17 sugestoes educacao para os municipio

Download 17 sugestoes educacao para os municipio

Post on 06-Apr-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

TRANSCRIPT

  • Cristovam Buarque

    17 sugestes de polticas pblicas para melhorar a

    educao no seu municpio

    Braslia, 2008

  • Cristovam Buarque

    17 sugestes de polticas pblicas para melhorar a

    educao no seu municpio

  • Aula 02Aula 02

    Su

    ge

    st

    es p

    ara

    os P

    re

    fe

    ito

    s

    53

    Ca

    rtil

    ha

    pa

    ra

    os P

    re

    fe

    ito

    s

    Apresentao

    No final de meu mandato como governador, o maior elogio que recebi

    foi de uma senhora que disse: voc foi um bom inquilino da minha

    casa: Braslia. Este deve ser o desafio do prefeito - no Distrito Federal

    chama-se governador mas somos prefeitos tambm - e dos vereadores.

    Cuidar de sua cidade.

    O Municpio a casa da gente. Lugar onde tudo acontece. Onde a

    educao realizada, a sade praticada, o transporte deve funcionar,

    o saneamento deve existir, o meio ambiente impacta sobre nossa vida,

    onde a gente sente se h ou no segurana para ns e para nossos

    filhos. onde a gente trabalha.

    At h pouco tempo, o Municpio era um lugar sem poder. Com a

    Constituio Federal de 1988, o Municpio passou a ser um ente da

    Repblica, fazendo companhia Unio e aos Estados e Distrito Federal.

    No h uma hierarquia. A autonomia que o Municpio conquistou com a

    Constituio implica tambm um aumento de responsabilidade, tanto

    dos eleitores, quanto das pessoas que forem eleitas para as Cmaras de

    Vereadores e para a Prefeitura; e na necessidade de cooperao entre

    municpio, Estado e Unio.

    Vereadores e prefeitos so to importantes quanto governadores,

    presidentes, deputados e senadores, com a importncia adicional

    de estarem ligados diretamente aos problemas da populao. H

    responsabilidades diferenciadas, isso no quer dizer que uns

    sejam menos importantes em suas funes que outros, mas os

    agentes municipais so os que esto diretamente ligados

    realidade do povo.

    Por isso, os partidos devem escolher seus melhores quadros para

    essas funes, como servidores do pblico, responsveis por

    colocar em prtica um programa de melhoria da convivncia e de

    transformao social.

    o municpio que cria as condies para a boa convivncia entre os

    moradores da cidade, e esta a mais imediata das obrigaes dos

    dirigentes municipais. no Municpio que fazemos a

    transformao social, de onde comea a verdadeira Revoluo

    que o Brasil precisa fazer.

  • Su

    ge

    st

    es p

    ara

    os P

    re

    fe

    ito

    s

    Foi pensando nisso, com o respeito pelos dirigentes municipais, que

    pensei em compartilhar com vocs a experincia destes projetos e

    programas que me parecem simples passos para grandes solues.

    Alguns deles eu executei no Distrito Federal, quando era

    governador/prefeito, outros me foram sugeridos posteriormente.

    Cristovam Buarque

    54

  • Ca

    rtil

    ha

    pa

    ra

    os P

    re

    fe

    ito

    s

    Aula 02Aula 02

    Su

    ge

    st

    es p

    ara

    os P

    re

    fe

    ito

    s

    1. PREFEITO-CRIANA / PREFEITA-CRIANA:

    Tenha em seu Gabinete o nome de todas as crianas do seu municpio.

    Assuma um compromisso com cada criana de seu municpio. No com

    todas em abstrato, mas com cada uma. Assim, ter o nome de cada

    criana em seu gabinete ser uma primeira ao, simples e

    praticamente sem custo, que vai mostrar sua vontade de servir

    especialmente s crianas: mantenha em um banco de dados em seu

    computador pessoal, ou anotados em um caderno sempre mo, os

    nomes de todos os meninos e meninas do seu municpio. Essa ao,

    aparentemente singela, criar uma relao especial de proximidade

    com suas crianas.

    Use sua lista para acompanhar de perto o desenvolvimento de cada

    criana na rua, que viva ou trabalhe no lixo, que esteja sujeita

    explorao sexual ou trabalhando para ajudar no sustento de sua

    famlia. Enfim, acompanhe cada menino ou menina em situao de

    vulnerabilidade ou risco social. Inclua todas as demais, no importa

    sua situao social.

    H mtodos j adotados em Braslia isso foi feito que permitem a

    identificao dessas crianas sem grandes dificuldades nem custos

    elevados. Existem inclusive programas de computador que permitem o

    acesso direto ao histrico escolar dos alunos matriculados nas

    escolas pblicas.

    Mostre seu interesse pelas crianas.

    Quando voc l no jornal a notcia da morte de uma criana, voc

    toma conhecimento de um fato lamentvel, mas impessoal. Essa

    situao muda quando o nome dela faz parte da sua lista. como

    se voc tivesse convivido com ela. Ao apagar aquele nome, voc

    sente a dor da perda, e isso muda sua relao com todos os

    meninos e meninas. Voc passa a ser no apenas um dirigente,

    mas um prefeito sensvel aos sofrimentos dos habitantes de sua

    cidade.

    Com a lista em dia, voc pode buscar solues para cada caso e

    acompanhar de perto cada criana, mobilizando sua equipe,

    secretariado e comunidade para resolver os problemas daquelas

    que esto em risco, sugerindo adoo, abrigo, jornada ampliada,

    Bolsa-Escola. Poder tambm acompanhar as crianas que esto

    na escola, chamando seus assessores, professores, pais e

    55

  • Su

    ge

    st

    es p

    ara

    os P

    re

    fe

    ito

    s

    responsveis para saber da sua situao na escola, em casa e na

    comunidade. Pode, de vez em quando, conversar com as prprias

    crianas, chamando-as pelo nome, citando dados de seu histrico

    escolar. Quando fizer isso, a notcia vai se espalhar rapidamente, e seu

    interesse vai contagiar toda a cidade, como se todas as crianas

    fizessem parte de uma mesma imensa famlia. Assim, voc passa a ser

    considerado por sua comunidade um prefeito-criana, uma prefeita-

    criana.

    Essa fama vai crescer ainda mais se partirem regularmente de voc

    outros gestos simples em defesa da criana e da educao, como visitar

    escolas, cobrar informaes dos professores e educadores, reunir-se

    com mes, exigir resultados dos seus gestores, envolver a comunidade.

    2. SECRETARIA DA CRIANA: nomeie um especialista diretamente

    ligado a voc para acompanhar o trabalho do seu governo em favor das

    crianas.

    Por mais que tenha motivao, nenhum prefeito ou prefeita pode deixar

    de atender suas demais obrigaes para cuidar apenas das crianas.

    Por isso, voc precisa de um auxiliar direto, no mais alto nvel da

    administrao, com a preocupao central de desenvolver esse

    trabalho. Ele deve ser parte do seu secretariado, para mediar, apoiar,

    agilizar e fiscalizar todas as aes do governo voltadas para as crianas

    e os adolescentes.

    Se voc no quiser ampliar o nmero de secretarias, pode

    simplesmente incorporar essa responsabilidade a algumas das

    outras, desde que fique claro seu papel adicional como Secretaria

    da Criana. A funo da Secretaria da Criana , antes de tudo,

    mobilizar e facilitar o trabalho de todos para resolver o problema de

    cada uma das crianas do seu municpio. Alm de fiscalizar o

    trabalho do governo, essa secretaria tem o papel de fazer cumprir

    o ECA - Estatuto da Criana e do Adolescente em sua cidade.

    3. DIA MUNICIPAL DO COMPROMISSO COM A CRIANA E A

    EDUCAO: Defina um dia do ano em que indivduos, grupos

    comunitrios, instituies, organizaes no-governamentais,

    igrejas e empresas de sua cidade se mobilizaro em apoio poltico e

    financeiro aos programas voltados para as crianas, especialmente

    aquelas originrias de famlias pobres.

    Em escala nacional, a Rede Globo faz isso com a campanha Criana

    Esperana. Em escala local, essa campanha pode ter uma

    dimenso muito maior e permanente. Para criar o Dia Municipal do

    56

  • Ca

    rtil

    ha

    pa

    ra

    os P

    re

    fe

    ito

    s

    Aula 02Aula 02

    Su

    ge

    st

    es p

    ara

    os P

    re

    fe

    ito

    s

    Compromisso com a Criana e a Educao, a prefeitura precisa:

    Determinar o dia do ano.

    Nomear um Comit do Compromisso, com a participao de

    representantes dos principais segmentos organizados da sociedade:

    Conselho da Criana e do Adolescente, Conselho Tutelar, associaes,

    sindicatos, clubes de empresas, diretores de escolas, ONGs, juizado da

    infncia e da adolescncia e igrejas. A esse comit caber organizar as

    aes de mobilizao do Dia do Compromisso e administrar as

    contribuies feitas nesse dia.

    Abrir uma conta bancria em nome do Comit do Compromisso e

    anunciar seu nmero, para que doaes possam ser feitas. Os recursos

    dessa conta s devero ser utilizados para programas educacionais,

    como o Bolsa-Escola / Bolsa Famlia. No devem ser permitidos gastos

    com atividades-meio, salrios dos administradores, compra de mveis,

    material ou aluguel de escritrio. Tais gastos devem ser financiados

    com recursos da prpria prefeitura ou contribuies voluntrias.

    A conta dever estar permanentemente aberta ao pblico, tanto

    para receber doaes como para informar sobre o uso dos recursos. A

    cada Dia do Compromisso, a prestao de contas dever ser divulgada.

    No Dia do Compromisso, grupos de artistas locais e regionais

    podem realizar espetculos, com rendas revertidas para programas

    infantis. Uma percentagem das vendas do comrcio