31-07-2014 - willian texto.pdf

Download 31-07-2014 - Willian texto.pdf

Post on 11-Oct-2015

22 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA CAMPUS ALEGRETE

    CURSO DE ESPECIALIZAO EM DOCNCIA NA EDUCAO PROFISSIONAL, TCNICA E TECNOLGICA

    A DIMENSO AMBIENTAL DA FORMAO PROFISSIONAL:

    A Percepo Ambiental entre Docentes de um curso tcnico de um Instituto Federal de Ensino do RS

    PROJETO DE PESQUISA

    Willian da Silva Medeiros

    Alegrete, RS, Brasil 2014

  • A DIMENSO AMBIENTAL DA FORMAO PROFISSIONAL:

    A Percepo Ambiental entre Docentes de um curso tcnico de um Instituto Federal de Ensino do RS

    Willian da Silva Medeiros

    Projeto de Pesquisa apresentado ao Curso ESPECIALIZAO EM DOCNCIA NA EDUCAO PROFISSIONAL, TCNICA E

    TECNOLGICA, do Campus Alegrete, do Instituto Federal Farroupilha.

    Orientador: Prof. Dr. Vantoir Roberto Brancher

    Alegrete, RS, Brasil 2014

  • 2

    SUMRIO INTRODUO E JUSTIFICATIVA ........................................................... 03 OBJETIVOS .............................................................................................. 05 Objetivo geral ........................................................................................... 05 Objetivos especficos .............................................................................. 05 2 REVISO DA LITERATURA .................................................................... 05 2.1 Contextualizao histrica a educao ambiental ............................... 05 2.2 Concepes de meio ambiente .............................................................. 09 2.3 Concepes de educao ambiental ..................................................... 11 3 METODOLOGIA ....................................................................................... 12 3.1 Tipo de pesquisa ..................................................................................... 12 3.2 Local da pesquisa.................................................................................... 12 3.3 Populao ou amostra ............................................................................ 13 3.3.1 Critrios de Incluso .................................................................................. 13 3.3.2 Critrios de Excluso ................................................................................. 13 3.4 Procedimentos de coleta ........................................................................ 13 3.5 Procedimentos de anlise dos dados .................................................... 14 4 CRONOGRAMA ........................................................................................ 17 REFERNCIAS ......................................................................................... 18 APNDICES .............................................................................................. 21 APNDICE I QUESTIONRIO .............................................................. 21 APNDICE II TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO .... 23 APNDICE III TERMO DE CONFIDENCIALIDADE ............................... 24

  • 3

    INTRODUO E JUSTIFICATIVA

    Estamos em um momento mpar na histria, um momento em que severas

    decises devem ser tomadas, onde a educao surge como instrumento para

    transformaes necessrias ao exerccio da cidadania frente a um contexto de crise

    socioambiental.

    Para Hogan e Vieira (1995 apud MENDES; KATO, 2012), os problemas

    ambientais tm tomado grande dimenso nos meios de comunicao, estando assim,

    cada vez mais prximos de discusses entre os diversos setores da sociedade, onde

    essas discusses, se dando entre leigos ou estudiosos sempre buscam caminhos que

    minimizem ou erradiquem estes problemas.

    Neste sentido, fazem-se necessrias mudanas de hbitos e comportamentos,

    mudanas estas que, por serem de difcil incorporao, s se fazem possvel a longo

    prazo. Sendo assim, a educao mais uma vez eleita como uma ferramenta capaz

    de provocar essas mudanas de comportamento.

    Porm, (LIMA, 2008) nos lembra que

    A educao formal tem sido incumbida de preparar os indivduos para atuar no mundo do trabalho. Entretanto, a maioria das escolas tem oferecido uma qualificao deficiente, o que torna muito difcil a insero dos seus egressos no mundo do trabalho, gerando excluso. Pelo fato da educao possuir uma relao direta com o trabalho, essa excluso tem interferido no processo ensino/aprendizagem e parece ter gerado um desalento em relao ao ensino. (p. 16).

    Ao encontro disto, (MSZROS, 2005) destaca ainda que os processos

    formais e tradicionais de educao so caracterizados pela perpetuao e reproduo

    do sistema de classes excludente e desigual, legitimando os interesses capitalistas e

    acentuando os problemas socioambientais.

    Frente a isto, a educao ambiental tida como uma ferramenta de

    transformao social na busca de um mundo melhor (KIST, 2010), uma vlvula de

    escape contra a rigidez e distanciamento da realidade caractersticos dos processos

    formais de educao (DIAS, 2010).

    Segundo Pelicioni e Philippi Jr (2005, p. 3), a educao ambiental se coloca

    numa posio de oposio ao modelo de desenvolvimento econmico vigente no

  • 4

    sistema capitalista, onde as bases da justia social e solidariedade so postas de lado

    para o favorecimento do lucro de poucos em detrimento da qualidade de vida da

    maioria da populao. Onde, a educao ambiental somente ter a eficcia esperada

    e exigida quando as causas socioeconmicas, polticas e culturais geradoras dos

    problemas ambientais forem identificadas.

    Neste sentido, a educao ambiental no pode ser vista apenas como uma

    gama de processos tericos, mas sim, valer-se da pr-atividade individual e coletiva

    a fim de oportunizar a transformao das condies que entrelaam-se na

    composio do meio ambiente como um todo (GOMES, 2010).

    Segundo Bezerra; Gonalves (2007), um trabalho de educao ambiental ser

    mais rico se tiver como base um levantamento das formas de percepo do ambiente.

    Sendo assim, faz-se necessrio conhecer a viso que o outro tem antes de se realizar

    qualquer trabalho que aborde a Educao Ambiental. Ou seja, conhecer o que

    pensam os docentes sobre as questes ambientais e os processos educativos

    envolvendo estas questes, tem sido apontado como uma estratgia fundamental

    para os direcionamentos das aes em educao ambiental nas escolas (MENDES;

    KATO, 2012). Desta forma, cabe questionar:

    Como a percepo sobre as dimenses ambientais em educao dos

    educadores de um curso tcnico em um campus de um Instituto Federal de

    Ensino no RS?

    O tema se mostra de considervel importncia no momento em que

    reconhecemos essas percepes e as concepes sobre a qual se classificam como

    produtos histricos e culturais, onde, a identificao das diferenas pode auxiliar na

    elaborao de uma anlise crtica sobre maneiras de trabalhar com o ambiente

    natural, agindo assim como um recurso para a elaborao de diagnsticos e

    planejamentos em educao ambiental.

  • 5

    OBJETIVOS

    Objetivo geral

    Analisar as percepes dos docentes de um curso tcnico de um instituto

    federal de ensino no RS, no que se refere ao meio ambiente e educao ambiental.

    Objetivos especficos

    Analisar as concepes de Meio Ambiente entre os docentes de um curso

    tcnico de um instituto federal de ensino no RS;

    Analisar as concepes de Educao Ambiental entre os docentes de um curso

    tcnico de um instituto federal de ensino no RS;

    Verificar como a Educao Ambiental est inserida no planejamento de ensino

    dos profissionais entrevistados.

    2 REVISO DA LITERATURA

    2.1 Contextualizao histrica da educao ambiental

    H cerca de quatro dcadas que se discute educao ambiental. Segundo Kist

    (2010), at a dcada de 50 os problemas ambientais eram tratados apenas como

    inadequao tecnolgica, sendo os debates sobre as questes ambientais um

    fenmeno historicamente recente em nossa sociedade, frutos principalmente da crise

    socioambiental presenciada nos tempos atuais. Para Marcatto (2002, p. 24), o

  • 6

    desenvolvimento e introduo do modelo de produo trazido pela Revoluo

    Industrial, cujo o qual se baseia o uso intensivo de energia fssil e recursos naturais,

    so apontados como as principais causas da degradao ambiental atual, onde,

    embora os impactos humanos aos ambientes naturais no tenham comeado nesta

    poca, estes se intensificaram violentamente com o desenvolvimento tecnolgico e

    aumento da populao mundial provocados por esta Revoluo.

    A partir dos anos de 1960, a temtica ganha fora, principalmente quando em

    1962 publicado o livro Primavera Silenciosa de Rachel Carson. Esta foi a primeira

    reao mundialmente conhecida a respeito dos efeitos ecolgicos da utilizao de

    insumos qumicos e do despejo de dejetos industriais no ambiente, alm de ser

    apontada como uma das obras mais importantes do sculo por ter auxiliado o

    desencadeamento de mudanas de postura por parte de vrios pases sobre o uso

    desses insumos qumicos (MARCATTO, 2002; DIAS, 2010; KIST, 2010).

    J em maro de 1965 a expresso environmental education (educao

    ambiental) ouvida pela primeira vez no Reino Unido durante uma conferncia na

    Universidade de Keele (MARCATTO, 2002). Para Kist (2010), a utilizao desta

    expresso j demonstrava a emergncia da Educao Ambiental como uma educao

    com enfoque nos problemas ambientais, frisando a sua importncia tambm como

    instrumento de sensibilizao para o enfrentamento da crise ambiental vigente.

    No ano de 1972 publicado o relatrio Os Limites do Crescimento Econmico