20150316_br_metro sao paulo

20
RECICLE A INFORMAÇÃO: PASSE ESTE JORNAL PARA OUTRO LEITOR MÍN: 20°C MÁX: 28°C www.metrojornal.com.br | [email protected] | www.facebook.com/metrojornal | @MetroJornal_SP SÃO PAULO Segunda-feira, 16 de março de 2015 Edição nº 2.000, ano 8 Acidente deixa 51 mortos Ônibus saiu da estrada em trecho de serra em SC PÁG. 02 SALMO DUARTE/ AGÊNCIA RBS/FOLHAPRESS VAMOS COZINHAR? PEGUE SUA MELHOR RECEITA E INSCREVA NO CONCURSO GLOBAL DO METRO PÁG. 12 Metro Jornal São Paulo chega ao número PÁG. 06 ONDA DE PROTESTOS ATINGE O GOVERNO Atos contra Dilma e a corrupção levam 2,2 milhões às ruas nos 26 Estados e no DF*; à noite, houve panelaço São Paulo, 1 milhão Brasília, 45 mil Porto Alegre, 100 mil Belo Horizonte, 24 mil * DE ACORDO COM AS POLÍCIAS MILITARES DOS ESTADOS NACHO DOCE /REUTERS JOEDSON ALVES/REUTERS GABRIELA DI BELLA/METRO POA EMMANUEL PINHEIRO/METRO BH PÁGS. 03 A 05

Upload: metro-brazil

Post on 08-Apr-2016

219 views

Category:

Documents


2 download

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

Page 1: 20150316_br_metro sao paulo

RECI

CLE

A IN

FORM

AÇÃO

: PAS

SE

ESTE

JORN

AL P

ARA

OUT

RO LE

ITO

R

MÍN: 20°CMÁX: 28°C

www.metrojornal.com.br | [email protected] | www.facebook.com/metrojornal | @MetroJornal_SP

SÃO PAULO Segunda-feira, 16 de março de 2015Edição nº 2.000, ano 8

sunny

hazy

snow rain partly sunny

cloudy sleet thunder part sunny/showers

showers

thunder showers

windy

Acidente deixa 51 mortosÔnibus saiu da estrada em trecho de serra em SC PÁG. 02

SALMO DUARTE/ AGÊNCIA RBS/FOLHAPRESS

VAMOSCOZINHAR?

PEGUE SUA MELHOR RECEITA E INSCREVA NO CONCURSO GLOBAL DO METRO PÁG. 12

Metro Jornal São Paulo chega ao número

PÁG. 06

ONDA DE PROTESTOS

ATINGE O GOVERNO

Atos contra Dilma e a corrupção levam 2,2 milhões às ruas nos 26 Estados e no DF*; à noite, houve panelaço

São Paulo, 1 milhão

Brasília, 45 mil

Porto Alegre, 100 mil

Belo Horizonte, 24 mil * DE ACORDO COM AS POLÍCIAS MILITARES DOS ESTADOS

NACHO DOCE /REUTERS

JOEDSON ALVES/REUTERS

GABRIELA DI BELLA/METRO POA

EMM

ANU

EL PINH

EIRO/METRO BH

PÁGS. 03 A 05

Page 2: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |02| BRASIL

1BRASIL

O jornal Metro circula em 22 países e tem alcance diário superior a 18 milhões de leitores. No Brasil, é uma joint venture do Grupo Bandeirantes de Comunicação e da Metro Internacional. É publicado e distribuído gratuitamente de segunda a sexta em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, ABC, Santos, Campinas e Grande Vitória, somando 513 mil exemplares diários.

Editado e distribuído por Metro Jornal S/A. Endereço: Avenida Rebouças, 1585, Pinheiros, CEP 05401-909, São Paulo, SP, Brasil. Tel.: 3528-8500. O jornal Metro é impresso na Plural Editora e Gráfica Ltda.

EXPEDIENTEMetro Brasil. Presidente: Cláudio Costa Bianchini (MTB: 70.145) Editor Chefe: Luiz Rivoiro (MTB: 21.162). Diretor Comercial e Marketing: Carlos Eduardo ScappiniDiretora Financeira: Sara Velloso. Gerente Executivo: Ricardo Adamo Coordenador de Redação: Irineu Masiero. Editor-Executivo de Arte: Vitor Iwasso

Metro São Paulo. Editores-Executivos: Ariel Kostman e Lara De Novelli (MTB: 31.369) Editor de Arte: Tiago Galvão. Gerentes Comerciais: Elizabeth Silva e Jussara Costa

FALE COM A REDAÇÃ[email protected]/3528-8522

COMERCIAL: 011/3528-8549

Filiado ao

Dólar + 2,81% (R$ 3,250)

Bovespa - 0,58% (48.595 pts)

Euro + 2,58% (R$ 3,395)

Selic (12,75%)

Salário mínimo(R$ 788)

Cotações

TCE suspende transposição de água para o CantareiraA licitação da transposição de água da Bacia do rio Pa-raíba do Sul para o sistema Cantareira foi suspensa pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado). A obra é a principal aposta do governador Geral-do Alckmin (PSDB) para recu-perar o manancial, que ope-rava ontem com 14,6% da capacidade.

A suspensão foi deferi-

da no dia 24 de fevereiro pe-lo conselheiro do tribunal Re-nato Martins Costa, um dia antes da pré-qualificação das empresas. Costa teve como base uma representação feita pela construtora Queiroz Gal-vão, que questionou pontos da licitação, como a contrata-ção de uma única empresa pa-ra executar todo o processo.

A transposição havia sido

anunciada por Alckmin em março de 2014, após o início da crise no Cantareira. O pro-jeto foi orçado em R$ 830 mi-lhões e estaria pronto até o fim de 2016. A ideia causou polêmica com o governo do Rio de Janeiro, que afirmou que a obra poderia prejudicar o volume de água do Paraíba do Sul, que abastece cerca de 10 milhões de pessoas. METRO

Professores entram em greveA Apeoesp (sindicato dos professores estaduais) inicia hoje a greve geral decidida na sexta-feira. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) chamou a decisão de “novela” e afirmou que o sindica-to não consegue legiti-mar uma paralisação. A categoria reivindica rea-juste salarial de 75,33%.

METRO

Morre a advogada Therezinha ZerbiniA advogada Therezi-nha Zerbini, fundadora do Movimento Femini-no pela Anistia, morreu no sábado, aos 87 anos. Durante a ditadura mili-tar, Therezinha lutou pe-la redemocratização do Brasil e pelo retorno de exilados políticos. Em nota, a presidente Dil-ma Rousseff lamentou a morte da ativista. METRO

Ativista Paralisação

Assembleia Legislativa

Nova CasaO deputado estadual

Fernando Capez (PSDB-SP) foi eleito ontem o novo

presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo,

derrotando Carlos Giannazi (PSOL) por 92 votos a 2. Em seu discurso de

posse, Capez disse que é importante colocar a Casa em posição de

protagonismo por meio da austeridade e eficiência.

Acidente com ônibus deixa 51 mortos em SCUm acidente com um ônibus na Serra Dona Francisca, em Santa Catarina, anteontem, deixou 51 mortos. Seis feridos permanecem em estado gra-ve, inclusive uma criança de um ano e nove meses.

Apesar da chuva, o IGP (Instituto Geral de Perícias), do governo de Santa Catarina já começou os trabalhos para descobrir as causas do aciden-te. O ônibus saiu da pista em uma curva bem fechada e não há sinal de frenagem.

As hipóteses são de falha mecânica ou mal súbito do motorista.

Ainda não há confirma-ção oficial do número de pas-sageiros, mas há suspeita de que o veículo estava superlo-

tado. O motorista e seu filho, que eram os donos da em-presa que fazia o transporte, morreram no acidente.

As vítimas moravam em União da Vitória e Por-to União, no sul do Paraná. Elas faziam parte do Terrei-ro de Umbanda Pai Xangô e iriam fazer uma cerimônia anual na praia, em Guaratu-ba. Em um caminhão frigorí-fico, os corpos saíram ontem do IML de Joinville. A prefei-tura de União da Vitória pre-parou um ginásio de esportes para a realização de um veló-rio coletivo, a partir de hoje.

Tragédia. Peritos suspeitam que motorista foi vítima de mal súbito ou perdeu os freios

Perícia sobre o acidente foi iniciada ontem | SALMO DUARTE/AGÊNCIA RBS/FOLHAPRESS

THIAGOMACHADOMETRO CURITIBA

ONDE FOI

JOINVILLE

CAMPOALEGRE

LOCAL DOACIDENTE

Rodovia SC-418, na serra Dona Francisca, entre os municípios de Campo Alegre e Joinville (a 171 km de Florianópolis)

SP

PR

SC

MS

Uniãoda Vitória

Guaratuba

FLORIANÓPOLIS

O ônibus saiu de União da Vitória com destino a

Guaratuba, ambos no Paraná

Page 3: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br {FOCO} |03|◊◊

Organizados pelas redes so-ciais, os protestos contra o governo Dilma Rousseff reu-niram ontem 2,2 milhões de brasileiros, em pelo menos 150 cidades. À noite, durante fala de ministros na TV, houve panelaços em várias cidades.

De verde e amarelo, em clima que mistura Copa do Mundo com os atos de ju-nho de 2013, os manifestan-tes cantavam o hino nacional e gritavam “Fora Dilma”, “Fo-ra PT”, “Mudança”. Muitas fai-xas pediam o impeachment da presidente, outras o fim da corrupção. Alguns grupos car-regavam cartazes pedindo in-tervenção militar.

O número supera os 1,25 milhão que saíram às ruas em 100 cidades do país no dia 20 de junho de 2013, auge da onda de protestos.

Candidato derrotado nas eleições de 2014, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) não compareceu a nenhum ato, mas postou um vídeo em sua

página no Facebook, festejan-do os protestos e pedindo que o povo não se disperse. “Esse 15 de março vai ficar lembra-do para sempre como o Dia da Democracia”.

O maior ato aconte-ceu em São Paulo, na aveni-da Paulista. Segundo a PM, 1 milhão de pessoas participa-ram da manifestação. O insti-tuto Datafolha calculou 210 mil. Para efeito de compara-ção, na sexta-feira, a marcha organizada pela CUT e pela Apeoesp (sindicato dos pro-fessores estaduais) contou com a participação de 12 mil pessoas, segundo a PM. Os or-ganizadores disseram que fo-ram 100 mil e o instituto Da-tafolha, 41 mil.

A oposição marcou presen-ça no ato de São Paulo com o senador Aloysio Nunes Ferrei-ra (PSDB-SP) e o deputado fe-deral Paulinho da Força (Soli-dariedade). A legenda colocou um carro de som na Paulista.

Desde 16 de abril de 1984,

quando 1,5 milhão de pes-soas estiveram no Vale do Anhangabaú pedindo o fim da ditadura militar na cam-panha das Diretas, a cidade não registrava uma concen-tração recorde de pessoas (leia mais nas páginas 4 e 5).

Em Brasília, cerca de 45 mil pessoas, segundo a PM, tomaram o gramado em fren-te ao Congresso. Em um car-ro de som, um integrante do grupo Terrorismo Nunca Mais, que defende o golpe de 64, deu “parabéns” à multi-dão. No final da tarde, a PM usou bombas de efeito moral para dispersar um grupo de manifestantes que teria atira-do pedras contra os policiais.

No Rio, o protesto reuniu 15 mil pessoas em Copacaba-na. Houve manifestações pelo impeachment. Também ha-via defensores de uma inter-venção militar. O deputado fe-deral Jair Bolsonaro (PP-RJ), foi vaiado ao tentar falar no carro de som. METRO

Manifestação. Maior protesto contra a presidente Dilma Rousseff aconteceu em São Paulo, onde 1 milhão de pessoas saíram às ruas

Atos reúnem 2,2 milhõesSalvador

Belo Horizonte

Porto Alegre

Brasília

CAU GUEBO/RAW IMAGE/FOLHAPRESS

ANDRÉ BORGES/FRAME/FOLHAPRESS

ROMILDO DE JESUS/FUTURA PRESS

EMMANUEL PINHEIRO/METRO BH

Brasileiros sairam às ruas em pelo menos 150 cidades

Page 4: 20150316_br_metro sao paulo

MANIFESTAÇÕES PELO BRASIL Veja as capitais onde ocorreram protestos ontem

AM

AC

RR

PA

AP

BA

MG

PR

SC

RS

TO

MA

PI

RN

PE

CE

SEAL

PB

RO

MT

ES

RJ

GO

MS

2,2 MILHÕESDE PESSOAS PARTICIPARAM DOS ATOS EM TODO O PAÍS

26ESTADOS

E DF

150CIDADES

TOTAL

SP

EM SÃO PAULO

FONTE: POLÍCIA MILITAR

MANAUS 13 MIL

RIO BRANCO 2,5 MIL

GOIÂNIA 60 MIL

CAMPO GRANDE 32 MIL

CUIABÁ 20 MIL

PORTO VELHO 15 MIL

CURITIBA 80 MIL

PORTO ALEGRE 100 MIL

FLORIANÓPOLIS 30 MIL

BELEM 45 MIL

BOA VISTA 2,5 MIL

MACAPA 1,5 MIL

PALMAS 10 MIL

TERESINA 4 MIL

SÃO LUÍS 3 MIL

FORTALEZA 20 MIL

NATAL 12 MIL

BRASÍLIA 45 MIL

VITÓRIA 100 MIL

RIO DE JANEIRO 15 MIL

B. HORIZONTE 24 MIL

SALVADOR 6 MIL

MACEIO 10 MIL

ARACAJU 900

JOÃO PESSOA 2,5 MIL

RECIFE 15 MIL

SÃO PAULO 1 MILHÃO

SÓ FORAM LISTADAS AS CIDADES ONDE OS ATOS REUNIRAM PELO MENOS MIL PESSOAS

BAURU 12 MIL

JAÚ 1,5 MIL

ARARAS 3 MIL

SANTO ANDRÉ 10 MIL

GUARULHOS 1 MIL

SANTOS 10 MIL

SERTÃOZINHO 2 MIL

FRANCA 4,5 MIL

RIBEIRÃO PRETO 25 MIL

CATANDUVA 1,2 MIL

PRE.PRUDENTE 5 MIL

AMERICANA 7 MIL

M.DAS CRUZES 1 MIL

SJ RIO PRETO 11 MIL

SJ BOA VISTA 1 MIL

ARARAQUARA 7 MIL

LIMEIRA 5 MIL

PIRACICABA 8,5 MIL

SÃO PAULO 1 MILHÃO

RIO CLARO 4 MIL

JACAREÍ 3 MIL

ARAÇATUBA 5 MIL

PIRASSUNUNGA 1,2 MIL

TUPÃ 1,5 MIL

JUNDIAÍ 5 MIL

ASSIS 1,2 MIL

MARÍLIA 2 MIL

VOTUPORANGA 2 MIL

SÃO CARLOS 1,8 MIL

OURINHOS 2 MIL

PENÁPOLIS 1 MIL

CAMPINAS 48,5 MIL

SOROCABA 35 MIL

BIRIGUI 4 MIL

JABOTICABAL 2,6 MIL

BOTUCATU 1 MIL

TOTAL PESSOAS

1.206.240

NÚMERO DE PESSOAS

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |04| BRASIL

O ato de ontem na avenida Paulista foi uma mistura de Copa do Mundo com os mo-vimentos de Junho de 2013. Plataformas do metrô as li-nhas 1-Azul e 2-Verde fica-ram lotadas a partir das 13h. Vestindo camisas da seleção brasileira, ou simplesmente verde e amarelo, grupos se encontravam e seguiam pa-ra a Paulista.

A cada estação, quem en-trava era recebido com pal-mas e gritos de “Fora Dil-ma”, “Fora PT”. No percurso entre as estações Tucuru-vi (linha 1-Azul) e Trianon--Masp (linha 2-Verde), grupos discutiam o que acontecerá, caso o impeachment se tor-ne realidade. “O Aécio assu-mirá. Não é?”, perguntava uma jovem que aparentava 20 anos para o pai, um se-nhor grisalho na casa dos 60 anos. “Não, teremos que atu-rar o Temer (Michel Temer, vice-presidente). Melhor ele do que esse pessoal do PT”, respondeu.

O clima era de festa. Em frente ao Masp, as obras da ciclofaixa do prefeito Fernan-do Haddad (PT) dividiram os grupos entre os que exigem o impeachment, como o MBL (Movimento Brasil Livre), e os que pedem uma intervenção militar, tendo à frente o Re-voltados Online.

No caminhão do MBL, quatro jovens discursavam contra o que classificaram de plano do “PT para tomar o poder” e lembravam que o nome da presidente Dilma Rousseff foi citado 11 vezes durante os depoimentos de envolvidos da Operação Lava Jato. Intercaladas por paradas para o hino nacional, as falas dos representantes do MBL tentavam mostrar a impor-tância da adoção das ideias

de nomes como Thomas Friedman e Friedrich August Hayek (economistas liberais), em contrapartida à “cartilha socialista do PT”.

Um manifesto exigindo uma ação por parte do Con-gresso e abertura do proces-so de impeachment foi lido e repetido pela multidão.

A manifestação atraiu ido-sos, famílias, pais carregando filhos nos ombros com ban-deiras do Brasil, e muitos ca-sais. Nenhuma bandeira de partido político foi vista du-rante a manifestação. Duas mulheres ficaram nuas e fo-ram retiradas pela polícia. Soldados da PM e Tropa da Choque foram ovacionados mais de uma vez. Homens e mulheres pediram para ti-rar fotos com os policiais e os abraçavam.

Caminhoneiros, que orga-nizaram uma greve nacional há duas semanas, também participaram do ato. Eles chegaram à avenida em buzi-naço por volta das 16h.

Um grupo caminhava com faixas pedindo a saída de Dilma e a prisão do ex--presidente Lula. Também havia cartazes atacando os presidentes da Câmara e do Senado e o procurador-ge-ral, Rodrigo Janot – chama-do de covarde por não in-cluir a presidente na lista de investigados.

No final, a Paulista mais parecia uma “Vila Madale-na” anti-Dilma. Jovens com óculos escuros, paus de sel-fie e cachorros devidamen-te paramentados para ato circulavam pela avenida e compravam bebidas. De-pois de cada foto para o Fa-cebook e o Instagram, gri-tavam: “Fora Dilma”, “PT corrupto” e “Lula ladrão.”

METRO

Manifestação. No maior protesto registrado na cidade desde a campanha das Diretas, em 1984, paulistanos de verde e amarelo tomaram a Paulista pedindo a saída de Dilma

Clima em SP mistura revolta e festa

FRASES“Espero que esse seja o primeiro ato de muitos. É preciso pressionar para termos uma mudança de verdade”THIAGO ARAÚJO, 31 ANOS, ADVOGADO

“Vim acompanhar o primeiro ato pela saída da presidente. Acompanharei todos os que forem realizados” BIANCA DA GRAÇA, 28 ANOS, PUBLICITÁRIA

“Com certeza o ato com um milhão de pessoas pressionará o congresso para dar início ao processo de impeachment” CARLA LEITE, 37 ANOS, FISIOTERAPEUTA

“Não me importo se ela continua ou sai. Só hoje vendi 350 churrasquinhos. Espero que ocorram vários protestos” DANILO ANDRADE, 18 ANOS, COMERCIANTE

“A Dilma tem que sair. Ela foi irresponsável, formou um governo corrupto e tem que pagar por isso” RICARDO MATIAS, 40 ANOS, ADVOGADO

“O que ocorre no Brasil é parecido com o que assistimos na Venezuela. É preciso reagir para que aqui não termine como lá, onde estou proibida de entrar” IRENE MENDOZA, 48 ANOS, CONSULTORA

“Impeachment não irá resolver. Só uma intervenção militar poderá resolver os problemas do país”ANTÔNIO SOARES, 47 ANOS, ADMINISTRADOR

“Não acredito no impeachment, mas vejo que um ato como esse obrigará o governo a ser mais transparente e combater de fato a corrupção”MARCELA POSI, 29 ANOS, ADVOGADA

Multidão tomou conta da Paulista

Manifestante bate panela

PAULO WHITAKER/REUTERS

Após o dia de mobilização das ruas, o governo ofereceu diá-logo, prometeu um pacote anticorrupção “para os próxi-mos dias” e defendeu a refor-ma política com foco no fim do financiamento privado de campanha para “fechar as portas da corrupção”.

A presidente Dilma Rous-seff acompanhou os protestos da residência oficial do Palá-cio da Alvorada. Os ministros Miguel Rosseto (Secretaria--Geral da Presidência) e José Eduardo Cardozo (Justiça) fo-ram porta-vozes da manifes-tação oficial do governo, com tom conciliador e político.

“É legítimo. Ainda nos es-pantamos com a democracia. O governo está aberto ao diá-logo”, afirmou Cardozo. En-quanto os dois falavam na TV, panelaços ocorriam em várias cidades do país.

Rosseto, disse que o mo-mento político carrega uma “memória” eleitoral e atri-buiu os protestos a adversário de Dilma nas últimas eleições. “São setores críticos. Eleitores que não votaram na presiden-te. São legítimos. O que não é

aceitável é o golpismo, a into-lerência, o impeachment.”

O conjunto de medidas de combate à corrupção – que

deve incluir, por exemplo, pe-nas rígidas para o caixa dois – está em fase final de elabo-ração e deve ser tema da reu-nião do Conselho Político do governo marcada para hoje.

No Twitter, o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa cri-ticou o fato de serem minis-tros, e não a própria presiden-te Dilma, a falarem sobre as manifestações. “O momento era para a chefe de Estado se dirigir à nação”, escreveu.

Para o sociólogo Antonio Lavareda, fica claro depois do 15 de março que o país pre-cisa passar por uma reforma política.

PanelaçoA entrevista dos ministros provocou uma nova onda de panelaços pelo país. Além do som das panelas, os ma-nifestantes apitavam, sopra-vam vuvuzelas e piscavam as luzes de casas e aparta-mentos. Houve protestos em capitais, como São Pau-lo, Rio, Brasília, Belo Hori-zonte, Curitiba, Salvador, Recife, Fortaleza e São Luís.

METRO BRASÍLIA

Sob novo panelaço, governo diz estar ‘aberto a diálogo’

“Temos de ser maiores que nossas divergências.Governar para 200 milhões de brasileiros, para os que nos aplaudem e nos criticam.” JOSÉ EDUARDO CARDOZO, MIN. DA JUSTIÇA

“Não se pode ignorar que a face mais visível dos protetsos pediu a saída de Dilma do poder” ANTONIO LAVAREDA, SOCIÓLOGO

Page 5: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br {EDITORIA} |04|◊◊

MANIFESTAÇÕES PELO BRASIL Veja as capitais onde ocorreram protestos ontem

AM

AC

RR

PA

AP

BA

MG

PR

SC

RS

TO

MA

PI

RN

PE

CE

SEAL

PB

RO

MT

ES

RJ

GO

MS

2,2 MILHÕESDE PESSOAS PARTICIPARAM DOS ATOS EM TODO O PAÍS

26ESTADOS

E DF

150CIDADES

TOTAL

SP

EM SÃO PAULO

FONTE: POLÍCIA MILITAR

MANAUS 13 MIL

RIO BRANCO 2,5 MIL

GOIÂNIA 60 MIL

CAMPO GRANDE 32 MIL

CUIABÁ 20 MIL

PORTO VELHO 15 MIL

CURITIBA 80 MIL

PORTO ALEGRE 100 MIL

FLORIANÓPOLIS 30 MIL

BELEM 45 MIL

BOA VISTA 2,5 MIL

MACAPA 1,5 MIL

PALMAS 10 MIL

TERESINA 4 MIL

SÃO LUÍS 3 MIL

FORTALEZA 20 MIL

NATAL 12 MIL

BRASÍLIA 45 MIL

VITÓRIA 100 MIL

RIO DE JANEIRO 15 MIL

B. HORIZONTE 24 MIL

SALVADOR 6 MIL

MACEIO 10 MIL

ARACAJU 900

JOÃO PESSOA 2,5 MIL

RECIFE 15 MIL

SÃO PAULO 1 MILHÃO

SÓ FORAM LISTADAS AS CIDADES ONDE OS ATOS REUNIRAM PELO MENOS MIL PESSOAS

BAURU 12 MIL

JAÚ 1,5 MIL

ARARAS 3 MIL

SANTO ANDRÉ 10 MIL

GUARULHOS 1 MIL

SANTOS 10 MIL

SERTÃOZINHO 2 MIL

FRANCA 4,5 MIL

RIBEIRÃO PRETO 25 MIL

CATANDUVA 1,2 MIL

PRE.PRUDENTE 5 MIL

AMERICANA 7 MIL

M.DAS CRUZES 1 MIL

SJ RIO PRETO 11 MIL

SJ BOA VISTA 1 MIL

ARARAQUARA 7 MIL

LIMEIRA 5 MIL

PIRACICABA 8,5 MIL

SÃO PAULO 1 MILHÃO

RIO CLARO 4 MIL

JACAREÍ 3 MIL

ARAÇATUBA 5 MIL

PIRASSUNUNGA 1,2 MIL

TUPÃ 1,5 MIL

JUNDIAÍ 5 MIL

ASSIS 1,2 MIL

MARÍLIA 2 MIL

VOTUPORANGA 2 MIL

SÃO CARLOS 1,8 MIL

OURINHOS 2 MIL

PENÁPOLIS 1 MIL

CAMPINAS 48,5 MIL

SOROCABA 35 MIL

BIRIGUI 4 MIL

JABOTICABAL 2,6 MIL

BOTUCATU 1 MIL

TOTAL PESSOAS

1.206.240

NÚMERO DE PESSOAS

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |04| BRASIL SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015

www.metrojornal.com.br {BRASIL} |05|◊◊

Manifestação. No maior protesto registrado na cidade desde a campanha das Diretas, em 1984, paulistanos de verde e amarelo tomaram a Paulista pedindo a saída de Dilma

Clima em SP mistura revolta e festa

No exterior

Protestos também ocorrem fora do país Houve atos ontem também fora do país. Nos EUA, os principais foram em Miami, com cerca de 600 pessoas, e Nova York, com cerca de 100. Em Londres, os manifestantes chegaram a fechar uma rua que dá acesso ao Parlamento inglês. Houve também atos em Barcelona, Lisboa, Zurique, Viena, Buenos Aires e Sidney.

METRO

Acidente

Drone que fazia imagens para jornal cai e fere 2

Um drone que sobrevoa-va a avenida Paulista pa-ra fazer imagens do ato para o jornal “Folha de S. Paulo” caiu e atingiu duas pessoas. Elas foram atendidas no hospital Nove de Julho com cor-tes na testa, na cabeça e no ombro e, depois, libe-rados. METRO

Prisão

Grupo é detido com rojões e soco inglêsA Polícia Militar deteve cerca de 20 pessoas que se identificaram como integrantes do grupo neonazista Carecas do Subúrbio. Eles carregavam rojões e soco inglês em mochilas no meio do protesto. Outra pessoa foi detida por usar um rojão contra os manifestantes.

METRO

Famosos

Wanessa e Ronaldo vão em carro de somA cantora Wanessa Camargo entoou o hino nacional em um carro de som, ao lado do ex-jogador Ronaldo, que usava camiseta com os dizeres “A culpa não é minha, eu votei no Aécio”. O cantor Lobão também esteve no local e foi ovacionado. METRO

Jornais estrangeiros destacam atos As manifestações no país foram noticiadas em di-versos jornais ao redor do mundo. O “The New York Times” definiu como “ira” o sentimento dos manifes-tantes contra a presidente Dilma Rousseff e lembrou que a data dos atos coinci-

diu com os 30 anos da re-democratização do Brasil. Já o jornal francês “Le Figa-ro” destacou o descontenta-mento da população em re-lação à crise econômica e o esquema de corrupção en-volvendo a Petrobras. O bri-tânico “Daily Mail” trouxe informações sobre a mani-festação no Rio de Janeiro e mencionou o pedido de al-guns grupos pela interven-ção militar. METRO

Lá fora

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

DE CARONA

PAULO WHITAKER/REUTERS

Grupo com cartazes pedem saída de Dilma

Homem carregacriança

Mulher com a bandeira do Brasil pintada no rosto

Jovens eram maioria

Ator Malvino Savadorfaz selfie commanifestantes

PAULO WHITAKER/REUTERS PAULO WHITAKER/REUTERS

AMAU

RI N

EHN

/BRA

ZIL

PHOT

O PR

ESS/

FOLH

APRE

SS

GERO

/FOL

HAP

RESS

DAVI

RIB

EIRO

/FOL

HAP

RESS

Page 6: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |06| {BRASIL}

A edição São Paulo do Metro Jornal chega hoje à sua edição 2.000. Número que enche de orgulho esta equipe que, desde o dia 7 de maio de 2007, não mede esforços para entregar bem cedinho ao leitor paulistano um jornal dinâmico, ético e objetivo, em total sintonia com o pulso desta cidade.

Fruto de uma parceria do Grupo Bandeirantes de Comunicação com a Metro Internacional, o Metro Jornal circula de segunda a sexta, num total de 153 mil exemplares diários em São Paulo. “O sucesso do nosso projeto é a prova de que a mídia impressa não está acabando, mas se renovando. É um novo modelo de jornal em conteúdo e circulação que visa atender o momento da informação que vivemos, sem perder a essência do meio que é a credibilidade jornalística”, afirma Cláudio Bianchini, presidente do Metro Jornal no Brasil.

Além de São Paulo, o Metro Jornal tambem está presente em outras nove regiões: ABC, Santos, Campinas, Rio, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre e Brasília, além da Grande Vitória, a edição caçula do grupo, resultado da parceria firmada no ano passado entre o Grupo Bandeirantes e o Grupo Sá Cavalcante. No total, são 513 mil exemplares diários em circulação no país.

A gratuidade do Metro Jornal é garantida pelos seus anunciantes, responsáveis por 100% da receita. Desde o início, há quase

Metro São Paulo:edição

milhõesÉ a tiragem diária do

Metro Jornal no mundo. Com isso, são mais de 18 milhões de leitores

em 13 idiomas

25 minÉ o tempo estimado que uma pessoa gasta, em

média, para ler todas as páginas da edição diária do

Metro Jornal

98É o número de jornalistas que tem o Metro Jornal em todo o Brasil, além de 20 colunistas que se

revezam em suas páginas ao longo da semana

1,7

2011

2007milhãoÉ o número de leitores

do Metro Jornal levando em conta suas dez

edições diárias

Ano em que o Metro Jornal conquistou o Prêmio Caboré,

na categoria “Veículo de Comunicação – Mídia

Impressa”, concorrendo com a revista Piauí e o jornal

Valor Econômico

É o ano em que o Metro Jornal chegou ao Brasil. Na América Latina, a primeira

cidade a recebê-lo foi Santiago, no Chile, em 2000

milExemplares

do Metro Jornal são distribuídos diariamente

no Brasil

É o número de países que contam com a publicação. Com 74 edições diárias, o

Metro chega a 124 cidades

22

8,5513

Lançado em maio de 2007 na capital paulista, o maior jornal do mundo já faz parte do dia a dia do paulistano

oito anos, eles são parceiros fieis, que acreditam e investem no projeto. “Os anunciantes encontraram no Metro Jornal uma plataforma poderosa para construir marcas e atingir seus objetivos de negócio, já que os leitores são consumidores ativos, que valorizam as mensagens publicitárias tanto quanto o ótimo conteúdo editorial”, explica o diretor comercial Carlos Scappini.

Hoje, além da edição impressa, a edição São Paulo do Metro Jornal também pode ser consultada online no metrojornal.com.br e no aplicativo para smartphones disponível para os sistemas iOS e Android. Em ambos os casos (claro que de forma inteiramente gratuita!), o leitor pode visualizar as edições do dia e anteriores do jornal, bem como se informar em tempo real sobre os principais fatos do dia. Como não poderia deixar de ser, também estamos no Facebook e no Twitter.

“É interessante notar como o Metro Jornal é bem aceito pelo inquieto e apressado leitor da cidade. Um dos segredos do nosso sucesso é praticar um jornalismo que se apoia na criatividade, na objetividade e na precisão, sem deixar de lado a alta velocidade de leitura que o dia a dia exige. A cada edição, além de informar, temos como objetivo surpreender o nosso leitor. Sempre com bom-humor. É o ‘jeito Metro’ de fazer jornalismo”, diz Luiz Rivoiro, editor-chefe do jornal.

Igualmente gratuitas, as versões

digitais do Metro Jornal estão disponíveis no metrojornal.com.br e no aplicativo para

smartphones

O Metro Jornal também é digital!

Quero agradecer aos leitores que participam ativamente da construção desse conteúdo, dividindo conosco informações, fotos, denúncias e pautas em geral. O Metro Jornal não é um veículo de uma só via. Está aberto a opiniões, críticas e sugestões. Busca também o caminho digital para conectar seus leitores entre si, construindo no país uma grande comunidade, que já é gigante no planeta, com 18 milhões de leitores. Números como esses nos dão alegria, mas aumentam a nossa responsabilidade.”

JOÃO CARLOS SAAD, PRESIDENTE DO GRUPO BANDEIRANTES

DE COMUNICAÇÃO

Page 7: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br {BRASIL} |07|◊◊

CÂMARA: CORREGEDOR IN-VESTIGARÁ QUEM O NO-MEOU. Investigado pela Polícia Federal e na CPI da Petrobras, o deputado Eduardo Cunha (PMDB--RJ) terá trabalho para se livrar da encrenca do Pe-trolão. Mas não precisa se preocupar com a Correge-doria da Câmara. O titu-lar do cargo foi nomeado por Cunha, o presidente que vai investigar. Assim como foi nomeado, o de-putado-corregedor Carlos Manato (ES), do Solidarie-dade, pode ser demitido a qualquer momento.

COMPOSIÇÃO. Carlos Ma-nato chegou a correge-dor numa composição de Eduardo Cunha com Pau-linho da Força (SP), presi-dente do Solidariedade.

TUDO DOMINADO. Aliás, Eduardo Cunha não tem nada a temer nem mesmo na CPI. Seu depoimento de ontem se transformou em sessão de desagravo.

AQUI MANDO EU. Cunha au-mentou seu poder: agora ele poderá nomear (e demi-tir, claro) deputado no car-go de secretário de Comu-nicação Social da Câmara.

VOZ ISOLADA. O líder do PSOL, Chico Alencar, que é jornalista, acha que deputado chefiando a Secom da Câmara “pode desqualificar a comuni-cação”.

CÂMARA NÃO VAI TOLERAR NOVA ‘AMARELADA’ DE CID. Deputados federais con-sideram indesculpável a presença do ministro Cid Gomes (Educação) na pró-xima semana. Ele havia sido intimado a compare-cer no plenário da Câmara na quarta-feira (11) e apon-tar os “deputados achaca-

dores”, segundo ele “uns 300 ou 400”. Mas Cid Go-mes amarelou e pediu cle-mência ao chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que teria sugerido sua in-ternação no Sírio Libanês.

SEM CRÉDITO. A palavra do ministro não vale muito na Câmara: deputados foram ao Sírio Libanês checar a história da suposta “sinusi-te” de Cid Gomes.

AGORA VAI. O ministro recebeu alta hospitalar, mas prosseguirá com tra-tamento de antibióticos em casa, por recomen-dação médica, informam os amigos.

COM ANA PAULA LEITÃO, TERESA BARROS E TIAGO VASCONCELOSWWW.DIARIODOPODER.COM.BR

PODER SEM PUDORLugar garantido

Era a nomeação mais ób-via da História. Após coor-denar a campanha de Jânio Quadros para presidente, todos davam como certa a nomeação do coronel Vir-gílio Távora para o ministé-rio. Mas os dias foram pas-sando e convite, que era

bom, nada. Távora foi dire-to ao assunto:- E então, presidente, qual é o meu lugar no governo?Jânio o abraçou, como au-têntico tamanduá, e liqui-dou sua esperança:- Meu velho amigo, o teu lugar é no meu coração...

“ADVOGADO NÃO DEFENDE O CRIME,

ELE ATENDE PESSOAS ACUSADAS”

MARCELO KNOPFELMACHER, PRESIDENTE DO MOVIMENTO DE DEFESA DA ADVOCACIA (MDA)

Política

Cid Gomes | DIVULGAÇÃO

CLÁUDIO [email protected]

Anac quer regulamentar uso de drones no BrasilO uso dos drones civis po-derá ser finalmente regula-rizado no Brasil. Nos próxi-mos meses, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) irá realizar uma audiência pública e apresentar uma proposta para normatizar o uso dos equipamentos.

Atualmente, a lei exige autorização para cada voo e ainda proíbe o uso para fins lucrativos ou sobrevoo sem área urbana. Segun-do a Anac, existem apenas sete drones autorizados a voar no país. Cinco são de órgãos públicos e dois de

uma empresa privada. O ob-jetivo da agência é flexibili-zar a lei para drones de até 25 quilos.

Deve ser permitido o uso em locais fechados ou aber-tos com acesso controlado, como casamentos, mas to-dos os convidados teriam

de assinar um termo de consentimento. Com a no-va norma, a Anac pretende expandir a venda legal dos equipamentos, uma vez que os drones contrabandeados não possuem dispositivos de segurança e põem em ris-co a população. METRO

Page 8: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |08| {ECONOMIA}

Bruno Caetano, diretor superintendente do Sebrae-SP.

CUIDADO COM O CANTO DA SEREIAQuem planeja empreender está sempre à procura de oportunidades. É a regra básica. Mas o empresário, que volta e meia topa com negócios tentadores, precisa es-tar alerta para não se deixar seduzir pelo canto da sereia que costuma pregar peças nos mais desavisados.

Há produtos e serviços que viram verdadeiras fe-bres, e nessa hora sobram candidatos a explorá-los. Porém, com frequência, passada a grande procura ini-cial por parte do público, a novidade perde força. É aí que mora o perigo. O empresário vai no embalo, co-loca suas fichas em um negócio de fôlego curto e vê o empreendimento minguar antes de dar retorno sufi-ciente para cobrir o aporte financeiro feito.

A dificuldade está em identificar o que é modismo – de vida curta – e o que é tendência – incorporada pe-la sociedade e pela economia.

Tomemos como exemplo as paletas mexicanas, cuja longevidade comercial tem sido questionada. Está na moda, mas pode ser que que o público não absorva a grande oferta apresentada, numa espécie de reedição do frozen iogurte, que surgiu com tudo e depois per-deu popularidade. O mesmo podemos dizer da onda de “gourmetização” de alimentos. Muitos empreendimen-tos do segmento devem ficar pelo caminho.

Já os food trucks, mesmo em São Paulo onde estão em fase de expansão, suscitam dúvidas quanto ao ta-manho do mercado a ocupar. Talvez nem seja corre-to classificar como moda, mas certamente passarão por um processo de redimensionamento em algum momento.

Claro que faz parte do espírito empreendedor ou-sar. Entretanto, não canso de dizer, também faz parte planejar para correr apenas riscos calculados. Por isso, só uma análise detalhada do negócio, com todas suas variáveis, é capaz de evitar que os esforços sejam um tiro n’água. Ao reunir o máximo de informação possí-vel sobre a área em que pretende atuar, o empresário pode projetar como será o futuro do empreendimen-to e sua viabilidade. O problema é que 55% dos que abrem uma micro ou pequena empresa não elaboram um plano de negócio, conforme revela pesquisa do Se-brae-SP. Resultado é o fechamento antes de completar cinco anos de atividade.

Não é errado apostar em modismos, mas o segredo está em traçar uma estratégia para explorar essa pos-sibilidade com segurança. Investimento mal avaliado é prejuízo na certa.

Empreendedorismo

[email protected]

Quem abastecer o tanque do carro, da moto ou de qualquer veículo movido a gasolina hoje - e daqui para a frente - vai receber 20 mi-lilitros de álcool a mais em cada litro. Isso porque o go-verno federal decidiu elevar de 25% para 27% a quantida-de de etanol anidro mistura-do à gasolina.

Ou seja, em cada litro de gasolina abastecido no pos-to, o consumidor vai levar, na verdade, 730 mililitros do de-rivado de petróleo. Os outros 270 mililitros (quase a mesma medida de uma garrafa de re-frigerante) serão de etanol.

Qual o objetivo dessa mudança? “A medida es-tá de acordo com a políti-ca energética do Brasil, que prevê o estímulo à partici-pação de fontes renováveis de energia (biocombustí-veis) e ainda contribui para melhorar a competitivida-de do setor do etanol”, diz o ministro das Minas e Ener-gia, Eduardo Braga.

O setor sucroalcooleiro do país a que se refere o mi-nistro informou estar prepa-rado para a produção extra. De acordo com a presiden-te da União da Indústria de Cana-de-Açúcar, Elizabeth Farina, a produção atual de etanol hidratado é de 12 bi-lhões de litros por ano.

Com a mudança, aumen-tará para 13 bilhões anuais. “Como as usinas já estavam esperando isso, elas fizeram um estoque suficiente para atender a todas as contra-tações que já tinham feito

e ainda mais esse aumento. Então, é algo absolutamen-te factível”, disse Elizabeth.

E o motor?O aumento do percentual de 25% para 27% de etanol ani-dro na gasolina pode causar problemas em veículos a ga-solina produzidos antes da década de 1990. Segundo o presidente da Associação Bra-sileira de Engenharia Auto-motiva, Edson Orikassa, esses carros podem apresentar al-terações em itens feitos com borracha, como mangueiras de combustível, além de plás-ticos e metais, que tendem a

oxidar com o etanol.“Nos últimos anos, houve

uma melhora grande desses materiais, mas pode ser que os veículos antigos ainda es-tejam sem tecnologia para se proteger desse ataque”, disse Orikassa.

Nesses casos, a recomen-dação é que, até a conclu-são de todos os testes, se-ja usada a gasolina do tipo premium, que não terá au-mento do percentual de ál-cool, mas é mais cara.

Carros flexJá nos carros com motor flex, que representaram

cerca de 88% dos veículos novos licenciados no ano passado, a mudança não te-rá nenhum impacto.

“O carro flex está total-mente adaptado para es-se tipo de aumento”, afir-mou Orikassa. Segundo ele, pode haver um pe-queno aumento no consu-mo de combustível, mas será pouco sentido pelos motoristas.

De acordo com especia-listas, às vezes até a ele-vação de temperatura ou da umidade em um dia co-mum pode provocar o au-mento de consumo. METRO

Nova mistura. Proporção era de 25%. Veículos a gasolina produzidos na década de 1990 ou antes podem apresentar problemas em alguns componentes do motor, dizem especialistas

Frota nacional passa a rodar com menos derivado de petróleo na mistura do combustível | LEVI BIANCO/FUTURA PRESS

Gasolina terá 27% de álcool a partir de hoje

Os criminosos que atuam na internet para efetuar compras em sites de e-com-merce com cartões de cré-dito de terceiros agem com mais frequência durante a madrugada. Esta é uma das conclusões de um estu-do feito pela Serasa Expe-rian, entre os meses de no-vembro de 2014 e janeiro de 2015, que mostra que a maioria das fraudes deste ti-po ocorre entre 1 hora e 5 horas da manhã.

Nesse horário, o dia da semana preferido dos frau-dadores é a quinta-fei-ra, quando são registrados mais golpes durante a ma-

drugada. Uma medida sim-ples que pode diminuir as perdas com golpes on-line é instituir o boleto como for-ma única de pagamento du-rante a madrugada.

Segundo estimativa da Serasa Experian, a maio-ria das lojas virtuais que fe-cham no Brasil tem como motivo o excesso de prejuí-zos gerados por fraudes. Os golpes on-line acontecem com frequência porque, pa-ra efetivar uma venda não presencial com cartão de crédito, o lojista precisa apenas de número, data de validade e código de segu-rança do cartão. METRO

E-commerce. Fraudes são mais comuns de madrugada

Ovos de Páscoa e os impostos Quem for comprar ovos de chocolate para comer ou presentear nesta Páscoa deve saber que 38,53% do preço pago no caixa vai para o governo em impostos. Sem eles, pelo valor de três daria para comprar quase cinco | REPRODUÇÃO/WIKIMEDIA

Construtoras de imóveis realizaram neste fim de se-mana uma rodada de des-contos que chegaram a 40% em diversas cidades e Es-tados brasileiros. O objeti-vo da iniciativa foi “escoar” parte do grande número de imóveis novos que ain-da não foram vendidos nem no lançamento do empreen-dimento nem após a entre-ga da obra.

O aumento dos estoques de imóveis no país foi pro-vocado pela desacelera-

ção das vendas no merca-do imobiliário. Segundo dados do Secovi (Sindicato da Habitação), somente na cidade de São Paulo o nú-mero de unidades vazias desde o lançamento atin-giu 27.255 em dezembro de 2014. É o maior nível desde 2004, quando a pesquisa foi iniciada.

Os plantões de descontos foram realizados em shop-ping centers e até em esta-cionamentos de supermer-cados. METRO

Imóveis novos. Construtoras fazem ‘feirões’ pelo Brasil

Page 9: 20150316_br_metro sao paulo
Page 10: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |10| {MUNDO}

O Parlamento da Venezuela garantiu ontem ao presiden-te Nicolás Maduro poder de governar por decreto até o fim de 2015, num gesto que o mandatário diz que servirá para defender o país da inter-venção dos Estados Unidos, mas que a oposição condena como prova de autocracia.

Em barulhenta sessão na Assembleia Nacional, os parlamentares do Partido Socialista, que está no po-der e tem maioria, aplaudi-ram a lei como resposta le-gítima a uma sanção dos Estados Unidos a sete auto-ridades venezuelanas e uma subsequente declaração de que a Venezuela seria uma “ameaça à segurança”.

“Eles (Estados Uni-dos) querem colocar suas mãos na riqueza da Vene-zuela, assim como fizeram com outros países”, dis-se a parlamentar Tani Diaz, apresentando a lei como uma legislação de caráter “anti-imperialista”.

Do lado de fora da assem-bleia, apoiadores do pre-sidente Maduro, vestindo vermelho, gritavam e segura-vam cartazes com os dizeres: “Yankees, vão para a casa!”

Em seus discursos, depu-tados da oposição, agitados, afirmaram que Maduro es-taria cinicamente tirando proveito do impasse diplo-mático com Washington pa-ra acumular poderes, justi-ficar a repressão e distrair os venezuelanos dos proble-

mas econômicos vigentes, como escassez grave de pro-dutos básicos.

“Corruptos: suas viagens à Disneylândia estão acaba-das”, escreveu no Twitter o líder da oposição Henrique Capriles, em referência ao cancelamento dos vistos de sete autoridades venezue-lanas que Washington acu-sa de corrupção e violação a direitos humanos.

“O povo venezuelano não é estúpido. Isso [medida do governo dos EUA] é con-tra vocês, não contra a Ve-nezuela”, acrescentou.

A medida norte-america-na desencadeou denúncias

diárias de Maduro, uma sé-rie de passeatas “anti-impe-rialistas”, treinamentos ca-da vez mais frequentes do Exército e uma prolifera-ção de grafites nas cidades condenando a interferên-cia “gringa”.

Além disso, ofuscou o in-cômodo de muitos vene-zuelanos, que sofrem com a maior inflação das Améri-cas, longas filas por comida e medicamentos e escassez de muitos produtos básicos.

É a segunda vez que Ma-duro recebe poderes qua-se ilimitados pela Lei Ha-bilitante durante seus dois anos de governo. METRO

Venezuela. Com a Lei Habilitante aprovada em segunda votação, presidente poderá governar por decretos até o final deste ano

Assembleia dá amplos poderes a Nicolás Maduro

Os Estados Unidos terão que negociar com o presi-dente sírio Bashar al-Assad para uma transição política na Síria e estão explorando caminhos para pressioná--lo a concordar com o diálo-go, disse o secretário de Es-tado norte-americano, John Kerry, em entrevista à TV.

Washington tem há mui-to insistido que Assad de-ve ser substituído via uma transição política negocia-da, mas o fortalecimento de um inimigo comum, o gru-po militante Estado Islâmi-co, parece ter suavizado a posição do Ocidente em re-lação a Assad.

Em entrevista transmiti-da ontem, Kerry não repe-tiu o discurso padrão dos EUA de que Assad perdeu le-gitimidade e deve deixar o poder. A guerra civil na Sí-ria está agora no seu quin-to ano, com centenas de mi-lhares de mortos e milhões de sírios que tiveram de dei-xar as suas casas.

“Temos que negociar”, afirmou Kerry. “Sempre estivemos dispostos a ne-

gociar no contexto do processo de Genebra 1”, afirmou, se referindo à conferência de 2012 que fez um chamado por uma transição negociada para terminar com o conflito.

Kerry declarou que os EUA e outros países, que ele não mencionou por nome, estavam explorando cami-

nhos para retomar o proces-so diplomático para termi-nar com o conflito na Síria.

“Estamos trabalhando para fazer com que ele (As-sad) venha e negocie, o que pode exigir mais pressão sobre ele, de vários tipos, para alcançar isso”, disse o secretário de Estado. “Esta-mos deixando claro que es-tamos examinando passos que podem ajudar a resul-tar nessa pressão.”

Os EUA lideraram os es-forços para as negociações de paz, apoiada pelas Na-ções Unidas em Genebra, no ano passado, entre a oposição síria referendada pelo Ocidente e represen-tantes do governo. O diálo-go fracassou depois de duas rodadas de conversas, e ou-tras negociações não foram agendadas.

“Para fazer o regime de Assad negociar, nós tere-mos que deixar claro que há uma determinação de todos para buscar essa solução po-lítica e mudar os seus cálcu-los sobre negociações”, dis-se Kerry. METRO

Estados Unidos sugerem saída negociada para ditador sírio

Kerry: objetivo é mudar ‘cálculos’de Assad | YURI GRIPAS/REUTERS

Bombas matam 14 e ferem 78 em bairro cristão no PaquistãoBombas do lado de fora de duas igrejas na cidade pa-quistanesa de Lahore mata-ram ontem 14 pessoas e fe-riram outras 78.

Um grupo paquistanês que deixara o Taliban assu-miu a responsabilidade. Mi-litantes islâmicos no Paquis-tão têm atacado cristãos e outras minorias religiosas por uma década ou mais.

Muitos cristãos, grupo que representa menos de

2% da população de mais de 180 milhões do Paquis-tão, acusam o governo de fazer pouco para protegê--los, dizendo que políticos são rápidos para oferecer os pêsames após um ataque, mas lentos para melhorar a segurança.

As explosões deste do-mingo ocorreram com in-tervalo de minutos entre uma e outra num subúrbio de maioria cristã no leste da

cidade. A polícia disse que parecia que os ataques eram contra duas igrejas, uma ca-tólica e outra protestante.

O papa Francisco disse a uma multidão na Praça São Pedro que ele sentia “gran-de dor”. “Essas são igrejas cristãs. Os cristãos são per-seguidos, sangue dos nossos irmãos é derramado sim-plesmente porque eles são cristãos”, disse o papa Fran-cisco. METRO

Venezuelanos apoiam Lei Habilitante como resposta aos EUA | C.A. RAWLINS/REUTERS

Page 11: 20150316_br_metro sao paulo
Page 12: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |12| {CULTURA}

2CULTURA

Pearl Jam

De volta ao Brasil

A banda liderada por Eddie Vedder (foto)

incluiu o país na sua turnê latino-americana, que

acontece em novembro. As apresentações serão

em Porto Alegre, Brasília, Rio, Belo Horizonte e

São Paulo, onde o show acontece no dia 14/11 no estádio do Morumbi. Os valores dos ingressos e a data de início das vendas

não foram divulgados.

Como eu participo?

São apenas dois passos:

1Acesse o site do concurso pelo

metrojornal.com.br

2Envie o passo a passo da sua melhor receita

com uma foto do prato

Prazos15/4 Último dia para as inscrições

19/4Data de escolha do vencedor brasileiro

20 a 24/4Definição dos finalistas globais por voto popular

28/4Anúncio dos finalistas globais

Fique atento!

Apenas pratos principais podem ser inscritos; sobremesas, entradas e couverts serão eliminados

O Metro Internacional apre-senta o Metro Super Chef, um desafio culinário onde par-ticipantes de todo o mundo poderão inscrever suas me-lhores receitas e também des-cobrir pratos exóticos de ou-tros países. Juntos, os leitores vão criar na internet um livro de culinária singular que será de grande ajuda no futuro. As receitas que mais se destaca-rem serão premiadas.

O prêmio da etapa brasi-leira do Metro Super Chef se-rá um incrível tour gastronô-mico para Lima, no Peru. Para participar, você deve inscre-ver até o dia 15 de abril ao menos uma receita com fo-to que esteja enquadrada na categoria “pratos principais”. Mas você pode concorrer com quantas quiser. Um júri espe-cializado escolherá a melhor receita brasileira.

Mas tem mais: o vence-dor do Brasil ainda concorre

com o mundo todo por meio de voto popular a uma vaga na grande final do concurso. Dois sortudos terão a chan-ce de demonstrar seus talen-tos gastronômicos na capi-tal peruana ao júri composto por Gastón Acurio, conside-rado um dos mais importan-tes chefs do mundo. Outros dois cozinheiros de mão cheia também integram o júri. O trio vai provar e ranquear os pratos dos dois finalistas, de-cidindo quem merece levar o título de Metro Super Chef.

METRO INTERNACIONAL

Concurso. Abrem hoje as inscrições do Metro Super Chef, que vai premiar as receitas mais saborosas inscritas por leitores. O vencedor ganha um tour gastronômico em Lima, no Peru

Mão na massa“Desenvolver esse concurso é um grande privilégio, pois permite uma interação com nossos leitores em outro nível.” FRANCISCO CONTRERAS, DIRETOR DE MARKE-TING GLOBAL DO METRO INTERNACIONAL

Vencedor brasileiro fará tour culinário no Peru

Quem vencer a etapa brasileira do Metro Super Chef vai ganhar passagens, transporte local, hospedagem e um gi-ro singular pela gastronomia de Lima, capital do Peru. Ele também concorre com os demais vencedores de cada país por uma das duas vagas da grande final, na qual o chef Gastón Acurio e outros dois cozinheiros escolherão em Lima quem será o primeiro Metro Super Chef. METRO

Prêmio gourmet

Paula Toller exala vigor em novo disco

Cantora aposta em músicas para dançar | FLAVIO COLKER/ DIVULGAÇÃO

“Queria fazer um disco que fosse a minha cara, que mos-trasse como a música me re-juvenesce, me define, queria usar mais rock e colocar o pú-blico dos shows para dançar”, resume Paula Toller sobre seu novo disco, “Transbordada”.

Quarto trabalho solo da ex-vocalista do Kid Abelha, o álbum reúne dez faixas com-postas por ela em parceria com o produtor Liminha. “Eu o conheci nos ensaios para a gravação do LP ‘Seu Espião’ [o primeiro do Kid Abelha, lan-

çado em 1984]. Foram vários discos com inúmeros hits, hoje clássicos. Apesar disso, e tendo sido até vizinhos de porta, nunca havíamos feito uma música juntos!”, diz ela.

A loura conduz com maes-tria o disco, que vem embala-do por uma sonoridade pop bem dançante e com elemen-tos autobiográficos. É o caso da faixa que dá título ao disco, “Transbordada”. Outros desta-ques vão para a balada dan-çante “Tímidos Românticos”, que abre o CD; a empolgan-

te “Ele Oh Ele” e “Seu Nome é Blá”, que traz o refrão chiclete homônimo ao título.

“Há tempos tive um sonho com as frases ‘Tudo sabe ser, tudo tem a ver, tudo ganha hora’. Daí nasceu essa canção. Com sinceridade e alegria, es-tou contando minha história. ‘Transbordada’ é uma músi-ca vigorosa que simboliza o disco, porque você pode ou-vir sozinho, ‘viajando’ nos de-talhes, ou numa festa, levado pelo ritmo”, define a bela de 52 anos. METRO RIO

‘TRANSBORDADA’PAULA TOLLER

SOM LIVRE, R$ 25

FOTOS: METRO INTERNACIONAL

Page 13: 20150316_br_metro sao paulo
Page 14: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |14| {PUBLIMETRO}

Urano em seu signo intensifica aspecto tenso com Plutão, influência que recomenda

ponderação antes de decisões que envolvam projetos.

O exercício de adaptação aos costumes de lugares e de pessoas será mais intenso. Algo

que ajudará a lidar melhor com certas convivências.

O momento é de moderação com questões financeiras e assuntos materiais ainda

que o período seja de gastos. Valorize pesquisas.  

A área profissional despertará desejo para maior autonomia. Em relacionamentos,

projetos a longo prazo despertarão conversas. 

O trabalho é propenso a mudanças e alguns desgastes em função de novos objetivos. 

Nas relações, paciência diferenças de valores.

A relação com familiares terá momentos de ajustes e de decisões. O esclarecimento

de antigos sentimentos deve marcar a vida afetiva.

Mudanças e novas prioridades tendem a marcar os assuntos materiais. Procure evitar

posturas consumistas e reorganize suas despesas.

Aspectos tensos de Urano - planeta que rege seu signo - recomendam cautela para

não ser inconsequente em projetos.

Tendências para mudar de atitude em grupos que tenha mais vínculo.

Na vida amorosa, conversas serão essenciais.

Momento para mais intensidade afetiva, mas com atenção para se desprender de antigos

ressentimentos e receios em paquera ou relação.

Seja paciente com padrões que tem vontade de mudar e radicalizar. Na vida afetiva,

terá chances para esclarecer assuntos pendentes. 

Um grande desejo para inovações estará acentuado, mas procure respeitar

padrões de lugares e pessoas ao redor.

Horóscopo Está escrito nas estrelas www.estrelaguia.com.br

Os invasores

Cruzadas

Sudoku

Soluções

Leitor fala

Rodízio de águaAgora que o diretor da Sabesp infor-mou à imprensa que o rodízio está descartado nesse primeiro semestre, como publicado na matéria “Dire-tor da Sabesp descarta rodízio no pri-meiro semestre” do Metro Jornal de sexta-feira, falta enviar um comuni-cado para a própria Sabesp cancelan-do o rodízio, pois há mais de seis me-ses falta água toda semana no meu bairro.ROBERTO SANTANA - SÃO PAULO, SP

Manifestação na PaulistaApoio totalmente a realização de ma-nifestações, afinal elas são a represen-tação de uma democracia. Porém, pelo que vejo de comentários nas ruas e nas redes sociais, as pessoas não entendem o real significado do que protestaram ontem. Como divulgado em “Paulista será palco de protestos hoje e domin-go” pelo Metro Jornal na sexta-feira, os protestos de domingo são contra a corrupção e pelo impeachment de Dil-ma Rousseff. Salvo alguns manifestan-tes, a maioria só quer tirar a Dilma do governo, mas não sabe as implicações que vêm com um impeachment. E du-vido que saberiam pelo que pedir, ca-so o protesto fosse atendido e ela real-mente saísse. FERNANDO MAGALHÃES - SÃO PAULO, SP

Para falar com a redação: [email protected] também no Facebook: www.facebook.com/metrojornal

Quer mais?

Clique metrojornal.com.br para acessar conteúdo exclusivo, atualização de nossas reportagens, todos os nossos colunistas e galerias com as melhores imagens do dia.

PANELAÇO! DILMA FAZ POLVO ASSADO!Bom dia, ladies and gentlemen! Colunáticos no ar! PENSAMENTO DO DIA! Malandro é o camelo que nasceu com as duas bolas nas costas pra não levar chute no saco! E AS MANIFESTAÇÕES? Fui pra Paulista com o cartaz: “Pela volta do FHC e do Charm Box. Eu era feliz e não sabia.” E choveram cartazes: “Fora Dilma”, “Vaza Dilma”, “Filha Dilma p...política!” O povo tá revoltado e com razão! Como disse o meu vizinho: “Tô com vontade de bater na Dilma com um gato morto até o gato miar!” Hahaha! ALIÁS, SABE QUAIS SÃO AS TRÊS PIORES COISAS DA VIDA? Cerveja quente, dor de dente e Dilma Presidente! E as três melhores? Cerveja gelada, mulher pelada e Dilma impichada! O problema do Brasil é que o povo quer o impeachment, mas não sabe escrever “impeachment”. E ATENÇÃO! MAIS RECEITAS BOMBÁSTICAS DO MASTER JEGUE COM O CHEF TIRIRICA! RECEITA DE VATAPÁ. Ingredientes: uma pá. Modo de preparo: ache um buraco e VATAPÁ! RECEITA DE PÉ DE MOLEQUE. Ingredientes: um moleque e uma serra. RECEITA DE BOLO. Você vai precisar de uma data, um local e uma pessoa. Misture tudo e não apareça. Por falar em Master Jegue, no próximo domingo a Dilma vai fazer um prato especial: POLVO ASSADO COM LULA.MAS O MELHOR DO MASTER JEGUE É O NOME DO CHEF FRANCÊS: OLIVIER VIADÊ! Esse nome é sensacional: Olivier Viadê.  Aliás, todo mundo deveria ter um nome de acordo com a sua profissão.Balconista de lanchonete: Olavo Pires. Professor de Hipis-mo: H. Lopes. Professor de música: Hélvio Lino. Médico es-pecialista em hemorróidas: K. Godói.  Mãe de santo: Sara Vaz.  Fabricante de bichinhos: P. Lúcia.  Taxista: Passos Dias Aguiar. PRA TERMINAR! UMA PIADA DE DILMA! Sabe qual é a diferença entre a República Tcheca e o Brasil? É que a República Tcheca tem o governo em Praga e o Brasil tem essa praga no governo! hahaha! POR HOJE É SÓ! Ciro Botelho e Bernardo Penteado! Os Colunáticos! Pela volta do FHC e do Charm Box! A gente era feliz e não sabia!  Twitter: @ciraobotelho/@bernardpenteado

CIRO & BERNARDO

Ciro Botelho e Bernardo Penteado são redatores de humor no programa ‘Pânico na Band’, autores de sátiras como ‘Video Soul’, ‘Jornal dos Dois Echás’, ‘Jô Suado’, entre outros. Juntos há dez anos na TV, lançaram os livros ‘Piadas Fantárdigas de Tiririca’ e As Melhores Piadas de Bêbado’ (ed. Matrix). Também escrevem o blog ‘Colunáticos’ no site do ‘Pânico na Band’ (paniconaband.band.uol.com.br)

Page 15: 20150316_br_metro sao paulo
Page 16: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO, SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015www.metrojornal.com.br |16| {ESPORTE}

Paulo Miranda fez o primeiro do São Paulo | LEVI BIANCO/FOLHAPRESS

PONTE PRETA SÃO PAULO

1 2

PALMEIRAS XV PIRACICABA

1 0

O atual campeão mundial Le-wis Hamilton, da Mercedes, começou a temporada como terminou a última: no lugar mais alto do pódio no Gran-de Prêmio da Austrália. Em mais uma dobradinha da es-cuderia alemã, Hamilton dei-xou para trás o companheiro de equipe Nico Roberg (2º) e o tetracampeão Sebastian Vet-tel, que completou o pódio na sua primeira corrida no cock-pit da Ferrari. Felipe Massa, a bordo da sua Williams, cru-zou a linha de chegada em 40.

Mas quem roubou a cena foi Felipe Nasr, da Sauber, que se tornou o melhor estreante brasileiro da história da Fór-mula 1, com o 5o lugar. O bra-siliense de 22 anos fez uma boa largada e manteve um rit-mo forte por toda a prova pa-ra superar a Red Bull de Da-niel Ricciardo, em uma briga particular que durou quase toda a prova.

Antes do feito de Nasr, os melhores resultados de bra-sileiros em estreia foram de Wilsinho Fittipaldi (Brabham)

e Chico Serra (Copersucar). Wilsinho conseguiu um 7º lugar no GP da Espanha de 1972, e Serra repetiu a dose no GP dos EUA de 1981 com a Copersucar.

Nem os três grandes cam-peões brasileiros da catego-ria – Ayrton Senna, Nelson Piquet e Emerson Fittipaldi – conseguiram a façanha. Pela Toleman, Senna teve sua pri-meira prova frustrada no GP do Brasil de 1984 por um pro-blema mecânico; Piquet de-butou pela modesta Ensign e viu o motor do carro deixa--lo na mão no GP da Alema-nha de 1978; e Fittipaldi com-pletou o GP da Inglaterra de 1970 na 8ª posição.

Grid esvaziadoDos 20 carros do grid origi-nal, apenas 15 largaram. A lis-ta de ausentes começou com os carros da Marussia/Manor, que nem andaram no final de semana. E Valtteri Bottas, da Williams, que sentiu dores nas costas na classificação, fi-cou de fora da prova. METRO

Austrália. Piloto da Sauber fica em 5o e tem melhor início de um brasileiro na Fórmula 1. Hamilton leva Mercedes ao topo do pódio

Nasr rouba a cena na estreia3

ESPORTE

Tite aprova dupla Love-Guerrero Apesar do empate por 0 a 0 com o Red Bull, Tite aprovou a dupla de ataque formada por Vagner Lo-ve e Guerrero. “O Vagner tem função mais adianta-da. Ele te dá opções, nós criamos oportunidades reais. O entrosamento es-tá maior e vai abrir essa chance”, disse. METRO

Marcelo freia euforia no PeixeApós a goleada sobre o Marília por 4 a 1, no sá-bado, o técnico do San-tos, Marcelo Fernandes, que o clube tem os pés no chão: “Não tem nin-guém empolgado. Aca-bam os jogos e eu já avi-so: tem de continuar igual. Todos os jogos são difíceis.” METRO

Pés no chão Corinthians

Não foi o futebol dos sonhos, mas o São Paulo conseguiu ganhar da Ponte Preta, de vi-rada, por 2 a 1 no Moisés Lu-carelli, em jogo válido pela 10a rodada do Paulistão.

Apesar de entrar com um time recheado de reservas, o São Paulo absorveu o fute-bol travado do time titular nos últimos jogos, que ain-da foi afetado pela falta de entrosamento.

Tanto que, na etapa ini-cial, foi a Macaca que teve as melhores chances. Além de uma bola no travessão, os campineiros mandaram uma bola para o fundo do gol, lo-go aos 9 minutos, com Ro-ni aproveitando cruzamento para cabecear.

Na volta do intervalo, o ce-nário não mudou. E a Ponte criava as melhores oportuni-dades e perdia um gol atrás do outro. Não fez e foi casti-gada. Aos 20, o zagueiro Pau-lo Miranda cravou o empate no placar finalizando, de pri-meira, cruzamento de Thia-go Mendes. A partir daí, o São Paulo melhorou. E foi recom-pensado aos 38: Ewandro fez boa jogada e passou para Alan Kardec, de peito, garantir a vi-rada. METRO

De virada. Tricolor vence a Ponte em Campinas

Em jogo adiantado para às 11h por conta dos manifes-tos em São Paulo, o Palmei-ras não fez uma boa exibi-ção, mas conseguiu reagir após a derrota para o San-tos com uma vitória por 1 a 0 sobre o XV de Piracicaba, em casa, pela 10a rodada do Campeonato Paulista.

O gol foi marcado pelo volante Gabriel, aos 39 mi-nutos do 2o tempo, em belo chute de fora da área.

Dudu reclamaApós algumas vaias de tor-

cedores para ele e para o meia Allione, que não ti-veram grandes atuações, o meia Dudu disparou: “Se for para vir ao estádio é para apoiar, não para ficar chian-do. O torcedor tem de ter paciência, sabendo que es-tamos todos ali defendendo o Palmeiras.” METRO

Gabriel marcou seu primeiro gol pelo Verdão | GUSTAVO EPIFANIO/FOTOARENA

Logo cedo. Verdão bate XV e reage no Paulistão

Felipe Nasr teve estreia histórica com a Sauber | CLIVE MASON/GETTY IMAGES

Depois de entrar na Justiça con-tra a escuderia por ter um con-trato que lhe daria direito de correr neste ano, o holandês Giedo van der Garde chegou a um acordo com a Sauber e a ação de confisco foi retirada. Eles teriam firmado um acor-do financeiro estimado em R$ 9 milhões só para este fim de semana.

Sauber x Van der Garde

“Não imaginava de jeito algum que

seria assim. Não poderia ter pedido algo melhor. Foi tudo perfeito do início ao fim. Foi um sonho que se tornou realidade. E quero mais”

FELIPE NASR, PILOTO DA SAUBER

MMA

Rafael dos Anjos

O brasileiro Rafael dos Anjos confirmou a sua evolução no octógono,

derrotou o norte-americano Anthony Pettis

no UFC 185 por decisão unânime (triplo 50-45) e conquistou o cinturão do peso-leve. Com a vitória,

o lutador se tornou o primeiro brasileiro a

conquistar o cinturão da categoria no Ultimate.

Page 17: 20150316_br_metro sao paulo

SÃO PAULO - SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MARÇO DE 2015

Page 18: 20150316_br_metro sao paulo
Page 19: 20150316_br_metro sao paulo
Page 20: 20150316_br_metro sao paulo