20070411 01c 10 fo

Download 20070411 01c 10 fo

Post on 08-Jul-2015

132 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li><p>FORTALEZA-CE, quARTA-FEiRA, 11 de abril de 2007</p><p>FORTALEZA10</p><p>Corregedoria vai investigar denncias de abuso de poderCONTRA CAPITO ] Uma comisso dever ir, na prxima semana, aos municpios de Mombaa e Iguatu </p><p>investigar denncias de abuso de poder contra o capital PM Daniel Gomes Bezerra e outros policiais na regio</p><p>Roclia Santosda Redao </p><p>A Corregedoria da Se-cretaria de Segurana Pblica e Defesa Social (SSPDS) vai investigar denncias de abuso de poder con-tra o capito PM Daniel Gomes Bezerra, durante o perodo em que ele trabalhou nos municpios de Mombaa e Iguatu. O rgo que saber tambm quem ajudou o mi-litar a fugir aps o assassinato dos estudantes de medicina Leonardo e Marcelo Moreno Teixeira, ocor-rido no dia 17 de maro deste ano. Conforme relatos dos familiares das vtimas que, acompanhados do assessor da Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SEDH) da Presidncia da Repblica, Regino Pinho, se reuniram, ontem, com os corregedores da Secretaria, aps matar os jovens, o capito teve o apoio de uma viatura da Polcia Militar para sair do local do crime. </p><p>O corregedor do Gabinete Disciplinar do Interior, tenente-coronel Hlcio Queiroz, afirmou que uma comisso, na prxima se-mana, dever se deslocar regio para apurar as denncias. Ele afir-mou tambm que a Corregedoria nunca foi informada de qualquer ato ilcito cometido pelo capito, no perodo em que ele foi coman-dante em Mombaa. Agora, va-mos investigar e identificar quem estaria acobertando e at mesmo participando dessas atitudes ilci-</p><p>tas que no foram apuradas nem notificadas pelos rgos compe-tentes, declarou Queiroz. </p><p>O assessor da SEDH, Regino Pinho, relatou que testemunhas do duplo homicdio esto sofren-do ameaas e intimidaes por parte de policiais e aliados do ca-pito. A famlia das vtimas nos trouxe informaes que no eram do conhecimento dos delegados da corregedoria que apuram o caso, como casos de ameaas e agresses contra as pessoas que presenciaram o crime. Isso mostra que o abuso de autoridade policial continua depois do crime, obser-vou Pinho, acrescentando que a SEDH est tentando incluir essas pessoas no Programa Estadual de Proteo Testemunha (Provita).</p><p> Nelson Benevides, pai dos </p><p>estudantes mortos, afirmou estar otimista quanto ao andamento do processo contra o capito. Ficou claro o corporativismo nesse caso. Como possvel um capito co-meter um crime e fugir na viatura da polcia? Um dia aps o crime, o comandante do Policiamento da Capital (Cel. Srgio Magalhes) deu uma declarao de que o ca-pito era um homem ntegro, de passado limpo, que a arma utili-zada no crime era dos meus filhos que ele usou para se defender. O que d medo por que ele decla-rou isso. Mas estou esperanoso de que tudo ser apurado. </p><p>O coronel Hlcio Queiroz in-</p><p>formou que o Conselho de Justi-ficao da PM est analisando o caso de Daniel Gomes e dever, no prazo de 60 dias, julgar se o capito tem capacidade de perma-necer na corporao. Ele explica que um relatrio ser elaborado e encaminhado Corregedoria, que far a reviso processual e encami-nhar ao Tribunal de Justia (TJ). Caso o TJ confirme a expulso, o relatrio ser enviado ao governa-dor que far a demisso. Durante esse processo, Daniel continuar preso no quartel do Batalho de Choque da Polcia Militar. </p><p>Para o advogado do capito Daniel Gomes Bezerra, Delano Cruz, compreensvel a angstia da famlia do mdico Nelson Be-nevides, mas de acordo com ele, nenhuma das denncias apresen-tadas tiveram como base qualquer documento que as comprovasse. No existem documentos em re-lao a essas questes, nunca foi instaurado nenhum procedimen-to ou processo contra ele, disse, referindo-se a seu cliente. </p><p>Alm disso, Cruz destacou que o capito tem uma ficha funcio-nal impecvel, tendo em 2004 recebido o ttulo de Policial Pa-dro de toda a Polcia Militar do Estado, e em 2005, o de Policial Padro da regio de Mombaa. Documentos que comprovam isso j esto anexados a sua defe-sa. O advogado ressaltou tambm que a Polcia tem sido totalmente imparcial e profissional. </p><p>O assessor da SEDH, familiares dos estudantes de medicina assassinados, em Iguatu, e do comerciante Zildcio Lopes da Si lva, morto em 2002 em Horizonte, e delegados da Corregedoria da SSPDS foram recebidos, no fim da manh de ontem, pelo secretrio de segurana, Roberto Monteiro. No encontro, Nelson Benevides, pai dos estudantes assassinados, exps os casos de abuso de poder por parte do capito Daniel Gomes nos perodos em que ele foi comandante do Peloto de Mombaa e trabalhava em Iguatu. Queremos saber que providncias sero tomadas pela Secretaria em relao a esses casos, afirmou Regino Pinho. </p><p>Roberto Monteiro lamentou que o assassinato dos jovens tenha sido causado por um policial, uma pessoa treinada para defender a vida e no para tirar, e que vai mandar apurar, com rigor, todas as denncias que envolvam policiais. Ele pediu aos familiares de Leonardo e Marcelo e de Zildcio que propagem, em suas cidades, a necessidade de se denunciar os casos de violncia. O prprio secretrio afirmou que j havia sido informado de outros casos de abuso de poder cometidos pelo capito Daniel em que foram abertas sindicncias mas no houve aprofundamento na investigao. </p><p>Alm de acompanhar o caso, Monteiro afirmou que a Secretaria adotar medidas para diminuir os casos de violncia envolvendo policiais, entre elas a aplicao de testes psicolgicos. Outra medida a criao de conselhos municipais que fiscalizem as aes de segurana.</p><p>Sindicncias no foram aprofundadas</p><p>FCO FONTENELE </p><p>CAPITO PM, Daniel Gomes Bezerra, quando prestou depoimento da Superintendncia da Polcia Civil em Fortaleza</p><p>BDCabealho#Data: 070411#Clich: Primeiro#Editoria: Fortaleza</p><p>BDMarcadores#Autor: Roclia Santos#Crdito: Fco Fontenele</p><p>BDErramosERRAMOS</p><p>O correto na matria : contra o capito PM Daniel Gomes Bezerra e outros policiais.</p></li></ul>