71 | especial mercado imobiliario | maio 2007

Download 71 | Especial Mercado Imobiliario | Maio 2007

Post on 23-Mar-2016

218 views

Category:

Documents

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

oscar niermayer, vivasa, revista, magazine, santana de parnaiba, alphaville, barueri,

TRANSCRIPT

  • Untitled-1 1 11/5/2007 20:34:25

  • As 99 pginas contam diferentes histrias de um homem frente de seu tempo. So captulos dedicados reinveno da arquitetura, luta por justia social e convivncia em famlia. O livro, ou melhor, a vida de Oscar Niemeyer, que com-pleta 100 anos em 15 de dezembro, de vanguarda. O arquiteto ousou. Criou traos inconfundveis, inspirados nas curvas da geografia - e das mulheres - brasileiras. Exi-lou-se em Paris durante a ditadura militar e deu vida ao Partido Comunista Francs. Rabiscou sua prancheta e fez surgir Braslia. Em outras folhas brancas, desenhou infinitas curvas livres e sensuais pelo Brasil e mundo afora. Casou-se pela segun-da vez aos 98 anos.

    A trajetria de Oscar Niemeyer, cone da arquitetura moderna, comea em 1934, quando ele se forma arquiteto e engenheiro pela Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro. No ano seguinte, comea a trabalhar no escritrio de Lcio Costa e Carlos Leo, onde conhece figuras como Le Corbusier e Gustavo Capanema. O bom relacionamento do jovem seria fundamental para seus primeiros passos rumo ao reconhecimento internacional.

    Niemeyer ainda no sabia que a amizade com Juscelino Kubitschek renderia a maior obra de sua carreira. O arquiteto foi apresentado ao ento prefeito de Belo Horizonte por Gustavo Capanema, em 1940. JK tinha grandes planos para a Lagoa da Pampulha e convidou o recm-formado para o projeto arquitetnico. A Igreja de So Francisco de Assis, carto-postal da cidade, marcou o estilo Niemeyer, totalmente

    niemeyeroscaro centenrio de um gnio

    Conhea a histria do homem

    que revolucionou a arquitetura

    moderna, suas invenes e a paixo

    pela famlia. No ano de seu

    centenrio, o Brasil e o mundo prestam

    homenagens

    Catedral de Braslia

    Foto

    : Kad

    u Ni

    emey

    er

    Foto

    : Edu

    Jun

    g

    MaTRia dE caPa TEXTO: Mila TaNuS

    Viva So Paulo - Maio 2007

  • niemeyer

    100 ANOSO Ano do Centenrio foi criado pela

    Cmara dos Deputados quando o arquiteto completou 99 anos. No mesmo dia, Niemeyer inaugurou o antigo projeto do Complexo Cul-tural da Repblica, em Braslia, onde foi aber-ta oficialmente a comemorao. O primeiro evento da agenda foi a exposio Niemeyer por Niemeyer, que ficou em cartaz at o ms passado e mostrou os melhores painis fotogrficos de Kadu Niemeyer, fazendo uma retrospectiva da vida e da obra de Oscar.

    Kadu, alis, quem est frente do escritrio 100 Anos de Oscar Niemeyer (www.100anososcarniemeyer.com), respon-svel pela agenda comemorativa do cente-nrio. No ms de julho ou agosto, em Belo Horizonte, esto previstas exposies sobre a trajetria do arquiteto, e em outubro sero em So Paulo, na OCA. Em novembro, have-r uma mostra em Cuba, e em dezembro, no Rio de Janeiro. O Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, abrir a exposio comemorativa apenas em janeiro de 2008. Segundo o escri-trio, esto sendo negociadas exposies em Paris e outras cidades da Europa. Mas j est certo que o Partido Comunista Francs prestar uma homenagem ao artista.

    No momento, o principal evento em cartaz o documentrio Oscar Niemeyer, A Vida um Sopro. Dirigido por Fabiano Maciel, o longa mostra o arquiteto contan-do como concebeu seus principais projetos e revolucionou a arquitetura moderna. Nie-meyer tambm fala sobre sua vida e sobre o ideal de uma sociedade justa. O filme, rodado no Brasil, Arglia, Frana, Itlia, Estados Uni-dos, Uruguai, Inglaterra e Portugal, demorou dez anos para ser produzido.

    A principal comemorao, no entanto, ser uma grande festa, cujos detalhes ainda so segredo. Nesse dia, talvez, um retrato da famlia poder completar a histria e ilustrar a centsima pgina do livro que celebra a vida de um gnio.

    avesso ao ngulo reto. Foi meu primeiro trabalho. Nela j se faz presente essa arquitetura mais livre e criativa que procuro realizar, comenta o autor. A Pampu-lha lanou Niemeyer no Brasil e no mundo.

    Depois de criar o Conjunto do Ibirapuera, na So Paulo dos anos 50, e em Braslia, a capital arrojada para os anos 60, o arquiteto foi impedido de trabalhar no pas durante a ditadura militar. Decidiu, ento, viver em Paris, onde foi muito bem acolhido pelo presidente Charles De Gaulle, que at baixou um decreto para permitir seu trabalho como arquiteto na Frana. O incentivo permitiu que Nieme-yer inventasse projetos incrveis, como o do Partido Comunista Francs e o do Centro Cultural Le Havre.

    Ao redor do planeta, ele participou de trabalhos de sucesso. Nos Estados Unidos, contribuiu para o projeto do prdio da ONU, em Nova Iorque. Na Itlia, desenhou a Editora Mondadori. Criou a Universidade de Constantine, na Arglia. Tambm traou a Universidade de Haifa e outros edifcios em Israel.

    O j consagrado arquiteto volta ao Brasil no final da dcada de 70. E con-tinua usando toda criatividade em seus projetos. Um dos mais ousados o do Museu de Arte Contempornea de Niteri (MAC), inaugurado em 1996. Para a mesma cidade, projetou um caminho s com suas obras, ainda em construo. Abriu a Fundao Oscar Niemeyer em Braslia e, no Rio, desenhou o anexo do Museu Oscar Niemeyer de Curitiba... Niemeyer nunca mais parou de inventar.

    Ah, como mgico ver surgir na folha branca de papel um palcio, um museu, uma bela figura de mulher! Como as desejo e gosto de desenh-las! Como as sinto nas cur-

    vas da minha arquitetura!

    Foto

    : Div

    ulga

    o

    Museu Oscar Niemeyer, Curitiba

    Viva So Paulo - Maio 2007 41

  • PRINCIPAIS OBRASNo captulo das principais obras,

    Braslia a mais notvel. Depois do sucesso na Pampulha, Niemeyer foi convidado pelo j presidente JK para projetar a capital da Repblica. O Plano Piloto, idealizado pelo urbanista Lcio Costa, segue a linha moder-nista. Reconheo, sem falsa modstia, que no me faltou coragem para desenhar as cpulas do Congresso Nacional, revela o autor em Conversa de Arquiteto.

    No Congresso Nacional, as cpulas cncava e convexa so sede do Senado e da Cmara dos Deputados, respectivamente. J no Palcio do Planalto, a casa do Execu-tivo, so os traos horizontais e as colunas leves como penas pousando no cho que predominam. Nos Palcios da Alvorada e do Itamaraty e no Memorial JK, Niemeyer fez desenhos nicos.

    A Catedral Metropolitana tambm inovadora. Tem planta circular e 16 pilares unidos no topo. A nave principal est abaixo do nvel do solo e recebe luz natural pelos vitrais.

    O Complexo Cultural da Repblica, embora projetado h 40 anos, a mais recen-te obra de Niemeyer em Braslia. Foi inaugu-rado em 15 de dezembro de 2006, quando o arquiteto completou 99 anos. formado pelo Museu Nacional Honestino Guimares e pela Biblioteca Nacional Leonel Brizola.

    Ainda em Braslia, o Espao Oscar Niemeyer, que pertence Fundao Oscar Niemeyer (www.niemeyer.org.br), guarda a mostra permanente de sua obra. uma edi-ficao cilndrica projetada por ele mesmo.

    O Conjunto da Pampulha a prin-cipal obra de Niemeyer em Minas Gerais. Ao redor da lagoa, o arquiteto traou a

    MaTRia dE caPa

    Foto

    : Fer

    nand

    a M

    ayrin

    k

    Museu de Arte Contempornea, Niteri

    Casa das Canoas, Rio de Janeiro

    Foto

    : Kad

    u Ni

    emey

    er

    Oca, So Paulo

    Foto: Roberto Riva

  • Igreja de So Francisco de Assis, a Casa do Baile, o Cassino da Pampulha e o Iate Clube. Hoje, onde era o cassino, funciona o Museu de Arte da Pampulha. E na antiga Casa do Baile, um centro de referncia em urbanismo e arquitetura.

    Em So Paulo, o arquiteto assina 17 projetos. Os mais conhecidos so o edifcio Copan e o conjunto do Parque do Ibirapue-ra, projetados em 1954 para as comemora-es dos 400 anos da cidade. Oscar Nieme-yer tambm criou o Memorial da Amrica Latina, smbolo da integrao das culturas do continente.

    No Rio de Janeiro, destaque para os projetos em Niteri. No Museu de Arte Contempornea, o arquiteto empregou solues mais audaciosas. Pelo Caminho Niemeyer h vrios edifcios projetados ao longo da orla, como o Teatro Popular. Ainda esto por vir a catedral catlica e a esta-

    DEPOIMENTO

    Chico Buarque, compositor, sobre o seu desejo de ser arquiteto

    A Casa do Oscar era o sonho da famlia. Havia o terreno para os

    lados da Iguatemi, havia o ante-pro-jeto, presente do prprio. Havia a

    promessa de que um belo dia iramos morar na casa do Oscar. Cresci

    cheio de impacincia, porque me pai, embora fosse dono do Museu

    do Ipiranga, nunca juntava dinheiro para construir a casa do Oscar. Pois

    bem, internaram-me num ginsio em Cataguases, projeto do Oscar.

    Vivi seis meses naquele casaro do Oscar, achei pouco. Decidi-me a ser Oscar eu mesmo. Depois larguei a arquitetura e virei aprendiz de Tom Jobim. Quando a minha msica sai boa penso que parece msica de

    Tom Jobim. Msica do Tom na minha cabea casa do Oscar.

    o de barcas, entre outras construes. Finalizado o caminho, Niteri vai se tor-nar a segunda cidade brasileira com maior nmero de trabalhos de Niemeyer, depois de Braslia.

    Na capital do Estado, trs cones: o sambdromo na Marqus de Sapuca, a sede da Fundao Oscar Niemeyer, voltada documentao e pesquisa, e a Casa das Canoas, um presente do arquiteto famlia. A casa, em plena Floresta da Tijuca, uma referncia arquitetnica mundial.

    Entre outras obras-primas espa-lhadas pelo Brasil, o Museu Oscar Nieme-yer (www.museuoscarniemeyer.org.br), em Curitiba, imperdvel. Inaugurado em 2002, e conhecido pelo formato de um olho, expe fotos, maquetes e croquis dos principais trabalhos do arquiteto, desenvolvidos entre 1941 e 2002.

    Parlamento Latino-americano, So Paulo

    Foto

    : Rob

    erto

    Riv

    a

    Foto

    : Chr

    istia

    n Kn

    eppe

    r

    Congresso Nacional, Braslia

  • EM FAMLIAApesar da admirao por Cuba, Nie-