7a lista de exerccios - iemonit – monitoria de ... lista de exerc­cios 6a...

Download 7A LISTA DE EXERCCIOS - IEMonit – Monitoria de ... Lista de Exerc­cios 6A – Introdu§£o

Post on 07-Nov-2018

255 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Lista de Exerccios 6A Introduo Economia 1

    Conceitos importantes:

    1) As transaes externas de um pas: o balano de

    pagamentos

    2) Estrutura do balano de pagamentos: transaes

    correntes, conta capital e financeira e erros & omisses

    3) Balano de pagamentos no Brasil

    4) Taxas de cmbio: vantagens e desvantagens do

    sistema de taxas fixas, vantagens e desvantagens do

    sistema de taxas flexveis e sistemas usados

    atualmente nos vrios pases.

    5) Relao entre os regimes cambiais, o Balano de

    Pagamentos e o nvel das reservas internacionais.

    6) Taxas de cmbio real e nominal.

    7) Relao entre valorizao/desvalorizao cambial e a

    balana comercial.

    8) Princpio das Vantagens Comparativas.

    9) Teorias do comrcio internacional

    LISTA 6A

    ANOTAES

    GABARITO

  • Lista de Exerccios 6A Introduo Economia 2

    FIXAO CONCEITUAL

    1. Com respeito ao balano de pagamentos, responda ao seguinte:

    a) O que registram os balanos de pagamentos? Descreva seus principais grupos de contas, discriminando as

    categorias de transaes contabilizadas em cada um deles.

    Os balanos de pagamentos fornecem o registro contbil de todas as transaes comerciais e financeiras de um

    pas com o resto do mundo, durante determinado perodo (um ano, em geral). Adota-se a conveno de que as

    transaes associadas a uma entrada de dlares no pas so registradas com sinal positivo, enquanto aquelas

    que resultam em sada de dlares so registradas com sinal negativo.

    Estrutura do balano de pagamentos:

    1. Transaes Correntes

    1.1. Balana Comercial (mercadorias)

    Exportaes

    Importaes

    1.2. Balana de Servios e Rendas

    Servios

    Transportes

    Viagens internacionais

    Seguros

    Servios Financeiros

    Royalties e licenas

    Rendas (Remuneraes de fatores de produo)

    Lucros

    Juros

    Salrios

    Outras

    1.3. Transferncias Unilaterais

    2. Conta Capital e Financeira

    (investimentos, emprstimos e financiamentos)

    2.1. Conta Capital (transferncias de patrimnio cesso de marcas, patentes, transferncias de

    patrimnio de imigrantes etc.).

  • Lista de Exerccios 6A Introduo Economia 3

    2.2. Conta Financeira

    Investimentos diretos

    Investimentos em carteira

    Derivativos

    Outros investimentos

    Emprstimos/Financiamentos

    3. Erros & Omisses (item destinado a compensar superestimaes ou subestimaes dos componentes

    registrados, por deficincia de registros estatsticos).

    b) Como definido o resultado do balano de pagamentos?

    O Resultado lquido do balano de pagamentos a soma de:

    1. Saldo em Transaes Correntes (+ ou -)

    2. Saldo da Conta Capital e Financeira (+ ou -)

    3. Erros & Omisses (+ ou -)

    O saldo pode ser um supervit (+) ou dficit (-), ou pode ser nulo (equilbrio do BP). O resultado do Balano de

    Pagamentos , por definio, igual variao das reservas internacionais do pas, ou seja, do estoque de

    moeda estrangeira detido pelo Banco Central. Um supervit indica aumento das reservas, enquanto um dficit

    indica reduo nas reservas.

    2. Explique por que pode ser problemtico para um pas ter dficits substanciais e crescentes, por anos seguidos,

    em Transaes Correntes.

    Tal situao pode ser problemtica porque dficits em transaes correntes devero ser compensados

    por supervits na conta capital e financeira. De fato, torna-se difcil financiar dficits substanciais e crescentes

    por um longo perodo, pois o fluxo de capitais depende, entre outros aspectos, das expectativas dos

    investidores estrangeiros. Assim, uma alterao das expectativas (influenciada mesmo pela simples existncia

    daqueles dficits) pode reduzir consideravelmente o fluxo de capitais para determinado pas.

    Pode-se ressaltar, entretanto, que essa no uma regra absoluta. Os Estados Unidos, por exemplo,

    tm apresentado, h anos, grandes e crescentes dficits em transaes correntes, compensados por um vultoso

    influxo de investimentos externos nesse pas, especialmente sob a forma de compra de ttulos do governo

    americano (mesmo nesse caso alguns analistas julgam que a situao pode provocar uma crise sria em algum

    ponto no futuro).

  • Lista de Exerccios 6A Introduo Economia 4

    3. (Instituto Rio Branco, 2010) Considerando que a taxa de cmbio uma varivel fundamental em uma economia

    aberta, e que sua determinao pode-se dar de formas distintas:

    a) Explique a determinao da taxa de cmbio em regimes de cmbio fixo e flutuantes.

    b) Comente o papel das reservas internacionais nos dois regimes.

    No regime de taxas de cmbio fixas, o preo, em moeda local, da moeda estrangeira no se altera. Esse

    sistema prevaleceu para grande nmero de pases durante o sculo XIX, quando em geral as moedas nacionais

    tinham seu valor fixado em gramas de ouro, tendo, portanto uma relao fixa entre si (o chamado regime do

    padro-ouro). No perodo seguinte ao fim da Segunda Guerra Mundial, e at 1971, prevaleceu tambm um

    sistema de taxas de cmbio fixas: as moedas tinham um valor fixo em relao ao dlar. Nesse caso, no sendo

    os sistemas monetrios baseados em ouro ou dlares, no havia um sistema automtico de reequilbrio. O

    Fundo Monetrio Internacional (FMI) foi criado, em 1943, com o propsito de facilitar o restabelecimento do

    equilbrio no balano de pagamentos, sem que a taxa de cmbio variasse. Um exemplo recente de economia

    com cmbio fixo o da Argentina, at 2001: era um sistema equivalente ao padro-ouro, pois a oferta interna

    de moeda dependia do estoque de dlares no Banco Central. H tambm economias inteiramente dolarizadas,

    como a do Equador: no h moeda nacional, o dlar circula internamente. No Brasil, entre 1994 e janeiro de

    1999, adotou-se um regime em que a taxa cambial no era fixa, mas tinha variao limitada, tendo em vista o

    objetivo de conter presses inflacionrias.

    No regime de taxas de cmbio flutuantes ou flexveis, o preo da moeda estrangeira estabelecido no

    mercado de cmbio (mercado de compra e venda de divisas). A maioria dos pases, hoje, adota este tipo de

    regime, inclusive o Brasil, desde janeiro de 1999. Todavia, mesmo nesses pases, no raro que a autoridade

    governamental intervenha, comprando ou vendendo divisas, para evitar oscilaes julgadas excessivas. Em

    alguns casos, estabelecem-se formalmente limites de variao permissvel (o chamado regime de bandas

    cambiais): quando esse limite atingido, o Banco Central intervm. No regime de cmbio fixo, as reservas

    internacionais so utilizadas por parte do BC para comprar moeda no mercado de cmbio quando ela enfrenta

    presses de desvalorizao. No regime de cmbio flutuante, as reservas internacionais no so alteradas.

    EXERCCIOS DE APLICAO 1 Julgue verdadeiro ou falso:

    1. Anpec 1992: Uma economia realizou durante um ano as seguintes transaes com o exterior:

    (a) Recebimento de doaes humanitrias em moeda forte, no valor de US$ 1 bilho. (b) Importaes de mercadorias no valor de US$ 7 bilhes. (c) Pagamento de US$ 13 bilhes em amortizaes da dvida externa. (d) Pagamentos de juros da dvida externa no valor de US$ 5 bilhes. (e) Exportaes de mercadorias no valor de US$ 15 bilhes. (f) Recebimento de novos emprstimos e financiamento do exterior, no valor de US$ 16 bilhes.

  • Lista de Exerccios 6A Introduo Economia 5

    (g) Pagamentos de fretes internacionais no valor de US$ 3 bilhes. Responda Verdadeira (V) ou Falsa (F): (0) O saldo da balana comercial de US$ 5 bilhes. (1) O saldo do balano em transaes correntes de US$ 1 bilho. (2) O saldo do balano de capitais de US$ -2 (menos dois) bilhes. (3) O saldo do balano de pagamentos de US$ 4 bilhes. (4) O saldo do balano de servios de US$ -3 (menos trs) bilhes.

    Na balana comercial registram-se b com sinal negativo e e com sinal positivo, logo seu valor final de 7

    bilhes + 15 bilhes, o que totaliza 8 bilhes, logo o item (0) Falso. O item g registra-se em servios com

    sinal negativo, tornando o item (4) verdadeiro. Somando a ele o item d (com sinal negativo), tem-se o

    balano de servios e rendas com um valor de 8 bilhes. As transferncias unilaterais so de 1 bilho positivo

    (item a) e somando BC + BSR + TU tem-se TC, o que d + 1 bilho, logo o item (1) verdadeiro. Os itens c

    (sinal negativo), f (sinal positivo) entram na CCF, logo CCF = + 3 bilhes o que torna o item (2) falso. Somando

    TC com a CCF tem-se 4 bilhes e o item (3) verdadeiro.

    2. (Instituto Rio Branco / 2004) Quando nisseis brasileiros que trabalham no Japo remetem parte de suas

    economias a seus familiares, no Brasil, essa transao registrada como uma transferncia unilateral e

    constitui parte integrante da conta de transaes correntes.

    V pois no h contrapartida produtiva.

    3. (Instituto Rio Branco / 2004) Dficits em conta-corrente implicam que o montante de divisas arrecadado com as exportaes superior quele exigido para financiar suas importaes e transferncias unilaterais lquidas.

    F Devemos considerar ainda o saldo do balano de servios e rendas.

    4. Uma desvalorizao da taxa de cambio nominal sempre altera o saldo da balana comercial.

    F A desvalorizao deve ser real para alterar o saldo da balana comercial se ela estiver repondo somente a

    inflao, o saldo da balana comercial pode ficar inalterado.

    5. Anpec 1995: Em regime de cmbio fixo, um aumento dos gastos dos turistas