1º simulação equipamento e proteção individual

Click here to load reader

Post on 22-Jul-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • Equipamentos

    de

    Proteo Individual

    ROBERTA RISCADO

    2015

  • Objetivos

    o Sensibilizar os formandos para a utilizao de

    equipamentos de proteo individual.

    o Os Equipamentos de Proteo Individual, EPIs, tem

    como objetivo a garantia da sade e da segurana do

    trabalhador no seu ambiente de trabalho, destinado a

    proteo contra os diversos riscos que podem ocorrer

    durante a sua fase de trabalho.

  • EPI`s

    A ltima barreira contra a leso Equipamento

    de Proteo Individual

  • O que um equipamento de

    proteo individual?

  • Qualquer Equipamento destinado a ser usado ou detido pelo Trabalhador para a sua proteo contra um ou mais riscos suscetveis de ameaar a sua segurana ou sade no trabalho.

    necessrio que o equipamento em questo se destine especificamente a proteger a sade e a segurana do trabalhador no trabalho.

  • Um EPI deve ser concebido e executado em

    conformidade com as disposies

    regulamentares em vigor.

    A entidade patronal fornece gratuitamente

    aos trabalhadores EPI.

  • o A entidade patronal deve organizar sesses de

    formao, a fim de garantir uma utilizao dos EPI em

    conformidade com os folhetos de instrues.

    o Os EPI devem ser usados pelo trabalhador

    exclusivamente nas circunstncias para as quais so

    recomendados e depois de a entidade patronal ter

    informado o trabalhador da natureza dos riscos contra

    os quais o referido EPI o protege.

  • A seleo dos Equipamentos de Proteo

    Individual (EPI) dever ter em conta:

    Os riscos a que est exposto o trabalhador;

    As condies em que trabalha;

    A parte do corpo a proteger;

    As caractersticas do prprio trabalhador.

  • Tipos de Proteo Individual

  • Proteo da cabea

    o A cabea deve ser adequadamente

    protegida perante o risco de queda de

    objetos pesados, pancadas violentas ou

    projeo de partculas.

    o A proteo da cabea obtm-se

    mediante uso de capacete de proteo,

    o qual deve apresentar elevada

    resistncia ao impacto e perfurao.

  • Proteo dos Olhos e do Rosto

    o Os olhos constituem uma das

    partes mais sensveis do corpo

    onde os acidentes podem atingir a

    maior gravidade.

  • As leses nos olhos, ocasionadas por acidentes de

    trabalho, podem ser devidas a diferentes causas:

    o ACES MECNICAS: atravs de poeiras, partculas ou aparas;

    o ACES PTICAS: atravs de luz visvel (natural ou artificial), invisvel (radiao ultravioleta ou infravermelha) ou ainda raios laser.

  • Proteo dos Ouvidos

    o H fundamentalmente, dois tipos

    de protetores de ouvidos: os

    auriculares (ou tampes) e os

    auscultadores (ou protetores de

    tipo abafador).

    o Os auriculares so introduzidos no

    canal auditivo externo e visam

    diminuir a intensidade das

    variaes de presso que

    alcanam o tmpano

  • Proteo dos Ps

    o A proteo dos ps deve ser considerada

    quando h possibilidade de leses a partir

    de efeitos mecnicos, trmicos, qumicos ou

    eltricos.

    o Quando h possibilidade de queda de

    materiais, devero ser usados sapatos ou

    botas revestidos interiormente com biqueiras

    e palmilhas de ao, eventualmente com

    reforo no tornozelo e no peito do p.

  • Proteo dos Ps

    o Em certos casos verificasse o risco

    de perfurao da planta dos ps

    (ex: trabalhos de construo civil)

    devendo, ento, ser incorporada

    uma palmilha e biqueira de ao

    no respetivo calado

  • Proteo das Mos

    o Os ferimentos nas mos constituem o

    tipo de leso mais frequente que ocorrena indstria, da a necessidade da sua

    proteo.

    o O brao e o antebrao esto,

    geralmente menos expostos do que as

    mos, no sendo contudo de subestimar

    a sua proteo

  • Proteo contra Quedas

    o Em todos os trabalhos que apresentam risco

    de queda livre deve utilizar-se o cinto de

    segurana, que poder ser reforado com

    suspensrios fortes e, em certos casos

    associado a dispositivos mecnicos

    amortecedores de quedas.

    o O cinto deve ser ligado a um cabo de boa

    resistncia, que pela outra extremidade se

    fixar num ponto conveniente. O

    comprimento do cabo deve ser regulado segundo as circunstncias, no devendo

    exceder 1,4 metros de comprimento.

  • Utilizao do Colete

    Trabalhadores da construo civil so obrigados a executar

    tarefas perto de mquinas e equipamentos mveis ou veculos

    em todos os tempos e condies. Os coletes reflexivos de alta

    visibilidade de segurana so, muitas vezes, o primeiro, e s

    vezes a nica coisa que um trabalhador pode fazer para se

    destacar em condies de trabalho com neblina, pouca ou

    nenhuma luz.

  • Os EPI`s no reduzem o risco e/ou perigo , apenas adequam o indviduo ao meio ambiente

    e ao grau de exposio.

  • Obrigado pela vossa ateno.

    Fim!