2016 14308 quem tem medo do homeschooling-manoel morais

Download 2016 14308 quem tem medo do homeschooling-manoel morais

Post on 11-Apr-2017

16 views

Category:

Education

3 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • ESTUDO

    Cmara dos Deputados Praa dos Trs Poderes Consultoria Legislativa Anexo III - Trreo Braslia - DF

    QUEM TEM MEDO DO HOMESCHOOLING?

    O FENMENO NO BRASIL E NO MUNDO.

    Manoel Morais de O. Neto Alexandre Consultor Legislativo da rea XV

    ESTUDO

    AGOSTO/2016

  • 2

    SUMRIO

    Introduo ............................................................................................................................................................. 3

    Sobre o Homeschooling........................................................................................................................................ 5

    Homeschooling no Mundo ................................................................................................................................... 6

    Homeschooling e a legislao brasileira ............................................................................................................... 9

    Concluso ........................................................................................................................................................... 21

    BIBLIOGRAFIA ................................................................................................................................................ 22

    ALEXANDRE, Manoel Morais De Oliveira Neto. Quem tem medo do homeschooling?: o fenmeno

    no Brasil e no mundo. Braslia: Cmara dos Deputados, Consultoria Legislativa, 2016. 22p.

    [mailto: manoel.alexandre@camara.leg.br]

    2016 Cmara dos Deputados.

    Todos os direitos reservados. Este trabalho poder ser reproduzido ou transmitido na ntegra, desde que

    citado o autor e a Consultoria Legislativa da Cmara dos Deputados. So vedadas a venda, a reproduo

    parcial e a traduo, sem autorizao prvia por escrito da Cmara dos Deputados.

    Este trabalho de inteira responsabilidade de seu autor, no representando necessariamente a opinio da

    Cmara dos Deputados.

  • 3

    QUEM TEM MEDO DO HOMESCHOOLING?

    O fenmeno no Brasil e no Mundo.

    Manoel Morais de O. Neto Alexandre1

    INTRODUO

    Ensino Domiciliar, Educao em Casa ou em referncia ao grande

    crescimento do fenmeno nos Estados Unidos Homeschooling. O presente trabalho pretende

    abordar, sem esgotar o tema, o fenmeno da escolha que pais e tutores fazem de prestar a educao

    aos filhos no ambiente domstico, em substituio via comum de encaminh-los escola.

    Apresentaremos o panorama do fenmeno da educao domiciliar pelo

    mundo e analisaremos a compatibilidade de tal prestao educacional com a legislao positiva

    ptria. Embora os contornos jurdicos no mbito interno, at mesmo nos tribunais superiores, ainda

    estejam sendo definidos, mostraremos as diversas teses sobre o assunto e nos posicionaremos2 por

    uma delas. Nos demais pases, nos limitaremos a apresentar a legislao correlata, o enquadramento

    jurdico do fenmeno e, quando adequado para ressaltar algum ponto, citaremos algum caso

    concreto.

    Os diversos estudos que foram conduzidos com o fito de identificar os

    motivos pelos quais as famlias optam por educar os filhos em casa apresentam resultados distintos,

    em virtude da falta de uniformidade nas metodologias adotadas. BARBOSA3 cita a pesquisa

    apresentada por Bielick, Chandler e Broughman, em 2001, que elencou como motivos para adeso

    ao homeschooling dar criana melhor ensino em casa (49%), razes religiosas (38%), ambiente escolar

    pobre (26%), razes familiares (17%), para desenvolver carter/moralidade (15%), objeo ao que

    a escola ensina (12%), escolas no desafiam as crianas (12%), outros problemas com as escolas

    1 Bacharel em Direito pela UnB, Psicopedagogo e Consultor Legislativo da Cmara dos Deputados, na rea XV: educao, cultura e desporto. 2 Plural de modstia. No existe algo como a opinio da consultoria, mas, mais acertadamente, a opinio dos consultores. que, dadas as diferentes formaes acadmicas e histricos profissionais tambm distintos, pode haver diversas concepes sobre temas controversos. Essa diversidade saudvel para o carter de vanguarda que deve ter o Legislativo. Obviamente, tais dissonncias devem se circunscrever dentro de um crculo maior de legalidade, juridicidade e constitucionalidade. 3 BARBOSA, Luciane Muniz R. Ensino em casa no Brasil: um desafio escola? 2013. 348 f. Tese (Doutorado) - Faculdade de Educao, Universidade de So Paulo, So Paulo, 2013, p. 121-122.

  • 4

    disponveis (12%), problemas de comportamento dos estudantes nas escolas (9%), criana com

    alguma deficincia/necessidade especial (8%).

    No Brasil, foi fundada a Associao Nacional de Ensino Domiciliar

    ANED4, que uma entidade sem fins lucrativos formada por pessoas de todo o Brasil que tm

    aplicado a educao domiciliar em suas famlias ou que se interessam por essa modalidade. Nas

    palavras da instituio:

    Nossos associados esto espalhados por todo o territrio nacional e

    fizeram a opo pelo ensino domiciliar por diversos motivos (ideolgicos,

    geogrficos, religiosos, profissionais, etc.). Mas o que todos temos em

    comum a convico de que cada pai e me possui a responsabilidade de

    garantir a formao plena de seus filhos enquanto seres humanos, e que

    essa responsabilidade natural garante o direito de escolher qual tipo de

    instruo ser dada a essas crianas.

    Nos Estados Unidos, a Home School Legal Defense Association HSLDA, atua

    desde 1983 promovendo o homeschooling , e se define como uma organizao sem fins lucrativos

    criada para defender e promover o direito constitucional dos pais para dirigir a criao e educao

    de seus filhos.

    No devemos confundir o objeto do presente estudo com o fenmeno do

    unschooling, que nega a instituio escolar e coloca a prpria criana como agente diretivo do

    aprendizado, escolhendo o que estudar, quando estudar e at mesmo se quer estudar. O

    homeschooling, por sua vez, no nega os currculos escolares e, na sua vertente majoritria, deseja que

    as crianas e adolescentes possam receber educao em casa, mas em parceria com as instituies

    do Estado, tanto na autorizao do processo, quanto na avaliao do aprendizado.

    Infelizmente, por um olhar superficial sobre o tema e por uma anlise

    assistemtica da legislao de regncia da educao, o Ministrio Pblico brasileiro tem atuado no

    sentido de responsabilizar os pais homeschoolers no crime de abandono intelectual, previsto no art.

    246 do Cdigo Penal brasileiro. Conforme veremos, o homeschooling de per si no apto para

    configurar o fato tipificado como abandono intelectual no ordenamento domstico.

    importante ressaltar que ampla a possibilidade de inovao legislativa

    sobre o tema da educao domiciliar. Muitas vezes, quando se divulgam casos em que tribunais

    ptrios indeferem o pedido de pais que pretendem educar os filhos em casa, passa-se a noo de

    que h um impedimento absoluto a respeito do avano do tema at mesmo na seara legislativa.

    que os tribunais analisam as lides pelo Direito que est posto. Contudo, tm os parlamentares

    legitimidade para alterar a prpria Constituio, resguardado o ncleo inatingvel das clusulas

    ptreas e as noes circunvizinhas que lhes do sustento.

    4 Ver o stio http://www.aned.org.br .

    http://www.aned.org.br/

  • 5

    SOBRE O HOMESCHOOLING

    No correto apontar a gnese do homeschooling como sendo a dcada de

    1960, nos Estados Unidos da Amrica, como faz COSTA5. Pelo contrrio, desde o sculo XVIII,

    nos Estados Unidos, j havia famlias que educavam os filhos em casa. No Brasil, o fenmeno da

    educao domiciliar remonta ao sculo XVI, firmando-se mesmo durante o Oitocentos, e na

    Grcia, por meio de preceptores, as crianas eram educadas no seio familiar antes do sculo V a.C.

    Conforme a crtica de ILLICH j em 1985, metade dos habitantes desse planeta jamais colocou

    os ps numa escola6.

    Conforme apontado por VASCONCELOS7, a partir do sculo XVIII, na

    Europa Ocidental, a educao domstica realizada nas camadas mais ricas da populao vai

    deixando de ser privilgio apenas das crianas nobres para se tornar uma prtica comum entre ricos

    comerciantes, altos funcionrios e famlias de elite que se espelhavam nos hbitos da aristocracia.

    FARIA FILHO8 elucida que, no Brasil oitocentista, o nmero de pessoas

    que se serviam da educao domiciliar era maior do que aqueles da rede mantida pelo Estado. O

    autor assevera:

    No podemos considerar que apenas aqueles, ou aquelas, que

    frequentavam uma escola fora do ambiente domstico tinham acesso s

    primeiras letras. Pelo contrrio, temos indcios de que a rede de

    escolarizao domstica, ou seja, de ensino e aprendizagem da leitura, da

    escrita e do clculo, mas sobretudo daquela primeira, atendia um nmero

    de pessoas bem superior ao da rede pblica estatal, [...] at bem avanado

    o sculo XIX.

    Como causa da diminuio da educao domiciliar aponta-se

    principalmente a estruturao e o crescimento das instituies formais de ensino. SILVA9 explica

    que com o aumento da infraestrutura das escolas, o governo pode agir maciamente na divulgao

    da escola como o principal e quase que nico mtodo de aprendizado, criando constituies que

    ignoravam completamente uma realidade to viva como a da educao domiciliar que foi, aos

    poucos, ou sendo praticada apenas em reas muito remotas ou se extinguindo.

    5 COSTA, F