44. linguagem

Download 44. linguagem

Post on 23-Jun-2015

366 views

Category:

Spiritual

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. 1| A p o s t i l a L i n g u a g e m LINGUAGEMMILAGRES NO SO MAIS IMPORTANTES QUE A BBLIANo acaricie ningum a idia de que providncias especiais oumanifestaes miraculosas devam ser a prova da genuinidade desua obra ou das idias que defende. Caso conservemos estas coisasdiante do povo, elas produziro mau efeito, emoo prejudicial. Agenuna operao do Esprito Santo no corao humano prometidapara dar eficincia mediante a Palavra. Cristo declarou que a Palavra esprito e vida. "A Terra se encher do conhecimento da glria doSenhor, como as guas cobrem o mar." Hab. 2:14; II Pe. 3: 12; Isa.11: 9.Satans trabalhar da maneira mais sutil para introduzirinvenes humanas revestidas de roupagens anglicas. Mas a luz daPalavra est brilhando por entre as trevas morais; e a Bblia jamaisser ultrapassada por manifestaes miraculosas. A verdade precisaser estudada, ser esquadrinhada em busca de tesouros ocultos.Maravilhosas iluminaes no sero dadas parte da Palavra, oupara tomar-lhe o lugar. Apegai-vos Palavra, recebei a Palavraenxertada, que far o homem sbio para a salvao. (II ME 100).Leiam os textos bblicos abaixo com muita ateno e vejaque a salvao no um passo de milagre, mas trabalhada. Por estes pargrafos podemos ver o que Deusquer de ns.(Mateus 28: 19 e 20; Isaas 28: 10, 13; II Corntios 7: 1;Filipenses 2: 12)A salvao trabalhada, quando as pessoas estiverem prontaspara executar, ento com a palavra executaro milagres e os sonhossero realizados, como os Apstolos. Pois ns somos a ferramentade Deus. Atos 2: 1-5.Um dos ramos fundamentais do saber o estudo da lngua.Em todas as nossas escolas deve-se ter o cuidado especial de</li></ul><p> 2. 2| A p o s t i l a L i n g u a g e mensinar aos estudantes o uso correto da lngua materna, no falar, lere escrever. No se pode exagerar por mais que se diga com relao importncia da perfeio nestas matrias. Um dos requisitosessenciais em um professor a habilidade de falar e ler com clarezae vigor. Aquele que sabe fazer uso da lngua materna, de maneirafluente e correta, pode exercer uma influncia muito maior do que oque incapaz de exprimir seus pensamentos de modo pronto e claro.(CPPE, 216) O falar incorreto, hbitos errneos, precisam ser vencidos. Deusgostaria que cada homem fosse correto no falar, correto noshbitos, possuindo conhecimento que lhe dar um lugar deimportncia entre os homens. Eu apresento esta questo como oSenhor ma tem apresentado. Determinemo-nos a assumir nsmesmos a tarefa de aprender na escola de Cristo. (MS, 200)Os obreiros inteligentes e tementes a Deus podem realizar umagrande soma de bens no sentido de reformar os que, como invlidos,vm para ser tratados no hospital. Essas pessoas esto enfermas,no apenas fsica, mas mental e moralmente. A educao, oshbitos e toda a vida de muitos tm sido errneos. No podemeles realizar em poucos dias grandes mudanas, necessrias adoo de hbitos corretos. Devem ter tempo para considerar oassunto e aprender a maneira correta. Se todos os que esto ligadosao hospital forem representantes corretos da verdade da reforma desade e de nossa f sagrada, estaro exercendo uma influncia nosentido de moldar a mente de seus pacientes. O contraste entre oshbitos errneos e os que esto em harmonia com a verdade divinatem um poder convincente. (CSS, 258)Todos os que manuseiam a Palavra de Deus esto empenhadosnuma obra mui solene e sagrada; pois em sua pesquisa devemreceber luz e correto conhecimento, para que possam dar aos queso ignorantes. Educao a transmisso de idias que so luz everdade. Todos os que diligente e pacientemente examinam asEscrituras para que possam instruir a outros, lanando-se obra demaneira correta e com corao sincero, pondo de parte suas idiaspreconcebidas, sejam elas quais forem, e deixando seuspreconceitos hereditrios entrada da investigao, obteroverdadeiro conhecimento. (MM, Este Dia Com Deus, 41) 3. 3| A p o s t i l a L i n g u a g e mA habilidade de falar clara e distintamente, em tons cheios eeufnicos, imprescindvel em qualquer ramo de trabalho. Essahabilitao indispensvel naqueles que desejam tornar-sepastores, evangelistas, obreiros bblicos ou colportores. Os queesto planejando entrar nesses ramos, devem ser ensinados ausar a voz de tal modo que, quando falam ao povo acerca daverdade, esta cause uma decidida impresso para o bem. Averdade no deve sofrer detrimento por ser comunicadamediante pronncia defeituosa. (Manual do Colportor, pgs. 29 e30)Conversao comum e perante congregaes. A utilidade demuitos obreiros prejudicada por sua ignorncia com referncia respirao correta, e fala clara, enrgica. Muitos noaprenderam a dar a nfase devida s palavras que lem oufalam. Freqentemente a pronncia no clara. O exercciocompleto no uso da lngua materna de muito mais valor juventude do que o estudo superficial de lnguas estrangeiras,com negligncia daquela lngua. (CPPE, 208)Lendo ou recitando, a pronncia deve ser clara. Tons nasaisou atitudes vulgares devem ser quanto antes corrigidos.Qualquer falta de clareza deve ser notada como deficincia.Muitos se tm permitido formar o hbito de falar incompleta eindistintamente, como se a lngua lhes fosse demasiadamentegrande para a boca. Esse hbito lhes tem prejudicadograndemente a utilidade. (CPPE, 239) Se as pessoas defeituosas na pronncia se submeterem crtica e correo, podero vencer esses defeitos. Devemexercitar-se com perseverana, falando em tom baixo, distinto,pondo em funo os msculos abdominais em profundarespirao, e tornando a garganta o meio de comunicao.Muitos falam muito rapidamente, e em alto diapaso, fora donatural. Tal costume prejudicar a garganta e os pulmes. Emconseqncia do mau uso contnuo, os fracos e inflamadosrgos adoecem, podendo resultar em tuberculose. (CPPE, 239) Por meio de fervorosa orao e diligente esforo havemosde obter aptido para falar. Esta aptido inclui a pronncia clara 4. 4| A p o s t i l a L i n g u a g e mde cada slaba, pondo a acentuao nos lugares que a requerem.Falai devagar. Muitos o fazem rapidamente, amontoando comprecipitao as palavras umas sobre as outras, de modo quefica perdido o efeito do que dizem. Ponde no que dizeis oesprito e a vida de Cristo. (CPPE, 254 e 255) Os dons que nos habilitam a ser cooperadores de Deus, esperaque Seus servos cultivem a voz, de modo a poderem falar e cantarde maneira que todos entendam. No o canto alto que necessrio, porm entonaes claras, a pronncia correta, a dicodistinta. Tomem todos tempo para cultivar a voz, de maneira que olouvor de Deus seja entoado em tons claros, suaves, sem asperezase estridncias que ofendam ao ouvido. A aptido de cantar dom deDeus; seja ele usado para glria Sua. Testimonies, vol. 9, pgs. 143e 144.A cultura e o correto uso da voz so grandemente negligenciadosat por pessoas de inteligncia e de atividade crist. Muitos h quelem ou falam de maneira to baixa ou to rpida, que no podemser compreendidos perfeitamente. Alguns possuem pronnciapesada e indistinta, outros falam em tonalidade alta, em tons agudose estridentes, desagradveis aos ouvintes. Textos, hinos, relatrios eoutras partes, apresentados em reunies pblicas, so s vezes lidosde maneira tal que no so entendidos, de modo que muitas vezesperdem toda a fora e nada impressionam. (PJ, 335)Ningum a no ser vs mesmos pode controlar vossospensamentos. Na luta por alcanar a norma mais elevada, o xitoou o fracasso muito dependero do carter e da maneira pelaqual os pensamentos so disciplinados. Se os pensamentos sobem cingidos, como Deus ordena que o sejam diariamente, giraroem torno daqueles assuntos que nos ajudem a ter maior devoo. Seos pensamentos forem corretos, ento, como resultado, aspalavras tambm sero corretas; as aes sero de molde a trazeralegria, conforto e descanso s pessoas. ... (MM, Este dia com Deus,64)Nenhum mestre da verdade deve achar que sua educao estcompleta enquanto no houver estudado as leis da sade e conhecera influncia dos hbitos corretos sobre a vida espiritual. Ele deve 5. 5| A p o s t i l a L i n g u a g e mestar habilitado a falar ao povo inteligentemente acerca dessascoisas, e a dar-lhes um exemplo que revigore suas palavras. Oensino dos hbitos corretos faz parte da obra do ministroevanglico, e ele encontrar muitas oportunidades de instruiraqueles com quem entra em contato. (Evangelismo, 439)Oshomens devem assumirresponsabilidadesconscienciosamente, e sentir que esto fazendo a obra de Deus.Eles devem ter fidelidade no corao para neutralizar todos ossofismas e enganos de Satans, que poderiam afast-los do caminhoreto, de maneira que em lugar de preferirem fazer a vontade doSenhor, sigam os impulsos do seu prprio carter indisciplinado. Se ocorao for santificado e guiado pelo Esprito Santo, eles nocorrero nenhum risco, mas estaro convencidos, em tudo o queempreenderem, de fazer boa obra para Jesus; e, ao fazerem suaobra corretamente, esto eles certamente a associar-se nesta vida auma firme fortaleza do alto, e sero guiados em todo bom e santocaminho. Sero firmes aos princpios. Realizaro o seu trabalho,no para obterem um grande nome ou grandes salrios, nem com opropsito de entretecer o eu em todas as suas obras e deaparecerem como algum no mundo, mas para serem corretos emtudo aos olhos de Deus. Eles no estaro to ansiosos para fazer umgrande trabalho como para fazer o que tm que fazer com fidelidade,tendo como nico objetivo a glria de Deus. Tais homens sograndes vista de Deus. Seus nomes esto registrados no livro davida do Cordeiro como fiis servos do Deus Altssimo. Estes so oshomens mais preciosos aos olhos de Deus do que o ouro fino, maispreciosos ainda do que o ouro fino de Ofir. Health, Philanthropic, andMedical Missionary Work, pgs. 29-33. (CSS, 285) Entre as primeiras coisas que se devem ter em vista, figura aposio correta, tanto estando sentados como de p. Deus fez ohomem ereto, e deseja que ele possua no somente o benefciofsico, mas tambm o mental e moral, a graa, dignidade,compostura, nimo e confiana em si, que uma atitude ereta em togrande maneira tende a promover. D o professor instrues nesteponto pelo exemplo e por preceitos. Mostre o que uma posiocorreta, e insista em que ela seja mantida. (Educao, 198) 6. 6| A p o s t i l a L i n g u a g e m Os professores devem compreender estas coisas e instruir seusalunos neste sentido. Ensinai aos estudantes que viver de maneiracorreta depende de pensar de maneira correta, e que a atividadefsica essencial pureza do pensamento. (Educao, 209)O homem que aceita a posio de porta-voz de Deus, deveconsiderar altamente essencial apresentar ele a verdade presentecom toda a graa e inteligncia que lhe seja possvel, de modo que averdade nada perca ao ser exposta perante o povo. Os queconsideram coisa de pouca importncia falar com dico imperfeita,desonram a Deus. Manuscrito 107, 1898. (Evangelismo, 665) Devemos ser testemunhas de Cristo; e assim ser quandocrescermos diariamente at completa estatura de homens emulheres em Cristo. nosso privilgio crescer mais e mais em Suasemelhana cada dia. Ento obteremos o poder de exprimir nossoamor por Ele numa linguagem mais elevada e pura, e nossas idiasse ampliaro e ganharo profundidade, e nosso discernimento setornar mais so e digno de confiana, ao passo que o testemunhoque dermos ser mais cheio de vida e certeza. No devemoscultivar a linguagem da Terra, e sermos to familiares com aconversao dos homens, que a linguagem de Cana nos sejanova e estranha. Temos de aprender na escola de Cristo; todavia manifesto que muitos se satisfazem com uma experincia bemlimitada nas coisas espirituais, pois no revelam seno pequenoconhecimento das coisas espirituais em suas oraes etestemunhos. H menos bom discernimento nos assuntosconcernentes a nossos interesses eternos, do que no que dizrespeito aos negcios terrenos e temporais. (MM, Filhos e Filhas deDeus 72)EM TONS CHEIOS, CLAROSA habilidade de falar com simplicidade e clareza, em acentossonoros, imprescindvel em qualquer ramo da obra. Essaqualidade indispensvel nos que desejam tornar-se pastores,evangelistas, obreiros bblicos, ou colportores. Os que pretendementrar em qualquer desses ramos de trabalho, devem aprender ausar a voz de maneira tal que, ao falarem ao povo acerca daverdade, se produza uma decidida impresso para bem. A verdade 7. 7| A p o s t i l a L i n g u a g e mno deve sofrer detrimento por ser enunciada de maneira imperfeita.(Obreiros Evanglicos, pg. 86)FALAR CLARAMENTE E COM EXPRESSO Todos os obreiros, falem eles do plpito ou dem estudosbblicos, devem aprender a falar de maneira clara e expressiva. Carta200, 1903. (Evangelismo, pg. 666)LER A BBLIA EM VOZ SUAVE E HARMONIOSAAquele que d estudos bblicos na congregao ou a famlias,deve ser capaz de ler com voz branda e harmoniosa cadncia, demodo a se tornar aprazvel aos ouvintes. (Obreiros Evanglicos, pg.87)CONVINCENTE E IMPRESSIVAMENTEA cincia de ler corretamente e com a prpria entonao, dealto valor. No importa quanto conhecimento tenhais adquirido emoutros sentidos, se negligenciastes o cultivo da voz e da maneira defalar de modo que possais falar e ler distinta e inteligivelmente, todo ovosso saber de pouco proveito ser; pois sem a cultura da voz nopodeis comunicar prontamente e de maneira distinta aquilo queaprendestes.Aprender a transmitir convincentemente e impressivamente o quese sabe, de especial valor para os que desejam tornar-se obreirosna causa de Deus. Quanto mais expresso vos for possvelcomunicar s palavras de verdade, tanto mais eficazes sero essaspalavras naqueles que as ouvem. A devida apresentao da verdadedo Senhor merece nossos maiores esforos. Faam os estudantesem preparo para o servio do Mestre decididos esforos paraaprender a falar corretamente, com vigor, de modo que, quando emconversa com outros acerca da verdade, ou quando empenhados emministrio pblico, possam apresentar pela maneira devida asverdades de origem celeste. Manuscrito 131, 1902. 8. 8| A p o s t i l a L i n g u a g e mA VOZ DO ORADOR AFETA A DECISOAlguns destroem a impresso solene que possam haver causadono povo por elevarem a voz demasiado alto, proclamando a verdadecom brados e gritos. Quando assim apresentada, a verdade perdemuito de sua doura, sua fora e solenidade. Se, porm, a voz tem adevida entonao, se possuda de solenidade e modulada demaneira a ser comovente, produzir muito melhor impresso. Tal era o tom em que Cristo ensinava os discpulos.Impressionava-os com solenidade; falava de maneira a comover ocorao. Mas, que resultado produz esse gritar? Isso no d ao povonenhuma idia mais exaltada da verdade, nem os impressiona maisprofundamente. Causa apenas uma sensao desagradvel nosouvintes, e fatiga os rgos vocais do orador. O tom da voz temmuita influncia em afetar o corao dos que ouvem. Testimonies,vol. 2, pg. 615. (Evangelismo, pg. 667)O DEVIDO EMPREGO DOS RGOS VOCAISImporta dar aos rgos vocais cuidadosa ateno e cultivo. Elesso fortalecidos pelo devido emprego, mas se enfraquecem quandousados impropriamente. Seu uso excessivo, como em pregar longossermes, caso isto se repita muitas vezes, h de no somenteprejudicar os rgos vocais, mas ocasionar in...</p>