2º trimestre de 2017 gerenciamento de riscos – pilar 3 ... · pdf file comitê...

Click here to load reader

Post on 27-Jul-2020

1 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 2º Trimestre de 2017 Gerenciamento de Riscos – Pilar 3

    (Circular 3.678/13)

  • 2

    Índice 1. Sumário ...................................................................................................................................................... 4

    Objetivo ......................................................................................................................................................... 4

    Principais indicadores .................................................................................................................................... 4

    2. Balanço patrimonial (R$ mil) ..................................................................................................................... 5

    3. Participações societárias ........................................................................................................................... 7

    4. Gestão de riscos e gerenciamento de capital ............................................................................................ 7

    5. Capital ........................................................................................................................................................ 8

    5.1. Gerenciamento de capital ................................................................................................................. 8

    5.2. Estrutura de gerenciamento de capital ............................................................................................. 8

    5.3. Requerimentos de capital................................................................................................................ 10

    5.4. Composição do Patrimônio de Referência e dos ativos ponderados pelo risco (RWAs) ................ 11

    a) Composição do patrimônio de referência (PR) e dos ativos ponderados pelo risco de crédito, de

    mercado e operacional (RWAs) ............................................................................................................... 12

    b) Adicional de capital principal ........................................................................................................... 13

    c) Ativos ponderados pelo risco de crédito (RWAcpad), segmentado pelos fatores de ponderação de

    riscos, conforme Circular nº 3.644/13 ..................................................................................................... 14

    d) Composição dos ativos ponderados pelo risco operacional (RWAopad) ........................................ 15

    e) Razão de alavancagem .................................................................................................................... 16

    6. Risco de crédito ....................................................................................................................................... 17

    a) Definições e gerenciamento ............................................................................................................ 17

    b) Estrutura .......................................................................................................................................... 19

    c) Total das exposições a risco de crédito e saldo médio no trimestre .............................................. 22

    d) Concentração das exposições em operações com característica de concessão de crédito (1) ..... 23

    e) Total das exposições segmentadas por país e regiões geográficas do Brasil .................................. 24

    f) Total de exposições a risco de crédito por setor econômico .......................................................... 25

    g) Prazo a decorrer das exposições a risco de crédito (1) ................................................................... 26

    h) Provisão para créditos de liquidação duvidosa e créditos baixados para prejuízo ......................... 27

    i) Mitigadores de risco de crédito e risco de concentração ............................................................... 28

    j) Risco de crédito de contraparte ...................................................................................................... 28

    7. Cessões de crédito ................................................................................................................................... 29

    8. Risco de mercado .................................................................................................................................... 30

    a) Definições ........................................................................................................................................ 30

    b) Estrutura de gerenciamento de risco de mercado .......................................................................... 30

  • 3

    c) Comitê de risco de mercado ............................................................................................................ 32

    d) Classificação das operações ............................................................................................................ 32

    e) Composição dos fatores de risco de mercado ................................................................................ 33

    f) Metodologia de gestão de risco de mercado .................................................................................. 34

    g) Metodologia para a carteira de não negociação (banking book) .................................................... 35

    h) Dados quantitativos de gestão de risco de mercado ...................................................................... 38

    9. Risco de liquidez ...................................................................................................................................... 40

    a) Definição .......................................................................................................................................... 40

    b) Estrutura de gerenciamento de Risco de Liquidez .......................................................................... 40

    c) Composição dos fatores de risco de liquidez .................................................................................. 42

    10. Risco operacional ................................................................................................................................. 44

    a) Definição .......................................................................................................................................... 44

    b) Estrutura de gerenciamento de risco operacional .......................................................................... 44

    c) Classificação de evento de risco operacional .................................................................................. 47

    d) Causas de Risco Operacional ........................................................................................................... 47

    e) Impactos decorrentes de Evento de Risco Operacional .................................................................. 48

    11. Anexo I – Composição do Patrimônio de Referência (PR) e informações sobre adequação do PR .... 49

  • 4

    1. Sumário

    Objetivo

    Este relatório apresenta informações do Conglomerado Prudencial do Banco Daycoval (“Conglomerado

    Prudencial”) requeridas pelas Circulares BACEN nº 3.678/13 e nº 3.716/14, que dispõem sobre a divulgação

    de informações referentes à gestão de riscos, à apuração do montante de ativos ponderados pelo risco e

    do Patrimônio de Referência (PR).

    Principais indicadores

  • 5

    2. Balanço patrimonial (R$ mil)

  • 6

  • 7

    3. Participações societárias

    As participações em empresas controladas são avaliadas pelo método de equivalência patrimonial e

    aplicado a todas as coligadas em que o Banco tenha influência significativa (1). O quadro a seguir apresenta

    o valor contábil e o valor justo destas participações:

    (1) Entende-se por influência significativa, o poder de participar nas decisões das políticas operacional e financeira da investida,

    quando não há controle ou controle conjunto sobre tais políticas. Presume-se que há influência significativa quando um

    investidor participa direta ou indiretamente (através de subsidiária) com 20% ou mais do poder de voto da investida, a não ser

    que se demonstre o contrário.

    4. Gestão de riscos e gerenciamento de capital

    O Banco Daycoval entende a gestão de riscos como um instrumento essencial para a geração de valor ao

    próprio Banco, aos acionistas, colaboradores e clientes. Assim, estabelece estratégias e objetivos para

    alcançar o equilíbrio ideal entre as metas de crescimento e de retorno de investimentos e os riscos a eles

    associados, permitindo administrar seus recursos com eficácia e eficiência na busca dos objetivos da

    instituição.

    A estruturação do processo de Gestão de Riscos Corporativos, além de satisfazer às exigências do órgão

    regulador, contribui para uma melhor Governança Corporativa, que é um dos focos estratégicos do Banco

    Daycoval, e foi desenvolvida ponderando os objetivos, as demandas e a cultura institucional.

    A identificação de riscos tem como objetivo mapear os eventos de risco de natureza interna e exter