1185613454 255.ergon ler_dort

Download 1185613454 255.ergon ler_dort

Post on 28-Jun-2015

422 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1. ERGONOMIA E LER/DORT Docente Milton Carlos Martins Mdico do Trabalho Doutor em Ergonomia Novembro 2002 Monitores Carlos Alberto Diniz Silva Mdico do Trabalho Mestre em Ergonomia Leila Nadin Zidan Engenheira Mestre em Ergonomia

2. ROTEIRO .Conceito. Histrico. .Componentes da Ergonomia Americana e Francesa. .Anlise do Trabalho nos Diversos Mtodos. .Campos. Bases da Prtica Ergonmica. .Fatores que Influenciam na Carga de Trabalho .Modelo Metodolgico de Investigao Ergonmica .Estudo de Caso. .Conceitos. Tarefa. Atividade .Caractersticas do Ser Humano .Condies de Trabalho/Populao/ Conseqncias Gerais e Particulares ( Absentesmo/Presentesmo/ Acidentes do Trabalho/Morbidade 3. ERGONOMIA o conjunto de conhecimentos cientficos relativos ao homem e necessrios para conceber instrumentos, mquinas e dispositivos tcnicos que possam ser utilizados com o mximo de conforto, segurana e eficcia. Wisner, 1987 a arte na qual so utilizados o saber tecnocientfico e o saber dos trabalhadores sobre sua prpria situao de trabalho. Wisner, 1994 4. O termo ergonomia utilizado pela primeira vez em 1857 por Jastrzebowki, nominando-a de Cincia do Trabalho para Verificao das Verdades das Situaes Laborativas. O termo ressurge em 1949 por Murrel para reunir conhecimentos, psicolgicos e fisiolgicos, teis para a concepo dos meios de trabalho. Histrico da Ergonomia 5. Assim, bem antes do nascimento oficial da ergonomia, havia os que estavam preocupados em adaptar o trabalho ao HOMEM: os utilizadores, mdicos e higienistas, engenheiros e organizadores do trabalho e pesquisadores de laboratrio. A ergonomia resultado de duas correntes: uma produtivista e uma higienista. 6. Aspectos do Trabalhador Aspectos da Tarefa Mtodos de aquisio de dados Objetivos Principais Principais meios de ao Observao ECH Caractersticas anatmicas, fisiolgicas, psicolgicas gerais independentes do trabalho Ambiente fsico(rudo, calor, etc), Caractersticas fsicas da interface H/M Sobretudo experincia de laboratrio, raramente os locais de trabalho. MEDIDAS QUANTITATIVAS Adaptao da mquina ao homem. Melhoria de condies de trabalho. Concepo de dispositivos tcnicos Sobretudo metodologia americana EAH Atividade dos trabalhadores. Comportamentos fsicos ( gestos posturas, traos) e mentais (raciocnio, estratgias no trabalho) Os mesmos acima, mais os procedimentos e objetivos prescritos, assim como, condies sociais do trabalho. Anlise do trabalho no terreno. Excepcionalmente em laboratrio. Observao e registros de comportamento e verbalizaes. DADOS MAIS QUALITATIVOS QUE QUANTITATIVOS Melhoria de condies de trabalho (tarefa e atividade) Idem. Organizao do trabalho e formao/ treinamento Sobretudo metodologia francesa. Principais Caractersticas da Ergonomia do Componente Humano (ECH) e da Ergonomia da Atividade Humana (EAH) Montmollin, M 1986. 7. Aspectos do Trabalhador ECH Caractersticas anatmicas, fisiolgicas, psicolgicas gerais independentes do trabalho. EAH Atividade dos trabalhadores. Comportamentos fsicos (gestos posturas, traos) e mentais (raciocnio, estratgias no trabalho) Principais Caractersticas da Ergonomia do Componente Humano (ECH) e da Ergonomia da Atividade Humana (EAH) 8. Aspectos da Tarefa ECH Ambiente fsico( rudo, calor, etc), Caractersticas fsicas da interface H/M EAH Os mesmos acima, mais os procedimentos e objetivos prescritos, assim como, condies sociais do trabalho. Principais Caractersticas da Ergonomia do Componente Humano (ECH) e da Ergonomia da Atividade Humana (EAH) 9. Mtodos de aquisio de dados ECH Sobretudo experincia de laboratrio, raramente os locais de trabalho. MEDIDAS QUANTITATIVAS EAH Anlise do trabalho no terreno. Excepcionalmente em laboratrio. Observao e registros de comportamento e verbalizaes. DADOS MAIS QUALITATIVOS QUE QUANTITATIVOS Principais Caractersticas da Ergonomia do Componente Humano (ECH) e da Ergonomia da Atividade Humana (EAH) 10. Objetivos Principais ECH Adaptao da mquina ao homem. Melhoria de condies de trabalho EAH Melhoria de condies de trabalho. (TAREFA E ATIVIDADE) Principais Caractersticas da Ergonomia do Componente Humano (ECH) e da Ergonomia da Atividade Humana (EAH) 11. Principais meios de ao ECH Metodologia Americana Concepo de dispositivos tcnicos. EAH Metodologia Europia Idem. Organizao do trabalho e formao/ treinamento. Principais Caractersticas da Ergonomia do Componente Humano (ECH) e da Ergonomia da Atividade Humana (EAH) 12. A ANLISE DO TRABALHO NOS DIVERSOS MTODOS FUNO ENGENHEIRO ORGANI- ZAO E MTODOS RECRUTAMENTO PSICOLOGIA MDICO DO TRABALHO ERGONOMISTA OBJETIVO Determinar a parte humana do processo de produo, segundo uma lgica tcnica Elaborar diretrizes: - ordem cronolgica - tempos - instrues Elaborar: - critrios de seleo - plano de treinamento Determinar as causas dos problemas observados Diagnosticar os fatores crticos do trabalho MTODO Descrio da tarefa em termos de compati- bilidade entre o desempenho humano e o dispositivo tcnico. Descrio da atividade de trabalho visvel (gestual)em termos de operaes elementares Descrio da tarefa em termos de aptides necessrias a sua execuo: - destreza - memria requerida - etc Descrio em termos de causas ou riscos fsicos e/ou mentais. Individuais ou coletivos (Epide- miologia) Descrio em termos de - estratgias do trabalhador - tempos e regulao - traos - comunicaes QUESTES COM O QUE ? COMO ? QUEM ? POR CAUSA DE QUE ? E SE ? PORQUE ? MONTMOULIN M. 1986 13. FUNO ENGENHEIRO OBJETIVO Determinar a parte humana do processo de produo, segundo uma lgica tcnica MTODO Descrio da tarefa em termos de compatibilidade entre o desempenho humano e o dispositivo tcnico. QUESTO COM O QUE ? A ANLISE DO TRABALHO NOS DIVERSOS MTODOS 14. A ANLISE DO TRABALHO NOS DIVERSOS MTODOS FUNO ORGANIZAO E MTODOS OBJETIVO Elaborar diretrizes: - ordem cronolgica - tempos - instrues MTODO Descrio da atividade de trabalho visvel (gestual) em termos de operaes elementares QUESTO COMO ? 15. A ANLISE DO TRABALHO NOS DIVERSOS MTODOS FUNO RECRUTAMENTO PSICOLOGIA OBJETIVO Elaborar: - critrios de seleo - plano de treinamento MTODO Descrio da tarefa em termos de aptides necessrias a sua execuo: - destreza - memria requerida etc. QUESTO QUEM ? 16. A ANLISE DO TRABALHO NOS DIVERSOS MTODOS FUNO MDICO DO TRABALHO OBJETIVO Determinar as causas dos problemas observados MTODO Descrio em termos de causas ou riscos fsicos e/ou mentais. individuais ou coletivos (Epidemiologia) QUESTES POR CAUSA DE QUE ? E SE ? 17. A ANLISE DO TRABALHO NOS DIVERSOS MTODOS FUNO ERGONOMISTA OBJETIVO Diagnosticar os fatores crticos do trabalho MTODO Descrio em termos de - estratgias do trabalhador - tempos e regulao - traos - comunicaes QUESTO PORQUE ? 18. CAMPOS DA ERGONOMIA ERGONOMIA DO PRODUTO ERGONOMIA DA PRODUO ERGONOMIA DE CONCEPO ERGONOMIA DE CORREO 19. BASES DA PRTICA ERGONMICA . Utilizao de dados cientficos sobre o homem; . Origem multidisciplinar; . Aplicao sobre o dispositivo tcnico e sobre a organizao do trabalho e a formao; . Perspectiva de uso desse dispositivo pela populao normal de trabalhadores 20. FATORES QUE INFLUENCIAM NA CARGA DE TRABALHO TRABALHADOR Caractersticas Pessoais: Idade e sexo Caractersticas fsicas, intelectuais e psquicas: Formao Experincia Aprendizagem contrato ATIVIDADE DE TRABALHO CARGA DE TRABALHO SADE/ MORBIDADE/ ACIDENTE PRODUO QUANTIDADE/ QUALIDADE EMPRESA Organizao do Trabalho Mquinas e Ferramentas Segurana Espao Mobilirio Ambiente: Fsico, Qumico e Biolgico Cassou e col. (1985) Gurin e col. 1991 21. MODELO METODOLGICO DE INVESTIGAO ERGONMICA Anlise Relato de queixas da Reviso bibliogrfica Demanda Leitura Observaes gerais e globais Levantamento do funcionamento da empresa Levantamento de caractersticas da populao Indicadores relativos sade e eficcia Caractersticas tcnicas da atividade Observaes globais e gerais Anlise da documentao Entrevista/questionrio Pr-diagnstico Definio de um plano de observao sistemtica Definio de uma ferramenta para coleta de dados Coleta de dados : Anlise da atividade Observaes sistemticas Entrevistas Tratamento dos dados Validao Diagnstico Pontual e Global Gurin e col., 1997 (modificado) 22. MODELO METODOLGICO DE INVESTIGAO ERGONMICA Anlise Relato de queixas da Reviso bibliogrfica Demanda Leitura Observaes gerais e globais . Representatividade do autor da demanda . Posio da direo geral : ergonomia do produto ou da produo? 23. . Interlocutor na empresa: Gerncia de produto ou de produo? Trabalhador como sujeito e no objeto da interveno. Anlise da demanda (cont.) 24. ANLISE DA DEMANDA (cont.) SERVIOS DE PESSOAL: Idade, tempo de servio, provenincia, sexo, instruo, qualificao, rotatividade e absentesmo. SEGURANA E MEDICINA DO TRABALHO: Relatrios Mdicos e Relatrios de Segurana PRODUO: Relatrios sobre quantidade e qualidade. 25. ANLISE DA DEMANDA (cont.) . ACIDENTES DO TRABALHO: Conflitos entre a exigncia de produo e recomendaes de segurana. (E.P.I.) . DOENAS PROFISSIONAIS E DO TRABALHO: Histrico. Relaes causais. Fadiga, sofrimento e desinteresse. Custo Humano do Trabalho 26. E.P.I. Protege eficazmente? No cria um perigo novo? compatvel com a tarefa prescrita? confortvel? Por quanto tempo? 27. MODELO METODOLGICO DE INVESTIGAO ERGONMICA Anlise da demanda Levantamento do funcionamento da empresa Levantamento de caractersticas da populao Indicadores relativos sade e eficcia Caractersticas tcnicas da atividade Observaes Globais e Gerais Anlise da documentao Entrevista/questionrio PR-DIAGNSTICO 28. Pr-diagnstico Definio de um plano de observao sistemtica Definio de uma ferramenta para coleta de dados Coleta de dados: anlise da atividade Tratamento dos dados Validao Diagnstico Pontual e Global Gurin e col., 1997 (modificado) OB. Sist. Entrev. 29. Conceitos Vdeo: Corte de fitas Ciclo de Trabalho Tempo Incidentes Estratgias VARIABILIDADE DO CICLO Operaes 30. TAREFA o objetivo a se atingir com os meios determinados anteriormente. caracterizada por: Um objetivo: fazer tal pea, cortar tal fita de ao. Meios tcnicos: co