8112 respondido

Download 8112 respondido

Post on 15-Dec-2015

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Perguntas e respostas sobre a Lei 8112

TRANSCRIPT

  • FACULDADE PROCESSUS DIREITO ADMINISTRATIVO II PROFA: RENATA MACIEL RODRIGUES Questes acerca da Lei 8.112/90 (retiradas dos ltimos concursos - PFN, CGU, TRT) 1- Marque a opo CORRETA, de acordo com o estatuto do servidor: a) O funcionrio poder ser licenciado, entre outros casos, para tratamento de sade, por motivo de doena em pessoa de sua famlia e para tratar de interesses particulares. b) Aos funcionrios interinos e aos em comisso no ser concedida licena para tratar de interesses particulares e licena sade. c) O funcionrio no poder permanecer em licena por prazo superior a 24 meses salvo o portador de tuberculose, lepra ou cncer, que poder ter mais trs prorrogaes de 12 meses cada uma. d) O funcionrio no poder gozar licena onde lhe convier, fcando obrigado a residir no mesmo endereo do local em que exercer a sua atividade , salvo autorizao do chefe a que estiver imediatamente subordinado. a) O funcionrio poder ser licenciado, entre outros casos, para tratamento de sade, por motivo de doena em pessoa de sua famlia e para tratar de interesses particulares. (CORRETO!!!) b) Aos funcionrios interinos e aos em comisso no ser concedida licena para tratar de interesses particulares e licena sade. (ERRADO os funcionrios interinos e aos em comisso no ser concedido licena para tratar de interesses particulares. Mas ambos tem direito a licena sade) c) O funcionrio no poder permanecer em licena por prazo superior a 24 meses salvo o portador de tuberculose, lepra ou cncer, que poder ter mais trs prorrogaes de 12 meses cada uma. (ERRADO - Lei Estadual n. 869 de 05/07/1952 Art. 164. O funcionrio no poder permanecer em licena por prazo superior a 24 meses, SALVO o portador de tuberculose, lepra ou pndigo foliceo, que poder ter mais trs prorrogaes de 12 meses cada uma, desde que, em exames peridicos anuais, no se tenha verificado a cura) d) O funcionrio no poder gozar licena onde lhe convier, ficando obrigado a residir no mesmo endereo do local em que exercer a sua atividade, salvo autorizao do chefe a que estiver imediatamente subordinado. (errado _ Lei Estadual n. 869 de 05/07/1952 - Art. 166 - O funcionrio poder gozar licena onde lhe convier, ficando obrigado a comunicar, por escrito, o seu endereo ao chefe a que estiver imediatamente subordinado.) Resumindo: O Servidor em estgio probatrio TEM direito s seguintes LICENAS (SAAD): 1) Licena para o Servio militar 2) Licena para a Atividade poltica 3) Licena por motivo de Afastamento do conjugue ou companheiro 4) Licena por motivo de Doena em pessoa da famlia

  • (No tem direito a MATRACA - Licena para desempenho de MAndato classista, TRAtar de interesses particulares e CApacitao) ... aos seguintes AFASTAMENTOS: (COMA-MI) 1) Afastamento para participar de Curso de formao decorrente de aprovao em concurso para outro cargo na Administrao Pblica Federal 2) Afastamento para participar em Organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere (com perda total da remunerao, art. 96 da lei 8.112/90: "Art. 96. O afastamento de servidor para servir em organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere dar-se- com perda total da remunerao.") 3) Afastamento para o exerccio de MAndato eletivo 4) Afastamento para estudo ou MIsso no exterior (No tem direito a afastamento para participao em programa de ps-graduao strictu sensu no Pas) Base legal: Art. 20, Pargrafo 4 e art. 96 da lei 8.112/90 2- Marque a opo INCORRETA, de acordo com o estatuto do servidor: a) A licena para tratamento de sade ser concedida a pedido do funcionrio, no podendo ser concedida ex-offcio. b) Quando licenciado para tratamento de sade, acidente no servio de suas atribuies, ou doena profissional, o funcionrio receber integralmente o vencimento ou a remunerao e demais vantagens. c) O funcionrio atacado de cardiopatia descompensada, cegueira e lepra, entre outras, certificado por uma junta mdica oficial, ser compulsoriamente licenciado, com vencimento ou remunerao integral e demais vantagens. d) O funcionrio poder obter licena por motivo de doena na pessoa do pai, me, filhos ou cnjuge de que no esteja legalmente separado. A alternativa incorreta o item A. Por qu? Porque o referido benefcio pode ser concedido tanto de ofcio quanto por requerimento do servidor. o caput do art. 202 da Lei 8.112/90: Art. 202. Ser concedida ao servidor licena para tratamento de sade, a pedido ou de ofcio, com base em percia mdica, sem prejuzo da remunerao a que fizer jus. 3- No tocante ao processo administrativo disciplinar, deve ser objeto de invalidao a) o ato de reviso do processo que motivadamente agravar a penalidade do servidor. b) a aplicao de sano ao servidor indiciado, quando ultrapassado o prazo legal para a concluso do processo administrativo disciplinar. c) a aplicao de sano ao servidor indiciado, quando verificada a existncia de vcio formal na fase de sindicncia, que precedeu ao processo administrativo disciplinar. d) a aplicao de sano referente a tipo infracional no mencionado na portaria de instaurao do processo que, embora tenha descrito a conduta de forma clara e suficiente, capitulou-a em tipo diverso do estatuto funcional.

  • e) a aplicao de sano por meio de ato decisrio sem motivao especfica, limitando-se a adotar a fundamentao contida no relatrio da Comisso que conduziu o processo disciplinar, cuja proposta de punio foi acatada. a) Pargrafo nico. Da reviso do processo no poder resultar agravamento de penalidade. (art. 182) b) 1 O julgamento fora do prazo legal no implica nulidade do processo. (art. 169) c) Art. 169. Verificada a ocorrncia de vcio insanvel, a autoridade que determinou a instaurao do processo ou outra de hierarquia superior declarar a sua nulidade, total ou parcial, e ordenar, no mesmo ato, a constituio de outra comisso para instaurao de novo processo. >>>>>> Vcios Formais, via de regra, so sanveis, exceto quanto a prtica de atos processuais imprescindveis, como o exerccio da ampla defesa, por exemplo. d) Pargrafo nico. Quando o relatrio da comisso contrariar as provas dos autos, a autoridade julgadora poder, motivadamente, agravar a penalidade proposta, abrand-la ou isentar o servidor de responsabilidade. (art. 168) >>>>>>>>> Veja que se trata de um vcio formal. A conduta foi descrita suficientemente clara na portaria de instaurao, porm errou na nomenclatura. No incomum isso acontecer, at mesmo na seara penal. e) Art. 168. O julgamento acatar o relatrio da comisso, salvo quando contrrio s provas dos autos. >>>>>> (o texto da afirmao na questo complementa o texto deste artigo) 4- Considere a seguinte situao hipottica. Uma servidora pblica em estgio probatrio solicitou remoo para acompanhar seu cnjuge, tambm servidor pblico, removido, em decorrncia de aprovao em concurso de remoo, para unidade de lotao em outro estado da Federao. Nessa situao hipottica, a servidora no preenche os requisitos legais necessrios obteno da remoo, visto que ainda cumpre estgio probatrio, circunstncia essa que condiciona sua remoo ao interesse da administrao pblica. ( ) Certo ( )Errado Gabarito: errado. Independe da estabilidade, superao positiva do estgio probatrio, o pedido referente remoo quando para acompanhar cnjuge removido, seno vejamos: Art. 36, lei 8.112/90 - Remoo o deslocamento do servidor, a pedido ou de ofcio, no mbito do mesmo quadro, com ou sem mudana de sede. Pargrafo nico. Para fins do disposto neste artigo, entende-se por modalidades de remoo: I - de ofcio, no interesse da Administrao; II - a pedido, a critrio da Administrao; III - a pedido, para outra localidade, independentemente do interesse da Administrao: a) para acompanhar cnjuge ou companheiro, tambm servidor pblico civil ou militar, de qualquer dos Poderes da Unio, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municpios, que foi deslocado no interesse da Administrao;

  • b) por motivo de sade do servidor, cnjuge, companheiro ou dependente que viva s suas expensas e conste do seu assentamento funcional, condicionada comprovao por junta mdica oficial; c) em virtude de processo seletivo promovido, na hiptese em que o nmero de interessados for superior ao nmero de vagas, de acordo com normas preestabelecidas pelo rgo ou entidade em que aqueles estejam lotados. 5- Sobre o regime jurdico aplicvel aos servidores pblicos correto afirmar: a) A Constituio Federal impe a obrigatoriedade do concurso pblico de provas e ttulos e veda a contratao temporria de pessoal. b) Pelo regime imposto pela Emenda Constitucional 19/98 os vencimentos dos servidores pblicos em geral passaram a ser chamados de subsdios. c) A acumulao de dois cargos pblicos remunerados de professor admitida se houver compatibilidade de horrios, sendo que a soma das remuneraes deve respeitar o teto remuneratrio. d) Os preceitos constitucionais que asseguram o direito de greve e o direito de associao sindical dos servidores pblicos so de eficcia contida. e) A aposentadoria compulsria d-se por presuno de invalidez aos 70 anos de idade para os homens e aos 65 anos de idade para as mulheres. Seguem as justificativas de acordo com os dispositivos constitucionais: a) errada - a investidura em cargo ou emprego pblico depende de aprovao prvia em concurso pblico de provas ou de provas e ttulos, de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego, na forma prevista em lei, ressalvadas as nomeaes para cargo em comisso declarado em lei de livre nomeao e exonerao; a lei estabelecer os casos de contratao por tempo determinado para atender a necessidade temporria de excepcional interesse pblico; b) errada - a remunerao dos servidores pblicos e o subsdio de que trata o 4 do art. 39 somente podero ser fixados ou alterados por lei especfica, observada a iniciativa privativa em cada caso, assegurada reviso geral anual, sempre na mesma data e sem distino de ndices; art. 39 4 O membro de Poder, o detentor de mandato eletivo, os Ministros de Estado e os Sec