil de joelhos sem brios poupados inerme e inerte imolado agrave irresponsabilidade dos que negociaram em seu nome e agrave cupidez de seus credores Poreacutem nada haacute de ser dito sobre essa nefanda claacuteusula mais expressivo do que o proacuteprio ilustriacutessimo Ministro Seabra Fagundes jaacute fez Este fato de o Brasil renunciar explicitamente a alegar a sua soberania faz deste documento talvez o mais triste da Histoacuteria poliacutetica do Paiacutes Nunca encontrei- e naacuteo sou muito ausente dos estudos da histoacuteria do Paiacutes - em todos os documentos histoacutericos do Brasil nada que se parecesse com esse documento porque renuacutencia de soberania talvez noacutes tenhamos tido renuacutencias iguais mas uma renuacutencia declarada agrave soberania do Paiacutes eacute a primeira vez que consta de uma documento para mim histoacuterico Este me parece um dos fatos mais graves de que somos contemporacircneos1

Sen Severo Gomes(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

0 relatoacuterio parcial do senador 5evero Gomes chegou a ser aprovado pelo plenaacuterio do Congresso poreacutem nenhuma de suas recomenshydaccedilotildees - que tratavam sobre o questionamento judicial da diacutevida - foram seguidas

0 segundo relator da Comissatildeo Mista Dep Luiz Salomatildeo tambeacutem apontou severas conclushysotildees dentre as quais destacamos

Factibilidade de reduzir o montante da diacutevida externa

Necessidade de deduzir do principal consignado pelos bancos que emprestaram a juros flutuanshytes o excedente avaliado em simulaccedilotildees feitas pelo Banco Central que variavam de 34 a 62 bilhotildees de doacutelares na eacutepoca

Necessidade de retomar as investigaccedilotildees e os processos judiciais tendentes a recuperar as pershydas provenientes de fraudes e negoacutecios iliacutecitos

Responsabilizar penalmente os responsaacuteveis internos e os cuacutemplices externos

Repatriar as divisas evadidas clandestinamente

I a c i v i D a p uacute b l i c a l m d e b agrave t ecirc

O relatoacuterio final sequer chegou a ser votado pela Comissatildeo Mista Levado ao plenaacuterio natildeo houve quoacuterum para a votaccedilatildeo

Manobras impediram que o relatoacuterio fosse votado na Comissatildeo Mista Sem o apoio da maioria da Comissatildeo o parecer foi levado a exame do Plenaacuterio do Congresso Os partidos majoritaacuterios na Cacircmara e no Senado optaram peia omissatildeo

Dep Luiz Salomatildeo(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

Apesar das importantes conclusotildees e graves indiacutecios de ilegalidades e nulidades apontados por todas essas comissotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi adotada e a diacutevida externa natildeo parou de crescer sendo objeto de sucessivas negociashyccedilotildees que a tornaram cada vez mais onerosa

Deacutecada de 1990Na deacutecada de 1990 no bojo do processo de

abertura econoacutemica promovido pelo governo Collor ao qual se seguiram a desestatizaccedilatildeo e a desreguiamentaccedilatildeo do mercado de capitais as insshytituiccedilotildees credoras internacionais aproveitaram-se da fragilidade e da subordinaccedilatildeo das economias nacionais para executar o chamado Plano Brady

0 engodo do Plano BradyEm 1994 o Brasil concluiu a implantaccedilatildeo do

denominado Plano BradyEsse plano significou a transformaccedilatildeo da diacutevishy

da externa com bancos privados internacionais- antes formalizada sob a forma de acordos na deacutecada de 1980 - em tiacutetulos da divida externa

Foram emitidos sete tipos de tiacutetulos da diacutevida externa em troca da diacutevida anterior e de juros vencidos em montante estimado em US$ 51 bilhotildees na eacutepoca

Natildeo haacute transparecircncia em relaccedilatildeo ao deta- Ihamento das diacutevidas objeto de conversatildeo Tal negociaccedilatildeo tal como as da deacutecada de 1980 tambeacutem natildeo levou em consideraccedilatildeo o valor de mercado da diacutevida anterior (de cerca de 20 do valor nominal conforme constou de acoacutershydatildeo do TCU) nem as ilegalidades que haviam sido arguidas por comissotildees parlamentares

anteriores e ainda exigiu a compra de garantias colaterais (tiacutetulos do Tesouro norte-americano de cerca de US$ 39 bilhotildees)

Caso fosse considerado o valor de mercado da diacutevida externa anterior o resultado do Plano Brady pode ser resumido da forma retratada no graacutefico a seguir

novos bocircnus ou tiacutetulos A transformaccedilatildeo de juros vencidos em tiacutetulos eacute uma comprovaccedilatildeo expliacutecita de anatocismo (juros sobre juros) conshysiderado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

A operaccedilatildeo de troca da diacutevida por bocircnus natildeo significou ingresso de recursos para o Paiacutes pois constituiu mera troca e foi feita em Luxemburgo

A renegociaccedilatildeo Brady aumentou a diacutevida (US$ bilhotildees)60

50

40

30

20

10

Valor da diacutevida em mercado Bocircnus Brady emitidos

Fonte Paulo Nogueira Batista Jr e Armeacutenio de Souza Rangel A Renegociaccedilatildeo da Diacutevida Externa Brasileira e o Plano Brady Avaliaccedilatildeo de aSguns dos principais resultados paacuteg 15 e 18 e Ceres Aires Cerqueira Diacutevida Externa Brasileira paacutegs 65122123 e 124

Evidencia-se um tremendo prejuiacutezo ao Paiacutes Apesar disso o discurso oficiai e da grande miacutedia na eacutepoca foi de que o Brasil obteve um importanshyte desconto nessa negociaccedilatildeo Trata-se de mais ri forte indiacutecio da necessidade de realizaccedilatildeo de Buditoria pois os tais bocircnus Brady serviram como T io e d a para a compra das estatais privatizadas

atilde partir de 1996 Dessa maneira ao mesmo tempo em que entregaacutevamos nosso patrimoacutenio aumen- iacuteavamos a lesatildeo ao eraacuterio

A negociaccedilatildeo Brady tambeacutem natildeo levou em snsideraccedilatildeo as recomendaccedilotildees das Comissotildees iHamentares do Congresso Nacional portan- to a nova diacutevida dos bocircnus Brady tambeacutem pode ter sua legitimidade e legalidade questionadas

O Plano Brady foi aplicado em 22 paiacuteses onsiderados subdesenvolvidos e trocou tanto 3 diacutevida anterior como os juros vencidos por

conhecido paraiacuteso fiscal como uma oferta privashyda sem registro na SEC (Securities and Exchcmge

Comission dos Estados Unidos da Ameacuterica) e natildeo atendeu agraves exigecircncias da Lei de Vatores de 19337 para uma oferta puacuteblica nos Estados Unidos Ou sej^ fQi uma operaccedilatildeo repleta de irregularidades

A nova^ao -^transformaccedilatildeo de uma diacutevida em outra - deve ter uma causa legiacutetima o que natildeo se confirmou na operaccedilatildeo Brady

Por fim cabe ressaltar que a diacutevida externa contratual com bancos privados vinha sendo objeto de graves questionamentos de ordem legal com suspeitas inclusive de prescriccedilatildeo dessa diacutevida em 1992 sendo que atos iliacutecitos natildeo podem gerar consequecircncias liacutecitas

7 A Lei de Valores de 1933 foi ed itada I ogo apoacutes a Grande Crise de 1929 e regulamentou a comercializaccedilatildeo de accedilotildees tiacutetulos e demais papeacuteis financeiros

A D Iacute V I D A P Uacute B L I C A EM D E B A T E

41Caderno de estudos

Resgates Antecipados com Pagam ento de Aacutegio

Anaacutelises teacutecnicas da CPI demonstraram que logo apoacutes o referido Plano Brady foram realishyzadas trocas desses tiacutetulos por novos tiacutetulos da diacutevida externa (Global) e interna (NTN) operaccedilotildees que possuem forte indiacutecio de dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico ante os significativos desaacutegios nas emissotildees dos boacutenus Global suas elevadas taxas de juros onerosas comissotildees e demais gastos assumidos pelo Brasil bem como face agraves elevashydiacutessimas taxas de juros da diacutevida interna

Observou-se tambeacutem que os boacutenus Brady foram objeto de troca por outros tiacutetulos da diacutevida externa (por exemplo C-Bond por A-Bond em 2005) que por sua vez foram objeto de resgate antecipado a partir de 2005

A CPI apurou que o Brasil tambeacutem tem comshyprado antecipadamente tiacutetulos da diacutevida externa Ao inveacutes de pedir desconto pela antecipaccedilatildeo do pagamento os elevados pagamentos foram feitos com aacutegio que chegou a alcanccedilar 70 do valor nominal dos tiacutetulos originais

Ora qual a razatildeo para resgatar obrigaccedilotildees antecipadamente e com pagamento de aacutegio

A resposta das autoridades do Paiacutes agrave CPI da Diacutevida Puacuteblica foi no sentido de que o endividashymento eacute regido pelo ldquobenchmark mecanismo de marcaccedilatildeo de mercado que mede entre outras coisas a expectativa dos credores

0 pagamento de aacutegio pelo Tesouro brasileiro compensou expectativas frustradas de detentoshyres de tiacutetulos da divida externa brasileira emitishyda em doacutelares Um dos aspectos que afetou tal expectativa foi a queda no valor de tal moeda a partir de 2005 Tal fato eacute bastante grave e demonstra a que ponto chega o privileacutegio do setor financeiro Em nosso Paiacutes faltam recursos para o atendimento de necessidades vitais de grande parte da populaccedilatildeo como demonstrado em capiacutetulos anteriores mas sobram recursos para remunerar o capital financeiro

Pagam ento antecipado ao FMI contradiccedilatildeo inexplicaacutevel

Em 2005 durante o Governo Lula foi amplashymente propagandeado o resgate antecipado ao

DIacuteVIDA INTERNA

D gt V l gt 1

pound x t e r n P s

A chamada diacutevida interna corresponde agrave diacutevida

mobiliaacuteria - diacutevida em tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Na praacutetica a diacutevida interna eacute tambeacutem exter na pois grande parte dos tiacutetushylos dessa diacutevida tem sido adquirida porestrangeirosque encontram no Brasil a maior taxa de juros do mundo liberdade de capitais e isenccedilatildeo tributaacuteria

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica analisou a evoluccedilatildeo da diacutevida interna a partir de 1995 tendo em vista que foi justamente a partir do Plano Real que seu crescimento se acelerou de maneira impressionante como mostra o graacutefico a seguir Em dezembro de 2011 a diacutevida interna superou a cifra de 25 trilhotildees de reais

Buscando explicaccedilotildees para a contrashypartida a justificativa para essa diacutevida a CPI constatou que as altas taxas de juros foram a principal causa do cresshycimento acelerado da diacutevida interna provando que este endividamenshyto tem uma origem meramente financeira sem contrapartida em termos de desenvolvimento social e econoacutemico

O Relatoacuterio Final da CPI aprovado pela base do governo e pelo PSDB reconheceu esse grave fato que tambeacutem constitui uma importante evidecircncia da necessidade de completa auditoria dessa diacutevishyda pois a aplicaccedilatildeo de juros sobre juros (ana- tocismo) jaacute foi considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

Os trabalhos da CPI apontaram uma seacuterie de indiacutecios de ilegalidades na diacutevida interna cabenshydo ressaltar os seguintes

Esta roupa me disfarccedila melhor

Vatildeo acreditar que o beneficiaacuterio dessa diacutevida interna eacute o

povo brasileiro

Falta de transparecircncia e graves deficishyecircncias de controle e registro do endividashymento puacuteblico tais como desaparecimento de documentos falta de registro dos juros nominais efetivamente pagos por regime de caixa a cada ano bem como dos fluxos de pagamentos e recebimentos segredo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida interna insufishyciecircncia de informaccedilotildees sobre as justificativas para a emissatildeo de diacutevida

Fonte httpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201201pfpzip - Quadro 35

Os deputados membros da CPI pertencentes aos grandes partidos se recusaram a aprovar Requerimento de Informaccedilotildees que exigiria do governo o nome dos credores da diacutevida interna brasileira Somente foi aprovado requerimento de dados agregados que serviram como base para a elaboraccedilatildeo do graacutefico ao lado

Considerando que a diacutevida eacute puacuteblica seria de se esperar que os seus beneficiaacuterios fossem devidamente anunciados tal como ocorre em diversas partes do mundo inclushysive nos Estados Unidos da Ameacuterica do Norte Aqui no Brasil frequentemente autoshyridades e a grande miacutedia argumentam que a diacutevida interna beneficia pequenos aplica- dores clientes de Fundos de Investimento Contudo tal discurso natildeo apresenta fundashymento soacutelido pois quando a CPI da Diacutevida Puacuteblica requereu informaccedilotildees sobre o pershyfil dos detentores da diacutevida interna nesses Fundos requerendo informaccedilatildeo sobre a distribuiccedilatildeo dos grandes e pequenos invesshytidores) o Banco Central afirmou que natildeo dispunha desta informaccedilatildeo

Assunccedilatildeo de diacutevidas privadas espeshycialmente do setor financeiro por meio do PROER PROES e diversas outras formas

Credores da Diacutevida Interna - Abril2010

nacirco-nnanceiras

Bancos nacionais e estrangeiros

55

Fonte Banco Central (abrif2010) httpwwwbcb0ovbr htmsinfecondemabma201Q04Nlmprensazipe Secretaria de Previdecircncia Complementar (Estatiacutestica Mensal- Dez2009) -paacuteg 3Notas (1) A rubrica Fundos de Pensatildeo inclui recursos desses Fundos que se encontram aplicados em Fundos de Investimento de Renda Fixa Consequentemente a rubrica Fundos de Investimento aparece descontada destes recursos(2) A rubrica Bancos Nacionais e Estrangeiros inclui os Tiacutetulos Vinculados (que representam principalmente o depoacutesito junto ao BC petas instituiccedilotildees financeiras de tiacutetulos puacuteblicos como garantia de operaccedilotildees em Bolsa de Valores) e as Operaccedilotildees de Mercado Aberto (que significam a retirada de moeda de circulaccedilatildeo mediante entrega agraves instituiccedilotildees financeiras dos 1 tiacutetulos puacuteblicos em poder do Banco Central)

4 6Caderno De estudos | A d iacute v i d a P i j R i c a t u D E B A T E

Descumprimento de atribuiccedilotildees legais e constitucionais peios oacutergatildeos de controle do endividamento puacuteblico federal comproshyvado pela ausecircncia de resposta dos oacutergatildeos oficiais de controle interno (Banco Central e Ministeacuterio da Fazenda) a pedidos de infor maccedilatildeo sobre a diacutevida puacuteblica brasileira e pela ausecircncia de realizaccedilatildeo de auditoria nas negociaccedilotildees com bancos privados internacioshynais pelo Tribunal de Contas da Uniatildeo (TCU) Quanto ao Congresso Nacional este vem des cumprindo haacute mais de 20 anos a determinashyccedilatildeo constitucional de realizaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externa brasileira Tambeacutem natildeo regulamentou o art 30 incisos I e II da Lei de Responsabilidade Fiscal que dizem respeito aos limites globais de endividamento

Danos patrimoniais agraves financcedilas do Paiacutes configurada pela praacutetica doanatocismo (juros sobre juros) jaacute considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal aleacutem do ofeshyrecimento de taxas de juros injustificadas e excessivamente elevadas

Conflito de interesses na determinaccedilatildeo da taxa baacutesica de juros Os membros do Copom que definem as taxas de juros e demais autoshyridades do Banco Central realizam reuniotildees com analistas independentesrsquo tendo a CPI apurado que estes constituem - em cerca de 95 ou seja em sua imensa maioria - represhysentantes dos segmentos financeiros direta- mente interessados o que pode caracterizar conflito de interesses Adicionalmente a CPI constatou que a maior parte dessas autoridashydes foi trabalhar no setor financeiro privado apoacutes deixar o Banco Central As taxas de juros Selic satildeo definidas pelos 8 (oito) membros do Copom com base em criteacuterios natildeo mateshymaacuteticos pois a decisatildeo eacute tomada a partir de apresentaccedilotildees teacutecnicas discussotildees e natildeo decorrem da aplicaccedilatildeo de uma foacutermula que definiria qual deveria ser a decisatildeo do Comiteacute sobre a meta da taxa Selic cabendo ressalshytar ainda que os votos de seus membros natildeo eram divulgados

Argumentos insustentaacuteveis para os elevados juros Aleacutem da ausecircncia de justishyficativas teacutecnicas para o abusivo patamar de juros praticados durante os 15 anos analisashydos o argumento de elevar taxas de juros para combater a inflaccedilatildeo tambeacutem natildeo se sustenta

Ao mesmo tempo em que as autoridades monetaacuterias defendem a elevaccedilatildeo das taxas de juros sob a justificativa de controle inflashycionaacuterio as mesmas autoridades permitem grandes aumentos nos preccedilos administrados (tarifas de energia telefone combustiacutevel entre outros) o que eacute um total contra-senso Adicionalmente os oacutergatildeos de defesa da livre concorrecircncia natildeo tecircm conseguido combater adequadamente os carteacuteis privados que tamshybeacutem afetam a formaccedilatildeo dos preccedilos

Danos agrave economia real As elevadas taxas de juros baacutesicos impulsionam as demais taxas de juros praticadas pelos bancos provocando aumento nos custos das induacutestrias e empresas em geral deprimindo o investimento o que ocasiona a reduccedilatildeo da oferta de produtos gerando inflaccedilatildeo As elevadas taxas de juros brasileiras satildeo as maiores de todo o mundo natildeo havendo justificativa plausiacutevel para tal patamar Esse custo tem imposto atraso ecoshynoacutemico imensuraacutevel ao Paiacutes

Poliacuteticas monetaacuteria e cambial equivoshycadas Danos decorrentes da excessiva acushymulaccedilatildeo de reservas internacionais por meio da elevaccedilatildeo acelerada do estoque do endivishydamento interno A principal justificativa para a compra de doacutelares pelo Banco Central tem sido a de enxugar o excesso de moeda e eviacute tar a valorizaccedilatildeo da moeda nacional poreacutem quando o BC compra a moeda americana termina estimulando ainda mais os especushyladores a trazerem moeda estrangeira ao Paiacutes

Prejuiacutezos do Banco Central O fato de o Banco Central manter crescentes e elevadas reservas em doacutelares em seu ativo desde 2005 e tiacutetulos da diacutevida Interna em seu passivo representa enorme transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor financeiro privashydo tendo em vista a forte desvalorizaccedilatildeo do doacutelar O prejuiacutezo do Banco Central alcanccedilou R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 RS 445 bilhotildees no 1-semestre de 2011 sendo que todo esse resultado negativo foi coberto pelo Tesouro Nacional ou seja foi arcado por toda a sociedade Isso caracteriza violaccedilatildeo do princiacutepio republicano em sentishydo de adequado trato da coisa puacuteblica pelos agentes do Estado cuja investigaccedilatildeo deve ser aprofundada para apurar eventual dano ao patrimoacutenio puacuteblico

A 0 I V I C A F II li L C A r M D t 8 A 1 E |

47Caderno de

III

Todos esses graves indiacutecios de iacuterregularidades apontados pela CPI reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa auditoria dessa diacutevida

A RECENTE QUEDA DA TAXA SELICEm 2011 a taxa Selic passou a cair reduzinshy

do-se ao patamar de 8 ao ano Entretanto estudos realizados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm demonstrado que justamente quando a taxa passou a cair o Tesouro Nacional passou a praticar vendas de tiacutetulos da diacutevida brasileira em taxas fixas e superiores agrave Selic Exatamente no dia 19042012 data em que a taxa Selic caiu a 9 como amplamente notishyciado nos grandes meios de comunicaccedilatildeo o Tesouro Nacional efetuou praticamente a totalidade de vendas de tiacutetulos da diacutevida brashysileira a taxas muito superiores que chegaram a 1079 ao ano

Ora qual a razatildeo para essa praacutetica evidenshytemente contraacuteria aos interesses do Paiacutes Uma das justificativas normalmente apresentadas eacute que o mercadordquo natildeo aceita comprar por taxas mais baixas

Mas quem eacute o m ercadoA venda de tiacutetulos se daacute por meio dos dealers

- reduzido grupo de grandes bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia na compra dos tiacutetulos leiloados pelo Tesouro Nacional em primeira matildeo8

Essa modalidade de negociaccedilatildeo foi introdushyzida a partir de 2001 com a ediccedilatildeo da Circular BACEN ns 3053 havendo um rodiacutezio entre as instituiccedilotildees financeiras Na data em que o preshysente Caderno estaacute sendo elaborado os dealers

satildeo os seguintes

8 Ver lthttpwwwtMourofazendagovbrhpdownloads Rltmking_Top_5 Janeiro_12_Mertado_Primariopdfgt

Quanto mais pagamos mdash mais devemos

GASTOSCOM

JUROS

48Caderno de estudos | A o l v i D A P uacute b l i c a FM DIacute E ATE

M

M

Tesouro NacionalINSTITUICcedilOtildeES CREDENCIADAS A OPERAR COM A CODIP E COM O DEMAB

10082012 a 3101201310022012 a 31072012

BCOBRADESCOS A

BCO BTG PACTUA L S A

BCOCITIBANKS A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO J P MORGAN S A

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

CM CAPITAL MARKETS CCTVM LTDA

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ITAU UNI BANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

BCO BARCLAYS S A

BCO BRADESCO S A

BCO BTG PACTUAL S A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

DEUTSCHE BANK S A - BCO ALEMAO

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ICAP DO BRASIL CTVM LTDABRAD

ITAU UNIBANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

Referecircncia Legal Decisatildeo-Conjunta 18 de 10022010 Ato Normativo Conjunto de 26 de 08022012 e Ato Normativo Conjunto 27 de 08022012

Depreende-se que o grupo de bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia de comprar os tiacutetulos colocam o Tesouro Nacional a serviccedilo do Sistema da Diacutevida pois soacute compram os tiacutetulos leiloados quando as condiccedilotildees oferecishydas atendem a seus interesses e dessa forma na praacutetica ditam as regras Assim tem funcionado o Sistema da Diacutevida

QUEM GANHA COM ESSE PROCESSODe todo esse processo de escoamento natildeo transshy

parente dos recursos puacuteblicos por meio da diacutevida puacuteblica - interna e externa - resta uma grande certeza os detentores dos tiacutetulos - em sua maioria bancos auferem no Brasil os maiores lucros do mundo como comprova o graacutefico a seguir

Lucro dos Bancos (R$ bilhotildees)80

60

40

20

Aparente queda Aumento de Provisotildees

00 O ltN m r r m 0 00 OQ CT O O O o o o O O o O T--(Jy C l O O O o o o o o o o Ormdash (N rsi ltN ltN ltN ltN ltN ltN r| ri

Fonte Banco Central do Brasil (httpwww4bcbgovbrtop50porttop50asp)

A D l V l D A P Uacute B L I C A E M D F S A T E

49Caderno de estudos

C A P Iacute T U L O 8

O SISTEMA DA DIacuteVIDASISTEMA DA DIacuteVIDA NO BRASIL

A nos de estudos sobre o endividamento puacuteblico no Brasil em outros paiacuteses da

Ameacuterica Latina e mais recentemente na Europa permitiram a identificaccedilatildeo de um mesmo modus

operandi um desvirtuamento do papel da diacutevida puacuteblica e sua utilizaccedilatildeo em benefiacutecio do setor financcedil

Em tese a diacutevida puacuteblica deveria funcionar (como um importante instrumento de financia-

lento do Estado ou seja um instrumento que ^viabilizaria aporte de recursos ao Estado a fim de complementar recursos necessaacuterios ao cum-

Entretanto as investigaccedilotildees realizadas em diversos paiacuteses tecircm comprovado que esse papei foi usurpado e a divida puacuteblica se transformou em um instrumento agrave disposiccedilatildeo dos donos do poder financeiro^ou seja ao inveacutes de jportar recursos ao Estado tem sido um mecanismo de transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor finarccedilceiro privado

Ta) proeza eacute possibilitada por um arcabouccedilo de privileacutegios de ordem lega poliacutetica finanshyceira e econoacutemica que denominamos Sistema da Diacutevida que visa a garantir prioridade absoluta aos pagamenshytos financeiros da diacutevida puacuteblica em detrimento de direitos humanos e sociais de toda a naccedilatildeo

A fim de exemplificar como opera o Sistema da Diacutevida no Brasil cabe mencionar alguns privishyleacutegios evidenciados no modelo econoacutemico e na estrutura legal possibishylitados pelo equivocado

sistema poliacutetico que permite o financiamento privado de campanhas eleitorais

MODELO ECONOacuteMICOO modelo econoacutemico adotado no Paiacutes eacute comshy

pletamente voltado para a garantia dos privileacuteshygios da diacutevida o que se evidencia pelas seguintes caracteriacutesticas

Poder exacerbado do setor financeiro espeshycialmente bancos privados e FMI frequenteshymente identificado como 0 Mercado cujo comportamento acaba justificando poliacuteticas econoacutemicas nocivas ao Paiacutes e que beneficiam somente a eles mesmos tais como a praacutetica de juros altos as privatizaccedilotildees de setores estashytais estrateacutegicos entre muitas outras

Financeirizaccedilatildeo baseada em papeacuteis caracteshyrizada pela proliferaccedilatildeo de Fundos Soberano do Preacute-Sal de Previdecircncia etc que absorvem todo o risco do mercado financeiro desregu- lado Tais fundos podem se transformar em veiacuteculos para a transmissatildeo para o Brasil dos papeacuteis podres que provocaram a atua crise financeira internacional

FUNDO DE PENSAtildeO

57a d I v i o a - uacute raquobull i r a f m d f r a t e | Caderno de estudos

58Caderno de estudos

Liberdade total para os fluxos de capitais pershymitindo que bancos nacionais utilizem setores sediados no exterior para usufruir da isenccedilatildeo tributaacuteria sobre os rendimentos proporcionashydos pelos mais elevados juros do mundo pagos pelo Brasil Adicionalmente essa liberdade de movimentaccedilatildeo deixa vulneraacuteveis as poliacuteticas monetaacuteria e cambia praticadas no Pais

Ausecircncia de Transparecircncia nas negociaccedilotildees que geraram endividamento puacuteblico na divulgaccedilatildeo dos valores dos juros nominais efetivamente pagos sigilo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida puacuteblica aleacutem da utilizaccedilatildeo de artifiacutecios e decishysotildees baseadas em documentos secretos natildeo acessiacuteveis agrave populaccedilatildeo

Prioridade para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrada em poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria que representam elevados ganhos ao setor financeiro

Privileacutegios tributaacuterios para o setor financeiro e grandes corporaccedilotildees e pesada carga tributaacuteria para a classe trabalhadora

Esse modelo vem submetendo sucessivos governantes - ainda que de partidos diferentes- ao mesmo poder econoacutemico que financia as suas campanhas eleitorais e dessa forma exerce grande influecircncia nas decisotildees poliacuteticas do Paiacutes

Adicionalmente os donos do poder financeiro exercem o controle da grande miacutedia como antes mencionado e natildeo raro financiam instituiccedilotildees de ensino para desenvolver robustas teses em defesa do funcionamento desse injusto modelo que os beneficia

OS PRIVILEacuteGIOS LEGAIS DA DIacuteVIDA

V imos que a diacutevida puacuteblica brasileira tem consumido anualmente quase a

metade dos recursos da Uniatildeo provenienshytes tanto de arrecadaccedilatildeo tributaacuteria como da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

Para conseguir essa faccedilanha a diacutevida conshyta com um enorme arcabouccedilo de ordem legal- uma superestrutura juriacutedica - que garante a prioridade de recursos para os pagamentos finanshyceiros da diacutevida puacuteblica enquanto que remanesce desassistida uma significativa porccedilatildeo dos direitos sociais e humanos do povo brasileiro

Constituiccedilatildeo FederalEacute na Constituiccedilatildeo Federal que tem iniacutecio o

arcabouccedilo juriacutedico que garante os privileacutegios da diacutevida Vejamos o que determina o art 166

Art 166 Os projetos de lei relativos ao plano pluria- nual agraves diretrizes orccedilamentarias ao orccedilamento anual

e aos creacuteditos adicionais seroo apreciados pelas duas

Casas do Congresso Nacional na forma do regimento

comum

U

sectS As emendas ao projeto de lei do orccedilamento

anual ou aos projetos que o modifiquem somente

podem ser aprovadas caso

()II - indiquem os recursos necessaacuterios admitidos

apenos os provenientes de anulaccedilatildeo de despesa

excluiacutedas as que incidam sobre

()b) serviccedilo da divida

Segundo diretriz consagrada no direito finanshyceiro toda despesa puacuteblica deve trazer consigo no orccedilamento em que estiver prevista a fonte e o montante dos recursos a elas destinados

0 dispositivo constitucional antes transcrito- letra b do art 166sect3Ecirc II - abriu exceccedilatildeo a essa regra quando se tratar de necessidade de recursos puacuteblicos destinados ao pagamento da diacutevida puacuteblica que NAtildeO necessitam ter sua fonshyte prevista no orccedilamento

0 efeito claro desse dispositivo eacute a liberaccedilatildeo indiscriminada de valores para o pagamento de serviccedilos da diacutevida inclusive com impacto negashytivo sobre os gastos sociais Quando os recursos- mesmo apoacutes os contingenciamentos de gastos sociais - nagraveo satildeo suficientes para pagar o serviccedilo da diacutevida novos tiacutetulos da diacutevida satildeo emitidos provocando-se elevaccedilatildeo contiacutenua de seu estoshyque apesar dos vultosos pagamentos

Aleacutem do mais este dispositivo constitucional impede que o Legislativo - por meio de emenshydas - altere o valor destinado ao pagamento do serviccedilo da diacutevida Em bom portuguecircs o Congresso Nacional fica vaacuterios meses discutindo tudo sobre o Orccedilamento menos o essencial ou seja o serviccedilo da diacutevida que consome a maior parcela dos recursos puacuteblicos

CONSTITUICcedilAtildeO FRAUDADA

A inserccedilatildeo desse dispositivo no texto constitushycional eacute bastante questionada

Importante estudo realizado no ano de 2006 por Adriano Benayon e Pedro Antonio Dourado de Rezende demonstrou uma grave irregularidade praticada durante o periacuteodo da Constituinte

O estudo Anatomia de uma Fraude agrave Constituiccedilatildeo eacute acompanhado de uma seacuterie de documentos fotos e publicaccedilotildees

Segundo os autores o projeto do atual art 166 da Constituiccedilatildeo natildeo incluiacutea nenhuma exceccedilatildeo ao dispositivo segundo o qual as emendas ao projeshyto de lei do orccedilamento anual ou aos projetos que o modifiquem somente podem ser aprovadas caso indiquem os recursos necessaacuterios E assim foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) No momento da sistematizaccedilatildeo do texto constitucional o artigo passou agrave votaccedilatildeo em segundo turno sem nenhushyma alteraccedilatildeo acompanhado das emendas correshylatas As emendas poderiam versar apenas sobre erros ou contradiccedilotildees Contudo no momento da votaccedilatildeo surgiram emendas que diziam respeito agrave alteraccedilatildeo de meacuterito

Ao cumprir a Ordem do Dia o presidente da ANC anunciou a fusatildeo das propostas de Emenda do artigo () com outras relativas a outros

artigos pondo em votaccedilatildeo um uacutenico texto para os tregraves artigos que supostamente as reunia para votaccedilatildeo simultacircnea Nesse iacutenterim foram irreshygularmente adicionados dispositivos agrave redaccedilacirco que havia sido aprovada em primeiro turno e que alteravam substancialmente o dispositivo originai Os dispositivos adicionados () surgishyram somente no Requerimento apresentado no dia de votaccedilatildeo Dessa forma as exceccedilotildees hoje verificadas no texto constitucional foram subshymetidas agrave votaccedilatildeo somente no 2o turno como se fosse meramente uma compilaccedilatildeo do que jatilde havia sido votado Induzidos os constituintes aprovaram o artigo por ampia maioria (408 favoshyraacuteveis 5 contraacuterios e 12 abstenccedilotildees)

Posteriormente a irregularidade foi assumishyda publicamente pelo entatildeo deputado Nelson Jobim

Apesar de denuacutencias e protestos ateacute o momento esse dispositivo que carrega forte evidecircncia de viacutecio de origem permanece intacto e produzindo onerosos efeitos Esse dispositivo constitucional suspeito de fraude garante prioshyridade absoluta agrave diacutevida puacuteblica

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL-LRF

Outro privileacutegio da diacutevida eacute evidenciado na Lei de Responsabilidade Fiscal - Lei

Complementar na 1012000 - LRFEsta lei saudada pela grande miacutedia e por setores

dominantes como se fosse a lei que viria potilder fim agrave corrupccedilatildeo puacuteblica na realidade natildeo trata de desvio de recursos maacute versaccedilatildeo ou mesmo corrupccedilatildeo

A referida lei trata de controle do gasto puacuteblico a fim de garantir o pagamento da diacutevida puacuteblica

A LRF resultou de uma imposiccedilatildeo do Fundo Monetaacuterio Internacional ao governo brasileiro seguindo a esteira do organismo no sentido da defesa incondicionada da austeridade fiscal

Na praacutetica essa austeridade significa o rigoroso controle dos gastos puacuteblicos gerando uma ecoshynomia forccedilada uma sobra de recursos que se denomina superavit primaacuterio destinado a garantir a confianccedila dos credores internacionais de que o Brasil teraacute recursos para honrar o pagamento dos vultosos juros da divida

59a d iacute v i c a f j e l c a FM o E 0 a i t I Caderno de estudos

Para cumprir a meta de superaacutevit primaacuterio os sucessivos governos tecircm iniciado cada ano com a ediccedilatildeo de um decreto para o contingenciamento de verbas que o orccedilamento votado no Congresso Nacional havia destinado agraves diversas aacutereas sociais

O atual governo da Presidenta Diiacutema editou em 2011 o Decreto 74452011 contingenciando o montante recorde de R$ 50 bilhotildees

Em 2012 novo recorde foi batido e o Decreto 76802012 contingenciou o montante de R$ 55 bilhotildees o que comprova a rigorosa contenccedilatildeo do orccedilamento destinado agraves aacutereas sociais

De acordo com o art 73 da LRF caso o admishynistrador puacuteblico deixe de pagar os serviccedilos da diacutevida - ainda que para evitar a falecircncia dos sershyviccedilos baacutesicos do Estado ou mesmo caso a diacutevida cresccedila de maneira inesperada por conta de uma elevaccedilatildeo dos juros - poderaacute responder por crime de responsabilidade

O Art16 da LRF tambeacutem impede que Legislativo aprove qualquer projeto de lei que implique em aumento de gastos sociais Por outro lado a refeshyrida lei natildeo estabelece limite algum para os gastos com a diacutevida puacuteblica Tambeacutem natildeo estabelece limite para o custo da poliacutetica monetaacuteria desemshypenhada pelo Banco Central - que gerou prejuiacutezos brutais de R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 201 Oe R$ 445 bilhotildees no I2 semestre de 2011

- e ainda por cima determina que esse prejuiacutezo seja absorvido pelo Tesouro Nacional

A mesma lei tambeacutem faz seacuterias restriccedilotildees a Estados e Municiacutepios impondo-lhes que sigam os objetivos da poliacutetica econoacutemica nacional os quais como temos demonstrado natildeo satildeo outros que natildeo garantir de modo absoluto o credor financeiro e congelar os dispecircndios sociais Trata-se de clara afronta ao principio federativo e mais uma das divershysas irregularidades legitimadas pelo ordenamento juriacutedico brasileiro que precisam ser revistas

LEI DE DIRETRIZES ORCcedilAMENTAacuteRIAS

T ambeacutem a LDO (Lei de DiretrizesOrccedilamentarias) que anualmente estabelece as linhas gerais

do orccedilamento do exerciacutecio posterior corrobora a primazia da diacutevida puacuteblica no ordenamento juriacutedico brasileiro A tiacutetulo de exemplo veja-se o que estabelece o art 2pound da diretriz orccedilamentaacuteria de 2012

Art 2o- A elaboraccedilatildeo e a aprovaccedilatildeo do Projeto de

Lei Orccedilamentaacuteria de 2012 bem como a execuccedilatildeo

da respectiva Lei deveratildeo ser compatiacuteveis com

a obtenccedilatildeo da meta de superaacutevit primaacuterio ()

9 MIRANDA Seacutergio A farsa do Lei de Responsabilidade Fiscal

Brasiacutelia- Cacircmara dos Deputados 2000

60

Caderno de estudos | D i v [gt A p tt 3 1 i o a F m l _ R a ~ t

Dessa forma a elaboraccedilatildeo do orccedilamento da Uniatildeo passa a ter como princiacutepio fundamental a obtenccedilatildeo de superaacutevit primaacuterio A partir do estashybelecimento desta reserva de recursos para a divishyda os recursos primaacuterios satildeo distribuiacutedos agraves demais rubricas Eacute importante ressaltar que essa poliacutetica que reserva centenas de bilhotildees de reais de receitas natildeo-primaacuterias para o pagamento de juros e amortishyzaccedilotildees da diacutevida - e aleacutem disso reserva parte subsshytancial das receitas primaacuterias tambeacutem para esse fim- tem travado completamente o desenvolvimento do paiacutes (ver item Superaacutevit Primaacuterio no capiacutetulo 3) A diacutevida absorve cerca de metade de todas as receitas - primaacuterias e natildeo-primaacuterias - impedindo a realizaccedilatildeo de investimentos reajustes salariais para servidores e atendimento agraves necessidades sociais

A LDO tambeacutem estabelece que a atualizaccedilatildeo da diacutevida puacuteblica federa natildeo deveraacute superar o IGP-M - iacutendice divulgado por instituiccedilatildeo privada a Fundaccedilatildeo Getulio Vargas

A LDO tem estabelecido que a parte do refishynanciamento da diacutevida puacuteblica deve constar separadamente do orccedilamento o que tem provoshycado grande distorccedilatildeo na divulgaccedilatildeo dos nuacutemeshyros oficiais da diacutevida como antes mencionado (ver item Os nuacutemeros da diacutevida no capiacutetulo 4)

O DOGMA DE COMPRARA CONFIANCcedilA DO DEUS MERCADO

O arcabouccedilo juriacutedico que privilegia os gasshytos financeiros em detrimento dos direitos

sociais eacute resultado de um processo da histoacuteria brasileira que consolidou no senso comum a ideia de que eacute mais importante para o Paiacutes manter sua imagem de bom pagador perante credores e especuladores que fornecer ao seu povo um serviccedilo puacuteblico de qualidade ainda que isso sigshynifique insistir no pagamento de diacutevidas ilegais ilegiacutetimas e insustentaacuteveis

Tambeacutem eacute de se notar com clareza a influecircncia externa sofrida para que fossem aprovadas medishydas como essa Apoacutes esgotar os recursos do paiacutes e travar o nosso desenvolvimento com as poliacuteticas impostas na deacutecada de 1980 o FMI continuou a impor com matildeo de ferro a agenda neoliberal no Brasil E isso se fez com especial vigor pela implanshytaccedilatildeo do Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo resultado de negociaccedilatildeo com o oacutergatildeo financeiro

Poressa metodologia posta em praacutetica a partir do Decreto n 308899 todas as vezes em que se projetar um aumento da inflaccedilatildeo em niacutevel superior ao programado ou houver excesso de moeda em circulaccedilatildeo ativam-se dois instrumentos (a) aumenshyto da taxa baacutesica de juros (Selic) (b) enxugamento de moeda em operaccedilotildees de mercado aberto

Qualquer que seja o instrumento utilizado o efeito resulta em aumento da diacutevida puacuteblica pois

a) A elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic provoca a elevaccedilatildeo dos compromissos financeiros relashycionados ao pagamento de juros da diacutevida Se os recursos existentes natildeo satildeo suficientes nova diacutevida eacute emitida

b) O enxugamento de moeda pelo Banco Centrai se daacute por meio da entrega de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica em troca do excesso de moeda

Dessa forma o Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo em praacutetica no Paiacutes natildeo tem servido para controlaro tipo de inflaccedilatildeo que temos (decorrente do reashyjuste excessivo de tarifas puacuteblicas e do preccedilo de alimentos) e na praacutetica tem sido um mecanismo de geraccedilatildeo de diacutevida puacuteblica

OUTROS PRIVILEacuteGIOS QUE GARANTEM A DESTINACcedilAtildeO DE RECURSOS PARA O PAGAMENTO DA DIacuteVIDA

A leacutem dos questionaacuteveis privileacutegios legais visshytos existem outros privileacutegios adicionais que

garantem a destinaccedilatildeo de recursos para o serviccedilo da diacutevida

Lucro do Banco Central Quando o Banco Central apura lucro operacional esse lucro eacute destinado exclusivamente ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Medida Provisoacuteria na 2179-362001 Art 2a sect1He Lei 118032008 Art 32

Os valores pagos na forma do inciso I do art 2nda Medida Provisoacuteria n 2179-36 de 24 de agosto de 2001 [lucro do BC] seracirco destinados exclusivamente ao pagamento da Diacutevida Puacuteblica Mobiliaacuteria Federal devendo ser paga prioritariamente aquela existente junto ao Banco Central do Brasil

61A D v i n a p u b l i c a em B F B A l E I Caderno de estudos

Por outro lado se o Banco Central apura prejushyiacutezo operacional a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que o Tesouro cubra este prejuiacutezo como antes mencionado

Lucro das estatais distribuiacutedos ao govershyno Enquanto a parcela das accedilotildees das estatais que se encontra em matildeos privadas garante a esses proprietaacuterios os respectivos dividendos os lucros referentes agrave parceia das estatais que ainda remanesce sob propriedade puacuteblica eacute destinada por iei para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Lei ns 95301997 - Art 1E Seratildeo destina dos agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

I - a receita do Tesouro Nacional decorshyrente do pagamento de participaccedilotildees e dividendos pelas entidades integrantes da Administraccedilatildeo Puacuteblica Federal indireta inclusive os relativos a lucros acumulados em exerciacutecios anteriores

Eacute por isso que a Petrobras por exemplo emboshyra seja uma das empresas mais lucrativas do mundo acaba contraindo diacutevidas para realizar investimentos Eacute por isso tambeacutem que embora sejamos autossuficientes na produccedilatildeo de petroacuteshyleo a gasolina brasileira eacute tatildeo cara para gerar lucros que iratildeo pagar a diacutevida

Pagamento da diacutevida dos Estados e Municiacutepios com a Uniatildeo A Uniatildeo natildeo usushyfrui dos recursos sacrificados por Estados e Municiacutepios para o pagamento de suas diacutevidas pois por lei o que a Uniatildeo recebe dos Estados e Municiacutepios destina-se exclusivamente ao pagamento da divida federal que em sua maior parte estaacute nas matildeos dos bancos nacionais e estrangeiros

Emissatildeo de novos tiacutetulos Esse constitui um dos principais privileacutegios da diacutevida jaacute que a lei autoriza a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevida Cabe ressaltar que a Constituiccedilatildeo Federal art 167 autoriza a emissatildeo de diacutevida somente para pagar amortizaccedilotildees (despesa de capital) vedando poreacutem a emissatildeo de diacutevida para pagar juros (despesa corrente)Entretanto a contabilizaccedilatildeo irregular de parte dos juros nominais (atualizaccedilatildeo monetaacuteria) como se fosse rolagem vem burlando essa vedaccedilatildeo constitucional

Constituiccedilatildeo Federal art 167Art 167 Satildeo vedados()

III - a realizaccedilatildeo de operaccedilotildees de creacuteditos que excedam o montante das despesas de capital

A Lei 101792001 tambeacutem permite a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevidas anteriores mas natildeo permite a emissatildeo de diacutevida para garantir direitos sociais aos brasileiros

Recursos obtidos com PrivatizaccedilotildeesPor lei os recursos advindos das privatizaccedilotildees do patrimoacutenio puacuteblico se destinaram ao pagashymento da diacutevida puacuteblica

Remuneraccedilatildeo da Conta Uacutenica do Tesouro pelo Banco CentralOs recursos auferidos com tal remuneraccedilatildeo se destinam ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Recursos autorizados pelas Medidas Provisoacuterias ndeg 435 e 450 convertidas nas Leis n2 118032008 e 119432009

62Caderno de estudos | a D I v i DA P Uacute B L I C A fcM D pound u iacute F

Tais medidas permitiram que todos os recursos rtatildeo gastos durante o ano de qualquer rubrica t de receita vinculada por lei a alguma aacuterea social fossem destinados a partir de 2008 ao pagagraveymdash mento da diacutevida puacuteblica T -

Em um uacutenico ano - 2008 - a MP 435 viabilizou a transferecircncia de cerca de R$ 40 bilhotildees de recurshysos antes vinculados a outras aacutereas estrateacutegicas (FUNDAF Royalties do Petroacuteleo entre outras) para o pagamento da diacutevida

Lei nE 119432009 (conversatildeo da MP 435) Art 13 O excesso de arrecadaccedilatildeo e o superaacutevit financeiro das fontes de recursos existentes no Tesouro Nacional poderatildeo ser destinados agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

Epor causa dessa impressionante estrutura legal que a diacutevida puacuteblica consegue absorver a cada ano quase a metade dos recursos da Uniatildeo apesar das evidecircncias de que essa diacutevida tem sido um instrumento meramente financeiro de mercado sem qualquer contrapartida

real para a populaccedilatildeoPor outro lado a populaccedilatildeo que paga a conta - por meto de elevada carga tributaacuteria e peta

ausecircncia dos serviccedilos sociais que tem direito - continua desprovida de bens e serviccedilos elementares a despeito da grande riqueza do nosso Paiacutes que vergonhosamente ostenta o tiacutetulo de um dos paiacuteses mais injustos e desiguais do mundo

Nacirco deveria ser assim Essa situaccedilatildeo precisa ser enfrentada e modificada

ldquoA luta pela verdade deve ter precedecircncia sobre todas as outras

A L B E R T E I N S T E I N

63a D I v i d a p ij B I i c A EM D E B A T E | Caderno de estudos

Page 6: A dívida pública em debate. (livro)

Da forma como regulamentado o Regime de Metas de Inflaccedilatildeo toda vez que a inflaccedilatildeo ameshyaccedila ultrapassar a meta estabelecida (atualmente em 45 ao ano) seu controle tem sido feito por meio da elevaccedilatildeo da taxa Selic desconsiderandoshy-se as verdadeiras causas do aumento de preccedilos no Brasil

Ao mesmo tempo em que os salaacuterios do setor puacuteblico e privado ficaram literalmente congeshylados a partir do Piano Real em 1995 a diacutevida puacuteblica federal passou a ter atualizaccedilatildeo moneshytaacuteria automaacutetica calculada com base em iacutendice publicado por instituiccedilatildeo privada - IGP-M da Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas - que indica a expecshytativa de inflaccedilatildeo

Aiacute estaacute um dos grandes equiacutevocos e distorshyccedilotildees do modelo econoacutemico em vigor no Paiacutes que privilegia o setor financeiro

0 resultado foi o crescimento explosivo dos gastos com a diacutevida puacuteblica federal em detrimenshyto dos gastos com serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo como mostra o graacutefico abaixo

A outra ferramenta utilizada pelo Banco Central para controlara inflaccedilatildeo tem provocado o crescimento acelerado da diacutevida e acumulado

reservas internacionais a um custo altiacutessimo para o Paiacutes Ateacute a presidenta Dilma reclamou do excesso de moeda que tem ingressado no Brasil manifestando-se publicamente contra o que chashymou de tsunami

0 mecanismo que impediria esse tsunami seria a implantaccedilatildeo de controle de capitais o que jaacute vem sendo praticado por diversos paiacuteses em todoo mundo

Ao contraacuterio de estabelecer esse controle sobre o ingresso de capitais o Banco Central tem enxugado esse excesso de moeda por meio das chamadas Operaccedilotildees de Mercado Aberto mediante as quais fica com o excesso de doacutelares e entrega tiacutetulos da diacutevida puacuteblica brasileira aos bancos

A justificativa para tais operaccedilotildees eacute o risco de que tal excesso possa provocar inflaccedilatildeo

Desde que o doacutelar comeccedilou a se desvalorizar em todo o mundo o volume dessas operaccedilotildees de mercado aberto passou a aumentar acelerashydamente pois os especuladores viram o gatilho acionado pelo Regime de Metas de Inflaccedilatildeo como uma tremenda oportunidade para trazer seus doacutelares para o Brasil e trocaacute-los por tiacutetulos

Orccedilamento Geral da Uniatildeo - Gastos Selecionados (R$ bilhotildees)

800 gt

se

C

Fonte Secretaria do Tesouro Nacional (STN)SIAF1 (Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal) Inclui a poundgC rolagem ou ldquorefinanciamento da diacutevida

22Caderno de estudos I A Q I v I C A F Uacute B L C A e m O F B A T E

Juros e

da diacutevida puacuteblica brasileira que pagam os maioshyres juros do mundo isentos de qualquer tributo podendo fugir do Paiacutes quando bem entenderem engordados pela variaccedilatildeo cambial

Por sua vez o Banco Central fica com os doacutelashyres e os destina agraves Reservas Internacionais que jaacute se aproximam de US$ 400 bilhotildees e natildeo rendem quase nada ao Paiacutes pois estatildeo aplicadas em granshyde parte em tiacutetulos da diacutevida norte americana que pagam juros proacuteximos de zero e ainda temos que arcar com os custos de senhoriagem

Por isso o Banco Central (BC) tem apresentashydo nos uacuteltimos anos prejuiacutezos bilionaacuterios R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 e no 1s semestre de 2011 R$ 445 bilhotildees tudo isso transshyferido para o Tesouro Nacional e arcado por todos os brasileiros Contudo quando o BC apresenta lucro operacional este eacute destinado exclusivamenshyte por lei para o pagamento da diacutevida

Dessa forma a prioridade do atual modelo econoacutemico para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrado nas poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria tem provocado grandes danos financeiros

MODELO TRIBUTAacuteRIO INJUSTO

A maneira mais oacutebvia de promover justiccedila fiscal e distribuir renda seria por meio da

cobranccedila de tributos de forma justa ou seja os mais ricos contribuiriam mais para que os recurshysos arrecadados pelo Estado pudessem ser aplicashydos em poliacuteticas puacuteblicas que beneficiassem toda a populaccedilatildeo especialmente aos mais pobres

Natildeo eacute isso que ocorre no Brasil O sistema trishybutaacuterio brasileiro eacute extremamente regressivo pois a maior parte dos tributos satildeo indiretos embutidos nos preccedilos de todos os produtos e serviccedilos que satildeo consumidos igualmente por pobres e ricos

bull Contraditoriamente os mais beneficiados comI aliacutequotas reduzidas isenccedilotildees incentivos fiscais j e deduccedilotildees satildeo justamente aqueles que mais ^poderiam contribuir para as financcedilas puacuteblicas

O exemplo mais contundente desse benefiacutecio eacute o fato de que ateacute hoje ainda natildeo foi regulamenshytado o Imposto sobre Grandes Fortunas previsto na Constituiccedilatildeo Federal de 1988

Adicionalmente desde o governo FHC a poliacuteshytica fiscal regressiva tem se voltado ao privileacutegio do sistema financeiro e grandes corporaccedilotildees

Dentre os benefiacutecios tributaacuterios concedishydos ao capital financeiro durante os anos FHC destacam-se

reduccedilatildeo da aliacutequota do Imposto de Renda das instituiccedilotildees financeiras - 1RPJ - de 25 para15

reduccedilatildeo do adicional do IRPJ de 12 e 18 para10

reduccedilatildeo da Contribuiccedilatildeo Social sobre o Lucro Liquido - CSLL de 30 para 8 posteriormente elevada para 9

reduccedilatildeo da base de caacutelculo do IRPJ e da CSLL ao permitir a deduccedilatildeo dos juros sobre capital proacuteprio

isenccedilatildeo do imposto de renda sobre remessa de lucros e dividendos ao exterior

Lula manteve todos esses privileacutegios e ainda concedeu outros sobressaindo-se a isenccedilatildeo de Imposto de Renda para estrangeiros que lucram com os tiacutetulos da diacutevida interna brasileira por meio da Lei 113122006

Ao mesmo tempo em que foram aprovadas leis que garantiram essas benesses ao grande capital outras normas aumentaram os tributos sobre o consumo impactando sobremaneira as classes mais baixas que empregam a totalidade de seus rendimentos no consumo de bens essenciais agrave sua sobrevivecircncia

23A n I V D A P Uacute B L I C A EM C E B A l L I Caderno de estudos

AS BENESSES TRIBUTARIAS DOS ESPECULADORES

Lei 113122006

Art 1 Fica reduzida a zero a aliacutequota do imposto de renda incidente sobre os rendimentos () proshyduzidos por tiacutetulos puacuteblicos adquiridos a partir de 16 de fevereiro de 2006 quando pagos creshyditados entregues ou remetidos a beneficiaacuterio residente ou domiciliado no exterior

Aleacutem disso desde o Plano Reai a classe trabashylhadora vem sendo pesadamente onerada face ao congelamento da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Fiacutesica

Essa medida faz com que o trabalhador passe a pagar mais Imposto de Renda quando obteacutem meros reajustes inflacionaacuterios que natildeo modificam seu padratildeo de vida ou sua capacidade contributiva Apesar dos reajustes ocorridos a atualizaccedilatildeo da tabela do IRPF ainda acumula mais de 50 de defa- sagem o que caracteriza um verdadeiro confisco

Essas injusticcedilas do modelo tributaacuterio aproshyfundam o fosso social De acordo com pesshyquisa recente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econoacutemica Aplicada) pessoas cuja renda mensai

familiar alcanccedilava ateacute dois salaacuterios miacutenimos comprometiam 539 dos seus ganhos com o pagamento de tributos enquanto que outras com renda superior a 30 salaacuterios miacutenimos comprometiam apenas 29 3 A mesma pesshyquisa mostra que cerca de 50 da nossa carga tributaacuteria eacute indireta incidindo sobre o consushymo e atingindo indiscriminadamente a toda a populaccedilatildeo independentemente da renda e da riqueza Dessa maneira o pobre que faz suas compras no supermercado paga o mesmo imposto do milionaacuterio A renda por sua vez influencia em apenas 19 a carga tributaacuteria do Paiacutes Nos Estados Unidos ela responde por 49 dos gastos dos cidadatildeos com tributos

A carga tributaacuteria brasileira em meacutedia natildeo eacute considerada alta se comparada agrave de outros paiacuteshyses Contudo quando se observa a ausecircncia ou extrema insuficiecircncia do devido retorno em bens e serviccedilos puacuteblicos constata-se o caraacuteter extrema mente injusto da tributaccedilatildeo brasileira Ademais os tributos arrecadados destinam-se principalmente para o pagamento de juros da diacutevida puacuteblica o que caracteriza seu desvio de finalidade

2 Fonte lthttpamaivDsuolcombramaivos09noticiagt

ldquoLEI KANDIR

A discussatildeo sobre a tributaccedilatildeo no Brasil natildeo pode passar ao largo de um dos instrumentos mais controversos de estiacutemulo agrave exportaccedilatildeo - a chamada LeiKandir

Esta lei (Lei Complementar 871996) entrou em vigor em 1996 Por seus dispositivos isenta do pagamento de tributo estadua - ICMS (Imposto sobre Circulaccedilatildeo de Mercadorias e Serviccedilos) - a comercializaccedilatildeo de produtos destinados agrave exportaccedilatildeo com o claro objetivo de atingir um superaacutevit na balanccedila comerciai e gerar divisas para o pagamento da diacutevida externa

Essa isenccedilatildeo de ICMS representou uma grande perda de receitas para Estados e Municiacutepios que repartem o produto da arrecadaccedilatildeo do imposto Ao mesmo tempo a medida favoreceu enormemente aos grandes exportadores

Para compensar a perda dos Estados e Municiacutepios a Uniatildeo se obrigou por meio da referida lei a compensar as unidades federativas na proporccedilatildeo de 75 para os Estados e 25 para os Municiacutepios A forma de compensaccedilatildeo contudo foi a emissatildeo de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica Por muito tempo a Uniatildeo restituiu apenas parcialmente o valor devido Atualmente o governo sequer reconhece o dever de indenizaccedilatildeo aos Estados omitindo-se ateacute mesmo de prever os recursos indenizatoacuterios na Lei Orccedilamentaacuteria agravando o problema de arrecadaccedilatildeo nos Estados A medida tem contribuiacutedo para agravar a crise das financcedilas estaduais estimulada por outro lado pelas imensas diacutevidas que estes contraem perante a Uniatildeo

2 4Caderno de estudos [ A Cl v 1 rgt A p uacute b l i c a e m C E U a t e

POLIacuteTICA DE SUPERAVIT PRIMAacuteRIO E DIacuteVIDA PUacuteBLICA

Embora ainda pouco discutido o principal problema econoacutemico do Brasil eacute a chamada

diacutevida puacuteblica tratada com mais detalhes nos capiacutetulos seguintes

JEcircSUPERAacuteVIT PRIMAacuteRIO

O superaacutevit primaacuterio eacute a economiardquo forccedilada de gastos puacuteblicos para o cumprimento de meta imposta pelo FMI ao Brasil desde 1998 Esse valor eacute calculado como um percentual do PIB mas recai unicamente sobre a parte do orccedilamento referente aos gastos primaacuterios isto eacute sobre os gastos e investimentos sociais

Os gastos com juros da diacutevida - classificados como natildeo-primaacuterios - natildeo entram nesse cocircmpushyto Da mesma forma as receitas natildeo-primaacuterias especialmente a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida tambeacutem natildeo entram no caacutelculo da meta de superaacutevit primaacuterio

A consequecircncia dessa foacutermula draconiana eacute o arrocho fiscal sobre os gastos sociais para que cada vez mais recursos puacuteblicos sejam destinados ao pagamento de juros da diacutevida Trata-se de escandaloso privileacutegio aos rentistas proprietaacuterios dos tiacutetulos da diacutevida brasileira - em sua imensa maioria instituiccedilotildees do sistema finanshyceiro nacional e internacional - pois os gastos

com os juros satildeo liberados da meta de superaacutevitDessa forma centenas de bilhotildees de reais de

recursos obtidos com a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida e demais fontes natildeo-primaacuterias (tais como o recebimento de juros e amortizaccedilotildees das diacutevidas de estados e municiacutepios com a Uniatildeo eventuais lucros do Banco Central entre outros) soacute podem ser destinados ao pagamento dos juros pois se forem destinados a gastos sociais a meta de superaacutevit primaacuterio natildeo seria cumprida

Por meio dessa foacutermula o privileacutegio do pagashymento de juros da diacutevida se sobrepotildee aos direitos sociais e ao atendimento das urgentes necessidashydes do povo brasileiro

0 Congresso Nacional aprovou em 17072012 a Lei de Diretrizes Orccedilamentarias (LDO) para 2013 prevendo a meta de superaacutevit primaacuterio correspondente a R$ 1559 bilhotildees para a Uniatildeo Estados e Municiacutepios Entretanto o seu efeito alcanccedila quase R$ 1 trilhatildeo ou seja cerca da metashyde do Orccedilamento Geral da Uniatildeo na medida em que obriga que receitas natildeo-primaacuterias sejam destinadas diretamente para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Por isso eacute urgente auditar essa diacutevida - como manda a Constituiccedilatildeo Federal - e destrinchar os malabarismos que tecircm sido feitos para desviar cada vez mais recursos puacuteblicos para o setor financeiro privado

Em 2011 foram gastos quase R$ 2 biiacutehotildees por dia com a diacutevida puacuteblica Quem paga essa conta

Todos noacutes brasileiros pagamos a diacutevida puacuteblica de vaacuterias formas Pagamos diretamente por meio dos tributos embutidos em tudo o que consumimos ou recebemos Pagamos tambeacutem por meio dos serviccedilos puacuteblicos que deixamos de receber em razatildeo do corte de

gastos da Sauacutede Educaccedilatildeo Seguranccedila Transporte Saneamento Cultura Assistecircncia Social etc Por isso todos temos o direito de saber afinal que diacutevida eacute essa

25A D V I D A F uacute B L CA F M D E B A T E Caderno de estudos

O PAGAMENTO DE JUROS E AMORTIZACcedilOtildeES DA DIacuteVIDA CONSOME QUASE A METADE DOS RECURSOS DA UNIAtildeO

Elaboraccedilatildeo Auditoria Cidadatilde da Divida Nota 0 valor de R$ 708 bilhotildees inclui o chamado refinanciamento ou roiacuteagem pois a CPI da Divida Puacuteblica comprovou que parte relevante dos juros satildeo contabilizados como tal Para mais informaccedilotildees ver lthttpwwwauditoriacidadaorgbrwp-contentuploads201204Numerosdividapdfgt

26Caderno de estudos | acirc I V i D A P D B L 1 e A IacuteM d e s a t p

Orccedilamento Geral da Uniatildeo de 2011 - Executado - Total R$ 1571 trilhatildeo

Juros e Amortizaccedilatildeo

da Diacutevida

4505mdash imdash

R$ 708 bilhotildees

Transferecircncia para Estados e Municiacutepios

012 Relaccedilotildees Exteriores

012 Organizaccedilatildeo Agraacuteria

010 Induacutestria

008 Com eacutercio e Serviccedilos

008 Urbanism o

006 Direitos de C idadania

004 Cultura

004 Com unicaccedilotildees

003 Energia

002 Desporto e Lazer

002 Saneam ento

000 H abitaccedilatildeo

Gestatildeo Am bien ta 015 Ciecircncia e Tecnologia 032

Essencial agrave Ju s ticcedila 034 Leg is la tivo 036

Seguranccedila Puacuteb lica 041 Agricu ltura 061 Transporte 068

A dm in istraccedilatildeo 110 Jud ic iaacute rio 134

Defesa Nacional 177 Trabalho 229

AssistecircnciaS 285 Educaccedilatildeo 299

Sauacutede 407

C A P Iacute T U L O

A DIacuteVIDA PUacuteBLICA BRASILEIRAT odas as naccedilotildees devem garantir vida digna agrave

sua populaccedilatildeo Por isso elas satildeo autorizadas a contrair diacutevidas dentro de determinados limites e condiccedilotildees legais pois nem sempre os recursos arrecadados por meio dos tributos alcanccedilam os montantes suficientes ao atendimento das necesshysidades sociais

Portanto a diacutevida puacuteblica deveria ser um importante instrumento de financiamento do Estado e um meio viabilizador da implementaccedilatildeo de investimentos e poliacuteticas puacuteblicas

Entretanto as auditorias realizadas nos uacuteltimos plusmnanos tecircm demonstrado que o processo de endi-

vidamento foi usurpado pelo sistema financeiro privado ou seja ao inveacutes de aportar recursos ao Estado a diacutevida puacuteblica tem sido utilizada como um mecanismo meramente financeiro que retira recursos puacuteblicos e os transfere principalmente para o setor financeiro privado Eacute o que chamashymos de Sistema da Divida

Para tratar a questatildeo politicamente e de forma democraacutetica devem ser fornecidos os instrumenshytos que possibilitem o plerro conhecimento da realidade financeira do Paiacutes tornando a populashyccedilatildeo capaz de decidir sobre que tipo de alocaccedilatildeo de recursos eacute mais desejaacutevel aos interesses da naccedilatildeo

0 QUE Eacute DIacuteVIDA PUacuteBLICA

A diacutevida puacuteblica abrange empreacutestimos contraiacuteshydos pelo Estado junto a instituiccedilotildees financeishy

ras puacuteblicas ou privadas no mercado financeiro interno ou externo bem como junto a empresas organismos nacionais e internacionais pessoas ou outros governos

A diacutevida puacuteblica federal pode ser formalizada por meio de contratos celebrados entre as partes ou por meio da oferta de tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Teoricamente a diacutevida puacuteblica eacute classificada como diacutevida interna ou diacutevida externa deacordo com a localizaccedilatildeo dos seus credores e com a moeda envolvida nas operaccedilotildees

Historicamente eacute muito importante estudar a evoluccedilatildeo dessas duas diacutevidas de forma separada como faremos nos capiacutetulos seguintes

RiacutePUacuteSUCA FEDfSATIVA DO SRftSJl (3

LETRA DO TESOURO NACIONAL100 00 00000

0 3AHC0 C lraquo TR t 0 0 laquoA $ U

H IacuteK Iraquoi lsquoiacutewhvi laquo raquo Sr raquo dt )gtraquolaquobull iacutej(L tf x

DEZ M IIH Ograve E S OE CRLJZEIRDS j

Poreacutem atualmente diante da ausecircncia de resshytriccedilotildees ao ingresso e saiacuteda de moedas internacioshynais no Brasil por meio do sistema bancaacuterio - o que convencionalmente se chama de liberdade de movimentaccedilatildeo de capitais - esses conceitos precisam ser revistos pois bancos e instituiccedilotildees estrangeiras satildeo credores da diacutevida internardquo da mesma forma que bancos e instituiccedilotildees brasishyleiros podem ser credores da diacutevida externa Aleacutem disso o Brasil tem emitido tiacutetulos da diacutevida externa em reais Tais exemplos demonstram que atualmente a natureza de ambas as diacutevidas- interna e externa - se confunde

Somando-se a chamada diacutevida interna com a externa temos o total da diacutevida puacuteblica brasileira

Em dezembro2011 a diacutevida puacuteblica brasileira alcanccedilou R$ 3 trilhotildees o que corshyresponde a 78 do PIB pois a Diacutevida interna alcanccedilou R$ 25 trilhotildees e a Diacutevida Externa supeshyrou os US$ 400 bilhotildees conforme cifras incluiacutedas no quadro a seguir

Tiacutetulos Puacuteblicos sagraveo obrigaccedilotildees assumidas pelo Estado Haacute muitos anos os tiacutetulos satildeo emitidos unica mente em forma eletrocircnica e natildeo em papel como Ilustra a figura acima

laquo 0 0 I

27a n f v l D a p j B L i c A e m D - li a T c | Caderno de estudos

DIacuteVIDA INTERNA DIacuteVIDA EXTERNA

28Caderno de estudos

Na teoria

Na praacutetica

Diacutevida interna eacute a diacutevida contraiacuteda em moeda nacional junto a residentes no Paiacutes

Grande parte dos tiacutetulos da divida interna brasileira tegravem sido adquiridos por estrangeiros

DIacuteVIDA INTERNA (DEZ2011)RS 253606558601768

(2 TRiLHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586 MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)Fonte Banco Centrai

Divida externa eacute a divida contraida em moeda estrangeira (doacutelar euro iene libra etc) junto a residentes no exterior

Desde 2005 com a desvalorizaccedilatildeo do doacutelar no mercado internacional o Brasil passou a emitir tiacutetulos da diacutevida externa em reaisDIacuteVIDA EXTERNA (DEZ2011)U5$ 40238510282823

(402 BILHOtildeES 385 MILHOtildeES 102 MIL828 DOacuteLARES E 23 CENTAVOS)Fonte Banco Central

No caso da diacutevida interna investidores intershynacionais usufruem os maiores lucros do mundo com as elevadiacutessimas taxas de juros praticadas no Brasil e NAtildeO PAGAM IMPOSTO DE RENDA

Em 2009 os estrangeiros que investiram em tiacutetulos da diacutevida interna brasileira chegaram a lucrar ateacute 50 em um soacute ano (devido agrave soma das altas taxas de juros com a valorizaccedilatildeo do real frente ao doacutelar) sem ter que pagar tributos por isso No mesmo ano o prejuiacutezo do Banco Central do Brasil foi de R$ 147 bilhotildees devido agrave desvalorishyzaccedilatildeo das reservas cambiais compradas com os doacutelares trocados por tiacutetulos da diacutevida interna nas Operaccedilotildees de Mercado Aberto

Constata-se que o processo de endividamenshyto se transformou em um meio de especulaccedilatildeo financeira Considerando que os pagamentos de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida consomem recursos que deveriam destinar-se ao atendishymento das necessidades sociais todo cidadatildeo brasileiro estaacute pagando essa conta e portanto precisa conhecer esse processo

OS NUacuteMEROS DA DIacuteVIDA

A s investigaccedilotildees promovidas pela CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos

Deputados (20092010) revelaram que natildeo haacute a devida transparecircncia nos dados divulgados pelo governo federal em relaccedilatildeo agrave diacutevida puacuteblica tanshyto no que se refere ao seu estoque como em relaccedilatildeo ao fluxo de recursos ou seja o volume de gastos anuais com o pagamento de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida

Tanto a CPI como a Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm denunciado graves distorccedilotildees na apresentashyccedilatildeo dos dados oficiais

| A D Iacute V I D A P C B L I U A L M D [ B A rsquo pound

CUSTO ANUAL DA DIacuteVIDA ou FLUXO DE RECURSOS

Anualmente o orccedilamento geral da Uniatildeo destina ao pagamento de juros e amortizaccedilotildees da diacutevida puacuteblica a mais relevante parcela dos recursos advindos da arrecadaccedilatildeo tributaacuteria e da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

No ano de 2011 o governo federal destinou 4505 do Orccedilamento Executado para tal servishyccedilo da diacutevida puacuteblica ou seja o montante de R$ 708 bilhotildees conforme dados oficiais publicado no SIAFI - Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal retratado no graacuteshyfico anterior

Por que o governo apresenta valores menores para o custo anual da diacutevida puacuteblica

Considerando que os dados apresentados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida satildeo obtidos unicamente por meio de fontes oficiais explishycaremos a seguir os artifiacutecios que tecircm sido utishylizados pelo governo e setores da miacutedia para aliviar a apresentaccedilatildeo dos nuacutemeros da diacutevida agrave sociedade

Cabe destacar os seguintes artifiacutecios que foram denunciados pela CPI da Diacutevida Puacuteblica

Natildeo satildeo divulgados os juros nominais da divida efetivamente pagos pelo Tesouro Nacional omitindo-se a maior parcela desshyses representada pela atualizaccedilatildeo monetaacuteria medida pelo IGP-M divulgado pela Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas Divulgam apenas os juros

0 que o governo divulga a tiacutetulo de juros no SIAFI corresponde tatildeo somente agrave parcela dos juros reais ou seja agrave parcela dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M Isso leva a uma grande distorccedilatildeo na compreensatildeo geral do efetivo gasto com a diacutevida puacuteblica em comparaccedilatildeo com todas as demais rubricas orccedilamentaacuterias Enquanto o gasto com juros da diacutevida exclui a atualizaccedilatildeo todas as demais rubricas embutem eventual atualizaccedilatildeo obtida e tal parcela natildeo eacute segregada

reaisrdquo que eacute parte dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M e que se mostrou muito superior ao IPCA divulgado pelo IBGE nos uacuteltimos 15 anos

Natildeo eacute divulgada a parcela do serviccedilo da diacutevida (juros e amortizaccedilotildees) paga com os recursos obtidos pela emissatildeo e leilatildeo de novos tiacutetulos sob a justificativa de que se trata de mera rola- gem ou refinanciamento

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica constatou e denunciou a contabilizaccedilatildeo irregular que tem considerado como amortizaccedilatildeo da diacutevida a parcela correspondente agrave atualizaccedilatildeo monetaacuteria e que na realidade eacute parte integrante dos juros nominais e natildeo da amortizaccedilatildeo do principal

Qualquer pessoa que jaacute assumiu alguma diacutevida sabe que a atualizaccedilatildeo monetaacuteria eacute parte integranshyte da remuneraccedilatildeo ou seja dos juros nominais

Diante disso para se obter o valor efetivo do gasto anuat com a diacutevida haacute que se incluir tamshybeacutem o valor que tem sido informado como mera rolagem ou refinanciamento pois nessa rubrica

estaacute incluiacuteda grande parte dos juros da diacutevidaEm 2011 o gasto total com a diacutevida puacuteblishy

ca brasileira somou R$ 708 bilhotildees conforme demonstramos

Outra razatildeo fundamental para computar a atualizaccedilatildeo monetaacuteria como remuneraccedilatildeo da divida estaacute relacionada com a utilizaccedilatildeo de um mesmo criteacuterio para a apresentaccedilatildeo dos dados do orccedilamento executado

Se natildeo for computada a atualizaccedilatildeo monetaacuteria (que eacute parte dos juros nominais) como gastos com a diacutevida puacuteblica haveraacute uma completa distorccedilatildeo na comparaccedilatildeo entre os gastos com a diacutevida e todos os demais gastos orccedilamentaacuterios

Isso porque todas as demais rubricas represhysentadas no orccedilamento - gastos com pessoal previdecircncia serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo etc - englobam a respectiva atualizaccedilatildeo monetaacuteria ou seja quando se obteacutem alguma reposiccedilatildeo infla- cionaacuteria nos salaacuterios dos servidores no vaiacuteor das aposentadorias ou em benefiacutecios sociais e outros serviccedilos puacuteblicos tal reposiccedilatildeo compotildee o valor de tal gasto refletido no Orccedilamento da Uniatildeo

Diante disso para que haja uma compatibishylidade entre todas as rubricas orccedilamentaacuterias o gasto efetivo da diacutevida que deveria constar no orccedilamento seria o valor dos juros nominais e natildeo somente os juros reaisrdquo (que superam a inflaccedilatildeo como tem constado de estatiacutesticas oficiais

ESTOQUE DA DIacuteVIDAO estoque da Diacutevida Interna alcanccedilou em

dezembro2011 o valor de R$ 253606558601768 (2 TRILHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586

MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)30 estoque da Diacutevida Externa alcanccedilou na

mesma dataUS$ 40238510282823 ou seja mais de 402 BILHOtildeES de doacutelares que

corresponde a cerca de R$ 692 bilhotildees consideshyrando-se a taxa de conversatildeo de R$ 1724

Portanto em dezembro2011 o estoque da diacutevida brasileira alcanccedilou

R$ 322816796288224 (3 TRILHOtildeES 228 BILHOtildeES 167 MILHOtildeES 962 MIL 882 REAIS E 24 CENTAVOS) que corresponde a 78 do P)B

3 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNota6conNI201201pfp iacuteipgt - Quadro 354 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNataEconNI20120l5ep zipgt - Quadros 51 e51 A

23A D I V i D A P Uacute B L I C A LM D E B A E Caderno de estudos

30Caderno de estudos

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais desta camos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida LiacutequidaComparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequiacutedaPIB

Exclusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liquida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico peias seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais) mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Aiacute estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aleacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos 0 acuacutemulo elevado de reservas inter nacionais tem provocado enorme custo ao Pais devido a essa disparidade de rendimentos

0 termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a diacutevida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequidardquo tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

| A D V I D A P Uacute B L I C A E V Q Iacute E A T L

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de priva- tizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

O governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo otildenus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros altiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequida com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPlB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequida Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paises praticam taxas muitas vezes menores5 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwhra5ileconomicocombrpagjnastaxas -de-juros_81htmlgt

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais destashycamos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida Liacutequida

Comparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequidaPIB

Exciusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liacutequida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico pelas seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Ai estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aieacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos O acuacutemulo elevado de reservas intershynacionais tem provocado enorme custo ao Paiacutes devido a essa disparidade de rendimentos

O termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a divida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequida tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

30Caderno de estudos 1 A DIacute V I DA r C S L CA f m D E B A T E

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de privashytizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

0 governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo ocircnus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros aftiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequidardquo com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPIB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequidardquo Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paiacuteses praticam taxas muitas vezes menores1 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwbrasileconomicocom brpagmast5yas- -de-juros_81htmtgt

EXCLUSAtildeO DA PARCELA REFERENTE Agrave DIacuteVIDA EXTERNA PRIVADA

0 estoque da diacutevida externa jaacute atingiu US$ 402 bilhotildees6e indui a diacutevida externa privada

pois a mesma envolve uma obrigaccedilatildeo do Estado O governo costuma divulgar um montante

bem menor de diacutevida externa A partir de 2001 a pretexto de adotar metodologia recomendada pelo FMI os dados da diacutevida externa passaram a ser divulgados sem os chamados empreacutestimos intercompanhias ou seja os empreacutestimos devishydos por multinacionais a suas matrizes no exterior

Dessa forma o dado divulgado pelo governo ao puacuteblico exclui parte da diacutevida externa contraiacuteda pelo setor privado ou seja devida por empresas e instituiccedilotildees do setor privado e natildeo pelo Estado

Cabe ressaltar inicialmente que apesar de parte da diacutevida externa ter sido de fato contrashyiacuteda por instituiccedilotildees do setor privado eacute o Estado o responsaacutevel por fornecer a moeda estrangeira para os devedores privados pagarem suas diacutevishydas ao exterior Para obter essa moeda estranshygeira o Estado se submete agrave adoccedilatildeo de poliacuteticas nocivas a fim de atrair capitais ao Paiacutes tais como altas taxas de juros acordos com o FMI (cujas imposiccedilotildees continuam presentes) e total libershydade de movimentaccedilatildeo de capitais financeiros Essas medidas afetam toda a economia do Paiacutes

Adicionalmente as investigaccedilotildees tecircm revelado que nas uacuteltimas deacutecadas diacutevidas do setor privado foram reiteradas vezes transferidas para o setor puacuteblico Por isso entendemos que deve ser comshyputado no montante da diacutevida externa tanto as diacutevidas contraiacutedas peio setor puacuteblico como pelo setor privado

AUSEcircNCIA DE TRANSPAREcircNCIA

A s divergecircncias na apresentaccedilatildeo tanto do estoque como do fluxo de gastos com a diacutevishy

da demonstram que natildeo tem sido devidamente respeitado o princiacutepio da TRANSPAREcircNCIA que deve reger todo ato do setor puacuteblico

Por isso a sociedade brasileira que paga essa elevada conta da diacutevida puacuteblica deve exigir mais

6 Verquadro5S1 e 51-Ada planilha do Banco Central disponiacuteveis no link lthttpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201112sepzipgt

transparecircncia dos dados relacionados ao endivishydamento puacuteblico brasileiro pois este tem absorshyvido a maior parte dos recursos orccedilamentaacuterios sacrificando toda a populaccedilatildeo e comprometen do o futuro do Paiacutes

A transparecircncia eacute um princiacutepio consagrado na Constituiccedilatildeo Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que todas as despesas e receitas da gestatildeo fiscal sejam publicadas de forma transshyparente e com amplo acesso puacuteblico

Portanto eacute nosso DIREITO ter acesso a todas as informaccedilotildees relacionadas com o endividamento puacuteblico

Como vimos a diacutevida brasileira jaacute supera os R$ 3 TRILHOtildeES e consome quase a metade dos recursos do Orccedilamento da Uniatildeo

COMO CHEGAMOS A ESTE PONTOA recente CPI da diacutevida Puacuteblica jogou luzes sobre este processo

A Diacutevida Puacuteblica Brasileira cresceu em decorshyrecircncia de mecanismos meramente finanshy

ceiros sem contrapartida em bens e serviccedilos ao Paiacutes e tambeacutem em decorrecircncia de operaccedilotildees obscuras

A histoacuteria da diacutevida tem sido uma verdadeira caixa preta

A Auditoria Cidadatilde da Diacutevida e entidades da sociedade civil participaram ativamente da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) da Diacutevida Puacuteblica e tiveram acesso a documentos que comeccedilam a jogar luzes sobre nossa histoacuteriaAgora as investigaccedilotildees devem ser aprofundadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico

A CPI da Diacutevida foi uma iniciativa do Deputado Federal Ivan Valente (PSOL-SP) e funcionou de agosto de 2009 a maio de 2010 A coordenadoshyra da Auditoria Cidadatilde da Diacutevida - Maria Lucia Fattorelli - foi requisitada para assessorar tecnishycamente a CPI devido agrave experiecircncia adquirida durante a auditoria oficial da diacutevida do Equador trabalho para o qual tambeacutem foi designada cujo relatoacuterio embasou ato soberano do Presidente Rafael Correa que anulou 70 da diacutevida externa equatoriana em tiacutetulos possibilitando aumento de investimentos sociais principalmente em sauacutede e educaccedilatildeo novas rodovias e o resgate da cidadania

31A 0 v I C A P Uacute B I C A E W 3 E S A T F | Caderno de estudos

No Brasil a CPI tambeacutem indicou documentos e provas de ilegalidade e ilegitimidade tanto da divida externa como da diacutevida interna como veremos a seguir Um dos mais importantes instrumentos

de investigaccedilatildeo por parte do Congresso Naciona eacute a Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) a qual tem forccedila investi- gativa proacutepria de autoridades judiciais

O QUE Eacute CPI

Nos capiacutetulos seguintes apresentaremos um breve histoacuterico da diacutevida externa a partir dos anos1970 e da diacutevida interna a partir do Plano Real em 1995 ambas ateacute os dias atuais Esses marcos iniciais foram os periacuteodos estabelecidos tambeacutem pela recente CPI da Diacutevida Puacuteblica

A D IacuteV IacuteD A tem im p e d id o a v id a d ig na e o a te n d im e n to aos d ire ito s h um an os

bull De onde veio essa diacutevida

bull Quanto tomamos emprestado e quanto jaacute pagamos

bull O que realmente devemos

Quem contraiu empreacutestimos

bull Onde foram aplicados os recursos

bull Quem se beneficiou

Qual a responsabilidade dos credores e organismos internacionais nesse processo

ldquoA vida sem luta eacute um mar morto no centro do organismo universal

M A C H A D O D E A S S I S

32Caderno de estudos | A d iacute v i d a p uacute b l i c a E m D E b a t F

C A P Iacute T U L O

DIVIDA EXTERNAA recente CPi da Diacutevida Puacuteblica realizada na

Cacircmara dos Deputados (20092010) teve acesso a documentos relacionados ao processhysos de endividamento externo desde 1970 Apesar das limitaccedilotildees da CPI as investigaccedilotildees revelaram importantes fatos que reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa audishytoria dessa diacutevida

O periacuteodo coincide com o fim da paridade doacutelar-ouro nos Estados Unidos anunciada em1971 o que permitiu a emissatildeo de grandes volushymes de doacutelares que foram entregues ao sistema bancaacuterio e por meio deste ofertados sob a forshyma de empreacutestimos que apresentavam taxas de juros aparentemente reduzidas de 5 a 6 ao ano devido ao excesso de moeda

Diacutevida Externa (US$ bilhotildees)

- r N m ^ m 0 M raquo Iacute J O - ( N r 0 ^ ^ v D N C 0 a O - f N n n T r i n 0 M X 3 0 O gt - r N f n r f lsquo i n 0 N C Ocirc 0 O f r s N N N N r s N r s r ^ c o c c c o a o c o c o c o a o o o o o o a rsquogt lt ^ lt T lt a G gt o gt C gt lt ^ lt ^ o o o o o o o o o O mdash r ~raquomdash i-rgpjrsoifSiNfNfSfMlNfN^

Fonte httpwwwbcbgQvbrftpNotaEconNI20l201sepzip - Quadros 51 e 51-A

DECADA DE 1970

A CPI comprovou que a diacutevida externa atua se originou na deacutecada de 1970 em plena ditashy

dura militar periacuteodo em que comeccedilou a crescer aceleradamente

0 primeiro aspecto da diacutevida externa brasileishyra a ser ressaltado eacute a contrataccedilatildeo por atos de governos ilegiacutetimos de vultosos compromissos natildeo transparentes

Essas taxas de juros eram flutuantes e variavam de acordo com as taxas de juros internacionais (Prime e Libor) que vinham de longo periacuteodo em que se mantinham baixas Aleacutem das taxas de juros os bancos cobravam outras taxas onerosas de compromisso de contrataccedilatildeo de agente de creacutedito enfim uma infinidade de taxas

Havia tambeacutem forte componente de diacutevidas contratadas pelo setor privado que utilizava o

3 3a d iacute v i d a P Uacute B L I C A EM D r R A T E I Caderro de estudos

endividamento como forma de especulaccedilatildeo financeira O setor privado que tinha acesso a creacuteditos externos no iniacutecio da deacutecada de 1970 era composto principalmente por bancos e empresas privadas inclusive multinacionais e estrangeiras instaladas no Paiacutes

Tanto o setor privado como o setor puacuteblico tomaram empreacutestimos externos junto a grandes bancos privados internacionais devido agrave grande oferta de creacuteditos com taxas baixas vinculadas agraves taxas de juros internacionais (Prime e Libor) Essas taxas eram controladas pelos proacuteprios bancos credores que compunham o FED (Federal

Reserve Bank Banco Central Norte-americano que eacute totalmente privado controlava a Prime) e a Associaccedilatildeo de Bancos Privados de Londres (que determinava a Libor) A partir de 1979 essas taxas saltaram de 5 ou 6 ao ano para 205

O graacutefico a seguir mostra o comportamento idecircnshytico das duas taxas demonstrando a conexatildeo entre os bancos privados internacionais que as ditavam

Sob pressatildeo diante da crise em 1982 surge o FMI exigindo que o Banco Central realizasse acordos com os bancos privados internacionais por meio dos quais assumiu tanto a diacutevida externa puacuteblica como tambeacutem a diacutevida externa privada Ao messhymo tempo houve forte pressatildeo dos credores que faziam parte da instituiccedilatildeo informal denominada Club de Paris para que o Brasil firmasse o tal acordo com a banca privada internacional Essa pressatildeo conjunta e articulada de credores configura clashyramente a ausecircncia de equiliacutebrio entre as partes

A CPI da Diacutevida denunciou que agrave eacutepoca da assinatura dos acordos com os bancos privados em 1983 a legislaccedilatildeo natildeo permitia consolidaccedilotildees e refinanciamentos de creacuteditos externos Aleacutem disso tais acordos continham inuacutemeras claacuteusulas ilegais e abusivas que natildeo chegaram a ser apro vadas pelo Congresso Nacional

Haacute fortes indiacutecios de nulidade nessa transfeshyrecircncia de diacutevida para o Banco Central que na deacutecada seguinte em 1994 foi transformada nos

Taxas de Juros - Libor e Prime25000

0000rmdash 3-o p laquomdash r i

r-o rOv

oo

o

o

pO

OcShvO

p00

O Ornoo 3-oo

CTS

OCO

CCOo

DEacuteCADA DE 1980

A elevaccedilatildeo brutal das taxas de juros internashycionais Prime e Libor impactou seriamente

os compromissos externos antes assumidos e a diacutevida se multiplicou provocando uma grande crise a partir de 1982

3 4Caderno de estudos I a d v i d a h j B i i c a e m D E B A T E

denominados bocircnus Brady tiacutetulos que depois serviram como moeda para comprar as empreshysas estrateacutegicas e lucrativas submetidas ao proshycesso de privatizaccedilatildeo a partir de 1996

A interferecircncia direta do FMI em assuntos intershynos do Paiacutes desde 1983 exigiu a implantaccedilatildeo de

medidas nefastas agrave economia brasileira Tal fato aliado a onerosas condiccedilotildees dos acordos da diacutevida externa que transferiram o ocircnus de diacutevidas puacuteblishycas e privadas a cargo do Banco Central agravashyram ainda mais a situaccedilatildeo do endividamento brasileiro e paralisaram o Paiacutes Por isso a deacutecada de 1980 ficou conhecida como deacutecada perdida

CAacuteLCULO DO IMPACTO PROVOCADO PELA ELEVACcedilAtildeO UNILATERAL DAS TAXAS DE JUROS

O impacto da elevaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais sobre a evoluccedilatildeo da

diacutevida externa brasileira foi impressionante como retrata o graacutefico a seguir

de US$ 223 bilhotildees cujo ressarcimento deve ser exigido pelo Brasil

INTERFEREcircNCIA DO FMI

Desde o primeiro acordo do Brasil com o FMI em 1983 esse organismo passou a exercer nefasta interferecircncia em assuntos internos do

Paiacutes agindo sempre em defesa dos bancos prishyvados internacionais

O poder do FMI no Paiacutes era impressionanshyte determinando o caminho a ser trilhado por nossa economia exigindo privatizaccedilotildees impondo draacutesticos ajustes fiscais que impedishyram investimentos e representaram imensos cortes nos gastos sociais suprimindo-se direitos

Diacutevida Externa Total (Puacuteblica e Privada) - US$ bilhotildees

Fonte Nota Teacutecnica DEPEC - 200924S Dados disponiacuteveis no Anexo II agrave Anaacutelise Prefiminar N2 5 da CPI da Diacutevida Puacuteblica

A linha azul do graacutefico acima mostra o impacshyto da alta unilateral e ilegal das taxas de juros nternacionais pelos bancos credores dos Estados Unidos e da Inglaterra a partir de 1979

A linha vermelha pontilhada demonstra a evo- jccedilatildeo da diacutevida externa brasileira caso os juros ivessem sido mantidos em 6 ao ano Constata-se que os pagamentos realizados no periacuteodo teriam sido suficientes para pagar toda a diacutevida externa e o Brasil ainda teria valores a serem ressarcidos

Esses caacutelculos indicaram um dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico calculado agrave eacutepoca da CPI de cerca

sociais baacutesicos agravando-se o desemprego e a miseacuteria

Devido agrave grande influecircncia do FMI consolidou- -se a crenccedila popular generalizada de que aqueshyle organismo seria o principal credor da diacutevida externa brasileira

A CPI provou que os credores privilegiados de sempre eram na realidade os grandes bancos privados internacionais como indica a aacuterea em vermelho no graacutefico a seguir A parcela da diacutevida externa com o FMI correspondia agrave linha verde do mesmo graacutefico

ft D i V I A D 8 L I S A EM D Z B

3 5Caderno de estudos

Diacutevida Externa Registrada no Banco Centrai - US$ bilhotildees - 1969 a 1994140

120

100

80

60

40

20

O ^ O i mdash r 4 r i 3 - in i1o r - o o c j copy mdash r N n n ^ - i n v O r x o O t T ^ O raquo mdash rvjco^j- gt C ) r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ - f ^ - r - r ^ i - ^ c c c o c o c o c o o o c o c o c x D c 3 0 c r C T raquo c j N Ov ogtO CTt CJn CT CTgt G ltTraquo O1 CT lt7 OS O CT O Q (J J Otilde QN ltJ Q Otildegt

Fonte Relatoacuterios Anuais do Sanco Central disportibilizados aacute CPI da Diacutevid3Nota Os ldquoEmpreacutestimos em Moeda indicados em vermelho ntgt graacutefica correspondem aos empreacutestimos junto a bancos comerciais sendo que a maioria corresponde a bancos privados internacionais

Interessante observar que a crise financeira

de 1982 foi provocada pelos grandes bancos

privados internacionais que promoveram a eleshy

vaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais (Libor e Prime) sendo que alguns anos antes

eles mesmos haviam seduzido os paiacuteses latino-

-americanos mediante a oferta de empreacutestimos

aparentemente baratos A crise financeira abriu caminho para a atuaccedilatildeo do FM impondo draacutestishy

cos ajustes fiscais que geraram sacrifiacutecios sociais

cortes de direitos privatizaccedilotildees etc

Eacute importante estabelecer um paralelo entre

esses fatos histoacutericos e a atual crise financeira

deflagrada em 2008 nos EUA e Europa que

tambeacutem foi provocada por atitudes dos grandes

bancos privados internacionais Eles emitiram

grande quantidade de derivativos sem lastro e

corriam risco de quebra tendo sido salvos pelas

naccedilotildees do Norte que logo em seguida se viram

em profunda crise Instalada a crise novamente

surge o FM agora na Europa impondo poliacuteticas

idecircnticas as que foram impostas agrave Ameacuterica Latina

na deacutecada de 1980

ESFORCcedilOS DE INVESTIGACcedilAtildeO DA DIacuteVIDA EXTERNA NA DEacuteCADA DE 1980

A crise da diacutevida externa vivida na deacutecada de 1980 foi tatildeo grave que diversas comissotildees

parlamentares dedicaram importantes esforccedilos no sentido de investigar as reais razotildees da crise e do espantoso crescimento da diacutevida externa brasileira

A primeira tarefa teacutecnica realizada a fim de assessorar a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica na Cacircmara dos Deputados consistiu em resgatar os relatoacuterios das referidas comissotildees anteriores pois suas apuraccedilotildees devem ser conhecidas natildeo soacute pelos parlamentares mas por todos os brasileiros conforme resumo a seguir

COMISSAtildeO PARLAMENTAR DE INQUEacuteRITO-CAcircMARA DOS DEPUTADOS1983

No ano de 1984 foi aprovado o relatoacuterio final da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito reashylizada na Cacircmara dos Deputados O documento

apontou graves indiacutecios de irregularidades ilegashylidades aleacutem dos previsiacuteveis e graves riscos que

36Caderno de estudos I A D IV r D A deg uacute 6 _ i C A EM U E R A r iacute

Comissatildeo Parlamentares e Resultado

CPI da Cacircmara dos Deputados destinada a apurar as causas Presidente Dep Alencar Furtadoe consequecircncias da divida brasileira e o Acordo com o FMI Relator Dep Sebastiatildeo Ne ryInstituiacuteda pelo Requerimento Ndeg 883 Instalada em 16081983 Relatoacuterio Final aprovado em setembro de 1984

Comissatildeo Especial do Senado Federal para a Diacutevida Externa destinada a ldquoexaminar a questatildeo da divida externa brasileira e avaliar

as razotildees que levaram o Governo a stspendero pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno Instituiacuteda pelo Requerimento ns 17 de 1987 Instalada em 14041987

Comissatildeo Mista destinada ldquoao exame analitico epericial dos atos e

fatos geradores do endividamento brasileiro para cumprir a missatildeo

constitucional -Ari 26 do Ato das Disposiccedilotildees Constitucionais

Transitoacuterias Instalada em 11041989

Presidente Senador Carlos ChiarelliacuteRelator Senador Fernando Henrique CardosoRelatoacuterio Final aprovado em 23 de agosto de 1989

Presidente Dep Waideck OrneiasRelator Senador Severo GomesRelatoacuterio Parcial aprovado em 9 de agosto de 19B9

Relator Dep Luiz SalomatildeoParecer Final apreciado em 5 de setembro de 1989NAtildeO VOTADO

ps contratos de endividamento externo represenshytavam para a soberania nacional Adicionalmente histoacuterico relatoacuterio final de autoria do Deputado ederal Sebastiatildeo Nery (PDT-RJ) evidenciou a oratica dos seguintes crimes

Violaccedilatildeo da competecircncia exclusiva do Congresso Nacional para ratificar ou rejeitar convenccedilotildees e atos internacionais praticados pelo Presidente da Repuacuteblica

bull Crime de responsabilidade contra a guarda e legal emprego de dinheiro puacuteblico (realizaccedilatildeo de despesas e contraccedilatildeo de empreacutestimos sem autorizaccedilatildeo legal)

diams Crime de responsabilidade contra a existecircncia da Uniatildeo cometido peio Presidente da Repuacuteblica e por ministros de Estado por violaccedilatildeo da vedashyccedilatildeo constitucional agrave celebraccedilatildeo de tratados que comprometam a dignidade da naccedilatildeo

1 Desrespeito aos princiacutepios constitucionais impliacuteshycitos da inalienabiiidade imprescritibilidade e impenhorabiiacuteidade do patrimoacutenio puacuteblico

Crime de responsabilidade contra a seguranccedila interna do Pais ao admitir a daccedilatildeo de bens do patrimoacutenio puacuteblico em garantia antecipada

bull Abdicaccedilatildeo da soberania nacional em favor das orientaccedilotildees do Fundo Monetaacuterio Internacional

Apesar dessas graves conclusotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi levada a cabo

COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL1987

Em 1987 o Senado Federal instalou a Comissatildeo Especial para a Diacutevida Externa destinada a

examinara questatildeo da diacutevida externa brasileira e avaliar as razotildees que levaram o governo a susshypender o pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno

O relator foi o entatildeo senador Fernando Henrique Cardoso (PMDB-SP) que em seu relashytoacuterio reiterou a necessidade de enfrentamento do problema do endividamento externo tendo em vista as graves irregularidades verificadas dentre as quais destacamos praacutetica do anato- cismo alta unilateral de juros corresponsabili- dade dos credores ilegalidades na negociaccedilatildeo da diacutevida falta de transparecircncia negociaccedilotildees sigilosas interferecircncia direta do FMI articushylaccedilatildeo de credores (FMI Club de Paris Comiteacute Assessor dos Bancos Privados) elevados custos sociais da diacutevida externa existecircncia de custos injustificaacuteveis estatizaccedilatildeo de diacutevidas privadas exportaccedilatildeo de capitais nacionais utilizaccedilatildeo deliberada de empresas estatais para obtenshyccedilatildeo de empreacutestimos no exterior desequiliacutebrio contratual das partes negociantes pulverizaccedilatildeo de credores e dificuldade de controle por parte do Banco Centrai comprovaccedilatildeo do reduzido do valor da diacutevida no mercado secundaacuterio o que natildeo foi levado em conta nas negociaccedilotildees entre outras

3 7n V I DA P J B L l C A CM D t E A T F | Caderno de estudos

Cade

Cabe ressaltar trecho do relatoacuterio apresentado por FHC que daacute notiacutecia sobre a poleacutemica negociashyccedilatildeo da diacutevida externa que envolveu dezenas de bilhotildees de doacutelares - cerca de US$ 60 bilhotildees - e que foi a base para a transformaccedilatildeo da diacutevida externa contratual em bocircnus Brady em 1994

O ACORDO PLURIANUAL DE 1988

No dia 6 de junho de 1988 quando a gestatildeo

Mailson da Noacutebrega mal tinha completado 6

meses o governo brasileiro assinou o Term

Sheet do acordo provisoacuterio de renegociaccedilatildeo

da diacutevida externa Ao mesmo tempo em

que o protocolo da negociaccedilatildeo era mantishy

do em absoluto o governo fazia publicar

uma Nota Oficial de tom autocongratula- toacuterio descrevendo a renegociaccedilatildeo preliminarshy

mente concluiacuteda como a melhor jaacute obtida por

um paiacutes devedor

Diante da insistente recusa das autoridashy

des oficiais o Presidente da Comissatildeo

teve de recorrer a contatos no exterior

para obter as informaccedilotildees que lhe eram

sonegadas dentro do Paiacutes O Term Sheet

chegaria agraves matildeos do Senador Carlos Chiarelli

por canais extraofidais no iniacutecio de julho Os

documentos oficiais foram entatildeo submetishy

dos a uma anaacutelise teacutecnica que constatou

estarem sendo incompletas imprecisas e

exageradamente otimistas as apreciaccedilotildees

sobre o acordo publicadas na Nota Oficial

Foram encontrados erros e omissotildees relashy

cionados aos seguintes toacutepicos do acordo

()

Como conclusatildeo pode-se dizer que os frutos

da negociaccedilatildeo dita realista e profissional

conduzida pelo Ministro Mailson da Noacutebrega

foi um dos mais draconianos acordos de

renegociaccedilatildeo jaacute realizados por uma naccedilatildeo

devedora nesta deacutecada Como evidecircncia

das distorccedilotildees do acordo podem ser citados

os lucros recordes auferidos pelos grandes

bancos em 1988 que segundo estimatishy

vas divulgadas pelo Wall Street Journal

teriam atingido a fantaacutestica cifra de US$

16 bilhaacuteo soacute com o acordo da divida brashysileira Quanto ao paiacutes devedor durante

os poucos meses em que o governo Sarney

consegui j cumprir parcialmente as sufocantes

disposiccedilotildees contratuais do acordo a econoshymia mergulhou em recessatildeo acompanhashy

da da maior inflaccedilatildeo de sua histoacuteria O

acordo de reescalonamento de 1988 previsto

para abranger um periacuteodo de sete anos na

praacutetica concedera menos do que um ano de

focirclego agrave economia brasileira Decorridos quashy

tro meses da assinatura o Ministro Mailson jaacute

admitia oficialmente a necessidade de contrair

empreacutestimos adicionais e suspender o relen-

ding rsquo e a conversatildeo Decorridos 9 meses o

Brasil voltava a atrasar os pagamentos da

divida externa entrando novamente em

moratoacuteria (Paacutegina 166)

Diversos autores mencionam que a referida negociaccedilatildeo teria ocorrido em 23091988 mas a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos Deputados teve acesso a documenshytos que comprovam que tal negociaccedilatildeo teria se concluiacutedo somente em 1989 portanto apoacutes a promulgaccedilatildeo da Constituiccedilatildeo Federal

Outros trechos do Relatoacuterio apresentado por FHC tambeacutem merecem destaque

TRECHOS DO RELATOacuteRIO FINAL DA COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL (1987)

RELATOR SEN FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Como os deacutebitos externos brasileiros haviam sido contratados basicamente a taxas de juros flutuanshytes o choque dos ju ros provocou uma el evaccedilatildeo da diacutevida sem contrapartida real de bens e serviccedilos A partir desse momento a diacutevida externa brasileira assume um caraacuteter eminentemente financeiro os novos empreacutestimos na verdade sacirco obtidos para rolar em grande medida e a niacutevel agregado os juros e as amortizaccedilotildees

lsquoA partir de 1983 a questatildeo da divida adquire nova dimensatildeo Segundo a Programaccedilatildeo do 5etor Externo PSE) submetida pelo Brasil aos banqueiros em Nova York em dezembro de 1982 a economia brasileira eacute direcionada para a obtenccedilatildeo de US$6 bilhotildees de superaacutevit comercial com uma previshysatildeo de deacuteficit em transaccedilotildees correntes de US$65 bilhotildees Como os juros dos deacutebitos externos previsshytos para 1983 estavam na casa dos US$10 bilhotildees fica daro que a partir desse momento o Brasii marchava para a chamada ldquotransferecircncia liacutequida de

38^arjprnn de estudos | A D v I 0 a P Uacute B L I C A F V D E = a t e

recursos reais para O exterior com o fim especiacutefico de servir aos credores externos

Do ponto de vista dos credores o Brasil teve um excelente desempenho dos US$6 bilhotildees de supeshyraacutevit comercial de 1983 passou a US$13 bilhotildees em 1984 e dessa forma cobriu os juros devidos Internamente poreacutem a recessatildeo foi profunda e com custos sociais elevadiacutessimos estima-se que cerca de 5 milhotildees de trabalhadores do setor formal foram lanccedilados no desemprego Foi seguramente a recessatildeo mais violenta da economia brasileira

A situaccedilatildeo que ora vivemos - arrocho salarial direto dos trabalhadores no setor puacuteblico e indi- reto de toda a forccedila de trabalho (via eliminaccedilatildeo do subsiacutedio do trigo por exemplo sem qualquer poliacutetica de renda compensatoacuteria) submissatildeo da poliacutetica econoacutemica agraves regras e monitoramento do FMI acomodaccedilatildeo aos interesses dos grandes bancos internacionais etc - natildeo passa de uma encenaccedilatildeo da inequiacutevoca demonstraccedilatildeo da falta de governo no Paiacutes Natildeo eacute a toa que os banqueishyros acenaram com o possiacutevel reescalonamento do principal da diacutevida para 20 anos 8 de carecircncia etc mas no essencial - refinanciamento de juros taxas de juros spread descontos monitoramento etc- natildeo cederam um miliacutemetro e se fixaram nos refishynanciamentos de parcela dos iuros (50) apenas para este ano (1987 foi o ano da moratoacuteria e o juro teraacute que ser refinanciado de fato pois o Pais natildeo tem caixa para pagaacute-lo) Em suma o horizonte em todas as frentes sobre o Paiacutes (aqui e no exterior) natildeo passa de 1988 eacute o sinal do limite

Registra-se a preocupaccedilatildeo de muitos dos Senadores com a questatildeo da legitimidadeda divida- posto que os contratos satildeo leoninos e foram feitos agrave revelia do Congresso Nacional - e com a questatildeo da jurisdiccedilatildeo

Os tiacutetulos da diacutevida dos paiacuteses passam a ser negociados com um desaacutegio crescente no chashymado mercado secundaacuterio sinalizando que parshycela da divida natildeo teria condiccedilotildees de ser pagaOs bancos aumentam suas reservas antecipando possiacuteveis ltperdasgtrsquorsquo

Embora o relator tenha ocupado a Presidecircncia da Repuacuteblica do Brasil durante dois mandatos- oito anos portanto nenhuma das irregu- laridades apontadas em seu relatoacuterio quando senador chegou a ser enfrentada Pelo contraacuterio o endividamento puacuteblico tanto interno quanto externo agravou-se apesar da privatizaccedilatildeo de cerca de 70 do patrimoacutenio puacuteblico nacional sob a justificativa de pagar a diacutevida

Constituiccedilatildeo Federal

A Constituiccedilatildeo de 1988 inseriu a previsatildeo de realishyzaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externaConstituiccedilatildeo Federal ADCT

ldquoAn 26 No prazo de um ano a contar da promulgashy

ccedilatildeo da Constituiccedilatildeo o Congresso Nacional promoshy

veraacute atraveacutes de Comissatildeo mista exame analitico e

pericial dos atos e fatos geradores do endividamento

externo brasileiro

Aleacutem disso a Constituiccedilatildeo Federal determinou taxativamente que os contratos de endividamento externo deveriam ser submetidos agrave aprovaccedilatildeo pelo Senado Federal

Constituiccedilatildeo Federal

Art 52 Compete privativamente ao Senado Federal

U

V - autorizar operaccedilotildees externas de natureza finanshy

ceira de interesse da Uniatildeo dos Estados do Distrito

Federal dos Territoacuterios e dos Municiacutepiosrdquo

Tal dispositivo indica que a vultosa negociaccedilatildeo concluiacuteda somente em 1989 seria completamente NULA pois natildeo foi autorizada pelo Congresso Nacional que sequer teve acesso aos termos da negociaccedilatildeo conforme constou do relatoacuterio apreshysentado por FHC cujo trecho foi antes transcrito

Comissatildeo Mista do Congresso Nacional1989

No ano de 1989 mais uma vez o Congresso Nacional debruccedilou-se sobre os contratos de endishyvidamento externo brasileiro aleacutem de planilhas de caacutelculo elaboradas pelo Banco Central para mais uma vez descobrir fraudes diversas dentre elas a renuacutencia agrave soberania pelo governo brasileishyro Ou seja mais uma revelaccedilatildeo de NULIDADE mas ainda assim a diacutevida continuou sendo paga e reciclada em negociaccedilotildees cada vez mais onerosas para o Paiacutes

Trecho do relatoacuterio apresentado pelo senashydor Severo Gomes que fez importante anaacutelise juriacutedica dos acordos merece ser destacado para conhecimento por todos os brasileiros O trecho a seguir se referia a um dos acordos celebrados pelo Banco Central com os bancos privados intershynacionais em 1982

39A D f V I 0 A P U B L I C A EM D E B A T E I Caderno de estudos

40Caderno de esludos

CLAacuteUSULA DE RENUacuteNCIA A SOBERANIA

Sem quaiquer sombra de duacutevida aqui estaacute o ponto mais espantoso dos Acordos De notar aliaacutes a grosshyseria dos credores ou a pusilanimidade dos negoshyciadores brasileiros admitindo uma claacuteusula que sobre ferir os brios nacionais eacute fundamentalmente inuacutetil no contexto da negociaccedilatildeo () Esta claacuteusula retrata um Brasil de joelhos sem brios poupados inerme e inerte imolado agrave irresponsabilidade dos que negociaram em seu nome e agrave cupidez de seus credores Poreacutem nada haacute de ser dito sobre essa nefanda claacuteusula mais expressivo do que o proacuteprio ilustriacutessimo Ministro Seabra Fagundes jaacute fez Este fato de o Brasil renunciar explicitamente a alegar a sua soberania faz deste documento talvez o mais triste da Histoacuteria poliacutetica do Paiacutes Nunca encontrei- e naacuteo sou muito ausente dos estudos da histoacuteria do Paiacutes - em todos os documentos histoacutericos do Brasil nada que se parecesse com esse documento porque renuacutencia de soberania talvez noacutes tenhamos tido renuacutencias iguais mas uma renuacutencia declarada agrave soberania do Paiacutes eacute a primeira vez que consta de uma documento para mim histoacuterico Este me parece um dos fatos mais graves de que somos contemporacircneos1

Sen Severo Gomes(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

0 relatoacuterio parcial do senador 5evero Gomes chegou a ser aprovado pelo plenaacuterio do Congresso poreacutem nenhuma de suas recomenshydaccedilotildees - que tratavam sobre o questionamento judicial da diacutevida - foram seguidas

0 segundo relator da Comissatildeo Mista Dep Luiz Salomatildeo tambeacutem apontou severas conclushysotildees dentre as quais destacamos

Factibilidade de reduzir o montante da diacutevida externa

Necessidade de deduzir do principal consignado pelos bancos que emprestaram a juros flutuanshytes o excedente avaliado em simulaccedilotildees feitas pelo Banco Central que variavam de 34 a 62 bilhotildees de doacutelares na eacutepoca

Necessidade de retomar as investigaccedilotildees e os processos judiciais tendentes a recuperar as pershydas provenientes de fraudes e negoacutecios iliacutecitos

Responsabilizar penalmente os responsaacuteveis internos e os cuacutemplices externos

Repatriar as divisas evadidas clandestinamente

I a c i v i D a p uacute b l i c a l m d e b agrave t ecirc

O relatoacuterio final sequer chegou a ser votado pela Comissatildeo Mista Levado ao plenaacuterio natildeo houve quoacuterum para a votaccedilatildeo

Manobras impediram que o relatoacuterio fosse votado na Comissatildeo Mista Sem o apoio da maioria da Comissatildeo o parecer foi levado a exame do Plenaacuterio do Congresso Os partidos majoritaacuterios na Cacircmara e no Senado optaram peia omissatildeo

Dep Luiz Salomatildeo(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

Apesar das importantes conclusotildees e graves indiacutecios de ilegalidades e nulidades apontados por todas essas comissotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi adotada e a diacutevida externa natildeo parou de crescer sendo objeto de sucessivas negociashyccedilotildees que a tornaram cada vez mais onerosa

Deacutecada de 1990Na deacutecada de 1990 no bojo do processo de

abertura econoacutemica promovido pelo governo Collor ao qual se seguiram a desestatizaccedilatildeo e a desreguiamentaccedilatildeo do mercado de capitais as insshytituiccedilotildees credoras internacionais aproveitaram-se da fragilidade e da subordinaccedilatildeo das economias nacionais para executar o chamado Plano Brady

0 engodo do Plano BradyEm 1994 o Brasil concluiu a implantaccedilatildeo do

denominado Plano BradyEsse plano significou a transformaccedilatildeo da diacutevishy

da externa com bancos privados internacionais- antes formalizada sob a forma de acordos na deacutecada de 1980 - em tiacutetulos da divida externa

Foram emitidos sete tipos de tiacutetulos da diacutevida externa em troca da diacutevida anterior e de juros vencidos em montante estimado em US$ 51 bilhotildees na eacutepoca

Natildeo haacute transparecircncia em relaccedilatildeo ao deta- Ihamento das diacutevidas objeto de conversatildeo Tal negociaccedilatildeo tal como as da deacutecada de 1980 tambeacutem natildeo levou em consideraccedilatildeo o valor de mercado da diacutevida anterior (de cerca de 20 do valor nominal conforme constou de acoacutershydatildeo do TCU) nem as ilegalidades que haviam sido arguidas por comissotildees parlamentares

anteriores e ainda exigiu a compra de garantias colaterais (tiacutetulos do Tesouro norte-americano de cerca de US$ 39 bilhotildees)

Caso fosse considerado o valor de mercado da diacutevida externa anterior o resultado do Plano Brady pode ser resumido da forma retratada no graacutefico a seguir

novos bocircnus ou tiacutetulos A transformaccedilatildeo de juros vencidos em tiacutetulos eacute uma comprovaccedilatildeo expliacutecita de anatocismo (juros sobre juros) conshysiderado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

A operaccedilatildeo de troca da diacutevida por bocircnus natildeo significou ingresso de recursos para o Paiacutes pois constituiu mera troca e foi feita em Luxemburgo

A renegociaccedilatildeo Brady aumentou a diacutevida (US$ bilhotildees)60

50

40

30

20

10

Valor da diacutevida em mercado Bocircnus Brady emitidos

Fonte Paulo Nogueira Batista Jr e Armeacutenio de Souza Rangel A Renegociaccedilatildeo da Diacutevida Externa Brasileira e o Plano Brady Avaliaccedilatildeo de aSguns dos principais resultados paacuteg 15 e 18 e Ceres Aires Cerqueira Diacutevida Externa Brasileira paacutegs 65122123 e 124

Evidencia-se um tremendo prejuiacutezo ao Paiacutes Apesar disso o discurso oficiai e da grande miacutedia na eacutepoca foi de que o Brasil obteve um importanshyte desconto nessa negociaccedilatildeo Trata-se de mais ri forte indiacutecio da necessidade de realizaccedilatildeo de Buditoria pois os tais bocircnus Brady serviram como T io e d a para a compra das estatais privatizadas

atilde partir de 1996 Dessa maneira ao mesmo tempo em que entregaacutevamos nosso patrimoacutenio aumen- iacuteavamos a lesatildeo ao eraacuterio

A negociaccedilatildeo Brady tambeacutem natildeo levou em snsideraccedilatildeo as recomendaccedilotildees das Comissotildees iHamentares do Congresso Nacional portan- to a nova diacutevida dos bocircnus Brady tambeacutem pode ter sua legitimidade e legalidade questionadas

O Plano Brady foi aplicado em 22 paiacuteses onsiderados subdesenvolvidos e trocou tanto 3 diacutevida anterior como os juros vencidos por

conhecido paraiacuteso fiscal como uma oferta privashyda sem registro na SEC (Securities and Exchcmge

Comission dos Estados Unidos da Ameacuterica) e natildeo atendeu agraves exigecircncias da Lei de Vatores de 19337 para uma oferta puacuteblica nos Estados Unidos Ou sej^ fQi uma operaccedilatildeo repleta de irregularidades

A nova^ao -^transformaccedilatildeo de uma diacutevida em outra - deve ter uma causa legiacutetima o que natildeo se confirmou na operaccedilatildeo Brady

Por fim cabe ressaltar que a diacutevida externa contratual com bancos privados vinha sendo objeto de graves questionamentos de ordem legal com suspeitas inclusive de prescriccedilatildeo dessa diacutevida em 1992 sendo que atos iliacutecitos natildeo podem gerar consequecircncias liacutecitas

7 A Lei de Valores de 1933 foi ed itada I ogo apoacutes a Grande Crise de 1929 e regulamentou a comercializaccedilatildeo de accedilotildees tiacutetulos e demais papeacuteis financeiros

A D Iacute V I D A P Uacute B L I C A EM D E B A T E

41Caderno de estudos

Resgates Antecipados com Pagam ento de Aacutegio

Anaacutelises teacutecnicas da CPI demonstraram que logo apoacutes o referido Plano Brady foram realishyzadas trocas desses tiacutetulos por novos tiacutetulos da diacutevida externa (Global) e interna (NTN) operaccedilotildees que possuem forte indiacutecio de dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico ante os significativos desaacutegios nas emissotildees dos boacutenus Global suas elevadas taxas de juros onerosas comissotildees e demais gastos assumidos pelo Brasil bem como face agraves elevashydiacutessimas taxas de juros da diacutevida interna

Observou-se tambeacutem que os boacutenus Brady foram objeto de troca por outros tiacutetulos da diacutevida externa (por exemplo C-Bond por A-Bond em 2005) que por sua vez foram objeto de resgate antecipado a partir de 2005

A CPI apurou que o Brasil tambeacutem tem comshyprado antecipadamente tiacutetulos da diacutevida externa Ao inveacutes de pedir desconto pela antecipaccedilatildeo do pagamento os elevados pagamentos foram feitos com aacutegio que chegou a alcanccedilar 70 do valor nominal dos tiacutetulos originais

Ora qual a razatildeo para resgatar obrigaccedilotildees antecipadamente e com pagamento de aacutegio

A resposta das autoridades do Paiacutes agrave CPI da Diacutevida Puacuteblica foi no sentido de que o endividashymento eacute regido pelo ldquobenchmark mecanismo de marcaccedilatildeo de mercado que mede entre outras coisas a expectativa dos credores

0 pagamento de aacutegio pelo Tesouro brasileiro compensou expectativas frustradas de detentoshyres de tiacutetulos da divida externa brasileira emitishyda em doacutelares Um dos aspectos que afetou tal expectativa foi a queda no valor de tal moeda a partir de 2005 Tal fato eacute bastante grave e demonstra a que ponto chega o privileacutegio do setor financeiro Em nosso Paiacutes faltam recursos para o atendimento de necessidades vitais de grande parte da populaccedilatildeo como demonstrado em capiacutetulos anteriores mas sobram recursos para remunerar o capital financeiro

Pagam ento antecipado ao FMI contradiccedilatildeo inexplicaacutevel

Em 2005 durante o Governo Lula foi amplashymente propagandeado o resgate antecipado ao

DIacuteVIDA INTERNA

D gt V l gt 1

pound x t e r n P s

A chamada diacutevida interna corresponde agrave diacutevida

mobiliaacuteria - diacutevida em tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Na praacutetica a diacutevida interna eacute tambeacutem exter na pois grande parte dos tiacutetushylos dessa diacutevida tem sido adquirida porestrangeirosque encontram no Brasil a maior taxa de juros do mundo liberdade de capitais e isenccedilatildeo tributaacuteria

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica analisou a evoluccedilatildeo da diacutevida interna a partir de 1995 tendo em vista que foi justamente a partir do Plano Real que seu crescimento se acelerou de maneira impressionante como mostra o graacutefico a seguir Em dezembro de 2011 a diacutevida interna superou a cifra de 25 trilhotildees de reais

Buscando explicaccedilotildees para a contrashypartida a justificativa para essa diacutevida a CPI constatou que as altas taxas de juros foram a principal causa do cresshycimento acelerado da diacutevida interna provando que este endividamenshyto tem uma origem meramente financeira sem contrapartida em termos de desenvolvimento social e econoacutemico

O Relatoacuterio Final da CPI aprovado pela base do governo e pelo PSDB reconheceu esse grave fato que tambeacutem constitui uma importante evidecircncia da necessidade de completa auditoria dessa diacutevishyda pois a aplicaccedilatildeo de juros sobre juros (ana- tocismo) jaacute foi considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

Os trabalhos da CPI apontaram uma seacuterie de indiacutecios de ilegalidades na diacutevida interna cabenshydo ressaltar os seguintes

Esta roupa me disfarccedila melhor

Vatildeo acreditar que o beneficiaacuterio dessa diacutevida interna eacute o

povo brasileiro

Falta de transparecircncia e graves deficishyecircncias de controle e registro do endividashymento puacuteblico tais como desaparecimento de documentos falta de registro dos juros nominais efetivamente pagos por regime de caixa a cada ano bem como dos fluxos de pagamentos e recebimentos segredo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida interna insufishyciecircncia de informaccedilotildees sobre as justificativas para a emissatildeo de diacutevida

Fonte httpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201201pfpzip - Quadro 35

Os deputados membros da CPI pertencentes aos grandes partidos se recusaram a aprovar Requerimento de Informaccedilotildees que exigiria do governo o nome dos credores da diacutevida interna brasileira Somente foi aprovado requerimento de dados agregados que serviram como base para a elaboraccedilatildeo do graacutefico ao lado

Considerando que a diacutevida eacute puacuteblica seria de se esperar que os seus beneficiaacuterios fossem devidamente anunciados tal como ocorre em diversas partes do mundo inclushysive nos Estados Unidos da Ameacuterica do Norte Aqui no Brasil frequentemente autoshyridades e a grande miacutedia argumentam que a diacutevida interna beneficia pequenos aplica- dores clientes de Fundos de Investimento Contudo tal discurso natildeo apresenta fundashymento soacutelido pois quando a CPI da Diacutevida Puacuteblica requereu informaccedilotildees sobre o pershyfil dos detentores da diacutevida interna nesses Fundos requerendo informaccedilatildeo sobre a distribuiccedilatildeo dos grandes e pequenos invesshytidores) o Banco Central afirmou que natildeo dispunha desta informaccedilatildeo

Assunccedilatildeo de diacutevidas privadas espeshycialmente do setor financeiro por meio do PROER PROES e diversas outras formas

Credores da Diacutevida Interna - Abril2010

nacirco-nnanceiras

Bancos nacionais e estrangeiros

55

Fonte Banco Central (abrif2010) httpwwwbcb0ovbr htmsinfecondemabma201Q04Nlmprensazipe Secretaria de Previdecircncia Complementar (Estatiacutestica Mensal- Dez2009) -paacuteg 3Notas (1) A rubrica Fundos de Pensatildeo inclui recursos desses Fundos que se encontram aplicados em Fundos de Investimento de Renda Fixa Consequentemente a rubrica Fundos de Investimento aparece descontada destes recursos(2) A rubrica Bancos Nacionais e Estrangeiros inclui os Tiacutetulos Vinculados (que representam principalmente o depoacutesito junto ao BC petas instituiccedilotildees financeiras de tiacutetulos puacuteblicos como garantia de operaccedilotildees em Bolsa de Valores) e as Operaccedilotildees de Mercado Aberto (que significam a retirada de moeda de circulaccedilatildeo mediante entrega agraves instituiccedilotildees financeiras dos 1 tiacutetulos puacuteblicos em poder do Banco Central)

4 6Caderno De estudos | A d iacute v i d a P i j R i c a t u D E B A T E

Descumprimento de atribuiccedilotildees legais e constitucionais peios oacutergatildeos de controle do endividamento puacuteblico federal comproshyvado pela ausecircncia de resposta dos oacutergatildeos oficiais de controle interno (Banco Central e Ministeacuterio da Fazenda) a pedidos de infor maccedilatildeo sobre a diacutevida puacuteblica brasileira e pela ausecircncia de realizaccedilatildeo de auditoria nas negociaccedilotildees com bancos privados internacioshynais pelo Tribunal de Contas da Uniatildeo (TCU) Quanto ao Congresso Nacional este vem des cumprindo haacute mais de 20 anos a determinashyccedilatildeo constitucional de realizaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externa brasileira Tambeacutem natildeo regulamentou o art 30 incisos I e II da Lei de Responsabilidade Fiscal que dizem respeito aos limites globais de endividamento

Danos patrimoniais agraves financcedilas do Paiacutes configurada pela praacutetica doanatocismo (juros sobre juros) jaacute considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal aleacutem do ofeshyrecimento de taxas de juros injustificadas e excessivamente elevadas

Conflito de interesses na determinaccedilatildeo da taxa baacutesica de juros Os membros do Copom que definem as taxas de juros e demais autoshyridades do Banco Central realizam reuniotildees com analistas independentesrsquo tendo a CPI apurado que estes constituem - em cerca de 95 ou seja em sua imensa maioria - represhysentantes dos segmentos financeiros direta- mente interessados o que pode caracterizar conflito de interesses Adicionalmente a CPI constatou que a maior parte dessas autoridashydes foi trabalhar no setor financeiro privado apoacutes deixar o Banco Central As taxas de juros Selic satildeo definidas pelos 8 (oito) membros do Copom com base em criteacuterios natildeo mateshymaacuteticos pois a decisatildeo eacute tomada a partir de apresentaccedilotildees teacutecnicas discussotildees e natildeo decorrem da aplicaccedilatildeo de uma foacutermula que definiria qual deveria ser a decisatildeo do Comiteacute sobre a meta da taxa Selic cabendo ressalshytar ainda que os votos de seus membros natildeo eram divulgados

Argumentos insustentaacuteveis para os elevados juros Aleacutem da ausecircncia de justishyficativas teacutecnicas para o abusivo patamar de juros praticados durante os 15 anos analisashydos o argumento de elevar taxas de juros para combater a inflaccedilatildeo tambeacutem natildeo se sustenta

Ao mesmo tempo em que as autoridades monetaacuterias defendem a elevaccedilatildeo das taxas de juros sob a justificativa de controle inflashycionaacuterio as mesmas autoridades permitem grandes aumentos nos preccedilos administrados (tarifas de energia telefone combustiacutevel entre outros) o que eacute um total contra-senso Adicionalmente os oacutergatildeos de defesa da livre concorrecircncia natildeo tecircm conseguido combater adequadamente os carteacuteis privados que tamshybeacutem afetam a formaccedilatildeo dos preccedilos

Danos agrave economia real As elevadas taxas de juros baacutesicos impulsionam as demais taxas de juros praticadas pelos bancos provocando aumento nos custos das induacutestrias e empresas em geral deprimindo o investimento o que ocasiona a reduccedilatildeo da oferta de produtos gerando inflaccedilatildeo As elevadas taxas de juros brasileiras satildeo as maiores de todo o mundo natildeo havendo justificativa plausiacutevel para tal patamar Esse custo tem imposto atraso ecoshynoacutemico imensuraacutevel ao Paiacutes

Poliacuteticas monetaacuteria e cambial equivoshycadas Danos decorrentes da excessiva acushymulaccedilatildeo de reservas internacionais por meio da elevaccedilatildeo acelerada do estoque do endivishydamento interno A principal justificativa para a compra de doacutelares pelo Banco Central tem sido a de enxugar o excesso de moeda e eviacute tar a valorizaccedilatildeo da moeda nacional poreacutem quando o BC compra a moeda americana termina estimulando ainda mais os especushyladores a trazerem moeda estrangeira ao Paiacutes

Prejuiacutezos do Banco Central O fato de o Banco Central manter crescentes e elevadas reservas em doacutelares em seu ativo desde 2005 e tiacutetulos da diacutevida Interna em seu passivo representa enorme transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor financeiro privashydo tendo em vista a forte desvalorizaccedilatildeo do doacutelar O prejuiacutezo do Banco Central alcanccedilou R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 RS 445 bilhotildees no 1-semestre de 2011 sendo que todo esse resultado negativo foi coberto pelo Tesouro Nacional ou seja foi arcado por toda a sociedade Isso caracteriza violaccedilatildeo do princiacutepio republicano em sentishydo de adequado trato da coisa puacuteblica pelos agentes do Estado cuja investigaccedilatildeo deve ser aprofundada para apurar eventual dano ao patrimoacutenio puacuteblico

A 0 I V I C A F II li L C A r M D t 8 A 1 E |

47Caderno de

III

Todos esses graves indiacutecios de iacuterregularidades apontados pela CPI reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa auditoria dessa diacutevida

A RECENTE QUEDA DA TAXA SELICEm 2011 a taxa Selic passou a cair reduzinshy

do-se ao patamar de 8 ao ano Entretanto estudos realizados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm demonstrado que justamente quando a taxa passou a cair o Tesouro Nacional passou a praticar vendas de tiacutetulos da diacutevida brasileira em taxas fixas e superiores agrave Selic Exatamente no dia 19042012 data em que a taxa Selic caiu a 9 como amplamente notishyciado nos grandes meios de comunicaccedilatildeo o Tesouro Nacional efetuou praticamente a totalidade de vendas de tiacutetulos da diacutevida brashysileira a taxas muito superiores que chegaram a 1079 ao ano

Ora qual a razatildeo para essa praacutetica evidenshytemente contraacuteria aos interesses do Paiacutes Uma das justificativas normalmente apresentadas eacute que o mercadordquo natildeo aceita comprar por taxas mais baixas

Mas quem eacute o m ercadoA venda de tiacutetulos se daacute por meio dos dealers

- reduzido grupo de grandes bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia na compra dos tiacutetulos leiloados pelo Tesouro Nacional em primeira matildeo8

Essa modalidade de negociaccedilatildeo foi introdushyzida a partir de 2001 com a ediccedilatildeo da Circular BACEN ns 3053 havendo um rodiacutezio entre as instituiccedilotildees financeiras Na data em que o preshysente Caderno estaacute sendo elaborado os dealers

satildeo os seguintes

8 Ver lthttpwwwtMourofazendagovbrhpdownloads Rltmking_Top_5 Janeiro_12_Mertado_Primariopdfgt

Quanto mais pagamos mdash mais devemos

GASTOSCOM

JUROS

48Caderno de estudos | A o l v i D A P uacute b l i c a FM DIacute E ATE

M

M

Tesouro NacionalINSTITUICcedilOtildeES CREDENCIADAS A OPERAR COM A CODIP E COM O DEMAB

10082012 a 3101201310022012 a 31072012

BCOBRADESCOS A

BCO BTG PACTUA L S A

BCOCITIBANKS A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO J P MORGAN S A

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

CM CAPITAL MARKETS CCTVM LTDA

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ITAU UNI BANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

BCO BARCLAYS S A

BCO BRADESCO S A

BCO BTG PACTUAL S A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

DEUTSCHE BANK S A - BCO ALEMAO

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ICAP DO BRASIL CTVM LTDABRAD

ITAU UNIBANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

Referecircncia Legal Decisatildeo-Conjunta 18 de 10022010 Ato Normativo Conjunto de 26 de 08022012 e Ato Normativo Conjunto 27 de 08022012

Depreende-se que o grupo de bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia de comprar os tiacutetulos colocam o Tesouro Nacional a serviccedilo do Sistema da Diacutevida pois soacute compram os tiacutetulos leiloados quando as condiccedilotildees oferecishydas atendem a seus interesses e dessa forma na praacutetica ditam as regras Assim tem funcionado o Sistema da Diacutevida

QUEM GANHA COM ESSE PROCESSODe todo esse processo de escoamento natildeo transshy

parente dos recursos puacuteblicos por meio da diacutevida puacuteblica - interna e externa - resta uma grande certeza os detentores dos tiacutetulos - em sua maioria bancos auferem no Brasil os maiores lucros do mundo como comprova o graacutefico a seguir

Lucro dos Bancos (R$ bilhotildees)80

60

40

20

Aparente queda Aumento de Provisotildees

00 O ltN m r r m 0 00 OQ CT O O O o o o O O o O T--(Jy C l O O O o o o o o o o Ormdash (N rsi ltN ltN ltN ltN ltN ltN r| ri

Fonte Banco Central do Brasil (httpwww4bcbgovbrtop50porttop50asp)

A D l V l D A P Uacute B L I C A E M D F S A T E

49Caderno de estudos

C A P Iacute T U L O 8

O SISTEMA DA DIacuteVIDASISTEMA DA DIacuteVIDA NO BRASIL

A nos de estudos sobre o endividamento puacuteblico no Brasil em outros paiacuteses da

Ameacuterica Latina e mais recentemente na Europa permitiram a identificaccedilatildeo de um mesmo modus

operandi um desvirtuamento do papel da diacutevida puacuteblica e sua utilizaccedilatildeo em benefiacutecio do setor financcedil

Em tese a diacutevida puacuteblica deveria funcionar (como um importante instrumento de financia-

lento do Estado ou seja um instrumento que ^viabilizaria aporte de recursos ao Estado a fim de complementar recursos necessaacuterios ao cum-

Entretanto as investigaccedilotildees realizadas em diversos paiacuteses tecircm comprovado que esse papei foi usurpado e a divida puacuteblica se transformou em um instrumento agrave disposiccedilatildeo dos donos do poder financeiro^ou seja ao inveacutes de jportar recursos ao Estado tem sido um mecanismo de transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor finarccedilceiro privado

Ta) proeza eacute possibilitada por um arcabouccedilo de privileacutegios de ordem lega poliacutetica finanshyceira e econoacutemica que denominamos Sistema da Diacutevida que visa a garantir prioridade absoluta aos pagamenshytos financeiros da diacutevida puacuteblica em detrimento de direitos humanos e sociais de toda a naccedilatildeo

A fim de exemplificar como opera o Sistema da Diacutevida no Brasil cabe mencionar alguns privishyleacutegios evidenciados no modelo econoacutemico e na estrutura legal possibishylitados pelo equivocado

sistema poliacutetico que permite o financiamento privado de campanhas eleitorais

MODELO ECONOacuteMICOO modelo econoacutemico adotado no Paiacutes eacute comshy

pletamente voltado para a garantia dos privileacuteshygios da diacutevida o que se evidencia pelas seguintes caracteriacutesticas

Poder exacerbado do setor financeiro espeshycialmente bancos privados e FMI frequenteshymente identificado como 0 Mercado cujo comportamento acaba justificando poliacuteticas econoacutemicas nocivas ao Paiacutes e que beneficiam somente a eles mesmos tais como a praacutetica de juros altos as privatizaccedilotildees de setores estashytais estrateacutegicos entre muitas outras

Financeirizaccedilatildeo baseada em papeacuteis caracteshyrizada pela proliferaccedilatildeo de Fundos Soberano do Preacute-Sal de Previdecircncia etc que absorvem todo o risco do mercado financeiro desregu- lado Tais fundos podem se transformar em veiacuteculos para a transmissatildeo para o Brasil dos papeacuteis podres que provocaram a atua crise financeira internacional

FUNDO DE PENSAtildeO

57a d I v i o a - uacute raquobull i r a f m d f r a t e | Caderno de estudos

58Caderno de estudos

Liberdade total para os fluxos de capitais pershymitindo que bancos nacionais utilizem setores sediados no exterior para usufruir da isenccedilatildeo tributaacuteria sobre os rendimentos proporcionashydos pelos mais elevados juros do mundo pagos pelo Brasil Adicionalmente essa liberdade de movimentaccedilatildeo deixa vulneraacuteveis as poliacuteticas monetaacuteria e cambia praticadas no Pais

Ausecircncia de Transparecircncia nas negociaccedilotildees que geraram endividamento puacuteblico na divulgaccedilatildeo dos valores dos juros nominais efetivamente pagos sigilo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida puacuteblica aleacutem da utilizaccedilatildeo de artifiacutecios e decishysotildees baseadas em documentos secretos natildeo acessiacuteveis agrave populaccedilatildeo

Prioridade para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrada em poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria que representam elevados ganhos ao setor financeiro

Privileacutegios tributaacuterios para o setor financeiro e grandes corporaccedilotildees e pesada carga tributaacuteria para a classe trabalhadora

Esse modelo vem submetendo sucessivos governantes - ainda que de partidos diferentes- ao mesmo poder econoacutemico que financia as suas campanhas eleitorais e dessa forma exerce grande influecircncia nas decisotildees poliacuteticas do Paiacutes

Adicionalmente os donos do poder financeiro exercem o controle da grande miacutedia como antes mencionado e natildeo raro financiam instituiccedilotildees de ensino para desenvolver robustas teses em defesa do funcionamento desse injusto modelo que os beneficia

OS PRIVILEacuteGIOS LEGAIS DA DIacuteVIDA

V imos que a diacutevida puacuteblica brasileira tem consumido anualmente quase a

metade dos recursos da Uniatildeo provenienshytes tanto de arrecadaccedilatildeo tributaacuteria como da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

Para conseguir essa faccedilanha a diacutevida conshyta com um enorme arcabouccedilo de ordem legal- uma superestrutura juriacutedica - que garante a prioridade de recursos para os pagamentos finanshyceiros da diacutevida puacuteblica enquanto que remanesce desassistida uma significativa porccedilatildeo dos direitos sociais e humanos do povo brasileiro

Constituiccedilatildeo FederalEacute na Constituiccedilatildeo Federal que tem iniacutecio o

arcabouccedilo juriacutedico que garante os privileacutegios da diacutevida Vejamos o que determina o art 166

Art 166 Os projetos de lei relativos ao plano pluria- nual agraves diretrizes orccedilamentarias ao orccedilamento anual

e aos creacuteditos adicionais seroo apreciados pelas duas

Casas do Congresso Nacional na forma do regimento

comum

U

sectS As emendas ao projeto de lei do orccedilamento

anual ou aos projetos que o modifiquem somente

podem ser aprovadas caso

()II - indiquem os recursos necessaacuterios admitidos

apenos os provenientes de anulaccedilatildeo de despesa

excluiacutedas as que incidam sobre

()b) serviccedilo da divida

Segundo diretriz consagrada no direito finanshyceiro toda despesa puacuteblica deve trazer consigo no orccedilamento em que estiver prevista a fonte e o montante dos recursos a elas destinados

0 dispositivo constitucional antes transcrito- letra b do art 166sect3Ecirc II - abriu exceccedilatildeo a essa regra quando se tratar de necessidade de recursos puacuteblicos destinados ao pagamento da diacutevida puacuteblica que NAtildeO necessitam ter sua fonshyte prevista no orccedilamento

0 efeito claro desse dispositivo eacute a liberaccedilatildeo indiscriminada de valores para o pagamento de serviccedilos da diacutevida inclusive com impacto negashytivo sobre os gastos sociais Quando os recursos- mesmo apoacutes os contingenciamentos de gastos sociais - nagraveo satildeo suficientes para pagar o serviccedilo da diacutevida novos tiacutetulos da diacutevida satildeo emitidos provocando-se elevaccedilatildeo contiacutenua de seu estoshyque apesar dos vultosos pagamentos

Aleacutem do mais este dispositivo constitucional impede que o Legislativo - por meio de emenshydas - altere o valor destinado ao pagamento do serviccedilo da diacutevida Em bom portuguecircs o Congresso Nacional fica vaacuterios meses discutindo tudo sobre o Orccedilamento menos o essencial ou seja o serviccedilo da diacutevida que consome a maior parcela dos recursos puacuteblicos

CONSTITUICcedilAtildeO FRAUDADA

A inserccedilatildeo desse dispositivo no texto constitushycional eacute bastante questionada

Importante estudo realizado no ano de 2006 por Adriano Benayon e Pedro Antonio Dourado de Rezende demonstrou uma grave irregularidade praticada durante o periacuteodo da Constituinte

O estudo Anatomia de uma Fraude agrave Constituiccedilatildeo eacute acompanhado de uma seacuterie de documentos fotos e publicaccedilotildees

Segundo os autores o projeto do atual art 166 da Constituiccedilatildeo natildeo incluiacutea nenhuma exceccedilatildeo ao dispositivo segundo o qual as emendas ao projeshyto de lei do orccedilamento anual ou aos projetos que o modifiquem somente podem ser aprovadas caso indiquem os recursos necessaacuterios E assim foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) No momento da sistematizaccedilatildeo do texto constitucional o artigo passou agrave votaccedilatildeo em segundo turno sem nenhushyma alteraccedilatildeo acompanhado das emendas correshylatas As emendas poderiam versar apenas sobre erros ou contradiccedilotildees Contudo no momento da votaccedilatildeo surgiram emendas que diziam respeito agrave alteraccedilatildeo de meacuterito

Ao cumprir a Ordem do Dia o presidente da ANC anunciou a fusatildeo das propostas de Emenda do artigo () com outras relativas a outros

artigos pondo em votaccedilatildeo um uacutenico texto para os tregraves artigos que supostamente as reunia para votaccedilatildeo simultacircnea Nesse iacutenterim foram irreshygularmente adicionados dispositivos agrave redaccedilacirco que havia sido aprovada em primeiro turno e que alteravam substancialmente o dispositivo originai Os dispositivos adicionados () surgishyram somente no Requerimento apresentado no dia de votaccedilatildeo Dessa forma as exceccedilotildees hoje verificadas no texto constitucional foram subshymetidas agrave votaccedilatildeo somente no 2o turno como se fosse meramente uma compilaccedilatildeo do que jatilde havia sido votado Induzidos os constituintes aprovaram o artigo por ampia maioria (408 favoshyraacuteveis 5 contraacuterios e 12 abstenccedilotildees)

Posteriormente a irregularidade foi assumishyda publicamente pelo entatildeo deputado Nelson Jobim

Apesar de denuacutencias e protestos ateacute o momento esse dispositivo que carrega forte evidecircncia de viacutecio de origem permanece intacto e produzindo onerosos efeitos Esse dispositivo constitucional suspeito de fraude garante prioshyridade absoluta agrave diacutevida puacuteblica

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL-LRF

Outro privileacutegio da diacutevida eacute evidenciado na Lei de Responsabilidade Fiscal - Lei

Complementar na 1012000 - LRFEsta lei saudada pela grande miacutedia e por setores

dominantes como se fosse a lei que viria potilder fim agrave corrupccedilatildeo puacuteblica na realidade natildeo trata de desvio de recursos maacute versaccedilatildeo ou mesmo corrupccedilatildeo

A referida lei trata de controle do gasto puacuteblico a fim de garantir o pagamento da diacutevida puacuteblica

A LRF resultou de uma imposiccedilatildeo do Fundo Monetaacuterio Internacional ao governo brasileiro seguindo a esteira do organismo no sentido da defesa incondicionada da austeridade fiscal

Na praacutetica essa austeridade significa o rigoroso controle dos gastos puacuteblicos gerando uma ecoshynomia forccedilada uma sobra de recursos que se denomina superavit primaacuterio destinado a garantir a confianccedila dos credores internacionais de que o Brasil teraacute recursos para honrar o pagamento dos vultosos juros da divida

59a d iacute v i c a f j e l c a FM o E 0 a i t I Caderno de estudos

Para cumprir a meta de superaacutevit primaacuterio os sucessivos governos tecircm iniciado cada ano com a ediccedilatildeo de um decreto para o contingenciamento de verbas que o orccedilamento votado no Congresso Nacional havia destinado agraves diversas aacutereas sociais

O atual governo da Presidenta Diiacutema editou em 2011 o Decreto 74452011 contingenciando o montante recorde de R$ 50 bilhotildees

Em 2012 novo recorde foi batido e o Decreto 76802012 contingenciou o montante de R$ 55 bilhotildees o que comprova a rigorosa contenccedilatildeo do orccedilamento destinado agraves aacutereas sociais

De acordo com o art 73 da LRF caso o admishynistrador puacuteblico deixe de pagar os serviccedilos da diacutevida - ainda que para evitar a falecircncia dos sershyviccedilos baacutesicos do Estado ou mesmo caso a diacutevida cresccedila de maneira inesperada por conta de uma elevaccedilatildeo dos juros - poderaacute responder por crime de responsabilidade

O Art16 da LRF tambeacutem impede que Legislativo aprove qualquer projeto de lei que implique em aumento de gastos sociais Por outro lado a refeshyrida lei natildeo estabelece limite algum para os gastos com a diacutevida puacuteblica Tambeacutem natildeo estabelece limite para o custo da poliacutetica monetaacuteria desemshypenhada pelo Banco Central - que gerou prejuiacutezos brutais de R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 201 Oe R$ 445 bilhotildees no I2 semestre de 2011

- e ainda por cima determina que esse prejuiacutezo seja absorvido pelo Tesouro Nacional

A mesma lei tambeacutem faz seacuterias restriccedilotildees a Estados e Municiacutepios impondo-lhes que sigam os objetivos da poliacutetica econoacutemica nacional os quais como temos demonstrado natildeo satildeo outros que natildeo garantir de modo absoluto o credor financeiro e congelar os dispecircndios sociais Trata-se de clara afronta ao principio federativo e mais uma das divershysas irregularidades legitimadas pelo ordenamento juriacutedico brasileiro que precisam ser revistas

LEI DE DIRETRIZES ORCcedilAMENTAacuteRIAS

T ambeacutem a LDO (Lei de DiretrizesOrccedilamentarias) que anualmente estabelece as linhas gerais

do orccedilamento do exerciacutecio posterior corrobora a primazia da diacutevida puacuteblica no ordenamento juriacutedico brasileiro A tiacutetulo de exemplo veja-se o que estabelece o art 2pound da diretriz orccedilamentaacuteria de 2012

Art 2o- A elaboraccedilatildeo e a aprovaccedilatildeo do Projeto de

Lei Orccedilamentaacuteria de 2012 bem como a execuccedilatildeo

da respectiva Lei deveratildeo ser compatiacuteveis com

a obtenccedilatildeo da meta de superaacutevit primaacuterio ()

9 MIRANDA Seacutergio A farsa do Lei de Responsabilidade Fiscal

Brasiacutelia- Cacircmara dos Deputados 2000

60

Caderno de estudos | D i v [gt A p tt 3 1 i o a F m l _ R a ~ t

Dessa forma a elaboraccedilatildeo do orccedilamento da Uniatildeo passa a ter como princiacutepio fundamental a obtenccedilatildeo de superaacutevit primaacuterio A partir do estashybelecimento desta reserva de recursos para a divishyda os recursos primaacuterios satildeo distribuiacutedos agraves demais rubricas Eacute importante ressaltar que essa poliacutetica que reserva centenas de bilhotildees de reais de receitas natildeo-primaacuterias para o pagamento de juros e amortishyzaccedilotildees da diacutevida - e aleacutem disso reserva parte subsshytancial das receitas primaacuterias tambeacutem para esse fim- tem travado completamente o desenvolvimento do paiacutes (ver item Superaacutevit Primaacuterio no capiacutetulo 3) A diacutevida absorve cerca de metade de todas as receitas - primaacuterias e natildeo-primaacuterias - impedindo a realizaccedilatildeo de investimentos reajustes salariais para servidores e atendimento agraves necessidades sociais

A LDO tambeacutem estabelece que a atualizaccedilatildeo da diacutevida puacuteblica federa natildeo deveraacute superar o IGP-M - iacutendice divulgado por instituiccedilatildeo privada a Fundaccedilatildeo Getulio Vargas

A LDO tem estabelecido que a parte do refishynanciamento da diacutevida puacuteblica deve constar separadamente do orccedilamento o que tem provoshycado grande distorccedilatildeo na divulgaccedilatildeo dos nuacutemeshyros oficiais da diacutevida como antes mencionado (ver item Os nuacutemeros da diacutevida no capiacutetulo 4)

O DOGMA DE COMPRARA CONFIANCcedilA DO DEUS MERCADO

O arcabouccedilo juriacutedico que privilegia os gasshytos financeiros em detrimento dos direitos

sociais eacute resultado de um processo da histoacuteria brasileira que consolidou no senso comum a ideia de que eacute mais importante para o Paiacutes manter sua imagem de bom pagador perante credores e especuladores que fornecer ao seu povo um serviccedilo puacuteblico de qualidade ainda que isso sigshynifique insistir no pagamento de diacutevidas ilegais ilegiacutetimas e insustentaacuteveis

Tambeacutem eacute de se notar com clareza a influecircncia externa sofrida para que fossem aprovadas medishydas como essa Apoacutes esgotar os recursos do paiacutes e travar o nosso desenvolvimento com as poliacuteticas impostas na deacutecada de 1980 o FMI continuou a impor com matildeo de ferro a agenda neoliberal no Brasil E isso se fez com especial vigor pela implanshytaccedilatildeo do Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo resultado de negociaccedilatildeo com o oacutergatildeo financeiro

Poressa metodologia posta em praacutetica a partir do Decreto n 308899 todas as vezes em que se projetar um aumento da inflaccedilatildeo em niacutevel superior ao programado ou houver excesso de moeda em circulaccedilatildeo ativam-se dois instrumentos (a) aumenshyto da taxa baacutesica de juros (Selic) (b) enxugamento de moeda em operaccedilotildees de mercado aberto

Qualquer que seja o instrumento utilizado o efeito resulta em aumento da diacutevida puacuteblica pois

a) A elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic provoca a elevaccedilatildeo dos compromissos financeiros relashycionados ao pagamento de juros da diacutevida Se os recursos existentes natildeo satildeo suficientes nova diacutevida eacute emitida

b) O enxugamento de moeda pelo Banco Centrai se daacute por meio da entrega de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica em troca do excesso de moeda

Dessa forma o Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo em praacutetica no Paiacutes natildeo tem servido para controlaro tipo de inflaccedilatildeo que temos (decorrente do reashyjuste excessivo de tarifas puacuteblicas e do preccedilo de alimentos) e na praacutetica tem sido um mecanismo de geraccedilatildeo de diacutevida puacuteblica

OUTROS PRIVILEacuteGIOS QUE GARANTEM A DESTINACcedilAtildeO DE RECURSOS PARA O PAGAMENTO DA DIacuteVIDA

A leacutem dos questionaacuteveis privileacutegios legais visshytos existem outros privileacutegios adicionais que

garantem a destinaccedilatildeo de recursos para o serviccedilo da diacutevida

Lucro do Banco Central Quando o Banco Central apura lucro operacional esse lucro eacute destinado exclusivamente ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Medida Provisoacuteria na 2179-362001 Art 2a sect1He Lei 118032008 Art 32

Os valores pagos na forma do inciso I do art 2nda Medida Provisoacuteria n 2179-36 de 24 de agosto de 2001 [lucro do BC] seracirco destinados exclusivamente ao pagamento da Diacutevida Puacuteblica Mobiliaacuteria Federal devendo ser paga prioritariamente aquela existente junto ao Banco Central do Brasil

61A D v i n a p u b l i c a em B F B A l E I Caderno de estudos

Por outro lado se o Banco Central apura prejushyiacutezo operacional a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que o Tesouro cubra este prejuiacutezo como antes mencionado

Lucro das estatais distribuiacutedos ao govershyno Enquanto a parcela das accedilotildees das estatais que se encontra em matildeos privadas garante a esses proprietaacuterios os respectivos dividendos os lucros referentes agrave parceia das estatais que ainda remanesce sob propriedade puacuteblica eacute destinada por iei para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Lei ns 95301997 - Art 1E Seratildeo destina dos agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

I - a receita do Tesouro Nacional decorshyrente do pagamento de participaccedilotildees e dividendos pelas entidades integrantes da Administraccedilatildeo Puacuteblica Federal indireta inclusive os relativos a lucros acumulados em exerciacutecios anteriores

Eacute por isso que a Petrobras por exemplo emboshyra seja uma das empresas mais lucrativas do mundo acaba contraindo diacutevidas para realizar investimentos Eacute por isso tambeacutem que embora sejamos autossuficientes na produccedilatildeo de petroacuteshyleo a gasolina brasileira eacute tatildeo cara para gerar lucros que iratildeo pagar a diacutevida

Pagamento da diacutevida dos Estados e Municiacutepios com a Uniatildeo A Uniatildeo natildeo usushyfrui dos recursos sacrificados por Estados e Municiacutepios para o pagamento de suas diacutevidas pois por lei o que a Uniatildeo recebe dos Estados e Municiacutepios destina-se exclusivamente ao pagamento da divida federal que em sua maior parte estaacute nas matildeos dos bancos nacionais e estrangeiros

Emissatildeo de novos tiacutetulos Esse constitui um dos principais privileacutegios da diacutevida jaacute que a lei autoriza a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevida Cabe ressaltar que a Constituiccedilatildeo Federal art 167 autoriza a emissatildeo de diacutevida somente para pagar amortizaccedilotildees (despesa de capital) vedando poreacutem a emissatildeo de diacutevida para pagar juros (despesa corrente)Entretanto a contabilizaccedilatildeo irregular de parte dos juros nominais (atualizaccedilatildeo monetaacuteria) como se fosse rolagem vem burlando essa vedaccedilatildeo constitucional

Constituiccedilatildeo Federal art 167Art 167 Satildeo vedados()

III - a realizaccedilatildeo de operaccedilotildees de creacuteditos que excedam o montante das despesas de capital

A Lei 101792001 tambeacutem permite a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevidas anteriores mas natildeo permite a emissatildeo de diacutevida para garantir direitos sociais aos brasileiros

Recursos obtidos com PrivatizaccedilotildeesPor lei os recursos advindos das privatizaccedilotildees do patrimoacutenio puacuteblico se destinaram ao pagashymento da diacutevida puacuteblica

Remuneraccedilatildeo da Conta Uacutenica do Tesouro pelo Banco CentralOs recursos auferidos com tal remuneraccedilatildeo se destinam ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Recursos autorizados pelas Medidas Provisoacuterias ndeg 435 e 450 convertidas nas Leis n2 118032008 e 119432009

62Caderno de estudos | a D I v i DA P Uacute B L I C A fcM D pound u iacute F

Tais medidas permitiram que todos os recursos rtatildeo gastos durante o ano de qualquer rubrica t de receita vinculada por lei a alguma aacuterea social fossem destinados a partir de 2008 ao pagagraveymdash mento da diacutevida puacuteblica T -

Em um uacutenico ano - 2008 - a MP 435 viabilizou a transferecircncia de cerca de R$ 40 bilhotildees de recurshysos antes vinculados a outras aacutereas estrateacutegicas (FUNDAF Royalties do Petroacuteleo entre outras) para o pagamento da diacutevida

Lei nE 119432009 (conversatildeo da MP 435) Art 13 O excesso de arrecadaccedilatildeo e o superaacutevit financeiro das fontes de recursos existentes no Tesouro Nacional poderatildeo ser destinados agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

Epor causa dessa impressionante estrutura legal que a diacutevida puacuteblica consegue absorver a cada ano quase a metade dos recursos da Uniatildeo apesar das evidecircncias de que essa diacutevida tem sido um instrumento meramente financeiro de mercado sem qualquer contrapartida

real para a populaccedilatildeoPor outro lado a populaccedilatildeo que paga a conta - por meto de elevada carga tributaacuteria e peta

ausecircncia dos serviccedilos sociais que tem direito - continua desprovida de bens e serviccedilos elementares a despeito da grande riqueza do nosso Paiacutes que vergonhosamente ostenta o tiacutetulo de um dos paiacuteses mais injustos e desiguais do mundo

Nacirco deveria ser assim Essa situaccedilatildeo precisa ser enfrentada e modificada

ldquoA luta pela verdade deve ter precedecircncia sobre todas as outras

A L B E R T E I N S T E I N

63a D I v i d a p ij B I i c A EM D E B A T E | Caderno de estudos

Page 7: A dívida pública em debate. (livro)

da diacutevida puacuteblica brasileira que pagam os maioshyres juros do mundo isentos de qualquer tributo podendo fugir do Paiacutes quando bem entenderem engordados pela variaccedilatildeo cambial

Por sua vez o Banco Central fica com os doacutelashyres e os destina agraves Reservas Internacionais que jaacute se aproximam de US$ 400 bilhotildees e natildeo rendem quase nada ao Paiacutes pois estatildeo aplicadas em granshyde parte em tiacutetulos da diacutevida norte americana que pagam juros proacuteximos de zero e ainda temos que arcar com os custos de senhoriagem

Por isso o Banco Central (BC) tem apresentashydo nos uacuteltimos anos prejuiacutezos bilionaacuterios R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 e no 1s semestre de 2011 R$ 445 bilhotildees tudo isso transshyferido para o Tesouro Nacional e arcado por todos os brasileiros Contudo quando o BC apresenta lucro operacional este eacute destinado exclusivamenshyte por lei para o pagamento da diacutevida

Dessa forma a prioridade do atual modelo econoacutemico para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrado nas poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria tem provocado grandes danos financeiros

MODELO TRIBUTAacuteRIO INJUSTO

A maneira mais oacutebvia de promover justiccedila fiscal e distribuir renda seria por meio da

cobranccedila de tributos de forma justa ou seja os mais ricos contribuiriam mais para que os recurshysos arrecadados pelo Estado pudessem ser aplicashydos em poliacuteticas puacuteblicas que beneficiassem toda a populaccedilatildeo especialmente aos mais pobres

Natildeo eacute isso que ocorre no Brasil O sistema trishybutaacuterio brasileiro eacute extremamente regressivo pois a maior parte dos tributos satildeo indiretos embutidos nos preccedilos de todos os produtos e serviccedilos que satildeo consumidos igualmente por pobres e ricos

bull Contraditoriamente os mais beneficiados comI aliacutequotas reduzidas isenccedilotildees incentivos fiscais j e deduccedilotildees satildeo justamente aqueles que mais ^poderiam contribuir para as financcedilas puacuteblicas

O exemplo mais contundente desse benefiacutecio eacute o fato de que ateacute hoje ainda natildeo foi regulamenshytado o Imposto sobre Grandes Fortunas previsto na Constituiccedilatildeo Federal de 1988

Adicionalmente desde o governo FHC a poliacuteshytica fiscal regressiva tem se voltado ao privileacutegio do sistema financeiro e grandes corporaccedilotildees

Dentre os benefiacutecios tributaacuterios concedishydos ao capital financeiro durante os anos FHC destacam-se

reduccedilatildeo da aliacutequota do Imposto de Renda das instituiccedilotildees financeiras - 1RPJ - de 25 para15

reduccedilatildeo do adicional do IRPJ de 12 e 18 para10

reduccedilatildeo da Contribuiccedilatildeo Social sobre o Lucro Liquido - CSLL de 30 para 8 posteriormente elevada para 9

reduccedilatildeo da base de caacutelculo do IRPJ e da CSLL ao permitir a deduccedilatildeo dos juros sobre capital proacuteprio

isenccedilatildeo do imposto de renda sobre remessa de lucros e dividendos ao exterior

Lula manteve todos esses privileacutegios e ainda concedeu outros sobressaindo-se a isenccedilatildeo de Imposto de Renda para estrangeiros que lucram com os tiacutetulos da diacutevida interna brasileira por meio da Lei 113122006

Ao mesmo tempo em que foram aprovadas leis que garantiram essas benesses ao grande capital outras normas aumentaram os tributos sobre o consumo impactando sobremaneira as classes mais baixas que empregam a totalidade de seus rendimentos no consumo de bens essenciais agrave sua sobrevivecircncia

23A n I V D A P Uacute B L I C A EM C E B A l L I Caderno de estudos

AS BENESSES TRIBUTARIAS DOS ESPECULADORES

Lei 113122006

Art 1 Fica reduzida a zero a aliacutequota do imposto de renda incidente sobre os rendimentos () proshyduzidos por tiacutetulos puacuteblicos adquiridos a partir de 16 de fevereiro de 2006 quando pagos creshyditados entregues ou remetidos a beneficiaacuterio residente ou domiciliado no exterior

Aleacutem disso desde o Plano Reai a classe trabashylhadora vem sendo pesadamente onerada face ao congelamento da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Fiacutesica

Essa medida faz com que o trabalhador passe a pagar mais Imposto de Renda quando obteacutem meros reajustes inflacionaacuterios que natildeo modificam seu padratildeo de vida ou sua capacidade contributiva Apesar dos reajustes ocorridos a atualizaccedilatildeo da tabela do IRPF ainda acumula mais de 50 de defa- sagem o que caracteriza um verdadeiro confisco

Essas injusticcedilas do modelo tributaacuterio aproshyfundam o fosso social De acordo com pesshyquisa recente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econoacutemica Aplicada) pessoas cuja renda mensai

familiar alcanccedilava ateacute dois salaacuterios miacutenimos comprometiam 539 dos seus ganhos com o pagamento de tributos enquanto que outras com renda superior a 30 salaacuterios miacutenimos comprometiam apenas 29 3 A mesma pesshyquisa mostra que cerca de 50 da nossa carga tributaacuteria eacute indireta incidindo sobre o consushymo e atingindo indiscriminadamente a toda a populaccedilatildeo independentemente da renda e da riqueza Dessa maneira o pobre que faz suas compras no supermercado paga o mesmo imposto do milionaacuterio A renda por sua vez influencia em apenas 19 a carga tributaacuteria do Paiacutes Nos Estados Unidos ela responde por 49 dos gastos dos cidadatildeos com tributos

A carga tributaacuteria brasileira em meacutedia natildeo eacute considerada alta se comparada agrave de outros paiacuteshyses Contudo quando se observa a ausecircncia ou extrema insuficiecircncia do devido retorno em bens e serviccedilos puacuteblicos constata-se o caraacuteter extrema mente injusto da tributaccedilatildeo brasileira Ademais os tributos arrecadados destinam-se principalmente para o pagamento de juros da diacutevida puacuteblica o que caracteriza seu desvio de finalidade

2 Fonte lthttpamaivDsuolcombramaivos09noticiagt

ldquoLEI KANDIR

A discussatildeo sobre a tributaccedilatildeo no Brasil natildeo pode passar ao largo de um dos instrumentos mais controversos de estiacutemulo agrave exportaccedilatildeo - a chamada LeiKandir

Esta lei (Lei Complementar 871996) entrou em vigor em 1996 Por seus dispositivos isenta do pagamento de tributo estadua - ICMS (Imposto sobre Circulaccedilatildeo de Mercadorias e Serviccedilos) - a comercializaccedilatildeo de produtos destinados agrave exportaccedilatildeo com o claro objetivo de atingir um superaacutevit na balanccedila comerciai e gerar divisas para o pagamento da diacutevida externa

Essa isenccedilatildeo de ICMS representou uma grande perda de receitas para Estados e Municiacutepios que repartem o produto da arrecadaccedilatildeo do imposto Ao mesmo tempo a medida favoreceu enormemente aos grandes exportadores

Para compensar a perda dos Estados e Municiacutepios a Uniatildeo se obrigou por meio da referida lei a compensar as unidades federativas na proporccedilatildeo de 75 para os Estados e 25 para os Municiacutepios A forma de compensaccedilatildeo contudo foi a emissatildeo de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica Por muito tempo a Uniatildeo restituiu apenas parcialmente o valor devido Atualmente o governo sequer reconhece o dever de indenizaccedilatildeo aos Estados omitindo-se ateacute mesmo de prever os recursos indenizatoacuterios na Lei Orccedilamentaacuteria agravando o problema de arrecadaccedilatildeo nos Estados A medida tem contribuiacutedo para agravar a crise das financcedilas estaduais estimulada por outro lado pelas imensas diacutevidas que estes contraem perante a Uniatildeo

2 4Caderno de estudos [ A Cl v 1 rgt A p uacute b l i c a e m C E U a t e

POLIacuteTICA DE SUPERAVIT PRIMAacuteRIO E DIacuteVIDA PUacuteBLICA

Embora ainda pouco discutido o principal problema econoacutemico do Brasil eacute a chamada

diacutevida puacuteblica tratada com mais detalhes nos capiacutetulos seguintes

JEcircSUPERAacuteVIT PRIMAacuteRIO

O superaacutevit primaacuterio eacute a economiardquo forccedilada de gastos puacuteblicos para o cumprimento de meta imposta pelo FMI ao Brasil desde 1998 Esse valor eacute calculado como um percentual do PIB mas recai unicamente sobre a parte do orccedilamento referente aos gastos primaacuterios isto eacute sobre os gastos e investimentos sociais

Os gastos com juros da diacutevida - classificados como natildeo-primaacuterios - natildeo entram nesse cocircmpushyto Da mesma forma as receitas natildeo-primaacuterias especialmente a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida tambeacutem natildeo entram no caacutelculo da meta de superaacutevit primaacuterio

A consequecircncia dessa foacutermula draconiana eacute o arrocho fiscal sobre os gastos sociais para que cada vez mais recursos puacuteblicos sejam destinados ao pagamento de juros da diacutevida Trata-se de escandaloso privileacutegio aos rentistas proprietaacuterios dos tiacutetulos da diacutevida brasileira - em sua imensa maioria instituiccedilotildees do sistema finanshyceiro nacional e internacional - pois os gastos

com os juros satildeo liberados da meta de superaacutevitDessa forma centenas de bilhotildees de reais de

recursos obtidos com a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida e demais fontes natildeo-primaacuterias (tais como o recebimento de juros e amortizaccedilotildees das diacutevidas de estados e municiacutepios com a Uniatildeo eventuais lucros do Banco Central entre outros) soacute podem ser destinados ao pagamento dos juros pois se forem destinados a gastos sociais a meta de superaacutevit primaacuterio natildeo seria cumprida

Por meio dessa foacutermula o privileacutegio do pagashymento de juros da diacutevida se sobrepotildee aos direitos sociais e ao atendimento das urgentes necessidashydes do povo brasileiro

0 Congresso Nacional aprovou em 17072012 a Lei de Diretrizes Orccedilamentarias (LDO) para 2013 prevendo a meta de superaacutevit primaacuterio correspondente a R$ 1559 bilhotildees para a Uniatildeo Estados e Municiacutepios Entretanto o seu efeito alcanccedila quase R$ 1 trilhatildeo ou seja cerca da metashyde do Orccedilamento Geral da Uniatildeo na medida em que obriga que receitas natildeo-primaacuterias sejam destinadas diretamente para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Por isso eacute urgente auditar essa diacutevida - como manda a Constituiccedilatildeo Federal - e destrinchar os malabarismos que tecircm sido feitos para desviar cada vez mais recursos puacuteblicos para o setor financeiro privado

Em 2011 foram gastos quase R$ 2 biiacutehotildees por dia com a diacutevida puacuteblica Quem paga essa conta

Todos noacutes brasileiros pagamos a diacutevida puacuteblica de vaacuterias formas Pagamos diretamente por meio dos tributos embutidos em tudo o que consumimos ou recebemos Pagamos tambeacutem por meio dos serviccedilos puacuteblicos que deixamos de receber em razatildeo do corte de

gastos da Sauacutede Educaccedilatildeo Seguranccedila Transporte Saneamento Cultura Assistecircncia Social etc Por isso todos temos o direito de saber afinal que diacutevida eacute essa

25A D V I D A F uacute B L CA F M D E B A T E Caderno de estudos

O PAGAMENTO DE JUROS E AMORTIZACcedilOtildeES DA DIacuteVIDA CONSOME QUASE A METADE DOS RECURSOS DA UNIAtildeO

Elaboraccedilatildeo Auditoria Cidadatilde da Divida Nota 0 valor de R$ 708 bilhotildees inclui o chamado refinanciamento ou roiacuteagem pois a CPI da Divida Puacuteblica comprovou que parte relevante dos juros satildeo contabilizados como tal Para mais informaccedilotildees ver lthttpwwwauditoriacidadaorgbrwp-contentuploads201204Numerosdividapdfgt

26Caderno de estudos | acirc I V i D A P D B L 1 e A IacuteM d e s a t p

Orccedilamento Geral da Uniatildeo de 2011 - Executado - Total R$ 1571 trilhatildeo

Juros e Amortizaccedilatildeo

da Diacutevida

4505mdash imdash

R$ 708 bilhotildees

Transferecircncia para Estados e Municiacutepios

012 Relaccedilotildees Exteriores

012 Organizaccedilatildeo Agraacuteria

010 Induacutestria

008 Com eacutercio e Serviccedilos

008 Urbanism o

006 Direitos de C idadania

004 Cultura

004 Com unicaccedilotildees

003 Energia

002 Desporto e Lazer

002 Saneam ento

000 H abitaccedilatildeo

Gestatildeo Am bien ta 015 Ciecircncia e Tecnologia 032

Essencial agrave Ju s ticcedila 034 Leg is la tivo 036

Seguranccedila Puacuteb lica 041 Agricu ltura 061 Transporte 068

A dm in istraccedilatildeo 110 Jud ic iaacute rio 134

Defesa Nacional 177 Trabalho 229

AssistecircnciaS 285 Educaccedilatildeo 299

Sauacutede 407

C A P Iacute T U L O

A DIacuteVIDA PUacuteBLICA BRASILEIRAT odas as naccedilotildees devem garantir vida digna agrave

sua populaccedilatildeo Por isso elas satildeo autorizadas a contrair diacutevidas dentro de determinados limites e condiccedilotildees legais pois nem sempre os recursos arrecadados por meio dos tributos alcanccedilam os montantes suficientes ao atendimento das necesshysidades sociais

Portanto a diacutevida puacuteblica deveria ser um importante instrumento de financiamento do Estado e um meio viabilizador da implementaccedilatildeo de investimentos e poliacuteticas puacuteblicas

Entretanto as auditorias realizadas nos uacuteltimos plusmnanos tecircm demonstrado que o processo de endi-

vidamento foi usurpado pelo sistema financeiro privado ou seja ao inveacutes de aportar recursos ao Estado a diacutevida puacuteblica tem sido utilizada como um mecanismo meramente financeiro que retira recursos puacuteblicos e os transfere principalmente para o setor financeiro privado Eacute o que chamashymos de Sistema da Divida

Para tratar a questatildeo politicamente e de forma democraacutetica devem ser fornecidos os instrumenshytos que possibilitem o plerro conhecimento da realidade financeira do Paiacutes tornando a populashyccedilatildeo capaz de decidir sobre que tipo de alocaccedilatildeo de recursos eacute mais desejaacutevel aos interesses da naccedilatildeo

0 QUE Eacute DIacuteVIDA PUacuteBLICA

A diacutevida puacuteblica abrange empreacutestimos contraiacuteshydos pelo Estado junto a instituiccedilotildees financeishy

ras puacuteblicas ou privadas no mercado financeiro interno ou externo bem como junto a empresas organismos nacionais e internacionais pessoas ou outros governos

A diacutevida puacuteblica federal pode ser formalizada por meio de contratos celebrados entre as partes ou por meio da oferta de tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Teoricamente a diacutevida puacuteblica eacute classificada como diacutevida interna ou diacutevida externa deacordo com a localizaccedilatildeo dos seus credores e com a moeda envolvida nas operaccedilotildees

Historicamente eacute muito importante estudar a evoluccedilatildeo dessas duas diacutevidas de forma separada como faremos nos capiacutetulos seguintes

RiacutePUacuteSUCA FEDfSATIVA DO SRftSJl (3

LETRA DO TESOURO NACIONAL100 00 00000

0 3AHC0 C lraquo TR t 0 0 laquoA $ U

H IacuteK Iraquoi lsquoiacutewhvi laquo raquo Sr raquo dt )gtraquolaquobull iacutej(L tf x

DEZ M IIH Ograve E S OE CRLJZEIRDS j

Poreacutem atualmente diante da ausecircncia de resshytriccedilotildees ao ingresso e saiacuteda de moedas internacioshynais no Brasil por meio do sistema bancaacuterio - o que convencionalmente se chama de liberdade de movimentaccedilatildeo de capitais - esses conceitos precisam ser revistos pois bancos e instituiccedilotildees estrangeiras satildeo credores da diacutevida internardquo da mesma forma que bancos e instituiccedilotildees brasishyleiros podem ser credores da diacutevida externa Aleacutem disso o Brasil tem emitido tiacutetulos da diacutevida externa em reais Tais exemplos demonstram que atualmente a natureza de ambas as diacutevidas- interna e externa - se confunde

Somando-se a chamada diacutevida interna com a externa temos o total da diacutevida puacuteblica brasileira

Em dezembro2011 a diacutevida puacuteblica brasileira alcanccedilou R$ 3 trilhotildees o que corshyresponde a 78 do PIB pois a Diacutevida interna alcanccedilou R$ 25 trilhotildees e a Diacutevida Externa supeshyrou os US$ 400 bilhotildees conforme cifras incluiacutedas no quadro a seguir

Tiacutetulos Puacuteblicos sagraveo obrigaccedilotildees assumidas pelo Estado Haacute muitos anos os tiacutetulos satildeo emitidos unica mente em forma eletrocircnica e natildeo em papel como Ilustra a figura acima

laquo 0 0 I

27a n f v l D a p j B L i c A e m D - li a T c | Caderno de estudos

DIacuteVIDA INTERNA DIacuteVIDA EXTERNA

28Caderno de estudos

Na teoria

Na praacutetica

Diacutevida interna eacute a diacutevida contraiacuteda em moeda nacional junto a residentes no Paiacutes

Grande parte dos tiacutetulos da divida interna brasileira tegravem sido adquiridos por estrangeiros

DIacuteVIDA INTERNA (DEZ2011)RS 253606558601768

(2 TRiLHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586 MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)Fonte Banco Centrai

Divida externa eacute a divida contraida em moeda estrangeira (doacutelar euro iene libra etc) junto a residentes no exterior

Desde 2005 com a desvalorizaccedilatildeo do doacutelar no mercado internacional o Brasil passou a emitir tiacutetulos da diacutevida externa em reaisDIacuteVIDA EXTERNA (DEZ2011)U5$ 40238510282823

(402 BILHOtildeES 385 MILHOtildeES 102 MIL828 DOacuteLARES E 23 CENTAVOS)Fonte Banco Central

No caso da diacutevida interna investidores intershynacionais usufruem os maiores lucros do mundo com as elevadiacutessimas taxas de juros praticadas no Brasil e NAtildeO PAGAM IMPOSTO DE RENDA

Em 2009 os estrangeiros que investiram em tiacutetulos da diacutevida interna brasileira chegaram a lucrar ateacute 50 em um soacute ano (devido agrave soma das altas taxas de juros com a valorizaccedilatildeo do real frente ao doacutelar) sem ter que pagar tributos por isso No mesmo ano o prejuiacutezo do Banco Central do Brasil foi de R$ 147 bilhotildees devido agrave desvalorishyzaccedilatildeo das reservas cambiais compradas com os doacutelares trocados por tiacutetulos da diacutevida interna nas Operaccedilotildees de Mercado Aberto

Constata-se que o processo de endividamenshyto se transformou em um meio de especulaccedilatildeo financeira Considerando que os pagamentos de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida consomem recursos que deveriam destinar-se ao atendishymento das necessidades sociais todo cidadatildeo brasileiro estaacute pagando essa conta e portanto precisa conhecer esse processo

OS NUacuteMEROS DA DIacuteVIDA

A s investigaccedilotildees promovidas pela CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos

Deputados (20092010) revelaram que natildeo haacute a devida transparecircncia nos dados divulgados pelo governo federal em relaccedilatildeo agrave diacutevida puacuteblica tanshyto no que se refere ao seu estoque como em relaccedilatildeo ao fluxo de recursos ou seja o volume de gastos anuais com o pagamento de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida

Tanto a CPI como a Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm denunciado graves distorccedilotildees na apresentashyccedilatildeo dos dados oficiais

| A D Iacute V I D A P C B L I U A L M D [ B A rsquo pound

CUSTO ANUAL DA DIacuteVIDA ou FLUXO DE RECURSOS

Anualmente o orccedilamento geral da Uniatildeo destina ao pagamento de juros e amortizaccedilotildees da diacutevida puacuteblica a mais relevante parcela dos recursos advindos da arrecadaccedilatildeo tributaacuteria e da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

No ano de 2011 o governo federal destinou 4505 do Orccedilamento Executado para tal servishyccedilo da diacutevida puacuteblica ou seja o montante de R$ 708 bilhotildees conforme dados oficiais publicado no SIAFI - Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal retratado no graacuteshyfico anterior

Por que o governo apresenta valores menores para o custo anual da diacutevida puacuteblica

Considerando que os dados apresentados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida satildeo obtidos unicamente por meio de fontes oficiais explishycaremos a seguir os artifiacutecios que tecircm sido utishylizados pelo governo e setores da miacutedia para aliviar a apresentaccedilatildeo dos nuacutemeros da diacutevida agrave sociedade

Cabe destacar os seguintes artifiacutecios que foram denunciados pela CPI da Diacutevida Puacuteblica

Natildeo satildeo divulgados os juros nominais da divida efetivamente pagos pelo Tesouro Nacional omitindo-se a maior parcela desshyses representada pela atualizaccedilatildeo monetaacuteria medida pelo IGP-M divulgado pela Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas Divulgam apenas os juros

0 que o governo divulga a tiacutetulo de juros no SIAFI corresponde tatildeo somente agrave parcela dos juros reais ou seja agrave parcela dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M Isso leva a uma grande distorccedilatildeo na compreensatildeo geral do efetivo gasto com a diacutevida puacuteblica em comparaccedilatildeo com todas as demais rubricas orccedilamentaacuterias Enquanto o gasto com juros da diacutevida exclui a atualizaccedilatildeo todas as demais rubricas embutem eventual atualizaccedilatildeo obtida e tal parcela natildeo eacute segregada

reaisrdquo que eacute parte dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M e que se mostrou muito superior ao IPCA divulgado pelo IBGE nos uacuteltimos 15 anos

Natildeo eacute divulgada a parcela do serviccedilo da diacutevida (juros e amortizaccedilotildees) paga com os recursos obtidos pela emissatildeo e leilatildeo de novos tiacutetulos sob a justificativa de que se trata de mera rola- gem ou refinanciamento

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica constatou e denunciou a contabilizaccedilatildeo irregular que tem considerado como amortizaccedilatildeo da diacutevida a parcela correspondente agrave atualizaccedilatildeo monetaacuteria e que na realidade eacute parte integrante dos juros nominais e natildeo da amortizaccedilatildeo do principal

Qualquer pessoa que jaacute assumiu alguma diacutevida sabe que a atualizaccedilatildeo monetaacuteria eacute parte integranshyte da remuneraccedilatildeo ou seja dos juros nominais

Diante disso para se obter o valor efetivo do gasto anuat com a diacutevida haacute que se incluir tamshybeacutem o valor que tem sido informado como mera rolagem ou refinanciamento pois nessa rubrica

estaacute incluiacuteda grande parte dos juros da diacutevidaEm 2011 o gasto total com a diacutevida puacuteblishy

ca brasileira somou R$ 708 bilhotildees conforme demonstramos

Outra razatildeo fundamental para computar a atualizaccedilatildeo monetaacuteria como remuneraccedilatildeo da divida estaacute relacionada com a utilizaccedilatildeo de um mesmo criteacuterio para a apresentaccedilatildeo dos dados do orccedilamento executado

Se natildeo for computada a atualizaccedilatildeo monetaacuteria (que eacute parte dos juros nominais) como gastos com a diacutevida puacuteblica haveraacute uma completa distorccedilatildeo na comparaccedilatildeo entre os gastos com a diacutevida e todos os demais gastos orccedilamentaacuterios

Isso porque todas as demais rubricas represhysentadas no orccedilamento - gastos com pessoal previdecircncia serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo etc - englobam a respectiva atualizaccedilatildeo monetaacuteria ou seja quando se obteacutem alguma reposiccedilatildeo infla- cionaacuteria nos salaacuterios dos servidores no vaiacuteor das aposentadorias ou em benefiacutecios sociais e outros serviccedilos puacuteblicos tal reposiccedilatildeo compotildee o valor de tal gasto refletido no Orccedilamento da Uniatildeo

Diante disso para que haja uma compatibishylidade entre todas as rubricas orccedilamentaacuterias o gasto efetivo da diacutevida que deveria constar no orccedilamento seria o valor dos juros nominais e natildeo somente os juros reaisrdquo (que superam a inflaccedilatildeo como tem constado de estatiacutesticas oficiais

ESTOQUE DA DIacuteVIDAO estoque da Diacutevida Interna alcanccedilou em

dezembro2011 o valor de R$ 253606558601768 (2 TRILHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586

MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)30 estoque da Diacutevida Externa alcanccedilou na

mesma dataUS$ 40238510282823 ou seja mais de 402 BILHOtildeES de doacutelares que

corresponde a cerca de R$ 692 bilhotildees consideshyrando-se a taxa de conversatildeo de R$ 1724

Portanto em dezembro2011 o estoque da diacutevida brasileira alcanccedilou

R$ 322816796288224 (3 TRILHOtildeES 228 BILHOtildeES 167 MILHOtildeES 962 MIL 882 REAIS E 24 CENTAVOS) que corresponde a 78 do P)B

3 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNota6conNI201201pfp iacuteipgt - Quadro 354 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNataEconNI20120l5ep zipgt - Quadros 51 e51 A

23A D I V i D A P Uacute B L I C A LM D E B A E Caderno de estudos

30Caderno de estudos

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais desta camos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida LiacutequidaComparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequiacutedaPIB

Exclusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liquida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico peias seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais) mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Aiacute estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aleacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos 0 acuacutemulo elevado de reservas inter nacionais tem provocado enorme custo ao Pais devido a essa disparidade de rendimentos

0 termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a diacutevida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequidardquo tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

| A D V I D A P Uacute B L I C A E V Q Iacute E A T L

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de priva- tizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

O governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo otildenus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros altiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequida com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPlB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequida Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paises praticam taxas muitas vezes menores5 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwhra5ileconomicocombrpagjnastaxas -de-juros_81htmlgt

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais destashycamos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida Liacutequida

Comparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequidaPIB

Exciusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liacutequida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico pelas seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Ai estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aieacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos O acuacutemulo elevado de reservas intershynacionais tem provocado enorme custo ao Paiacutes devido a essa disparidade de rendimentos

O termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a divida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequida tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

30Caderno de estudos 1 A DIacute V I DA r C S L CA f m D E B A T E

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de privashytizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

0 governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo ocircnus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros aftiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequidardquo com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPIB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequidardquo Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paiacuteses praticam taxas muitas vezes menores1 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwbrasileconomicocom brpagmast5yas- -de-juros_81htmtgt

EXCLUSAtildeO DA PARCELA REFERENTE Agrave DIacuteVIDA EXTERNA PRIVADA

0 estoque da diacutevida externa jaacute atingiu US$ 402 bilhotildees6e indui a diacutevida externa privada

pois a mesma envolve uma obrigaccedilatildeo do Estado O governo costuma divulgar um montante

bem menor de diacutevida externa A partir de 2001 a pretexto de adotar metodologia recomendada pelo FMI os dados da diacutevida externa passaram a ser divulgados sem os chamados empreacutestimos intercompanhias ou seja os empreacutestimos devishydos por multinacionais a suas matrizes no exterior

Dessa forma o dado divulgado pelo governo ao puacuteblico exclui parte da diacutevida externa contraiacuteda pelo setor privado ou seja devida por empresas e instituiccedilotildees do setor privado e natildeo pelo Estado

Cabe ressaltar inicialmente que apesar de parte da diacutevida externa ter sido de fato contrashyiacuteda por instituiccedilotildees do setor privado eacute o Estado o responsaacutevel por fornecer a moeda estrangeira para os devedores privados pagarem suas diacutevishydas ao exterior Para obter essa moeda estranshygeira o Estado se submete agrave adoccedilatildeo de poliacuteticas nocivas a fim de atrair capitais ao Paiacutes tais como altas taxas de juros acordos com o FMI (cujas imposiccedilotildees continuam presentes) e total libershydade de movimentaccedilatildeo de capitais financeiros Essas medidas afetam toda a economia do Paiacutes

Adicionalmente as investigaccedilotildees tecircm revelado que nas uacuteltimas deacutecadas diacutevidas do setor privado foram reiteradas vezes transferidas para o setor puacuteblico Por isso entendemos que deve ser comshyputado no montante da diacutevida externa tanto as diacutevidas contraiacutedas peio setor puacuteblico como pelo setor privado

AUSEcircNCIA DE TRANSPAREcircNCIA

A s divergecircncias na apresentaccedilatildeo tanto do estoque como do fluxo de gastos com a diacutevishy

da demonstram que natildeo tem sido devidamente respeitado o princiacutepio da TRANSPAREcircNCIA que deve reger todo ato do setor puacuteblico

Por isso a sociedade brasileira que paga essa elevada conta da diacutevida puacuteblica deve exigir mais

6 Verquadro5S1 e 51-Ada planilha do Banco Central disponiacuteveis no link lthttpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201112sepzipgt

transparecircncia dos dados relacionados ao endivishydamento puacuteblico brasileiro pois este tem absorshyvido a maior parte dos recursos orccedilamentaacuterios sacrificando toda a populaccedilatildeo e comprometen do o futuro do Paiacutes

A transparecircncia eacute um princiacutepio consagrado na Constituiccedilatildeo Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que todas as despesas e receitas da gestatildeo fiscal sejam publicadas de forma transshyparente e com amplo acesso puacuteblico

Portanto eacute nosso DIREITO ter acesso a todas as informaccedilotildees relacionadas com o endividamento puacuteblico

Como vimos a diacutevida brasileira jaacute supera os R$ 3 TRILHOtildeES e consome quase a metade dos recursos do Orccedilamento da Uniatildeo

COMO CHEGAMOS A ESTE PONTOA recente CPI da diacutevida Puacuteblica jogou luzes sobre este processo

A Diacutevida Puacuteblica Brasileira cresceu em decorshyrecircncia de mecanismos meramente finanshy

ceiros sem contrapartida em bens e serviccedilos ao Paiacutes e tambeacutem em decorrecircncia de operaccedilotildees obscuras

A histoacuteria da diacutevida tem sido uma verdadeira caixa preta

A Auditoria Cidadatilde da Diacutevida e entidades da sociedade civil participaram ativamente da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) da Diacutevida Puacuteblica e tiveram acesso a documentos que comeccedilam a jogar luzes sobre nossa histoacuteriaAgora as investigaccedilotildees devem ser aprofundadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico

A CPI da Diacutevida foi uma iniciativa do Deputado Federal Ivan Valente (PSOL-SP) e funcionou de agosto de 2009 a maio de 2010 A coordenadoshyra da Auditoria Cidadatilde da Diacutevida - Maria Lucia Fattorelli - foi requisitada para assessorar tecnishycamente a CPI devido agrave experiecircncia adquirida durante a auditoria oficial da diacutevida do Equador trabalho para o qual tambeacutem foi designada cujo relatoacuterio embasou ato soberano do Presidente Rafael Correa que anulou 70 da diacutevida externa equatoriana em tiacutetulos possibilitando aumento de investimentos sociais principalmente em sauacutede e educaccedilatildeo novas rodovias e o resgate da cidadania

31A 0 v I C A P Uacute B I C A E W 3 E S A T F | Caderno de estudos

No Brasil a CPI tambeacutem indicou documentos e provas de ilegalidade e ilegitimidade tanto da divida externa como da diacutevida interna como veremos a seguir Um dos mais importantes instrumentos

de investigaccedilatildeo por parte do Congresso Naciona eacute a Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) a qual tem forccedila investi- gativa proacutepria de autoridades judiciais

O QUE Eacute CPI

Nos capiacutetulos seguintes apresentaremos um breve histoacuterico da diacutevida externa a partir dos anos1970 e da diacutevida interna a partir do Plano Real em 1995 ambas ateacute os dias atuais Esses marcos iniciais foram os periacuteodos estabelecidos tambeacutem pela recente CPI da Diacutevida Puacuteblica

A D IacuteV IacuteD A tem im p e d id o a v id a d ig na e o a te n d im e n to aos d ire ito s h um an os

bull De onde veio essa diacutevida

bull Quanto tomamos emprestado e quanto jaacute pagamos

bull O que realmente devemos

Quem contraiu empreacutestimos

bull Onde foram aplicados os recursos

bull Quem se beneficiou

Qual a responsabilidade dos credores e organismos internacionais nesse processo

ldquoA vida sem luta eacute um mar morto no centro do organismo universal

M A C H A D O D E A S S I S

32Caderno de estudos | A d iacute v i d a p uacute b l i c a E m D E b a t F

C A P Iacute T U L O

DIVIDA EXTERNAA recente CPi da Diacutevida Puacuteblica realizada na

Cacircmara dos Deputados (20092010) teve acesso a documentos relacionados ao processhysos de endividamento externo desde 1970 Apesar das limitaccedilotildees da CPI as investigaccedilotildees revelaram importantes fatos que reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa audishytoria dessa diacutevida

O periacuteodo coincide com o fim da paridade doacutelar-ouro nos Estados Unidos anunciada em1971 o que permitiu a emissatildeo de grandes volushymes de doacutelares que foram entregues ao sistema bancaacuterio e por meio deste ofertados sob a forshyma de empreacutestimos que apresentavam taxas de juros aparentemente reduzidas de 5 a 6 ao ano devido ao excesso de moeda

Diacutevida Externa (US$ bilhotildees)

- r N m ^ m 0 M raquo Iacute J O - ( N r 0 ^ ^ v D N C 0 a O - f N n n T r i n 0 M X 3 0 O gt - r N f n r f lsquo i n 0 N C Ocirc 0 O f r s N N N N r s N r s r ^ c o c c c o a o c o c o c o a o o o o o o a rsquogt lt ^ lt T lt a G gt o gt C gt lt ^ lt ^ o o o o o o o o o O mdash r ~raquomdash i-rgpjrsoifSiNfNfSfMlNfN^

Fonte httpwwwbcbgQvbrftpNotaEconNI20l201sepzip - Quadros 51 e 51-A

DECADA DE 1970

A CPI comprovou que a diacutevida externa atua se originou na deacutecada de 1970 em plena ditashy

dura militar periacuteodo em que comeccedilou a crescer aceleradamente

0 primeiro aspecto da diacutevida externa brasileishyra a ser ressaltado eacute a contrataccedilatildeo por atos de governos ilegiacutetimos de vultosos compromissos natildeo transparentes

Essas taxas de juros eram flutuantes e variavam de acordo com as taxas de juros internacionais (Prime e Libor) que vinham de longo periacuteodo em que se mantinham baixas Aleacutem das taxas de juros os bancos cobravam outras taxas onerosas de compromisso de contrataccedilatildeo de agente de creacutedito enfim uma infinidade de taxas

Havia tambeacutem forte componente de diacutevidas contratadas pelo setor privado que utilizava o

3 3a d iacute v i d a P Uacute B L I C A EM D r R A T E I Caderro de estudos

endividamento como forma de especulaccedilatildeo financeira O setor privado que tinha acesso a creacuteditos externos no iniacutecio da deacutecada de 1970 era composto principalmente por bancos e empresas privadas inclusive multinacionais e estrangeiras instaladas no Paiacutes

Tanto o setor privado como o setor puacuteblico tomaram empreacutestimos externos junto a grandes bancos privados internacionais devido agrave grande oferta de creacuteditos com taxas baixas vinculadas agraves taxas de juros internacionais (Prime e Libor) Essas taxas eram controladas pelos proacuteprios bancos credores que compunham o FED (Federal

Reserve Bank Banco Central Norte-americano que eacute totalmente privado controlava a Prime) e a Associaccedilatildeo de Bancos Privados de Londres (que determinava a Libor) A partir de 1979 essas taxas saltaram de 5 ou 6 ao ano para 205

O graacutefico a seguir mostra o comportamento idecircnshytico das duas taxas demonstrando a conexatildeo entre os bancos privados internacionais que as ditavam

Sob pressatildeo diante da crise em 1982 surge o FMI exigindo que o Banco Central realizasse acordos com os bancos privados internacionais por meio dos quais assumiu tanto a diacutevida externa puacuteblica como tambeacutem a diacutevida externa privada Ao messhymo tempo houve forte pressatildeo dos credores que faziam parte da instituiccedilatildeo informal denominada Club de Paris para que o Brasil firmasse o tal acordo com a banca privada internacional Essa pressatildeo conjunta e articulada de credores configura clashyramente a ausecircncia de equiliacutebrio entre as partes

A CPI da Diacutevida denunciou que agrave eacutepoca da assinatura dos acordos com os bancos privados em 1983 a legislaccedilatildeo natildeo permitia consolidaccedilotildees e refinanciamentos de creacuteditos externos Aleacutem disso tais acordos continham inuacutemeras claacuteusulas ilegais e abusivas que natildeo chegaram a ser apro vadas pelo Congresso Nacional

Haacute fortes indiacutecios de nulidade nessa transfeshyrecircncia de diacutevida para o Banco Central que na deacutecada seguinte em 1994 foi transformada nos

Taxas de Juros - Libor e Prime25000

0000rmdash 3-o p laquomdash r i

r-o rOv

oo

o

o

pO

OcShvO

p00

O Ornoo 3-oo

CTS

OCO

CCOo

DEacuteCADA DE 1980

A elevaccedilatildeo brutal das taxas de juros internashycionais Prime e Libor impactou seriamente

os compromissos externos antes assumidos e a diacutevida se multiplicou provocando uma grande crise a partir de 1982

3 4Caderno de estudos I a d v i d a h j B i i c a e m D E B A T E

denominados bocircnus Brady tiacutetulos que depois serviram como moeda para comprar as empreshysas estrateacutegicas e lucrativas submetidas ao proshycesso de privatizaccedilatildeo a partir de 1996

A interferecircncia direta do FMI em assuntos intershynos do Paiacutes desde 1983 exigiu a implantaccedilatildeo de

medidas nefastas agrave economia brasileira Tal fato aliado a onerosas condiccedilotildees dos acordos da diacutevida externa que transferiram o ocircnus de diacutevidas puacuteblishycas e privadas a cargo do Banco Central agravashyram ainda mais a situaccedilatildeo do endividamento brasileiro e paralisaram o Paiacutes Por isso a deacutecada de 1980 ficou conhecida como deacutecada perdida

CAacuteLCULO DO IMPACTO PROVOCADO PELA ELEVACcedilAtildeO UNILATERAL DAS TAXAS DE JUROS

O impacto da elevaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais sobre a evoluccedilatildeo da

diacutevida externa brasileira foi impressionante como retrata o graacutefico a seguir

de US$ 223 bilhotildees cujo ressarcimento deve ser exigido pelo Brasil

INTERFEREcircNCIA DO FMI

Desde o primeiro acordo do Brasil com o FMI em 1983 esse organismo passou a exercer nefasta interferecircncia em assuntos internos do

Paiacutes agindo sempre em defesa dos bancos prishyvados internacionais

O poder do FMI no Paiacutes era impressionanshyte determinando o caminho a ser trilhado por nossa economia exigindo privatizaccedilotildees impondo draacutesticos ajustes fiscais que impedishyram investimentos e representaram imensos cortes nos gastos sociais suprimindo-se direitos

Diacutevida Externa Total (Puacuteblica e Privada) - US$ bilhotildees

Fonte Nota Teacutecnica DEPEC - 200924S Dados disponiacuteveis no Anexo II agrave Anaacutelise Prefiminar N2 5 da CPI da Diacutevida Puacuteblica

A linha azul do graacutefico acima mostra o impacshyto da alta unilateral e ilegal das taxas de juros nternacionais pelos bancos credores dos Estados Unidos e da Inglaterra a partir de 1979

A linha vermelha pontilhada demonstra a evo- jccedilatildeo da diacutevida externa brasileira caso os juros ivessem sido mantidos em 6 ao ano Constata-se que os pagamentos realizados no periacuteodo teriam sido suficientes para pagar toda a diacutevida externa e o Brasil ainda teria valores a serem ressarcidos

Esses caacutelculos indicaram um dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico calculado agrave eacutepoca da CPI de cerca

sociais baacutesicos agravando-se o desemprego e a miseacuteria

Devido agrave grande influecircncia do FMI consolidou- -se a crenccedila popular generalizada de que aqueshyle organismo seria o principal credor da diacutevida externa brasileira

A CPI provou que os credores privilegiados de sempre eram na realidade os grandes bancos privados internacionais como indica a aacuterea em vermelho no graacutefico a seguir A parcela da diacutevida externa com o FMI correspondia agrave linha verde do mesmo graacutefico

ft D i V I A D 8 L I S A EM D Z B

3 5Caderno de estudos

Diacutevida Externa Registrada no Banco Centrai - US$ bilhotildees - 1969 a 1994140

120

100

80

60

40

20

O ^ O i mdash r 4 r i 3 - in i1o r - o o c j copy mdash r N n n ^ - i n v O r x o O t T ^ O raquo mdash rvjco^j- gt C ) r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ - f ^ - r - r ^ i - ^ c c c o c o c o c o o o c o c o c x D c 3 0 c r C T raquo c j N Ov ogtO CTt CJn CT CTgt G ltTraquo O1 CT lt7 OS O CT O Q (J J Otilde QN ltJ Q Otildegt

Fonte Relatoacuterios Anuais do Sanco Central disportibilizados aacute CPI da Diacutevid3Nota Os ldquoEmpreacutestimos em Moeda indicados em vermelho ntgt graacutefica correspondem aos empreacutestimos junto a bancos comerciais sendo que a maioria corresponde a bancos privados internacionais

Interessante observar que a crise financeira

de 1982 foi provocada pelos grandes bancos

privados internacionais que promoveram a eleshy

vaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais (Libor e Prime) sendo que alguns anos antes

eles mesmos haviam seduzido os paiacuteses latino-

-americanos mediante a oferta de empreacutestimos

aparentemente baratos A crise financeira abriu caminho para a atuaccedilatildeo do FM impondo draacutestishy

cos ajustes fiscais que geraram sacrifiacutecios sociais

cortes de direitos privatizaccedilotildees etc

Eacute importante estabelecer um paralelo entre

esses fatos histoacutericos e a atual crise financeira

deflagrada em 2008 nos EUA e Europa que

tambeacutem foi provocada por atitudes dos grandes

bancos privados internacionais Eles emitiram

grande quantidade de derivativos sem lastro e

corriam risco de quebra tendo sido salvos pelas

naccedilotildees do Norte que logo em seguida se viram

em profunda crise Instalada a crise novamente

surge o FM agora na Europa impondo poliacuteticas

idecircnticas as que foram impostas agrave Ameacuterica Latina

na deacutecada de 1980

ESFORCcedilOS DE INVESTIGACcedilAtildeO DA DIacuteVIDA EXTERNA NA DEacuteCADA DE 1980

A crise da diacutevida externa vivida na deacutecada de 1980 foi tatildeo grave que diversas comissotildees

parlamentares dedicaram importantes esforccedilos no sentido de investigar as reais razotildees da crise e do espantoso crescimento da diacutevida externa brasileira

A primeira tarefa teacutecnica realizada a fim de assessorar a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica na Cacircmara dos Deputados consistiu em resgatar os relatoacuterios das referidas comissotildees anteriores pois suas apuraccedilotildees devem ser conhecidas natildeo soacute pelos parlamentares mas por todos os brasileiros conforme resumo a seguir

COMISSAtildeO PARLAMENTAR DE INQUEacuteRITO-CAcircMARA DOS DEPUTADOS1983

No ano de 1984 foi aprovado o relatoacuterio final da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito reashylizada na Cacircmara dos Deputados O documento

apontou graves indiacutecios de irregularidades ilegashylidades aleacutem dos previsiacuteveis e graves riscos que

36Caderno de estudos I A D IV r D A deg uacute 6 _ i C A EM U E R A r iacute

Comissatildeo Parlamentares e Resultado

CPI da Cacircmara dos Deputados destinada a apurar as causas Presidente Dep Alencar Furtadoe consequecircncias da divida brasileira e o Acordo com o FMI Relator Dep Sebastiatildeo Ne ryInstituiacuteda pelo Requerimento Ndeg 883 Instalada em 16081983 Relatoacuterio Final aprovado em setembro de 1984

Comissatildeo Especial do Senado Federal para a Diacutevida Externa destinada a ldquoexaminar a questatildeo da divida externa brasileira e avaliar

as razotildees que levaram o Governo a stspendero pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno Instituiacuteda pelo Requerimento ns 17 de 1987 Instalada em 14041987

Comissatildeo Mista destinada ldquoao exame analitico epericial dos atos e

fatos geradores do endividamento brasileiro para cumprir a missatildeo

constitucional -Ari 26 do Ato das Disposiccedilotildees Constitucionais

Transitoacuterias Instalada em 11041989

Presidente Senador Carlos ChiarelliacuteRelator Senador Fernando Henrique CardosoRelatoacuterio Final aprovado em 23 de agosto de 1989

Presidente Dep Waideck OrneiasRelator Senador Severo GomesRelatoacuterio Parcial aprovado em 9 de agosto de 19B9

Relator Dep Luiz SalomatildeoParecer Final apreciado em 5 de setembro de 1989NAtildeO VOTADO

ps contratos de endividamento externo represenshytavam para a soberania nacional Adicionalmente histoacuterico relatoacuterio final de autoria do Deputado ederal Sebastiatildeo Nery (PDT-RJ) evidenciou a oratica dos seguintes crimes

Violaccedilatildeo da competecircncia exclusiva do Congresso Nacional para ratificar ou rejeitar convenccedilotildees e atos internacionais praticados pelo Presidente da Repuacuteblica

bull Crime de responsabilidade contra a guarda e legal emprego de dinheiro puacuteblico (realizaccedilatildeo de despesas e contraccedilatildeo de empreacutestimos sem autorizaccedilatildeo legal)

diams Crime de responsabilidade contra a existecircncia da Uniatildeo cometido peio Presidente da Repuacuteblica e por ministros de Estado por violaccedilatildeo da vedashyccedilatildeo constitucional agrave celebraccedilatildeo de tratados que comprometam a dignidade da naccedilatildeo

1 Desrespeito aos princiacutepios constitucionais impliacuteshycitos da inalienabiiidade imprescritibilidade e impenhorabiiacuteidade do patrimoacutenio puacuteblico

Crime de responsabilidade contra a seguranccedila interna do Pais ao admitir a daccedilatildeo de bens do patrimoacutenio puacuteblico em garantia antecipada

bull Abdicaccedilatildeo da soberania nacional em favor das orientaccedilotildees do Fundo Monetaacuterio Internacional

Apesar dessas graves conclusotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi levada a cabo

COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL1987

Em 1987 o Senado Federal instalou a Comissatildeo Especial para a Diacutevida Externa destinada a

examinara questatildeo da diacutevida externa brasileira e avaliar as razotildees que levaram o governo a susshypender o pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno

O relator foi o entatildeo senador Fernando Henrique Cardoso (PMDB-SP) que em seu relashytoacuterio reiterou a necessidade de enfrentamento do problema do endividamento externo tendo em vista as graves irregularidades verificadas dentre as quais destacamos praacutetica do anato- cismo alta unilateral de juros corresponsabili- dade dos credores ilegalidades na negociaccedilatildeo da diacutevida falta de transparecircncia negociaccedilotildees sigilosas interferecircncia direta do FMI articushylaccedilatildeo de credores (FMI Club de Paris Comiteacute Assessor dos Bancos Privados) elevados custos sociais da diacutevida externa existecircncia de custos injustificaacuteveis estatizaccedilatildeo de diacutevidas privadas exportaccedilatildeo de capitais nacionais utilizaccedilatildeo deliberada de empresas estatais para obtenshyccedilatildeo de empreacutestimos no exterior desequiliacutebrio contratual das partes negociantes pulverizaccedilatildeo de credores e dificuldade de controle por parte do Banco Centrai comprovaccedilatildeo do reduzido do valor da diacutevida no mercado secundaacuterio o que natildeo foi levado em conta nas negociaccedilotildees entre outras

3 7n V I DA P J B L l C A CM D t E A T F | Caderno de estudos

Cade

Cabe ressaltar trecho do relatoacuterio apresentado por FHC que daacute notiacutecia sobre a poleacutemica negociashyccedilatildeo da diacutevida externa que envolveu dezenas de bilhotildees de doacutelares - cerca de US$ 60 bilhotildees - e que foi a base para a transformaccedilatildeo da diacutevida externa contratual em bocircnus Brady em 1994

O ACORDO PLURIANUAL DE 1988

No dia 6 de junho de 1988 quando a gestatildeo

Mailson da Noacutebrega mal tinha completado 6

meses o governo brasileiro assinou o Term

Sheet do acordo provisoacuterio de renegociaccedilatildeo

da diacutevida externa Ao mesmo tempo em

que o protocolo da negociaccedilatildeo era mantishy

do em absoluto o governo fazia publicar

uma Nota Oficial de tom autocongratula- toacuterio descrevendo a renegociaccedilatildeo preliminarshy

mente concluiacuteda como a melhor jaacute obtida por

um paiacutes devedor

Diante da insistente recusa das autoridashy

des oficiais o Presidente da Comissatildeo

teve de recorrer a contatos no exterior

para obter as informaccedilotildees que lhe eram

sonegadas dentro do Paiacutes O Term Sheet

chegaria agraves matildeos do Senador Carlos Chiarelli

por canais extraofidais no iniacutecio de julho Os

documentos oficiais foram entatildeo submetishy

dos a uma anaacutelise teacutecnica que constatou

estarem sendo incompletas imprecisas e

exageradamente otimistas as apreciaccedilotildees

sobre o acordo publicadas na Nota Oficial

Foram encontrados erros e omissotildees relashy

cionados aos seguintes toacutepicos do acordo

()

Como conclusatildeo pode-se dizer que os frutos

da negociaccedilatildeo dita realista e profissional

conduzida pelo Ministro Mailson da Noacutebrega

foi um dos mais draconianos acordos de

renegociaccedilatildeo jaacute realizados por uma naccedilatildeo

devedora nesta deacutecada Como evidecircncia

das distorccedilotildees do acordo podem ser citados

os lucros recordes auferidos pelos grandes

bancos em 1988 que segundo estimatishy

vas divulgadas pelo Wall Street Journal

teriam atingido a fantaacutestica cifra de US$

16 bilhaacuteo soacute com o acordo da divida brashysileira Quanto ao paiacutes devedor durante

os poucos meses em que o governo Sarney

consegui j cumprir parcialmente as sufocantes

disposiccedilotildees contratuais do acordo a econoshymia mergulhou em recessatildeo acompanhashy

da da maior inflaccedilatildeo de sua histoacuteria O

acordo de reescalonamento de 1988 previsto

para abranger um periacuteodo de sete anos na

praacutetica concedera menos do que um ano de

focirclego agrave economia brasileira Decorridos quashy

tro meses da assinatura o Ministro Mailson jaacute

admitia oficialmente a necessidade de contrair

empreacutestimos adicionais e suspender o relen-

ding rsquo e a conversatildeo Decorridos 9 meses o

Brasil voltava a atrasar os pagamentos da

divida externa entrando novamente em

moratoacuteria (Paacutegina 166)

Diversos autores mencionam que a referida negociaccedilatildeo teria ocorrido em 23091988 mas a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos Deputados teve acesso a documenshytos que comprovam que tal negociaccedilatildeo teria se concluiacutedo somente em 1989 portanto apoacutes a promulgaccedilatildeo da Constituiccedilatildeo Federal

Outros trechos do Relatoacuterio apresentado por FHC tambeacutem merecem destaque

TRECHOS DO RELATOacuteRIO FINAL DA COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL (1987)

RELATOR SEN FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Como os deacutebitos externos brasileiros haviam sido contratados basicamente a taxas de juros flutuanshytes o choque dos ju ros provocou uma el evaccedilatildeo da diacutevida sem contrapartida real de bens e serviccedilos A partir desse momento a diacutevida externa brasileira assume um caraacuteter eminentemente financeiro os novos empreacutestimos na verdade sacirco obtidos para rolar em grande medida e a niacutevel agregado os juros e as amortizaccedilotildees

lsquoA partir de 1983 a questatildeo da divida adquire nova dimensatildeo Segundo a Programaccedilatildeo do 5etor Externo PSE) submetida pelo Brasil aos banqueiros em Nova York em dezembro de 1982 a economia brasileira eacute direcionada para a obtenccedilatildeo de US$6 bilhotildees de superaacutevit comercial com uma previshysatildeo de deacuteficit em transaccedilotildees correntes de US$65 bilhotildees Como os juros dos deacutebitos externos previsshytos para 1983 estavam na casa dos US$10 bilhotildees fica daro que a partir desse momento o Brasii marchava para a chamada ldquotransferecircncia liacutequida de

38^arjprnn de estudos | A D v I 0 a P Uacute B L I C A F V D E = a t e

recursos reais para O exterior com o fim especiacutefico de servir aos credores externos

Do ponto de vista dos credores o Brasil teve um excelente desempenho dos US$6 bilhotildees de supeshyraacutevit comercial de 1983 passou a US$13 bilhotildees em 1984 e dessa forma cobriu os juros devidos Internamente poreacutem a recessatildeo foi profunda e com custos sociais elevadiacutessimos estima-se que cerca de 5 milhotildees de trabalhadores do setor formal foram lanccedilados no desemprego Foi seguramente a recessatildeo mais violenta da economia brasileira

A situaccedilatildeo que ora vivemos - arrocho salarial direto dos trabalhadores no setor puacuteblico e indi- reto de toda a forccedila de trabalho (via eliminaccedilatildeo do subsiacutedio do trigo por exemplo sem qualquer poliacutetica de renda compensatoacuteria) submissatildeo da poliacutetica econoacutemica agraves regras e monitoramento do FMI acomodaccedilatildeo aos interesses dos grandes bancos internacionais etc - natildeo passa de uma encenaccedilatildeo da inequiacutevoca demonstraccedilatildeo da falta de governo no Paiacutes Natildeo eacute a toa que os banqueishyros acenaram com o possiacutevel reescalonamento do principal da diacutevida para 20 anos 8 de carecircncia etc mas no essencial - refinanciamento de juros taxas de juros spread descontos monitoramento etc- natildeo cederam um miliacutemetro e se fixaram nos refishynanciamentos de parcela dos iuros (50) apenas para este ano (1987 foi o ano da moratoacuteria e o juro teraacute que ser refinanciado de fato pois o Pais natildeo tem caixa para pagaacute-lo) Em suma o horizonte em todas as frentes sobre o Paiacutes (aqui e no exterior) natildeo passa de 1988 eacute o sinal do limite

Registra-se a preocupaccedilatildeo de muitos dos Senadores com a questatildeo da legitimidadeda divida- posto que os contratos satildeo leoninos e foram feitos agrave revelia do Congresso Nacional - e com a questatildeo da jurisdiccedilatildeo

Os tiacutetulos da diacutevida dos paiacuteses passam a ser negociados com um desaacutegio crescente no chashymado mercado secundaacuterio sinalizando que parshycela da divida natildeo teria condiccedilotildees de ser pagaOs bancos aumentam suas reservas antecipando possiacuteveis ltperdasgtrsquorsquo

Embora o relator tenha ocupado a Presidecircncia da Repuacuteblica do Brasil durante dois mandatos- oito anos portanto nenhuma das irregu- laridades apontadas em seu relatoacuterio quando senador chegou a ser enfrentada Pelo contraacuterio o endividamento puacuteblico tanto interno quanto externo agravou-se apesar da privatizaccedilatildeo de cerca de 70 do patrimoacutenio puacuteblico nacional sob a justificativa de pagar a diacutevida

Constituiccedilatildeo Federal

A Constituiccedilatildeo de 1988 inseriu a previsatildeo de realishyzaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externaConstituiccedilatildeo Federal ADCT

ldquoAn 26 No prazo de um ano a contar da promulgashy

ccedilatildeo da Constituiccedilatildeo o Congresso Nacional promoshy

veraacute atraveacutes de Comissatildeo mista exame analitico e

pericial dos atos e fatos geradores do endividamento

externo brasileiro

Aleacutem disso a Constituiccedilatildeo Federal determinou taxativamente que os contratos de endividamento externo deveriam ser submetidos agrave aprovaccedilatildeo pelo Senado Federal

Constituiccedilatildeo Federal

Art 52 Compete privativamente ao Senado Federal

U

V - autorizar operaccedilotildees externas de natureza finanshy

ceira de interesse da Uniatildeo dos Estados do Distrito

Federal dos Territoacuterios e dos Municiacutepiosrdquo

Tal dispositivo indica que a vultosa negociaccedilatildeo concluiacuteda somente em 1989 seria completamente NULA pois natildeo foi autorizada pelo Congresso Nacional que sequer teve acesso aos termos da negociaccedilatildeo conforme constou do relatoacuterio apreshysentado por FHC cujo trecho foi antes transcrito

Comissatildeo Mista do Congresso Nacional1989

No ano de 1989 mais uma vez o Congresso Nacional debruccedilou-se sobre os contratos de endishyvidamento externo brasileiro aleacutem de planilhas de caacutelculo elaboradas pelo Banco Central para mais uma vez descobrir fraudes diversas dentre elas a renuacutencia agrave soberania pelo governo brasileishyro Ou seja mais uma revelaccedilatildeo de NULIDADE mas ainda assim a diacutevida continuou sendo paga e reciclada em negociaccedilotildees cada vez mais onerosas para o Paiacutes

Trecho do relatoacuterio apresentado pelo senashydor Severo Gomes que fez importante anaacutelise juriacutedica dos acordos merece ser destacado para conhecimento por todos os brasileiros O trecho a seguir se referia a um dos acordos celebrados pelo Banco Central com os bancos privados intershynacionais em 1982

39A D f V I 0 A P U B L I C A EM D E B A T E I Caderno de estudos

40Caderno de esludos

CLAacuteUSULA DE RENUacuteNCIA A SOBERANIA

Sem quaiquer sombra de duacutevida aqui estaacute o ponto mais espantoso dos Acordos De notar aliaacutes a grosshyseria dos credores ou a pusilanimidade dos negoshyciadores brasileiros admitindo uma claacuteusula que sobre ferir os brios nacionais eacute fundamentalmente inuacutetil no contexto da negociaccedilatildeo () Esta claacuteusula retrata um Brasil de joelhos sem brios poupados inerme e inerte imolado agrave irresponsabilidade dos que negociaram em seu nome e agrave cupidez de seus credores Poreacutem nada haacute de ser dito sobre essa nefanda claacuteusula mais expressivo do que o proacuteprio ilustriacutessimo Ministro Seabra Fagundes jaacute fez Este fato de o Brasil renunciar explicitamente a alegar a sua soberania faz deste documento talvez o mais triste da Histoacuteria poliacutetica do Paiacutes Nunca encontrei- e naacuteo sou muito ausente dos estudos da histoacuteria do Paiacutes - em todos os documentos histoacutericos do Brasil nada que se parecesse com esse documento porque renuacutencia de soberania talvez noacutes tenhamos tido renuacutencias iguais mas uma renuacutencia declarada agrave soberania do Paiacutes eacute a primeira vez que consta de uma documento para mim histoacuterico Este me parece um dos fatos mais graves de que somos contemporacircneos1

Sen Severo Gomes(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

0 relatoacuterio parcial do senador 5evero Gomes chegou a ser aprovado pelo plenaacuterio do Congresso poreacutem nenhuma de suas recomenshydaccedilotildees - que tratavam sobre o questionamento judicial da diacutevida - foram seguidas

0 segundo relator da Comissatildeo Mista Dep Luiz Salomatildeo tambeacutem apontou severas conclushysotildees dentre as quais destacamos

Factibilidade de reduzir o montante da diacutevida externa

Necessidade de deduzir do principal consignado pelos bancos que emprestaram a juros flutuanshytes o excedente avaliado em simulaccedilotildees feitas pelo Banco Central que variavam de 34 a 62 bilhotildees de doacutelares na eacutepoca

Necessidade de retomar as investigaccedilotildees e os processos judiciais tendentes a recuperar as pershydas provenientes de fraudes e negoacutecios iliacutecitos

Responsabilizar penalmente os responsaacuteveis internos e os cuacutemplices externos

Repatriar as divisas evadidas clandestinamente

I a c i v i D a p uacute b l i c a l m d e b agrave t ecirc

O relatoacuterio final sequer chegou a ser votado pela Comissatildeo Mista Levado ao plenaacuterio natildeo houve quoacuterum para a votaccedilatildeo

Manobras impediram que o relatoacuterio fosse votado na Comissatildeo Mista Sem o apoio da maioria da Comissatildeo o parecer foi levado a exame do Plenaacuterio do Congresso Os partidos majoritaacuterios na Cacircmara e no Senado optaram peia omissatildeo

Dep Luiz Salomatildeo(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

Apesar das importantes conclusotildees e graves indiacutecios de ilegalidades e nulidades apontados por todas essas comissotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi adotada e a diacutevida externa natildeo parou de crescer sendo objeto de sucessivas negociashyccedilotildees que a tornaram cada vez mais onerosa

Deacutecada de 1990Na deacutecada de 1990 no bojo do processo de

abertura econoacutemica promovido pelo governo Collor ao qual se seguiram a desestatizaccedilatildeo e a desreguiamentaccedilatildeo do mercado de capitais as insshytituiccedilotildees credoras internacionais aproveitaram-se da fragilidade e da subordinaccedilatildeo das economias nacionais para executar o chamado Plano Brady

0 engodo do Plano BradyEm 1994 o Brasil concluiu a implantaccedilatildeo do

denominado Plano BradyEsse plano significou a transformaccedilatildeo da diacutevishy

da externa com bancos privados internacionais- antes formalizada sob a forma de acordos na deacutecada de 1980 - em tiacutetulos da divida externa

Foram emitidos sete tipos de tiacutetulos da diacutevida externa em troca da diacutevida anterior e de juros vencidos em montante estimado em US$ 51 bilhotildees na eacutepoca

Natildeo haacute transparecircncia em relaccedilatildeo ao deta- Ihamento das diacutevidas objeto de conversatildeo Tal negociaccedilatildeo tal como as da deacutecada de 1980 tambeacutem natildeo levou em consideraccedilatildeo o valor de mercado da diacutevida anterior (de cerca de 20 do valor nominal conforme constou de acoacutershydatildeo do TCU) nem as ilegalidades que haviam sido arguidas por comissotildees parlamentares

anteriores e ainda exigiu a compra de garantias colaterais (tiacutetulos do Tesouro norte-americano de cerca de US$ 39 bilhotildees)

Caso fosse considerado o valor de mercado da diacutevida externa anterior o resultado do Plano Brady pode ser resumido da forma retratada no graacutefico a seguir

novos bocircnus ou tiacutetulos A transformaccedilatildeo de juros vencidos em tiacutetulos eacute uma comprovaccedilatildeo expliacutecita de anatocismo (juros sobre juros) conshysiderado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

A operaccedilatildeo de troca da diacutevida por bocircnus natildeo significou ingresso de recursos para o Paiacutes pois constituiu mera troca e foi feita em Luxemburgo

A renegociaccedilatildeo Brady aumentou a diacutevida (US$ bilhotildees)60

50

40

30

20

10

Valor da diacutevida em mercado Bocircnus Brady emitidos

Fonte Paulo Nogueira Batista Jr e Armeacutenio de Souza Rangel A Renegociaccedilatildeo da Diacutevida Externa Brasileira e o Plano Brady Avaliaccedilatildeo de aSguns dos principais resultados paacuteg 15 e 18 e Ceres Aires Cerqueira Diacutevida Externa Brasileira paacutegs 65122123 e 124

Evidencia-se um tremendo prejuiacutezo ao Paiacutes Apesar disso o discurso oficiai e da grande miacutedia na eacutepoca foi de que o Brasil obteve um importanshyte desconto nessa negociaccedilatildeo Trata-se de mais ri forte indiacutecio da necessidade de realizaccedilatildeo de Buditoria pois os tais bocircnus Brady serviram como T io e d a para a compra das estatais privatizadas

atilde partir de 1996 Dessa maneira ao mesmo tempo em que entregaacutevamos nosso patrimoacutenio aumen- iacuteavamos a lesatildeo ao eraacuterio

A negociaccedilatildeo Brady tambeacutem natildeo levou em snsideraccedilatildeo as recomendaccedilotildees das Comissotildees iHamentares do Congresso Nacional portan- to a nova diacutevida dos bocircnus Brady tambeacutem pode ter sua legitimidade e legalidade questionadas

O Plano Brady foi aplicado em 22 paiacuteses onsiderados subdesenvolvidos e trocou tanto 3 diacutevida anterior como os juros vencidos por

conhecido paraiacuteso fiscal como uma oferta privashyda sem registro na SEC (Securities and Exchcmge

Comission dos Estados Unidos da Ameacuterica) e natildeo atendeu agraves exigecircncias da Lei de Vatores de 19337 para uma oferta puacuteblica nos Estados Unidos Ou sej^ fQi uma operaccedilatildeo repleta de irregularidades

A nova^ao -^transformaccedilatildeo de uma diacutevida em outra - deve ter uma causa legiacutetima o que natildeo se confirmou na operaccedilatildeo Brady

Por fim cabe ressaltar que a diacutevida externa contratual com bancos privados vinha sendo objeto de graves questionamentos de ordem legal com suspeitas inclusive de prescriccedilatildeo dessa diacutevida em 1992 sendo que atos iliacutecitos natildeo podem gerar consequecircncias liacutecitas

7 A Lei de Valores de 1933 foi ed itada I ogo apoacutes a Grande Crise de 1929 e regulamentou a comercializaccedilatildeo de accedilotildees tiacutetulos e demais papeacuteis financeiros

A D Iacute V I D A P Uacute B L I C A EM D E B A T E

41Caderno de estudos

Resgates Antecipados com Pagam ento de Aacutegio

Anaacutelises teacutecnicas da CPI demonstraram que logo apoacutes o referido Plano Brady foram realishyzadas trocas desses tiacutetulos por novos tiacutetulos da diacutevida externa (Global) e interna (NTN) operaccedilotildees que possuem forte indiacutecio de dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico ante os significativos desaacutegios nas emissotildees dos boacutenus Global suas elevadas taxas de juros onerosas comissotildees e demais gastos assumidos pelo Brasil bem como face agraves elevashydiacutessimas taxas de juros da diacutevida interna

Observou-se tambeacutem que os boacutenus Brady foram objeto de troca por outros tiacutetulos da diacutevida externa (por exemplo C-Bond por A-Bond em 2005) que por sua vez foram objeto de resgate antecipado a partir de 2005

A CPI apurou que o Brasil tambeacutem tem comshyprado antecipadamente tiacutetulos da diacutevida externa Ao inveacutes de pedir desconto pela antecipaccedilatildeo do pagamento os elevados pagamentos foram feitos com aacutegio que chegou a alcanccedilar 70 do valor nominal dos tiacutetulos originais

Ora qual a razatildeo para resgatar obrigaccedilotildees antecipadamente e com pagamento de aacutegio

A resposta das autoridades do Paiacutes agrave CPI da Diacutevida Puacuteblica foi no sentido de que o endividashymento eacute regido pelo ldquobenchmark mecanismo de marcaccedilatildeo de mercado que mede entre outras coisas a expectativa dos credores

0 pagamento de aacutegio pelo Tesouro brasileiro compensou expectativas frustradas de detentoshyres de tiacutetulos da divida externa brasileira emitishyda em doacutelares Um dos aspectos que afetou tal expectativa foi a queda no valor de tal moeda a partir de 2005 Tal fato eacute bastante grave e demonstra a que ponto chega o privileacutegio do setor financeiro Em nosso Paiacutes faltam recursos para o atendimento de necessidades vitais de grande parte da populaccedilatildeo como demonstrado em capiacutetulos anteriores mas sobram recursos para remunerar o capital financeiro

Pagam ento antecipado ao FMI contradiccedilatildeo inexplicaacutevel

Em 2005 durante o Governo Lula foi amplashymente propagandeado o resgate antecipado ao

DIacuteVIDA INTERNA

D gt V l gt 1

pound x t e r n P s

A chamada diacutevida interna corresponde agrave diacutevida

mobiliaacuteria - diacutevida em tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Na praacutetica a diacutevida interna eacute tambeacutem exter na pois grande parte dos tiacutetushylos dessa diacutevida tem sido adquirida porestrangeirosque encontram no Brasil a maior taxa de juros do mundo liberdade de capitais e isenccedilatildeo tributaacuteria

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica analisou a evoluccedilatildeo da diacutevida interna a partir de 1995 tendo em vista que foi justamente a partir do Plano Real que seu crescimento se acelerou de maneira impressionante como mostra o graacutefico a seguir Em dezembro de 2011 a diacutevida interna superou a cifra de 25 trilhotildees de reais

Buscando explicaccedilotildees para a contrashypartida a justificativa para essa diacutevida a CPI constatou que as altas taxas de juros foram a principal causa do cresshycimento acelerado da diacutevida interna provando que este endividamenshyto tem uma origem meramente financeira sem contrapartida em termos de desenvolvimento social e econoacutemico

O Relatoacuterio Final da CPI aprovado pela base do governo e pelo PSDB reconheceu esse grave fato que tambeacutem constitui uma importante evidecircncia da necessidade de completa auditoria dessa diacutevishyda pois a aplicaccedilatildeo de juros sobre juros (ana- tocismo) jaacute foi considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

Os trabalhos da CPI apontaram uma seacuterie de indiacutecios de ilegalidades na diacutevida interna cabenshydo ressaltar os seguintes

Esta roupa me disfarccedila melhor

Vatildeo acreditar que o beneficiaacuterio dessa diacutevida interna eacute o

povo brasileiro

Falta de transparecircncia e graves deficishyecircncias de controle e registro do endividashymento puacuteblico tais como desaparecimento de documentos falta de registro dos juros nominais efetivamente pagos por regime de caixa a cada ano bem como dos fluxos de pagamentos e recebimentos segredo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida interna insufishyciecircncia de informaccedilotildees sobre as justificativas para a emissatildeo de diacutevida

Fonte httpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201201pfpzip - Quadro 35

Os deputados membros da CPI pertencentes aos grandes partidos se recusaram a aprovar Requerimento de Informaccedilotildees que exigiria do governo o nome dos credores da diacutevida interna brasileira Somente foi aprovado requerimento de dados agregados que serviram como base para a elaboraccedilatildeo do graacutefico ao lado

Considerando que a diacutevida eacute puacuteblica seria de se esperar que os seus beneficiaacuterios fossem devidamente anunciados tal como ocorre em diversas partes do mundo inclushysive nos Estados Unidos da Ameacuterica do Norte Aqui no Brasil frequentemente autoshyridades e a grande miacutedia argumentam que a diacutevida interna beneficia pequenos aplica- dores clientes de Fundos de Investimento Contudo tal discurso natildeo apresenta fundashymento soacutelido pois quando a CPI da Diacutevida Puacuteblica requereu informaccedilotildees sobre o pershyfil dos detentores da diacutevida interna nesses Fundos requerendo informaccedilatildeo sobre a distribuiccedilatildeo dos grandes e pequenos invesshytidores) o Banco Central afirmou que natildeo dispunha desta informaccedilatildeo

Assunccedilatildeo de diacutevidas privadas espeshycialmente do setor financeiro por meio do PROER PROES e diversas outras formas

Credores da Diacutevida Interna - Abril2010

nacirco-nnanceiras

Bancos nacionais e estrangeiros

55

Fonte Banco Central (abrif2010) httpwwwbcb0ovbr htmsinfecondemabma201Q04Nlmprensazipe Secretaria de Previdecircncia Complementar (Estatiacutestica Mensal- Dez2009) -paacuteg 3Notas (1) A rubrica Fundos de Pensatildeo inclui recursos desses Fundos que se encontram aplicados em Fundos de Investimento de Renda Fixa Consequentemente a rubrica Fundos de Investimento aparece descontada destes recursos(2) A rubrica Bancos Nacionais e Estrangeiros inclui os Tiacutetulos Vinculados (que representam principalmente o depoacutesito junto ao BC petas instituiccedilotildees financeiras de tiacutetulos puacuteblicos como garantia de operaccedilotildees em Bolsa de Valores) e as Operaccedilotildees de Mercado Aberto (que significam a retirada de moeda de circulaccedilatildeo mediante entrega agraves instituiccedilotildees financeiras dos 1 tiacutetulos puacuteblicos em poder do Banco Central)

4 6Caderno De estudos | A d iacute v i d a P i j R i c a t u D E B A T E

Descumprimento de atribuiccedilotildees legais e constitucionais peios oacutergatildeos de controle do endividamento puacuteblico federal comproshyvado pela ausecircncia de resposta dos oacutergatildeos oficiais de controle interno (Banco Central e Ministeacuterio da Fazenda) a pedidos de infor maccedilatildeo sobre a diacutevida puacuteblica brasileira e pela ausecircncia de realizaccedilatildeo de auditoria nas negociaccedilotildees com bancos privados internacioshynais pelo Tribunal de Contas da Uniatildeo (TCU) Quanto ao Congresso Nacional este vem des cumprindo haacute mais de 20 anos a determinashyccedilatildeo constitucional de realizaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externa brasileira Tambeacutem natildeo regulamentou o art 30 incisos I e II da Lei de Responsabilidade Fiscal que dizem respeito aos limites globais de endividamento

Danos patrimoniais agraves financcedilas do Paiacutes configurada pela praacutetica doanatocismo (juros sobre juros) jaacute considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal aleacutem do ofeshyrecimento de taxas de juros injustificadas e excessivamente elevadas

Conflito de interesses na determinaccedilatildeo da taxa baacutesica de juros Os membros do Copom que definem as taxas de juros e demais autoshyridades do Banco Central realizam reuniotildees com analistas independentesrsquo tendo a CPI apurado que estes constituem - em cerca de 95 ou seja em sua imensa maioria - represhysentantes dos segmentos financeiros direta- mente interessados o que pode caracterizar conflito de interesses Adicionalmente a CPI constatou que a maior parte dessas autoridashydes foi trabalhar no setor financeiro privado apoacutes deixar o Banco Central As taxas de juros Selic satildeo definidas pelos 8 (oito) membros do Copom com base em criteacuterios natildeo mateshymaacuteticos pois a decisatildeo eacute tomada a partir de apresentaccedilotildees teacutecnicas discussotildees e natildeo decorrem da aplicaccedilatildeo de uma foacutermula que definiria qual deveria ser a decisatildeo do Comiteacute sobre a meta da taxa Selic cabendo ressalshytar ainda que os votos de seus membros natildeo eram divulgados

Argumentos insustentaacuteveis para os elevados juros Aleacutem da ausecircncia de justishyficativas teacutecnicas para o abusivo patamar de juros praticados durante os 15 anos analisashydos o argumento de elevar taxas de juros para combater a inflaccedilatildeo tambeacutem natildeo se sustenta

Ao mesmo tempo em que as autoridades monetaacuterias defendem a elevaccedilatildeo das taxas de juros sob a justificativa de controle inflashycionaacuterio as mesmas autoridades permitem grandes aumentos nos preccedilos administrados (tarifas de energia telefone combustiacutevel entre outros) o que eacute um total contra-senso Adicionalmente os oacutergatildeos de defesa da livre concorrecircncia natildeo tecircm conseguido combater adequadamente os carteacuteis privados que tamshybeacutem afetam a formaccedilatildeo dos preccedilos

Danos agrave economia real As elevadas taxas de juros baacutesicos impulsionam as demais taxas de juros praticadas pelos bancos provocando aumento nos custos das induacutestrias e empresas em geral deprimindo o investimento o que ocasiona a reduccedilatildeo da oferta de produtos gerando inflaccedilatildeo As elevadas taxas de juros brasileiras satildeo as maiores de todo o mundo natildeo havendo justificativa plausiacutevel para tal patamar Esse custo tem imposto atraso ecoshynoacutemico imensuraacutevel ao Paiacutes

Poliacuteticas monetaacuteria e cambial equivoshycadas Danos decorrentes da excessiva acushymulaccedilatildeo de reservas internacionais por meio da elevaccedilatildeo acelerada do estoque do endivishydamento interno A principal justificativa para a compra de doacutelares pelo Banco Central tem sido a de enxugar o excesso de moeda e eviacute tar a valorizaccedilatildeo da moeda nacional poreacutem quando o BC compra a moeda americana termina estimulando ainda mais os especushyladores a trazerem moeda estrangeira ao Paiacutes

Prejuiacutezos do Banco Central O fato de o Banco Central manter crescentes e elevadas reservas em doacutelares em seu ativo desde 2005 e tiacutetulos da diacutevida Interna em seu passivo representa enorme transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor financeiro privashydo tendo em vista a forte desvalorizaccedilatildeo do doacutelar O prejuiacutezo do Banco Central alcanccedilou R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 RS 445 bilhotildees no 1-semestre de 2011 sendo que todo esse resultado negativo foi coberto pelo Tesouro Nacional ou seja foi arcado por toda a sociedade Isso caracteriza violaccedilatildeo do princiacutepio republicano em sentishydo de adequado trato da coisa puacuteblica pelos agentes do Estado cuja investigaccedilatildeo deve ser aprofundada para apurar eventual dano ao patrimoacutenio puacuteblico

A 0 I V I C A F II li L C A r M D t 8 A 1 E |

47Caderno de

III

Todos esses graves indiacutecios de iacuterregularidades apontados pela CPI reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa auditoria dessa diacutevida

A RECENTE QUEDA DA TAXA SELICEm 2011 a taxa Selic passou a cair reduzinshy

do-se ao patamar de 8 ao ano Entretanto estudos realizados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm demonstrado que justamente quando a taxa passou a cair o Tesouro Nacional passou a praticar vendas de tiacutetulos da diacutevida brasileira em taxas fixas e superiores agrave Selic Exatamente no dia 19042012 data em que a taxa Selic caiu a 9 como amplamente notishyciado nos grandes meios de comunicaccedilatildeo o Tesouro Nacional efetuou praticamente a totalidade de vendas de tiacutetulos da diacutevida brashysileira a taxas muito superiores que chegaram a 1079 ao ano

Ora qual a razatildeo para essa praacutetica evidenshytemente contraacuteria aos interesses do Paiacutes Uma das justificativas normalmente apresentadas eacute que o mercadordquo natildeo aceita comprar por taxas mais baixas

Mas quem eacute o m ercadoA venda de tiacutetulos se daacute por meio dos dealers

- reduzido grupo de grandes bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia na compra dos tiacutetulos leiloados pelo Tesouro Nacional em primeira matildeo8

Essa modalidade de negociaccedilatildeo foi introdushyzida a partir de 2001 com a ediccedilatildeo da Circular BACEN ns 3053 havendo um rodiacutezio entre as instituiccedilotildees financeiras Na data em que o preshysente Caderno estaacute sendo elaborado os dealers

satildeo os seguintes

8 Ver lthttpwwwtMourofazendagovbrhpdownloads Rltmking_Top_5 Janeiro_12_Mertado_Primariopdfgt

Quanto mais pagamos mdash mais devemos

GASTOSCOM

JUROS

48Caderno de estudos | A o l v i D A P uacute b l i c a FM DIacute E ATE

M

M

Tesouro NacionalINSTITUICcedilOtildeES CREDENCIADAS A OPERAR COM A CODIP E COM O DEMAB

10082012 a 3101201310022012 a 31072012

BCOBRADESCOS A

BCO BTG PACTUA L S A

BCOCITIBANKS A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO J P MORGAN S A

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

CM CAPITAL MARKETS CCTVM LTDA

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ITAU UNI BANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

BCO BARCLAYS S A

BCO BRADESCO S A

BCO BTG PACTUAL S A

BCO DO BRASIL S AMERCADO

BCO SANTANDER (BRASIL) S A

BCO VOTORANTIM S A

CAIXA ECONOMICA FEDERALMERCADO

DEUTSCHE BANK S A - BCO ALEMAO

HSBC BANK BRASIL S A - BANCO MUacuteLTIPLO

ICAP DO BRASIL CTVM LTDABRAD

ITAU UNIBANCO S A

RENASCENCA DTVM LTDABRAD

Referecircncia Legal Decisatildeo-Conjunta 18 de 10022010 Ato Normativo Conjunto de 26 de 08022012 e Ato Normativo Conjunto 27 de 08022012

Depreende-se que o grupo de bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia de comprar os tiacutetulos colocam o Tesouro Nacional a serviccedilo do Sistema da Diacutevida pois soacute compram os tiacutetulos leiloados quando as condiccedilotildees oferecishydas atendem a seus interesses e dessa forma na praacutetica ditam as regras Assim tem funcionado o Sistema da Diacutevida

QUEM GANHA COM ESSE PROCESSODe todo esse processo de escoamento natildeo transshy

parente dos recursos puacuteblicos por meio da diacutevida puacuteblica - interna e externa - resta uma grande certeza os detentores dos tiacutetulos - em sua maioria bancos auferem no Brasil os maiores lucros do mundo como comprova o graacutefico a seguir

Lucro dos Bancos (R$ bilhotildees)80

60

40

20

Aparente queda Aumento de Provisotildees

00 O ltN m r r m 0 00 OQ CT O O O o o o O O o O T--(Jy C l O O O o o o o o o o Ormdash (N rsi ltN ltN ltN ltN ltN ltN r| ri

Fonte Banco Central do Brasil (httpwww4bcbgovbrtop50porttop50asp)

A D l V l D A P Uacute B L I C A E M D F S A T E

49Caderno de estudos

C A P Iacute T U L O 8

O SISTEMA DA DIacuteVIDASISTEMA DA DIacuteVIDA NO BRASIL

A nos de estudos sobre o endividamento puacuteblico no Brasil em outros paiacuteses da

Ameacuterica Latina e mais recentemente na Europa permitiram a identificaccedilatildeo de um mesmo modus

operandi um desvirtuamento do papel da diacutevida puacuteblica e sua utilizaccedilatildeo em benefiacutecio do setor financcedil

Em tese a diacutevida puacuteblica deveria funcionar (como um importante instrumento de financia-

lento do Estado ou seja um instrumento que ^viabilizaria aporte de recursos ao Estado a fim de complementar recursos necessaacuterios ao cum-

Entretanto as investigaccedilotildees realizadas em diversos paiacuteses tecircm comprovado que esse papei foi usurpado e a divida puacuteblica se transformou em um instrumento agrave disposiccedilatildeo dos donos do poder financeiro^ou seja ao inveacutes de jportar recursos ao Estado tem sido um mecanismo de transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor finarccedilceiro privado

Ta) proeza eacute possibilitada por um arcabouccedilo de privileacutegios de ordem lega poliacutetica finanshyceira e econoacutemica que denominamos Sistema da Diacutevida que visa a garantir prioridade absoluta aos pagamenshytos financeiros da diacutevida puacuteblica em detrimento de direitos humanos e sociais de toda a naccedilatildeo

A fim de exemplificar como opera o Sistema da Diacutevida no Brasil cabe mencionar alguns privishyleacutegios evidenciados no modelo econoacutemico e na estrutura legal possibishylitados pelo equivocado

sistema poliacutetico que permite o financiamento privado de campanhas eleitorais

MODELO ECONOacuteMICOO modelo econoacutemico adotado no Paiacutes eacute comshy

pletamente voltado para a garantia dos privileacuteshygios da diacutevida o que se evidencia pelas seguintes caracteriacutesticas

Poder exacerbado do setor financeiro espeshycialmente bancos privados e FMI frequenteshymente identificado como 0 Mercado cujo comportamento acaba justificando poliacuteticas econoacutemicas nocivas ao Paiacutes e que beneficiam somente a eles mesmos tais como a praacutetica de juros altos as privatizaccedilotildees de setores estashytais estrateacutegicos entre muitas outras

Financeirizaccedilatildeo baseada em papeacuteis caracteshyrizada pela proliferaccedilatildeo de Fundos Soberano do Preacute-Sal de Previdecircncia etc que absorvem todo o risco do mercado financeiro desregu- lado Tais fundos podem se transformar em veiacuteculos para a transmissatildeo para o Brasil dos papeacuteis podres que provocaram a atua crise financeira internacional

FUNDO DE PENSAtildeO

57a d I v i o a - uacute raquobull i r a f m d f r a t e | Caderno de estudos

58Caderno de estudos

Liberdade total para os fluxos de capitais pershymitindo que bancos nacionais utilizem setores sediados no exterior para usufruir da isenccedilatildeo tributaacuteria sobre os rendimentos proporcionashydos pelos mais elevados juros do mundo pagos pelo Brasil Adicionalmente essa liberdade de movimentaccedilatildeo deixa vulneraacuteveis as poliacuteticas monetaacuteria e cambia praticadas no Pais

Ausecircncia de Transparecircncia nas negociaccedilotildees que geraram endividamento puacuteblico na divulgaccedilatildeo dos valores dos juros nominais efetivamente pagos sigilo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida puacuteblica aleacutem da utilizaccedilatildeo de artifiacutecios e decishysotildees baseadas em documentos secretos natildeo acessiacuteveis agrave populaccedilatildeo

Prioridade para o controle da inflaccedilatildeo ancoshyrada em poliacuteticas de juros altos e controle da base monetaacuteria que representam elevados ganhos ao setor financeiro

Privileacutegios tributaacuterios para o setor financeiro e grandes corporaccedilotildees e pesada carga tributaacuteria para a classe trabalhadora

Esse modelo vem submetendo sucessivos governantes - ainda que de partidos diferentes- ao mesmo poder econoacutemico que financia as suas campanhas eleitorais e dessa forma exerce grande influecircncia nas decisotildees poliacuteticas do Paiacutes

Adicionalmente os donos do poder financeiro exercem o controle da grande miacutedia como antes mencionado e natildeo raro financiam instituiccedilotildees de ensino para desenvolver robustas teses em defesa do funcionamento desse injusto modelo que os beneficia

OS PRIVILEacuteGIOS LEGAIS DA DIacuteVIDA

V imos que a diacutevida puacuteblica brasileira tem consumido anualmente quase a

metade dos recursos da Uniatildeo provenienshytes tanto de arrecadaccedilatildeo tributaacuteria como da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

Para conseguir essa faccedilanha a diacutevida conshyta com um enorme arcabouccedilo de ordem legal- uma superestrutura juriacutedica - que garante a prioridade de recursos para os pagamentos finanshyceiros da diacutevida puacuteblica enquanto que remanesce desassistida uma significativa porccedilatildeo dos direitos sociais e humanos do povo brasileiro

Constituiccedilatildeo FederalEacute na Constituiccedilatildeo Federal que tem iniacutecio o

arcabouccedilo juriacutedico que garante os privileacutegios da diacutevida Vejamos o que determina o art 166

Art 166 Os projetos de lei relativos ao plano pluria- nual agraves diretrizes orccedilamentarias ao orccedilamento anual

e aos creacuteditos adicionais seroo apreciados pelas duas

Casas do Congresso Nacional na forma do regimento

comum

U

sectS As emendas ao projeto de lei do orccedilamento

anual ou aos projetos que o modifiquem somente

podem ser aprovadas caso

()II - indiquem os recursos necessaacuterios admitidos

apenos os provenientes de anulaccedilatildeo de despesa

excluiacutedas as que incidam sobre

()b) serviccedilo da divida

Segundo diretriz consagrada no direito finanshyceiro toda despesa puacuteblica deve trazer consigo no orccedilamento em que estiver prevista a fonte e o montante dos recursos a elas destinados

0 dispositivo constitucional antes transcrito- letra b do art 166sect3Ecirc II - abriu exceccedilatildeo a essa regra quando se tratar de necessidade de recursos puacuteblicos destinados ao pagamento da diacutevida puacuteblica que NAtildeO necessitam ter sua fonshyte prevista no orccedilamento

0 efeito claro desse dispositivo eacute a liberaccedilatildeo indiscriminada de valores para o pagamento de serviccedilos da diacutevida inclusive com impacto negashytivo sobre os gastos sociais Quando os recursos- mesmo apoacutes os contingenciamentos de gastos sociais - nagraveo satildeo suficientes para pagar o serviccedilo da diacutevida novos tiacutetulos da diacutevida satildeo emitidos provocando-se elevaccedilatildeo contiacutenua de seu estoshyque apesar dos vultosos pagamentos

Aleacutem do mais este dispositivo constitucional impede que o Legislativo - por meio de emenshydas - altere o valor destinado ao pagamento do serviccedilo da diacutevida Em bom portuguecircs o Congresso Nacional fica vaacuterios meses discutindo tudo sobre o Orccedilamento menos o essencial ou seja o serviccedilo da diacutevida que consome a maior parcela dos recursos puacuteblicos

CONSTITUICcedilAtildeO FRAUDADA

A inserccedilatildeo desse dispositivo no texto constitushycional eacute bastante questionada

Importante estudo realizado no ano de 2006 por Adriano Benayon e Pedro Antonio Dourado de Rezende demonstrou uma grave irregularidade praticada durante o periacuteodo da Constituinte

O estudo Anatomia de uma Fraude agrave Constituiccedilatildeo eacute acompanhado de uma seacuterie de documentos fotos e publicaccedilotildees

Segundo os autores o projeto do atual art 166 da Constituiccedilatildeo natildeo incluiacutea nenhuma exceccedilatildeo ao dispositivo segundo o qual as emendas ao projeshyto de lei do orccedilamento anual ou aos projetos que o modifiquem somente podem ser aprovadas caso indiquem os recursos necessaacuterios E assim foi aprovado em primeiro turno na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) No momento da sistematizaccedilatildeo do texto constitucional o artigo passou agrave votaccedilatildeo em segundo turno sem nenhushyma alteraccedilatildeo acompanhado das emendas correshylatas As emendas poderiam versar apenas sobre erros ou contradiccedilotildees Contudo no momento da votaccedilatildeo surgiram emendas que diziam respeito agrave alteraccedilatildeo de meacuterito

Ao cumprir a Ordem do Dia o presidente da ANC anunciou a fusatildeo das propostas de Emenda do artigo () com outras relativas a outros

artigos pondo em votaccedilatildeo um uacutenico texto para os tregraves artigos que supostamente as reunia para votaccedilatildeo simultacircnea Nesse iacutenterim foram irreshygularmente adicionados dispositivos agrave redaccedilacirco que havia sido aprovada em primeiro turno e que alteravam substancialmente o dispositivo originai Os dispositivos adicionados () surgishyram somente no Requerimento apresentado no dia de votaccedilatildeo Dessa forma as exceccedilotildees hoje verificadas no texto constitucional foram subshymetidas agrave votaccedilatildeo somente no 2o turno como se fosse meramente uma compilaccedilatildeo do que jatilde havia sido votado Induzidos os constituintes aprovaram o artigo por ampia maioria (408 favoshyraacuteveis 5 contraacuterios e 12 abstenccedilotildees)

Posteriormente a irregularidade foi assumishyda publicamente pelo entatildeo deputado Nelson Jobim

Apesar de denuacutencias e protestos ateacute o momento esse dispositivo que carrega forte evidecircncia de viacutecio de origem permanece intacto e produzindo onerosos efeitos Esse dispositivo constitucional suspeito de fraude garante prioshyridade absoluta agrave diacutevida puacuteblica

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL-LRF

Outro privileacutegio da diacutevida eacute evidenciado na Lei de Responsabilidade Fiscal - Lei

Complementar na 1012000 - LRFEsta lei saudada pela grande miacutedia e por setores

dominantes como se fosse a lei que viria potilder fim agrave corrupccedilatildeo puacuteblica na realidade natildeo trata de desvio de recursos maacute versaccedilatildeo ou mesmo corrupccedilatildeo

A referida lei trata de controle do gasto puacuteblico a fim de garantir o pagamento da diacutevida puacuteblica

A LRF resultou de uma imposiccedilatildeo do Fundo Monetaacuterio Internacional ao governo brasileiro seguindo a esteira do organismo no sentido da defesa incondicionada da austeridade fiscal

Na praacutetica essa austeridade significa o rigoroso controle dos gastos puacuteblicos gerando uma ecoshynomia forccedilada uma sobra de recursos que se denomina superavit primaacuterio destinado a garantir a confianccedila dos credores internacionais de que o Brasil teraacute recursos para honrar o pagamento dos vultosos juros da divida

59a d iacute v i c a f j e l c a FM o E 0 a i t I Caderno de estudos

Para cumprir a meta de superaacutevit primaacuterio os sucessivos governos tecircm iniciado cada ano com a ediccedilatildeo de um decreto para o contingenciamento de verbas que o orccedilamento votado no Congresso Nacional havia destinado agraves diversas aacutereas sociais

O atual governo da Presidenta Diiacutema editou em 2011 o Decreto 74452011 contingenciando o montante recorde de R$ 50 bilhotildees

Em 2012 novo recorde foi batido e o Decreto 76802012 contingenciou o montante de R$ 55 bilhotildees o que comprova a rigorosa contenccedilatildeo do orccedilamento destinado agraves aacutereas sociais

De acordo com o art 73 da LRF caso o admishynistrador puacuteblico deixe de pagar os serviccedilos da diacutevida - ainda que para evitar a falecircncia dos sershyviccedilos baacutesicos do Estado ou mesmo caso a diacutevida cresccedila de maneira inesperada por conta de uma elevaccedilatildeo dos juros - poderaacute responder por crime de responsabilidade

O Art16 da LRF tambeacutem impede que Legislativo aprove qualquer projeto de lei que implique em aumento de gastos sociais Por outro lado a refeshyrida lei natildeo estabelece limite algum para os gastos com a diacutevida puacuteblica Tambeacutem natildeo estabelece limite para o custo da poliacutetica monetaacuteria desemshypenhada pelo Banco Central - que gerou prejuiacutezos brutais de R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 201 Oe R$ 445 bilhotildees no I2 semestre de 2011

- e ainda por cima determina que esse prejuiacutezo seja absorvido pelo Tesouro Nacional

A mesma lei tambeacutem faz seacuterias restriccedilotildees a Estados e Municiacutepios impondo-lhes que sigam os objetivos da poliacutetica econoacutemica nacional os quais como temos demonstrado natildeo satildeo outros que natildeo garantir de modo absoluto o credor financeiro e congelar os dispecircndios sociais Trata-se de clara afronta ao principio federativo e mais uma das divershysas irregularidades legitimadas pelo ordenamento juriacutedico brasileiro que precisam ser revistas

LEI DE DIRETRIZES ORCcedilAMENTAacuteRIAS

T ambeacutem a LDO (Lei de DiretrizesOrccedilamentarias) que anualmente estabelece as linhas gerais

do orccedilamento do exerciacutecio posterior corrobora a primazia da diacutevida puacuteblica no ordenamento juriacutedico brasileiro A tiacutetulo de exemplo veja-se o que estabelece o art 2pound da diretriz orccedilamentaacuteria de 2012

Art 2o- A elaboraccedilatildeo e a aprovaccedilatildeo do Projeto de

Lei Orccedilamentaacuteria de 2012 bem como a execuccedilatildeo

da respectiva Lei deveratildeo ser compatiacuteveis com

a obtenccedilatildeo da meta de superaacutevit primaacuterio ()

9 MIRANDA Seacutergio A farsa do Lei de Responsabilidade Fiscal

Brasiacutelia- Cacircmara dos Deputados 2000

60

Caderno de estudos | D i v [gt A p tt 3 1 i o a F m l _ R a ~ t

Dessa forma a elaboraccedilatildeo do orccedilamento da Uniatildeo passa a ter como princiacutepio fundamental a obtenccedilatildeo de superaacutevit primaacuterio A partir do estashybelecimento desta reserva de recursos para a divishyda os recursos primaacuterios satildeo distribuiacutedos agraves demais rubricas Eacute importante ressaltar que essa poliacutetica que reserva centenas de bilhotildees de reais de receitas natildeo-primaacuterias para o pagamento de juros e amortishyzaccedilotildees da diacutevida - e aleacutem disso reserva parte subsshytancial das receitas primaacuterias tambeacutem para esse fim- tem travado completamente o desenvolvimento do paiacutes (ver item Superaacutevit Primaacuterio no capiacutetulo 3) A diacutevida absorve cerca de metade de todas as receitas - primaacuterias e natildeo-primaacuterias - impedindo a realizaccedilatildeo de investimentos reajustes salariais para servidores e atendimento agraves necessidades sociais

A LDO tambeacutem estabelece que a atualizaccedilatildeo da diacutevida puacuteblica federa natildeo deveraacute superar o IGP-M - iacutendice divulgado por instituiccedilatildeo privada a Fundaccedilatildeo Getulio Vargas

A LDO tem estabelecido que a parte do refishynanciamento da diacutevida puacuteblica deve constar separadamente do orccedilamento o que tem provoshycado grande distorccedilatildeo na divulgaccedilatildeo dos nuacutemeshyros oficiais da diacutevida como antes mencionado (ver item Os nuacutemeros da diacutevida no capiacutetulo 4)

O DOGMA DE COMPRARA CONFIANCcedilA DO DEUS MERCADO

O arcabouccedilo juriacutedico que privilegia os gasshytos financeiros em detrimento dos direitos

sociais eacute resultado de um processo da histoacuteria brasileira que consolidou no senso comum a ideia de que eacute mais importante para o Paiacutes manter sua imagem de bom pagador perante credores e especuladores que fornecer ao seu povo um serviccedilo puacuteblico de qualidade ainda que isso sigshynifique insistir no pagamento de diacutevidas ilegais ilegiacutetimas e insustentaacuteveis

Tambeacutem eacute de se notar com clareza a influecircncia externa sofrida para que fossem aprovadas medishydas como essa Apoacutes esgotar os recursos do paiacutes e travar o nosso desenvolvimento com as poliacuteticas impostas na deacutecada de 1980 o FMI continuou a impor com matildeo de ferro a agenda neoliberal no Brasil E isso se fez com especial vigor pela implanshytaccedilatildeo do Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo resultado de negociaccedilatildeo com o oacutergatildeo financeiro

Poressa metodologia posta em praacutetica a partir do Decreto n 308899 todas as vezes em que se projetar um aumento da inflaccedilatildeo em niacutevel superior ao programado ou houver excesso de moeda em circulaccedilatildeo ativam-se dois instrumentos (a) aumenshyto da taxa baacutesica de juros (Selic) (b) enxugamento de moeda em operaccedilotildees de mercado aberto

Qualquer que seja o instrumento utilizado o efeito resulta em aumento da diacutevida puacuteblica pois

a) A elevaccedilatildeo da taxa de juros Selic provoca a elevaccedilatildeo dos compromissos financeiros relashycionados ao pagamento de juros da diacutevida Se os recursos existentes natildeo satildeo suficientes nova diacutevida eacute emitida

b) O enxugamento de moeda pelo Banco Centrai se daacute por meio da entrega de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica em troca do excesso de moeda

Dessa forma o Sistema de Metas de Inflaccedilatildeo em praacutetica no Paiacutes natildeo tem servido para controlaro tipo de inflaccedilatildeo que temos (decorrente do reashyjuste excessivo de tarifas puacuteblicas e do preccedilo de alimentos) e na praacutetica tem sido um mecanismo de geraccedilatildeo de diacutevida puacuteblica

OUTROS PRIVILEacuteGIOS QUE GARANTEM A DESTINACcedilAtildeO DE RECURSOS PARA O PAGAMENTO DA DIacuteVIDA

A leacutem dos questionaacuteveis privileacutegios legais visshytos existem outros privileacutegios adicionais que

garantem a destinaccedilatildeo de recursos para o serviccedilo da diacutevida

Lucro do Banco Central Quando o Banco Central apura lucro operacional esse lucro eacute destinado exclusivamente ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Medida Provisoacuteria na 2179-362001 Art 2a sect1He Lei 118032008 Art 32

Os valores pagos na forma do inciso I do art 2nda Medida Provisoacuteria n 2179-36 de 24 de agosto de 2001 [lucro do BC] seracirco destinados exclusivamente ao pagamento da Diacutevida Puacuteblica Mobiliaacuteria Federal devendo ser paga prioritariamente aquela existente junto ao Banco Central do Brasil

61A D v i n a p u b l i c a em B F B A l E I Caderno de estudos

Por outro lado se o Banco Central apura prejushyiacutezo operacional a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que o Tesouro cubra este prejuiacutezo como antes mencionado

Lucro das estatais distribuiacutedos ao govershyno Enquanto a parcela das accedilotildees das estatais que se encontra em matildeos privadas garante a esses proprietaacuterios os respectivos dividendos os lucros referentes agrave parceia das estatais que ainda remanesce sob propriedade puacuteblica eacute destinada por iei para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Lei ns 95301997 - Art 1E Seratildeo destina dos agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

I - a receita do Tesouro Nacional decorshyrente do pagamento de participaccedilotildees e dividendos pelas entidades integrantes da Administraccedilatildeo Puacuteblica Federal indireta inclusive os relativos a lucros acumulados em exerciacutecios anteriores

Eacute por isso que a Petrobras por exemplo emboshyra seja uma das empresas mais lucrativas do mundo acaba contraindo diacutevidas para realizar investimentos Eacute por isso tambeacutem que embora sejamos autossuficientes na produccedilatildeo de petroacuteshyleo a gasolina brasileira eacute tatildeo cara para gerar lucros que iratildeo pagar a diacutevida

Pagamento da diacutevida dos Estados e Municiacutepios com a Uniatildeo A Uniatildeo natildeo usushyfrui dos recursos sacrificados por Estados e Municiacutepios para o pagamento de suas diacutevidas pois por lei o que a Uniatildeo recebe dos Estados e Municiacutepios destina-se exclusivamente ao pagamento da divida federal que em sua maior parte estaacute nas matildeos dos bancos nacionais e estrangeiros

Emissatildeo de novos tiacutetulos Esse constitui um dos principais privileacutegios da diacutevida jaacute que a lei autoriza a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevida Cabe ressaltar que a Constituiccedilatildeo Federal art 167 autoriza a emissatildeo de diacutevida somente para pagar amortizaccedilotildees (despesa de capital) vedando poreacutem a emissatildeo de diacutevida para pagar juros (despesa corrente)Entretanto a contabilizaccedilatildeo irregular de parte dos juros nominais (atualizaccedilatildeo monetaacuteria) como se fosse rolagem vem burlando essa vedaccedilatildeo constitucional

Constituiccedilatildeo Federal art 167Art 167 Satildeo vedados()

III - a realizaccedilatildeo de operaccedilotildees de creacuteditos que excedam o montante das despesas de capital

A Lei 101792001 tambeacutem permite a emissatildeo de diacutevida para pagar diacutevidas anteriores mas natildeo permite a emissatildeo de diacutevida para garantir direitos sociais aos brasileiros

Recursos obtidos com PrivatizaccedilotildeesPor lei os recursos advindos das privatizaccedilotildees do patrimoacutenio puacuteblico se destinaram ao pagashymento da diacutevida puacuteblica

Remuneraccedilatildeo da Conta Uacutenica do Tesouro pelo Banco CentralOs recursos auferidos com tal remuneraccedilatildeo se destinam ao pagamento da diacutevida puacuteblica

Recursos autorizados pelas Medidas Provisoacuterias ndeg 435 e 450 convertidas nas Leis n2 118032008 e 119432009

62Caderno de estudos | a D I v i DA P Uacute B L I C A fcM D pound u iacute F

Tais medidas permitiram que todos os recursos rtatildeo gastos durante o ano de qualquer rubrica t de receita vinculada por lei a alguma aacuterea social fossem destinados a partir de 2008 ao pagagraveymdash mento da diacutevida puacuteblica T -

Em um uacutenico ano - 2008 - a MP 435 viabilizou a transferecircncia de cerca de R$ 40 bilhotildees de recurshysos antes vinculados a outras aacutereas estrateacutegicas (FUNDAF Royalties do Petroacuteleo entre outras) para o pagamento da diacutevida

Lei nE 119432009 (conversatildeo da MP 435) Art 13 O excesso de arrecadaccedilatildeo e o superaacutevit financeiro das fontes de recursos existentes no Tesouro Nacional poderatildeo ser destinados agrave amortizaccedilatildeo da divida puacuteblica federai

Epor causa dessa impressionante estrutura legal que a diacutevida puacuteblica consegue absorver a cada ano quase a metade dos recursos da Uniatildeo apesar das evidecircncias de que essa diacutevida tem sido um instrumento meramente financeiro de mercado sem qualquer contrapartida

real para a populaccedilatildeoPor outro lado a populaccedilatildeo que paga a conta - por meto de elevada carga tributaacuteria e peta

ausecircncia dos serviccedilos sociais que tem direito - continua desprovida de bens e serviccedilos elementares a despeito da grande riqueza do nosso Paiacutes que vergonhosamente ostenta o tiacutetulo de um dos paiacuteses mais injustos e desiguais do mundo

Nacirco deveria ser assim Essa situaccedilatildeo precisa ser enfrentada e modificada

ldquoA luta pela verdade deve ter precedecircncia sobre todas as outras

A L B E R T E I N S T E I N

63a D I v i d a p ij B I i c A EM D E B A T E | Caderno de estudos

Page 8: A dívida pública em debate. (livro)

AS BENESSES TRIBUTARIAS DOS ESPECULADORES

Lei 113122006

Art 1 Fica reduzida a zero a aliacutequota do imposto de renda incidente sobre os rendimentos () proshyduzidos por tiacutetulos puacuteblicos adquiridos a partir de 16 de fevereiro de 2006 quando pagos creshyditados entregues ou remetidos a beneficiaacuterio residente ou domiciliado no exterior

Aleacutem disso desde o Plano Reai a classe trabashylhadora vem sendo pesadamente onerada face ao congelamento da Tabela do Imposto de Renda da Pessoa Fiacutesica

Essa medida faz com que o trabalhador passe a pagar mais Imposto de Renda quando obteacutem meros reajustes inflacionaacuterios que natildeo modificam seu padratildeo de vida ou sua capacidade contributiva Apesar dos reajustes ocorridos a atualizaccedilatildeo da tabela do IRPF ainda acumula mais de 50 de defa- sagem o que caracteriza um verdadeiro confisco

Essas injusticcedilas do modelo tributaacuterio aproshyfundam o fosso social De acordo com pesshyquisa recente do IPEA (Instituto de Pesquisa Econoacutemica Aplicada) pessoas cuja renda mensai

familiar alcanccedilava ateacute dois salaacuterios miacutenimos comprometiam 539 dos seus ganhos com o pagamento de tributos enquanto que outras com renda superior a 30 salaacuterios miacutenimos comprometiam apenas 29 3 A mesma pesshyquisa mostra que cerca de 50 da nossa carga tributaacuteria eacute indireta incidindo sobre o consushymo e atingindo indiscriminadamente a toda a populaccedilatildeo independentemente da renda e da riqueza Dessa maneira o pobre que faz suas compras no supermercado paga o mesmo imposto do milionaacuterio A renda por sua vez influencia em apenas 19 a carga tributaacuteria do Paiacutes Nos Estados Unidos ela responde por 49 dos gastos dos cidadatildeos com tributos

A carga tributaacuteria brasileira em meacutedia natildeo eacute considerada alta se comparada agrave de outros paiacuteshyses Contudo quando se observa a ausecircncia ou extrema insuficiecircncia do devido retorno em bens e serviccedilos puacuteblicos constata-se o caraacuteter extrema mente injusto da tributaccedilatildeo brasileira Ademais os tributos arrecadados destinam-se principalmente para o pagamento de juros da diacutevida puacuteblica o que caracteriza seu desvio de finalidade

2 Fonte lthttpamaivDsuolcombramaivos09noticiagt

ldquoLEI KANDIR

A discussatildeo sobre a tributaccedilatildeo no Brasil natildeo pode passar ao largo de um dos instrumentos mais controversos de estiacutemulo agrave exportaccedilatildeo - a chamada LeiKandir

Esta lei (Lei Complementar 871996) entrou em vigor em 1996 Por seus dispositivos isenta do pagamento de tributo estadua - ICMS (Imposto sobre Circulaccedilatildeo de Mercadorias e Serviccedilos) - a comercializaccedilatildeo de produtos destinados agrave exportaccedilatildeo com o claro objetivo de atingir um superaacutevit na balanccedila comerciai e gerar divisas para o pagamento da diacutevida externa

Essa isenccedilatildeo de ICMS representou uma grande perda de receitas para Estados e Municiacutepios que repartem o produto da arrecadaccedilatildeo do imposto Ao mesmo tempo a medida favoreceu enormemente aos grandes exportadores

Para compensar a perda dos Estados e Municiacutepios a Uniatildeo se obrigou por meio da referida lei a compensar as unidades federativas na proporccedilatildeo de 75 para os Estados e 25 para os Municiacutepios A forma de compensaccedilatildeo contudo foi a emissatildeo de tiacutetulos da diacutevida puacuteblica Por muito tempo a Uniatildeo restituiu apenas parcialmente o valor devido Atualmente o governo sequer reconhece o dever de indenizaccedilatildeo aos Estados omitindo-se ateacute mesmo de prever os recursos indenizatoacuterios na Lei Orccedilamentaacuteria agravando o problema de arrecadaccedilatildeo nos Estados A medida tem contribuiacutedo para agravar a crise das financcedilas estaduais estimulada por outro lado pelas imensas diacutevidas que estes contraem perante a Uniatildeo

2 4Caderno de estudos [ A Cl v 1 rgt A p uacute b l i c a e m C E U a t e

POLIacuteTICA DE SUPERAVIT PRIMAacuteRIO E DIacuteVIDA PUacuteBLICA

Embora ainda pouco discutido o principal problema econoacutemico do Brasil eacute a chamada

diacutevida puacuteblica tratada com mais detalhes nos capiacutetulos seguintes

JEcircSUPERAacuteVIT PRIMAacuteRIO

O superaacutevit primaacuterio eacute a economiardquo forccedilada de gastos puacuteblicos para o cumprimento de meta imposta pelo FMI ao Brasil desde 1998 Esse valor eacute calculado como um percentual do PIB mas recai unicamente sobre a parte do orccedilamento referente aos gastos primaacuterios isto eacute sobre os gastos e investimentos sociais

Os gastos com juros da diacutevida - classificados como natildeo-primaacuterios - natildeo entram nesse cocircmpushyto Da mesma forma as receitas natildeo-primaacuterias especialmente a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida tambeacutem natildeo entram no caacutelculo da meta de superaacutevit primaacuterio

A consequecircncia dessa foacutermula draconiana eacute o arrocho fiscal sobre os gastos sociais para que cada vez mais recursos puacuteblicos sejam destinados ao pagamento de juros da diacutevida Trata-se de escandaloso privileacutegio aos rentistas proprietaacuterios dos tiacutetulos da diacutevida brasileira - em sua imensa maioria instituiccedilotildees do sistema finanshyceiro nacional e internacional - pois os gastos

com os juros satildeo liberados da meta de superaacutevitDessa forma centenas de bilhotildees de reais de

recursos obtidos com a emissatildeo de novos tiacutetulos da diacutevida e demais fontes natildeo-primaacuterias (tais como o recebimento de juros e amortizaccedilotildees das diacutevidas de estados e municiacutepios com a Uniatildeo eventuais lucros do Banco Central entre outros) soacute podem ser destinados ao pagamento dos juros pois se forem destinados a gastos sociais a meta de superaacutevit primaacuterio natildeo seria cumprida

Por meio dessa foacutermula o privileacutegio do pagashymento de juros da diacutevida se sobrepotildee aos direitos sociais e ao atendimento das urgentes necessidashydes do povo brasileiro

0 Congresso Nacional aprovou em 17072012 a Lei de Diretrizes Orccedilamentarias (LDO) para 2013 prevendo a meta de superaacutevit primaacuterio correspondente a R$ 1559 bilhotildees para a Uniatildeo Estados e Municiacutepios Entretanto o seu efeito alcanccedila quase R$ 1 trilhatildeo ou seja cerca da metashyde do Orccedilamento Geral da Uniatildeo na medida em que obriga que receitas natildeo-primaacuterias sejam destinadas diretamente para o pagamento da diacutevida puacuteblica

Por isso eacute urgente auditar essa diacutevida - como manda a Constituiccedilatildeo Federal - e destrinchar os malabarismos que tecircm sido feitos para desviar cada vez mais recursos puacuteblicos para o setor financeiro privado

Em 2011 foram gastos quase R$ 2 biiacutehotildees por dia com a diacutevida puacuteblica Quem paga essa conta

Todos noacutes brasileiros pagamos a diacutevida puacuteblica de vaacuterias formas Pagamos diretamente por meio dos tributos embutidos em tudo o que consumimos ou recebemos Pagamos tambeacutem por meio dos serviccedilos puacuteblicos que deixamos de receber em razatildeo do corte de

gastos da Sauacutede Educaccedilatildeo Seguranccedila Transporte Saneamento Cultura Assistecircncia Social etc Por isso todos temos o direito de saber afinal que diacutevida eacute essa

25A D V I D A F uacute B L CA F M D E B A T E Caderno de estudos

O PAGAMENTO DE JUROS E AMORTIZACcedilOtildeES DA DIacuteVIDA CONSOME QUASE A METADE DOS RECURSOS DA UNIAtildeO

Elaboraccedilatildeo Auditoria Cidadatilde da Divida Nota 0 valor de R$ 708 bilhotildees inclui o chamado refinanciamento ou roiacuteagem pois a CPI da Divida Puacuteblica comprovou que parte relevante dos juros satildeo contabilizados como tal Para mais informaccedilotildees ver lthttpwwwauditoriacidadaorgbrwp-contentuploads201204Numerosdividapdfgt

26Caderno de estudos | acirc I V i D A P D B L 1 e A IacuteM d e s a t p

Orccedilamento Geral da Uniatildeo de 2011 - Executado - Total R$ 1571 trilhatildeo

Juros e Amortizaccedilatildeo

da Diacutevida

4505mdash imdash

R$ 708 bilhotildees

Transferecircncia para Estados e Municiacutepios

012 Relaccedilotildees Exteriores

012 Organizaccedilatildeo Agraacuteria

010 Induacutestria

008 Com eacutercio e Serviccedilos

008 Urbanism o

006 Direitos de C idadania

004 Cultura

004 Com unicaccedilotildees

003 Energia

002 Desporto e Lazer

002 Saneam ento

000 H abitaccedilatildeo

Gestatildeo Am bien ta 015 Ciecircncia e Tecnologia 032

Essencial agrave Ju s ticcedila 034 Leg is la tivo 036

Seguranccedila Puacuteb lica 041 Agricu ltura 061 Transporte 068

A dm in istraccedilatildeo 110 Jud ic iaacute rio 134

Defesa Nacional 177 Trabalho 229

AssistecircnciaS 285 Educaccedilatildeo 299

Sauacutede 407

C A P Iacute T U L O

A DIacuteVIDA PUacuteBLICA BRASILEIRAT odas as naccedilotildees devem garantir vida digna agrave

sua populaccedilatildeo Por isso elas satildeo autorizadas a contrair diacutevidas dentro de determinados limites e condiccedilotildees legais pois nem sempre os recursos arrecadados por meio dos tributos alcanccedilam os montantes suficientes ao atendimento das necesshysidades sociais

Portanto a diacutevida puacuteblica deveria ser um importante instrumento de financiamento do Estado e um meio viabilizador da implementaccedilatildeo de investimentos e poliacuteticas puacuteblicas

Entretanto as auditorias realizadas nos uacuteltimos plusmnanos tecircm demonstrado que o processo de endi-

vidamento foi usurpado pelo sistema financeiro privado ou seja ao inveacutes de aportar recursos ao Estado a diacutevida puacuteblica tem sido utilizada como um mecanismo meramente financeiro que retira recursos puacuteblicos e os transfere principalmente para o setor financeiro privado Eacute o que chamashymos de Sistema da Divida

Para tratar a questatildeo politicamente e de forma democraacutetica devem ser fornecidos os instrumenshytos que possibilitem o plerro conhecimento da realidade financeira do Paiacutes tornando a populashyccedilatildeo capaz de decidir sobre que tipo de alocaccedilatildeo de recursos eacute mais desejaacutevel aos interesses da naccedilatildeo

0 QUE Eacute DIacuteVIDA PUacuteBLICA

A diacutevida puacuteblica abrange empreacutestimos contraiacuteshydos pelo Estado junto a instituiccedilotildees financeishy

ras puacuteblicas ou privadas no mercado financeiro interno ou externo bem como junto a empresas organismos nacionais e internacionais pessoas ou outros governos

A diacutevida puacuteblica federal pode ser formalizada por meio de contratos celebrados entre as partes ou por meio da oferta de tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Teoricamente a diacutevida puacuteblica eacute classificada como diacutevida interna ou diacutevida externa deacordo com a localizaccedilatildeo dos seus credores e com a moeda envolvida nas operaccedilotildees

Historicamente eacute muito importante estudar a evoluccedilatildeo dessas duas diacutevidas de forma separada como faremos nos capiacutetulos seguintes

RiacutePUacuteSUCA FEDfSATIVA DO SRftSJl (3

LETRA DO TESOURO NACIONAL100 00 00000

0 3AHC0 C lraquo TR t 0 0 laquoA $ U

H IacuteK Iraquoi lsquoiacutewhvi laquo raquo Sr raquo dt )gtraquolaquobull iacutej(L tf x

DEZ M IIH Ograve E S OE CRLJZEIRDS j

Poreacutem atualmente diante da ausecircncia de resshytriccedilotildees ao ingresso e saiacuteda de moedas internacioshynais no Brasil por meio do sistema bancaacuterio - o que convencionalmente se chama de liberdade de movimentaccedilatildeo de capitais - esses conceitos precisam ser revistos pois bancos e instituiccedilotildees estrangeiras satildeo credores da diacutevida internardquo da mesma forma que bancos e instituiccedilotildees brasishyleiros podem ser credores da diacutevida externa Aleacutem disso o Brasil tem emitido tiacutetulos da diacutevida externa em reais Tais exemplos demonstram que atualmente a natureza de ambas as diacutevidas- interna e externa - se confunde

Somando-se a chamada diacutevida interna com a externa temos o total da diacutevida puacuteblica brasileira

Em dezembro2011 a diacutevida puacuteblica brasileira alcanccedilou R$ 3 trilhotildees o que corshyresponde a 78 do PIB pois a Diacutevida interna alcanccedilou R$ 25 trilhotildees e a Diacutevida Externa supeshyrou os US$ 400 bilhotildees conforme cifras incluiacutedas no quadro a seguir

Tiacutetulos Puacuteblicos sagraveo obrigaccedilotildees assumidas pelo Estado Haacute muitos anos os tiacutetulos satildeo emitidos unica mente em forma eletrocircnica e natildeo em papel como Ilustra a figura acima

laquo 0 0 I

27a n f v l D a p j B L i c A e m D - li a T c | Caderno de estudos

DIacuteVIDA INTERNA DIacuteVIDA EXTERNA

28Caderno de estudos

Na teoria

Na praacutetica

Diacutevida interna eacute a diacutevida contraiacuteda em moeda nacional junto a residentes no Paiacutes

Grande parte dos tiacutetulos da divida interna brasileira tegravem sido adquiridos por estrangeiros

DIacuteVIDA INTERNA (DEZ2011)RS 253606558601768

(2 TRiLHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586 MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)Fonte Banco Centrai

Divida externa eacute a divida contraida em moeda estrangeira (doacutelar euro iene libra etc) junto a residentes no exterior

Desde 2005 com a desvalorizaccedilatildeo do doacutelar no mercado internacional o Brasil passou a emitir tiacutetulos da diacutevida externa em reaisDIacuteVIDA EXTERNA (DEZ2011)U5$ 40238510282823

(402 BILHOtildeES 385 MILHOtildeES 102 MIL828 DOacuteLARES E 23 CENTAVOS)Fonte Banco Central

No caso da diacutevida interna investidores intershynacionais usufruem os maiores lucros do mundo com as elevadiacutessimas taxas de juros praticadas no Brasil e NAtildeO PAGAM IMPOSTO DE RENDA

Em 2009 os estrangeiros que investiram em tiacutetulos da diacutevida interna brasileira chegaram a lucrar ateacute 50 em um soacute ano (devido agrave soma das altas taxas de juros com a valorizaccedilatildeo do real frente ao doacutelar) sem ter que pagar tributos por isso No mesmo ano o prejuiacutezo do Banco Central do Brasil foi de R$ 147 bilhotildees devido agrave desvalorishyzaccedilatildeo das reservas cambiais compradas com os doacutelares trocados por tiacutetulos da diacutevida interna nas Operaccedilotildees de Mercado Aberto

Constata-se que o processo de endividamenshyto se transformou em um meio de especulaccedilatildeo financeira Considerando que os pagamentos de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida consomem recursos que deveriam destinar-se ao atendishymento das necessidades sociais todo cidadatildeo brasileiro estaacute pagando essa conta e portanto precisa conhecer esse processo

OS NUacuteMEROS DA DIacuteVIDA

A s investigaccedilotildees promovidas pela CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos

Deputados (20092010) revelaram que natildeo haacute a devida transparecircncia nos dados divulgados pelo governo federal em relaccedilatildeo agrave diacutevida puacuteblica tanshyto no que se refere ao seu estoque como em relaccedilatildeo ao fluxo de recursos ou seja o volume de gastos anuais com o pagamento de juros e amortizaccedilotildees dessa diacutevida

Tanto a CPI como a Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm denunciado graves distorccedilotildees na apresentashyccedilatildeo dos dados oficiais

| A D Iacute V I D A P C B L I U A L M D [ B A rsquo pound

CUSTO ANUAL DA DIacuteVIDA ou FLUXO DE RECURSOS

Anualmente o orccedilamento geral da Uniatildeo destina ao pagamento de juros e amortizaccedilotildees da diacutevida puacuteblica a mais relevante parcela dos recursos advindos da arrecadaccedilatildeo tributaacuteria e da contrataccedilatildeo de novas diacutevidas

No ano de 2011 o governo federal destinou 4505 do Orccedilamento Executado para tal servishyccedilo da diacutevida puacuteblica ou seja o montante de R$ 708 bilhotildees conforme dados oficiais publicado no SIAFI - Sistema Integrado de Administraccedilatildeo Financeira do Governo Federal retratado no graacuteshyfico anterior

Por que o governo apresenta valores menores para o custo anual da diacutevida puacuteblica

Considerando que os dados apresentados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida satildeo obtidos unicamente por meio de fontes oficiais explishycaremos a seguir os artifiacutecios que tecircm sido utishylizados pelo governo e setores da miacutedia para aliviar a apresentaccedilatildeo dos nuacutemeros da diacutevida agrave sociedade

Cabe destacar os seguintes artifiacutecios que foram denunciados pela CPI da Diacutevida Puacuteblica

Natildeo satildeo divulgados os juros nominais da divida efetivamente pagos pelo Tesouro Nacional omitindo-se a maior parcela desshyses representada pela atualizaccedilatildeo monetaacuteria medida pelo IGP-M divulgado pela Fundaccedilatildeo Getuacutelio Vargas Divulgam apenas os juros

0 que o governo divulga a tiacutetulo de juros no SIAFI corresponde tatildeo somente agrave parcela dos juros reais ou seja agrave parcela dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M Isso leva a uma grande distorccedilatildeo na compreensatildeo geral do efetivo gasto com a diacutevida puacuteblica em comparaccedilatildeo com todas as demais rubricas orccedilamentaacuterias Enquanto o gasto com juros da diacutevida exclui a atualizaccedilatildeo todas as demais rubricas embutem eventual atualizaccedilatildeo obtida e tal parcela natildeo eacute segregada

reaisrdquo que eacute parte dos juros que supera a inflaccedilatildeo medida pelo IGP-M e que se mostrou muito superior ao IPCA divulgado pelo IBGE nos uacuteltimos 15 anos

Natildeo eacute divulgada a parcela do serviccedilo da diacutevida (juros e amortizaccedilotildees) paga com os recursos obtidos pela emissatildeo e leilatildeo de novos tiacutetulos sob a justificativa de que se trata de mera rola- gem ou refinanciamento

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica constatou e denunciou a contabilizaccedilatildeo irregular que tem considerado como amortizaccedilatildeo da diacutevida a parcela correspondente agrave atualizaccedilatildeo monetaacuteria e que na realidade eacute parte integrante dos juros nominais e natildeo da amortizaccedilatildeo do principal

Qualquer pessoa que jaacute assumiu alguma diacutevida sabe que a atualizaccedilatildeo monetaacuteria eacute parte integranshyte da remuneraccedilatildeo ou seja dos juros nominais

Diante disso para se obter o valor efetivo do gasto anuat com a diacutevida haacute que se incluir tamshybeacutem o valor que tem sido informado como mera rolagem ou refinanciamento pois nessa rubrica

estaacute incluiacuteda grande parte dos juros da diacutevidaEm 2011 o gasto total com a diacutevida puacuteblishy

ca brasileira somou R$ 708 bilhotildees conforme demonstramos

Outra razatildeo fundamental para computar a atualizaccedilatildeo monetaacuteria como remuneraccedilatildeo da divida estaacute relacionada com a utilizaccedilatildeo de um mesmo criteacuterio para a apresentaccedilatildeo dos dados do orccedilamento executado

Se natildeo for computada a atualizaccedilatildeo monetaacuteria (que eacute parte dos juros nominais) como gastos com a diacutevida puacuteblica haveraacute uma completa distorccedilatildeo na comparaccedilatildeo entre os gastos com a diacutevida e todos os demais gastos orccedilamentaacuterios

Isso porque todas as demais rubricas represhysentadas no orccedilamento - gastos com pessoal previdecircncia serviccedilos de sauacutede educaccedilatildeo etc - englobam a respectiva atualizaccedilatildeo monetaacuteria ou seja quando se obteacutem alguma reposiccedilatildeo infla- cionaacuteria nos salaacuterios dos servidores no vaiacuteor das aposentadorias ou em benefiacutecios sociais e outros serviccedilos puacuteblicos tal reposiccedilatildeo compotildee o valor de tal gasto refletido no Orccedilamento da Uniatildeo

Diante disso para que haja uma compatibishylidade entre todas as rubricas orccedilamentaacuterias o gasto efetivo da diacutevida que deveria constar no orccedilamento seria o valor dos juros nominais e natildeo somente os juros reaisrdquo (que superam a inflaccedilatildeo como tem constado de estatiacutesticas oficiais

ESTOQUE DA DIacuteVIDAO estoque da Diacutevida Interna alcanccedilou em

dezembro2011 o valor de R$ 253606558601768 (2 TRILHOtildeES 536 BILHOtildeES 65 MILHOtildeES 586

MIL 17 REAIS E 68 CENTAVOS)30 estoque da Diacutevida Externa alcanccedilou na

mesma dataUS$ 40238510282823 ou seja mais de 402 BILHOtildeES de doacutelares que

corresponde a cerca de R$ 692 bilhotildees consideshyrando-se a taxa de conversatildeo de R$ 1724

Portanto em dezembro2011 o estoque da diacutevida brasileira alcanccedilou

R$ 322816796288224 (3 TRILHOtildeES 228 BILHOtildeES 167 MILHOtildeES 962 MIL 882 REAIS E 24 CENTAVOS) que corresponde a 78 do P)B

3 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNota6conNI201201pfp iacuteipgt - Quadro 354 Fonte lthttpwwwbcbgovbrftpNataEconNI20120l5ep zipgt - Quadros 51 e51 A

23A D I V i D A P Uacute B L I C A LM D E B A E Caderno de estudos

30Caderno de estudos

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais desta camos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida LiacutequidaComparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequiacutedaPIB

Exclusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liquida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico peias seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais) mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Aiacute estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aleacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos 0 acuacutemulo elevado de reservas inter nacionais tem provocado enorme custo ao Pais devido a essa disparidade de rendimentos

0 termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a diacutevida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequidardquo tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

| A D V I D A P Uacute B L I C A E V Q Iacute E A T L

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de priva- tizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

O governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo otildenus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros altiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequida com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPlB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequida Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paises praticam taxas muitas vezes menores5 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwhra5ileconomicocombrpagjnastaxas -de-juros_81htmlgt

Por que o governo apresenta valores de estoque bem menores tanto para a Diacutevida Interna quanto para a Diacutevida Externa

Em primeiro lugar eacute importante deixar claro que para fazer isto governo e setores da miacutedia utilizam diversos artifiacutecios dentre os quais destashycamos os seguintes explicados a seguir

Diacutevida Liacutequida

Comparaccedilatildeo Diacutevida LiacutequidaPIB

Exciusatildeo de Diacutevida Externa privada

DIacuteVIDA LIacuteQUIDA

A apresentaccedilatildeo do estoque da diacutevida por meio da chamada Diacutevida Liacutequida distorce o vershy

dadeiro estoque da diacutevida puacuteblica sobre o qual incidiratildeo os juros e os caacutelculos para amortizaccedilotildees

Tal conceito sequer possui sentido loacutegico pelas seguintes razotildees

Para obter a chamada diacutevida liacutequida o governo desconta creacuteditos que tem a receber (tais como as reservas internacionais mas natildeo considera as demais obrigaccedilotildees a pagar como o Passivo Externo por exemplo Ai estaacute a primeira grande distorccedilatildeo

Aieacutem disso enquanto os tiacutetulos da diacutevida brashysileira pagam as taxas de juros mais elevadas do mundo as reservas internacionais (aplicashydas em sua maioria em tiacutetulos da divida norte- -americana) natildeo rendem quase nada ao Tesouro Nacional Aiacute estaacute outra grande distorccedilatildeo subshytrair parcelas que possuem custos totalmente distintos O acuacutemulo elevado de reservas intershynacionais tem provocado enorme custo ao Paiacutes devido a essa disparidade de rendimentos

O termo Diacutevida Liacutequida eacute uma definiccedilatildeo esdruacutexula utilizada apenas no Brasil pois os juros nominais efetivamente pagos satildeo calcushylados e pagos sobre a diacutevida bruta e natildeo sobre a liacutequida Adicionalmente as amortizaccedilotildees tecircm sido feitas sobre a divida bruta e natildeo liacutequida

A utilizaccedilatildeo do termo diacutevida liacutequida tem trashyzido grande confusatildeo e ilusatildeo a muitos setores tendo em vista que o mesmo encobre grande parte da diacutevida efetiva que estaacute sendo paga por todos noacutes de vaacuterias formas com elevada carga trishybutaacuteria ausecircncia de serviccedilos puacuteblicos de qualidashyde cortes de gastos sociais negativas a reajustes

30Caderno de estudos 1 A DIacute V I DA r C S L CA f m D E B A T E

salariais decentes negativa de aumento para o salaacuterio miacutenimo e remuneraccedilatildeo de aposentados perda de patrimoacutenio puacuteblico por meio de privashytizaccedilotildees perda de direitos devido agrave imposiccedilatildeo de sucessivas reformas neoliberais desrespeito aos direitos humanos e agrave soberania nacional etc

0 governo tem continuamente comemorado que a diacutevida liacutequida teria caiacutedo de 60 do PIB na Era FHC para cerca de 40 atualmente Tal proshyporccedilatildeo se deve ao enorme crescimento das reservas internacionais agraves custas de tremendo ocircnus ao Paiacutes e prejuiacutezos ao Banco Central (que satildeo arcados pelo Tesouro Nacional ou seja por todos noacutes)

Em portuguecircs bem simples o que o governo tem feito nos uacuteltimos anos eacute semelhante a uma pessoa entrar no cheque especial (pagando juros aftiacutessimos) para depositar na poupanccedila (ganhanshydo juros baixos) e ainda dizer que sua diacutevida liacutequida natildeo aumentou

COMPARACcedilAtildeO DIacuteVIDA LIacuteQUIDAPIB

A primeira distorccedilatildeo ocorre devido agrave comparashyccedilatildeo da diacutevida liacutequidardquo com o PIB pelas messhy

mas razotildees antes explicadas A comparaccedilatildeo com dados de diacutevidaPIB de outros paiacuteses pode levar a conclusotildees erroacuteneas tendo em vista que somente o Brasil utiliza o criteacuterio de diacutevida liacutequidardquo Aleacutem disso o governo brasileiro pratica as taxas de juros mais elevadas do mundo (atualmente a taxa baacutesica estaacute em 8 ao ano mas os tiacutetulos estatildeo sendo venshydidos a taxas superiores a esta principalmente no caso de tiacutetulos preacute-fixados ou vinculados a iacutendice de preccedilos) enquanto outros paiacuteses praticam taxas muitas vezes menores1 Estados Unidos da Ameacuterica do Norte (025) Japatildeo (01) Inglaterra (05) Cabe comentar tambeacutem que recentemente a Alemanha conseguiu emitir tiacutetulos a juros negativos5 Fonte lthttpwwwbrasileconomicocom brpagmast5yas- -de-juros_81htmtgt

EXCLUSAtildeO DA PARCELA REFERENTE Agrave DIacuteVIDA EXTERNA PRIVADA

0 estoque da diacutevida externa jaacute atingiu US$ 402 bilhotildees6e indui a diacutevida externa privada

pois a mesma envolve uma obrigaccedilatildeo do Estado O governo costuma divulgar um montante

bem menor de diacutevida externa A partir de 2001 a pretexto de adotar metodologia recomendada pelo FMI os dados da diacutevida externa passaram a ser divulgados sem os chamados empreacutestimos intercompanhias ou seja os empreacutestimos devishydos por multinacionais a suas matrizes no exterior

Dessa forma o dado divulgado pelo governo ao puacuteblico exclui parte da diacutevida externa contraiacuteda pelo setor privado ou seja devida por empresas e instituiccedilotildees do setor privado e natildeo pelo Estado

Cabe ressaltar inicialmente que apesar de parte da diacutevida externa ter sido de fato contrashyiacuteda por instituiccedilotildees do setor privado eacute o Estado o responsaacutevel por fornecer a moeda estrangeira para os devedores privados pagarem suas diacutevishydas ao exterior Para obter essa moeda estranshygeira o Estado se submete agrave adoccedilatildeo de poliacuteticas nocivas a fim de atrair capitais ao Paiacutes tais como altas taxas de juros acordos com o FMI (cujas imposiccedilotildees continuam presentes) e total libershydade de movimentaccedilatildeo de capitais financeiros Essas medidas afetam toda a economia do Paiacutes

Adicionalmente as investigaccedilotildees tecircm revelado que nas uacuteltimas deacutecadas diacutevidas do setor privado foram reiteradas vezes transferidas para o setor puacuteblico Por isso entendemos que deve ser comshyputado no montante da diacutevida externa tanto as diacutevidas contraiacutedas peio setor puacuteblico como pelo setor privado

AUSEcircNCIA DE TRANSPAREcircNCIA

A s divergecircncias na apresentaccedilatildeo tanto do estoque como do fluxo de gastos com a diacutevishy

da demonstram que natildeo tem sido devidamente respeitado o princiacutepio da TRANSPAREcircNCIA que deve reger todo ato do setor puacuteblico

Por isso a sociedade brasileira que paga essa elevada conta da diacutevida puacuteblica deve exigir mais

6 Verquadro5S1 e 51-Ada planilha do Banco Central disponiacuteveis no link lthttpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201112sepzipgt

transparecircncia dos dados relacionados ao endivishydamento puacuteblico brasileiro pois este tem absorshyvido a maior parte dos recursos orccedilamentaacuterios sacrificando toda a populaccedilatildeo e comprometen do o futuro do Paiacutes

A transparecircncia eacute um princiacutepio consagrado na Constituiccedilatildeo Federal e a Lei de Responsabilidade Fiscal determina que todas as despesas e receitas da gestatildeo fiscal sejam publicadas de forma transshyparente e com amplo acesso puacuteblico

Portanto eacute nosso DIREITO ter acesso a todas as informaccedilotildees relacionadas com o endividamento puacuteblico

Como vimos a diacutevida brasileira jaacute supera os R$ 3 TRILHOtildeES e consome quase a metade dos recursos do Orccedilamento da Uniatildeo

COMO CHEGAMOS A ESTE PONTOA recente CPI da diacutevida Puacuteblica jogou luzes sobre este processo

A Diacutevida Puacuteblica Brasileira cresceu em decorshyrecircncia de mecanismos meramente finanshy

ceiros sem contrapartida em bens e serviccedilos ao Paiacutes e tambeacutem em decorrecircncia de operaccedilotildees obscuras

A histoacuteria da diacutevida tem sido uma verdadeira caixa preta

A Auditoria Cidadatilde da Diacutevida e entidades da sociedade civil participaram ativamente da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) da Diacutevida Puacuteblica e tiveram acesso a documentos que comeccedilam a jogar luzes sobre nossa histoacuteriaAgora as investigaccedilotildees devem ser aprofundadas pelo Ministeacuterio Puacuteblico

A CPI da Diacutevida foi uma iniciativa do Deputado Federal Ivan Valente (PSOL-SP) e funcionou de agosto de 2009 a maio de 2010 A coordenadoshyra da Auditoria Cidadatilde da Diacutevida - Maria Lucia Fattorelli - foi requisitada para assessorar tecnishycamente a CPI devido agrave experiecircncia adquirida durante a auditoria oficial da diacutevida do Equador trabalho para o qual tambeacutem foi designada cujo relatoacuterio embasou ato soberano do Presidente Rafael Correa que anulou 70 da diacutevida externa equatoriana em tiacutetulos possibilitando aumento de investimentos sociais principalmente em sauacutede e educaccedilatildeo novas rodovias e o resgate da cidadania

31A 0 v I C A P Uacute B I C A E W 3 E S A T F | Caderno de estudos

No Brasil a CPI tambeacutem indicou documentos e provas de ilegalidade e ilegitimidade tanto da divida externa como da diacutevida interna como veremos a seguir Um dos mais importantes instrumentos

de investigaccedilatildeo por parte do Congresso Naciona eacute a Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito (CPI) a qual tem forccedila investi- gativa proacutepria de autoridades judiciais

O QUE Eacute CPI

Nos capiacutetulos seguintes apresentaremos um breve histoacuterico da diacutevida externa a partir dos anos1970 e da diacutevida interna a partir do Plano Real em 1995 ambas ateacute os dias atuais Esses marcos iniciais foram os periacuteodos estabelecidos tambeacutem pela recente CPI da Diacutevida Puacuteblica

A D IacuteV IacuteD A tem im p e d id o a v id a d ig na e o a te n d im e n to aos d ire ito s h um an os

bull De onde veio essa diacutevida

bull Quanto tomamos emprestado e quanto jaacute pagamos

bull O que realmente devemos

Quem contraiu empreacutestimos

bull Onde foram aplicados os recursos

bull Quem se beneficiou

Qual a responsabilidade dos credores e organismos internacionais nesse processo

ldquoA vida sem luta eacute um mar morto no centro do organismo universal

M A C H A D O D E A S S I S

32Caderno de estudos | A d iacute v i d a p uacute b l i c a E m D E b a t F

C A P Iacute T U L O

DIVIDA EXTERNAA recente CPi da Diacutevida Puacuteblica realizada na

Cacircmara dos Deputados (20092010) teve acesso a documentos relacionados ao processhysos de endividamento externo desde 1970 Apesar das limitaccedilotildees da CPI as investigaccedilotildees revelaram importantes fatos que reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa audishytoria dessa diacutevida

O periacuteodo coincide com o fim da paridade doacutelar-ouro nos Estados Unidos anunciada em1971 o que permitiu a emissatildeo de grandes volushymes de doacutelares que foram entregues ao sistema bancaacuterio e por meio deste ofertados sob a forshyma de empreacutestimos que apresentavam taxas de juros aparentemente reduzidas de 5 a 6 ao ano devido ao excesso de moeda

Diacutevida Externa (US$ bilhotildees)

- r N m ^ m 0 M raquo Iacute J O - ( N r 0 ^ ^ v D N C 0 a O - f N n n T r i n 0 M X 3 0 O gt - r N f n r f lsquo i n 0 N C Ocirc 0 O f r s N N N N r s N r s r ^ c o c c c o a o c o c o c o a o o o o o o a rsquogt lt ^ lt T lt a G gt o gt C gt lt ^ lt ^ o o o o o o o o o O mdash r ~raquomdash i-rgpjrsoifSiNfNfSfMlNfN^

Fonte httpwwwbcbgQvbrftpNotaEconNI20l201sepzip - Quadros 51 e 51-A

DECADA DE 1970

A CPI comprovou que a diacutevida externa atua se originou na deacutecada de 1970 em plena ditashy

dura militar periacuteodo em que comeccedilou a crescer aceleradamente

0 primeiro aspecto da diacutevida externa brasileishyra a ser ressaltado eacute a contrataccedilatildeo por atos de governos ilegiacutetimos de vultosos compromissos natildeo transparentes

Essas taxas de juros eram flutuantes e variavam de acordo com as taxas de juros internacionais (Prime e Libor) que vinham de longo periacuteodo em que se mantinham baixas Aleacutem das taxas de juros os bancos cobravam outras taxas onerosas de compromisso de contrataccedilatildeo de agente de creacutedito enfim uma infinidade de taxas

Havia tambeacutem forte componente de diacutevidas contratadas pelo setor privado que utilizava o

3 3a d iacute v i d a P Uacute B L I C A EM D r R A T E I Caderro de estudos

endividamento como forma de especulaccedilatildeo financeira O setor privado que tinha acesso a creacuteditos externos no iniacutecio da deacutecada de 1970 era composto principalmente por bancos e empresas privadas inclusive multinacionais e estrangeiras instaladas no Paiacutes

Tanto o setor privado como o setor puacuteblico tomaram empreacutestimos externos junto a grandes bancos privados internacionais devido agrave grande oferta de creacuteditos com taxas baixas vinculadas agraves taxas de juros internacionais (Prime e Libor) Essas taxas eram controladas pelos proacuteprios bancos credores que compunham o FED (Federal

Reserve Bank Banco Central Norte-americano que eacute totalmente privado controlava a Prime) e a Associaccedilatildeo de Bancos Privados de Londres (que determinava a Libor) A partir de 1979 essas taxas saltaram de 5 ou 6 ao ano para 205

O graacutefico a seguir mostra o comportamento idecircnshytico das duas taxas demonstrando a conexatildeo entre os bancos privados internacionais que as ditavam

Sob pressatildeo diante da crise em 1982 surge o FMI exigindo que o Banco Central realizasse acordos com os bancos privados internacionais por meio dos quais assumiu tanto a diacutevida externa puacuteblica como tambeacutem a diacutevida externa privada Ao messhymo tempo houve forte pressatildeo dos credores que faziam parte da instituiccedilatildeo informal denominada Club de Paris para que o Brasil firmasse o tal acordo com a banca privada internacional Essa pressatildeo conjunta e articulada de credores configura clashyramente a ausecircncia de equiliacutebrio entre as partes

A CPI da Diacutevida denunciou que agrave eacutepoca da assinatura dos acordos com os bancos privados em 1983 a legislaccedilatildeo natildeo permitia consolidaccedilotildees e refinanciamentos de creacuteditos externos Aleacutem disso tais acordos continham inuacutemeras claacuteusulas ilegais e abusivas que natildeo chegaram a ser apro vadas pelo Congresso Nacional

Haacute fortes indiacutecios de nulidade nessa transfeshyrecircncia de diacutevida para o Banco Central que na deacutecada seguinte em 1994 foi transformada nos

Taxas de Juros - Libor e Prime25000

0000rmdash 3-o p laquomdash r i

r-o rOv

oo

o

o

pO

OcShvO

p00

O Ornoo 3-oo

CTS

OCO

CCOo

DEacuteCADA DE 1980

A elevaccedilatildeo brutal das taxas de juros internashycionais Prime e Libor impactou seriamente

os compromissos externos antes assumidos e a diacutevida se multiplicou provocando uma grande crise a partir de 1982

3 4Caderno de estudos I a d v i d a h j B i i c a e m D E B A T E

denominados bocircnus Brady tiacutetulos que depois serviram como moeda para comprar as empreshysas estrateacutegicas e lucrativas submetidas ao proshycesso de privatizaccedilatildeo a partir de 1996

A interferecircncia direta do FMI em assuntos intershynos do Paiacutes desde 1983 exigiu a implantaccedilatildeo de

medidas nefastas agrave economia brasileira Tal fato aliado a onerosas condiccedilotildees dos acordos da diacutevida externa que transferiram o ocircnus de diacutevidas puacuteblishycas e privadas a cargo do Banco Central agravashyram ainda mais a situaccedilatildeo do endividamento brasileiro e paralisaram o Paiacutes Por isso a deacutecada de 1980 ficou conhecida como deacutecada perdida

CAacuteLCULO DO IMPACTO PROVOCADO PELA ELEVACcedilAtildeO UNILATERAL DAS TAXAS DE JUROS

O impacto da elevaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais sobre a evoluccedilatildeo da

diacutevida externa brasileira foi impressionante como retrata o graacutefico a seguir

de US$ 223 bilhotildees cujo ressarcimento deve ser exigido pelo Brasil

INTERFEREcircNCIA DO FMI

Desde o primeiro acordo do Brasil com o FMI em 1983 esse organismo passou a exercer nefasta interferecircncia em assuntos internos do

Paiacutes agindo sempre em defesa dos bancos prishyvados internacionais

O poder do FMI no Paiacutes era impressionanshyte determinando o caminho a ser trilhado por nossa economia exigindo privatizaccedilotildees impondo draacutesticos ajustes fiscais que impedishyram investimentos e representaram imensos cortes nos gastos sociais suprimindo-se direitos

Diacutevida Externa Total (Puacuteblica e Privada) - US$ bilhotildees

Fonte Nota Teacutecnica DEPEC - 200924S Dados disponiacuteveis no Anexo II agrave Anaacutelise Prefiminar N2 5 da CPI da Diacutevida Puacuteblica

A linha azul do graacutefico acima mostra o impacshyto da alta unilateral e ilegal das taxas de juros nternacionais pelos bancos credores dos Estados Unidos e da Inglaterra a partir de 1979

A linha vermelha pontilhada demonstra a evo- jccedilatildeo da diacutevida externa brasileira caso os juros ivessem sido mantidos em 6 ao ano Constata-se que os pagamentos realizados no periacuteodo teriam sido suficientes para pagar toda a diacutevida externa e o Brasil ainda teria valores a serem ressarcidos

Esses caacutelculos indicaram um dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico calculado agrave eacutepoca da CPI de cerca

sociais baacutesicos agravando-se o desemprego e a miseacuteria

Devido agrave grande influecircncia do FMI consolidou- -se a crenccedila popular generalizada de que aqueshyle organismo seria o principal credor da diacutevida externa brasileira

A CPI provou que os credores privilegiados de sempre eram na realidade os grandes bancos privados internacionais como indica a aacuterea em vermelho no graacutefico a seguir A parcela da diacutevida externa com o FMI correspondia agrave linha verde do mesmo graacutefico

ft D i V I A D 8 L I S A EM D Z B

3 5Caderno de estudos

Diacutevida Externa Registrada no Banco Centrai - US$ bilhotildees - 1969 a 1994140

120

100

80

60

40

20

O ^ O i mdash r 4 r i 3 - in i1o r - o o c j copy mdash r N n n ^ - i n v O r x o O t T ^ O raquo mdash rvjco^j- gt C ) r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ r ^ - f ^ - r - r ^ i - ^ c c c o c o c o c o o o c o c o c x D c 3 0 c r C T raquo c j N Ov ogtO CTt CJn CT CTgt G ltTraquo O1 CT lt7 OS O CT O Q (J J Otilde QN ltJ Q Otildegt

Fonte Relatoacuterios Anuais do Sanco Central disportibilizados aacute CPI da Diacutevid3Nota Os ldquoEmpreacutestimos em Moeda indicados em vermelho ntgt graacutefica correspondem aos empreacutestimos junto a bancos comerciais sendo que a maioria corresponde a bancos privados internacionais

Interessante observar que a crise financeira

de 1982 foi provocada pelos grandes bancos

privados internacionais que promoveram a eleshy

vaccedilatildeo unilateral das taxas de juros internacionais (Libor e Prime) sendo que alguns anos antes

eles mesmos haviam seduzido os paiacuteses latino-

-americanos mediante a oferta de empreacutestimos

aparentemente baratos A crise financeira abriu caminho para a atuaccedilatildeo do FM impondo draacutestishy

cos ajustes fiscais que geraram sacrifiacutecios sociais

cortes de direitos privatizaccedilotildees etc

Eacute importante estabelecer um paralelo entre

esses fatos histoacutericos e a atual crise financeira

deflagrada em 2008 nos EUA e Europa que

tambeacutem foi provocada por atitudes dos grandes

bancos privados internacionais Eles emitiram

grande quantidade de derivativos sem lastro e

corriam risco de quebra tendo sido salvos pelas

naccedilotildees do Norte que logo em seguida se viram

em profunda crise Instalada a crise novamente

surge o FM agora na Europa impondo poliacuteticas

idecircnticas as que foram impostas agrave Ameacuterica Latina

na deacutecada de 1980

ESFORCcedilOS DE INVESTIGACcedilAtildeO DA DIacuteVIDA EXTERNA NA DEacuteCADA DE 1980

A crise da diacutevida externa vivida na deacutecada de 1980 foi tatildeo grave que diversas comissotildees

parlamentares dedicaram importantes esforccedilos no sentido de investigar as reais razotildees da crise e do espantoso crescimento da diacutevida externa brasileira

A primeira tarefa teacutecnica realizada a fim de assessorar a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica na Cacircmara dos Deputados consistiu em resgatar os relatoacuterios das referidas comissotildees anteriores pois suas apuraccedilotildees devem ser conhecidas natildeo soacute pelos parlamentares mas por todos os brasileiros conforme resumo a seguir

COMISSAtildeO PARLAMENTAR DE INQUEacuteRITO-CAcircMARA DOS DEPUTADOS1983

No ano de 1984 foi aprovado o relatoacuterio final da Comissatildeo Parlamentar de Inqueacuterito reashylizada na Cacircmara dos Deputados O documento

apontou graves indiacutecios de irregularidades ilegashylidades aleacutem dos previsiacuteveis e graves riscos que

36Caderno de estudos I A D IV r D A deg uacute 6 _ i C A EM U E R A r iacute

Comissatildeo Parlamentares e Resultado

CPI da Cacircmara dos Deputados destinada a apurar as causas Presidente Dep Alencar Furtadoe consequecircncias da divida brasileira e o Acordo com o FMI Relator Dep Sebastiatildeo Ne ryInstituiacuteda pelo Requerimento Ndeg 883 Instalada em 16081983 Relatoacuterio Final aprovado em setembro de 1984

Comissatildeo Especial do Senado Federal para a Diacutevida Externa destinada a ldquoexaminar a questatildeo da divida externa brasileira e avaliar

as razotildees que levaram o Governo a stspendero pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno Instituiacuteda pelo Requerimento ns 17 de 1987 Instalada em 14041987

Comissatildeo Mista destinada ldquoao exame analitico epericial dos atos e

fatos geradores do endividamento brasileiro para cumprir a missatildeo

constitucional -Ari 26 do Ato das Disposiccedilotildees Constitucionais

Transitoacuterias Instalada em 11041989

Presidente Senador Carlos ChiarelliacuteRelator Senador Fernando Henrique CardosoRelatoacuterio Final aprovado em 23 de agosto de 1989

Presidente Dep Waideck OrneiasRelator Senador Severo GomesRelatoacuterio Parcial aprovado em 9 de agosto de 19B9

Relator Dep Luiz SalomatildeoParecer Final apreciado em 5 de setembro de 1989NAtildeO VOTADO

ps contratos de endividamento externo represenshytavam para a soberania nacional Adicionalmente histoacuterico relatoacuterio final de autoria do Deputado ederal Sebastiatildeo Nery (PDT-RJ) evidenciou a oratica dos seguintes crimes

Violaccedilatildeo da competecircncia exclusiva do Congresso Nacional para ratificar ou rejeitar convenccedilotildees e atos internacionais praticados pelo Presidente da Repuacuteblica

bull Crime de responsabilidade contra a guarda e legal emprego de dinheiro puacuteblico (realizaccedilatildeo de despesas e contraccedilatildeo de empreacutestimos sem autorizaccedilatildeo legal)

diams Crime de responsabilidade contra a existecircncia da Uniatildeo cometido peio Presidente da Repuacuteblica e por ministros de Estado por violaccedilatildeo da vedashyccedilatildeo constitucional agrave celebraccedilatildeo de tratados que comprometam a dignidade da naccedilatildeo

1 Desrespeito aos princiacutepios constitucionais impliacuteshycitos da inalienabiiidade imprescritibilidade e impenhorabiiacuteidade do patrimoacutenio puacuteblico

Crime de responsabilidade contra a seguranccedila interna do Pais ao admitir a daccedilatildeo de bens do patrimoacutenio puacuteblico em garantia antecipada

bull Abdicaccedilatildeo da soberania nacional em favor das orientaccedilotildees do Fundo Monetaacuterio Internacional

Apesar dessas graves conclusotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi levada a cabo

COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL1987

Em 1987 o Senado Federal instalou a Comissatildeo Especial para a Diacutevida Externa destinada a

examinara questatildeo da diacutevida externa brasileira e avaliar as razotildees que levaram o governo a susshypender o pagamento dos encargos financeiros dela decorrentes nos planos externo e interno

O relator foi o entatildeo senador Fernando Henrique Cardoso (PMDB-SP) que em seu relashytoacuterio reiterou a necessidade de enfrentamento do problema do endividamento externo tendo em vista as graves irregularidades verificadas dentre as quais destacamos praacutetica do anato- cismo alta unilateral de juros corresponsabili- dade dos credores ilegalidades na negociaccedilatildeo da diacutevida falta de transparecircncia negociaccedilotildees sigilosas interferecircncia direta do FMI articushylaccedilatildeo de credores (FMI Club de Paris Comiteacute Assessor dos Bancos Privados) elevados custos sociais da diacutevida externa existecircncia de custos injustificaacuteveis estatizaccedilatildeo de diacutevidas privadas exportaccedilatildeo de capitais nacionais utilizaccedilatildeo deliberada de empresas estatais para obtenshyccedilatildeo de empreacutestimos no exterior desequiliacutebrio contratual das partes negociantes pulverizaccedilatildeo de credores e dificuldade de controle por parte do Banco Centrai comprovaccedilatildeo do reduzido do valor da diacutevida no mercado secundaacuterio o que natildeo foi levado em conta nas negociaccedilotildees entre outras

3 7n V I DA P J B L l C A CM D t E A T F | Caderno de estudos

Cade

Cabe ressaltar trecho do relatoacuterio apresentado por FHC que daacute notiacutecia sobre a poleacutemica negociashyccedilatildeo da diacutevida externa que envolveu dezenas de bilhotildees de doacutelares - cerca de US$ 60 bilhotildees - e que foi a base para a transformaccedilatildeo da diacutevida externa contratual em bocircnus Brady em 1994

O ACORDO PLURIANUAL DE 1988

No dia 6 de junho de 1988 quando a gestatildeo

Mailson da Noacutebrega mal tinha completado 6

meses o governo brasileiro assinou o Term

Sheet do acordo provisoacuterio de renegociaccedilatildeo

da diacutevida externa Ao mesmo tempo em

que o protocolo da negociaccedilatildeo era mantishy

do em absoluto o governo fazia publicar

uma Nota Oficial de tom autocongratula- toacuterio descrevendo a renegociaccedilatildeo preliminarshy

mente concluiacuteda como a melhor jaacute obtida por

um paiacutes devedor

Diante da insistente recusa das autoridashy

des oficiais o Presidente da Comissatildeo

teve de recorrer a contatos no exterior

para obter as informaccedilotildees que lhe eram

sonegadas dentro do Paiacutes O Term Sheet

chegaria agraves matildeos do Senador Carlos Chiarelli

por canais extraofidais no iniacutecio de julho Os

documentos oficiais foram entatildeo submetishy

dos a uma anaacutelise teacutecnica que constatou

estarem sendo incompletas imprecisas e

exageradamente otimistas as apreciaccedilotildees

sobre o acordo publicadas na Nota Oficial

Foram encontrados erros e omissotildees relashy

cionados aos seguintes toacutepicos do acordo

()

Como conclusatildeo pode-se dizer que os frutos

da negociaccedilatildeo dita realista e profissional

conduzida pelo Ministro Mailson da Noacutebrega

foi um dos mais draconianos acordos de

renegociaccedilatildeo jaacute realizados por uma naccedilatildeo

devedora nesta deacutecada Como evidecircncia

das distorccedilotildees do acordo podem ser citados

os lucros recordes auferidos pelos grandes

bancos em 1988 que segundo estimatishy

vas divulgadas pelo Wall Street Journal

teriam atingido a fantaacutestica cifra de US$

16 bilhaacuteo soacute com o acordo da divida brashysileira Quanto ao paiacutes devedor durante

os poucos meses em que o governo Sarney

consegui j cumprir parcialmente as sufocantes

disposiccedilotildees contratuais do acordo a econoshymia mergulhou em recessatildeo acompanhashy

da da maior inflaccedilatildeo de sua histoacuteria O

acordo de reescalonamento de 1988 previsto

para abranger um periacuteodo de sete anos na

praacutetica concedera menos do que um ano de

focirclego agrave economia brasileira Decorridos quashy

tro meses da assinatura o Ministro Mailson jaacute

admitia oficialmente a necessidade de contrair

empreacutestimos adicionais e suspender o relen-

ding rsquo e a conversatildeo Decorridos 9 meses o

Brasil voltava a atrasar os pagamentos da

divida externa entrando novamente em

moratoacuteria (Paacutegina 166)

Diversos autores mencionam que a referida negociaccedilatildeo teria ocorrido em 23091988 mas a recente CPI da Diacutevida Puacuteblica realizada na Cacircmara dos Deputados teve acesso a documenshytos que comprovam que tal negociaccedilatildeo teria se concluiacutedo somente em 1989 portanto apoacutes a promulgaccedilatildeo da Constituiccedilatildeo Federal

Outros trechos do Relatoacuterio apresentado por FHC tambeacutem merecem destaque

TRECHOS DO RELATOacuteRIO FINAL DA COMISSAtildeO ESPECIAL DO SENADO FEDERAL (1987)

RELATOR SEN FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Como os deacutebitos externos brasileiros haviam sido contratados basicamente a taxas de juros flutuanshytes o choque dos ju ros provocou uma el evaccedilatildeo da diacutevida sem contrapartida real de bens e serviccedilos A partir desse momento a diacutevida externa brasileira assume um caraacuteter eminentemente financeiro os novos empreacutestimos na verdade sacirco obtidos para rolar em grande medida e a niacutevel agregado os juros e as amortizaccedilotildees

lsquoA partir de 1983 a questatildeo da divida adquire nova dimensatildeo Segundo a Programaccedilatildeo do 5etor Externo PSE) submetida pelo Brasil aos banqueiros em Nova York em dezembro de 1982 a economia brasileira eacute direcionada para a obtenccedilatildeo de US$6 bilhotildees de superaacutevit comercial com uma previshysatildeo de deacuteficit em transaccedilotildees correntes de US$65 bilhotildees Como os juros dos deacutebitos externos previsshytos para 1983 estavam na casa dos US$10 bilhotildees fica daro que a partir desse momento o Brasii marchava para a chamada ldquotransferecircncia liacutequida de

38^arjprnn de estudos | A D v I 0 a P Uacute B L I C A F V D E = a t e

recursos reais para O exterior com o fim especiacutefico de servir aos credores externos

Do ponto de vista dos credores o Brasil teve um excelente desempenho dos US$6 bilhotildees de supeshyraacutevit comercial de 1983 passou a US$13 bilhotildees em 1984 e dessa forma cobriu os juros devidos Internamente poreacutem a recessatildeo foi profunda e com custos sociais elevadiacutessimos estima-se que cerca de 5 milhotildees de trabalhadores do setor formal foram lanccedilados no desemprego Foi seguramente a recessatildeo mais violenta da economia brasileira

A situaccedilatildeo que ora vivemos - arrocho salarial direto dos trabalhadores no setor puacuteblico e indi- reto de toda a forccedila de trabalho (via eliminaccedilatildeo do subsiacutedio do trigo por exemplo sem qualquer poliacutetica de renda compensatoacuteria) submissatildeo da poliacutetica econoacutemica agraves regras e monitoramento do FMI acomodaccedilatildeo aos interesses dos grandes bancos internacionais etc - natildeo passa de uma encenaccedilatildeo da inequiacutevoca demonstraccedilatildeo da falta de governo no Paiacutes Natildeo eacute a toa que os banqueishyros acenaram com o possiacutevel reescalonamento do principal da diacutevida para 20 anos 8 de carecircncia etc mas no essencial - refinanciamento de juros taxas de juros spread descontos monitoramento etc- natildeo cederam um miliacutemetro e se fixaram nos refishynanciamentos de parcela dos iuros (50) apenas para este ano (1987 foi o ano da moratoacuteria e o juro teraacute que ser refinanciado de fato pois o Pais natildeo tem caixa para pagaacute-lo) Em suma o horizonte em todas as frentes sobre o Paiacutes (aqui e no exterior) natildeo passa de 1988 eacute o sinal do limite

Registra-se a preocupaccedilatildeo de muitos dos Senadores com a questatildeo da legitimidadeda divida- posto que os contratos satildeo leoninos e foram feitos agrave revelia do Congresso Nacional - e com a questatildeo da jurisdiccedilatildeo

Os tiacutetulos da diacutevida dos paiacuteses passam a ser negociados com um desaacutegio crescente no chashymado mercado secundaacuterio sinalizando que parshycela da divida natildeo teria condiccedilotildees de ser pagaOs bancos aumentam suas reservas antecipando possiacuteveis ltperdasgtrsquorsquo

Embora o relator tenha ocupado a Presidecircncia da Repuacuteblica do Brasil durante dois mandatos- oito anos portanto nenhuma das irregu- laridades apontadas em seu relatoacuterio quando senador chegou a ser enfrentada Pelo contraacuterio o endividamento puacuteblico tanto interno quanto externo agravou-se apesar da privatizaccedilatildeo de cerca de 70 do patrimoacutenio puacuteblico nacional sob a justificativa de pagar a diacutevida

Constituiccedilatildeo Federal

A Constituiccedilatildeo de 1988 inseriu a previsatildeo de realishyzaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externaConstituiccedilatildeo Federal ADCT

ldquoAn 26 No prazo de um ano a contar da promulgashy

ccedilatildeo da Constituiccedilatildeo o Congresso Nacional promoshy

veraacute atraveacutes de Comissatildeo mista exame analitico e

pericial dos atos e fatos geradores do endividamento

externo brasileiro

Aleacutem disso a Constituiccedilatildeo Federal determinou taxativamente que os contratos de endividamento externo deveriam ser submetidos agrave aprovaccedilatildeo pelo Senado Federal

Constituiccedilatildeo Federal

Art 52 Compete privativamente ao Senado Federal

U

V - autorizar operaccedilotildees externas de natureza finanshy

ceira de interesse da Uniatildeo dos Estados do Distrito

Federal dos Territoacuterios e dos Municiacutepiosrdquo

Tal dispositivo indica que a vultosa negociaccedilatildeo concluiacuteda somente em 1989 seria completamente NULA pois natildeo foi autorizada pelo Congresso Nacional que sequer teve acesso aos termos da negociaccedilatildeo conforme constou do relatoacuterio apreshysentado por FHC cujo trecho foi antes transcrito

Comissatildeo Mista do Congresso Nacional1989

No ano de 1989 mais uma vez o Congresso Nacional debruccedilou-se sobre os contratos de endishyvidamento externo brasileiro aleacutem de planilhas de caacutelculo elaboradas pelo Banco Central para mais uma vez descobrir fraudes diversas dentre elas a renuacutencia agrave soberania pelo governo brasileishyro Ou seja mais uma revelaccedilatildeo de NULIDADE mas ainda assim a diacutevida continuou sendo paga e reciclada em negociaccedilotildees cada vez mais onerosas para o Paiacutes

Trecho do relatoacuterio apresentado pelo senashydor Severo Gomes que fez importante anaacutelise juriacutedica dos acordos merece ser destacado para conhecimento por todos os brasileiros O trecho a seguir se referia a um dos acordos celebrados pelo Banco Central com os bancos privados intershynacionais em 1982

39A D f V I 0 A P U B L I C A EM D E B A T E I Caderno de estudos

40Caderno de esludos

CLAacuteUSULA DE RENUacuteNCIA A SOBERANIA

Sem quaiquer sombra de duacutevida aqui estaacute o ponto mais espantoso dos Acordos De notar aliaacutes a grosshyseria dos credores ou a pusilanimidade dos negoshyciadores brasileiros admitindo uma claacuteusula que sobre ferir os brios nacionais eacute fundamentalmente inuacutetil no contexto da negociaccedilatildeo () Esta claacuteusula retrata um Brasil de joelhos sem brios poupados inerme e inerte imolado agrave irresponsabilidade dos que negociaram em seu nome e agrave cupidez de seus credores Poreacutem nada haacute de ser dito sobre essa nefanda claacuteusula mais expressivo do que o proacuteprio ilustriacutessimo Ministro Seabra Fagundes jaacute fez Este fato de o Brasil renunciar explicitamente a alegar a sua soberania faz deste documento talvez o mais triste da Histoacuteria poliacutetica do Paiacutes Nunca encontrei- e naacuteo sou muito ausente dos estudos da histoacuteria do Paiacutes - em todos os documentos histoacutericos do Brasil nada que se parecesse com esse documento porque renuacutencia de soberania talvez noacutes tenhamos tido renuacutencias iguais mas uma renuacutencia declarada agrave soberania do Paiacutes eacute a primeira vez que consta de uma documento para mim histoacuterico Este me parece um dos fatos mais graves de que somos contemporacircneos1

Sen Severo Gomes(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

0 relatoacuterio parcial do senador 5evero Gomes chegou a ser aprovado pelo plenaacuterio do Congresso poreacutem nenhuma de suas recomenshydaccedilotildees - que tratavam sobre o questionamento judicial da diacutevida - foram seguidas

0 segundo relator da Comissatildeo Mista Dep Luiz Salomatildeo tambeacutem apontou severas conclushysotildees dentre as quais destacamos

Factibilidade de reduzir o montante da diacutevida externa

Necessidade de deduzir do principal consignado pelos bancos que emprestaram a juros flutuanshytes o excedente avaliado em simulaccedilotildees feitas pelo Banco Central que variavam de 34 a 62 bilhotildees de doacutelares na eacutepoca

Necessidade de retomar as investigaccedilotildees e os processos judiciais tendentes a recuperar as pershydas provenientes de fraudes e negoacutecios iliacutecitos

Responsabilizar penalmente os responsaacuteveis internos e os cuacutemplices externos

Repatriar as divisas evadidas clandestinamente

I a c i v i D a p uacute b l i c a l m d e b agrave t ecirc

O relatoacuterio final sequer chegou a ser votado pela Comissatildeo Mista Levado ao plenaacuterio natildeo houve quoacuterum para a votaccedilatildeo

Manobras impediram que o relatoacuterio fosse votado na Comissatildeo Mista Sem o apoio da maioria da Comissatildeo o parecer foi levado a exame do Plenaacuterio do Congresso Os partidos majoritaacuterios na Cacircmara e no Senado optaram peia omissatildeo

Dep Luiz Salomatildeo(Relator da Comissatildeo Mista de 1989)

Apesar das importantes conclusotildees e graves indiacutecios de ilegalidades e nulidades apontados por todas essas comissotildees nenhuma providecircncia praacutetica foi adotada e a diacutevida externa natildeo parou de crescer sendo objeto de sucessivas negociashyccedilotildees que a tornaram cada vez mais onerosa

Deacutecada de 1990Na deacutecada de 1990 no bojo do processo de

abertura econoacutemica promovido pelo governo Collor ao qual se seguiram a desestatizaccedilatildeo e a desreguiamentaccedilatildeo do mercado de capitais as insshytituiccedilotildees credoras internacionais aproveitaram-se da fragilidade e da subordinaccedilatildeo das economias nacionais para executar o chamado Plano Brady

0 engodo do Plano BradyEm 1994 o Brasil concluiu a implantaccedilatildeo do

denominado Plano BradyEsse plano significou a transformaccedilatildeo da diacutevishy

da externa com bancos privados internacionais- antes formalizada sob a forma de acordos na deacutecada de 1980 - em tiacutetulos da divida externa

Foram emitidos sete tipos de tiacutetulos da diacutevida externa em troca da diacutevida anterior e de juros vencidos em montante estimado em US$ 51 bilhotildees na eacutepoca

Natildeo haacute transparecircncia em relaccedilatildeo ao deta- Ihamento das diacutevidas objeto de conversatildeo Tal negociaccedilatildeo tal como as da deacutecada de 1980 tambeacutem natildeo levou em consideraccedilatildeo o valor de mercado da diacutevida anterior (de cerca de 20 do valor nominal conforme constou de acoacutershydatildeo do TCU) nem as ilegalidades que haviam sido arguidas por comissotildees parlamentares

anteriores e ainda exigiu a compra de garantias colaterais (tiacutetulos do Tesouro norte-americano de cerca de US$ 39 bilhotildees)

Caso fosse considerado o valor de mercado da diacutevida externa anterior o resultado do Plano Brady pode ser resumido da forma retratada no graacutefico a seguir

novos bocircnus ou tiacutetulos A transformaccedilatildeo de juros vencidos em tiacutetulos eacute uma comprovaccedilatildeo expliacutecita de anatocismo (juros sobre juros) conshysiderado ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

A operaccedilatildeo de troca da diacutevida por bocircnus natildeo significou ingresso de recursos para o Paiacutes pois constituiu mera troca e foi feita em Luxemburgo

A renegociaccedilatildeo Brady aumentou a diacutevida (US$ bilhotildees)60

50

40

30

20

10

Valor da diacutevida em mercado Bocircnus Brady emitidos

Fonte Paulo Nogueira Batista Jr e Armeacutenio de Souza Rangel A Renegociaccedilatildeo da Diacutevida Externa Brasileira e o Plano Brady Avaliaccedilatildeo de aSguns dos principais resultados paacuteg 15 e 18 e Ceres Aires Cerqueira Diacutevida Externa Brasileira paacutegs 65122123 e 124

Evidencia-se um tremendo prejuiacutezo ao Paiacutes Apesar disso o discurso oficiai e da grande miacutedia na eacutepoca foi de que o Brasil obteve um importanshyte desconto nessa negociaccedilatildeo Trata-se de mais ri forte indiacutecio da necessidade de realizaccedilatildeo de Buditoria pois os tais bocircnus Brady serviram como T io e d a para a compra das estatais privatizadas

atilde partir de 1996 Dessa maneira ao mesmo tempo em que entregaacutevamos nosso patrimoacutenio aumen- iacuteavamos a lesatildeo ao eraacuterio

A negociaccedilatildeo Brady tambeacutem natildeo levou em snsideraccedilatildeo as recomendaccedilotildees das Comissotildees iHamentares do Congresso Nacional portan- to a nova diacutevida dos bocircnus Brady tambeacutem pode ter sua legitimidade e legalidade questionadas

O Plano Brady foi aplicado em 22 paiacuteses onsiderados subdesenvolvidos e trocou tanto 3 diacutevida anterior como os juros vencidos por

conhecido paraiacuteso fiscal como uma oferta privashyda sem registro na SEC (Securities and Exchcmge

Comission dos Estados Unidos da Ameacuterica) e natildeo atendeu agraves exigecircncias da Lei de Vatores de 19337 para uma oferta puacuteblica nos Estados Unidos Ou sej^ fQi uma operaccedilatildeo repleta de irregularidades

A nova^ao -^transformaccedilatildeo de uma diacutevida em outra - deve ter uma causa legiacutetima o que natildeo se confirmou na operaccedilatildeo Brady

Por fim cabe ressaltar que a diacutevida externa contratual com bancos privados vinha sendo objeto de graves questionamentos de ordem legal com suspeitas inclusive de prescriccedilatildeo dessa diacutevida em 1992 sendo que atos iliacutecitos natildeo podem gerar consequecircncias liacutecitas

7 A Lei de Valores de 1933 foi ed itada I ogo apoacutes a Grande Crise de 1929 e regulamentou a comercializaccedilatildeo de accedilotildees tiacutetulos e demais papeacuteis financeiros

A D Iacute V I D A P Uacute B L I C A EM D E B A T E

41Caderno de estudos

Resgates Antecipados com Pagam ento de Aacutegio

Anaacutelises teacutecnicas da CPI demonstraram que logo apoacutes o referido Plano Brady foram realishyzadas trocas desses tiacutetulos por novos tiacutetulos da diacutevida externa (Global) e interna (NTN) operaccedilotildees que possuem forte indiacutecio de dano ao patrimoacuteshynio puacuteblico ante os significativos desaacutegios nas emissotildees dos boacutenus Global suas elevadas taxas de juros onerosas comissotildees e demais gastos assumidos pelo Brasil bem como face agraves elevashydiacutessimas taxas de juros da diacutevida interna

Observou-se tambeacutem que os boacutenus Brady foram objeto de troca por outros tiacutetulos da diacutevida externa (por exemplo C-Bond por A-Bond em 2005) que por sua vez foram objeto de resgate antecipado a partir de 2005

A CPI apurou que o Brasil tambeacutem tem comshyprado antecipadamente tiacutetulos da diacutevida externa Ao inveacutes de pedir desconto pela antecipaccedilatildeo do pagamento os elevados pagamentos foram feitos com aacutegio que chegou a alcanccedilar 70 do valor nominal dos tiacutetulos originais

Ora qual a razatildeo para resgatar obrigaccedilotildees antecipadamente e com pagamento de aacutegio

A resposta das autoridades do Paiacutes agrave CPI da Diacutevida Puacuteblica foi no sentido de que o endividashymento eacute regido pelo ldquobenchmark mecanismo de marcaccedilatildeo de mercado que mede entre outras coisas a expectativa dos credores

0 pagamento de aacutegio pelo Tesouro brasileiro compensou expectativas frustradas de detentoshyres de tiacutetulos da divida externa brasileira emitishyda em doacutelares Um dos aspectos que afetou tal expectativa foi a queda no valor de tal moeda a partir de 2005 Tal fato eacute bastante grave e demonstra a que ponto chega o privileacutegio do setor financeiro Em nosso Paiacutes faltam recursos para o atendimento de necessidades vitais de grande parte da populaccedilatildeo como demonstrado em capiacutetulos anteriores mas sobram recursos para remunerar o capital financeiro

Pagam ento antecipado ao FMI contradiccedilatildeo inexplicaacutevel

Em 2005 durante o Governo Lula foi amplashymente propagandeado o resgate antecipado ao

DIacuteVIDA INTERNA

D gt V l gt 1

pound x t e r n P s

A chamada diacutevida interna corresponde agrave diacutevida

mobiliaacuteria - diacutevida em tiacutetulos puacuteblicos emitidos pelo Tesouro Nacional

Na praacutetica a diacutevida interna eacute tambeacutem exter na pois grande parte dos tiacutetushylos dessa diacutevida tem sido adquirida porestrangeirosque encontram no Brasil a maior taxa de juros do mundo liberdade de capitais e isenccedilatildeo tributaacuteria

A recente CPI da Diacutevida Puacuteblica analisou a evoluccedilatildeo da diacutevida interna a partir de 1995 tendo em vista que foi justamente a partir do Plano Real que seu crescimento se acelerou de maneira impressionante como mostra o graacutefico a seguir Em dezembro de 2011 a diacutevida interna superou a cifra de 25 trilhotildees de reais

Buscando explicaccedilotildees para a contrashypartida a justificativa para essa diacutevida a CPI constatou que as altas taxas de juros foram a principal causa do cresshycimento acelerado da diacutevida interna provando que este endividamenshyto tem uma origem meramente financeira sem contrapartida em termos de desenvolvimento social e econoacutemico

O Relatoacuterio Final da CPI aprovado pela base do governo e pelo PSDB reconheceu esse grave fato que tambeacutem constitui uma importante evidecircncia da necessidade de completa auditoria dessa diacutevishyda pois a aplicaccedilatildeo de juros sobre juros (ana- tocismo) jaacute foi considerada ilegal pelo Supremo Tribunal Federal

Os trabalhos da CPI apontaram uma seacuterie de indiacutecios de ilegalidades na diacutevida interna cabenshydo ressaltar os seguintes

Esta roupa me disfarccedila melhor

Vatildeo acreditar que o beneficiaacuterio dessa diacutevida interna eacute o

povo brasileiro

Falta de transparecircncia e graves deficishyecircncias de controle e registro do endividashymento puacuteblico tais como desaparecimento de documentos falta de registro dos juros nominais efetivamente pagos por regime de caixa a cada ano bem como dos fluxos de pagamentos e recebimentos segredo em relaccedilatildeo aos credores da diacutevida interna insufishyciecircncia de informaccedilotildees sobre as justificativas para a emissatildeo de diacutevida

Fonte httpwwwbcbgovbrftpNotaEconNI201201pfpzip - Quadro 35

Os deputados membros da CPI pertencentes aos grandes partidos se recusaram a aprovar Requerimento de Informaccedilotildees que exigiria do governo o nome dos credores da diacutevida interna brasileira Somente foi aprovado requerimento de dados agregados que serviram como base para a elaboraccedilatildeo do graacutefico ao lado

Considerando que a diacutevida eacute puacuteblica seria de se esperar que os seus beneficiaacuterios fossem devidamente anunciados tal como ocorre em diversas partes do mundo inclushysive nos Estados Unidos da Ameacuterica do Norte Aqui no Brasil frequentemente autoshyridades e a grande miacutedia argumentam que a diacutevida interna beneficia pequenos aplica- dores clientes de Fundos de Investimento Contudo tal discurso natildeo apresenta fundashymento soacutelido pois quando a CPI da Diacutevida Puacuteblica requereu informaccedilotildees sobre o pershyfil dos detentores da diacutevida interna nesses Fundos requerendo informaccedilatildeo sobre a distribuiccedilatildeo dos grandes e pequenos invesshytidores) o Banco Central afirmou que natildeo dispunha desta informaccedilatildeo

Assunccedilatildeo de diacutevidas privadas espeshycialmente do setor financeiro por meio do PROER PROES e diversas outras formas

Credores da Diacutevida Interna - Abril2010

nacirco-nnanceiras

Bancos nacionais e estrangeiros

55

Fonte Banco Central (abrif2010) httpwwwbcb0ovbr htmsinfecondemabma201Q04Nlmprensazipe Secretaria de Previdecircncia Complementar (Estatiacutestica Mensal- Dez2009) -paacuteg 3Notas (1) A rubrica Fundos de Pensatildeo inclui recursos desses Fundos que se encontram aplicados em Fundos de Investimento de Renda Fixa Consequentemente a rubrica Fundos de Investimento aparece descontada destes recursos(2) A rubrica Bancos Nacionais e Estrangeiros inclui os Tiacutetulos Vinculados (que representam principalmente o depoacutesito junto ao BC petas instituiccedilotildees financeiras de tiacutetulos puacuteblicos como garantia de operaccedilotildees em Bolsa de Valores) e as Operaccedilotildees de Mercado Aberto (que significam a retirada de moeda de circulaccedilatildeo mediante entrega agraves instituiccedilotildees financeiras dos 1 tiacutetulos puacuteblicos em poder do Banco Central)

4 6Caderno De estudos | A d iacute v i d a P i j R i c a t u D E B A T E

Descumprimento de atribuiccedilotildees legais e constitucionais peios oacutergatildeos de controle do endividamento puacuteblico federal comproshyvado pela ausecircncia de resposta dos oacutergatildeos oficiais de controle interno (Banco Central e Ministeacuterio da Fazenda) a pedidos de infor maccedilatildeo sobre a diacutevida puacuteblica brasileira e pela ausecircncia de realizaccedilatildeo de auditoria nas negociaccedilotildees com bancos privados internacioshynais pelo Tribunal de Contas da Uniatildeo (TCU) Quanto ao Congresso Nacional este vem des cumprindo haacute mais de 20 anos a determinashyccedilatildeo constitucional de realizaccedilatildeo da auditoria da diacutevida externa brasileira Tambeacutem natildeo regulamentou o art 30 incisos I e II da Lei de Responsabilidade Fiscal que dizem respeito aos limites globais de endividamento

Danos patrimoniais agraves financcedilas do Paiacutes configurada pela praacutetica doanatocismo (juros sobre juros) jaacute considerada inconstitucional pelo Supremo Tribunal Federal aleacutem do ofeshyrecimento de taxas de juros injustificadas e excessivamente elevadas

Conflito de interesses na determinaccedilatildeo da taxa baacutesica de juros Os membros do Copom que definem as taxas de juros e demais autoshyridades do Banco Central realizam reuniotildees com analistas independentesrsquo tendo a CPI apurado que estes constituem - em cerca de 95 ou seja em sua imensa maioria - represhysentantes dos segmentos financeiros direta- mente interessados o que pode caracterizar conflito de interesses Adicionalmente a CPI constatou que a maior parte dessas autoridashydes foi trabalhar no setor financeiro privado apoacutes deixar o Banco Central As taxas de juros Selic satildeo definidas pelos 8 (oito) membros do Copom com base em criteacuterios natildeo mateshymaacuteticos pois a decisatildeo eacute tomada a partir de apresentaccedilotildees teacutecnicas discussotildees e natildeo decorrem da aplicaccedilatildeo de uma foacutermula que definiria qual deveria ser a decisatildeo do Comiteacute sobre a meta da taxa Selic cabendo ressalshytar ainda que os votos de seus membros natildeo eram divulgados

Argumentos insustentaacuteveis para os elevados juros Aleacutem da ausecircncia de justishyficativas teacutecnicas para o abusivo patamar de juros praticados durante os 15 anos analisashydos o argumento de elevar taxas de juros para combater a inflaccedilatildeo tambeacutem natildeo se sustenta

Ao mesmo tempo em que as autoridades monetaacuterias defendem a elevaccedilatildeo das taxas de juros sob a justificativa de controle inflashycionaacuterio as mesmas autoridades permitem grandes aumentos nos preccedilos administrados (tarifas de energia telefone combustiacutevel entre outros) o que eacute um total contra-senso Adicionalmente os oacutergatildeos de defesa da livre concorrecircncia natildeo tecircm conseguido combater adequadamente os carteacuteis privados que tamshybeacutem afetam a formaccedilatildeo dos preccedilos

Danos agrave economia real As elevadas taxas de juros baacutesicos impulsionam as demais taxas de juros praticadas pelos bancos provocando aumento nos custos das induacutestrias e empresas em geral deprimindo o investimento o que ocasiona a reduccedilatildeo da oferta de produtos gerando inflaccedilatildeo As elevadas taxas de juros brasileiras satildeo as maiores de todo o mundo natildeo havendo justificativa plausiacutevel para tal patamar Esse custo tem imposto atraso ecoshynoacutemico imensuraacutevel ao Paiacutes

Poliacuteticas monetaacuteria e cambial equivoshycadas Danos decorrentes da excessiva acushymulaccedilatildeo de reservas internacionais por meio da elevaccedilatildeo acelerada do estoque do endivishydamento interno A principal justificativa para a compra de doacutelares pelo Banco Central tem sido a de enxugar o excesso de moeda e eviacute tar a valorizaccedilatildeo da moeda nacional poreacutem quando o BC compra a moeda americana termina estimulando ainda mais os especushyladores a trazerem moeda estrangeira ao Paiacutes

Prejuiacutezos do Banco Central O fato de o Banco Central manter crescentes e elevadas reservas em doacutelares em seu ativo desde 2005 e tiacutetulos da diacutevida Interna em seu passivo representa enorme transferecircncia de recursos do setor puacuteblico para o setor financeiro privashydo tendo em vista a forte desvalorizaccedilatildeo do doacutelar O prejuiacutezo do Banco Central alcanccedilou R$ 147 bilhotildees em 2009 R$ 50 bilhotildees em 2010 RS 445 bilhotildees no 1-semestre de 2011 sendo que todo esse resultado negativo foi coberto pelo Tesouro Nacional ou seja foi arcado por toda a sociedade Isso caracteriza violaccedilatildeo do princiacutepio republicano em sentishydo de adequado trato da coisa puacuteblica pelos agentes do Estado cuja investigaccedilatildeo deve ser aprofundada para apurar eventual dano ao patrimoacutenio puacuteblico

A 0 I V I C A F II li L C A r M D t 8 A 1 E |

47Caderno de

III

Todos esses graves indiacutecios de iacuterregularidades apontados pela CPI reforccedilam a necessidade de realizaccedilatildeo de completa auditoria dessa diacutevida

A RECENTE QUEDA DA TAXA SELICEm 2011 a taxa Selic passou a cair reduzinshy

do-se ao patamar de 8 ao ano Entretanto estudos realizados pela Auditoria Cidadatilde da Diacutevida tecircm demonstrado que justamente quando a taxa passou a cair o Tesouro Nacional passou a praticar vendas de tiacutetulos da diacutevida brasileira em taxas fixas e superiores agrave Selic Exatamente no dia 19042012 data em que a taxa Selic caiu a 9 como amplamente notishyciado nos grandes meios de comunicaccedilatildeo o Tesouro Nacional efetuou praticamente a totalidade de vendas de tiacutetulos da diacutevida brashysileira a taxas muito superiores que chegaram a 1079 ao ano

Ora qual a razatildeo para essa praacutetica evidenshytemente contraacuteria aos interesses do Paiacutes Uma das justificativas normalmente apresentadas eacute que o mercadordquo natildeo aceita comprar por taxas mais baixas

Mas quem eacute o m ercadoA venda de tiacutetulos se daacute por meio dos dealers

- reduzido grupo de grandes bancos nacionais e estrangeiros que tecircm a preferecircncia na compra dos tiacutetulos leiloados pelo Tesouro Nacional em primeira matildeo8

Essa modalidade de negociaccedilatildeo foi introdushyzida a partir de 2001 com a ediccedilatildeo da Circular BACEN ns 3053 havendo um rodiacutezio entre as instituiccedilotildees financeiras Na data em que o preshysente Caderno estaacute sendo elaborado os dealers

satildeo os seguintes

8 Ver lthttpwwwtMourofazend