6.3. caso accenture - .193 6.3. caso accenture 6.3.1. caracterização da empresa 6.3.1.1....

Download 6.3. Caso Accenture - .193 6.3. Caso Accenture 6.3.1. Caracterização da empresa 6.3.1.1. Enquadramento

Post on 30-Sep-2018

217 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 193

    6.3. Caso Accenture

    6.3.1. Caracterizao da empresa

    6.3.1.1. Enquadramento histrico

    A Accenture de constituio relativamente recente face s demais empresas estudadas.

    Surgiu em 2000, da autonomizao total da Andersen Consulting em relao ao grupo

    Andersen Worldwide, onde era, j desde 1989, uma unidade de negcio independente

    dedicada consultoria na rea essencialmente dos sistemas de informao. A partir de Janeiro

    de 2001, a Andersen Consulting marcou definitivamente a ruptura com a sua filiao anterior,

    lanando-se com uma nova marca, a Accenture, com a qual se tem vindo a impor no mercado.

    Apesar de mais fortemente voltada para as tecnologias de informao, a Accenture pode ser

    considerada uma das grandes empresas a operar na rea da consultoria de gesto. Por um lado,

    e de acordo com um dos scios entrevistados,

    ...crescemos no mundo da informtica, e a partir da fomos adicionando outra reas de consultoria, como por exemplo a consultoria de estratgia, a consultoria de recursos humanos, etc.. Partner

    Por outro lado, o prprio sector da consultoria de gesto tem-se desenvolvido nos

    ltimos anos sobretudo com base na explorao das potencialidades de aplicao dos meios

    tecnolgicos e informticos aos problemas da gesto (Czerniawska, 2002).

    Em Portugal, a empresa operava desde os anos 80. Em 2000, tambm o escritrio

    portugus seguiu a autonomizao levada a cabo no resto do Mundo, tornando-se uma

    empresa independente face ao grupo Andersen. Seguiu tambm a deciso internacional de

    abrir o capital da companhia ao mercado de valores em Julho de 2001, passando a ser uma

    empresa cotada em bolsa. Esta mudana implicou uma outra alterao na prpria estrutura

    internacional da companhia. Tal como explicou um scio responsvel, o conjunto de

    empresas locais, que se regiam atravs de acordos internacionais passou a estar

    consolidado numa empresa que detm essas empresas locais. Desta forma:

    C em Portugal, a empresa portuguesa neste momento 100% detida por uma empresa l de fora, que a Accenture Limited, que uma empresa que est cotada na bolsa de Nova Iorque. (...) Os scios portugueses detm aces da empresa que est cotada na bolsa. Partner

    Assim sendo, e apesar desta abertura do capital ao mercado, a propriedade da

    companhia mantinha-se, na sua maior parte, nas mos dos scios . Esta figura, que tinha

    deixado de fazer sentido na acepo estrita da expresso, foi mantida pelo peso do seu

    significado na empresa, que era afinal o significado da figura de scio nas empresas com uma

    estrutura e um funcionamento correspondente s partnerships (sociedades de pessoas).

  • 194

    Ns no mudmos muita coisa, porque achamos que a figura do scio, para alm de ser um trabalhador, obviamente algum que tem um interesse na empresa. importante, porque cria motivao, e alis ns continuamos a promover pessoas a scio. Este ano promovemos mais duas pessoas. Portanto, acaba por ser o corolrio de uma carreira. (...) Portanto, as pessoas todas que entrarem nesta casa continuam a poder chegar a scio, e quando chegam a scio depois recebem um pacote de aces da empresa. Partner

    Do ponto de vista mais operacional, tanto a passagem do formato de partnership para o

    de sociedade annima, como a maior integrao a nvel internacional, foram de alguma forma

    desvalorizadas. Apesar de haver objectivos rigorosos de crescimento e rentabilidade, o

    sentimento era o de que continuava a haver uma grande autonomia. Por outro lado, as

    vantagens da maior interdependncia entre os vrios escritrios no Mundo foram

    evidenciadas. Para alm do benefcio de avultados investimentos conjuntos em metodologias

    e na criao de competncias prprias, especialmente atravs do grande centro de formao

    nos Estados Unidos, foram notadas as vantagens da mobilidade das pessoas entre pases e

    projectos:

    ...se todos trabalhamos com o mesmo mtodo, com a mesma forma, usamos as mesmas ferramentas, mais fcil a mobilidade entre pases. E portanto, ns temos um conjunto de projectos internacionais onde participam pessoas de vrios pases. Ns, portugueses, tambm estamos... temos participado, e estamos a participar em projectos internacionais. E se todos falarmos a mesma linguagem, o trabalho acaba por ser mais produtivo, no . Partner

    6.3.1.2. Postura estratgica

    Na documentao oficial posta disposio pela firma, pode ler-se: A Accenture tem

    como Viso desenvolver-se para estar entre as empresas de maior notoriedade a nvel

    mundial, contribuindo com ideias e projectos inovadores que melhorem a forma como se

    trabalha e vive (Accenture, 2002: I-2). Esta viso indica claramente a orientao seguida

    pela empresa de estar entre as maiores empresas do sector e de uma forma global. Por outro

    lado, a estratgia escolhida para concretizar este propsito foi descrita da seguinte forma:

    A nossa estratgia claramente estar em todos os sectores de actividade, em todas as indstrias, por assim dizer. E temos, em Portugal, temos clientes basicamente em todas as reas. E prestar servios... Obviamente o nosso fcus, o nosso core business e o grande negcio a rea das tecnologias de informao. Mas obviamente estamos num tempo

    e definimos ter uma relao de longo-prazo, que essa uma estratgia nossa

    acabamos por acrescentar, ou acrescentar aos nossos servios, outros servios que no so o nosso fcus principal. (...) Mas claramente a nossa estratgia, estar em todas as reas. Partner

    Assim, a empresa definia-se como prestadora de servios de consultoria de gesto a

    todos os sectores de actividade e num leque abrangente de reas, sendo que as tecnologias de

    informao constituam o elemento central desses servios.

    A empresa tinha vindo a crescer sempre desde o seu surgimento. De acordo com

    documentao oficial, em termos globais, o crescimento mdio andaria pelos 14,6% entre os

  • 195

    anos de 1997 e 2001. Em Portugal, eram apresentados nmeros na ordem dos 23,5% para o

    mesmo perodo. O ano de 2001 parece ter sido ainda mais impressionante, com um

    crescimento na casa dos 40%, atingindo-se um volume de negcios de 97,4 milhes de euros.

    O volume de negcios teve um reflexo muito directo no nvel de emprego, que atingia no final

    de 2001 os 738 empregados (Accenture, 2002). De acordo com a explicao de um

    responsvel de topo:

    Porque obviamente o que ns vendemos so horas de trabalho e, portanto, se o nosso negcio aumenta 40%, o nosso quadro de pessoal tambm no anda muito longe disso. E de facto, eles no ano passado, temos... recrutmos cerca de 200 e tal pessoas. Partner

    Estes nmeros faziam da Accenture a maior empresa de consultoria de gesto a operar

    em Portugal nessa altura, facto conhecido e amplamente evocado por todos os entrevistados.

    A anexao da ex-Andersen ao grupo Deloitte & Touche iria alterar essa ordem no decorrer

    de 2002.

    6.3.1.3. Estrutura organizacional

    As Credenciais da Accenture indicavam quatro grandes reas de actuao:

    Consulting, Technology, Outsourcing e Alliances (Accenture, 2002). Mas o partner

    entrevistado falava apenas em trs. Segundo ele:

    Prestamos servios basicamente em 3 grandes reas de servios. Uma a consultoria tradicional Consulting , que a foi como nascemos. E nos ltimos anos adicionmos mais duas reas

    estratgicas para ns. A primeira uma rea que ns chamamos Outsourcing, portanto, prestamos servios

    na rea de processos, na rea de back office, ou servios de informtica

    a um conjunto de empresas. Atravs de contratos de longo prazo, contratos de vrios anos. E uma terceira rea em que ns apostmos foi na criao de um conjunto de empresas que so nossas participadas, especializadas em determinados nichos de mercado, e que so empresas que ns utilizamos para acrescentar valor aos servios que ns prestamos aos nossos clientes Alliances . Partner

    Este testemunho leva a crer que as reas de Consulting e de Technology seriam, na

    prtica, confundidas. Embora o responsvel apenas mencionasse a consultoria, vimos j que a

    empresa considerava a rea das tecnologias de informao como o seu core business.

    Em termos de organizao, a Accenture estruturava-se internamente segundo uma

    organizao matricial, cruzando linhas de servios com sectores de actividade dos clientes.

    No primeiro eixo, os servios oferecidos ao mercado agrupavam-se em oito reas: Strategy &

    Business Architecture (a rea de consultoria estratgica), Customer Relationship Management

    (a rea de gesto dos clientes), Human Performance (incluindo organizao, gesto de

    recursos humanos e e-learning), Supply Chain Management (operaes e logstica), Finance

    & Performance Management (funo financeira e controlo de gesto), Solutions Engineering

    (concepo e implementao de solues tecnolgicas), Solutions Operations (prestao de

  • 196

    servios em regime de outsourcing) e Technology Research & Innovation (apoio no

    desenvolvimento de oportunidades de negcio na rea das tecnologias).

    Atravessando estas diferentes linhas de servios estavam as indstrias , ou seja, os

    sectores de actividade dos clientes, nomeadamente: Financial Services, que para alm da

    banca e seguradoras incorporava tambm servios de sade; Communications, que inclua a

    rea dos media e entretenimento, das telecomunicaes, da electrnica e high-tech;

    Resources, que inclua os sectores qumico, metalrgico e mineiro, da energia, da produo

    florestal, e as chamadas utilities, de que so exemplo os servios pblicos de distribuio de

    gua e electricidade; Products, que correspondia sobretudo ao sector industrial, inc

Recommended

View more >