18 Edio Nacional Jornal Chico da Boleia

Download 18 Edio Nacional  Jornal Chico da Boleia

Post on 07-Mar-2016

216 views

Category:

Documents

4 download

DESCRIPTION

Nesta edio tem uma matria alertando para os perigos da combinao entre lcool e direo. Tem tambm texto sobre a Festa do Caminhoneiro em Itabaiana, a edio de Itatiba do Programa Parada Legal para caminhoneiros, coluna Chico da Boleia responde e a Etapa da Frmula Truck de Goinia. Pra fechar tem uma matria sobre as manifestaes que vem ocorrendo e tambm sobre o cancelamento dos reajustes dos pedgios nas rodovias brasileiras que, na verdade, no beneficiar os caminhoneiros.

TRANSCRIPT

  • Distribuio Gratuita

    O JORNAL PARA O

    CAMINHONEIROAMIGO

    www.chicodaboleia.com.br

    Orgulho de ser caminhoneiro

    EDIO NACIONAL

    A quarta Etapa do Campeonato Brasi-leiro de Frmula Truck aconteceu en-tre os dias 7 e 9 de junho, na cidade de Goinia. O pblico, animado e partici-pativo, fez fila para entrar no Autdro-mo Internacional Ayrton Senna.

    Grupos saem s ruas em diversos es-tados para protestar por melhorias em sade, segurana e educao. O incio foi o protesto realizado pelo Movimen-to Passe Livre de So Paulo.

    ITABAIANA CAPITAL NACIONAL DO CAMINHONEIRO

    Ano 02 - Edio 18 - 2013

    Geraldo Piquet vence etapa

    de Goinia

    Pg. 6 e7

    Pg. 4

    Pg. 8

    Pg. 5

    Manifestaes pelo Brasil:

    conquistas e guinada

    conservadora

    Apesar da deciso do governo, na prtica os caminhoneiros continuaro a pagar caro pelos pedgios.

    ISO

    9001

    Governo de SP cancela reajuste

    de pedgios

    Caminhes fazem fila na carreata de Itabaiana / Foto: Chico da Boleia

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    S possvel chegar quando se sabe onde quer ir!

    Companheiros da es-trada!Como venho dizendo a Lei 12.619 continua na

    pauta do dia e no deve sair to cedo. Em funo disso tomei a iniciativa de iniciar uma srie de encontros para de-bater a Lei no Interior do Estado de So Paulo e isso ter inicio no dia 18 de Ju-lho em Mogi Mirim na Concessionria Irmos Davoli. Convido a todos para que estejam neste debate, acompanhan-do e me ajudando. de suma importncia que o debate se plorifere de maneira exponencial, pois s assim possvel o comprimento da lei 12.619. Como eu j disse, existe todo tipo de opinio, mas necess-rio ouvir quem est na ponta de baixo, quem est efetivamente no volante, aquele que fica dias e dias fora de casa dentro da boleia, pelas estradas da vida.Outro ponto importante que quero co-mentar so as manifestaes que esto ocorrendo pelo Brasil. Vale lembrar que tais manifestaes tiveram incio em So Paulo Capital com o Movimen-to Passe Livre que existe h anos, e que durante anos a fio nunca teve a ampla cobertura da imprensa, seja ela escrita, falada ou mesmo televisiva. Sem dvi-da que o movimento legitimo e tem meu apoio! Mas durante anos o MPL lutou sem que nenhuma mdia desse ou-

    vidos aos seus pedidos. E sendo eu um militante de movimento social de longa data, fiquei surpreso com tal cobertura, e naturalmente vem a pergunta: Porque do nada o MPL ganha esta dimenso? Porque um movimento que sobre va-lor de passagem de nibus, os meios de comunicao comeam a rotular como movimento contra corrupo ou contra os polticos ou ainda contra os partidos polticos e contra PEC?Tenho 49 anos, nasci 12 dias aps o golpe militar, assisti e participei como personagem da histria recente de to-dos os movimentos que aconteceram anos atrs. E digo mais uma vez que se os meios de comunicao tentam a todo tempo manipular ou rotular um movi-mento que legitimo com outras ban-deiras que no fazem parte da origem do movimento, porque tem algo de errado, ou melhor, tem algo de muito errado.Vejo com certa tristeza jovens irem para a rua por que simplesmente viram o convite na rede social ou por que os meios de comunicao no param de falar nisso. Parece-me que vo pras ruas, mas esquecem os propsitos po-lticos em casa. Mas vejo com felicida-de outros jovens que vo para rua com reais objetivos de defesa de seus inte-resses populares, que vo organizados atravs de suas entidades estudantis ou Partidos Polticos. ate certo ponto cmico se no fos-se trgico as pessoas reclamando dos polticos. Digo isso, simplesmente por-

    Sede: Rua Bento da Rocha, 354 - Itapira-SP, CEP 13.970-030 Fone:(19) 3843-5778Tiragem: 50.000 exemplares Nacional, 10.000 exemplares Baixa Mogiana e 10.000 exemplares Grande Ribeiro PretoDiretora-Presidente: Wanda JachetaDiretor Editorial: Chico da BoleiaEditor Responsvel: Chico da BoleiaRevisoLarissa J. RibertiDiagramaoPamela SouzaSuporte TcnicoMatheus A. MoraesJuliano H. BuzanaConselho Editorial:Albino Castro (Jornalista) Larissa J. Riberti (Historiadora) Dra. Virgnia Laira (Advogada e coor-denadora do Departamento Jurdico da Fenacat) Roberto Videira (Presidente da APRO-CAM Brasil) Jos Arajo China (Presidente da UNICAM Brasil)Responsabilidade social:ViraVidaLigue 100Na mo certa

    02 EDITORIAL

    Expediente

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    que o poltico para se eleger precisa de votos e quem vota somos ns, o povo, cada cidado exerce este direito. Ento, onde estvamos quando permitimos que polticos corruptos e no interessa-dos nos direitos do povo fossem elei-tos?A vem uma curiosidade: Ser que par-te dos manifestantes que esto indo na manifestao por mero embalo, lembra em quem votou na ltima eleio? E para encerrar, falar em democracia falar em uma organizao que passa pelos partidos polticos e pelos pr-prios polticos. inadimissvel que se trate com violncia os partido, os mo-vimentos sociais de distintas causas, as agremiaes e os sindicatos, como vem acontecendo em vrias manifestaes. preciso, sobretudo, assegurar o prin-cpio da democracia e o direito ao pro-testo de todos. Abrao, Chico da Boleia.

  • internos podem sofrem um desgaste maior devido a maior concentrao de enxofre no combustvel. No aconse-lhamos ficar alternando entre os dois tipos de combustvel, pois isso pode contaminar ainda mais o mesmo.Espero ter ajudado! Um abrao!

    Ol Chico, estou comeando a profis-so de motorista autnomo, j comprei meu caminho e agora preciso tirar meu ANTT. O recibo do caminho j esta assinado em meu nome, o que te-nho que fazer agora?

    Ol, para tirar o ANTT o senhor pre-cisa reunir os seguintes documentos, Carteira de Habilitao, CPF, RG, Comprovante de Residncia, o do-cumento de seu veculo (no caso do senhor o recibo), o comprovante do recolhimento do imposto sindical (caso no tenha pago o pessoal pro-vavelmente tira pro senhor na hora) e um comprovante de experincia de trabalho como motorista, que pode ser a carteira de trabalho, comprovante de pagamento do INSS ou o curso de TAC.Reunindo toda essa documentao o senhor deve se dirigir at o ponto de atendimento mais prximo do senhor. H uma lista com todos os pontos au-torizados no site: www.sicat.com.br.

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    Sede: Rua Bento da Rocha, 354 - Itapira-SP, CEP 13.970-030 Fone:(19) 3843-5778Tiragem: 50.000 exemplares Nacional, 10.000 exemplares Baixa Mogiana e 10.000 exemplares Grande Ribeiro PretoDiretora-Presidente: Wanda JachetaDiretor Editorial: Chico da BoleiaEditor Responsvel: Chico da BoleiaRevisoLarissa J. RibertiDiagramaoPamela SouzaSuporte TcnicoMatheus A. MoraesJuliano H. BuzanaConselho Editorial:Albino Castro (Jornalista) Larissa J. Riberti (Historiadora) Dra. Virgnia Laira (Advogada e coor-denadora do Departamento Jurdico da Fenacat) Roberto Videira (Presidente da APRO-CAM Brasil) Jos Arajo China (Presidente da UNICAM Brasil)Responsabilidade social:ViraVidaLigue 100Na mo certa

    Chico da Boleia responde

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAPAPO DE BOLEIA 03

    Desde o incio da Operao Lei Seca projeto federal implementado pela Lei 11.705 desde 2009 a combinao de lcool com direo foi entendida como ilegal e penalizada pelos fiscais do trnsito e da polcia. Perda da ha-bilitao, multa e priso so as penas que podem ser aplicadas aos infratores dependendo da quantidade de lcool detectada no sangue do condutor do veculo abordado.Em janeiro deste ano, no entanto, a Lei que previa uma certa tolerncia no nvel de lcool , passou a entender como infrao qualquer influncia da substncia no organismo do condutor. Alm disso, as multas passaram de R$ 957,69 para R$ 1.915,40 para quem for flagrado dirigindo sobre efeito de bebida alcolica ou outras substncias (remdios, por exemplo) e inclui as sanes administrativas.Apesar de vista por alguns setores

    como intolerante, a Lei Seca tem apresentado resultados bastante posi-tivos desde que foi implementada. No Rio de Janeiro, por exemplo, houve re-duo em 32% nas mortes causadas no trnsito por condutores embriagados. J em So Paulo, registros mostram que durante o carnaval deste ano, o nmero de mortes caiu em 13% e o de feridos em 57% devido fiscalizao intensa da Lei Seca nas rodovias do Estado. Ainda hoje, no entanto, muitos moto-ristas insistem em ingerir lcool mesmo quando esto conduzindo seus vecu-los. Esta tambm uma prtica comum entre caminhoneiros. No so raras as vezes em que caminhoneiros so fla-gradas fazendo uso de medicamentos e lcool durante o perodo de trabalho ou para se manterem acordados.Foi pensando nessa realidade que a Organizao Pan Americana da Sa-de em parceria com a Propeg, criaram

    Chico da Boleia, j trabalho como motorista h 15 anos e finalmente con-segui trocar meu caminho. S que o caminho que estou comprando agora usa o tal do diesel S-50, e esse dana-do desse diesel no assim to fcil de achar. Existem muitos lugares que no tem, principalmente se voc esti-ver indo pro norte do pas. Ai que t o problema porque agora tenho que re-planejar minhas rotas e tudo mais. Porque todo mundo diz que no pos-so abastecer com o diesel normal que isso vai acabar com meu motor. O que posso fazer? Tem algum lugar onde posso encontrar todos os postos que tem o S-50?

    Bem meu amigo, realmente no ne-nhum pouco aconselhvel abastecer seu caminho com outro combustvel que no seja o S-50! Se for possvel re-planejar sua rota, maravilha! Inclu-sive o senhor pode encontrar a lista de todos os postos Petrobras, Ipiranga e Shell que possuem esse combustvel em seus respectivos sites. Acredito que isso j ajude um pouco o senhor a se planejar.Mas se em todo caso o senhor no en-contrar postos o suficiente para abaste-cer seu caminho o que o pessoal reco-menda usar s o S-500, mas com um cuidado redobrado com a manuteno preventiva, j que os componentes

    uma cam-panha para combater os

    acidentes e mortes de trnsito causados pela ingesto de lcool. O objetivo da ao mostrar que mesmo a baixa in-gesto de bebidas alcolicas pode pro-vocar acidentes fatais no trnsito. Estima-se que no Brasil 37 mil pesso-as morrem em acidentes de trnsito a cada ano. A campanha contraria a ideia de que uma ou duas cervejinhas no do em nada. Alm disso, atravs do slogan A bebida no trnsito mata e nem sempre s voc, o vdeo mostra como a irresponsabilidade daquele que ingeriu lcool antes de dirigir pode afe-tar a vida de terceiros.Segundo informaes, a ao no Brasil integra um projeto de segurana rodo-viria global financiado pela Bloom-berg Philanthropies em parceria com a Organizao Mundial da Sade, ins-tituio que tem apoiado governos em dez pases para a produo de campa-nhas de mdia de massa para segurana

    nas rodovias.O vdeo pode ser visto no site do Chico da Boleia.

    Redao Chico da Boleia

    Campanha alerta para a perigosa combinao de lcool com direo

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    A onda de manifestaes e protes-tos no Brasil que foi desencadeada nas ltimas semanas teve uma origem. O incio foi o protesto realizado pelo Movimento Passe Livre de So Pau-lo, na segunda-feira, dia 10 de junho. A demanda principal era a reduo do aumento da tarifa do transporte pbli-co em So Paulo que, de R$3,00, pulou para R$3,20. A manifestao foi dura-mente combatida pelo Choque e pela Polcia Militar na regio da Avenida Paulista. Vrios manifestantes foram violentados e atirou-se contra eles com balas de borracha e gs lacrimognio. Para quem no conhece, o MPL tem como principal demanda a transforma-o do sistema pblico e coletivo de transporte para que o mesmo ao invs de seguir uma lgica de mercado, na qual ele concedido explorao por empresas privadas, passe a ser real-mente pblico, gratuito e de qualida-de. O movimento calcula que 37 mi-lhes de brasileiros deixam de utilizar o transporte pblico por causa do alto custo das passagens.Mais do isso, o MPL luta pelo transpor-te gratuito. A bandeira pela reduo da tarifa em R$0,20 foi s o primeiro pas-so de uma srie de reivindicaes nesta rea. Essas demandas j so pleiteadas h algum tempo pelos membros do movimento. Na prtica, o MPL acre-dita que o transporte pblico deve ser devolvido populao e que no seja mais explorado por empresas privadas que s buscam lucrar com as passagens sem nenhum compromisso com o povo. Ou seja, as presses atuam para que os governos locais revertam os contratos de concesso s empresas privadas

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA04 FIQUE POR DENTRO

    Manifestaes pelo Brasil: conquistas e guinada conservadora

    que exploram livremente o transpor-te pblico criando verdadeiras mfias. Foram essas razes que envolveram a convocao dos primeiros atos em So Paulo.Com a represso e a violncia na ca-pital paulista, mais pessoas se solidari-zam com a causa e saram as ruas. Entre os pedidos pela reduo das tarifas em vrias outras cidades, estava tambm a demanda pelo fim das polcias militares e da violncia contra manifestantes. Atendendo essas primeiras deman-das, no dia 20 de junho, os governos do Rio de Janeiro e So Paulo anunciaram a reduo das tarifas de nibus. Isso aconteceu depois de outras capitais e cidades como Goinia e Porto Alegre tambm terem anunciado as redues. O Governador Sergio Cabral anunciou tambm o comprometimento em redu-zir as tarifas dos trens, barca e metrs do RJ. Prefeito do RJ,no entanto,argumentou que o prejuzo para os cofres da pre-feitura ser de R$200 milhes no ano, podendo chegar a R$500 milhes. Se-gundo ele, os reajustes na tarifa esto previstos nos contratos com as empre-sas de nibus e tambm foram uma consequncia no aumento em 22% no preo do diesel. J em So Paulo, o Go-vernador Geraldo Alckmin alegou que a prefeitura ter de fazer sacrifcios para manter a revogao do aumento, j que as empresas no podem arcar com os custos. Ironicamente, nossos governantes jogaram nas costas do povo o peso de arcar com as alteraes no preo da passagem e, inclusive, chantageram a populao dizendo que provavelmente teriam que tirar dinhei-ro de setores como sade e educao

    para compensar nos custos. Contrariando os argumentos dos governantes dos dois estados, os lderes do MPL e tambm simpa-tizantes da causa defendem que o prejuzo se que ele realmente existe deve ficar a cargo das gran-des empresas privadas que explo-ram o direito pblico ao transporte. Mais discusses aconteceram na mdia e nas redes sociais e no mes-mo dia em que se anunciou a revo-gao dos aumentos mais pessoas saram s ruas.Mudanas:Depois das primeiras manifesta-es, outros atos e protestos foram marcados e milhares de pessoas fo-ram s ruas em diferentes capitais e

    cidades. No entanto, as manifestaes da ltima segunda-feira (17) e do dia 20 de junho, mostraram que outros in-teresses tambm esto em jogo. Vrias demandas vieram pblico e, muitas delas, contriburam para esva-ziar o sentido poltico das maniesta-es. Se, no comeo, os vinte centavos eram legtimos, o que se v agora uma onda de pedidos pelo fim da cor-rupo e pela cabea da Presidente Dil-ma. Criou-se uma condio em que o Passe Livre foi secundarizado e no representa nada para alguns setores da mobilizao. Muitos grupos conservadores que atua-ram nas manifestaes levantaram ban-deiras absurdas como, por exemplo, o impedimento de partidos polticos nos protestos. Ora, se hoje vivemos numa democracia porque h anos partidos polticos, homens e mulheres filiados lutam pelos nossos direitos. Imped--los de participar de uma ao poltica como as ltimas manifestaes , no mnimo, autoritrio. Na quinta feira dia 20, no Rio de Janei-ro e em So Paulo a estratgia policial foi a mesma: represso e violncia con-tra as pessoas que estavam na rua. Era notvel a presena de infiltrados e po-liciais paisana incitando a violncia. Conforme os atos evoluiam, crescia a presena da polcia nas ruas.No Rio de Janeiro, eu estava na Lapa, um dos bairros mais conhecidos da ci-dade, quando a cavalaria passou por uma das ruas mais movimentadas e membros da PM e do Choque entraram nas ruas dispersando crianas, jovens, idosos e a todos com balas de borra-cha e gs lacrimognio. Atirou-se uma

    bomba de gs lacrimognio dentro do Circo Voador uma importante casa de shows do local e outra em um posto de gasolina. O ataque policial foi to grande que o estoque de gs lacrimog-nio da PM se esgotou. O aumento da represso policial e a pauta conservadora e esvaziada de sen-tido poltico de algumas manifestaes fez com que, na sexta-feira dia 21, o Movimento Passe Livre deixasse de convocar os atos. Segundo o MPL, a deciso tambm foi tomada diante da forma violenta com que se tratou os partidos polticos, atitude repudiada pelo Movimento. A Presidente Dilma Roussef tambm foi pblico. Em sua ltima declara-o, no dia 24 de junho, a Presidente apontou algumas propostas de mudan-a. Reafirmou seu compromisso com a educao, apoiando 100% dos royaltes do petrleo para essa rea. Defendeu a corrupo como crime hediondo. Pres-sionou Governadores e Prefeitos para adiantarem e acelerarem a aplicao dos investimentos j contratados nos hospitais. Anunciou a ampliao de va-gas de Medicina: criao de 11.447 no-vas vagas de graduao e 12.376 novas vagas de residncia mdica. Destinou mais 50 bilhes de reais em mobilidade urbana e para a construo de metrs. Reafirmou o Pacto com Prefeitos e Go-vernadores por responsabilidade fiscal e controle da inflao. Props a criao do Conselho Nacional do Transporte Pblico com participao do povo e lanou a proposta de um plebiscito po-pular para a votao de uma reforma poltica no pas. Atualmente, o que se v um cenrio bastante complexo. O MPL voltou atrs de sua deciso de no convocar atos e continuar com sua luta pelo Passe Li-vre em todo o Brasil. Vale ressaltar que no dia 26 de junho, a prefeitura de Goi-nia anunciou o Passe Livre Estudantil em toda regio metropolitana da cida-de, uma conquista para a populao lo-cal. No dia 28, foi a vez de Porto Alegre anunciar o benefcio para os estudantes.Enquanto isso, grupos antipartidrios continuam se organizando em torno de suas demandas conservadores e re-chaando a presena de partidos, o que fere a democracia e a liberdade. Parale-lamente, organismos de esquerda tam-bm se reuniram em torno de causas populares e para continuar com a luta pelo Passe Livre, pela desmilitarizao

    Foto: http://revistaforum.com.br/

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAFIQUE POR DENTRO 05

    E CONHEA TAMBM AS ASSISTNCIAS 24H, COM SERVIOS EXCLUSIVOS COMO: CHAVEIRO, GUINCHO, TROCA DE PNEUS E MUITO MAIS.

    MONITORAMENTO E LOCALIZAO

    BALCO DE FRETES ELETRNICO

    NMERODA SORTE

    SEGURODE VIDA

    SERVIOODONTOLGICO

    DIRIA DE INTERNAO HOSPITALAR

    EM CASO DE ACIDENTE

    ASSISTNCIARESIDENCIAL

    AN

    S -

    N

    31

    09

    81 COM SASCAR CAMINHONEIRO

    VOC E SUA FAMLIA NOESTARO MAIS SOZINHOS!

    0300 789 6004FAA PARTE DESTA TURMA

    CONHEA NOSSO PACOTE DE VANTAGENS

    Os Seguros de Acidentes Pessoais e Dirias de Internao Hospitalar so garantidos pela Seguradora Cardif do Brasil Vida e Previdncia S.A., CNPJ: 03.546.261/0001-08, Processos Susep No 15414.002708/2007- 95 e 005-00113/00. Corretora de Seguros: Sincronismo Corretora e Adm. de Seguros Ltda., CNPJ no 08.815.553/0001-04, Registro SUSEP no 050726.1.05.9018-5. Estipulante: Sascar Tecnologia e Segurana Automotiva S.A. - CNPJ no 03.112.879/0001-51. Prmio de Capitalizao no valor de R$ 12.000,00 bruto, com desconto diretamente na fonte de 25% de Imposto de Renda, garantido pela Empresa Cardif Capitalizao S/A, CNPJ: 11.467.788/001-67, Processo Susep no 15414.000312/2010-17. O registro deste plano na SUSEP no implica, por parte da Autarquia, em incentivo ou recomendao sua comercializao. O segurado poder consultar a situao cadastral de seu corretor de seguros, no site www. susep.gov.br, por meio do nmero de seu registro na SUSEP, nome completo, CNPJ ou CPF. A aceitao do seguro estar sujeita anlise do risco. Este seguro por prazo determinado tendo a Seguradora a faculdade de no renovar a aplice na data de vencimento, sem devoluo dos prmios pagos, nos termos da aplice. proibida a venda de ttulo de capitalizao a menores de dezesseis anos. *Assistncia Odontolgica prestada pela operadora ODONTO EMPRESAS CONVNIOS DENTRIOS LTDA., registrado na ANS-310981 ** As Assistncias Residencial e Funeral so prestadas pela empresa USS SOLUES GERENCIADAS LTDA. ***As Assistncias Odontolgicas e Funeral so de uso exclusivo do Contratante, no podendo ser transferidas a quaisquer terceiros. Cada Contratante ter direito, independentemente do nmero de equipamentos contratados e/ou de contratos firmados, a um nico Pacote de Vantagens. Alm do Pacote de Vantagens do Produto Sascar Caminhoneiro, voc pode adquirir tambm as Assistncias 24 horas com um valor diferenciado. Para maiores detalhes, entre em contato com a nossa Central de Atendimento.

    C

    M

    Y

    CM

    MY

    CY

    CMY

    K

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    bomba de gs lacrimognio dentro do Circo Voador uma importante casa de shows do local e outra em um posto de gasolina. O ataque policial foi to grande que o estoque de gs lacrimog-nio da PM se esgotou. O aumento da represso policial e a pauta conservadora e esvaziada de sen-tido poltico de algumas manifestaes fez com que, na sexta-feira dia 21, o Movimento Passe Livre deixasse de convocar os atos. Segundo o MPL, a deciso tambm foi tomada diante da forma violenta com que se tratou os partidos polticos, atitude repudiada pelo Movimento. A Presidente Dilma Roussef tambm foi pblico. Em sua ltima declara-o, no dia 24 de junho, a Presidente apontou algumas propostas de mudan-a. Reafirmou seu compromisso com a educao, apoiando 100% dos royaltes do petrleo para essa rea. Defendeu a corrupo como crime hediondo. Pres-sionou Governadores e Prefeitos para adiantarem e acelerarem a aplicao dos investimentos j contratados nos hospitais. Anunciou a ampliao de va-gas de Medicina: criao de 11.447 no-vas vagas de graduao e 12.376 novas vagas de residncia mdica. Destinou mais 50 bilhes de reais em mobilidade urbana e para a construo de metrs. Reafirmou o Pacto com Prefeitos e Go-vernadores por responsabilidade fiscal e controle da inflao. Props a criao do Conselho Nacional do Transporte Pblico com participao do povo e lanou a proposta de um plebiscito po-pular para a votao de uma reforma poltica no pas. Atualmente, o que se v um cenrio bastante complexo. O MPL voltou atrs de sua deciso de no convocar atos e continuar com sua luta pelo Passe Li-vre em todo o Brasil. Vale ressaltar que no dia 26 de junho, a prefeitura de Goi-nia anunciou o Passe Livre Estudantil em toda regio metropolitana da cida-de, uma conquista para a populao lo-cal. No dia 28, foi a vez de Porto Alegre anunciar o benefcio para os estudantes.Enquanto isso, grupos antipartidrios continuam se organizando em torno de suas demandas conservadores e re-chaando a presena de partidos, o que fere a democracia e a liberdade. Parale-lamente, organismos de esquerda tam-bm se reuniram em torno de causas populares e para continuar com a luta pelo Passe Livre, pela desmilitarizao

    da polcia e pela liberdade de alguns presos polticos durante as ltimas se-manas. Representantes de sindicatos, partidos, agremiaes, diretrios aca-dmicos, indviduos e grupos especfi-cos tem levantado bandeiras em prol de interesses realmente populares. No Rio de Janeiro, por exemplo, esses grupos repudiaram a ltima interveno poli-cial e do BOPE no complexo da Mar na segunda-feira, dia 25. Como se a vida do pobre valesse menos, a inva-so do BOPE provocou a morte de 13 pessoas que, ao que tudo indica, eram inocentes. Enquanto no vem os prximos captu-los desse contexto que vivemos muito importante unirmos nossas foras para pressionar os governos locais na reso-luo das nossas demandas. preciso ateno com as informaes deturpa-das que a grande mdia nos apresenta e tambm ficar de olho na atuao de grupos que querem minar os direitos sociais e trabalhistas conquistados at agora. Tem muita gente se utilizando das manifestaes, alterando informa-es e agindo de m f tendo em vista as eleies do prximo ano.

    Larissa Jacheta Riberti

    Governo de SP cancela reajuste de pedgiosApesar da deciso do governo, na pr-tica os caminhoneiros continuaro a pagar caro pelos pedgios. Consequncia das ltimas manifes-taes ou estratgia de governo, Ge-raldo Alckmin (PSDB), governador de So Paulo, anunciou na ltima se-gunda-feira (24 de junho), a suspenso do reajuste no valor dos pedgios das rodovias e estradas privadas de todo o estado. De acordo com a previso dos contratos, o reajuste deveria ser apli-cado em todas as praas a partir do dia 1o de julho e seria de mais de 6%. Em entrevista coletiva no Palcio dos Bandeirantes, Zona Sul da capital paulista, Geraldo Alckmin alegou que o reajuste no est sendo adiado at o prximo ano e, sim, cancelado. Ns estamos assumindo o custo disso (do cancelamento) por um ano, informou o governador. Hoje, 19 concession-rias administram um total de 16 mil quilmetros das rodovias paulistas que so conhecidas pelas altas tarifas dos pedgios. O governador negou que a medida seja populista. Segundo ele, a deciso foi tomada aps 2,5 anos de

    um trabalho do governo estadual em torno dos contratos de concesso de longo prazo. De acordo com Alckmin no haver reajustes nos ndices IGP--M e IPCA.Ambos os ndices servem para o clculo da inflao. O ndice Nacional de Pre-os ao Consumidor (IPCA), do IBGE, auxilia no clculo da inflao acumu-lada em 12 meses e teve sua marca em 6,5%. J a inflao do mesmo perodo medida pelo ndice Geral de Preos de Mercado (IGP-M) da Fundao Get-lio Vargas foi calculada em 6,22%. Os dois ndices so utilizados pela Agn-cia Reguladora de Servios Pblicos Delegados de Transporte do Estado de So Paulo (Artesp) para calcular os re-ajustes nos pedgios. No haver nenhum reajuste, nem do ndice do IGP-M, nem do ndice do IPCA. Estamos trabalhando des-de o incio no sentido de melhorar as concesses, ter ganhos de eficincia, incentivar a cobrana eletrnica, alegou Alckmin. Para compensar o cancelamento do reajuste haver redu-o do valor pago Artesp pelas con-

    cessionrias. A taxa que atualmente de 3% passar a 1,5% calculada sobre o valor arrecadado pelas concession-rias nas praas de pedgio. Na prtica, no entando, a medida no beneficia os caminhoneiros, pois as perdas com arrecadao sero com-pensadas justamente no recebimento do valor do pedgio por eixo dos cami-nhes. Se hoje os caminhoneiros podem suspender eixos para pagar um valor menor nas praas de pedgio, aps o reajuste eles ficam obrigados a pagar pelo total de eixos dos seus caminhes. O governo paulista tambm passa-r a multar as concessionrias pelos atrasos em obras. Alckmin disse que, se preciso for, o estado poder abrir mo do nus pago pelas concessio-nrias a So Paulo pela explorao das rodovias. Depois dessa deciso, o Ministrio dos Transportes anunciou na quarta-feira (26 de junho) a sus-penso do reajuste do pedgio em to-das as rodovias federais nas tarifas de nibus interestaduais, internacionais e semiurbanos, programados para as prximas semanas. O governo negocia com as empresas para que essa deciso no configure quebra de contrato.

    Redao Chico da Boleia

  • Um dos momentos importantes da 48 Feira do Caminho a Carreata Mirim, onde a crianada j mostra o que pre-tende ser quando crescer. Ao longo de suas edies, a carreta mirim j reuniu mais de 2.000 crianas pelas ruas de Itabaiana.No domingo, dia 09/06, aconteceu a Carreata Mirim dentro da programao da 48 Feira do Caminho de Itabaiana. O evento foi organizado pela Locomo-tiva, empresa fabricante de lonas.A paixo pelos caminhes comea cedo em Itabaiana, muitas crianas es-

    tiveram pilotando seus carrinhos pelas ruas da cidade. O evento considerado um dos maiores da categoria em todo o pas.Os membros da comisso julgadora escolheram os 3 melhores caminhes dentre todas as categorias e os ganhado-res receberam: 1 colocado Notebook, 2 colocado Nintendo DS, 3 colocado Kit Oficial Clube do Corao (camisa, calo, meio e chuteira).

    Rainha do CaminhoneiroOutra atividade que movimentou toda a Feira foi a eleio da Rainha do Ca-minhoneiro. O concurso contou com a participao de 11 candidatas, genui-namente itabaianenses, e a eleita pelos jurados foi Stefanny Lima. A vencedora tem 16 anos estudante

    do Alternativo Curso e Colgio e cursa atualmente o 2. ano do ensino mdio. Aps ser escolhida para representar os caminhoneiros na 48. Feira do Cami-nho, Stefanny Lima foi premiada com R$ 2.000,00 e recebeu a coroa das mos de Vanessa Rezende, Rainha dos Cami-nhoneiros, da edio do ano passado.O evento foi prestigiado pela Miss Ser-gipe Lysiane Bispo, alm do prefeito Valmir de Francisquinho (PR) e outras autoridades.O concurso ainda premiou a jovem Taciane Mendona com a importncia

    de R$ 1.000,00 por ter conquistado o segundo lugar e Rayane Flix com R$ 500,00 pela terceira colocao. As de-mais candidatas receberam um cach de R$ 300,00.

    Futebol dos CaminhoneirosDurante o tradicional jogo de Futebol dos Caminhoneiros o Prefeito Valmir dos Santos Costa, informou que vai propor a comisso organizadora da 49 Feira do caminho que ser em 2014, o sorteio de um caminho aos participan-tes Caminhoneiros da prpria Cidade. Se isso realmente acontecer no prximo ano, representar um grande beneficio aos Caminhoneiros de Itabaiana. Alm disso, a atitude mostra uma preocupa-o toda especial do atual Prefeito com os profissionais que colocam o nome da Cidade em evidncia nacional.

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA06 REPORTAGEMO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    ITABAIANA CAPITAL NACIONAL DO CAMINHONEIRO

    Itabaiana uma Cidade do Estado de Sergipe que fica h 48 quilmetros da Capital Aracaju, e ocupa uma rea de 364 quilmetros quadrados. Segundo dados do IBGE, estima-se que nesta ci-dade vive uma populao de mais de 86 mil habitantes. A Feira do Caminho ou Festa do Caminhoneiro um dos prin-cipais festejos do Estado e o mais co-memorado da cidade. Itabaiana conhecida como a Capital Brasileira dos Caminhes, porque l que existe o maior nmero de cami-nhes per capita do pas, se considerados o nmero de veculos e o nmero de habitantes.Atualmente, existe um Projeto de Lei do Sena-do, de autoria do senador Eduardo Amorim, para que Itabaiana seja reconhecida como a "Capital Nacional do Caminho". A proposta visa valorizar simultaneamen-te, o caminhoneiro, o caminho e a ci-dade de Itabaiana.A Festa do Caminhoneiro recebe todos os anos caminhoneiros e turistas de todo o Brasil que vo a cidade conferir uma vasta programao festiva, enfati-zando a cultura do municpio. Ao todo, so 48 anos de histria e isso mostra a importncia e representatividade desta festa. Estima-se que cerca de 8 mil ca-minhes e carretas estiveram na cida-de este ano. A 48 Feira do Caminho ocorreu durante os dias 8 a 13 de Julho de 2013 com vrias atividades e Chico da Boleia esteve l pra conferir todos os detalhes.

    Carreata Mirim

    Outra informao que obtivemos de forma oficiosa a inteno do Prefeito em construir uma praa em homena-gem a categoria como tambm ter um Museu contando a Histria da Festa do Caminhoneiro. Obviamente todas as intenes precisam ser analisadas e, segundo o prefeito preciso colocar as contas da cidade em dia, antes de fazer melhorias. Segundo Valmir dos Santos, quando assumiu o cargo as contas da Prefeitura estavam no vermelho, e isso exige alguns meses de trabalho para que as coisas voltem a caminhar nor-malmente por l.

    Confraternizao com os representantes das empresas

    No incio da tarde do dia 11 de junho, o prefeito Valmir, juntamente com seu secretariado e os responsveis pela or-ganizao da 48 Feira do caminho de Itabaiana, ofereceram um almoo de confraternizao com os representan-tes das empresas nacionais e interna-cionais do setor de transporte.As empresas montaram seus estandes e expuseram produtos, servios e in-formaes aos amigos caminhoneiros. Nosso muito obrigado a todos os que acreditaram em nosso evento. E esse almoo nada mais do que uma forma de retribuir a ateno e a participao de todos vocs nesta feira do Cami-nho, registrou o prefeito, destacando a importncia dessa parceria. Sem a presena de vocs, sem a realizao de bons negcios, a feira perderia muito do seu brilho, avaliou.O prefeito itabaianense tambm apro-veitou a oportunidade para pedir a todos os expositores para que inte-ragissem com a prefeitura e com os organizadores a fim de garantir uma edio ainda mais grandiosa em 2014 da Feira do Caminho. Ns estamos comeando, essa a primeira feira que organizamos. E por isso contamos com a participao de vocs tambm no pre-enchimento de um questionrio sobre o que vocs acharam desta edio e dando sugestes sobre o que podemos fazer para melhorar para a prxima edio. Para ns, a opinio de todos os expositores essencial, frisou Valmir. Para os empresrios, diretores e geren-tes das empresas presentes no almoo, a ideia veio em boa hora. Gostei muito dessa possibilidade da gente dar nossa opinio, de podermos participar mais

    ativamente do planejamento da Feira do Caminho, destacou o empresrio sergipano Alberto Filho, da Concorde Veculos, empresa que j participa da feira itabaianense h muitos anos. Te-nho certeza que isso garantir o sucesso cada vez maior do evento, finalizou.

    Shows MusicaisOs shows musicais foram realizados por Lo Wander e Banda, Dorgival Dantas, Corao Xonado, Gal do Bre-ga, Bruno e Marrone, Antonio o Clone, Garota Safada, Cartas de Tar, Cesar Menotti e Fabiano, Alma Gmea, Avi-es do Forr e Joo Neto e Cesinha. As apresentaes atraram em media mais de 50 mil pessoas por noite. O espet-culo foi repleto de alegria e festejos. As pessoas que compareceram, participa-ram da festa at o dia clarear.

    Alvorada e Mega CarreataAgora vamos falar da alvorada e da mega carreata. O que acontece em Ita-baiana com essas duas atraes algo indes-critvel. Do dia 11 para o dia 12 de Junho a ci-dade no dormiu. Todos se envolveram com os preparativos. Os compa-nheiros passam a noite preparando o bruto para a carreata. Tem homena-gem aos entes queridos que j partiram desta para uma melhor, tem homena-gem para Me, namorada, Pai e assim por diante. uma festival de criatividade! As bu-zinas ecoam por todo e qualquer canto de Itabaiana. Conforme vai aproximan-do a hora do incio, o movimento vai aumentando e j comea haver con-gestionamento nas ruas da cidade, e j no h como saber onde comea e onde termina a fila de espera para a carreata. um vai e vem de caminhes de todos os tipos, marcas, anos. As carrocerias tambm so as mais va-riadas. Quando as car-rocerias grade baixa, o caminho quase vira um trio eltrico, pois a carro-ceria vai lotada de gente cantando e danando.Companheiros do tre-cho! Eu viajo bastante e participo de inmeras festas e eventos. Posso falar com segurana que no vejo nada igual pelo Brasil como esta mega carreata. Quando ela chega ao ponto fi-nal que onde ela comea e ainda h

    A Festa do Caminhoneiro recebe todos os anos caminhoneiros e turistas de todo o Brasil, que vo a cidade conferir uma vasta programao festiva, enfatizando a cultura do municpio.

    Itabaiana - Foto: Chico da Boleia

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA 07REPORTAGEM

    ITABAIANA CAPITAL NACIONAL DO CAMINHONEIRO ativamente do planejamento da Feira do Caminho, destacou o empresrio sergipano Alberto Filho, da Concorde Veculos, empresa que j participa da feira itabaianense h muitos anos. Te-nho certeza que isso garantir o sucesso cada vez maior do evento, finalizou.

    Shows MusicaisOs shows musicais foram realizados por Lo Wander e Banda, Dorgival Dantas, Corao Xonado, Gal do Bre-ga, Bruno e Marrone, Antonio o Clone, Garota Safada, Cartas de Tar, Cesar Menotti e Fabiano, Alma Gmea, Avi-es do Forr e Joo Neto e Cesinha. As apresentaes atraram em media mais de 50 mil pessoas por noite. O espet-culo foi repleto de alegria e festejos. As pessoas que compareceram, participa-ram da festa at o dia clarear.

    Alvorada e Mega CarreataAgora vamos falar da alvorada e da mega carreata. O que acontece em Ita-baiana com essas duas atraes algo indes-critvel. Do dia 11 para o dia 12 de Junho a ci-dade no dormiu. Todos se envolveram com os preparativos. Os compa-nheiros passam a noite preparando o bruto para a carreata. Tem homena-gem aos entes queridos que j partiram desta para uma melhor, tem homena-gem para Me, namorada, Pai e assim por diante. uma festival de criatividade! As bu-zinas ecoam por todo e qualquer canto de Itabaiana. Conforme vai aproximan-do a hora do incio, o movimento vai aumentando e j comea haver con-gestionamento nas ruas da cidade, e j no h como saber onde comea e onde termina a fila de espera para a carreata. um vai e vem de caminhes de todos os tipos, marcas, anos. As carrocerias tambm so as mais va-riadas. Quando as car-rocerias grade baixa, o caminho quase vira um trio eltrico, pois a carro-ceria vai lotada de gente cantando e danando.Companheiros do tre-cho! Eu viajo bastante e participo de inmeras festas e eventos. Posso falar com segurana que no vejo nada igual pelo Brasil como esta mega carreata. Quando ela chega ao ponto fi-nal que onde ela comea e ainda h

    uma fila enorme de caminhes para sair. E olha que o percurso em tor-no da cidade! simplesmente mgico! Quem tiver a oportunidade de conhe-cer, ficar maravilhado!

    Caf do CaminhoneiroA prefeitura de Itabaiana ofereceu o tradicional Caf do Caminhoneiro, ser-vido s 8h da manh da quarta-feira, 12, na Praa de Eventos Etelvino Men-dona, local onde ocorrem, simultane-amente, a 48 Feira do Caminho, os shows artsticos e diversas atividades. importante darmos continuidade a essa tradio de servir o caf da ma-nh aos amigos da estrada, pois um momento onde, alm de mostrarmos nossa considerao por eles, todos tm a oportunidade de encontrar e reencon-

    trar velhos amigos de profisso, disse o prefeito Valmir.A realizao do tradicional caf da ma-nh contou com a participao direta de

    40 pessoas ligadas s secretarias muni-cipais de Educao e Desenvolvimento Social, sob a coordenao das secret-rias Carminha Mendona e Lourdinha Machado, respectivamente. Aps a carreata, como de costume, os cami-nhoneiros se dirigem praa para de-

    gustarem os pratos tpicos oferecidos e baterem um bom papo com os colegas de estrada. O caf reuniu um nmero bastante considervel de caminhonei-ros e populares que foram prestigiar.

    ProcissoA noite do dia 12 foi mais um momento de honrarias a Santo Antnio, quando foi realizada a tradicional procisso dos caminhes, iniciada no Povoado Candeias e que teve com destino final a igreja matriz no centro da cidade, que tem o mesmo nome do santo homena-

    geado. O total percorrido foi de 26 qui-lmetros. Cerca de trs mil caminho-neiros participaram do ato, de acordo com os organizadores. A Trezena dos Caminhoneiros deste ano teve como

    tema central Jornada Mundial da Ju-ventude, evento que ocorrer no Rio de Janeiro em julho deste ano.

    O organizador do evento, Jos Teles de Mendona, explicou que este ano a imagem do Santo ornamentada saiu do municpio de Moita Bonita e foi at o Povoado Candeias. Disse ainda que 80% dos caminhes so de Itabaiana e cidades vizinhas. Teles destacou que as homenagens ocorrem de forma diferen-ciada, devido vinda do papa Francis-co ao Brasil. A cada ano fazemos uma homenagem diferente. No ano passado foi para os amigos caminhoneiros que morreram. Este ano, direcionamos as honras vinda do Papa ao Brasil. Por-tanto, o diferencial de um ano para o outro foram os carros com o santo pa-droeiro e uma cabine de madeira toda ornamentada de acordo com o tema, explicou Jos Teles. J o organizador da festa catlica em homenagem ao santo, o padre Jos Car-los destacou a beleza da procisso dos caminhoneiros. A procisso sempre belssima. Muitos caminhes orna-mentados com o santo, em uma grande carreata, chamam muito a ateno da populao. Essa a maior procisso de Sergipe, frisou o padre, acrescentando que a iniciativa reuniu pessoas de todo o Estado.

    Sascar

    Nossa parceira de longa data, a SAS-CAR, tambm esteve presente nos festejos. Empresa lder no setor de rastreamento, a Sascar montou seu es-tande e tambm levou at Itabaiana o seu Odonto Mvel. Preocupada em oferecer servios de qualidade e ajudar o amigo caminhoneiro a cuidar de sua sade, a empresa elaborou o Odonto Mvel para viajar pelo Brasil e prestar servios odontolgicos aos caminho-neiros. O Odonto Mvel se far presen-te em vrias festas representativas para a categoria. Esta ao merece nossos elogios e tem sido muito bem avaliada pelos companheiros Caminhoneiros!

    Chico da Boleia

    Confira as fotos e mais notcias

    sobre a festa no site:

    www.chicodaboleia.com.br

    Nosso muito obrigado a todos os que acreditaram em nosso evento. E esse almoo nada mais do que uma forma de retribuir a ateno e a participa-o de todos vocs nesta feira do Caminho

    Prefeito de Itabaiana Valmir dos Santos Costa.

    simplesmente mgico! Quem tiver a oportunidade de conhecer, ficar maravilhado! Chico da Boleia, sobre a mega carreata.

    Carreata dos caminhoneiros em Itabaina - Foto: Chico da Boleia

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA08 ESPORTES

    Geraldo Piquet vence etapa de Goinia

    CLASSIFICAO DO CAMPEONATO BRASILEIRO

    1) Paulo Salustiano e Regis Bossio, 71 pontos; 3) Geraldo Piquet, 534) Leandro Totti, 52; 5) Wellington Cirino, 44; 6) Diogo Pachenki, 40; 7) Beto Monteiro, 32; 8) Joo Maistro, 30; 9) Leandro Reis, 27;10) Walmir Benavides, 26; 11) Andr Marques, 23; 12) Alberto Cattucci, 21; 13) Adalberto Jardim e Roberval Andrade, 20; 15) Djalma Fogaa, 17; 16) Ronaldo Kastropil, 12; 17) Jos Maria Reis, Edu Piano e Rogrio Castro, 7; 20) Pedro Muffato e Jansen Bueno, 22) Luiz Lopes, 4; 23) Dbora Rodrigues, 2

    Informaes tcnicas: Frmula Truck

    Redao Chico da Boleia

    A quarta Etapa do Campeonato Bra-sileiro de Frmula Truck aconteceu entre os dias 7 e 9 de junho, na ci-dade de Goinia. Por l o clima era seco e o sol apareceu forte todos os dias. O pblico, animado e partici-pativo, fez fila para entrar no Aut-dromo Internacional Ayrton Senna.Na primeira bateria de treinos livres da sexta-feira (7), Paulo Salustia-no, piloto paulista da ABF Racing Team, liderou a sesso da manh com o tempo de 1m47s904. Mas quem fez o melhor tempo dia foi Beto Monteiro, da Scuderia Iveco, que fechou a sexta-feira de treinos livres com o tempo de 1min47s230.No sbado, aconteceram mais dois treinos livres que foram liderados por Leandro Totti, da RM Compe-ties. No Top Qualyfing (disputa entre os oito melhores tempos do treino classificatrio), Welling-ton Cirino, piloto paranaense da ABF Mercedes-Benz , conquistou a pole position com o tempo de 1min47s244.Na primeira fila tambm largaram Beto Monteiro, da Scuderia Iveco, seguido de Geraldo Piquet, da ABF/Mercedes-Benz e Felipe Giaffone da MAN/RM Competies. Paulo Salustiano, o lder do campeonato, largou na quinta colocao.Os pilotos goianienses Leandro Reis, Jos Maria Reis e Rogrio Castro dividiram a ateno da tor-cida e foram os anfitries da etapa. Dentre os trs, Leandro Reis, da Original Reis Competies, buscou

    seu terceiro pdio este ano.

    CorridaContrariando a expectativa dos goianos, o piloto brasiliense Geral-do Piquet, da equipe ABF-Merce-des-Benz, conquistou o lugar mais alto do pdio nesta 4a Etapa do Campeonato Brasileiro de Frmu-la Truck. O piloto comemorou sua primeira vitria na temporada de 2013 e tambm em Goinia. O calor intenso do final de semana no es-pantou o pblico de mais de 40 mil pessoas que fizeram a festa no Aut-dromo Internacional Ayrton Senna. Adalberto Jardim, da RM Competi-es, ficou em segundo lugar, segui-do de seu companheiro de equipe Leandro Totti que conseguiu uma boa atuao na corrida mesmo lar-gando dos boxes.Diogo Pachenki, estreiante na cate-goria e piloto da ABF Racing-Team conquistou sua segunda vitria este ano e ficou com o quarto lugar. Para o piloto, o bom desempenho tem animado a equipe, que vem traba-lhando pesado em seu caminho. Eu nunca tinha pilotado caminho e bastante diferente. Tive proble-mas no caminho esse final de se-mana e acabamos acertando o cami-nho a tempo para a corrida. Esse meu segundo pdio em quatro corri-das na categoria e eu estou bastante feliz., frisou o piloto.Roberval Andrade, da Ticket Car Corinthias, no vem fazendo uma boa campanha neste ano. Contra-

    riando as expectativas, no entanto, o piloto completou a prova em quinto lugar e voltou ao pdio.Depois de um nmero im-pressionante de caminhes quebrados, somente 12 dos 25 pilotos que largaram, conseguiram cruzar a linha de chegada. Ao longo da corrida, vrios caminhes pararam por problemas no motor e soltaram fuma-a em excesso, recebendo penalizaes da Comisso Julgadora.Sobre o assunto, Geraldo Piquet frisou que a primei-ra parte da corrida exigiu

    muito da resistncia dos caminhes. Eu s dei uma aliviada depois que o Beto Monteiro quebrou, porque ento eu j estava a 7 segundos do segundo colocado e foi s trazer o caminho pro final, explicou.J Leandro Totti explicou que no teve condies de poupar o cami-nho. Considerando que sua largada dos boxes apresentou uma situao desfavorvel, o piloto precisou for-ar o motor do caminho do come-o ao fim da corrida para pontuar nesta etapa. Acho que o caminho se comportou muito bem. Essa cor-rida provou que o nosso caminho aguenta um ritmo muito forte, con-cluiu.A etapa que aconteceu neste ms de junho em Goinia valeu pelo Cam-peonato Brasileiro de Frmula Tru-ck. Confira como ficou a colocao dos pilotos e a tabela do campeona-to. A prxima etapa acontecer no dia 7 de julho no Autdromo Inter-nacional de Interlagos, So Paulo.

    1) Geraldo Piquet (DF/Mercedes-Benz), ABF/Mercedes-Benz, 1h00min22s469

    2) Adalberto Jardim (SP/Volkswagen), MAN/RM Competies, a 3s246

    3) Leandro Totti (PR/Volkswagen), MAN/RM Competies, a 5s369

    4)Diogo Pachenki (PR/Mercedes-Benz), ABF Racing Team, a 6s950

    5) Roberval Andrade (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, a 28s385

    6) Joo Marcos Maistro (PR/Volvo), Clay Truck Racing, a 36s342

    7) Alberto Cattucci (SP/Volvo), ABF/Volvo, a 49s186

    8) Rogrio Castro (GO/Volvo), ABF/Volvo, a 52s840

    9) Edu Piano (SP/Ford), Territrio Motorsport, a 1min16s942

    10) Ronaldo Kastropil (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, a 1min16s942

    11) Beto Monteiro (PE/Iveco), Scuderia Iveco, 1min53s968

    12) Djalma Fogaa (SP/Ford), 72 Sports/Ford Racing Trucks, a 1 volta

    13) Rgis Boessio (RS/Mercedes-Benz), ABF Desenvolvimento Team, a 1 volta

    14) Andr Marques (SP/Volkswagen), MAN/RM Competies, a 7 voltas

    15) Alex Caffi (ITA/Iveco), Dakarmotors, a 7 voltas

    16) Valmir Benavides (SP/Iveco), Scuderia Iveco, a 7 voltas

    Prova em Goinia contou com 26 pilotos. / Foto: Larissa J. Riberti

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA 09DE BOA NA BOLEIA

    TRANSPORTE AEROMDICO (UTI AREA) FRETAMENTO EXECUTIVO DE AERONAVES

    CONVNIO COM PLANOS DE SADE E SECRETARIAS DE SADE

    WWW.BRASIL.COM.BR - FRETAMENTO@BRASILVIDA.COM.BR

    PLANTO 24H

    (62) 3207-5001 / 3207-5566

    (62) 9971-5370 / 9980-1419

    Parada Legal em Itatiba leva servios comunitrios aos caminhoneiros

    Em comemorao ao Dia do Cami-nhoneiro, celebrado em 30 de junho, a Rota das Bandeiras realizou entre tera-feira, 25 de junho, e quinta-feira, 27 de junho, mais uma edio do Pro-grama Parada Legal para motoristas de caminho. O evento, cheio de novida-des e atraes, aconteceu na cidade de Itatiba e Chico da Boleia esteve por l conferindo tudo de perto. Os servios prestados foram oferecidos no Posto 3 Irmos, no km 103 da rodovia D. Pe-dro I, sentido Campinas.Pela primeira vez, o Parada Legal acon-teceu das 11h s 20 horas. De acordo com a organizao do evento, a alte-rao do horrio de atendimento visou abranger mais os motoristas e usurios

    da Rodovia Dom Pedro. Todos os ser-vios e benefcios foram gratuitamente oferecidos. Os principais servios prestados pelos colaboradores da Parada Legal so re-lacionados sade e o bem-estar do caminhoneiro. Todos os dias do evento foram aplicadas vacinas, distribudos preservativos e folders com dicas de sade e preveno de doenas. Alm disso, mediu-se a presso dos cami-nhoneiros e tambm o nvel de glicose no sangue, bem como oferecidos testes rpidos de diagnstico de hepatite C. No local havia mdico e nutricionista orientando os caminhoneiros e tirando dvidas, alm de uma UTI em caso de emergncia.

    Dentre as novidades desta edio esta-va o Trucktest oferecido pela Mercedes Consoline. A atrao consistiu na dis-ponibilidade de um caminho de ltima gerao para que os motoristas pudes-sem test-lo em um recorrido de at 10km. No final do trajeto, o caminho-neiro foi informado de seu desempenho durante a conduo e recebeu medidas de segurana e orientaes de direo que ele pode adotar para tornar o vecu-lo mais econmico e eficiente. Foram oferecidos tambm servios de cabelereiro e houve muita msica para animar as pessoas. Os trabalhadores do evento distriburam material de higiene pessoal e tambm de ginstica laboral, para incentivar os caminhoneiros a me-lhorarem a qualidade de vida no traba-lho dirio.Chico da Boleia participou de rodas de conversas sobre vrios assuntos. Fa-lou-se muito sobre educao no trnsi-to e tambm sobre a responsabilidade do motorista em dirigir o caminho.

    Acredito que as pessoas saram mais conscientes depois das palestras e das conversas, afirmou o companheiro Chico da Boleia. Dentre os assuntos abordados, esta-va a questo do combate explorao sexual infantil nas rodovias. Os com-panheiros da estrada devem sempre participar dessas discusses. impres-cindvel que cuidemos de nossas crian-as. Elas merecem ser respeitadas e a explorao sexual de crianas e adoles-centes deve ser combatida com todas as foras em todas as rodovias do nosso pas, apoiou Chico da Boleia. Com a ajuda de parceiros como a Dpas-choal e o SuporteRei alguns dos pa-trocinadores do evento a Rota das Bandeiras tambm ofereceu gratuita-mente aos caminhoneiros os refletivos de caminhes. Caso fosse identificado que este equipamente estivesse dete-riorado, a troca era gratuita e realizada imediatamente. Redao Chico da Boleia

    CLASSIFICAO DO CAMPEONATO BRASILEIRO

    1) Paulo Salustiano e Regis Bossio, 71 pontos; 3) Geraldo Piquet, 534) Leandro Totti, 52; 5) Wellington Cirino, 44; 6) Diogo Pachenki, 40; 7) Beto Monteiro, 32; 8) Joo Maistro, 30; 9) Leandro Reis, 27;10) Walmir Benavides, 26; 11) Andr Marques, 23; 12) Alberto Cattucci, 21; 13) Adalberto Jardim e Roberval Andrade, 20; 15) Djalma Fogaa, 17; 16) Ronaldo Kastropil, 12; 17) Jos Maria Reis, Edu Piano e Rogrio Castro, 7; 20) Pedro Muffato e Jansen Bueno, 22) Luiz Lopes, 4; 23) Dbora Rodrigues, 2

    Informaes tcnicas: Frmula Truck

    Redao Chico da Boleia

    7) Alberto Cattucci (SP/Volvo), ABF/Volvo, a 49s186

    8) Rogrio Castro (GO/Volvo), ABF/Volvo, a 52s840

    9) Edu Piano (SP/Ford), Territrio Motorsport, a 1min16s942

    10) Ronaldo Kastropil (SP/Scania), Ticket Car Corinthians Motorsport, a 1min16s942

    11) Beto Monteiro (PE/Iveco), Scuderia Iveco, 1min53s968

    12) Djalma Fogaa (SP/Ford), 72 Sports/Ford Racing Trucks, a 1 volta

    13) Rgis Boessio (RS/Mercedes-Benz), ABF Desenvolvimento Team, a 1 volta

    14) Andr Marques (SP/Volkswagen), MAN/RM Competies, a 7 voltas

    15) Alex Caffi (ITA/Iveco), Dakarmotors, a 7 voltas

    16) Valmir Benavides (SP/Iveco), Scuderia Iveco, a 7 voltas

    Chico da Boleia aproveitou para cuidar da sade | Foto: Matheus Moraes

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA10 ENTRETENIMENTOO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    CruzadinhaPALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

    Soluo

    www.coquetel.com.br Revistas COQUETEL 2013

    Nas BaNcas e Livrarias

    www.coquetel.com.br

    APRENDA A PENSAR COMO

    SHERLOCKBANCO 39

    TGA

    BALBUCIAR

    CARRANCA

    NOCAUTEAR

    DNASMA

    C

    R

    ESCERPE

    BOALCAP

    RESSECADA

    II

    T

    R

    AOP

    ISADORAA

    EOGANG

    ABULIA

    U

    V

    A

    OATLEI

    ALTRUISMO

    Contedodo ca-minho

    (?) dco,estilo

    arquitet-nico

    (?) Duncan,pioneirada danamoderna

    (?)2,banda deBono e

    The EdgeFruto

    cultivadoem vin-

    colasAgnaldoTimteo,cantor

    brasileiro

    (?) Pel:regula o

    esporte noBrasil

    Perda denimo

    A base dafilantropia

    Augusto (?): criou oTeatro doOprimido

    Aumentar

    Deixar in-conscien-te (fig.)

    Figura dosbarcos do

    rio SoFrancisco

    Basto como o usadopor Babe Ruth (esp.)As pedras que inici-am o jogo, no xadrez

    Guiaespiritual

    Selecionar(o feijo)

    (?) de Cas-tro, damamedieval

    Duas aves brasileirasAbrigadoem bar-racas

    QueimaparedesO dubl

    ideal

    Doenaalrgica

    Exame decorao

    Bando,em inglsCidade dosexageros

    Angstrm(smbolo)Prennciode chuva

    Base

    Capito(abrev.)

    Desidra-tada

    (a pele)

    2, emromanosMoeda doCanad

    Forma dobarbeadorFalar comhesitao

    3/art. 4/boal gang ins. 6/abulia. 7/isadora.

    Promoo

    Antonio Jorge Ferraz, ganhador da promoo na rdio Ganhador Mirim /Promoo V a F-Truck com o Chico

    COOPAC BRASIL EST NASCENDO

    ACESSE O SITE E CONHEA MAIS SOBRE A COOPERATIVA

    WWW.COOPACBRA.COM.BR

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA 11LEI DO MOTORISTA

    Chico da Boleia: Mais uma vez va-mos conversar sobre a Lei 12.619. A Lei ainda est em vigor, mas existem muitos setores reclamando e tentan-do fazer um lobby para mud-la. O Sr. acha possvel mudar alguma coisa na Lei 12.619?Jos Machado: Existem vrias mu-danas que so impossveis de serem realizadas, mas existem algumas mu-danas que eu vejo como possveis. Por exemplo, tem uma coisa que fazia parte do Projeto de Lei que foi vetado pela Presidenta e que eu acho fundamental falar porque estou sentindo na pele na hora do controle que a questo da jor-nada semanal de 36 horas. O PL ori-ginal previa que o empregado poderia acumular 1, 2 ou 3 semanas de traba-lho sem descanso e isso foi vetado. Ento fica vinculado que toda semana o motorista tem que descansar 36 ho-ras. Isso realmente muito difcil de se controlar. Existe, por exemplo, aquele caminho que est l em outra cidade, h 500km ou 1000km de distncia de sua casa. Nesse caso, o que se v que o caminhoneiro no quer ficar 36 ho-ras longe, seja no hotel, seja na cabine, seja no posto ou onde for, descansando.

    Ele quer ficar na casa dele. Ento, se voc tivesse na Lei aquele artigo que foi vetado que dizia que ele poderia acumular o descanso em at 3 semanas e depois descansar cumulativo, satisfa-ria o empregado e o empregador. Mas que eu fico, honestamente, preocupado, porque eu estou rodando pelas estra-das e vejo que a desobedincia dessa Lei acontece de forma flagrante. Voc v que no est havendo o descanso e que a Lei no est sendo cumprida. Nossa maior preocupao a parte tra-balhista. Como eles (empresrios) vo se defender numa eventual reclama-o trabalhista no futuro? A partir do momento em que uma empresa perder uma ao trabalhista, vai haver fila de reclamaes na Justia do Trabalho e empregadores no tero como se de-fender.Chico da Boleia: Ns temos na rea de transporte inmeros tipos de carro-cerias, rotas e produtos a serem trans-portados. No fica muito difcil colocar toda essa diversidade dentro de uma s Lei?Jos Machado: outra coisa que se discute. Eu ouvi a disposio de moti-vos de quem est pleiteando mudanas

    l em Braslia. Inclusive a nossa entida-de e outras tambm esto participando das discusses. Eu no sei o que ser aprovado ou no. Isso que voc est levantando uma das coisas. Ento: cad o ptio de descanso com tomada para carga perecvel? Uma coisa o trecho Rio-So-Belo Horizonte, outra coisa Belm-Braslia-Roraima. Ento isso tudo est sendo discutido para que aconteam algumas adequaes nesse sentido. Chico da Boleia: Pela experincia, quanto tempo o Sr. acha que leva pra essa Lei ter o tempo de maturao e co-mear a ser efetivamente praticada?Jos Machado: Olha, o tempo dire-tamente proporcional fiscalizao. Eu estou cansado de ver leis que no funcionam nunca porque no existe fis-calizao. Ento se a fiscalizao agir, esse cumprimento vai ser rpido. Mas se ficar nesse marasmo, no vai fun-cionar nunca. Vai funcionar depois que quebrar alguns a porque a legislao trabalhista vai agir. Se o empregado for reclamar, a legislao trabalhista vai agir e isso vai custar caro para o em-presrio. Mas a eu acho que vai ser um pouco tarde pras pessoas acordarem.Chico da Boleia: Efetivamente o Sr. hoje est criando dentro da empreso a metodologia para cumprir a legislao. O Sr. consegue medir quantos por cen-tro isso impactou no preo do frete?Jos Machado: No geral, tivemos uma queda de 40% na produtividade dos ca-

    minhes. Mesmo considerando os rea-justes de frete em funo disso, se voc pegar um caminho que faturava R$50 mil por ms, hoje ele fatura R$30 mil. E a as pessoas dizem: Ah mas vocs j rodavam noite, 24 horas?. No, no tinha nada disso! Os nossos cami-nhes j eram, antes da lei, bloqueados das 22 horas as 6 horas da manh.Chico da Boleia: Como o Sr. v o transporte rodovirio de cargas para os prximos 5 anos?Jos Machado: Eu vejo com preocu-pao! O governo est incentivando muito a venda de caminhes por conta de juros at negativos do BNDES. A concorrncia acirradssima. Eu estou falando no setor onde eu opero, que o setor de agronegcios. A concorrncia chega a ser desleal, porque um contro-la, o outro no, um recolhe (imposto) o outro no. Eu estou preocupado e apre-ensivo, porque acho que teremos pro-blemas de liquidez. Eu acho que no setor de agronegcios tem muita gente que no vai aguentar. Porque se a fiscalizao apertar vai pegar no controle da jornada, no pa-gamento do frete, tem gente que con-tinua trabalhando do mesmo jeito que era antes. Se a pessoa no acordar ela vai sofrer ou com a fiscalizao ou com a prpria Justia do Trabalho mais pra frente.

    Redao Chico da Boleia.

    Chico da Boleia esteve em Jardinpolis, interior de So Pau-lo, para conversar sobre a Lei 12.619 com Jos Machado, diretor da ATR Brasil

    Entrevista - Jos Machado, diretor da ATR BRASIL

  • Aviso de garantiase novidades em

    seu celular

    INFORMATIVO SMS

    Sua compra valeprmios trocados

    na hora

    CLUBE VANTAGENS

    Vales descontosem produtos

    e servios

    CHEQUE BNUS

    Descontos pararecapagens no msdo seu aniversrio

    PRESENTE DE ANIVERSRIO

    Voc pode ganhar at R$ 300,00 em descontos, promoes e muito mais.

    Saiba mais: truck.dpaschoal.com.br