3 - produção de chocolates, trufas e bombons

Download 3 - Produção de chocolates, trufas e bombons

Post on 20-Jun-2015

1.929 views

Category:

Documents

13 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Srie Empreendedor Individual

Produo de chocolates, trufas e bombons

3

Ficha Tcnica 2009 SEBRAE/MG Todos os direitos reservados. permitida a reproduo total ou parcial, de qualquer forma ou por qualquer meio, desde que divulgadas as fontes. SEBRAE/MG Roberto Simes Presidente do Conselho Deliberativo Afonso Maria Rocha Diretor Superintendente Luiz Mrio Haddad Pereira Santos Diretor Tcnico Matheus Cotta de Carvalho Diretor de Operaes Unidade de Atendimento Individual ao Empreendedor Gerente Mara Regina Veit Equipe Tcnica Gabriela Aguiar de Godoy Viviane Soares da Costa Wellington Damasceno de Lima Colaborao Augusto Manso de Andrade, Beatriz de Carvalho e Haroldo Santos Arajo Consultoria Jurdica Fernandes Advogados Associados Gesto Editorial Nascentes Comunicao Estratgica Projeto Grfico Sandra Fujii Design da Capa Brbara Monteiro Imagens da Capa Estdio Piloto | Luiz Otvio Reviso Lozar

Apresentao

E

m maro de 1969, na legislao brasileira, surgiu a figura do pequeno empresrio, denominado comerciante em virtude da natureza das suas atividades. Com o novo Cdigo Civil Brasileiro de 2001, o pequeno comerciante passou a ser considerado empresrio. No ano de 2008, pela Lei complementar 128, surgiu o Empreendedor Individual (EI) como dono de um pequeno negcio, cuja receita bruta anual no ultrapassa R$ 36 mil. So autnomos e ambulantes que, normalmente, no pagam tributos, no tm direitos previdencirios ou os benefcios de quem est na economia formal. O Sebrae avalia que a criao do EI beneficia cerca de 10,3 milhes de negcios informais existentes no pas. Se voc optar por ser EI, far o recolhimento dos impostos e contribuies em valores fixos mensais, independente da receita bruta do ms, da seguinte forma: 11% do salrio mnimo vigente na poca, referente a contribuio para a previdncia social; R$ 1,00, referente ao ICMS, caso seja do setor de comrcio; R$ 5,00, referente ao ISS, caso seja contribuinte; R$ 13,95, caso tenha um empregado. Alm disso, se voc aderir ter direito a aposentadoria por idade, auxlio-doena, facilidade ao crdito, conta bancria, licena-maternidade, auxlio-natalidade, licena por acidente de trabalho e aposentadoria por invalidez. No caso de aposentadoria, o valor estipulado de um salrio-mnimo nacional vigente poca. Estar dispensado de contabilidade e pode ter um empregado. Na prtica, os benefcios so ainda maiores, pois voc poder participar de licitaes pblicas, aumentar o nmero de clientes (atendendo empresas, pois poder emitir notas fiscais) e prestar servios para empresas pblicas (exemplo: pequenos consertos nas escolas, hospitais etc). O processo de formalizao bem simples e fcil, sendo feito no portal www.portaldoempreendedor. gov.br, que poder ser acessado de qualquer computador ligado internet, homologado presencialmente na Junta Comercial da sua cidade ou mediante documentao enviada pelo correio. Para auxili-lo, o Sebrae est criando produtos e servios sobre o tema. Nesta cartilha, por exemplo, voc encontrar dicas especficas sobre seu negcio, orientaes de como calcular o preo de seus produtos e servios, como fazer o controle de caixa, indicao de cursos e locais para proceder formalizao do registro da sua empresa. O Sebrae-MG est disponvel para orientaes, por meio do portal www.sebraemg.com.br, pela Central de Relacionamento no 0800 570 0800 e na Central de Atendimento ao Empreendedor Individual (R. Bernardo Guimares n 1903 Bairro de Lourdes BH). Mara Regina VeitGerente da Unidade de Atendimento Individual ao Empreendedor do Sebrae-MG

SumrioO negcio. ................................................................................................................................................................................................9 Calculando o preo de venda..................................................................................................................................................11 Controle dirio de caixa. ...............................................................................................................................................................13 Como registrar seu negcio......................................................................................................................................................14 Sebrae-MG e a gesto do negcio. .......................................................................................................................................15 Endereos teis.................................................................................................................................................................................16 Referncias. ...........................................................................................................................................................................................17

O NegcioEmpreendedores individuais que trabalham com chocolate artesanal usualmente esto voltados para atender mercados especficos e bem diferentes daqueles de chocolates industrializados que so produzidos em grande escala. Entretanto, preciso ateno, pois h clientes que preferem comprar chocolates diferenciados e personalizados para presentear na poca da Pscoa e, nas demais, compram produtos industrializados. Pensando nisso, no se limite e avalie tambm a possibilidade de oferecer bombons, trufas, po de mel e pequenas embalagens com chocolates em formato de corao, letras, etc. O mercado para quem trabalha com chocolates oferece muitas possibilidades. Assim, voc poder se especializar no atendimento a determinados pblicos ou trabalhar com vrios deles. Por exemplo, voc poder atuar com empresas de buf para festas, oferecendo doces finos como bombons de nozes, morango, uva, damasco ou doces tradicionais para festas infantis (brigadeiro, cajuzinho, olho de sogra e outros). Um mercado que vem crescendo bastante o de produtos dietticos. Portanto, avalie tambm esta possibilidade. importante planejar bem seu negcio para evitar gastos desnecessrios como, por exemplo, a compra de equipamentos muito sofisticados ou que, rapidamente, podem entrar em desuso. De modo geral, a instalao da rea de produo no requer espao fsico muito grande. Mas, caso voc aumente a fabricao, precisar de um local mais amplo, assim como mais equipamentos e de tamanhos maiores. Portanto, a quantidade que voc produzir ir impactar diretamente no tamanho do local e equipamentos. Sugere-se que voc planeje ampliaes, a fim de evitar grandes reformas e at mesmo a inviabilidade de crescimento. Ateno qualidade fundamental. Evite desperdcios, utilize sempre chocolate de boa qualidade e inove constantemente, experimentando, criando receitas, frmas e embalagens.

Fique de olho! A questo da temperatura no pode ser deixada de lado, pois poder comprometer a sua produo. Se o local no for fresco, ser preciso usar ventiladores potentes ou mesmo ar-condicionado.

recomendvel que voc no comprometa todo o dinheiro que ganhar. Reserve uma parte dele para investir, fazer promoes e ter condies de oferecer produtos para degustao. Faa contato com locadoras de filmes, padarias, mercearias, lojas de presentes, escolas infantis,Srie Empreendedor Individual | Produo de chocolates, trufas e bombons

etc. Esses locais podem adquirir seu produto tanto para revender como para presentear seus clientes ou funcionrios.

Lembre-se! preciso saber comprar. No invista em embalagens e enfeites caros. Use a criatividade. Invista na qualidade do chocolate.

Registro Saiba que a Classificao Nacional de Atividades Econmicas (CNAE) define o seu negcio como fabricao de produtos derivados do cacau e de chocolates. Exigncias legais Empresas que exploram atividade de fabricao de chocolates, trufas e bombons ficam obrigadas a registrar o estabelecimento e marca junto ao Ministrio da Agricultura, bem como registro do produto junto ao Ministrio da Sade. No caso de Empreendedor Individual, sugerimos a consulta aos rgos citados para obter informaes sobre a necessidade dos respectivos registros. Caso decida vender seus produtos para mercearias, supermercados e outros estabelecimentos, necessrio criar embalagem que tenha rtulo com data de fabricao e validade do produto, bem como os ingredientes utilizados. Outro dado importante a impresso do cdigo de barras no rtulo. A legislao muito exigente com aqueles que trabalham com alimentos, por isso fique atento s normas de vigilncia sanitria, faa o curso de manipulao de alimentos e no descuide da higiene do ambiente de produo, dos utenslios e de quem prepara os alimentos.

10

Srie Empreendedor Individual | Produo de chocolates, trufas e bombons

Calculando o preo de vendaO futuro de seu negcio depende da forma como voc o gerencia. No basta fazer chocolates, bombons e trufas que encantam clientes: preciso saber exatamente qual o retorno que essa atividade lhe proporciona. Na rea de alimentos, necessrio conhecer e acompanhar de perto os custos e o lucro que voc obtm em cada produto. Veja um exemplo e no deixe de calcular os seus: Clculo do custo unitrio: Item Compra de todas as matrias-primas necessrias para produzir determinada quantidade de produtos no ms. Como exemplo simulado, para 1.800 bombons de coco, voc precisa de 15 kg de chocolate, 9,4 kg de coco ralado, 15,5 latas de leite condensado, 15,5 latas de creme de leite, 0,5 litro de leite, que ficariam em R$ 315,00. Para calcular o custo de cada bombom, voc teria R$ 315,00 divididos por 1.800 Embalagem. Exemplo: 75 folhas de papel alumnio (embalam-se 24 bombons em cada folha). Valor de cada folha = R$ 0,50. Neste caso, a embalagem de cada bombom ser R$ 0,50 divididos por 24 gua, energia eltrica, gs de cozinha, etc. Valor gasto no ms dividido por 1.800, por exemplo, R$ 30,00 divididos por 1.800 Recolhimento fixo mensal (ICMS + Contribuio Previdenciria) R$ 1,00 + R$ 51,15*, ou seja, R$ 52,15 divididos por 1.800 Total (custo unitrio) Preo de venda

Recommended

View more >