6ª Edição - Jornal Do Quintal

Download 6ª Edição - Jornal Do Quintal

Post on 07-Mar-2016

225 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

- Cruz pode ganhar lote pg.2; - Msica e ao social pg.5; - Pilarzinho sofre com a falta de esgoto pg.6 - Prefeitura pode definir o futuro do Golfinho. Pgs. 8 e 9; - Quando o carro era para poucos pg.12; - Patrimnio Natural Pg.16;

TRANSCRIPT

<ul><li><p>Do QuintalUm jornal a servio dos moradores da regio do Pilarzinho, Mercs, Vista Alegre, Abranches, So Loureno e Bom Retiro.</p><p>R$ 1,50 Curitiba, setembro de 2011 - Ano I - Nmero 6</p><p>CONCLUSO DA FREDOLIN FICA PARA 2012Previstas para serem entregues em junho deste ano, as obras de revitalizao da Avenida Fredolim Wolf sero entregues somente em janeiro do ano que vem. Entre os principais motivos esto as frequentes chuvas do inverno e falhas que o Tribunal de Contas do Estado detectou na execuo do contrato. ::Pgina 5</p><p>No final de julho, o prefeito Luciano Ducci anunciou que o Municpio pretende desapropriar o imvel do antigo Clu-be do Golfinho, no Pilarzinho, abandonado h mais de oito anos e que foi arrematada recentemente por uma imobiliria em leilo da Justia do Trabalho. Desde ento, comunida-de, ex-atletas e vereadores esto aguardando as medidas para </p><p>resgatar a estrutura do lendrio clube de natao. O vereador Paulo Frote (PSDB), presidente da Comisso de Oramen-to da Cmara, informou que o prefeito adiantou-lhe que in-cluir na proposta oramentria para 2012 os recursos para a desapropriao. O prazo para entrega da proposta encerra neste 30 de setembro. ::Pgs. 8 e 9</p><p>FUTURO DO GOLFINHO GERA EXPECTATIVA</p><p>PILARZINHO SOFRE COM A FALTA DE ESGOTOUm dos bairros mais antigos de Curitiba e apenas a cinco quilmetros do centro da cidade, o Pilarzinho tem uma das menores redes de esgoto da cidade. Para mudar isso, a Sanepar anuncia obra de R$ 7 milhes a ser iniciada em maro do ano que vem. ::Pgina 6</p><p> Cruz deve ser tombada</p><p>A petio feita pelo jornal Do Quintal junto Prefeitura Municipal para o registro da Cruz do Pilarzinho como um monumento histrico recebeu parecer favorvel do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba - IPPUC, quanto criao de um lote para a Cruz. ::Pg. 2</p><p> Patrimnio natural</p><p>Velha paineira do Pilarzinho uma das 8 rvores protegidas em Curitiba pelo Patrimnio Estadual. Pg. 16</p><p> Quando o carro era para poucos</p><p>Almanaque do Quintal traz curiosidades do incio da era dos automveis. Pg. 12</p><p> Msica e ao social</p><p>Banda d e trs irmos leva msica, esporte e critica social aos jovens. Pg. 5</p><p> Escola todos os dias</p><p> Com ajuda de voluntrios, o programa municipal Comunidade Escola tem levado atividades artsticas, esportivas e de capacitao profissional nos finais de semana a 89 escolas da cidade. Pg. 4</p><p>Joo de Noronha</p><p>DS</p><p>F-D</p><p>oQ</p></li><li><p> 2</p><p>Curitiba, setembro de 2011</p><p>Do Quintal</p><p>Do Quintal</p><p>Estamos em perodo de </p><p>transformaes urbanas </p><p>que podem definir os rumos </p><p>que Curitiba pretende </p><p>tomar. Os ativistas da </p><p>bicicleta comeam a </p><p>reinventar uma cidade </p><p>em que o veculo no </p><p>fique restrito s ciclovias </p><p>tursticas ou nas caladas </p><p>compartilhadas com </p><p>pedestres. Eles querem </p><p>garantir seus direitos no </p><p>trnsito, dividindo espao </p><p>com os carros, como meio </p><p>de transporte urbano.</p><p> A moralizao da poltica </p><p>pblica tema recorrente, </p><p>ao mesmo tempo que </p><p>a discusso em torno </p><p>da necessidade da </p><p>implementao de cidades </p><p>efetivamente sustentveis, </p><p>o que exige tanto respeito </p><p>quanto reconhecimento </p><p>do potencial econmico </p><p>do Meio Ambiente. A </p><p>sustentabilidade tem, </p><p>inclusive a ver com os </p><p>direitos mais essenciais </p><p>como a democratizao </p><p>do acesso ao saneamento </p><p>bsico. Por isso, mais do </p><p>que nunca participar da </p><p>elaborao do oramento </p><p>do Municpio, acompanhar </p><p>a ao do Legislativo, </p><p>contribuir para os </p><p>movimentos coletivos do </p><p>bairro so atitudes que </p><p>garantem, de fato, o direito </p><p> cidadania.</p><p> a sociedade civil que </p><p>se organiza para ditar </p><p>suas prioridades, seja em </p><p>movimentos de moradores, </p><p>em protestos contra o baixo </p><p>salrio dos professores, ou </p><p>contra a imoralidade no uso </p><p>dos recursos pblico, seja </p><p>numa biciletada. Enfim, </p><p>tempo de participao e se </p><p>ainda no nos apercebemos </p><p>disso sinal de que </p><p>corremos o risco de perder </p><p>o bonde e virar mais um </p><p>a reclamar eternamente </p><p>da poltica, como se ela </p><p>estivesse confinada em </p><p>algum gabinete qualquer.</p><p>CARTA AO LEITOR</p><p>Propriedade da Editora Douglas de Souza Fernandes CNPJ: 12.339.920/0001-18</p><p>Jornalista Responsvel: ngela Ribeiro DRT 1574</p><p>Diretor de Redao: Douglas de Souza Fernandes</p><p>Projeto grfico e diagramao: Eduardo Picano Aguida e Paulo Augusto Krger de Almeida.</p><p>Endereo: Rua Professor Igncio Alves e Souza Filho, 343, Pilarzinho, CEP 82110-450.</p><p>Telefones: 3527-0501 e 9892-4606. E-mails: jornalismo@doquintal.com.br, contato@doquintal.com.br, comercial@doquintal.com.br.</p><p>Impresso: Editora O Estado do Paran</p><p>Tiragem: 10.000 exemplares</p><p>EXPEDIENTEJorg</p><p>e Lu</p><p>iz d</p><p>a S</p><p>ilvaOperrio Pilarzinho: </p><p>seis dcadas de vida e 75 anos de histria</p><p>O Operrio Pilarzinho Sport Clube est em um ano de festa. No dia 29 de junho, o clube completou 60 anos de sua fundao oficial. A sua histria, porm, ainda mais antiga e se confunde com a pr-pria histria do bairro. Tudo comeou ainda na dcada de 30, quan-do jovens operrios e empresrios da regio, como os da Cristaleiria Aurora, das pedreiras da famlia Gava e das fbrica de mveis Lauro Goras e Pedroso, se reuniam para jogar em um campinho prximo a onde hoje a pera de Arame.</p><p>Com o tempo, o grupo foi se organizando, at que no incio dos anos 50, conseguiu adquirir sua sede prpria, sendo oficialmente fundado em 29 de julho de 1951. O atual campo, o Bortolo Gava, na Amauri Lange 1141, porm, s seria oficialmente inaugurado em 20 de abril de 1958.</p><p>O grande presente que o clube e a torcida ganharam de anivers-rio foi a iluminao do estdio do Operrio, que agora pode mandar </p><p>seus jogos noite. Para marcar a data, a atual diretoria, presidida por dson Oliveira, promoveu um jantar no Restaurante Cascatinha em Santa Felicidade, onde Fe homenagens a ex-dirigentes e atletas, e, ao mesmo tempo, a todas as famlias que fazem parte da histria do clube. Entre elas, a Pilatti, Gava, Flor, Basso, Fabri, Schultz, Wui-cik, Batista e Gasparini. </p><p>O atual presidente, Edson (segundo da esq. para dir.) com um grupo de ex-diri gentes e atletas do clube.</p><p>Raposo ter mudana no trnsito</p><p>DS</p><p>F-D</p><p>Q</p><p> A petio feita pelo jornal Do Quintal junto Prefeitura Municipal para o regis-tro da Cruz do Pilarzinho como um monu-mento histrico recebeu parecer favorvel do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba - IPPUC, quanto criao de um lote para a Cruz. Hoje, ela nem existe no mapa de Curitiba, uma vez que foi instalada na confluncia de vias pblicas. Com a criao de lote, alm de se ser includa no mapa, ela entrar na lis-ta oficial de monumentos a serem preser-vados. A petio passou pelo setor de Pa-trimnio Histrico de Curitiba e est na Superviso de Planejamento do IPPUC, onde ser analisada pelo arquiteto Ricardo Bindo.</p><p>A prefeitura recebeu em agosto mais um pedido de tombamento da Cruz. A vereadora Julieta Reis solicitou, atravs da Cmara Legislativa, estudos para seu tombamento. Segundo a vereadora, a Cruz do Pilarzinho apresenta uma situao es-pecfica porque no se trata de uma obra de arte, um monumento artstico ou uma homenagem a alguma figura pblica. Ela um daqueles monumentos criados e cui-dados pelo povo: A Cruz tem histria, por isso tem sido cuidada pelo povo, porque parte da histria popular de Curitiba. No um monumento do bairro, ela conta a histria da cidade. Por isso, a vereadora quer que a Cruz tenha proteo legal, evi-tando que ela venha a se deteriorar.</p><p>Reis afirmou ainda que j deu entrada a um pedido, junto Cmara Legislati-va, para a criao da Lei de Tombamento do Municpio. Hoje, Curitiba conta com o Conselho de Avaliao do Patrimnio Cultural CAPC, da Secretaria Municipal de Urbanismo, responsvel pela avaliao de questes ligadas ao tombamento, do ponto de vista urbanstico. Quando apro-vadas pelo Conselho, tornam-se Unidades de Preservao e so protegidas legalmen-te pelo Municpio.</p><p>Para acompanhar o processo aberto pelo Do Quintal, basta ligar para o setor de protocolos do IPPUC, atravs do nmero 3250-1366 e pedir informaes pelo n-mero 50-000101/2011. (AR)</p><p>IPPUC avalia tombamento da Cruz </p><p>O trecho da Raposo Tavares, da altura do Supermercado Tissi at a Hugo Simas, prximo a Cruz do Pilarzinho, ir per-der uma de suas faixas de estacionamento. O trecho a ser modificado e a data para mu-dana ainda esto em estudos pela Diretran. A mudana em atendimento a um abaixo--assinado de estudantes e moradores da re-gio, com a inteno de desafogar o trnsito e melhorar as condies de segurana no trecho.</p><p>Trata-se do resultado de mais uma ao do movimento iniciado h mais de um ano e meio pela professora Snia Brush para dei-xar mais segura a travessia de alunos do Co-lgio Bento Munhoz pela Hugo Simas, na altura da Cruz. Centenas de alunos passam por ali diariamente, expondo-se ao risco de atropelamento. No ano passado, a professo-ra conseguiu que fosse instalada uma traves-sia elevada de pedestres no local, mas como os motoristas no tm respeitado o equipa-mento, ela vem desde ento cobrando pro-vidncia por parte das autoridades do setor.</p><p>No dia 26 de agosto, ela reuniu estudan-tes e moradores da regio numa passeata pela Raposo Tavares at a Cruz. Com faixas e palavras de ordem, eles alertaram os mo-toristas para respeitarem os pedestres e para no usarem o veculo como uma arma.</p><p>Alunos, pais e moradores participaram da passeata pedindo mais segurana para os pedestres. </p></li><li><p> 3Curitiba, setembro de 2011</p><p>Do Quintal</p><p>Manoel Guimares se destaca no xadrez</p><p>Notas - Do QuintalCursos gratuitos O Liceu dos Ofcios do Pilarzinho vai oferecer vrios cursos gratuitos </p><p>para os meses de setembro e outubro. Entre eles, de Ingls Instrumental para Hotelaria, Como Secretariar com Sucesso, Excelncia no Atendimento ao Cliente e Auxiliar de Faturamento, alm de Informtica Bsica. O Liceu vai oferecer ainda vrios cursos na rea de Culinria, como Tcnicas para Preparao de Grelhados e Sanduches, Pizzaiollo, Culinria Bsica e de Bombons e Truffas. Podem participar dos cursos pessoas com idade superior a 16 anos. Os interessados devem comparecer ao Liceu, das 8 horas s 11h30; das 13 horas s 16h30 e das 18 s 21h30, munidos de RG, CPF e comprovante de residncia. O Liceu do Pilarzinho fica Rua Miguel de Lazari, sem nmero. Maiores informaes pelos telefones 3240-1301 e 3240-1302.</p><p>Em prol do Centro Catequtico</p><p>Para arrecadar recursos </p><p>para a construo </p><p>de seu Centro </p><p>Catequtico, a </p><p>Parquia So </p><p>Marcos, no </p><p>Pilarzinho, est </p><p>promovendo a rifa </p><p>de uma moto Honda, </p><p>125 cc, seminova, </p><p>uma bicicleta </p><p>Hammer (18 </p><p>marchas) e um forno microondas de 30. Cada nmero vendido a </p><p>R$ 2,00 e o sorteio ser no prximo 11 de dezembro. Na foto, o padre </p><p>Carlos, tendo ao fundo o local da obra. Informaes pelo telefone </p><p>3338-4450.</p><p>Servio: Ncleo Regional Boa VistaCRAS Pilarzinho - Rua Guy de Maupassant, 177Fone: (41)3338-3554 (41)3335-7401</p><p>Iniciativa de bibliotecrio atrai interesse de alunos, que surpreendem nos Jogos Estudantis</p><p>A iniciativa de um bibliotecrio resultou numa experincia de sucesso e de mui-tas medalhas no Colgio Senador Ma-noel Alencar Guimares, na divisa dos bairros Mercs e Bigorrilho. Tudo comeou em 2008, quando Sandor Fomin se ofereceu para dar aulas de xadrez ao estudante Gustavo Bazan, um assduo freqentador da biblioteca da escola. Co-meamos a jogar praticamente todos os dias dali em diante. Ainda lembro a primeira vez que ele conse-guiu me vencer, foi preciso mais de cinqenta parti-das, mas aconteceu, conta. </p><p>Acompanhando as disputas, outros alunos se interessaram e tambm comearam a praticar, reve-zando-se nos poucos tabuleiros disponveis. Vendo o interesse pelo esporte, o ento diretor do colgio, Rogrio Bufrem Ribas, sugeriu que Sandor criasse uma escolinha de xadrez. Em pouco tempo, San-dor j estava organizando campeonatos internos.</p><p>Em 2009 comearam a participar tambm de torneios externos, e ao final do mesmo ano j esta-vam competindo em nvel de igualdade com alunos de outras instituies, j com tradio nos torneios de xadrez.</p><p>Em 2010, os jogadores do Colgio conquistaram 10 trofus, o que garantiu visibilidade escola, que passou a ser apontada como uma das mais competi-tivas, nos Jogos Estudantis do Paran. </p><p>Finalmente, em 2011, nos Jogos Estudantis, con-seguiram excelentes resultados: onze alunos pas-saram para a 2 fase da competio, sete foram at </p><p>a fase final, e a equipe masculina de 15 a 17 anos, obteve o 4 lugar geral do Paran. Um resultado sur-preendente, pois at ento nenhum aluno do col-gio havia passado para a segunda fase nesta compe-tio. </p><p>Orgulhoso da performance dos alunos, Sandor pretende continuar incentivando os jovens estu-dantes do Colgio Senador Manoel Alencar Gui-mares a praticar o esporte pelo qual revela grande respeito: No comeo no fazia ideia do quo vasto era o xadrez, subestimei completamente o esporte, medida que fui lendo livros a respeito fui vendo o tamanho da minha ignorncia a respeito. Antiga-mente costumava pensar que era um bom jogador, hoje, depois de muito estudar, s me arrisco a dizer que sei jogar direito.</p><p>Ganhar medalhas e trofus virourotina no Manoel Guimares.</p><p>Moradores do Pilarzinho mantm lutaA luta de moradores do Pi-</p><p>larzinho e Barreirinha para me-lhorar a qualidade de vida nos bairros continua. No incio de setembro, cerca de 30 participan-tes da Rede de Desenvolvimento Local reuniram-se no Colgio Bento Munhoz para atualizar a agenda de aes. Na reunio, eles decidiram concentrar os esforos no processo de criao da asso-ciao comercial do Pilarzinho e na revitalizao do Clube do Golfinho. No caso do Golfinho, </p><p>os participantes aguardam que a Prefeitura desaproprie o espao, como foi anunciado pelo prefeito Luciano Ducci em julho ltimo.</p><p>Alm de dar continuidade a estas aes, os moradores vo promover atividades relaciona-das educao e segurana, com o trabalho conjunto da Rede com as Associao de Pais e Mestres (APMs) das escolas da regio e com o Conselho de Seguran-a Comunitrio do Bom Retiro (Conseg). Outras aes tambm </p><p>esto sendo planejadas; uma aca-demia ao ar livre e um projeto para recolher os ces abandona-dos nos bairros tambm entrou na pauta da reunio. Os mora-dores ainda pensam realizar um estudo em parceria com a URBS para a implantao de um termi-nal de nibus no bairro.</p><p>Para participar ou saber mais sobre as aes, entre em contato com a agente de desenvolvimen-to Denise Baroni pelo telefone (41) 8503-1245 </p></li><li><p>Angela Ribeiro</p><p>A Escola Municipal Professor Her-ley Mehl, no Pilarzinho, uma das instituies de ensino que participam do programa Comu-nidade Escola, criado em 2005. Com isso, atualmente a escola oferece diversos cursos gratuitos de capacitao profissional, alm de atividades de cultura, esporte e lazer que movimentam o colgio nos finais de semana. </p><p>O Comunidade Escola um programa desenvolvido pela Secretaria de Educao de Curitiba em parceria com as demais se-cretarias municipais e atinge, hoje, 89 esco-las de Curitiba, envolvendo, segundo dados oficiais, 1.100 voluntrios. Um dos principais objetivos do programa aproximar a comu-nidade da escola, garantindo que suas insta-laes sejam ocupadas nos finais de semana pela prpria comunidade. A meta do Comu-nidade Escola chegar a 100 das 179 escolas de Curitiba at o fim do prximo ano.</p><p>O programa oferece atividades culturais atravs da participao de voluntrios da co-munidade e de coordenadores da escola. De </p><p>acordo com d...</p></li></ul>