a dinÂmica da rede urbana de francisco beltrÃo – ?· a dinÂmica da rede urbana de francisco...

Download A DINÂMICA DA REDE URBANA DE FRANCISCO BELTRÃO – ?· A DINÂMICA DA REDE URBANA DE FRANCISCO BELTRÃO…

Post on 04-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

A DINMICA DA REDE URBANA DE FRANCISCO BELTRO PARAN:

UMA ANLISE DAS CONTEMPORNEAS INTERAES ESPACIAIS DO

SETOR TERCIRIO

Carlos Cassemiro Casaril

UNIPAR Francisco Beltro PR

carloscasaril@yahoo.com.br

INTRODUO

Esta pesquisa parte de nosso doutorado defendido em 2014. E, tem como

objetivo analisar a dinmica da rede urbana de Francisco Beltro Paran, a partir das

contemporneas interaes do setor tercirio, destacando os servios de educao, mais

precisamente das Universidades pblicas presentes na cidade de Francisco Beltro.

Alm claro, de sublinhar pari passu a dinmica do setor comercial e de servios,

destacando as empresas que influenciam na centralidade e nos fluxos da rede.

A partir do total de acadmicos matriculados em 2010 nas duas Universidades

pblicas presentes em Francisco Beltro, complementados por dados do setor tercirio,

verificamos a centralidade exercida por esta cidade.

AS UNIVERSIDADES PBLICAS DE FRANCISCO BELTRO-PR COMO

EXPRESSO DA CENTRALIDADE

Conforme Sposito (1998) podemos analisar a centralidade urbana a partir da

escala intra-urbana e/ou da escala da rede urbana. Utilizamos neste trabalho a segunda

opo, que faz referncia ao centro urbano [...] ou aglomerao urbana principal em

relao ao conjunto de cidades de uma rede, essa, por sua vez, podendo ser vista em

diferentes escalas e formas de articulao e configurao, de maneira a que se possam

compreender os papis da cidade central (SPOSITO, 1998, p.27).

A rede urbana configura-se como um recorte que possibilita uma anlise do

desenvolvimento regional. Estruturada em um conjunto de centros funcionalmente

articulados, atravs de fixos e fluxos (CORRA, 1989). A partir da rede estruturam-se

as mais variadas atividades e interaes, abrangendo centros urbanos dos mais variados

nveis hierrquicos e complexidades estruturais, que por intermdio de suas relaes

(setor tercirio e produtivo), promulgam etapas do desenvolvimento da diviso social e

territorial do trabalho.

A rede urbana de Francisco Beltro, conforme o REGIC publicado em 2008,

formada pela cidade de Francisco Beltro mais 24 centros e, polarizada por Cascavel

(mapa 01). Francisco Beltro e Dois Vizinhos possuem o maior percentual de populao

urbana, 85,43% e 77,67%, respectivamente (IBGE, 2010), alm de serem os dois

maiores centros da rede, de possurem os maiores nveis hierrquicos (Francisco

Beltro, Centro Sub-regional A e Dois Vizinhos, Centro de Zona A) e os que

possuem o maior nmero de atividades industriais, de comrcio e servios.

A partir do total de acadmicos matriculados em 2010 nas IES Pblicas

presentes na cidade de Francisco Beltro, verificamos a centralidade exercida por esta

cidade. A centralidade de uma cidade,

[...] funo, acima de tudo, de sua capacidade de ofertar bens e servios para outros centros urbanos, estabelecendo, desse modo, uma rea de influncia. Essa centralidade, portanto, de natureza acima de tudo, econmica. Uma cidade ser tanto mais complexa e possuir uma posio tanto mais elevada na hierarquia da rede urbana, quanto mais ela possuir essa capacidade de ofertar bens e servios e capturar uma rea de influncia maior. [...] (SOUZA, 2003, p.57).

Corra (1997) mencionou que preciso considerar as especializaes funcionais,

sejam industriais ou aquelas vinculadas ao comrcio e/ou servios para analisarmos a

centralidade urbana exercida por uma dada cidade. Neste trabalho, optamos por

ponderar as atividades de prestao de servios, entre elas, a educao, mais

especificamente o ensino superior pblico. Este segmento das atividades de servios

ganha destaque na cidade abordada, principalmente a partir dos anos 2000 com a

implantao dos cursos de Administrao e Direto na UNIOESTE que vieram a se

somar aos cursos de Cincias Econmicas, Economia Domstica, Geografia e

Pedagogia, alm da instalao da UTFPR em 2006, que em 2008 passou a ofertar o

curso de Tecnologia em Alimentos e em 2009 o curso de Engenharia Ambiental.

Estas duas IES pblicas de Francisco Beltro totalizaram 1.544 acadmicos

matriculados em 2010. A UNIOESTE somou 1.162 acadmicos, dos quais 613 so de

Francisco Beltro e os demais so de outros locais. J a UTFPR totalizou 382

acadmicos, sendo 216 de Francisco Beltro e 166 de outras localidades. Dados estes

representados no mapa 02 e na figura 01.

O mapa 02 apresenta o total de acadmicos provenientes de cidades do Estado

do Paran que estudam nas IES Pblicas de Francisco Beltro PR. A partir da

visualizao deste mapa verificamos a centralidade de Francisco Beltro proporcionada

pelas IES pblicas presentes na cidade. A cidade possui uma interao espacial com

praticamente todas as regies do Estado do Paran, umas com maior intensidade e

outras com intensidade mdia para fraca.

A figura 01 permite visualizarmos as cidades de procedncia dos acadmicos

para as IES pblicas de Francisco Beltro dos Estados de Santa Catarina, Rio Grande do

Sul, So Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Gois, Bahia, Par,

Rondnia e Roraima. Portanto, Francisco Beltro-PR possui a partir de suas IES

Pblicas uma interao espacial com 11 Estados Brasileiros, o que por sua vez, permite

comprovarmos que Francisco Beltro possui uma centralidade importante, pois segundo

Corra (1997) quanto maior a rea de influncia, maior a populao externa atendida e

maior a sua centralidade.

Destacando que, os acadmicos provenientes das cidades situadas na regio

Sudoeste do Paran, somados aos acadmicos procedentes das cidades localizadas na

regio Oeste catarinense, mais especificamente aquelas situadas na divisa com o

Sudoeste paranaense, a saber: Campo Er, Dionsio Cerqueira, Palma Sola e So

Loureno do Oeste, contabilizam juntos 518 acadmicos, que por residirem em cidades

prximas, deslocam-se diariamente1 (movimento pendular) a Francisco Beltro para

estudar, retornando as suas cidades aps as aulas, o que por sua vez, confirma o grande

fluxo rodovirio em horrios de pico nas rodovias da regio Sudoeste, estes fluxos

realizam-se atravs das rodovias: PR-182, PR-180, PR-483, PR-475 e PR-566, todas

chegando a Francisco Beltro.

Em relao aos acadmicos procedentes de outras regies do Paran e de outros

Estados, devido distncia maior e a despesa para o deslocamento, transferem-se para

1 Contudo, isso no quer dizer que alguns acadmicos das IES de Francisco Beltro procedentes de cidades circunvizinhas no possam estar residindo em Francisco Beltro e, como j sabemos, muitos esto.

Francisco Beltro e fixam residncia por tempo determinado, estes totalizam 162

acadmicos, destacando que, [...] A mobilidade espacial funo da renda, e isso

influencia decisivamente a maneira como a rede urbana vivenciada e a prpria

estrutura da rede [...] (SOUZA, 2003, p.61).

Estas IES ajudaram a ampliar a centralidade urbana de Francisco Beltro, sendo

que esta faz parte da escala da rede urbana (inter-urbana), o que por sua vez, dinamiza a

escala intra-urbana, pois esta centralidade vem acompanhada de mudanas econmico-

sociais no espao urbano, principalmente, no que diz respeito ao mercado imobilirio,

atravs da percepo dos agentes construtores, corretores imobilirios, proprietrios

fundirios urbanos e rurais etc., que ao visualizarem uma demanda solvvel, investem

no mercado imobilirio, atravs da construo de kitchenettes geminadas, edifcios de

4 pavimentos normalmente com 4 apartamentos por andar, voltados na maioria das

vezes ao aluguel, formando a classe rentiers (isso uma das razes da valorizao do

preo do solo urbano em bairros com melhores acessibilidades ao centro urbano e as

IES, o que por sua vez, amplia a segregao scio-espacial que exclui a parcela da

populao de menor poder aquisitivo para bairros perifricos). Alm da dinmica do

capital imobilirio, o comrcio e os servios tambm seguem o mesmo caminho de

intensificao, motivados pelo aumento da demanda proporcionada pela chegada de

acadmicos e professores que passam a fazer parte do mercado consumidor da cidade.

Isso nos faz verificar a importncia, que o ensino superior vem constituindo-se para

Francisco Beltro, inclusive na estruturao de Polo Universitrio, ampliando a

qualificao de mo de obra regional.

Nesta parte do trabalho verificamos a centralidade urbana exercida por Francisco

Beltro, atravs de suas IES Pblicas que juntas, em 2010 totalizaram 1.544 acadmicos

matriculados em oito cursos de graduao. Na verdade a centralidade em 2014 j

muito maior, pois a partir de 2011 outros trs cursos foram implantados nas IES

pblicas. Alm disso, se as IES privadas tivessem contribudo com nossa pesquisa2,

2 Solicitamos informaes as IES Privadas presentes em Francisco Beltro, mas as mesmas afirmaram no poder colaborar com a pesquisa, pois os dados solicitados (como o nmero de estudantes e suas respectivas procedncias) so estratgicas, portanto, sigilosas.

formaramos uma rea de influncia mais ampla e densa. Em Francisco Beltro, esto

presentes trs IES privadas, a UNIPAR - Universidade Paranaense3 (com 15 cursos de

graduao); o CESUL Centro Su

Recommended

View more >