6 sugestões infalíveis para lidar com conflitos

Download 6 sugestões infalíveis para lidar com conflitos

Post on 21-Jul-2016

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Meu nome é Deise Azevedo, sou Psicóloga e quero compartilhar com você seis pontos-chave de uma abordagem não violenta e eficaz que podem lhe oferecer a melhor oportunidade de se sair bem diante de conflitos em casa, no trabalho, com amigos e em outros contextos.

TRANSCRIPT

  • Consultrio de Psicologia Deise Azevedo

    Fone: 45 9838-4425

    Rua Cuiab, 6228, Bairro Alto Alegre Cascavel-PR

  • Meu nome Deise Azevedo, sou Psicloga e quero compartilhar com

    voc seis pontos-chave de uma abordagem no violenta e eficaz que

    podem lhe oferecer a melhor oportunidade de se sair bem diante de

    conflitos em casa, no trabalho, com amigos e em outros contextos.

    Voc conhecer a seguir o acrstico: FTACEN

    Essas iniciais resumem as sugestes mais importantes que

    voc precisa para se comunicar da melhor forma!

    Adaptado de: Curar: o stress, a ansiedade e a depresso sem medicamento nem psicanlise / David Servan-

    Schreiber. So Paulo: S Editora, 2004

  • F de Fonte: Certifique-se, para comeo de conversa, de que est lidando com a pessoa que a fonte do problema e que tem os meios de resolv-lo. Isso pode parecer terrivelmente bvio, mas em geral no a nossa primeira reao.

  • Imagine que, na frente de toda a equipe, um colega me diga alguma coisa desagradvel sobre o meu trabalho (ou meu parceiro, em frente de meus amigos, sobre minha comida). Ser totalmente intil me queixar disso mais tarde para outros colegas ou para minha me ao telefone; no entanto, precisamente isso que terei a tentao de fazer.

  • Se o fizer, na melhor das hipteses, meu depreciador jamais saber o que penso. Na pior, outros repetiro o que eu disse com as distores e exageros comuns e isso me trar resultados negativos.

  • Para ganhar o respeito e mudar o comportamento de meu colega ou scio, devo falar diretamente com ele. E sou a nica pessoa que pode faz-lo. Naturalmente, encar-lo muito mais difcil e no tenho nenhum desejo de faz-lo, mas a nica abordagem que tem alguma chance de melhorar o relacionamento. Tenho de ir fonte do problema.

  • T de Tempo e Lugar:

    Certifique-se de que a discusso ocorra em hora e lugar adequados. Confrontar seu agressor em pblico ou em um corredor no uma boa ideia, mesmo que sua queixa seja no violenta. Tampouco sbio comear a conversa imediatamente, quando a ferida ainda est aberta ou a outra parte est estressada. O melhor escolher um lugar onde possam falar em paz e com a certeza de que a pessoa est totalmente disponvel.

  • A de Abordagem Amigvel:

    Se voc quer que a outra parte escute o que voc tem a dizer, primeiro tem de ter certeza de que a pessoa est escutando. Nada redundar mais em fracasso do que adotar um tom ameaador ou autoritrio logo de cara. Como o Dr. Gottman demonstrou no Laboratrio do Amor, se um dos protagonistas se sente atacado, tender a ficar inundado por suas emoes, mesmo antes de a conversa comear. Depois disso, nada mais vai ajudar.

  • Certifique-se, portanto, de que o outro se sente vontade durante suas primeiras palavras. Faa seu antagonista ouvi-lo, no se fechar. Voc sabe qual a palavra mais atraente que voc pode ouvir? o seu prprio nome. Os psiclogos chamam-no de o fenmeno do coquetel.

  • Imagine que voc est em um coquetel, rodeado por uma multido que conversa. Voc est totalmente absorvido pela conversa que mantm com outra pessoa. No escuta nada dos dilogos que esto ocorrendo sua volta, uma vez que eles so filtrados e eliminados pela sua ateno focada.

  • Mas, de repente, em outro grupo, algum diz o seu nome. Imediatamente voc o ouve e vira a cabea. Seu nome - esta palavra, mais do que qualquer outra tem o poder de atrair a sua ateno, exatamente como o seu nome salta aos olhos em uma pgina de texto denso.

  • Somos mais receptivos ao nosso nome do que a qualquer outro. Assim, o que quer que voc tenha a inteno de dizer a seu depreciador, comece por se dirigir a ele pelo nome. Depois diga algo positivo, mesmo que seja uma frase de efeito, mas que seja verdade.

  • Essa perspectiva positiva pode ser, s vezes, difcil de encontrar, porm muito importante. Por exemplo se tenciona se queixar porque seu patro o criticou em pblico, voc poderia dizer: David, apreio todas as chances que tenho de ouvir seu feedback. Isso me ajuda a melhorar o meu trabalho.

  • Comear com uma nota positiva nem sempre fcil. As primeiras palavras talvez at fiquem um pouco presas em sua garganta. Ainda assim, o esforo vale a pena. A porta da comunicao agora est aberta.

  • C de Comportamento Objetivo:

    A seguir, voc deve ir direto questo. Explique o comportamento que motiva sua queixa, mas limite sua descrio ao que aconteceu e nada mais, sem a mais ligeira aluso a um julgamento moral.

  • Voc deve dizer, por exemplo, Quando voc fez isso ou aquilo..., apenas isso. No diga, por exemplo, Quando voc agiu feito um depravado mas sim Quando voc se referiu s minhas calcinhas em pblico....

  • E de Emoo:

    Aps a descrio dos fatos, deve surgir a emoo que voc sentiu como resultado deles. Evite ento a armadilha de falar sobre sua raiva, que com frequncia a emoo mais bvia. Por exemplo, no diga Quando gritou na frente de todo mundo que meu vestido era ridculo (comportamento objetivo), voc me deixou com raiva.

  • A raiva j e uma emoo dirigida ao outro, no uma expresso de mgoa interna, e tem tudo para colocar a pessoa na defensiva. Certamente muito mais forte e eficaz falar sobre voc: Eu fiquei magoada ou A experincia foi humilhante para mim.

  • N de necessidade:

    Voc pode parar depois de j ter expressado sua verdadeira emoo, mas muito mais eficaz mencionar a decepo de suas esperanas, ou a necessidade que sente no ter sido reconhecida: Preciso me sentir seguro no trabalho, saber que no serei humilhado ou ferido por observaes custicas, especialmente de algum to importante quanto voc.

  • Ou, se seu marido a ignorou desdenhosamente durante um jantar, Preciso me sentir em contato com voc, sentir que sou importante para voc, mesmo quando estamos rodeados de amigos.

  • Sei muito bem que h algo ligeiramente artificial nesses procedimentos, sobretudo quando h to poucas pessoas nossa volta que podem nos servir de modelo. Voc talvez pense: Seria legal se eu tivesse a coragem de falar assim. Mas impossvel. No com o meu patro, ou No com o meu marido, ou No com os meus filhos, ou No com a minha sogra.

  • O problema simples. Voc s tem trs maneiras de reagir a um conflito: passivamente (como passivo-agressivo), a reao mais comum e menos satisfatria; agressivamente, que no muito mais eficaz e sem dvida mais perigosa; ou com Assertividade no agressiva em outras palavras, utilizando a comunicao emocional no violenta.

  • No obstante, h circunstncias em que melhor ser passivo ou agressivo do que submeter-se a um processos mais exigente de comunicao assertiva. Um caso pode ser trivial a ponto de no merecer nosso tempo ou ateno. ento perfeitamente legtimo ser passivo e aceitar um insulto ou ser manipulado sem reagir.

  • Escolho essa opo, por exemplo quando algum buzina no trnsito ou quando o vendedor na loja rude. Por outro lado, em emergncias ou em momentos de perigo normal ser agressivo e dar ordens sem mais explicaes. assim que o exrcito faz, precisamente porque o objetivo agir em meio ao perigo imediato. Pais fazem isso tambm, quando gritam com um filho que est atravessando a rua sem prestar ateno no trnsito.

  • Mas no importa a situao, h somente trs maneiras de reagir. A cada instante, cabe a ns escolher: vamos aceitar a briga, fugir ou ficar com o desafio da comunicao emocional efetiva?

  • Nada gera mais stress, ansiedade e depresso do que relacionamentos mal gerenciados e mal sucedidos com aqueles que so importante para ns. E est totalmente em nossas mos mudar isso. O processo FTACEN o primeiro passo solidamente dado nessa direo.

  • Deise Azevedo Ajala dos Santos Psicloga Clnica Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental | CRP 08/17934

    psideiseazevedo@gmail.com Fone: (45) 9838-4425