3º ano - era vargas 1930-1945

Download 3º ano  - Era Vargas 1930-1945

Post on 18-Dec-2014

7.369 views

Category:

Documents

4 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Profº Daniel Bronstrup - Colégio Murialdo, Araranguá/SC

TRANSCRIPT

  • 1. AULA 11 (APOSTILA 6C) A Era Vargas: Governo Provisrio (1930-1934) Governo Constitucional (1934-1937) Estado Novo (1937-1945)
  • 2. Governo Provisrio: Suspenso da Constituio Republicana de 1891; Fechamento dos rgos do poder Legislativo (Congresso Nacional, Assemblias Legislativas e Cmaras Municipais); OBJETIVO: Desmontar a estrutura poltica da 1 Repblica baseada no poder dos coronis e fazendeiros.
  • 3. Governo Provisrio: Getlio nomeou interventores para o lugar dos governadores nos estados. A nomeao de um tenente oriundo do Nordeste (Joo Alberto) para governar So Paulo somada a indefinio do prazo para a realizao de eleies para a Constituinte acirrou a oposio dos paulistas. Numa das manifestaes, quatros estudantes (Miragaia, Martins, Drusio e Camargo) foram mortos pelas foras oficiais (maio de 1932). A sigla do Movimento ficou MMDC, em homenagem aos estudantes mortos.
  • 4. Carto-postal em homenagem ao MMDC, com as inscries em latim: Dulce etdecorum est pro patria mori ( doce e honrado morrer pela ptria), Probrasilia fiant eximia (pelo Brasil faa-se o melhor ), Non ducor, duco (nosou conduzido, conduzo) e In Hoc Signo Vinces ("Com este sinal vencers").
  • 5. Revoluo Constitucionalista de 1932 Os partidos paulistas (Republicano e o Democrtico) uniram-se frente afronta de Getlio. Em 09 de Julho de 1932 teve incio ao Movimento Rebelde. Os paulistas contavam com o apoio: de um pequeno contingente de soldados do Mato Grosso com a promessa de apoio dos governadores de Minas Gerais e do Rio Grande do Sul, que no se cumpriu.
  • 6. Revoluo Constitucionalista de 1932 O esforo de Empresrios e da populao ajudou os revoltosos, mas no impediu que fossem derrotados. As tropas federais isolaram os paulistas na capital e aps trs meses de conflito 633 rebeldes morreram. A tentativa da oligarquia paulista de depor Vargas e voltar ao poder, sob pretexto da reconstitucionalizao do pas, havia fracassado. Mas obtiveram uma vitria poltica, pois o governo garantiu a realizao das eleies para a Assemblia Nacional Constituinte.
  • 7. Constituio de 1934. Em 16 de Julho de 1934 foi promulgada a nova Constituio, cujo os principais pontos so: VOTO: Eleies passariam a ser por meio do voto secreto; As mulheres adquiriam o direito de votar; Analfabetos, mendigos e militares de patentes mais baixas, no poderiam votar; Criao da Justia Eleitoral para zelar das eleies.
  • 8. Constituio de 1934. DIREITOS TRABALHISTAS: Instituio do Salrio Mnimo; Jornada de trabalho de 8 horas dirias; Proibio do trabalho de menores de 14 anos; Frias anuais remuneradas; Indenizao na demisso sem justa causa. NACIONALISMO ECONMICO: Proteo das riquezas naturais do pas como jazidas minerais e quedas dgua capazes de gerar energia. A constituio estabelecia que o primeiro presidente seria eleito pelo voto indireto dos membros da Assembleia Constituinte.
  • 9. Nesse perodo ganha destaque na vida pblica do pas dois grupos com ideologias bastante diferentes: Integralismo X Aliancismo
  • 10. INTEGRALISMO Lder: Plnio Salgado (escritor). De inspirao nazi-fascista, criou-se a AIB (Ao Integralista Brasileira). Conquistou a simpatia de empresrios, parcela da classe mdia e parte dos oficiais das foras armadas. LEMA: Deus, Ptria e Famlia. Combatia o comunismo, pregava o nacionalismo extremo, um Estado Centralizado forte a disciplina e a hierarquia dentro da sociedade, alm da entrega do poder a um nico chefe.
  • 11. INTEGRALISMO Os Integralistas eram submetidos a um rgida disciplina, vestiam uniformes verdes e desfilavam pelas ruas como tropa militar gritando a saudao: ANAU! (em tupi, voc meu parente).
  • 12. ALICANCISMO Aliana Libertadora Nacional (ALN), chamados de aliancistas. Reunia grupos de vrias correntes socialistas, comunistas e anarquistas. Um dos principais lderes: Luis Carlos Prestes, Presidente do Partido Comunista. Programa Poltico: Nacionalizao das empresas estrangeiras; no pagamento da dvida externa; reforma agrria; garantia das liberdades individuais. Lema: Po, Terra e Liberdade.
  • 13. ALICANCISMO Com o seu crescimento, o governo Vargas apoiado por conservadores, considerou a ALN ilegal em junho de 1935, ordenando a priso de seus lderes alegando ser perigosos comunistas financiados por estrangeiros.
  • 14. INTENTONA COMUNISTA - 1935 Revolta militar planejada pelos comunistas em resposta ao fechamento da ALN. Ocorreu em 1935 nos batalhes do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Rio de Janeiro. A Rebelio foi logo controlada, mas serviu de pretexto para alguns setores do governo radicalizarem o regime poltico. Em nome do Perigo Comunista, o governo prendeu milhares de sindicalistas, operrios, militares e intelectuais acusados de atividades subversivas contra o governo.
  • 15. GOVERNO DITATORIAL 1935 A 1937 Aproximada a data das eleies, e Vargas deveria entregar o mandato em 1938, pelo contrrio, ele queria continuar no poder. No final de Setembro de 1937, o servio secreto denunciou um plano dos comunistas um plano dos comunistas, o PLANO COHEN, para acabar com o regime democrtico no Brasil. O Plano era uma farsa do governo, com ajuda dos integralistas. Foi decretado estado de guerra e a polcia prendeu um grande nmero de adversrios do governo. No dia de 10 de novembro, o Congresso foi cercado e decretou o fechamento do Legislativo e outorgou uma nova constituio para o pas, iniciando assim o Governo Ditatorial.
  • 16. GOVERNO DITATORIAL 1935 A 1937 Foi instaurado o estado de emergncia onde o governo podia invadir casas, prender pessoas, julg-las e conden-las. Vargas detinha amplos poderes, seus atos no podiam ser submetidos nem justia. Os estados perdem sua autonomia, os governos estaduais foram entregues aos interventores. Em comemoraes pblicas nas capitais, as bandeiras estaduais foram queimadas para simbolizar a morte do federalismo.
  • 17. GOVERNO DITATORIAL 1935 A 1937 Partidos polticos foram extintos e as eleies suspensas; Proibio de greves e manifestaes contrrias ao governo; Perseguio, torturas e mortes de milhares de cidados. Muitos intelectuais resistiram ditadura, Graciliano Ramos por exemplo, foi acusado de participar da ANL sendo preso em 1936, e depois escreveu Memrias do Crcere. Utilizao da propaganda para conquistar a simpatia popular (populismo): Em 1939, o governo criou o DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda), diretamente ligado ao governo encarregado de coordenar a propaganda oficial e censurar os meios de comunicao social como rdio, cinema, teatro e imprensa. Em 1938, criou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica.
  • 18. GOVERNO DITATORIAL 1935 A 1937 Criou-se o programa de rdio obrigatrio Hora do Brasil, que divulgava as realizaes do governo. Produo de milhares de cartazes que apresentavam Vargas como o Salvador da Ptria. Ministrio da Educao foi um rgo importante na exaltao da figura de Vargas, difundindo a ideologia do governo: Obrigatoriedade do ensino de moral e civismo; Desfiles e paradas de estudantes em comemorao e datas cvicas; Adoo de livros didticos que promoviam o culto Getlio Vargas e seu governo.

Recommended

View more >