2018/2019 projeto de sala jardim de infâ ?· porque é que os sete cabritinhos não deviam ter...

Download 2018/2019 Projeto de Sala Jardim de infâ ?· Porque é que os sete cabritinhos não deviam ter desobedecido…

Post on 15-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1 Rua D. Dinis, 2, 2745 - 262 Monte Abrao, Queluz

    Tel: 21 437 62 73 Email: colegio@galaxiabranca.pt www.galaxiabranca.pt

    Colgio Galxia Branca

    2018/2019

    Projeto de Sala Jardim de infncia

    Educadora: Helena Carvalho

    https://www.google.st/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=2ahUKEwiYh6PBw93dAhUJ2xoKHfU2C3wQjRx6BAgBEAU&url=https://br.freepik.com/vetores-gratis/jardim-de-infancia-criancas-desenho_760904.htm&psig=AOvVaw1zN9ltAX-iPnCkPCXoEqdW&ust=1538217064407273

  • 2 Rua D. Dinis, 2, 2745 - 262 Monte Abrao, Queluz

    Tel: 21 437 62 73 Email: colegio@galaxiabranca.pt www.galaxiabranca.pt

    Se me permites serei tua educadora e vou inventar para ti o mais belo

    conto, onde os dinossurios existem, o lobo finalmente amoroso e as fadas

    se enamoram da lua e do sol.

    Se me permites, vamos pintar um muro velho com todas as tintas das cores

    do arco-ris. Se me permites, construmos um barquinho de carto, enfeitado

    de mil pioneses e bandeira de algodo para irmos at terra dos piratas, dos

    ogres bons e do gigante folgazo.

    Se me permites, vamos explorar a cincia, entrar em aventuras e despertar

    o sapo gordo que comear a cantar uma belssima cano.

    Se me permites, faremos os mais deliciosos doces, com "acar e afeto",

    transformando caras tristes ou chorosas em carinhas com risos de chocolate.

    Se me permites, sentiremos a emoo de abrir uma grande caixa e partilhar

    as magias que sempre l estiveram para ti.

    Se me permites, havemos de partilhar a Primavera, de lanar brisa

    sementinhas de amizade, de correr atrs de borboletas, dos pardais, e ver o

    trilho das lagartas.

    Se me permites, brincamos com o D R Mi para compor uma cano que

    nos fale de famlia, que acenda o sonho, a esperana, a paz e a unio.

    Se me permites, transformo-me em cantora, trapezista, mago, rei, rainha,

    inventor(a) do amor, bruxa, sbio ou em coelho roedor. S mesmo se me

    permites, poderei ser tua educadora e fazer de cada dia a grande festa do

    deslumbramento das primeiras descobertas, ajudar-te a aprender brincando e

    construir contigo o caminho enquanto vamos andando.

    Cecilia Sabbatini

  • 3 Rua D. Dinis, 2, 2745 - 262 Monte Abrao, Queluz

    Tel: 21 437 62 73 Email: colegio@galaxiabranca.pt www.galaxiabranca.pt

    ndice

    1. Introduo

    2. Caracterizao

    2.1. Caracterizao da Equipa

    2.2. Caraterizao das crianas na faixa etria

    3. Fundamentao das opes educativas

    4. Organizao do ambiente educativo

    4.1. Organizao do espao e dos materiais

    4.2. Organizao do tempo

    4.3. Plano de Atividades Semanal

    4.4. Organizao do trabalho

    5. Programao Anual

    5.1. Plano anual de atividades

    6. Livros do Plano Nacional de Leitura

    7. Comunicao de resultados e divulgao de informao

    8. Interrupes letivas

    9. Horrios

    10. Validao do Projeto Curricular de Grupo

    4

    4

    4

    4

    5

    7

    7

    8

    9

    10

    11

    11

    13

    13

    14

    14

    14

  • 4 Rua D. Dinis, 2, 2745 - 262 Monte Abrao, Queluz

    Tel: 21 437 62 73 Email: colegio@galaxiabranca.pt www.galaxiabranca.pt

    1. Introduo

    na famlia e no meio sociocultural em que vive os primeiros anos que a criana inicia o seu desenvolvimento pessoal e social, constituindo a educao pr-escolar um contexto educativo mais alargado que vai permitir criana interagir com outros adultos e crianas que tm, possivelmente, valores diferentes dos que interiorizou no seu meio de origem ao possibilitar a interao com diferentes valores e perspetivas, a educao pr-escolar constitui um contexto favorvel para que a criana v aprendendo a tomar conscincia de si e do outro. Desta forma a educao pr-escolar tem um papel importante na educao para os valores.

    In Orientaes Curriculares

    Trabalhar com crianas em contexto de jardim-de-infncia implica definir formas de

    pensar e organizar, o que origina uma profunda reflexo sobre a importncia das atividades,

    experincias e vivncias a proporcionar s crianas.

    Neste contexto, surge a necessidade de se desenvolver um instrumento de gesto

    pedaggica, no qual deve ser visvel a reflexo e anlise dos processos de aprendizagem e

    desenvolvimento. Este instrumento, o qual designamos por Projeto Curricular de Sala, um

    documento que decreta quais as prioridades nas aprendizagens e no desenvolvimento do grupo

    ao qual ir ser aplicado, de acordo com os interesses e necessidades dessas mesmas crianas.

    Este projeto, em particular, respeita o grupo de crianas da sala do pr-escolar, e

    contempla as opes e intenes educativas do educador da sala, suportando assim a previso

    daquilo que ir ser realizado ao longo do ano, de forma a favorecer as aprendizagens e o

    desenvolvimento de cada criana e do grupo em geral.

    Para finalizar, devo salientar que, como qualquer projeto flexvel, este pode e deve ser

    alterado pelos diversos intervenientes no processo educativo, sempre que tal se justificar.

    2. Caraterizao

    2.1. Caraterizao da Equipa

    A equipa de sala constituda por uma Educadora de Infncia (Helena Carvalho) e por uma

    assistente operacional (Anlia Ornelas).

    2.2. Caraterizao das crianas na faixa etria

    O grupo de crianas um grupo que apresenta predisposio para responder s solicitaes e

    propostas do adulto. So crianas, na sua maioria, bastante dedicadas e empenhadas em desenvolver

  • 5 Rua D. Dinis, 2, 2745 - 262 Monte Abrao, Queluz

    Tel: 21 437 62 73 Email: colegio@galaxiabranca.pt www.galaxiabranca.pt

    uma atividade do princpio ao fim. A sua vivncia nas valncias, proporcionou-lhes uma coeso de

    grupo, presente tambm no ultrapassar de problemas, e assim, tendo adquirindo um bom nvel de

    desenvolvimento de capacidades. Possuem igualmente uma capacidade extraordinria de

    comunicarem, o que fomenta o seu processo de aprendizagem e aperfeioamento da linguagem. Ao

    ingressar no Jardim de Infncia a criana j adquiriu um sentimento bem equilibrado do seu Eu.

    Contrariamente criana de 3 anos que concordante, a de 4 anos j afirmativa, manifestando por

    vezes o seu egocentrismo prprio da idade.

    Aos 4 anos de idade, a criana alarga o seu campo de ao, no somente a correr, saltar, pular e

    trepar, mas tambm nas novas construes de pensamento e nas extravagncias da sua mente

    imaginativa.

    Os porqus assumem nesta idade o seu esplendor mximo, na medida em que a criana se torna

    muito faladora, estando igualmente numa fase desenvolvimentista, em particular no que respeita s

    relaes interpessoais e comunicao social.

    Aos 5 anos a criana torna-se mais precisa e factual nas suas explicaes e questes. justo dizer

    que a criana de 5 anos se sente verdadeiramente segura no seu mundo. E qual o seu mundo? Um

    Mundo do aqui e agora, e se o seu mundo tem um centro, esse centro a Me.

    Em suma, cada idade dever ser vivida em esplendor, sem pressa de crescer, pois deste modo o

    Amanh vir pleno de novos horizontes!

    3. Fundamentao das opes educativas

    A escolha do tema da sala do pr-escolar Crescer com Valores tem como objetivo ir de encontro

    ao tema do projeto educativo do colgio Diferena e Tolerncia.

    Uma vez que este um grupo que resultou da unio de dois grupos que j frequentavam a instituio

    em anos anteriores e que j tinham construdo, cada um deles, a sua cumplicidade, a primeira

    preocupao para com o novo grupo foi que este sentimento continuasse. Isto, para que as crianas

    vissem a sala do pr-escolar como um novo grupo e no como dois grupos distintos que se juntaram

    na mesma sala.

    Trabalhar a amizade ser o instrumento fundamental para proporcionar a criao de laos afetivos

    e a construo da noo de grupo.

    Para o desenvolvimento do trabalho iremos basear-nos na aprendizagem ativa, uma vez que as

    crianas aprendem atravs dos sentimentos. Vendo os valores como um conjunto de caractersticas

    que vo crescendo com a criana para que esta adquira as competncias desejadas para uma boa

  • 6 Rua D. Dinis, 2, 2745 - 262 Monte Abrao, Queluz

    Tel: 21 437 62 73 Email: colegio@galaxiabranca.pt www.galaxiabranca.pt

    convivncia com a sociedade, a partir daqui que todo o restante trabalho ir ser planificado, nunca

    descurando os interesses e as necessidades de cada criana.

    Este ano iremos abordar vrias Fbulas e Contos Tradicionais, tendo como objetivo explicitar o

    contedo das mesmas e fomentar o gosto pelo contar e recontar de histrias assim como a

    dinamizao das mesmas.

    Tendo sempre em conta o desenvolvimento integral das crianas, partindo da intencionalidade e da

    versatilidade que as histrias/livros podem assumir. Vamos tentar descortinar as histrias, e entender

    porque perdeu a lebre a corrida? Porque mente o Pinquio? Ser que a cegonha e a raposa agiram

    bem? Porque vai o Capuchinho Vermelho pelo atalho? Porque que os sete cabritinhos no deviam

    ter desobedecido sua me? E, porque que o rato do campo nunca gostou de morar na cidade? ()

    Alm disso, as histrias e os livros constituem-se como veculos da criatividade, de valores, de

    conhecimentos, tendo o seu lugar ao nvel das diversas reas do conhecimento. Expressando-se