14 Edio Nacional Jornal Chico da Boleia

Download 14 Edio Nacional  Jornal Chico da Boleia

Post on 15-Mar-2016

216 views

Category:

Documents

2 download

DESCRIPTION

Jornal Chico da Boleia 14 Edio

TRANSCRIPT

  • Distribuio Gratuita

    O JORNAL PARA O

    CAMINHONEIROAMIGO

    www.chicodaboleia.com.br

    Orgulho de ser caminhoneiro

    EDIO NACIONAL

    A Frmula Truck reuniu no dia 22, na casa de eventos Spao Quat, Vila Olmpia, So Paulo, a j tradicional Festa de Abertura da Temporada da categoria mais popular da Amrica do Sul.

    A partir de janeiro deste ano Tnia aceitou o convite de Chico da Boleia para colaborar com nossa pgina da in-ternet. Criou-se ento o Blog da Tnia Rampim, onde a caminhoneira j pu-blicou textos.

    Tnia Rampim, orgulho de ser caminhoneira

    Embarque Imediato: nova ferramenta gratuita aproxima caminhoneiros e embarcadores

    Ano 02 - Edio 14 - Fevereiro de 2013

    Foto: Juliano H. Buzana (Supervisor de Tecnologia da Informao da Central do Transporte)

    Festa d nicio temporada 2013 da Frmula Truck

    Pg. 6 e7

    Pg. 4

    Pg. 8

    Pg. 11

    Saiba sobre as restries de circulao de caminhes

    As restries circulao de cami-nhes foram a alternativa encontrada por prefeituras para tentar desafogar o trnsito nas vias de parte dos grandes centros brasileiros. A medida, no entan-to, no unnime.

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    Companheiros do ta-pete negro da estrada!Enfim chegamos ao ms de Maro! O car-naval j ficou para trs e espero que todos te-nham se divertido e brincado. Ou, pelo me-nos, tenham feito boas

    viagens. Diz o dito popular que s aps o carnaval que realmente o ano come-a. Sendo assim, mais um feliz 2013 para todos!Brincadeiras parte, incrvel como certas pessoas buscam tumultuar con-quistas importantes para nossa catego-ria. Digo isso porque ainda tem gente usando a famigerada Carta Frete e que-rendo derrubar a Lei 12.619, a Lei do Motorista.Se estas pessoas, que se dizem defenso-ras da nossa categoria, andassem mais pelas estradas, iriam notar o que real-mente a categoria pensa e quer!Nesta edio vamos falar de um servio de grande importncia para nosso setor, a Busca Eletrnica de Fretes. Este ser-vio de suma importncia, pois dimi-nui o caminho entre a carga e o nosso caminho. Ou, para ser mais claro, eli-mina a figura do intermedirio que fica com parte do nosso ganho.Nos dias 18 e 19 de Fevereiro come-aram os treinos visando a Tempora-da 2013 da Frmula Truck. Os treinos foram em Interlagos-SP, o templo do automobilismo brasileiro. No 22 de Fe-vereiro estivemos no Jantar de Lana-mento da Temporada 2013. Eu e minha equipe vamos acompanhar de perto es-

    tas atividades durante todo o ano.E como falei na edio de Janeiro e no incio deste editorial, a discusso sobre o Fim da Carta Frete e a Lei do Moto-rista (Lei 12.619) continua. Vamos ficar atentos! No vamos deixar estas con-quistas se perderem!A partir desta edio, temos a compa-nhia da nossa companheira das estra-das Tnia Rampim. Ela estar conosco contando um pouco sobre sua vida em cima do tapete negro e suas experin-cias dentro da boleia.Voc caminhoneiro e carreteiro, procu-re seu sindicato e participe! Cobre dos dirigentes uma atuao favor da ca-tegoria. No deixe na mos de outros a sua deciso.Todo caminhoneiro ou carreteiro tem que ter o RNTRC (Registro Nacio-nal do Transporte Rodovirio de Car-gas) para exercer a profisso. Confor-me determina a Lei 11.442, para ter o RNTRC preciso recolher o Imposto Sindical anualmente, ou seja, todo dia 28 de Fevereiro. Se o profissional no recolher este imposto, estar irregular com o RNTRC. Este imposto sindical sua filiao s entidades que repre-sentam a categoria. Voc tem o direito de buscar um sindicato mais prximo que possa representar e atender suas demandas profissionais. Desejo a todos uma boa leitura e bons fretes! Com certeza nos veremos no trecho!

    Um abrao do Chico da Boleia Orgulho de Ser Caminhoneiro

    Sede: Rua Bento da Rocha, 354 - Itapira-SP, CEP 13.970-030 Fone:(19) 3843-5778Tiragem: 50.000 exemplares Nacional, 10.000 exemplares Baixa Mogiana e 10.000 exemplares Grande Ribeiro PretoDiretora-Presidente: Wanda JachetaDiretor Editorial: Chico da BoleiaEditor Responsvel: Chico da BoleiaRevisoLarissa J. RibertiDiagramaoPamela SouzaSuporte TcnicoMatheus A. MoraesJuliano H. BuzanaConselho Editorial:Albino Castro (Jornalista) Larissa J. Riberti (Historiadora) Dra. Virgnia Laira (Advogada e coor-denadora do Departamento Jurdico da Fenacat) Roberto Videira (Presidente da APRO-CAM Brasil) Jos Arajo China (Presidente da UNICAM Brasil)

    Responsabilidade social:ViraVidaLigue 100Na mo certa

    02 EDITORIAL

    Expediente Montadora Ford estreia no segmento de extrapesadosBlogueiros do Chico

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    Ol amigos! Parece que o ano de 2013 promete esquentar o mercado de caminhes e tambm as novidades em peas e acessrios para os brutos.No segundo semestre de 2012, as mon-tadores e fabricantes de acessrios e peas para caminhes j haviam anun-ciado vrios lanamentos para este ano.Aps o anncio, o primeiro lana-mento foi da Scania que apresentou em novembro do ano passado, o caminho 62/4, com tecnologia e trao desen-volvidas para reduzir os custos opera-cionais do cliente e melhorar o desem-penho nas estradas. J no mercado, os caminhes podem ser encontrados nos modelos de cabine P, G, R e Highline, com potncias que variam entre 360 at 480 cavalos.No dia 23 de janeiro, foi a vez da mon-tadora Ford anunciar sua estreia no segmento de caminhes extrapesados. Lanado simultaneamente no Brasil

    COOPAC BRASIL EST NASCENDO

    ACESSE O SITE E CONHEA MAIS SOBRE A COOPERATIVA

    WWW.COOPACBRA.COM.BR

    Chico da Boleia

    Chapa

    Dra. Virginia Laira

    Jos Machado

    Albino Castro

    Djalma Fogaa

    Roberto Videira

    Tnia Rampim

  • adiantamento, como tambm deve ser destacado o valor do pedgio.O que tem acontecido que tem sido registrado apenas o valor do adianta-mento e o saldo feito o pagamento por fora.Os companheiros devem denunciar esta atitude ANTT, pois ela a agn-cia reguladora que deve punir quem no estiver utilizando o sistema corre-tamente.Durante a operao, deve-se emitir o CIOT com o registro do valor total do frete, definindo quanto o adian-tamento e quanto o saldo, e quanto o valor do pedgio. Se no fizer desta forma est errado. E deve ser denun-ciado.Quanto a falta do pagamento do saldo, voc deve recorrer a entidade sindical de sua base territorial, e denunciar a empresa a ANTT.

    Chico da Boleia Orgulho de ser caminhoneiro

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    Sede: Rua Bento da Rocha, 354 - Itapira-SP, CEP 13.970-030 Fone:(19) 3843-5778Tiragem: 50.000 exemplares Nacional, 10.000 exemplares Baixa Mogiana e 10.000 exemplares Grande Ribeiro PretoDiretora-Presidente: Wanda JachetaDiretor Editorial: Chico da BoleiaEditor Responsvel: Chico da BoleiaRevisoLarissa J. RibertiDiagramaoPamela SouzaSuporte TcnicoMatheus A. MoraesJuliano H. BuzanaConselho Editorial:Albino Castro (Jornalista) Larissa J. Riberti (Historiadora) Dra. Virgnia Laira (Advogada e coor-denadora do Departamento Jurdico da Fenacat) Roberto Videira (Presidente da APRO-CAM Brasil) Jos Arajo China (Presidente da UNICAM Brasil)

    Responsabilidade social:ViraVidaLigue 100Na mo certa

    Chico da Boleia responde

    Montadora Ford estreia no segmento de extrapesados

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAPAPO DE BOLEIA 03

    Ol amigos! Parece que o ano de 2013 promete esquentar o mercado de caminhes e tambm as novidades em peas e acessrios para os brutos.No segundo semestre de 2012, as mon-tadores e fabricantes de acessrios e peas para caminhes j haviam anun-ciado vrios lanamentos para este ano.Aps o anncio, o primeiro lana-mento foi da Scania que apresentou em novembro do ano passado, o caminho 62/4, com tecnologia e trao desen-volvidas para reduzir os custos opera-cionais do cliente e melhorar o desem-penho nas estradas. J no mercado, os caminhes podem ser encontrados nos modelos de cabine P, G, R e Highline, com potncias que variam entre 360 at 480 cavalos.No dia 23 de janeiro, foi a vez da mon-tadora Ford anunciar sua estreia no segmento de caminhes extrapesados. Lanado simultaneamente no Brasil

    e na Turquia, o novo modelo da linha Ford Cargo foi o resultado de pesqui-sas desenvolvidas entre engenheiros da filial brasileira e de pesquisadores da Europa e da Turquia.Segundo informaes da montadora o novo Ford Cargo um veculo re-sistente, confivel e economicamente acessvel. O diretor de Operaes de Caminhes da Ford Amrica do Sul, Oswaldo Jardim, afirmou que o novo caminho oferece alto desempenho e conforto como isolamento acstico, suspenso e preciso de comandos , bem como tima dirigibilidade e economia opera-cional. O novo modelo tambm busca excelncia de performance, ou seja, de economia de combustvel, e mxima capacidade de carga.A Ford ainda no revelou a motor-izao e nem o preo do modelo que ser lanado oficialmente at outubro

    Ol Chico, tudo bom?

    Algum tempo atrs passei por uma si-tuao que me deixou com um p atrs com esse negocio de CIOT (CODIGO DE IDENTIFICAA DE OPERA-O DE TRANSPORTE). Carre-guei para uma empresa que efetuou o CIOT, mas a mesma no me pagou o saldo do frete. A fui recorrer ANTT que me informou que eles apenas fi-zeram a regra e que no podiam fazer nada em relao a este pagamento. No fim tive que dar um jeito de resol-ver eu mesmo a situao. Agora que vem minha duvida Chico, como o CIOT pode garantir o recebi-mento do meu frete?A quem recorrer se a empresa embar-cadora no me pagar? Resposta: Bom Companheiro!

    O CIOT (CODIGO DE IDENTIFICA-O DE OPERAO DE TRANS-PORTE) um documento legal que confirma que voc fez o frete. Sendo um documento legal ele usado como prova para cobrar possveis inadim-plncias.O grande problema que certas empre-sas esto usando de m f ou por falta total de conhecimento do sistema, pois na operao deve ser feito o registro do valor total do frete e no apenas do

    COOPAC BRASIL EST NASCENDO

    ACESSE O SITE E CONHEA MAIS SOBRE A COOPERATIVA

    WWW.COOPACBRA.COM.BR

    deste ano no Brasil e que j comeou a ser vendido na Europa. No entanto, o prottipo apresentado ontem trazia um motor de 420 cavalos de potncia e uma capacidade de carga de mais de 47 toneladas. Os planos so para que os caminhes produzidos na montadora de Camaari, na Bahia, possam ser ex-portados para a Argentina, na Amrica do Sul e aumentam a participao dos extrapesados na economia do pas.Essas novidades so tambm resultado dos estmulos econmicos dados pelo governo, como reduo do IPI e incen-tivos fiscais para empresas que desen-volvam tecnologias que beneficiem di-retamente os consumidores. As medidas fazem parte de um pacote econmico que comeou em 2012 e pretende aquecer o mercado produtivo brasileiro neste ano. Podem esperar, que haver muita novidade para o seg-mento neste ano.

    Abrao do Chapa!

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA04 FIQUE POR DENTROO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    No dia 24 de janeiro, a Autopista Fer-no Dias inaugurou o Sistema Inte-ligente de Transporte e o Centro de Controle Operacional (CCO), em ce-rimnia oficial realizada na sede da concessionria, localizada na cidade mineira de Pouso Alegre. Todo o Sistema conta com o Circuito Fechado de TV (CFTV) composto por 221 cmeras, distribudas a cada cinco quilmetros de distncia pela rodovia, aproximadamente. O Centro de Con-trole Operacional recebe as imagens captadas e, por meio de um software de computador, identifica as intervenes ocorridas na rodovia. O sistema tem como principal objetivo tornar mais r-pido e eficiente o atendimento aos usu-rios em caso de acidentes, infraes ou situaes de risco. Operando em seis cidades dos estados de Minas Gerais e So Paulo e com trs bases instaladas para o funcionamento

    No de hoje que os caminhoneiros sofrem constantes restries de cir-culao. Acusados de entupir as rodovias e ruas de todo o Brasil, os caminhes e carretas so os primei-ros a sofrerem com impedimentos de circulao em horrios de pico ou feriados.Neste ano, a Polcia Rodoviria Fe-deral (PRF) divulgou um calendrio de restries de circulao de ca-minhes e carretas nas rodovias em datas comemorativas. No carnaval, por exemplo, os veculos pesados s puderam trafegar com total liberda-de na segunda-feira. Nos outros dias (de sexta-feira at a quarta-feira de cinzas), os caminhoneiros tiveram que se adequarem as restries de-terminadas. A determinao vale tambm para os feriados da Semana Santa, Pro-clamao da Repblica, Festejos Juninos no Norte e Nordeste, dentre outros eventos. Os horrios em que a restrio aplicada so justamente os que concentram maior volume de veculos nessas estradas, como das 6 da manh at o meio dia e das 15 at as 22 horas. As restries no apontam somente para o excesso na quantidade de ve-culos que trafegam pelas estradas do pas, mas tambm para o problema das condies dessas vias de circula-o. Simplesmente tirar os veculos pesados de circulao no garante necessariamente que o fluxo melho-re ou que os engarrafamentos sejam evitados.Segundo a PRF o objetivo principal dessa determinao que sejam pre-

    venidos acidentes e que se melhore a segurana nas estradas. Nas marginais Pinheiros e Tiet e tambm nas ruas do centro de So Paulo, por exemplo, j so conheci-das as restries. Os caminhoneiros sofrem para adequar seus horrios de carga e descarga s medidas es-tabelecidas. De acordo com a opinio do Chico da Boleia, as restries no funciona-ram. No caso da cidade de So Pau-lo, impedir o trfego de caminhes pelas marginais no minimizou o problema do trnsito, s alterou os horrios de congestionamento. Isso mostra que o problema no tirar o caminho da via de rolamento, e sim organizar o trnsito, concluiu.Sabemos que veculos pesados exi-gem maior responsabilidade na hora da direo e tambm mais ateno do motorista. Mas no podemos de-terminar que todos os acidentes e engarrafamentos existentes sejam de responsabilidade dos caminhonei-ros. Os problemas enfrentados por cami-nhoneiros com as restries afetam profissionais de todo o pas. S res-tringir a circulao no resolve os problemas de segurana e trfego. So necessrias mais infraestrutura e participao dos rgos competentes para que todas as partes possam estar satisfeitas. necessrio tambm o incentivo ao uso e a disponibilizao de mais veculos que possam trans-portar passageiros coletivamente. Chico da Boleia aponta para uma falta de dilogo entre autoridades e a categoria. No tem como voc res-tringir os caminhes de circularem

    Restries de circulao de caminhes realmente resolvem os problemas de trnsito?

    em um feriado nacional. O proble-ma o transporte pblico e tambm como os veculos de passeio se com-portam no trnsito., complementou. Em uma enquete realizada na nossa rede social, um dos internautas, Ce-sar, apontou que o necessrio que tenhamos rodovias adequadas para a quantidade de veculos, caminhes e nibus que circulam pelo Brasil, afinal a nossa malha rodoviria praticamente a mesma desde a dca-da de 70. O internauta ainda citou o caso da BR 277 no Paran, que pos-sui a mesma infraestrutura de antiga-mente, mas recebe um nmero muito maior de veculos. J para Alessandro, as restries de circulao so uma violao do di-reito de ir e vir de cada cidado. E se o caminhoneiro quiser ir para

    casa e aproveitar o feriado com a fa-mlia? Ele no pode? Se ele for antes do feriado (porque no pode rodar no feriado), o Brasil pra! Sincera-mente, estes profissionais que fazem leis para caminhes e caminhoneiros no entendem nada sobre caminhes e caminhoneiros!, concluiu. Segundo o documento publicado pela PRF, a restrio abranger os trechos rodovirios de pista simples. O veculo autuado s poder seguir viagem aps o horrio de trmino da restrio.

    Redao Chico da Boleia

    Confira abaixo os detalhes do calen-drio de restrio de circulao de veculos pesados para 2013.

    Foto: Matheus Moraes

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAFIQUE POR DENTRO 05

    No dia 24 de janeiro, a Autopista Fer-no Dias inaugurou o Sistema Inte-ligente de Transporte e o Centro de Controle Operacional (CCO), em ce-rimnia oficial realizada na sede da concessionria, localizada na cidade mineira de Pouso Alegre. Todo o Sistema conta com o Circuito Fechado de TV (CFTV) composto por 221 cmeras, distribudas a cada cinco quilmetros de distncia pela rodovia, aproximadamente. O Centro de Con-trole Operacional recebe as imagens captadas e, por meio de um software de computador, identifica as intervenes ocorridas na rodovia. O sistema tem como principal objetivo tornar mais r-pido e eficiente o atendimento aos usu-rios em caso de acidentes, infraes ou situaes de risco. Operando em seis cidades dos estados de Minas Gerais e So Paulo e com trs bases instaladas para o funcionamento

    Helvcio Tamm fala sobre o novo Sistema Operacional da Autopista Ferno Dias

    do Sistema Meteorolgico, o novo m-todo de controle auxiliar funcionrios, policiais e principalmente os usurios da rodovia. Chico da Boleia esteve na inaugura-o e conversou com Helvcio Tamm, Superintendente da Autopista Ferno Dias. Segundo o responsvel, o CCO importante, pois cria um mecanismo capaz de centralizar as informaes de tudo o que ocorre na Rodovia. Den-tre elas, esto inseridas ligaes para o 0800 e chamados de emergncia, bem como as operaes de ajuda. De acordo com Helvcio, a consequ-ncia de ter 221 cmeras operando a rapidez em liberar o recurso necessrio quando algum tipo de ajuda for solici-tado pelo usurio. A grande vantagem de um circuito desse de televiso, do jeito que est aqui implantado, que voc consegue atender ao usurio com muito mais rapidez. E, consequente-

    mente, no caso de acidente, voc mini-miza, e muito, o nmero de vtimas e de sequelas., concluiu. O Superintendente ainda falou sobre os investimentos que esto sendo apli-cados nas obras e na manuteno da Rodovia Ferno Dias. O nosso con-trato de concesso prev um volume de investimento em engenharia muito grande agora no comeo da concesso. Nos primeiros anos, ns temos, aqui na Rodovia Ferno Dias, a ordem de cinco bilhes de reais em investimentos para o melhoramento da pista. Todo o resto da operao e da manuteno perdura-r por 25 anos vigentes no contrato., ressaltou.Atualmente, a Autopista Ferno Dias j investiu aproximadamente trs bilhes de reais em melhorias e recuperao da rodovia. Helvcio ainda frisou que o cronograma estabelecido pelo contrato est sendo cumprido. O Superinten-dente afirmou que o grande obstculo para o cumprimento dos prazos de al-gumas obras justamente a dificulda-de de se obter licenas ambientas para realizar intervenes em algumas reas ou pontos da rodovia. Por outro lado, a concessionria est trabalhando para que os atrasos nessas situaes sejam minimizados. Chico da Boleia e o Superintendente ainda conversaram sobre os acidentes que envolvem os caminhoneiros ao longo da rodovia. Atravs das cme-

    ras ser possvel aperfeioar os aten-dimentos e auxiliar na resoluo e na reconstituio dos acidentes, atribuin-do, assim, as devidas responsabilidades que nem sempre devem recair sobre os companheiros da estrada. Alm de po-dermos saber quais os eventos que cau-saram os acidentes, as cmeras nos per-mitem melhorar questes relacionadas engenharia da pista como o traado., ressaltou Helvcio. Para 2013 a concessionria instalar 19 pontos de radares ao longo da rodovia Ferno Dias, que abrangem 45 faixas de rolamento. Outra melhoria a cons-truo de mais quatro balanas. A obra, que influencia diretamente o dia a dia do caminhoneiro, est prevista para ser concluda em fevereiro de 2014.

    Restries de circulao de caminhes realmente resolvem os problemas de trnsito?

    casa e aproveitar o feriado com a fa-mlia? Ele no pode? Se ele for antes do feriado (porque no pode rodar no feriado), o Brasil pra! Sincera-mente, estes profissionais que fazem leis para caminhes e caminhoneiros no entendem nada sobre caminhes e caminhoneiros!, concluiu. Segundo o documento publicado pela PRF, a restrio abranger os trechos rodovirios de pista simples. O veculo autuado s poder seguir viagem aps o horrio de trmino da restrio.

    Redao Chico da Boleia

    Confira abaixo os detalhes do calen-drio de restrio de circulao de veculos pesados para 2013.

    Fonte: Autopista Ferno Dias

    Redao Chico da Boleia

    Circuito Fechado de TV (CFTV) Foto: Matheus Moraes

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA06 REPORTAGEMO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    Embarque Imediato: nova ferramenta gratuita aproxima caminhoneiros e embarcadores

    A Central do Transporte acaba de lan-ar sua mais nova ferramenta com o propsito de aproximar ainda mais os transportadores autnomos e embarca-dores. Atuante no mercado e no segmento de transportes, a Central do Transporte atua h oito anos na prestao de diversos servios. E neste ramo, ela vem sempre inovando em seus produ-tos e servios oferecidos aos cami-nhoneiros, carreteiros e empresrios do setor. A novidade desta vez o Embarque Imediato. Trata-se de uma ferramenta da web disponvel a todos os trans-portadores autnomos e embarcado-res. Atravs dela possvel visualizar,

    Central do Transporte - 8 anos de Prestao de Servios8 Anos, 2.920 dias, 70.080 horas prestando servio. Este o tempo do Portal Central do Transporte junto de voc

    J so alguns anos de estrada, mas ainda temos muito o que rodar. Voc caminhoneiro, carreteiro e empresrio do setor de transporte ganhou, h oitos anos, um parceiro para o seu dia a dia. A Central do Transporte est focada em cada trecho, em cada embarque, em cada descarga, onde quer que voc esteja. O Portal tem a informao precisa e em tempo real sobre os mais variados assuntos: postos de servios, cargas, informaes sobre a legislao, ca-dastramento e recadastramento junto Agncia Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Estamos em todos os trechos e em todos os temas, para ajudar voc, companheiro de estrada! Os primeiros meses de vida do Portal

    Central do Transporte foram, de fato, bastante difceis. Nosso maior desafio foi imposto porque muitos no com-preendiam que o nosso setor crescia e se modernizava, exigindo assim, maior uso da tecnologia. Eram constantes os questionamentos sobre o uso da internet em nosso traba-lho. Muitos diziam que os caminhonei-ros ainda no estavam preparados para toda essa transformao. No entanto, ns acreditamos e persistimos. Aten-der um cliente, resolver um problema, explicar as ferramentas exigia esforo e tambm muita pacincia para con-vencer os mais inflexveis. A cada dia que passava, a cada cliente conquista-do, a cada carga fechada, quebrvamos alguns dogmas relativos profisso. O

    cotidiano nos mostrou, ento, atravs de alguns obstculos e superaes, que ns, homens e mulheres do trecho, es-tamos antenados e preparados para a modernidade. Quebramos o precon-ceito virtual nas estradas e hoje j utilizamos a internet para melhorar nossa atividade e aperfeioar nosso dia de trabalho. O Portal Central do Transporte or-gulha-se de ser o primeiro a oferecer a mais vasta gama de informaes e dicas para a vida e o trabalho nas es-tradas atravs da internet. Ao longo do tempo, conquistamos respeito, reco-nhecimento e elogios pelos servios prestados. Estamos presentes na rea governamental, empresarial, sindical e legislativa. Nossas preocupaes vo desde o bom atendimento dos nossos clientes at a maneira que lidamos com o lixo produzido por nossas ati-vidades dirias. Alm de atentos na prestao de servios relacionados rea de transporte consideramos vli-da toda ao que possa preservar nossa qualidade de vida e de trabalho. Reciclamos o lixo, controlamos o consumo de papel das impressoras, aproveitamos a luminosidade natural do sol e abolimos o uso de copos des-cartveis. Aqui na nossa sede, cada um tem sua caneca, cada um cuida do que

    consome e estimulado a reutilizar e poupar os recursos. A responsabilida-de social outro aspecto ao qual es-tamos atentos. Por isso, desde o incio abraamos a causa do combate ex-plorao e violncia sexual criana e ao adolescente. Divulgamos ampla-mente em nosso site e nas newsletters, as atividades relacionadas essa ini-ciativa. Somos, inclusive, parceiros da Secretaria Especial de Direitos Huma-nos da Presidncia da Repblica e sig-natrios das aes do Movimento Na Mo Certa. Recentemente, estabelecemos uma parceriacom o Movimento Viva a Vida que combate a explorao sexual e a violncia contra crianas e adolescen-tes. Deixamos, portanto, explcito o nosso apoio as campanhas e programas, pri-vados e pblicos, que protegem crian-as e adolescentes e que promovem a educao no trnsito. Ainda na rea de responsabilidade social somos parceiros da ETEC Joo Maria Stevanatto de Itapira, onde ab-sorvemos alunos em estgios, bem como apoiamos projetos pedaggicos extracurriculares.

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA 07REPORTAGEM

    Embarque Imediato: nova ferramenta gratuita aproxima caminhoneiros e embarcadores

    A Central do Transporte acaba de lan-ar sua mais nova ferramenta com o propsito de aproximar ainda mais os transportadores autnomos e embarca-dores. Atuante no mercado e no segmento de transportes, a Central do Transporte atua h oito anos na prestao de diversos servios. E neste ramo, ela vem sempre inovando em seus produ-tos e servios oferecidos aos cami-nhoneiros, carreteiros e empresrios do setor. A novidade desta vez o Embarque Imediato. Trata-se de uma ferramenta da web disponvel a todos os trans-portadores autnomos e embarcado-res. Atravs dela possvel visualizar,

    em tempo real, a localizao de cada transportador em um mapa interativo atravs do prprio portal da Central do Transporte. A ferramenta tem o objeti-vo de facilitar a vida de quem est procura de transportador e tem uma certa urgncia. Para o embarcador, possvel fazer uma busca interativa atravs do mapa disponibilizado e en-contrar transportadores em quaisquer cidades do pas. Para os caminhonei-ros autnomos que desejam utilizar a ferramenta, possvel atualizar sua posio atual no mapa atravs do envio de um simples SMS do celu-lar, disponibilizando seus servios. Por exemplo, caso o caminhoneiro seja de Santos-SP e esteja fazendo uma entre-ga na cidade de Florianpolis-SC, ele

    pode enviar um SMS do seu prprio celular informando ferramenta Em-barque Imediato de que est dispon-vel nesta outra cidade. A atualizao feita em tempo real e caso algum embarcador esteja procura de trans-portadores na cidade de Florianpolis, seu nome j fica visvel e disponvel para um possvel contato na referida cidade. Isso ajuda o caminhoneiro a encontrar algum frete de retor-no, por exemplo. Desta forma, tanto o caminhoneiro autnomo quanto o em-barcador ganham tempo em seu dia--a-dia. O caminhoneiro por atualizar sua posio atual de forma prtica e rpida, e o embarcador ao conseguir encontrar todos os transportadores em determinada cidade tambm de forma prtica. O Supervisor de Tecnologia da Infor-mao da Central do Transporte, Ju-liano Henrique Buzana, responsvel pelo projeto, afirmou que a ferramen-ta vem para integrar transportadores e embarcadores. Ele salienta que a ferra-menta faz os dois caminhos. Ela tan-to ajuda o embarcador a encontrar o transportador disponvel, como au-xilia o transportador na divulgao de seus servios e sua localizao atual, permitindo que o trmite seja realiza-do sem qualquer intermedirio. Tudo em tempo real atravs da Internet.

    Na era da tecnologia e na veloci-dade com que as informaes so compartilhadas, a Internet tornou-se uma grande aliada tambm no setor de transportes. Hoje, as informaes precisam ser transmitidas com muita rapidez e a qualidade da informa-o conta muito. Ningum gosta de acessar um site e verificar que ele est abandonado. A mesma coisa acontece quando o embarcador est procura de transportador para a sua mercadoria., comentou Juliano. O custo de utilizao da ferramenta para o embarcador que procura pe-los transportadores totalmente gr-tis. Para o caminhoneiro autnomo, o valor de utilizao da ferramenta somente o preo do envio de um SMS, que varia de operadora para operadora, quando ele atualiza sua posio. No h mensalidades, nem taxa de cadastro para utilizao deste recurso em espe-cfico.

    Para saber mais, basta acessar o site da Central do Transporte:

    www.centraldotransporte.com.br, Cadastre-se e comece a utilizar.

    Quaisquer dvidas, basta entrar em contato pelos telefones

    (19) 3843-5778 / (19) 3843-6487, ou pelo e-mail

    atendimento@centraldotransporte.com.br.

    Central do Transporte - 8 anos de Prestao de Servios8 Anos, 2.920 dias, 70.080 horas prestando servio. Este o tempo do Portal Central do Transporte junto de voc

    consome e estimulado a reutilizar e poupar os recursos. A responsabilida-de social outro aspecto ao qual es-tamos atentos. Por isso, desde o incio abraamos a causa do combate ex-plorao e violncia sexual criana e ao adolescente. Divulgamos ampla-mente em nosso site e nas newsletters, as atividades relacionadas essa ini-ciativa. Somos, inclusive, parceiros da Secretaria Especial de Direitos Huma-nos da Presidncia da Repblica e sig-natrios das aes do Movimento Na Mo Certa. Recentemente, estabelecemos uma parceriacom o Movimento Viva a Vida que combate a explorao sexual e a violncia contra crianas e adolescen-tes. Deixamos, portanto, explcito o nosso apoio as campanhas e programas, pri-vados e pblicos, que protegem crian-as e adolescentes e que promovem a educao no trnsito. Ainda na rea de responsabilidade social somos parceiros da ETEC Joo Maria Stevanatto de Itapira, onde ab-sorvemos alunos em estgios, bem como apoiamos projetos pedaggicos extracurriculares.

    Foto: Sistema Embarque Imediato

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA08 ESPORTES

    Frmula Truck inaugura temporada 2013 que promete grandes emoes

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    A Frmula Truck abre a sua temporada no prximo final de semana com a Eta-pa de Tarum, no Rio Grande Sul. Ini-ciando os treinos nesta sexta-feira (8), a competio mais pesada do pas pro-mete grandes emoes para os amantes dos brutos. A temporada 2013 foi anunciada ofi-cialmente na noite do dia 22 de feve-reiro, na casa de eventos Spao Quat, Vila Olmpia, So Paulo, que recebeu a j tradicional Festa de Abertura da Temporada da categoria mais popular da Amrica do Sul. O coquetel segui-do de jantar contou com a presena de mais de 200 convidados divididos entre pilotos, chefes de equipes, patrocinado-res e imprensa. O evento teve o locutor To Jos como mestre de cerimnias, que apresentou os pilotos confirmados para a tempo-rada. A banda Music Box abrilhantou a festa, que s terminou na madrugada do sbado. Chico da Boleia e sua equi-pe estiveram na cerimnia de abertura para conferir as novidades. Alm de todas as novidades anunciadas pela prpria Neusa Navarro em entre-vista para Chico da Boleia, no ltimo ms de janeiro, as ltimas informaes divulgadas pela assessoria de impren-sa da categoria mostram que, para este ano, a disputa pelo ttulo ser ainda mais acirrada.Os ltimos treinos antes da abertura da temporada aconteceram em Interlagos, So Paulo, entre os dias 18 e 19 de fe-vereiro. Os testes preparatrios leva-ram pista vrios pilotos dos campe-onatos Brasileiro e Sul-Americano de Frmula Truck. As equipes priorizaram o trabalho de ajuste dos equipamentos para a primeira corrida do ano, marca-da para 10 de maro na pista gacha de Tarum. Os pilotos tambm aproveita-ram para buscar ambientao.

    Foi o caso do paranaense Diogo Pa-chenki, que estreia na F-Truck em 2013 pela ABF Racing Team. Enfrentei al-guns problemas mecnicos. Quebrou o turbo no primeiro dia, hoje arrebentou uma correia do motor, contou. Foram meus primeiros treinos como piloto da categoria, eu considero o trabalho bem produtivo. Acho que tive uma evoluo constante, a preocupao foi conhecer o caminho, o entrosamento com a equipe, essas coisas de primeira vez.O paulista Paulo Salustiano, seu com-panheiro de equipe, testou com o outro Mercedes-Benz. Foi a primeira vez que andei com o caminho campeo, que mudou bastante em relao ao do ano passado, com o novo regulamento. Mudaram os amortecedores, e a potn-cia diminuiu, explicou. Fui rpido, mas o treino serviu mesmo para a gente fazer o ajuste dessas mudanas. Eu saio daqui bem animado com o resultado do trabalho todo, manifestou.A Scuderia Iveco tambm esteve na pista com seus dois caminhes. A gente fez muitos testes, alguns vlidos, outros menos. Precisamos evoluir at a etapa em Tarum, disse o pernambu-cano Beto Monteiro. Seu companheiro de equipe, o paulista Valmir Benavides, destacou a variedade de simulaes. Ns testamos um monte de situaes, com muitas inovaes. As mudanas feitas na adaptao ao regulamento de 2013 deram muito certo, avaliou.Pela 72 Sports/Ford Racing Trucks, Djalma Fogaa comandou os testes com o caminho Ford. Houve alguns problemas, mas viramos bem. Testa-mos um novo diferencial que no deu muito certo, detalhou. A equipe tam-bm foi pista com Fbio Fogaa, filho de Djalma, e com Danilo Dirani, que defendeu a equipe por trs anos. No vou correr neste ano, mas a experin-cia com o Ford me permitiu dar uma

    referncia maior na parte mecnica, relatou.Prestes a iniciar sua primeira tempo-rada completa na categoria, depois de disputar duas corridas com um cami-nho Scania, Alberto Cattucci teve nos testes a primeira oportunidade de pilo-tar o caminho da ABF/Volvo, sua nova equipe. Serviu principalmente para eu sentir o Volvo, escolher o acerto das molas dianteiras e traseiras, pegar bem a manha para encher a turbina. O que posso dizer que estou bem animado, declarou.

    RM adota caminhes MAN e anuncia Leandro Totti para 2013

    A ltima novidade antes da primeira etapa da Frmula Truck foi anunciada pela RM Competies-Volkswagen, in-tegrante da lista das equipes mais ven-cedoras da histria da Frmula Truck. A equipe vive uma fase de grande revi-ravolta s vsperas do incio dos cam-peonatos Brasileiro e Sul-Americano da categoria. A equipe comandada pelo bicampeo Renato Martins, que atuou nos ltimos 12 anos com caminhes Volkswagen e vinha utilizando o mo-delo Constellation, passa a alinhar no grid com cinco unidades do modelo TGX da MAN.Teremos cinco caminhes novos, to-dos eles com a plataforma do MAN TGX, mas nesse primeiro momento s um deles vai ter a cabine do novo MAN. Os outros quatro vo manter a cabine Volkswagen, antecipa Martins. Caber ao paulista Felipe Giaffone, trs vezes campeo brasileiro e dono do t-tulo sul-americano de 2011, a pilota-gem do modelo que ter a plataforma e a cabine do novo modelo, fabricado na unidade de Resende (RJ).Giaffone, Dbora Rodrigues, Andr Marques e Adalberto Jardim seguem na equipe, em que Martins cede lugar ao paranaense Leandro Totti, campeo brasileiro e sul-americano em 2012 pela ABF Racing Team. Vou parar agora, mas no vou me aposentar,

    TRANSPORTE AEROMDICO (UTI AREA) FRETAMENTO EXECUTIVO DE AERONAVES

    CONVNIO COM PLANOS DE SADE E SECRETARIAS DE SADE

    WWW.BRASIL.COM.BR - FRETAMENTO@BRASILVIDA.COM.BR

    PLANTO 24H

    (62) 3207-5001 / 3207-5566

    (62) 9971-5370 / 9980-1419

    explica Martins. Alm dos motivos pessoais que recomendam que eu no corra neste ano, preciso focar no geren-ciamento da equipe nessa fase de tantas mudanas, comenta o bicampeo.A equipe oficial da MAN Latin Ame-rica ter o desafio de tornar vencedor o caminho TGX com motor de MAN D26 12 litros o Constellation tem motor de nove litros. O trabalho todo comea da estaca zero. Experimentei o MAN ainda em 2012, em testes em Londrina e em Campo Grande. O cami-nho bom, mas ainda no tnhamos os novos motores. A equipe toda trabalhou duro para concluir a montagem dos cin-co caminhes em tempo hbil, conta.

    Os novos caminhes da equipe foram apresentados na manh desta segunda--feira (4 de maro), em evento que reuniu diretores e executivos da MAN Latin America, pilotos, jornalistas e in-tegrantes da equipe de produo da Fr-mula Truck em So Paulo (SP). Ns no deveremos ter a condio ideal nas duas primeiras corridas, e nessas vamos lutar por pontos. S a partir da terceira etapa que os novos caminhes deve-ro estar mais competitivos, acredita.Desde a adoo dos caminhes Volkswagen, na dcada passada, a RM Competies conquistou quatro vezes o ttulo brasileiro de Frmula Truck, com o prprio Martins, em 2006, e ou-tras trs vezes com Giaffone, em 2007, 2009 e 2011 neste ltimo ano, Gia-ffone tambm obteve o ttulo sul-ame-ricano. Na competio entre marcas, instituda em 2005, foram quatro ttulos nacionais, em 2007, 2009, 2010 e 2011, e dois continentais, em 2011 e 2012.Pra voc que se liga em Frmula Truck, no perca todos os detalhes da compe-tio. Chico da Boleia e sua equipe j esto preparados para acompanhar de perto as emoes da primeira etapa que ocorrer entre os dias 8 e 10, em Taru-m, RS.

    Fonte: Frmula Truck

    Soluo da Sascar ajuda a reduzir consumo de combustvel de frota de Caminhes

    A Sascar, lder em monitoramento de veculos e gesto nas operaes de transporte, oferece solues que possi-bilitam a reduo dos custos de opera-o de empresas de logstica. Segundo levantamento da empresa junto aos clientes com frotas de caminho, aps a adoo dos sistemas da Sascar, h possibilidade de uma reduo nos gas-tos com combustvel da ordem de 12 a 22% ao ms e de 10% com os pneus.As nossas solues podem ser uma ajuda no controle de custos das trans-portadoras que esto sendo pression-adas pela inflao e pelo aumento do preo do combustvel, afirma Gus-tavo Coelho, Diretor Comercial da Sascar. Na ltima semana, o governo anunciou o reajuste de 3% para o die-sel, combustvel geralmente utilizado por veculos pesados como nibus, caminhes e caminhonetes, e que deve impactar em mais de 1,5% no preo do frete.Com mais de 250 mil veculos ativos e rastreados, sendo 170 mil camin-hes, a Sascar constatou que clientes, ao adotarem as solues de telemetria, ajudam a melhorar o perfil de direo.

    Os pilotos Andr Marques, Leandro Totti, Dbora Rodrigues, Adalberto Jardim e Felipe Giaffone

    Treino preparatrio levaram pista vrios pilotos dos campeonatos Brasileiro e Sul-Americano de Frmula Truck

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    Frmula Truck inaugura temporada 2013 que promete grandes emoes

    O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA 09DE BOA NA BOLEIA

    Frases de Para-choques Houve uma poca, l pelos idos de mil novecentos e antigamente ...ei, espera um pouco, no faz tanto tempo assim, afinal que so trinta e poucos anos?

    Nessa poca a maioria dos caminhoneiros que se aventurava pelas estradas Bra-sil afora faziam do pra-choque de seus caminhes verdadeiros painis onde exibiam frases, geralmente bem humoradas, que eram a expresso pura de uma das mais caractersticas formas da cultura popular brasileira, ou seja, brincar com a prpria desventura. As frases eram crticas, de protesto, de sentimentos, de reli-giosidade, mas acima de tudo bem humoradas. Eram a filosofia das estradas. Muitos pintores de carrocerias, alm de bons no pincel , montavam cadernos com centenas de frases e por isso mesmo eram muito procurados. A maior parte delas tinha como tema as mulheres mas tambm os acontecimentos polticos e sociais inspiravam novas e engraadas frases. Uma clssica dessa poca : Feliz foi Ado, no teve sogra nem caminho."

    No o empregador que paga os salrios: o cliente.

    Devagar se vai ao longe, mas demora um tempo!

    Dinheiro no traz felicidade; manda trazer.

    Quem pouco faz... pouco se esfora."

    Diz-me com quem andas e te direi se vou contigo.

    Do Oiapoque ao Chu, s paro para fazer xixi.

    Doei todos meus rgos: o corao j est em seu nome.

    Deve ter um jeito melhor de comear o dia do que acordando cedo todas as manhs.

    Difcil no viajar, viver longe do lar.

    TRANSPORTE AEROMDICO (UTI AREA) FRETAMENTO EXECUTIVO DE AERONAVES

    CONVNIO COM PLANOS DE SADE E SECRETARIAS DE SADE

    WWW.BRASIL.COM.BR - FRETAMENTO@BRASILVIDA.COM.BR

    PLANTO 24H

    (62) 3207-5001 / 3207-5566

    (62) 9971-5370 / 9980-1419

    explica Martins. Alm dos motivos pessoais que recomendam que eu no corra neste ano, preciso focar no geren-ciamento da equipe nessa fase de tantas mudanas, comenta o bicampeo.A equipe oficial da MAN Latin Ame-rica ter o desafio de tornar vencedor o caminho TGX com motor de MAN D26 12 litros o Constellation tem motor de nove litros. O trabalho todo comea da estaca zero. Experimentei o MAN ainda em 2012, em testes em Londrina e em Campo Grande. O cami-nho bom, mas ainda no tnhamos os novos motores. A equipe toda trabalhou duro para concluir a montagem dos cin-co caminhes em tempo hbil, conta.

    Os novos caminhes da equipe foram apresentados na manh desta segunda--feira (4 de maro), em evento que reuniu diretores e executivos da MAN Latin America, pilotos, jornalistas e in-tegrantes da equipe de produo da Fr-mula Truck em So Paulo (SP). Ns no deveremos ter a condio ideal nas duas primeiras corridas, e nessas vamos lutar por pontos. S a partir da terceira etapa que os novos caminhes deve-ro estar mais competitivos, acredita.Desde a adoo dos caminhes Volkswagen, na dcada passada, a RM Competies conquistou quatro vezes o ttulo brasileiro de Frmula Truck, com o prprio Martins, em 2006, e ou-tras trs vezes com Giaffone, em 2007, 2009 e 2011 neste ltimo ano, Gia-ffone tambm obteve o ttulo sul-ame-ricano. Na competio entre marcas, instituda em 2005, foram quatro ttulos nacionais, em 2007, 2009, 2010 e 2011, e dois continentais, em 2011 e 2012.Pra voc que se liga em Frmula Truck, no perca todos os detalhes da compe-tio. Chico da Boleia e sua equipe j esto preparados para acompanhar de perto as emoes da primeira etapa que ocorrer entre os dias 8 e 10, em Taru-m, RS.

    Fonte: Frmula Truck

    Soluo da Sascar ajuda a reduzir consumo de combustvel de frota de Caminhes

    A Sascar, lder em monitoramento de veculos e gesto nas operaes de transporte, oferece solues que possi-bilitam a reduo dos custos de opera-o de empresas de logstica. Segundo levantamento da empresa junto aos clientes com frotas de caminho, aps a adoo dos sistemas da Sascar, h possibilidade de uma reduo nos gas-tos com combustvel da ordem de 12 a 22% ao ms e de 10% com os pneus.As nossas solues podem ser uma ajuda no controle de custos das trans-portadoras que esto sendo pression-adas pela inflao e pelo aumento do preo do combustvel, afirma Gus-tavo Coelho, Diretor Comercial da Sascar. Na ltima semana, o governo anunciou o reajuste de 3% para o die-sel, combustvel geralmente utilizado por veculos pesados como nibus, caminhes e caminhonetes, e que deve impactar em mais de 1,5% no preo do frete.Com mais de 250 mil veculos ativos e rastreados, sendo 170 mil camin-hes, a Sascar constatou que clientes, ao adotarem as solues de telemetria, ajudam a melhorar o perfil de direo.

    Com isso, ocorrncias como excesso de velocidade, freadas bruscas, excesso de acionamento do pedal de embreagem, alm de freadas e arrancadas bruscas, economizam de 12 a 22% os gastos com combustvel, chegando a R$ 11.376,00 ao ms, considerando uma frota de 15 veculos rodando 5 mil. No caso dos pneus, sua vida til prolongada, ge-rando economia de R$ 11.700, o que equivale a 10% por quilmetro rodado. A tecnologia de telemetria permite me-dir mais apuradamente os ndices de desempenho da frota. O Sascar Tele-metria registra o modo de conduo do motorista, velocidade e o caminho percorrido. O sistema armazena ainda os dados e os envia para visualizao e anlise em forma de relatrios. Au-tomaticamente atribuda uma nota (score) e um relatrio com dicas para melhorar a conduo. A essa soluo pode ser agregado um leque de servios adicionais que incluem mais benefcios e economia, customizando o produto de acordo com a carga transportada e a necessidade do cliente.

    Fonte: Assessoria de Imprensa Sasca

    Foto: Divulgao

    Os pilotos Andr Marques, Leandro Totti, Dbora Rodrigues, Adalberto Jardim e Felipe Giaffone

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA10 ENTRETENIMENTOO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA

    CruzadinhaPALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

    Soluo

    www.coquetel.com.br Revistas COQUETEL 2013

    www.coquetel.com.br

    NAS BANCAS e livrAriAS

    TUDO O qUe a cincia SaBe SOBre cOMO prOlOngar a jUvenTUDe

    BANCO 43

    SSTS

    JARARACU

    U

    MOLL

    V

    A

    P

    BMOARTE

    SUBSCREVER

    TROIANIN

    F

    A

    ATBART

    JECATATU

    COTALR

    SABUJOSXA

    NNAMORAM

    HIFENRLE

    NAGARDEN

    ORLAA

    T

    A

    T

    ES

    T

    A

    R

    D

    A

    LHA

    O

    Cesto decip usa-do por pes-cadores

    Grandeburaco

    (no cascodo navio)

    Impede o congela-mento deestradas

    Mora-dia de

    famliasindgenas

    A formamais

    branda demeningite

    Cenriode comer-ciais decervejas

    Feitio doancinho

    Os dentesque roe-

    dores nopossuem

    Principalentidadeestudantildo Brasil

    Espciede balsado litoral nordestino

    Espciede mantausada por

    vovs

    Os indiv-duos ba-juladores

    (fig.)

    Metade do dimetro (abrev.)

    Item docabealhoda provaescolar

    Sinal queliga pala-vras com-

    postas

    "Empty(?)", su-cesso de

    Elton John

    Registroescrito dereunies

    Erro degrafia em"exceo"

    Irregularidade emcontas pblicas ave-riguada pelo Tribunalde Contas da Unio

    Veste depadres

    Fruto davindima

    A cobra"boca-de-

    sapo"Molcula-

    grama(Qum.)Assinar (a carta)

    Filme comBrad Pittbaseado

    na obra deHomero Perso-nagem de "Urups",

    de Monteiro Lobato (Lit.)

    MargemJactncia;

    osten-tao

    Remo, emingls

    Endereona Web

    Primeiravogal

    Emprego,em ingls

    Latitude(abrev.)

    Soberanopersa

    Galan-teiam

    Copiosa;abundante

    Moa for-mosa (fig.)Cosmtico

    labial

    Fsforo(smbolo)Dez, emingls

    SigaA Daniellede "FinaEstampa"

    3/job oar ten. 5/ninfa talar. 6/garden. 7/sabujos sambur.

    Promoo Cultural

    Vaidosa, comunicativa e mulher que gosta de lutar pelo o que quer, Tnia Rampim, 32 anos, de Itapira, interior de So Paulo, sempre foi apaixonada por caminho. Desde pequena, Tnia dava sinais de que queria seguir a pro-fisso do bisav, do av, do pai e do irmo mais velho. Meu pai me levava na boleia e aquele universo era mara-vilhoso, fascinante. Aos 16 anos, tive a oportunidade de dirigir um pesado. Foi incrvel. A partir de janeiro deste ano Tnia acei-tou o convite de Chico da Boleia para colaborar com nossa pgina da internet. Criou-se ento o Blog da Tnia Ram-pim, onde a caminhoneira j publicou textos. Com qualidade e preocupao com os companheiros da estrada, Tnia escreve sobre o dia a dia na boleia, as

  • O JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIAO JORNAL DO AMIGO CAMINHONEIRO

    CHICO DA BOLEIA 11PROSA DO CAMINHONEIRO

    dificuldades e gratificaes da profis-so. Publicamos nesta edio, portanto, seu primeiro texto. No deixe de acom-panhar em nosso site todas as atualiza-es deste blog. Vocs vo adorar!http://www.chicodaboleia.com.br/sl/index.php/categoria/tania

    Orgulho de ser Caminhoneira

    Minha vida andar por esse pasPra ver se um diz descanso feliz

    Guardando as recordaesDas terras onde passei

    Andando pelos sertes

    E dos amigos que l deixei

    Vaidosa, comunicativa e mulher que gosta de lutar pelo o que quer, Tnia Rampim, 32 anos, de Itapira, interior de So Paulo, sempre foi apaixonada por caminho. Desde pequena, Tnia dava sinais de que queria seguir a pro-fisso do bisav, do av, do pai e do irmo mais velho. Meu pai me levava na boleia e aquele universo era mara-vilhoso, fascinante. Aos 16 anos, tive a oportunidade de dirigir um pesado. Foi incrvel. A partir de janeiro deste ano Tnia acei-tou o convite de Chico da Boleia para colaborar com nossa pgina da internet. Criou-se ento o Blog da Tnia Ram-pim, onde a caminhoneira j publicou textos. Com qualidade e preocupao com os companheiros da estrada, Tnia escreve sobre o dia a dia na boleia, as

    Blog da Tnia RampimEste verso da msica Vida de Viajante, de Luiz Gonzaga d a real dimenso do orgulho de ser caminhoneira e a certeza de um dia estar aqui, outro dia, estar ali. um orgulho que s sente quem tem o privilgio de rodar por este pas aben-oado por Deus e bonito por natureza levando nas costas as riquezas que bro-tam da sua terra frtil e as riquezas pro-duzidas pelo brao forte de sua gente.A vida de caminhoneira apaixonante e d orgulho por saber que as pessoas consomem os produtos que ns leva-mos, apesar de no termos o respeito que merecemos. A vida sofrida? Sem dvida! Mas eu prefiro esquecer o lado ruim da profisso (que qualquer profis-so tem) e prefiro ficar com o lado bo-nito. Quantas pessoas tm o privilgio de sair de Itapira e, uma semana depois, estar na Bahia ou estar um dia no Rio de Janeiro, outro dia em Braslia e ou-tros dias mais tarde em Bonito? Quem tem o privilgio de, dia aps dia, ver a paisagem mudar pela janela do Scania pintado com um reluzente vermelho e um enorme V8 prateado em cada late-ral? Outra coisa que emociona na profisso o entendimento mulher/mquina. Pa-rece que um sabe das necessidades do outro e as atende soberbamente. At a manuteno, que para muitos s uma tarefa suja e desagradvel, para mim, motivo de prazer e orgulho. a hora que eu converso com o caminho e sei o que ele precisa. Ento, eu resolvo as dores dele sempre com peas origi-nais e uma boa dose de carinho porque

    graas a ele, eu tenho o privilgio de fazer o que fao e comear a conhecer cada centmetro quadrado desse pas--continente chamado Brasil cantado em prosa e verso no s pelo Rei do Baio como por tantos outros mestres da msica. A vida atrs do volante proporciona faanhas impossveis em outras pro-fisses. Onde, alem de estar em qual-quer lugar do pas a qualquer hora do dia ou da noite possvel ter amigos, verdadeiros irmos em todos os lugares desse pas continental? Onde possvel saber que efetivamente voc contribui para a produo das riquezas do pas? Sem caminho no tem alimento, no tem carro, no tem roupa, nem quase nada do que se imagina que a mo do Homem possa produzir. Aos que dizem que caminho no coi-sa para mulher, eu provo dia a dia que sim! Os machistas de planto ficam sem argumentos. H alguns anos nem volante de carro de passeio era coisa para mulher. E hoje impossvel no encontrar uma mulher ao volante de um carro, de um nibus ou caminho, muitas vezes com mais competncia do que muito homem. Caminho exige sensibilidade, delicadeza, uma fineza que pouqussimo homem tem. E com certeza com um Scania eu vou muito longe fazendo bonito e aprendendo um pouco mais com muito amor e carinho e acima de tudo com muita ateno e cuidado no trnsito.

    Tnia Rampim Qra Rampinha.Caminhoneira Itapirense

    Foto: Tnia Rampim