4ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Download 4ª Edição Nacional – Jornal Chico da Boleia

Post on 09-Mar-2016

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

4 Edio do Jornal Chico da Boleia.

TRANSCRIPT

<ul><li><p>ANO 01 - EDIO 04- EDIO NACIONALW W W . C H I C O D A B O L E I A . C O M . B R</p><p>CHICO DA BOLEIAINFORMA</p><p>Ano novo Diesel novoO novo diesel, conhecido como S50 j est sendo comercializado para todos os estados brasileiros. Ele contm baixo teor de enxofre diminuindo assim a poluio e ajudando no meio ambiente. A reduo dos teores de enxofre no diesel diminui proporcionalmente a formao de poluentes primrios, como o SO2, SO3, e mate-rial particulado. Segundo Allan Kardec Duailibi, os veculos mais antigos podero usar o novo diesel. J os novos sero fabricados para utilizao somente dos com-bustveis do tipo S-50. A utilizao do diesel S-50 faz parte da implantao das fases P-7 e L6 do Programa de Controle da Poluio do Ar por Veculos Automotores Proconve (que abrange veculos pesados e utilitrios movidos a diesel produzidos a partir de 2012), previstas desde 2009. </p><p>Bocha tem tradio entre os caminhoneiros?</p><p>Agora teremos msicas em nosso jornalPara trazer-lhes muito mais contedo e com mais qualidade, conseguimos um grande reforo para o nosso jornal: a compositora e cantora Simone Sperana. A cada edio, ela vai nos contar um pouco sobre a histria da msica sertaneja de raiz e de seus principais protagonistas. Nesta edio ela vem nos contar sobre a vida do grande Jos Fortuna ou "Z Fortuna", um garoto do interior que escrevia seus versos no cho e que se tornou um dos grandes cones da msica sertaneja de raz.</p><p> Pgina 9</p><p> Pginas 6, 7 e 8</p><p> Pginas 3 e 4</p><p>Chico da Boleia vai at o Vasco da Gama GDR, um tradicional clube da Vila Guilherme, para conversar sobre um esporte muito popular entre os amigos caminhoneiros do Sul: a bocha. Nesta regio, Chico conversou com nosso velho companheiro de estrada, Roberto Videira, que rbitro des-te amado esporte. claro que Chico da Boleia no ia perder a chance de co-nhecer mais sobre este tradicional clube. Quem nos contou um pouco des-ta histria foi o Sr. Jos Soares, um dos mais antigos integrantes do clube.</p></li><li><p>2Projeto Chico da Boleia</p><p>E-mail:chicodaboleia@chicodaboleia.com.br</p><p>Website:www.chicodaboleia.com.br</p><p>Telefones:(19) 3843-5778 / (19) 3843-6487</p><p>EDITORIAL</p><p>Publicado por: Centro Integrado dos Transportes Central do Transporte Fundado em 18/07/2005</p><p>Rua Bento da Rocha, 354Itapira-SP, CEP: 13.970-030Tel: (19) 3843-6487 (19) 3843-5778</p><p>Diretora-Presidente: Wanda JachetaDiretor Editorial: Chico da Boleia Editores Responsveis: Chico da Boleia e Juliano Henrique BuzanaJornalista Responsvel: Marina Porcelli Germiniani MTB - 61167Reviso: Larissa J. RibertiDiagramao: AF Produes</p><p>Conselho Editorial:Albino Castro - JornalistaJos Carlos Rollo - JornalistaDra. Virgnia Laira - Advogada e coordenadora do Departamento Jurdico da FenacatRoberto Videira - Presidente da APROCAM BrasilJos Arajo China - presidente da UNICAM BrasilLuiz Norberto da Fonseca Filho Betusca - radialista e proprietrio da Rdio Clube de ItapiraGrfica - Grafisc</p><p>Galeria de Fotos</p><p>Tiragem:50.000 exemplares</p><p>Vanderley Beghini recebendo brindes do programa Chico da Boleia.</p><p>Roberto Videira Campeo do Torneio interno de bocha do </p><p>Vasco da Gama GDR</p><p>Quadra de Bocha do clube Vasco da Gama GDR</p><p>Lus Neves, Roberto Videira e Waldelio Santos na entrevista sobre a nova sede da FENACAT</p><p>Simone Sperana e a dupla Dalan &amp; Bueno cantando ao vivo no programa Chico da </p><p>Boleia.</p><p>Simone Sperana em entrevista com o Chico da Boleia</p><p>Colaboradores e convidados no programa Chico da Boleia</p><p>ser um ponto de distribuio, fico feliz por ver que os companheiros, amigos, parceiros e profissionais da rea acolheram com carinho este novo veculo de comunicao.</p><p>E como j dito anteriormente nos faremos presentes nas festas, congressos, encontros, debates e tudo aqui que nosso setor estiver envolvido para buscar informao como para levar a informao.</p><p> E se voc tem fotos, textos ou qualquer informao sobre o seu dia a dia nas estradas, nos mande a sua sugesto. As crticas tambm so bem vindas. Vamos juntos divulgar o que acontece na nossa rea.</p><p>Esta edio tem uma rea nova: o cantinho da msica. A cada edio teremos a violeira Simone Sperana escrevendo sobre a msica raz do nosso pas. Na rea de esporte, alm de trazermos informaes sobre o que acontece na Frmula Truck, tambm vamos divulgar outros esportes que ns caminhoneiros e carreteiros praticamos. Se voc se interessa por algum esporte, nos escreva.</p><p>Lembre-se companheiros e amigos este jornal de vocs, participem, divulguem.</p><p>Quero desejar a todos um ano repleto de SADE, FELICIDADE, ENERGIA E MUITOS E MUITOS FRETES, com preo bom para todos.</p><p>Boa LeituraUm fraterno abrao do seu Amigo das Ideias.Chico da Boleia</p><p>2012, Ano novo</p><p>Se fim de ano tempo de reflexo, incio de ano marcado por promessas. Sim! Todos ns fazemos nossas promessas, mesmo que elas sejam as mesmas do ano passado. Eu, por exemplo, digo e prometo que este ano vou perder peso. No ano que passou o que eu perdi foram as minhas roupas que deixei de usar por que ganhei mais quilos. Perdi tambm o flego, por conta dos quilos a mais. Este ano, o quadro ter de ser revertido. E nada como uma promessa para comear a mudana.</p><p> Mas o que no promessa e sim fato, o novo diesel S50 e o Arla, que j se encontram nos postos de combustveis. Voc ver em nossa matria principal as informaes sobre estes novos produtos. Saber como tudo comeou e as vantagens que tal iniciativa trar para ns e nossas famlias. Outro fato para este ano o fim da carta frete. A ANTT j comeou a fiscalizao de forma educativa, mas muito em breve comear a aplicar as multas. Voc companheiro de trecho tem que estar atento e ajudar na fiscalizao, pois o fim da carta frete uma conquista de grande importncia. Nesse ano de 2012 tudo indica que as novidades vo continuar favorecer no nosso segmento. O que deve continuar da mesma forma, mas acreditamos que se possa mudar em definitivo, so as estradas que se localizam fora dos grandes centros e que esto sem condies de rodagem. Outro ponto importante que continuaremos a brigar por um valor melhor de frete, por mais segurana, por um Pr Caminhoneiro menos burocrtico e por mais respeito por ns, profissionais do tapete negro.</p><p>Quero agradecer a todos pelo sucesso do Chico da Bolia Informa estamos em nossa edio 4 e a procura grande, tanto para receber em casa como </p></li><li><p>3Jornal Chico da Boleia Informa</p><p>ESPORTES</p><p>Conhea a Bocha </p><p>O que a Bocha?</p><p>A bocha um esporte jogado entre duas pessoas ou duas equipes, sendo quatro bochas(bolas) para cada equipe, ou seja duas para cada jogador. </p><p>Quando surgiu?A bocha teve sua origem em trs a quatro mil anos a.C. Nesta poca, o esporte era pratica-do com objetos esfricos (pedras redondas) no Egito e na Grcia Antiga, como forma de passatempo. O esporte da bocha surge na Itlia, no perodo dos impera-dores, na data entre 68 / 69 d.C, o chamado boce, tinha festivais organizados por nobres e governantes, crian-do o profissionalismo. Com a expanso do exrcito romano, a modalidade foi difundida pela Europa. </p><p>Na Amrica do Sul o esporte tambm che-gou pelas mos dos italianos. Os imigrantes trouxeram a prtica para a Argentina e mais tarde para outros pases. Os estados de So Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, </p><p>que receberam grandes concentraes de imigrantes vindos da Itlia, foram respon-sveis pelo incio do esporte no Brasil, que posteriormente se espalhou por Paran, Rio de Janeiro, Esprito Santo e Minas Gerais. Desde ento o esporte vem sendo prati-cado em Clubes, Centros Comunitrios, Empresas, Sindicatos, Parquias, Praas, Praias. Hoje a bocha praticada por pessoas de todas as idades, classes sociais, homens, mulheres, jovens e crianas, atraindo a par-ticipao de atletas de faixa etrias cada vez menores. </p><p>Fonte: portaldabocha</p><p>Chico da Boleia: Ol amigos caminhonei-ros e carreteiros, hoje estamos aqui na Vila Guilherme. Vamos conhecer um clube tra-dicionalssimo, um clube que tem 88 anos. Ns vamos contar um pouco da histria do esporte que voc caminhoneiro, voc car-reteiro prtica. Vamos falar sobre o bocha, que um dos esportes praticados aqui nesse clube. Vamos falar com o rbitro que da federao paulista de bocha Sr. Roberto Vi-deira. Roberto voc falou que caminhoneiro e carreteiro gosta de jogar bocha e na enquete que a gente est fazendo no site, a bocha est com zero por cento de votos. Como que voc explica isso? Roberto Videira: Amigos caminhoneiros bom dia! uma alegria novamente estar fa-lando aqui com Chico da Boleia, e falando </p><p>com os companheiros a no trecho. O bocha realmente um esporte muito praticado no sul do pas, quero que voc coloque isso no jornal para voc ver a repercusso positiva que os amigos caminhoneiros, amigos bo-chfilos daro na sua enquete, Chico da Boleia.Chico da Boleia: Bom, ele arbitro da fede-rao. Est defendendo o esporte. Alis, uma coisa que eu descobri: as regras do bocha tm 88 pginas e eu gostaria de saber como con-seguiu tanta regra para quatro bolas e um bo-lim? Mas deixando isso de lado, vamos falar do clube Vasco da Gama, um clube que no comeo tinha as peas de teatro e ao longo do tempo so 88 anos de histria. Vamos conversar com um dos mais antigos scios do clube Vasco da Gama, Sr. Jos Soares. O </p><p>senhor poderia contar pra gente como que nasceu o clube?Jos Soares: O clube nasceu assim: eram dois times que tinha na esquina, um era Carlos Gomes e o outro Garo Coutinho, mas tinha muita desavena de briga, ento resolveram juntar os dois e formar o time GDR Vasco da Gama. Isso foi em 1923 bem antes de eu nascer.Chico da Boleia: Bom, levando em conside-rao que na poca da fundao do clube ain-da dava pra nadar e pescar no Tiet, temos aqui ao longo da marginal, o Clube Esperia e o Clube Tiet, que eram clubes que nas-ceram em funo do remo e da natao. O Vasco passou por esse processo ou no?Jos Soares: No passou. Mas ns temos todo conhecimento do rio Tiet que era limpo, </p><p>todo mundo pescava, mergulhava de cima da ponte da Vila Guilherme, era muito bo-nito, tinha correnteza e no era essa sujeira de hoje.Chico da Boleia: E qual foi o primei-ro esporte praticado pelo clube? E hoje qual o esporte mais praticado?Jos Soares: O time de futebol do Vasco era muito bom, ns jogvamos em tudo que era campo, tinha campo tambm nos-so, mas atualmente ns temos a bocha, que o mais praticado e o futebol de sa-lo. Mas aqui graas a Deus tudo da gen-te, a propriedade nossa e vamos lutando a cada vez mais at fecharmos os olhos.Chico da Boleia: Falando em clu-bes e esportes praticados, qual o es-porte que deu mais ttulos ao clube?</p><p>Entrevista com Roberto Videira e Jos Soares sobre o esporte bocha</p><p>portaldabocha</p></li><li><p>4ESPORTES</p><p>ECONOMIA</p><p>Jos Soares: O futebol foi o que mais deu ttulos ao clube e saiu muito jogador bom daqui. Um deles o pai do Marcelo Mo-reno, que esse jogador que boliviano, assina agora com o Grmio. Tinha o Roxi-nho que jogou no Palmeiras, tinha o Lin-guia, tinha um cara que jogava no Corin-thians. Teve muito jogador bom o Vasco.Chico da Boleia: Bom vocs percebem que o clube tradicional, e como eu disse tem 88 anos passando pelo futebol e pelo bocha. Vamos falar um pouco de bocha com o lti-mo campeo interno daqui do clube Vasco da Gama, mais conhecido como o Galo Azul. Eu tenho para mim que esse ttulo discutvel, por que o rapaz rbitro e pode ser que o favorecimento existiu. (risos) Mas Roberto como que foi ganhar esse ttulo?Roberto Videira: No foi s ganhar, como </p><p>tambm fazer uma participao com os com-panheiros que frequentam aqui o Vasco da Gama. O objetivo da diretoria do Vasco foi para que ns colocssemos pessoas que no tinham o hbito de jogar bocha com aqueles que j praticavam com certa frequncia.Chi-co da Boleia: Continuando nessa linha do bocha, a gente v que um clube que tem um espao bom, mas um espao limitado. Tem </p><p>a quadra, tem o salo de festas, e tem a cancha de bocha. Como que um clube com essa estrutura um tanto quanto pequena pe-rante outros, sobrevive 88 anos?Roberto Videira: Bom, primei-ro por causa da cumplicidade que os scios, os companheiros </p><p>que aqui frequentam h tantos anos como Z Soares, que falou conosco agora pou-co, dedicam ao GDR Vasco da Gama. Fi-nanceiramente falando, a quadra da uma receita muito boa para o Vasco como tam-bm o salo de festa que sempre nos finais </p><p>de semana esto alugados. Essa receita faz com o que o Vasco continue com as suas contas em dia e podendo sempre organizar festas e eventos aqui na Vila Guilherme.Chico da Boleia: Poderamos dizer que este um clube que pas-sa de pai para filho?Roberto Videira: Na linguagem po-pular hereditrio. Esqueci-me de falar do bingo. Mensal-mente ns temos um grandioso bingo em nosso salo de fes-tas tambm para arrecadar fundos. No s para o nosso fundo como para a igreja So Sebastio que aqui do nosso lado, o bingo beneficente em favor da igreja e um pedacinho vai para o Vasco da Gama. Chico da Boleia: Bom, falando com o Jos Soares, poderia dizer que o Vas-co da Gama pelo prprio nome, seria um reduto da comunidade portuguesa?</p><p>Jos Soares: Tudo da comunidade portu-guesa, por que aqui antigamente s tinha portugus, s existia lagoa e portugus e carregador de areia, por que So Paulo foi construdo com a areia da Vila Guilherme.</p><p>Chico da Boleia: Bom amigos, ns contamos um pouco da histria de clube um tradicional de So Paulo e do esporte praticado aqui: o bocha. No prximo exemplar e na prxima edio vamos falar de outro esporte em outro clube, em algum lugar desse pas. Muito obrigado e at a prxima.</p><p>Transporte rodovirio mantm a liderana no prximo sculoNo novidade para ningum </p><p>que no Bra-sil o modal rodov i r io p r e v a l e c e sobre as de-mais formas de transpor-te. Embora </p><p>se fale na substituio deste siste-ma, o caminho tem se mostrado imbatvel, principalmente quan-do se refere a pases emergentes, onde a venda de veculos pesados cresce acompanhando a economia</p><p>pujante. A afirmao vem do administrador Luiz Carlos Para-guassu, vice-presidente da FENA-BRAVE--RS e superintendente do Grupo Bivel, o representante da marca Iveco no estado gacho. Para o dirigente, que j esteve a frente da indstria de caminhes e hoje atua junto a rede de distribuio, o futuro do transporte de cargas de-pende de fatores como a privatiza-o das ferrovias, a modernizao dos portos e a propagao de estra-das com pedgios, que poderiam alterar o domnio do caminho </p><p>como lder da matriz de transpor-te. Independente do trabalho srio em promover outros modais, cer-to que no haver uma substitui-o expressiva dos caminhes, pelo menos no prximo sculo. Segun-do Paraguassu, os veculos pesados estaro cada vez mais econmicos e menos poluentes e esta evoluo tecnolgica deve continuar. Este ano o Brasil passou a utilizar o Die-sel S50, com ganhos ambientais significativos e a expectativa que uma nova fase do programa de re-duo de poluentes entre em vigor em janeiro de 2013 com a chegada do novo combustvel, ainda menos poluente, o S10. Alm disso, a vida longa do caminho assegurada quando se pensa em negcios sem estoques. Muitas lojas com atuao just in time so abastecidas mais de uma vez ao dia. O setor rodovi-rio de cargas dever continuar na liderana da matriz do transporte brasileiro, apesar do rejuvenesci-mento dos modais ferrovirio e aquavirio a par...</p></li></ul>