A A A A A A A A - Vendas Novas ?· 2015-04-30 · artigo 241º da Constituição da Republica Portuguesa,…

Download A A A A A A A A - Vendas Novas ?· 2015-04-30 · artigo 241º da Constituição da Republica Portuguesa,…

Post on 10-Nov-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO ASSOCIATIVISMO DO CONCELHO DE VENDAS NOVAS

    Prembulo

    A Cmara Municipal de Vendas Novas, em 6 de setembro de 2006, aprovou, um

    documento com os princpios e regras orientadoras para atribuio de subsdios e outros

    apoios financeiros ao Movimento Associativo e Instituies legalmente constitudas do

    Concelho de Vendas Novas.

    No entanto a experincia na aplicao de tal documento veio demonstrar a necessidade

    de alguns ajustamentos, de forma a garantir uma maior eficcia e acompanhamento no

    procedimento da atribuio de apoios por parte da Cmara Municipal de Vendas Novas s

    Associaes legalmente constitudas, sediadas no Concelho. Desta forma procede -se

    assim elaborao do presente Regulamento, denominado Regulamento Municipal de

    Apoio ao Associativismo do Concelho de Vendas Novas, que revoga as disposies das

    normas contidas no documento acima referido, "Princpios e regras orientadoras para

    atribuio de subsdios e outros apoios financeiros ao Movimento Associativo e

    Instituies legalmente constitudas do concelho de Vendas Novas".

    O presente regulamento tem por objetivo definir a metodologia e os critrios em que

    assenta o apoio do Municpio de Vendas Novas s estruturas associativas sedeadas no

    concelho, criando princpios e regras orientadoras, garantido a transparncia nos

    critrios, o rigor e imparcialidade na avaliao das candidaturas, ajustando os apoios

    qualidade das iniciativas e dos projetos, e a racionalidade na disponibilizao dos

    recursos.

    Assim, ao abrigo do poder regulamentar conferido s autarquias locais pelo artigo 241

    da Constituio da Republica Portuguesa e pela alnea k) do artigo 33 da Lei 75/2013 de

    12 de setembro de acordo tambm com o estabelecido na alnea p) do n. 1 do artigo

    33, conjugado com alnea g) do artigo 25, da Lei 75/2013, de 12 de setembro, e, ainda

    em conformidade com o disposto na alneas e) f) e h) do artigo 23 do mesmo diploma

    legal, bem como como os artigos 46 e 47 da Lei n 5/2007, de 16 de janeiro (Lei de

    Bases da Atividade Desportiva e do Desporto), o Decreto-Lei n 273/2009 de 01 de

    outubro (Regime dos Contratos Programa-Desporto), na sua atual redao.

    O Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo do Concelho de Vendas Novas, foi

    aprovado em reunio da Cmara Municipal de Vendas Novas em 19 maro 2015,

    antecedida de apreciao publica prevista no artigo 118.do Cdigo do Procedimento

    Administrativo, depois de ouvidas as entidades representativas do movimento associativo

    local nos termos do artigo 117 do CPA.

  • CAPTULO I

    Disposies Gerais

    Artigo 1.

    Lei Habilitante

    1 - O presente regulamento elaborado ao abrigo do disposto no n7 do artigo 112, e

    artigo 241 da Constituio da Republica Portuguesa, e de acordo com o estabelecido nas

    alneas k) e p) do n. 1 do artigo 33, conjugado com alnea g) do artigo 25, da Lei

    75/2013, de 12 de setembro, e, ainda em conformidade com o disposto na alneas e) f) e

    h) do artigo 23 do mesmo diploma legal, bem como a Lei n 5/2007, de 16 de janeiro (Lei

    de Bases da Atividade Desportiva e do Desporto) e o Decreto-Lei n 273/2009 de 01 de

    outubro (Regime dos Contratos Programa-Desporto), na sua atual redao.

    2 - Excluem-se do mbito de aplicao do presente Regulamento as matrias referentes a

    Associaes de Moradores, Entidades Pblicas do Setor Estado, Empresas e Sociedades;

    Entidades com fins lucrativos, Entidades Sindicais e Partidrias.

    Artigo 2.

    Objeto

    O presente Regulamento define os apoios, suas condies e critrios de atribuio a

    prestar s Associaes, Coletividades e Instituies Particulares de Solidariedade Social,

    adiante designadas por IPSS, legalmente existentes, assim como s iniciativas de interesse

    pblico municipal, nomeadamente as de natureza social, cultural, desportiva, de

    desenvolvimento local e recreativa desenvolvidas no Concelho de Vendas Novas, adiante

    designado por Municpio.

    Artigo 3.

    Registo Municipal

    1 - As Associaes, Coletividades e IPSS que pretendam beneficiar dos apoios previstos no

    presente Regulamento tm de estar obrigatoriamente inscritas no Registo Municipal.

    2 - O pedido de inscrio no Registo Municipal deve ser apresentado junto do Gabinete de

    Apoio ao Desenvolvimento Econmico da Cmara Municipal de Vendas Novas, adiante

    designada por Cmara Municipal, instrudo com os seguintes documentos:

    a) Ficha de inscrio (a facultar pelo Municpio);

    b) Cpia do carto de identificao de pessoa coletiva;

    c) Cpia dos estatutos das Associaes, Coletividades ou IPSS, publicados no Dirio da

    Repblica;

  • d) Cpia da publicao no Dirio da Repblica do estatuto de utilidade pblica, caso

    exista;

    e)Cpias da ata de eleio dos corpos sociais e da tomada de posse;

    f) Cpias do plano de atividades e do oramento, bem como das atas das respetivas

    aprovaes em assembleia -geral;

    g) Cpias do relatrio de atividades e do relatrio de contas do ano anterior, bem como

    das atas das respetivas aprovaes em assembleia-geral;

    h) Declarao assinada pelo presidente da assembleia-geral, onde conste o nmero total

    de associados;

    i) Documentos comprovativos da situao regularizada perante a segurana social e as

    finanas;

    J) Declarao de autorizao da Segurana Social para funcionamento e exerccio da

    atividade como IPSS, quando aplicvel.

    Artigo 4.

    Atualizao do Registo Municipal

    1 - As Associaes, Coletividades e IPSS devero manter o seu registo atualizado,

    mediante a apresentao dos documentos referidos no n. 2 do artigo anterior. A

    documentao considerada permanente e inaltervel dispensada desta atualizao.

    2 - Sempre que ocorram alteraes aos factos titulados pelos documentos referidos no

    n. 2 do artigo 3., a associao, coletividade ou instituio dever informar a Cmara

    Municipal no prazo de um ms contado a partir da data da respetiva ocorrncia.

    Artigo 5.

    Condies de Candidatura

    Podem candidatar-se aos apoios previstos no presente Regulamento as Associaes,

    Coletividades e IPSS que promovam atividades culturais, sociais, desportivas, de

    desenvolvimento local e recreativa ou outras de relevante interesse pblico municipal e

    que preencham ainda cumulativamente os seguintes requisitos:

    a) Se encontrem legalmente constitudas;

    b) Tenham os rgos sociais legalmente constitudos e em efetividade de funes;

    c) Possuam sede no Concelho ou no a tendo, a exeram e desenvolvam atividades de

    interesse municipal de mbito cultural, social, desportivo, de desenvolvimento local e

    recreativo;

  • d) Possuam inscrio atualizada no registo municipal das associaes, Coletividades e

    IPSS;

    e) Desenvolvam com carter regular atividades na rea do Municpio;

    f) Situao contributiva regularizada;

    g) AS IPSS devem integrar o Conselho Local de Ao Social de Vendas Novas (Rede Social).

    CAPTULO II

    Apoios

    Artigo 6.

    Tipos de Apoios

    Os programas de apoio a prestar pela Cmara Municipal assumiro as seguintes

    modalidades:

    a) Apoio Atividade Regular;

    b) Apoio ao Investimento;

    c) Apoio a Projetos Pontuais.

    Artigo 7.

    Suspenso, Excluso ou Cessao dos Apoios

    1- A Cmara Municipal reserva-se no direito de exigir documentao idnea que permita

    concluir que a aplicao do apoio financeiro foi efetivamente aquela para o qual foi

    atribudo.

    2 - A existncia de irregularidades na aplicao das verbas concedidas, nomeadamente a

    sua utilizao para fins diferentes dos estabelecidos ou acordados, implicar a imediata

    suspenso do processamento implicando a excluso da associao, coletividade ou

    instituio nas candidaturas concesso de quaisquer dos apoios previstos no presente

    Regulamento no ano civil imediatamente seguinte.

    3 - As situaes previstas no nmero anterior, bem como as falsas declaraes e a

    inobservncia das restantes disposies do presente Regulamento, reservam ainda

    Cmara Municipal o direito de exigir a restituio das verbas despendidas e adotar os

    procedimentos legais julgados adequados.

  • CAPTULO III

    Apoio Atividade Regular

    Artigo 8.

    Objeto e mbito

    1 - O Apoio Atividade Regular tem como finalidade a atribuio de apoios s atividades

    desenvolvidas com carter permanente e continuado a realizar durante o ano para o qual

    concedido o apoio.

    2 - Enquadram -se, designadamente, os seguintes tipos de apoio:

    a) Apoio financeiro ao desenvolvimento das atividades culturais, sociais, desportivas, de

    desenvolvimento local e recreativas ou outras de relevante interesse pblico municipal;

    b) Apoio na divulgao e publicidade das atividades a desenvolver;

    c) Apoio formao de dirigentes associativos e tcnicos;

    d) Cedncia de transporte, nos termos dos critrios definidos;

    e) Cedncia de instalaes, nos termos dos critrios definidos ou do respetivo

    regulamento;

    f) Cedncia de equipamentos, nos termos dos critrios definidos ou do respetivo

    regulamento.

    3 - Devem ser comunicadas previamente quaisquer subvenes e/ou apoios financeiros a

    todos projetos candidatados no mbito deste regulamento.

    CAPTULO IV

    Apoio ao Investimento

    Artigo 9.

    Objeto e mbito

    1 - Os apoios da presente seco destinam-se construo, conservao, reabilitao ou

    remodelao de instalaes e assumem a forma de comparticipao em espcie.

    2 - Enquadram -se neste mbito, nomeadamente:

    a) Apoio na elaborao do projeto;

    b) Cedncia de materiais de construo, mquinas ou meios humanos para a execuo de

    obras.

    3 - Devem ser comunicadas previamente quaisquer subvenes e/ou apoios financeiros a

    todos projetos candidatados no mbito deste regulamento.

  • Artigo 10.

    Excluso e cessao do Apoio ao Investimento

    1- Sem prejuzo do disposto no Artigo 7., o apoio prestado no mbito do presente

    regulamento ser, igualmente, excludo ou cessar caso se verifique qualquer uma das

    seguintes situaes:

    a) Ausncia de controlo prvio municipal das operaes urbansticas em causa

    (licenciamento, comunicao prvia ou autorizao), sem prejuzo das situaes

    em que os respetivos projetos so elaborados pelos servios tcnicos do

    Municpio;

    b) Execuo de alteraes aos projetos de arquitetura ou de especialidades

    aprovados, no sujeita a controlo prvio municipal (licenciamento ou

    comunicao prvia).

    CAPTULO V

    Apoio a Projetos Pontuais

    Artigo 11.

    Objeto e mbito

    1 - O Apoio a Projetos Pontuais consiste no apoio financeiro ou tcnico-logstico, de

    projetos no includos pelas associaes nas suas candidaturas ao Apoio Atividade

    Regular ou nos seus planos de atividades anuais.

    2 - O apoio tcnico-logstico consiste na disponibilizao de equipamentos e viaturas e

    meios humanos do municpio, estando, no entanto, sempre dependente da

    disponibilidade dos mesmos.

    3 - A candidatura ao presente apoio deve ser fundamentada com a especificao dos

    objetivos que se pretendam alcanar, as aes a desenvolver, o nmero de participantes,

    os meios humanos, materiais e financeiros necessrios, assim como a respetiva

    calendarizao e oramento.

    4 - As atividades desenvolvidas que se realizem anualmente, ou seja que se repetem

    todos os anos, no so consideradas atividades pontuais e devem constar como atividade

    regular.

    5 - Devem ser comunicadas previamente quaisquer subvenes e/ou apoios financeiros a

    todos projetos candidatados no mbito deste regulamento.

  • CAPTULO VI

    Candidaturas

    Artigo 12.

    Procedimento

    1 - O processo de candidaturas aberto anualmente por rea de interveno atravs da

    publicao de aviso especfico de concurso, no qual constar de forma inequvoca os

    seguintes elementos:

    a) Regulamento;

    b) Formulrio de Candidatura;

    c) Tipo de apoio

    d) Prazo da candidatura;

    e) Determinao do plafond financeiro anual disponvel;

    f) No caso do Desporto, o aviso poder fazer referncia (s) modalidade(s)

    elegiveis daquele aviso especifico;

    g) Determinao do perodo de vigncia do contrato-programa a celebrar, se

    aplicvel;

    h) Outras disposies transitrias.

    2 - As candidaturas ao Apoio ao Investimento e Apoio a Projetos Pontuais devem ser

    efetuadas com a antecedncia mnima de 30 dias seguidos relativamente data prevista

    para a realizao do projeto ou ao.

    3 - As candidaturas ao Apoio ao Investimento e Apoio a Projetos Pontuais podem ser

    efetuadas a ttulo excecional com antecedncia inferior a 30 dias seguidos, relativamente

    data prevista para a realizao do projeto ou ao, desde que essa extemporaneidade

    seja devidamente justificada.

    4 - As candidaturas devem ser formalizadas atravs do preenchimento de formulrio

    prprio, com a indicao do tipo de apoio pretendido.

    5 - As candidaturas so instrudas com os seguintes documentos:

    a) Descrio das aes a desenvolver ao abrigo do(s) apoio(s) solicitado(s), com a

    respetiva justificao;

    b) Calendarizao das aes a desenvolver;

    c) Previso de custos, receitas e necessidades de financiamento, acompanhada

    dos respetivos oramentos detalhados;

  • d) Indicao de eventuais pedidos de financiamento solicitados ou a solicitar a

    outras entidades, pblicas ou privadas, bem como o tipo de apoio recebido ou que

    se preveja receber;

    e) Planta de localizao e dos elementos necessrios apreciao do pedido no

    caso do Apoio ao Investimento;

    6 - Aps a realizao da atividade pontual a associao dever entregar um relatrio de

    avaliao da mesma no prazo de dois meses aps a sua concluso.

    7 - No caso da disponibilizao de transportes a candidatura para este apoio dever ser

    apresentada simultaneamente com a candidatura relativa atividade regular.

    8 - No caso da cedncia de palco/stands/cadeiras, o Municpio disponibiliza o referido

    material para utilizao pelas Associaes, Coletividades e IPSS, nos seguintes termos:

    a) Para atividades que se encontrem enquadradas na sua atividade regular, no

    plano de atividades;

    b) O pedido seja efetuado com antecedncia mnima de 1 (um) ms,

    relativamente data pretendida para realizao;

    c) A cedncia do material fica sujeito disponibilidade do mesmo;

    d) Cada Associao, Coletividade e IPSS, aps confirmao de cedncia do material

    pretendido, dever ser responsvel pelo mesmo.

    e) Aquando do levantamento do material pretendido, dever o responsvel pela

    Associao, Coletividade e IPSS assinar um documento, responsabilizando-se pela

    entrega e pelo estado de conservao do mesmo;

    f) Aquando da entrega do material, se for detetado pelos servios material

    danificado ou falta de algum, a Associao, Coletividade e IPSS requerente ser

    intimada no sentido de fazer a sua reposio ou pagamento do mesmo se assim se

    justificar.

    9 - A Cmara Municipal pode, sempre que o entender, solicitar s entidades requerentes

    os elementos e ou esclarecimentos que considere pertinentes para a apreciao do

    pedido.

    Artigo 13.

    Entrega das Candidaturas

    As candidaturas so entregues pessoalmente, expedidas por correio normal para a

    Cmara Municipal de Vendas Novas, Avenida da Repblica, 7080-099 Vendas Novas ou

    correio eletrnico associativismo@cm-vendasnovas.pt, nos prazos previstos no presente

    Regulamento.

    mailto:associativismo@cm-vendasnovas.pt

  • CAPTULO IV

    Avaliao e Deciso das Candidaturas

    Artigo 14.

    Critrios Gerais de Ponderao

    A definio dos apoios a atribuir no mbito do presente Regulamento tem em conta,

    nomeadamente, os seguintes critrios gerais de ponderao:

    a) Nmero de associados;

    b) Frequncia e nmero de aes desenvolvidas;

    c) Historial as...