7 - m - regimes cambiais - .regimes cambiais leitura obrigatÓria capÍtulo 23 – economia aberta:

Download 7 - M - Regimes Cambiais - .REGIMES CAMBIAIS LEITURA OBRIGATÓRIA CAPÍTULO 23 – ECONOMIA ABERTA:

Post on 29-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • REGIMES CAMBIAIS

    LEITURA OBRIGATRIA

    CAPTULO 23 ECONOMIA ABERTA: REGIMES

    CAMBIAIS, DETERMINAO DA RENDA E

    IMPACTOS DA POLTICA ECONMICA

    Pinho, Diva Benevides & Vasconcellos, Marco Antonio

    S.(Org.), Manual de Economia, 5 Edio. So

    Paulo, Editora Saraiva, 2006.

  • REGIMES CAMBIAIS

    Para que as transaes internacionais sejam viveis, os

    preos nos diferentes pases devem poder ser

    comparados, e deve haver alguma forma de converter a

    moeda de um pas na moeda de outro. A taxa de cmbio

    nos mostra qual a relao de troca entre duas unidades

    monetrias diferentes, ou seja, o preo relativo entre

    diferentes moedas.

  • REGIMES CAMBIAIS

    Transaes econmicas com residentes em outros pases:

    Comrcio de bens e servios

    Ativos (direitos) e Obrigaes

  • REGIMES CAMBIAIS

    Comrcio de bens e servios

    Exportaes

    Importaes

    Turismo

    Ativos e Obrigaes

    Investimentos diretos

    Endividamento externo

    Colocao de papis no exterior

  • REGIMES CAMBIAIS

    Vantagens:

    Especializao na produo de bens em que o pas possua

    vantagens comparativas.

    Aumento da variedade de produtos a que os cidados tm

    acesso.

    Possibilidade de diversificao de portflio dos agentes.

    Antecipao do consumo futuro pelos residentes.

    Ampliao de concorrncia nos mercados domsticos.

  • REGIMES CAMBIAIS

    Balana de pagamentos: onde so registradas as

    transaes entre residentes de um pas e o resto do

    mundo.

    Divide-se em:

    Conta corrente: refere-se aos fluxos de bens e servios

    entre pases.

    Movimento de capitais: refere-se aos direitos e

    obrigaes dos residentes do Pas com o resto do mundo.

  • REGIMES CAMBIAIS

    TAXA DE CMBIO

    Mostra qual a relao de troca entre duas unidades

    monetrias diferente, ou seja, o preo relativo entre duas

    moedas.

  • REGIMES CAMBIAIS

    TAXA DE CMBIO NOMINAL

    O preo de uma moeda em relao outra.

  • REGIMES CAMBIAIS

    TAXA DE CMBIO REAL

    Para determinar os fluxos comerciais entre os pases, a

    taxa de cmbio relevante a chamada taxa de cmbio

    real, que corresponde ao relativo de preos entre o

    produto nacional e o estrangeiro (ou vice-versa, conforme

    definio da taxa de cmbio nominal). Tomando como

    referncia o dlar, a taxa de cmbio pode ser obtida pela

    seguinte expresso:

  • REGIMES CAMBIAIS

    TAXA DE CMBIO REAL

    = P*/P,

    = taxa de cmbio real;

    E = taxa de cmbio nominal (R$/$);

    P* = preo do produto estrangeiro em $;

    P = preo do produto nacional em R$.

  • REGIMES CAMBIAIS

    TAXA DE CMBIO REAL

    Considere que um automvel produzido no Brasil custe

    R$ 30.000, e o mesmo automvel nos Estados Unidos

    custe $12.000. Se a taxa de cmbio nominal no Brasil for

    de R$2/US$, teremos a seguinte taxa de cmbio real:

    = 2 (R$/US$) * $12.000/R$ 30.000 = 0,8.

  • REGIMES CAMBIAIS

    Os dois principais tipos de regime cambial so o de

    cmbio fixo e o de cmbio flutuante.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FIXO

    No caso do cmbio fixo, o Banco Central determina o

    valor da taxa de cmbio e se compromete a comprar e

    vender divisas taxa estipulada. Note que, para esse

    regime poder funcionar, o Banco Central deve possuir

    moeda estrangeira em quantidade suficiente para atender

    a uma situao de excesso de demanda por estas (uma

    situao de dficit na balana de pagamentos) a uma taxa

    estabelecida, bem como deve adquirir qualquer excesso

    de oferta de moeda estrangeira.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FLUTUANTE

    Quanto ao segundo regime cambial, o de taxas flutuantes,

    a sua caracterstica bsica que a taxa de cmbio deve se

    ajustar de modo a equilibrar o mercado de divisas. Em

    uma situao de excesso de demanda por moeda

    estrangeira, esta ter seu preo elevado, ou seja, a moeda

    nacional se desvalorizar. Quando houver um excesso de

    oferta de moeda estrangeira, seu preo cair, isto a

    moeda nacional ser valorizada.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FLUTUANTE

    Observe que o princpio bsico do regime de cmbio flutuante

    um mercado de divisas do tipo concorrncia perfeita, sem

    intervenes do Banco Central, de modo que qualquer

    desequilbrio seja prontamente eliminado pelo mecanismo de preo

    (alterao da taxa de cmbio). Com isso, a balana de pagamentos

    estar sempre em equilbrio, com cmbio flutuante. O mercado

    determinando a taxa de cmbio, tornando-a menos sujeita s

    intervenes das autoridades governamentais, e a liberdade dada

    poltica monetria.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FLUTUANTE

    Algumas desvantagens esto associadas a esse sistema. A

    principal delas refere-se instabilidade devido a maior

    volatilidade da taxa de cmbio. As maiores flutuaes das

    taxas podem desestabilizar os fluxos comerciais,

    restringindo o comrcio internacional (ressurgimento do

    protecionismo), e, ao ampliar a incerteza, podem levar a

    redues nos investimentos.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FLUTUANTE

    A balana de pagamentos de um pas de divide em

    transaes correntes e movimentos de capitais. As

    transaes correntes correspondem s transaes como

    bens e servios que o pas realiza com o resto do mundo.

    J o movimento de capitais corresponde aos direitos e

    obrigaes de um pas com o resto do mundo.

    A soma desses dois componentes necessariamente igual

    a zero.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FLUTUANTE

    Isso pode ocorrer com um equilbrio entre o que o pas compra e o

    que vende do exterior, isto , um saldo zero em transaes

    correntes e um saldo zero na conta de capital, ou pode ser obtido

    com um dficit em conta corrente (quando o pas importa mais do

    que exporta) e um supervit na conta capital, o que corresponde a

    um acmulo de divisas (obrigaes) em relao ao exterior; ou, ao

    contrrio, com um supervit em conta corrente e um dficit na

    conta capital.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FLUTUANTE

    Pode-se dizer que, no curto prazo, o pas pode equilibrar

    a balana de pagamentos acumulando divisas ou direitos

    em relao ao exterior, mas, no longo prazo, as dvidas

    devero ser pagas e os direitos, realizados. Assim, o pas

    deve, ao longo do tempo, apresentar equilbrio nas

    transaes correntes.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FLUTUANTE

    O saldo da conta corrente depende das exportaes lquidas de

    bens e servios. O volume de importaes de um pas depende do

    nvel de atividade econmica, isto , da renda nacional e da taxa de

    cmbio real, que reflete a competitividade da produo domstica

    em relao externa. Quanto maior o nvel de renda nacional,

    maiores sero as importaes, uma vez que amplia a demanda por

    bens, inclusive em seu componente externo. E quanto mais

    valorizada estiver a taxa de cmbio real, mais barato ser o produto

    importado em relao ao interno, estimulando as importaes.

  • REGIMES CAMBIAIS

    CMBIO FLUTUANTE

    J as exportaes dependem basicamente da renda do resto do

    mundo e da taxa de cmbio real. Quanto maior o nvel de

    atividades nos demais pases, mais importados sero necessrios,

    repercutindo positivamente sobre as exportaes do pas. Quanto

    mais desvalorizada for a taxa de cmbio real, maior ser a

    competitividade dos produtos domsticos, ampliando as

    exportaes.

Recommended

View more >