2ª oficina de esclarecimento sobre a política nacional de ...· i. fornecedor ou produtor: pessoa

Download 2ª Oficina de Esclarecimento sobre a Política Nacional de ...· I. fornecedor ou produtor: pessoa

Post on 09-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 2 Oficina de Esclarecimento sobre a

    Poltica Nacional de Resduos Slidos -

    PNRS

    So Paulo, 23 de Setembro de 2010

  • Art... Acordos setoriais voluntrios: parceria entre Poder Pblico e fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, mediante adeso voluntria, que:

    I. vise o recebimento e reciclagem ou outra forma de destinao final ambientalmente adequada de resduos slidos ps-consumo de pessoas fsicas, e

    II. observem, para sua implantao, os requisitos de viabilidade tcnica, econmica e ambiental.

  • I. fornecedor ou produtor: pessoa jurdica responsvel pela produo de matria-prima, componentes ou peas para fabricao de produtos.

    II. fabricante: pessoa jurdica responsvel pela colocao no mercado de produtos industrializados, manipulados ou processados, acabados ou semi- acabados.

    Art...

  • Art... Na aplicao da Lei devero ser mantidas as normas e procedimentos vigentes estabelecidos pelos rgos do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama), do Sistema Nacional de 4/10 Vigilncia Sanitria (SNVS), do Sistema Unificado de Ateno Sanidade Agropecuria (Suasa) e do Sistema Nacional de Metrologia, Normalizao e Qualidade Industrial (Sinmetro).

  • I. logstica reversa: instrumento de desenvolvimento econmico e social caracterizado por um conjunto de aes, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituio dos resduos slidos aproveitveis e gerados pelas pessoas fsicas, ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinao final ambientalmente adequada;

  • II. resduo slido aproveitvel: materiais que podem ser

    utilizados como matria-prima ou insumo em seu processo

    ou em outros processos produtivos e, ainda, aqueles

    requalificados por processos ou operaes de valorizao

    para os quais h utilizao tcnica, ambiental e

    economicamente vivel.

  • Art... As metas e procedimentos relacionados minimizao da gerao de resduos slidos devero ser feitas de forma progressiva, considerando as variveis ambiental, social, cultural, econmica, tecnolgica e de sade pblica.

    Pargrafo primeiro - Na determinao das metas do caput devero ser elaborados estudos da cadeia de produo e consumo que considerem, no mnimo:

    I - a implantao da coleta seletiva nos municpios paulistas;

    II - a capacidade nominal instalada para beneficiamento dos resduos slidos aproveitveis;

    III - a capacidade nominal instalada para transformao dos resduos reciclveis;

    IV a disponibilidade de resduos slidos aproveitveis disponveis;

    V as peculiaridades setoriais e,

    VI as tecnologias nacionais para aproveitamento do material.

  • Art... Na aplicao dos procedimentos simplificados para apresentao dos planos de gerenciamento de resduos slidos para microempresas e empresas de pequeno porte, prevista no inciso II, 7/10 do 3, do Art. 21, os rgos de controle devero considerar, para fins de licenciamento ambiental, o volume gerado de resduos perigosos na atividade produtiva que apresentam significativo risco sade pblica ou qualidade ambiental;

  • Art... - Os produtos contrabandeados ou pirateados no

    so objetos da Logstica Reversa compulsria

    estabelecida pelo art. 33, sendo a responsabilidade pelo

    seu gerenciamento do poder pblico.

    Pargrafo primeiro os fabricantes, importadores,

    distribuidores e comerciantes podero, a seu critrio e,

    autorizados pelo rgo de controle ambiental e de sade,

    colaborar na gesto dos produtos mencionados no caput.

    7) Contrabando

  • Esto em processo de negociao medidas de incentivo

    aos agentes envolvidos na gesto de resduos que

    promovam projetos de comprovado ganho ambiental.

    Entretanto, at o momento, o Ministrio da Fazenda no

    possui definio a respeito do assunto.

    8) Incentivos

  • Art...:

    I. operador de resduos - empreendimentos ou atividades

    que exeram preponderantemente a atividade ligada ao

    transporte ou disposio final ambientalmente adequada

    dos resduos perigosos.

    9) Diferenciao entre gerador e operador

  • Deve-se salientar que, como se trata de uma

    responsabilidade individualizada e encadeada, se um dos

    atores no cumprir as suas aes os demais no podero

    ser responsabilizados.

    As responsabilidades de cada um dos atores est

    claramente definida no documento (vide arts. 33 e 36 da lei).

    10) Responsabilidade compartilhada

  • DMA / FIESP

    Av. Paulista, 1313

    So Paulo/SP Brasil

    Tel: + 55 (11) 3549-4675

    Site: www.fiesp.org.br

    e-mail: cdma@fiesp.org.br

    twitter.com/FiespAmbiental

    GMA / CNI

    SBN - Quadra 01 - Bloco C

    Braslia - DF

    Tel: + 55 (51) 3317-9486

    Site: www.cni.org.br

    e-mail: wbaptista@cni.org.br

    twitter.com/CNIBR