(5. regras de vôo visual - ok - inserir revisão [modo de compatibilidade])

Download (5. Regras de Vôo Visual - ok - inserir revisão [Modo de Compatibilidade])

Post on 31-Oct-2015

16 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Regras de Voo Visual

  • Voo Visual aquele em a ANV mantm, durante todo

    o tempo de voo, separao das nuvens e outras formaes meteorolgicas de opacidade equivalente, seguindo normas opacidade equivalente, seguindo normas estabelecidas.

  • CRITRIOS GERAIS Exceto quando operando como voo VFR

    especial, os voos VFR devero ser conduzidos de forma que as aeronaves voem em condies de visibilidade e distncia das nuvens iguais ou de visibilidade e distncia das nuvens iguais ou superiores quelas especificadas no quadro da Tab. 4.

  • CLASSE DE ESPAO AREO

    B C D E

    FG

    Acima de 900m (3000 FT) AMSL ou acima de 300m (1000 FT) sobre o terreno o que for maior

    Abaixo de 900m (3000 FT) AMSL,inclusive, ou at 300m (1000 FT) acima do terreno, o que for maior

    Distncia das nuvens

    Livre de nuvens

    1500m horizontalmente 300m (1000 FT) verticalmente

    1500m horizontalmente 300m verticalmente

    Livre de nuvens e avistando o solo

    verticalmente

    Visibilidade

    8Km se voando no ou acima do FL100

    8 Km se voando no ou acima do FL100

    8 Km se voando no ou acima do FL100

    5 Km5 Km se voando abaixo do FL100

    5 Km se voando abaixo do FL100

    5 Km se voando abaixo do FL100

    Limite de Velocidade 380 Kt

    250 Kt IAS se voando abaixo do FL100

    380 Kt IAS se voando acima do FL100

  • ESPAOS AREOS F & G ACIMA DE 900M (3000 FT) AMSL OU

    ACIMA DE 300M (1000 FT) SOBRE O TERRENO O QUE FOR MAIOR

  • ESPAOS AREOS F & G ABAIXO DE 900 M (3000 PS) AMSL,

    INCLUSIVE, OU AT 300 M ACIMA DO TERRENO (ALTURA) , O QUE FOR MAIOR, 5 KM, LIVRE DE NUVENS E MAIOR, 5 KM, LIVRE DE NUVENS E COM AVISTAMENTO DO SOLO OU GUA.

  • ESPAOS AREOS F & G

    EX. LOCAIS CUJA ELEVAO SEJA INFERIOR A 2000 PS

  • ESPAOS AREOS F & G

  • CRITRIOS GERAIS No obstante o estabelecido anteriormente, os

    voos VFR somente sero realizados quando, simultnea e continuamente, puderem cumprir as seguintes condies:as seguintes condies:

    a) manter referncia com o solo ou gua, de modo que as formaes meteorolgicas abaixo do nvel de voo no obstruam mais da metade da rea de viso do piloto;

  • CRITRIOS GERAIS b) voar abaixo do nvel de voo 150 (FL 150); e c) voar com velocidade estabelecida no quadro

    da Tab. 4.

  • CRITRIOS GERAIS Exceto quando autorizado pelo rgo ATC

    para atender a voo VFR especial, voos VFR no podero pousar, decolar, entrar na ATZ ou no circuito de trfego de tal aerdromo se:no circuito de trfego de tal aerdromo se:

    a) o teto for inferior a 450m (1500 ps); ou b) a visibilidade no solo for inferior a 5 Km.

  • CRITRIOS GERAIS Exceto em operao de ARR e DEP, o voo

    VFR no ser efetuado: a) sobre cidades, povoados, lugares habitados

    ou sobre grupos de pessoas ao ar livre, em ou sobre grupos de pessoas ao ar livre, em altura inferior a 300m (1000 ps) acima do mais alto obstculo existente num raio de 600mem torno da ANV; e

  • CRITRIOS GERAIS b) em lugares no citados na alnea anterior,

    em altura inferior a 150m (500 ps) acima do solo ou da gua.

    Para a realizao de voos VFR nos espaos Para a realizao de voos VFR nos espaos areos Classes B, C e D as aeronaves devem dispor de meios para estabelecer comunicaes em radiotelefonia com o rgo ATC apropriado.

  • CRITRIOS GERAIS proibida a operao de ANVs sem

    equipamento rdio ou com este inoperante, nos ADs providos de TWR e de AFIS, exceto nos casos previstos em na legislao.nos casos previstos em na legislao.

  • CRITRIOS GERAIS - Excees vedada a operao de ANVs sem

    equipamento rdio ou com este inoperante em ADs providos de TWR, exceto nos casos seguintes, mediante prvia coordenao com a seguintes, mediante prvia coordenao com a TWR em horrio que no causem prejuzo ao trfego do AD:

    a) voo de translado de ANVs sem rdio; e b) voo de planadores e de ANVs sem rdio

    pertencentes a aeroclubes sediados nesses ADs.

  • CRITRIOS GERAIS - Excees vedada a operao de ANVs sem

    equipamento rdio ou com este inoperante em ADs providos de AFIS, exceto nos casos seguintes, mediante prvia coordenao, e em horrios que no causem prejuzo ao trfego do horrios que no causem prejuzo ao trfego do AD:

    a) voo de translado de aeronaves sem rdio; b) voo de aeronaves agrcolas sem rdio; e c) voo de planadores e de ANVs sem rdio

    pertencentes a aeroclubes sediados nesses ADs.

  • CRITRIOS GERAIS As ANVs em voo VFR dentro de TMA ou

    CTR no devero cruzar as trajetrias dos procedimentos de sada e descida por instrumentos em altitudes conflitantes, bem instrumentos em altitudes conflitantes, bem como no devero bloquear os auxlios navegao sem autorizao do respectivo rgo ATC.

  • CRITRIOS GERAIS Os voos VFR devero atender ao estabelecido

    em legislao, no que for aplicvel, sempre que: (Vide Nota)

    a) forem realizados nos espaos areos B, C, a) forem realizados nos espaos areos B, C, D;

    b) ocorrerem na zona de trfego de aerdromo controlado; ou

    c) forem realizados como voos VFR especiais.

  • Nota SERVIO DE CONTROLE DE TRFEGO

    AREO AUTORIZAES DO CONTROLE DE

    TRFEGO AREO.TRFEGO AREO. Possvel renovao da autorizao em

    voo OBSERVNCIA DO PLANO DE VOO Mudanas inadvertidas Mudanas intencionais

  • Nota Deteriorao nas condies

    meteorolgicas at ficarem abaixo das condies meteorolgicas visuais

    COMUNICAES COMUNICAES Falha de comunicaes NOTIFICAO DE POSIO

  • CRITRIOS GERAIS Quando voando nos espaos areos ATS

    classes E, F e G, os voos VFR no esto sujeitos a autorizao de controle de trfego areo, recebendo dos rgos ATS to somente areo, recebendo dos rgos ATS to somente os servios de informao de voo e de alerta.

  • RESPONSABILIDADE DO PILOTO

    Caber ao piloto em comando de uma aeronave em voo VFR providenciar sua prpria separao em relao a obstculos e demais aeronaves por meio do uso da viso, demais aeronaves por meio do uso da viso, exceto no espao areo Classe B, em que a separao entre as aeronaves de responsabilidade do ATC, devendo no entanto ser observado o disposto em PREVENO PARA EVITAR COLISES.

  • CONDIES PARA REALIZAO De VOO VFR

    PERODO DIURNO Os ADs de partida, de destino e de alternativa

    devero estar homologados ou registrados para operao VFR. operao VFR.

    As condies meteorolgicas predominantes nos ADs de DEP, de DEST e de ALTN devero ser iguais ou superiores aos mnimos estabelecidos para operao VFR.

  • CONDIES PARA REALIZAO De VOO VFR

    PERODO NOTURNO Alm das condies prescritas anteriormente: a) o piloto dever possuir habilitao para voo

    IFR;IFR; b) a aeronave dever estar homologada para

    voo IFR;

  • CONDIES PARA REALIZAO De VOO VFR

    Perodo Noturno c) os ADs de partida, de destino e de

    alternativa devero dispor de: balizamento luminoso das pistas de pouso em balizamento luminoso das pistas de pouso em

    funcionamento; farol de AD em funcionamento; e indicador de direo do vento iluminado ou

    rgo ATS em operao.

  • CONDIES PARA REALIZAO De VOO VFR

    d) a ANV dever dispor de transceptor de VHF em funcionamento para estabelecer comunicaes bilaterais com rgos ATS apropriados.apropriados.

  • CONDIES PARA REALIZAO De VOO VFR

    Quando realizado inteiramente em ATZ, CTR ou TMA, incluindo as projees dos seus limites laterais, ou, ainda, na inexistncia desses espaos areos, quando realizado dentro desses espaos areos, quando realizado dentro de um raio de 50 Km (27 NM) do AD de partida, no se aplicaro ao voo VFR noturno as exigncias contidas em a) e b).

  • CONDIES PARA REALIZAO De VOO VFR

    NOTA: No caso de voo VFR noturno realizado inteiramente em ATZ, CTR e/ou TMA adjacentes, no sero aplicadas as exigncias em a) e b).exigncias em a) e b).

    Exemplo: As TMAs de SBIL, SBSV, SBAR, SBMO, SBRF, SBJP e SBNT so adjacentes.

  • Autonomia A autonomia ser indicada em funo de tempo

    de combustvel, seguindo o critrio abaixo, para o voo VFR.

    A) ANVs (avies de pequeno porte ou A) ANVs (avies de pequeno porte ou helicpteros) de transporte pblico (txi areo e executivos) podero iniciar um VOO VISUAL, considerando-se o vento e as condies atmosfricas conhecidas, SOMENTE se tiverem combustvel suficiente para voar, em velocidade de cruzeiro, at o AD de destino:

  • Autonomia Durante o dia: A + B + 30 min (avies) A + B + 20 min (hels.) Durante a noite: A + B + 45 min (avies) A + B + 30 (hels.) A = AD de partida e B = AD de destino.

  • Autonomia B) ANVs de aeroclubes, escolas privadas

    e no homologadas para transporte pblico NO podero iniciar um VOO VISUAL, considerando o vento e as condies atmosfricas conhecidas, a condies atmosfricas conhecidas, a menos que, disponham de combustvel suficiente para voar at o local de primeiro pouso (A p/ B), em velocidade de cruzeiro, voar + 45 min para avies e 20 min para helicpteros.

  • NVEIS DE CRUZEIRO Exceto quando autorizado pelo rgo ATC, os

    voos VFR em nvel de cruzeiro, quando realizados acima de 900m (3000 ps) em relao ao solo ou gua, sero efetuados em relao ao solo ou gua, sero efetuados em um nvel apropriado rota, de acordo com a tabela de nveis de cruzeiro, em funo do rumo magntico.

  • RUMO MAGNTICODE 000 A 179 DE 180 A 359 FL PS FL PS

    TABELA DE NVEIS DE VOO VISUAL

    035055075095115135

    35005500750095001150013500

    045065085105125145

    450065008500

    105001250014500

  • NVEIS DE CRUZEIRO O nvel de voo VFR, selecionado de acordo

    com a tabela de nveis, ser mantido pela ANV, enquanto puder satisfazer as condies estabelecidas para o voo visual, cabendo e