27829469 Agronomia Das Forragens e Pastagens

Download 27829469 Agronomia Das Forragens e Pastagens

Post on 19-Jul-2015

110 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<p>Nuno Moreira</p> <p>agronomia das forragens e pastagens</p> <p>Universidade de Trs-os-Montes e Alto Douro Vila Real</p> <p>MOREIRA, Nuno Agronomia das forragens e pastagens/ Nuno Moreira.- Vila Real: UTAD, 2002. (Extra-Srie) .- Contm bibliografia ISBN:972-669-487-6 DL:176616/02</p> <p>1. Forragens - - Factores ambientais - - Sistemas de cultivo - - Conservao / 2. Pastagens - - Factores ambientais - - Melhoramento da produo - - Pastoreio / 3. Produo de alimentos para animais (forragens e pastagens) - - Importncia econmica e ambiental - - Fisiologia do crescimento - - Valor nutritivo - - Sistemas de produo</p> <p>CDU: 633.2 636.085 338.43 504.03</p> <p>Editor: Impresso e acabamento</p> <p>Sector Editorial Servios Grficos da UTAD Apartado 206 Tiragem: 500 exemplares 5001 Vila Real -Portugal-Codex</p> <p>PrefcioCompletaram-se j vinte anos desde que assumi a responsabilidade da disciplina de Forragens e Pastagens no Curso de Eng. Agrcola da Universidade de Trs-os-Montes e Alto Douro (ento Instituto Universitrio). Publiquei em 1980 as folhas intituladas Cultura de Forragens e Pastagens, com o objectivo de apoiar os alunos no estudo de uma matria vasta, procurando facultar uma abordagem integrada e simplificada. Declarei nessa altura a inteno de proceder oportunamente sua reviso, o que entretanto fiz apenas em relao a alguns dos temas abordados. Persistem sempre dvidas, entre quem tem de repartir o tempo pelas tarefas do ensino e da investigao, quanto ao balano das vantagens entre publicar um texto de apoio ao estudo da disciplina ou a alternativa de apenas sugerir aos alunos a consulta da vasta bibliografia existente na generalidade das disciplinas. O facto de constatar que mesmo com a sugesto orientada de bibliografia muitos alunos continuam a usar como suporte de estudo fotocpias das velhas folhas de Cultura de Forragens e Pastagens, j claramente desactualizadas em diversos temas, conduziu-me deciso de elaborar um novo texto. A reflexo e a experincia entretanto adquirida levaram-me a estabelecer trs objectivos principais a atingir pelos alunos na disciplina, a saber: - conhecer as limitaes e potencialidades, ambientais, das plantas e do contexto socioeconmico e poltico, para a produo e utilizao das forragens e pastagens; - conhecer e saber conduzir as principais culturas de forragens e pastagens; - saber projectar e gerir a produo, conservao e utilizao das forragens e pastagens. Este novo trabalho visa assim contribuir para que os alunos possam atingir mais facilmente esses objectivos. Nele procurei abordar sumariamente o enquadramento do sector, os principais fundamentos e as tecnologias da produo, conservao e utilizao, o que estruturei em seis captulos. minha esperana que este texto possa servir como introduo ao estudo das forragens e pastagens. No tive a preocupao de abordar todos os temas, nem de tratar exaustivamente os abordados. Apenas procurei construir uma base de apoio ao ensino e aprendizagem, pelo que o desenvolvimento ou aprofundamento dos temas dever ser feito no decurso das aulas e visitas de estudo, pela consulta da bibliografia e outras fontes para o efeito sugeridas ao longo do texto, cujas referncias se apresentam no fim de cada captulo, ou pela pesquisa em bases de dados e em revistas da especialidade. Quero agradecer as crticas e sugestes dos colegas David Gomes Crespo, Jos Manuel Abreu e Pedro Aguiar Pinto que permitiram melhorar substancialmente o manuscrito que elaborei. Agradeo tambm ao colega Vicente Sousa a ajuda na introduo de figuras, Susana Costa o paciente trabalho de processamento do texto e ao Emlio Santos a composio e edio.</p> <p>Vila Real, Janeiro de 2002</p> <p>Nuno Moreira</p> <p>ndice geralCAPTULO 1 - ENQUADRAMENTO DAS FORRAGENS E PASTAGENS NA AGRICULTURA E NO MEIO AMBIENTE .............................</p> <p>1</p> <p>CAPTULO 2 - FUNDAMENTOS DA PRODUO DE FORRAGENS E PASTAGENS. MORFOLOGIA E FISIOLOGIA DO CRESCIMENTO DE GRAMNEAS E LEGUMINOSAS ..................................................</p> <p>35</p> <p>CAPTULO 3 - ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DA PRODUO DE FORRAGENS ............</p> <p>63</p> <p>CAPTULO 4 - MELHORAMENTO, IMPLANTAO E PRODUO DE PASTAGENS .............</p> <p>97</p> <p>CAPTULO 5 - CONSERVAO DE FORRAGENS .....</p> <p>129</p> <p>CAPTULO 6 - UTILIZAO DAS FORRAGENS E PASTAGENS NA ALIMENTAO ANIMAL .................................................</p> <p>157</p> <p>Captulo 1</p> <p>CAPTULO</p> <p>13 4 6 10 10 10 11 13 14 14 15 17 18 19 19 20 20 20 21 23 25 26 26 28 29 30 31</p> <p>ENQUADRAMENTO DAS FORRAGENS E PASTAGENS NA AGRICULTURA E NO MEIO AMBIENTE</p> <p>1.1- Introduo ............................................................................................................... 1.2- Conceitos e caractersticas ...................................................................................... 1.3- Histria e evoluo recente ..................................................................................... 1.4- Importncia econmico-social ................................................................................ 1.4.1- A nvel mundial ........................................................................................... 1.4.2- Na Unio Europeia ...................................................................................... 1.4.3- Em Portugal ................................................................................................. 1.4.4- A complementaridade dos alimentos compostos ........................................ 1.5- As forragens e pastagens no contexto da agricultura portuguesa ............................ 1.5.1- Principais reas de cultivo ........................................................................... 1.5.2- Principais sistemas agro-pecurios ............................................................. 1.6- Importncia das forragens e pastagens para os ecossistemas agrrios e para o meio ambiente .......................................................................................... 1.6.1- Proteco do solo e efeitos das reas de pastagem nos recursos hdricos ... 1.6.2- Especializao versus integrao agro-pecuria ......................................... 1.6.3- A pecuria intensiva e os seus efeitos ambientais ....................................... 1.6.4- Os sistemas extensivos e os prmios agricultura amiga do ambiente .. 1.7- Principais condicionantes da produo em Portugal ............................................... 1.7.1- Condicionantes do meio fsico .................................................................... 1.7.1.1- O clima ............................................................................................ 1.7.1.2- O solo .............................................................................................. 1.7.1.3- O relevo ........................................................................................... 1.7.2- Condicionantes socioeconmicos e polticos .............................................. 1.7.2.1- A estrutura das exploraes, os investimentos e a mo-de-obra ..... 1.7.2.2- As OCMs da carne e do leite no mbito da PAC - quotas de produo e ajudas ......................................................................................... 1.7.2.3- Apoios a situaes, culturas, modos de produo e produtos regulamentados .............................................................................. 1.7.2.4- Outras condicionantes ..................................................................... Referncias .....................................................................................................................</p> <p>1</p> <p>Agronomia das Forragens e Pastagens</p> <p>2</p> <p>Captulo 1</p> <p>CAPTULO 1 - ENQUADRAMENTO DAS FORRAGENS E PASTAGENS NA AGRICULTURA E NO MEIO AMBIENTE</p> <p>1.1- Introduo As forragens e pastagens so um conjunto de culturas muito diversas cuja produo (de biomassa) serve a alimentao de herbvoros domesticados, dos quais se destacam os ruminantes, animais que o homem cria para obter alimentos, outros produtos como por exemplo a l e os couros, ou para desempenhar outras funes como seja a fora de traco para realizar trabalhos agrcolas ou transportes. As forragens e pastagens so a base da alimentao dos ruminantes, bovinos, ovinos e caprinos, mas contribuem tambm, ou podem contribuir em maior ou menor grau, para a alimentao de outros herbvoros como os cavalos e os coelhos, e ainda de porcos e aves. Estes ltimos utilizam na sua alimentao sobretudo gros, ou alimentos compostos (raes) fabricados base de gros de cereais e outras matrias-primas com elevado valor alimentar, como sejam gros de proteaginosas e bagaos de oleaginosas, alimentos que so tambm usados em menor grau na alimentao dos ruminantes. A eficincia com que os animais utilizam estes dois tipos de alimentos, que em nutrio animal se designam respectivamente de alimentos grosseiros (fibrosos) e alimentos concentrados, depende do tipo (constituio e extenso) do seu tubo digestivo, sendo que os ruminantes (poligstricos) so mais eficientes a utilizar a erva e menos eficientes a converter os concentrados e os sunos e as aves apresentam caractersticas inversas. Por outro lado, o aprecivel crescimento da utilizao de alimentos concentrados que se registou nos pases desenvolvidos nas ltimas dcadas na alimentao dos ruminantes, em especial nos bovinos e de entre estes nas vacas leiteiras, deve-se em boa medida crescente produtividade e exigncia dos animais seleccionados. Porm, a fibra das forragens e pastagens desempenha um papel de relevo na regularizao do processo digestivo dos herbvoros, e em particular dos ruminantes. Estimativas disponveis para os EUA no incio da dcada de oitenta (1) referem que a proporo de erva na dieta dos animais era de 61% na vaca leiteira, 83% nos bovinos de carne, 91% nos ovinos e caprinos, 72% nos equinos e muares e 15% nos sunos. Na Gr-Bretanha, a estimativa para o mesmo perodo e para os trs primeiros tipos de produo referidos era de 60%, 79% e 97% respectivamente (2). Os animais podem ainda aproveitar outros tipos de alimentos, nomeadamente subprodutos de outras culturas ou produes, como sejam palhas e restolhos de culturas de gro, folhas de certas rvores ou das suas podas e de 3</p> <p>Agronomia das Forragens e Pastagens</p> <p>arbustos, a vegetao infestante de algumas culturas e ainda alguns produtos rejeitados para consumo humano, tais como restos de hortcolas ou de frutos. A importncia das forragens e pastagens e da produo animal que sobre elas assenta no se deve eficincia de converso energtica, que embora varivel em geral baixa, mas a um conjunto de razes de que se destacam: - a valorizao de recursos alimentares no utilizveis directamente pelo homem; - a elevada valorizao dos produtos animais na dieta humana; - a diversidade de produtos e funes obtidas com a produo animal, para alm dos produtos alimentares; - a sua importncia para a estabilidade e sustentabilidade dos agroecossistemas. A diversidade, a tipicidade e a segurana alimentar dos produtos animais tem ganho uma importncia crescente nos ltimos anos, em paralelo com o impacte das actividades produtivas no ambiente e a preservao dos recursos naturais. Trata-se de novas perspectivas que se torna necessrio usar na abordagem ao estudo das forragens e pastagens.</p> <p>1.2- Conceitos e caractersticas A diversidade de culturas e situaes obriga organizao e compartimentao do conhecimento, adoptando-se conceitos e terminologia que convm precisar. Assim, entendemos por forragens ou culturas forrageiras as culturas de plantas herbceas, geralmente anuais mas por vezes bienais ou vivazes, destinadas a serem colhidas pelo homem antes da maturao completa, para alimentao dos animais em verde ou aps conservao. Pastagens, prados ou culturas pratenses so culturas ou comunidades de plantas geralmente herbceas, aproveitadas predominantemente no prprio local em que crescem pelos animais em pastoreio, e portanto sujeitas directamente sua aco de preenso e ingesto (desfoliao), pisoteio e dejeco. O diferente tipo de utilizao destes dois grupos de culturas, corte ou pastoreio, implica um conjunto de caractersticas diferenciadas, como sejam o porte das plantas, a intensidade e durao do cultivo, a fertilizao, a densidade das plantas, etc. (Fig. 1). As pastagens, com uma durao de cultivo mais prolongada, so essencialmente constitudas por plantas de porte prostrado ou semi-prostrado, -2 apresentam uma mais elevada densidade de vegetao (n de plantas m ), um menor desenvolvimento em altura e maior concentrao de biomassa prximo 4</p> <p>Captulo 1</p> <p>da superfcie do solo e por unidade de volume da vegetao. Por seu lado o corte das culturas forrageiras, embora realizado a uma altura do solo em geral da ordem dos 5-10 cm, remove e exporta uma elevada percentagem da biomassa area e dos nutrientes da cultura.</p> <p>Figura 1- Representao esquemtica de uma cultura forrageira e de uma pastagem</p> <p>As forragens podem ser agrupadas conforme a durao do cultivo em anuais, se for inferior a um ano, bienais se entre um ou dois anos e vivazes ou perenes se a durao for maior que dois anos. Existe um claro predomnio das culturas de menor durao (anuais). As pastagens ou prados podem ser permanentes ou temporrias. So permanentes quando tm uma longa durao, tanto quanto o seu estado de conservao e produtividade o permite, sendo em caso contrrio substitudas por nova pastagem. So temporrias quando esto encaixadas em rotaes com outras culturas agrcolas, tendo portanto uma durao mais curta e prdeterminada. Enquanto que as primeiras esto indicadas para solos sem aptido agrcola, as segundas destinam-se a solos com aptido para culturas arveis e contribuem para os objectivos da rotao de culturas. Podem ainda distinguir-se as pastagens semeadas das pastagens naturais (semi-naturais) ou espontneas. As primeiras, por vezes imprecisamente designadas de pastagens melhoradas, so como o nome indica resultantes da sementeira pelo homem de plantas seleccionadas. As pastagens naturais ou espontneas constituem-se base de espcies que vegetam espontaneamente, sem introduo deliberada pelo homem, embora possam ser sujeitas a tcnicas de melhoramento como sejam a fertilizao e o maneio da sua utilizao, que condicionam a sua composio florstica. O recurso ou no rega para suprir as deficincias de alimentao hdrica das plantas, resultantes da secura estival do nosso clima mediterrnico, determina diferenas muito significativas nas possibilidades e potencialidades de cultivo, pelo que se considera importante a distino entre culturas forrageiras 5</p> <p>Agronomia das Forragens e Pastagens</p> <p>ou pastagens de regadio e de sequeiro, respectivamente. Os termos erva ou forragem so utilizados para designar o conjunto dos alimentos que as culturas forrageiras e as pastagens permitem obter para a alimentao animal. A produo animal pode ainda beneficiar ou mesmo assentar sobre a utilizao da vegetao arbustiva, os arbustos forrageiros, como sucede por exemplo em diversas regies ridas e semi-ridas do mediterrneo, como no Sul da Europa, no Norte de frica e na sia Ocidental, assim como em outros continentes (3 e 4). As distines apresentadas no signif...</p>