6.0 CLASSIFICA ÇÃO DOS SOLOS 6.1 Introdu ção ?· 6.0 CLASSIFICA ÇÃO DOS SOLOS ... limite de liquidez…

Download 6.0 CLASSIFICA ÇÃO DOS SOLOS 6.1 Introdu ção ?· 6.0 CLASSIFICA ÇÃO DOS SOLOS ... limite de liquidez…

Post on 16-Dec-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>6.0 CLASSIFICA6.0 CLASSIFICAO DOS SOLOSO DOS SOLOS</p> <p>6.1 Introdu6.1 Introduo o Devido a heterogeneidade os solos e a grande Devido a heterogeneidade os solos e a grande </p> <p>variedade de suas aplicavariedade de suas aplicaes, es, praticamente imposspraticamente impossvel vel estabelecer um estabelecer um nico critnico critrio para sua classificario para sua classificao. o. ConcluiConclui--se, ento, que hse, ento, que h a necessidade de existirem a necessidade de existirem vvrios sistemas de classificarios sistemas de classificao de solos, cada um o de solos, cada um procurando atender de maneira especifica os vprocurando atender de maneira especifica os vrios rios campos da campos da GeotecniaGeotecnia. . </p> <p>Os vOs vrios sistemas existentes para a classificarios sistemas existentes para a classificao o de solos procuram posicionar o solos estudando dentro de de solos procuram posicionar o solos estudando dentro de um grupo, para o qual determinadas propriedades um grupo, para o qual determinadas propriedades especificas jespecificas j esto definidas. esto definidas. </p> <p>Um sistema de classificaUm sistema de classificao dos solos deve o dos solos deve obedecer aos seguintes requisitos: obedecer aos seguintes requisitos: </p> <p>a)a) ser simplesser simples, facilmente , facilmente memorizmemorizvelvel e permitir e permitir uma ruma rpida determinapida determinao do grupo a que o solo o do grupo a que o solo pertence, permitindo a classificapertence, permitindo a classificao por meio de o por meio de processos simples de anprocessos simples de anlise visual lise visual -- ttctil; ctil; </p> <p>b) b) ser flexser flexvel,vel, para tornarpara tornar--se geral ou particular, se geral ou particular, quando o caso exigir;quando o caso exigir;</p> <p>c)c)ser capaz de permitir uma expanso posteriorser capaz de permitir uma expanso posterior, , permitindo subdivises.permitindo subdivises.</p> <p>Entre os vEntre os vrios sistemas de classificarios sistemas de classificao existentes, o existentes, temos: temos: </p> <p>-- ClassificaClassificao por tipo de solo; o por tipo de solo; </p> <p>-- ClassificaClassificao Geno Gentica Geral; tica Geral; </p> <p>-- ClassificaClassificao Granulomo Granulomtrica; trica; </p> <p>-- ClassificaClassificaoo UnificadaUnificada; (U.S. Corps of Engineers); e ; (U.S. Corps of Engineers); e </p> <p>-- ClassificaClassificaoo HRB (Highway Research Board)HRB (Highway Research Board)vises.vises.</p> <p>6.2. Classifica6.2. Classificao por Tipo de Soloo por Tipo de Solo</p> <p> um sistema de classificaum sistema de classificao descritivo em que o o descritivo em que o reconhecimento a que determinado grupo pertence reconhecimento a que determinado grupo pertence baseado em anbaseado em anlise visual lise visual ttctil. Baseado em tipos de ctil. Baseado em tipos de solos: solos: </p> <p>-- areias e solos arenosos;areias e solos arenosos;</p> <p>-- areias finas, areias finas, siltessiltes, areias , areias siltosossiltosos ou pouco argilosos;ou pouco argilosos;</p> <p>-- argilas e solos argilosos; eargilas e solos argilosos; e</p> <p>-- turfas e solos turfas e solos turfososturfosos orgorgnicosnicos. . </p> <p>6.3 Classifica6.3 Classificao Geno Gentica Geral tica Geral </p> <p> um sistema de classificaum sistema de classificao tambo tambm de maneira m de maneira descritiva, sendo necessdescritiva, sendo necessrio para a sua utilizario para a sua utilizao, um o, um conhecimento da gnese dos solos, ou de uma forma que conhecimento da gnese dos solos, ou de uma forma que seja mais simples, fazer uma anseja mais simples, fazer uma anlise da sua macro lise da sua macro estrutura, da cor e da posiestrutura, da cor e da posio de coleta da amostra no o de coleta da amostra no perfil do subsolo. perfil do subsolo. </p> <p>Divide o solo em 3 categorias: Divide o solo em 3 categorias: </p> <p>a) a) SOLO SUPERFICIALSOLO SUPERFICIAL -- Solo que constitui o horizonte Solo que constitui o horizonte superficial normalmente contendo matsuperficial normalmente contendo matria ria orgorgnicanica. Nesse . Nesse horizonte concentrahorizonte concentra--se o campo de estudo da pedologia. se o campo de estudo da pedologia. Possui estrutura, cor e constituiPossui estrutura, cor e constituio mineralo mineralgica diferentes gica diferentes das camadas inferiores. A espessura varia de alguns das camadas inferiores. A espessura varia de alguns centcentmetros a metros. metros a metros. </p> <p>b) b) SOLO DE ALTERASOLO DE ALTERAOO -- Solo proveniente de Solo proveniente de decomposidecomposio das rochas grao das rochas graas aos processos de as aos processos de intemperismointemperismo. Em condi. Em condies normais, achaes normais, acha--se subjacente ao se subjacente ao solo superficial. solo superficial. um solo residual e pode atingir atum solo residual e pode atingir at dezenas dezenas de metros. So solos de de metros. So solos de granulometriagranulometria crescente com a crescente com a profundidade. profundidade. </p> <p>c) c) SOLOS TRANSPORTADO SOLOS TRANSPORTADO -- Solo originado do Solo originado do transporte e depositransporte e deposio de material. A o de material. A granulometriagranulometria mais ou mais ou menos uniforme de acordo com o agente transportador. Em menos uniforme de acordo com o agente transportador. Em condicondies normais pode constituir as camadas es normais pode constituir as camadas aflorantesaflorantes ou ou estar subjaestar subja--cente ao solo superficial. cente ao solo superficial. </p> <p>6.4 Classifica6.4 Classificao Granulomo Granulomtrica trica </p> <p>Uma das maneiras de se classificar um solo Uma das maneiras de se classificar um solo atravatravs da sua curva de distribuis da sua curva de distribuio granulomo granulomtrica.trica.</p> <p>Essa distribuiEssa distribuio o representada por uma curva representada por uma curva que indica, para cada "dimetro" de gro, qual que indica, para cada "dimetro" de gro, qual a sua a sua porcentagem do solo que possui gros menores ou porcentagem do solo que possui gros menores ou maiores. maiores. </p> <p>A curva de distribuiA curva de distribuio granulomo granulomtrica trica apresentada em grapresentada em grfico fico semisemi -- logarlogartmico, onde nas tmico, onde nas abscissas, contam os logaritmos dos tamanhos das abscissas, contam os logaritmos dos tamanhos das partpartculas e, nas ordenadas, a porcentagem acumulada do culas e, nas ordenadas, a porcentagem acumulada do solo que tm seus gros menores do que um dado solo que tm seus gros menores do que um dado dimetro. dimetro. </p> <p>6.4 Classifica6.4 Classificao Granulomo Granulomtrica trica </p> <p> Curva A Curva A solo bem graduado (granulasolo bem graduado (granulao conto contnua)nua) Curva B Curva B solo de graduasolo de graduao abertao aberta Curva C Curva C solo de granulasolo de granulao uniformeo uniforme</p> <p>Da curva granulomDa curva granulomtrica podemos obter os seguintes parmetros:trica podemos obter os seguintes parmetros:</p> <p>PeneirasPeneiras</p> <p>6.4 Classifica6.4 Classificao Granulomo Granulomtrica trica </p> <p>Jogos de PeneirasJogos de Peneiras</p> <p>PoIPoI.. mmmm NN mmmm</p> <p>3"3" 76.276.2 0404 4.84.8</p> <p>2"2" 50.850.8 0808 2.42.4</p> <p>1 1/2"1 1/2" 38.138.1 1010 2.02.0</p> <p>11 25.425.4 1616 1.21.2</p> <p>3/4"3/4" 19.119.1 3030 0.60.6</p> <p>3/8"3/8" 9.59.5 4040 042042</p> <p>1/41/4 6.46.4 50 50 0.300.30</p> <p>8080 0.180.18</p> <p>100100 0.150.15</p> <p>200200 0.0740.074</p> <p>Abaixo desta medida as peneiras so colocados no vibradoronde sero deixadas por 10 minutos.</p> <p>GranulometriaGranulometria por Sedimentapor Sedimentaoo</p> <p>Para os solos finos, Para os solos finos, siltessiltes e argilas, com parte argilas, com partculas menores culas menores que 0,074mm (#200), o cque 0,074mm (#200), o clculo dos dimetros equivalentes serlculo dos dimetros equivalentes serfeito a partir dos resultados obtidos durante a sedimentafeito a partir dos resultados obtidos durante a sedimentao de o de certa quantidade de scerta quantidade de slidos em um meio llidos em um meio lquido.quido.</p> <p>A base teA base terica para o crica para o clculo do dimetro equivalente vem da lei de lculo do dimetro equivalente vem da lei de Stokes, que afirma que a velocidade de queda de uma partStokes, que afirma que a velocidade de queda de uma partcula cula esfesfrica, de peso especrica, de peso especfico conhecido, em um meio lfico conhecido, em um meio lquido quido rapidamente atinge um valor constante que rapidamente atinge um valor constante que proporcional ao proporcional ao quadrado do dimetro da partquadrado do dimetro da partcula. O estabelecimento da funcula. O estabelecimento da funo, o, velocidade de queda velocidade de queda -- dimetro de partdimetro de partcula, se faz a partir do cula, se faz a partir do equilequilbrio das forbrio das foras atuantes (foras atuantes (fora peso) e resistentes (resistncia a peso) e resistentes (resistncia viscosa) sobre a esfera, resultando:viscosa) sobre a esfera, resultando:</p> <p> A equaA equao anterior foi obtida para o caso de uma esfera de peso o anterior foi obtida para o caso de uma esfera de peso especespecfico bem definido caindo em um meio liquido indefinido, e fico bem definido caindo em um meio liquido indefinido, e certamente estas no so as condicertamente estas no so as condies existentes no ensaio de es existentes no ensaio de sedimentasedimentao. As parto. As partculas no so esfculas no so esfricas e o nricas e o nmero delas mero delas grande, o peso especgrande, o peso especfico dos sfico dos slidos no lidos no nico e o espanico e o espao o utilizado utilizado limitado, podendo ocorrer influncia das paredes do limitado, podendo ocorrer influncia das paredes do recipiente, bem como de uma partrecipiente, bem como de uma partcula sobre as outras. cula sobre as outras. </p> <p>Ensaio de Ensaio de granulometriagranulometria por sedimentapor sedimentaoo</p> <p>11-- AdicionaAdiciona--se a amostra de solo, cerca de 50g de solo (para arenoso se a amostra de solo, cerca de 50g de solo (para arenoso 100g), que passa na peneira 0.074 mm, um 100g), que passa na peneira 0.074 mm, um defloculantedefloculante, 125 , 125 mlml de de hexametafosfatohexametafosfato dde e ssdio (concentradio (concentrao de 45.79 do sal por litro de o de 45.79 do sal por litro de solusoluo), agitandoo), agitando--se atse at que todo o maque todo o ma--terial fique perfeitamente terial fique perfeitamente molhado, e deixamolhado, e deixa--se em repouso no mse em repouso no mnimo 12 horas. nimo 12 horas. </p> <p>22-- LevaLeva--se essa soluse essa soluo a um dispersor por 5 minutos.o a um dispersor por 5 minutos.</p> <p>33-- Terminada essa operaTerminada essa operao verteo verte--se toda a soluse toda a soluo em uma proveta o em uma proveta graduada para 1.000 graduada para 1.000 cmcm..</p> <p>44-- LevaLeva--se a proveta para um banho com temperatura constante, atse a proveta para um banho com temperatura constante, atatingir a constncia de temperatura entre o banho e a proveta. Patingir a constncia de temperatura entre o banho e a proveta. Para ara acelerar podemos mexer com uma baqueta.acelerar podemos mexer com uma baqueta.</p> <p>55-- ApAps o equils o equilbrio retiramos a proveta e tampandobrio retiramos a proveta e tampando--se a sua com a se a sua com a mo, mo, viramosviramos--aa de boca para baixo atde boca para baixo at os gros jos gros j sedimentados sedimentados voltem a ficar em suspenso. voltem a ficar em suspenso. </p> <p>66-- Imergimos a proveta no banho e imediatamente apImergimos a proveta no banho e imediatamente aps ligas liga--se o se o cronmetro e imergimos o cronmetro e imergimos o densdensmetrometro efetuando leituras de 30", efetuando leituras de 30", 1'e 1'e 2'. 2'. RetiraRetira--se o se o densdensmetrometro, anota, anota--se a se a temperatempera--turatura. Devero ser feitas as . Devero ser feitas as leituras nos seguintes tempos ainda: 4leituras nos seguintes tempos ainda: 4, 8, 8, 15, 15, 30, 30, 1h, 2h, 4h, 8h, e , 1h, 2h, 4h, 8h, e 25h 25h </p> <p>ObservaObservao:o:</p> <p>As leituras feitas devero sofrer, ainda, as correAs leituras feitas devero sofrer, ainda, as correes devidas ao es devidas ao "menisco" e ao aumento da densidade pela adi"menisco" e ao aumento da densidade pela adio do o do defloculantedefloculante. . Essas correEssas correes constantes para um determinado es constantes para um determinado densdensmetrometro, so de , so de sinais contrsinais contrrios.rios.</p> <p>ClassificaClassificao o TrilinearTrilinear dos Solosdos SolosComo complementaComo complementao a classificao a classificao granulomo granulomtrica, temos ainda o tringulo trica, temos ainda o tringulo </p> <p>de de FeretFeret, no qual o solo , no qual o solo dividido em trs fradividido em trs fraes: areia, es: areia, siltesilte e argila. e argila. classificado em funclassificado em funo da predominncia de uma ou mais dessas frao da predominncia de uma ou mais dessas fraes. es. </p> <p>6.5 Classifica6.5 Classificao Unificada o Unificada </p> <p>Esta classificaEsta classificao foi proposta em 1952 pelo o foi proposta em 1952 pelo U.S. Bureau U.S. Bureau ofof ReclamationReclamation e U.S. e U.S. CorpsCorps ofofEngineersEngineers e tem como origem uma classificae tem como origem uma classificao o proposta por Arthur Casagrande (1942) que proposta por Arthur Casagrande (1942) que visava classificar solos para utilizvisava classificar solos para utiliz--los na los na construconstruo de aeroportos. o de aeroportos. </p> <p>UtilizaUtiliza--se nessa classificase nessa classificao alo alm de m de granulometriagranulometria os limites de consistncia. os limites de consistncia. </p> <p>6.5 Classifica6.5 Classificao Unificada o Unificada </p> <p>Na classificaNa classificao unificada cada grupo de solos o unificada cada grupo de solos representado por 2 representado por 2 letras: letras: </p> <p>-- a 1a 1aa relacionada a frarelacionada a frao predominante do mineral presente no o predominante do mineral presente no solo; solo; </p> <p>-- a 2a 2aa s caracters caractersticas dessa frasticas dessa frao. o. </p> <p>A faixa dos solos granulares foi dividida em dois grupos: A faixa dos solos granulares foi dividida em dois grupos: </p> <p>--Pedregulhos (G Pedregulhos (G -- GravelGravel))</p> <p>--Areias (SAreias (S-- SandSand) ) </p> <p>Com as seguintes subdivises: Com as seguintes subdivises: </p> <p>-- W (W (wellwell) ) -- bem graduado (no uniforme)bem graduado (no uniforme)</p> <p>-- P (P (poorpoor) ) -- mal graduado (uniforme) mal graduado (uniforme) </p> <p>-- M (mo, M (mo, mjalamjala: : siltesilte) ) -- frafrao fina (no plo fina (no plstica) stica) </p> <p>-- C (C (clayclay) ) --argilasargilas-- frafrao fina plo fina plstica stica </p> <p>A faixa dos solos finos foi inicialmente dividida em 2 grupos, oA faixa dos solos finos foi inicialmente dividida em 2 grupos, ou u seja, um grupo formado pelos solos (seja, um grupo formado pelos solos (lowlow) finos com baixa ) finos com baixa compressibilidade (LL &lt; 50%) e outro com elevacompressibilidade (LL &lt; 50%) e outro com elevada da compressibilidade (compressibilidade (highhigh) representamos pelos sufixos:) representamos pelos sufixos:</p> <p>"L" ("L" (IowIow)) "H" ("H" (highhigh))</p> <p>Em cada grupo exist...</p>