45° forum nacional de reitores da abruem o processo de mobilidade acadêmica do ensino superior

Download 45° FORUM NACIONAL DE REITORES DA ABRUEM  O Processo de Mobilidade Acadêmica do Ensino Superior

Post on 22-Feb-2016

32 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

45° FORUM NACIONAL DE REITORES DA ABRUEM O Processo de Mobilidade Acadêmica do Ensino Superior Avaliação, Qualidade e Pertinência da Cooperação e Mobilidade Acadêmica Prof. Amauri Bogo Secretário de Cooperação Institucional e Internacional - UDESC Manaus, 2009. UDESC. 7 Campi; - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

  • 45 FORUM NACIONAL DE REITORES DA ABRUEM

    O Processo de Mobilidade Acadmica do Ensino Superior Avaliao, Qualidade e Pertinncia da Cooperao e Mobilidade Acadmica

    Prof. Amauri BogoSecretrio de Cooperao Institucional e Internacional - UDESCManaus, 2009

  • UDESC7 Campi;12 Mil alunos- 40 Cursos de Graduao;- 17 Cursos de Mestrado;- 5 Cursos de Doutorado.

  • REITORIAFlorianpolis/S

  • Tpicos para reflexo

    Retrospectiva histrica;Definies;Situao atual no mundo e no Brasil. Educao Superior para o Sculo XXI;Declarao da UNESCO;Mobilidade Acadmica das IES

  • Estratgias para a gesto, para o ensino, para a pesquisa e para a extenso;Bases para elaborao de diagnsticos da M.A;Bases para elaborao de planos estratgicos para a M. A;Bases para avaliao da M. A.Tpicos para reflexo

  • Em outras palavras...O que Mobilidade Acadmica?Por que fazer?Para que fazer?Quem so os atores?Quando ocorre?Como ocorre? De que forma?Por onde comear... e Diagnsticos

  • O que Mobilidade Acadmica-M.A?A Mobilidade Acadmica se refere a um processo de mudanas organizacionais, de inovao curricular,de desenvolvimento profissional do corpo acadmico, com a finalidade de buscar a excelncia na docncia, na pesquisa e em outras atividades que so parte da funo das universidades. (Rudzki, 1998)

  • Retrospectiva HistricaEra antes de Cristo: jovens da sociedade romana iam Grcia (Atenas, Rodes, Alexandria, Prgamo);

    Sc. XII e XIII: estabelece-se o conceito de Universidade na Europa. (Universidade de Salamanca 1218);

    Difuso do conhecimento por reas de excelncia: Paris (teologia), Orlans e Bolonha (direito), Salerno (medicina);

    Sc. XVII e XVIII: lanamento do Grand Tour(melhores estudantes-melhores universidades na Alemanha, Frana, Itlia e Gr-Bretanha).

  • Retrospectiva HistricaSc XIX: Revoluo Industrial: outros pases comeam a exportar intecambistas (China e Japo).

    Ps-guerra: mudana no conceito de viagens de estudos. Foco no aprendizado para convivncia pacfica entre os povos.

    1950: Frana e Alemanha iniciaram o movimento de programas governamentais para intercmbio cultural. Reconstruo dos pases ps-guerra.

  • Retrospectiva HistricaEm 1978 so criadas as primeiras Assessorias de Relaes Internacionais nas Universidades Brasileiras.

    No ano de 1988 o Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras cria o FAUBAI.

    Em 1998, no encontro realizado em Paris, a Unesco determina que a cooperao internacional deve ser buscada por todas as IES.

  • As instituies devem...

    tomar a iniciativa de mobilidade acadmica e no somente reagirem diante das foras externas resultantes da globalizao;

    conceber a mobilidade acadmica como parte integrante das suas misses institucionais e portanto devem criar mecanismos e estruturas apropriadas para promov-la e organiz-la.

  • Para que M.A?Para garantir a qualidade da educao atravs:

    perspectiva interdisciplinar, inter-cultural e internacional;inovao curricular e dos mtodos de ensino;enriquecimento acadmico atravs do intercmbio de experincias e de conhecimento;impacto positivo na excelncia da gesto universitria.

  • Quem so atores da M.A?Atores internos:

    Equipe acadmica (professores, alunos, pesquisadores)Equipe administrativa (gestores)

    Atores externos:

    Agncias de fomento (Capes, CNPq, Fundaes, DAAD, Edufrance, British Council, Fulbright, Campus France) Organismos internacionais (ONU, OEA, BID.)Governos nacionais e estrangeiros (MEC, MRE, MCT)Instituies de educao superior (programas prprios)

  • Quando ocorre a M.A?Quando houver vontade poltica dos dirigentes;Quando deixar ser um apndice na vida acadmica;Quando for parte integrante das estratgicos Inst.;Quando tiver poltica definida para sua implantao; Quando for parte da vida acadmica da instituio;Quando for publicamente divulgada e estiver escrita como uma das metas institucionais.

  • Identificao das parcerias j existentes; Identificao das filiaes redes, associaes, organismos internacionais (ativos, inativos);Levantamento da mobilidade j existente;Levantamento das dificuldades internas e externas;Levantamento de potencias interessados; Identificao fontes de financiamento disponveisPor onde comear a M.A?Elaborao do diagnstico

  • Declarao da UNESCO - 1998Os lderes das instituies de ensino superior, com o apoio de todos os membros da comunidade acadmica, devem desenvolver polticas e programas institucionais de mobilidade acadmica claros.Os programas devero estar integrados vida da instituio e gozar de financiamentos adequados provenientes de fontes internas e externas. Qual a Realidade atual???

  • QUAIS OS EXEMPLOS EXISTENTES ?

    1. Na ANDIFES (54 IES Federais, 2 CEFETs, 2IFETs):

    - Programa Mobilidade Acadmica Brasil - MAB 2008 - Parceria da SESu X CAPES.

    objetivo: Fomentar a cooperao tcnico-cientfica entre as IES federais, visando possibilitar a mobilidade de estudantes de graduao e professores, pelo perodo de um (01) perodo letivo.

  • 2. Na ABRUEM (48 membros):- Termo Cooperao e Intercmbio para o Ensino, Pesquisa e Extenso Universitria 20/04/2007.- 23 adeptos - somente 11 assinaturas.

    Qual a fragilidade deste Termo?- sobrecarga das maiores?- falta financiamento?- Padronizao curriculum Processo Bologna;- Convnios assinados pelo Reitor - ORIGEM

  • REALIDADE MUNDIAL Erasmus Mundus Estudantes no europeus nos 27 paises membros da UE (em 1000)Origem200020042005Africa134.2200.3202.3Asia183.0331.9344.2China18.696.1107.5India6.622.724.7 ---Amricas63.090.692.5EUA22.726.324.9Canada5.87.57.5Brazil6.89.49.7Oceania2.93.63.9Australia2.12.72.9 Fonte: Eurostat, 2007 13 Universidades Federais (SP,RJ,MG,Ce, Pa, PB, SC, PR, RS)

    3 Universidades- ABRUEM (SP e RJ)

  • 48 Membros22 IES - dadosREALIDADE DO SITEMA ABRUEMESTADO DA ARTE

  • Links de Cooperao Inst./Internacional

  • IES - LINK EM INGLS (0) (4) (3) (3) (1)(0)3(5)7(7)10(48 IES)

  • MOBILIDADE ACADMICA 5 ANOS(N de alunos)

  • Paises de destino-UEEpAlPtItFrRuSeFora da EU:- EUA;- Canad;

    Amrica Sul:- Argentina;- Chile;- Bolvia

  • Como fazer M.A? No mbito da graduao:

    - Programas de M.A Nacional e Internacional.;- Cursos em parceria (double/joint degrees);- Atualizao curricular - Processo Bologna;- Incluso de contedos internacionais;- Participao de professores estrangeiros;- Presena de estudantes estrangeiros (PEC-G e convnios).

  • No mbito da ps-graduao: - Oferta de cursos colaborativos e conveniados - Oferta de programas conjuntos (dois diplomas) - Programas interinstitucionais (colgio doutoral franco-brasileiro, escola de altos estudos)- Presena de Professores estrangeiros nos cursos oferecidos Como fazer M.A?.

  • Estudantes de graduao:

    - Cursos de carreira completa- Cursos parciais dos estudos- Cursos de formao complementar - Cursos de lnguas estrangeiras - Cursos profissionalizantes - Atividades profissionais- Estgios no Exterior.Como fazer M.A?.

  • Estudantes de ps-graduao:

    - Programa integral - Erasmus Mundus;- Programas parcial Sandwich;- Cursos Especializaes Maestrias;- Cursos Complementar (ALBAN);- Atividades profissionais (INSA);- Formao de investigadores Santander.Como fazer M.A?.

  • No mbito da pesquisaIntercmbio de informaes/publicaes; Realizao de eventos cientficos; Formao de centros/ctedras de pesquisa; Melhoria da infra-estrutura, equipamentos para pesquisa com recursos internacionais;Participao em redes de investigao;Atividades de difuso e de transferncia de tecnologia em nvel internacional.

    Como fazer M.A?.

  • No mbito da extensoIntercmbios de difuso cultural Participao em redes e organizaes institucionais internacionais (RLCU, OUI, AULP, Grupo Tordesillas, Rede Mediterrneo, IAUP)Difuso cultural da instituio no exterior Atividades culturais na universidadeProgramas de educao continuada.Como fazer M.A?.

  • Deciso dos dirigentes da universidade:

    - Elaborao de diagnstico sobre o nvel da M.A;- Definio dos objetivos prioritrios para a M.A;- Elaborao de plano de ao para estabelecimento do processo de M.A institucional.Plano estratgico para a M.A

  • Paradgmas globais da Mobilidade Acadmica das Instituies de Ensino Superior

    Polticas nacionais;Atuao dos gestores;Parmetros e indicadores;Estratgias para a M.A;Qualidade nos Programas de ps-graduaoParcerias internacionais para pesquisa

  • Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.Deus quis que a terra fosse toda uma.Que o mar unisse, j no separasse.

    Fernando Pessoa

  • Agradecimentos:- ABRUEM Denize Alencastro;- Informaes das Universidades

    Muito obrigado.

    08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*08/10/07*

Recommended

View more >