1 etica juvenil

Download 1 etica juvenil

Post on 01-Jul-2015

79 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Secretaria Especial dos Direitos Humanos Ministrio da Educao Protagonismo juvenil tica kit2_CAPA_mod1.indd 2-3 10/3/2007 20:34:24 </li></ul><p> 2. Presidente da Repblica Luiz Incio Lula da Silva Ministro da Educao Fernando Haddad Secretrio Especial de Direitos Humanos Paulo de Tarso Vannuchi kit2_CAPA_mod1.indd 4 10/3/2007 20:34:24 3. Mdulo 1 tica Programa de Desenvolvimento Profissional Continuado Braslia 2007 Programa tica e Cidadania construindo valores na escola e na sociedade Protagonismo juvenil Ministrio da Educao Secretaria de Educao Bsica ki2_mod01.indd 1 3/6/07 10:15:25 AM 4. Dados Internacionais de Catalagoo na Publicao (CIP) Programa tica e Cidadania : construindo valores na escola e na sociedade : protagonismo juvenil / organizao FAFE Fundao de Apoio Faculdade de Educao (USP) , equipe de elaborao Ulisses F. Arajo... [et al.]. Braslia : Ministrio da Educao, Secretaria de Educao Bsica, 2007. 4 v. Programa de Desenvolvimento Prossional Continuado Contedo: Protagonismo juvenil mdulo 1: tica mdulo 2: Convivncia Democrtica mdulo 3: Direitos Humanos mdulo 4: Incluso Social ISBN 978-85-98171-74-6 1. tica. 2. Cidadania. 3. Direitos humanos. 4. Incluso social. 5. Violncia na escola. 6. Relaes sociais na escola. 7. Igualdade de oportunidades. I. Fundao de Apoio Faculdade de Educao. II. Arajo, Ulisses F. III. Brasil. Secretaria de Educao Bsica. CDU 37.014.53 Secretria de Educao Bsica - SEB/MEC Presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educao - FNDE/MEC Daniel da Silva Balaban Diretora de Polticas de Ensino Mdio - DPEM/SEB/MEC Lucia Helena Lodi Equipe Tcnica - DPEM/SEB/MEC Rozana da Silva Castro Maria Marismene Gonzaga Organizao FAFE Fundao de Apoio Faculdade de Educao (USP) Consultores Ulisses F. Arajo e Valria Amorim Arantes Equipe de elaborao Ulisses F. Arajo,Valria Amorim Arantes, Ana Maria Klein e Eliane Cndida Pereira Reviso Maria Helena Pereira Dias, Ana Lucia Santos (preparao) Coordenao de Arte Ricardo Postacchini Diagramao Camila Fiorenza Crispino ki2_mod01.indd 2 3/6/07 10:15:25 AM Lucia Helena Lodi Coordenao do Projeto Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva Tiragem 40 mil exemplares MINISTRIO DA EDUCAO SECRETARIA DE EDUCAO BSICA Esplanada dos Ministrios, Bloco L, sala 500 CEP: 70.047-900 - Braslia - DF Tel. (61) 2104-8177/2104-8010 http://www.mec.gov.br 5. Apresentao do programa ki2_mod01.indd 3 3/6/07 10:15:25 AM 6. 4 Programa tica e Cidadania construindo valores na escola e na sociedade Aprender a ser cidado e cidad , entre outras coisas, aprender a agir com respeito, solidariedade, responsabilidade, justia, no- violncia; aprender a usar o dilogo nas mais diferentes situaes e comprometer-se com o que acontece na vida da comunidade e do pas. Esses valores e essas atitudes precisam ser aprendidos e desenvolvidos pelos estudantes e, portanto, podem e devem ser ensinados na escola. Para que o(a)s estudantes possam assumir os princpios ticos, so necessrios pelo menos dois fatores: - que os princpios se expressem em situaes reais, nas quais o(a)s estudantes possam ter experincias e conviver com a sua prtica; - que haja um desenvolvimento da sua capacidade de autonomia moral, isto , da capacidade de analisar e eleger valores para si, consciente e livremente. Outro aspecto importante desse processo o papel ativo dos sujeitos da aprendizagem, estudantes e docentes, que interpretam e conferem sentido aos contedos com que convivem na escola, a partir de seus valores previamente construdos e de seus sentimentos e emoes. O Programa tica e Cidadania pretende criar as condies necessrias para que valores de tica, democracia, justia e cidadania sejam incorporados no cotidiano das salas de aula. Para isso, prope a criao dos Fruns Escolares de tica e de Cidadania nas escolas, nos municpios e nos estados; e buscar instrumentalizar a ao dos profissionais da educao envolvidos em sua implementao nas escolas participantes, por meio de recursos didticos e materiais pedaggicos, adequados. ki2_mod01.indd 4 3/6/07 10:15:28 AM 7. 5 O Programa tica e Cidadania O Programa tica e Cidadania deve ser visto como um projeto pelo qual a comunidade escolar pode iniciar, retomar ou aprofundar aes educativas que levem formao tica e moral de todos os membros que atuam nas instituies escolares. Para isso, o programa prope que o trabalho com tica e cidadania nas escolas contemple intervenes focadas em quatro grandes eixos, ou mdulos, que, embora independentes, mantm uma ntida inter-relao: tica, Convivncia Democrtica, Direitos Humanos e Incluso Social. Os objetivos de cada um desses eixos, ou mdulos, so: tica. Levar ao cotidiano das escolas reflexes sobre a tica, os valores e seus fundamentos. Trata-se de gerar aes, reflexes e discusses sobre seus significados e sua importncia para o desenvolvimento dos seres humanos e suas relaes com o mundo. Convivncia Democrtica. A construo de relaes interpessoais mais democrticas dentro da escola tem o objetivo explcito de introduzir o trabalho com assemblias escolares e de resoluo de conflitos. Possibilita tambm outras aes que levem ao convvio democrtico, como a formao de grmios e aproximaes da escola com a comunidade. Direitos Humanos. O trabalho sobre a temtica dos direitos humanos tem vrios objetivos interligados, dos quais o primeiro a construo de valores socialmente desejveis. Da a proposta de conhecer e desenvolver experincias educativas que tenham como foco a Declarao Universal dos Direitos Humanos (DUDH) e o Estatuto da Criana e do Adolescente (ECA). Um segundo objetivo o desenvolvimento de projetos voltados para a comunidade ki2_mod01.indd 5 3/6/07 10:15:31 AM 8. 6 em que a escola est inserida, que abordem o respeito aos direitos humanos e aos direitos de crianas e adolescentes. Incluso Social. A construo de escolas inclusivas, abertas s diferenas e igualdade de oportunidades para todas as pessoas, o quarto eixo de preocupaes. As diversas formas de deficincia e as excluses geradas pelas diferenas sociais, econmicas, psquicas, fsicas, culturais, religiosas, raciais e ideolgicas sero foco de abordagem neste programa. Vale a pena salientar, tambm, que toda a estrutura do projeto est voltada para a formao docente e para aes que dem apoio ao protagonismo de alunos e de alunas na construo da tica e da cidadania. Assim, o material produzido focar a formao de docentes que se disponham a promover em suas unidades escolares a constituio de um frum permanente de tica e de cidadania ancorado nos quatro eixos citados. A participao no programa A participao da escola no Programa tica e Cidadania ocorre por adeso voluntria dos escolas. A primeira providncia, de posse deste material pedaggico, consiste na criao formal do Frum Escolar de tica e de Cidadania na escola, que ser a entidade responsvel pela organizao e pelo funcionamento do programa. Definido o(a) coordenador(a) do Frum na escola, o prximo procedimento a inscrio junto Secretaria do Programa tica e Cidadania na Secretaria de Educao Bsica do Ministrio da Educao. Tal inscrio pode ser feita diretamente no site do MEC (www. mec.gov.br/seb) ou enviando por correio a ficha de inscrio que acompanha o material pedaggico. A partir dessa iniciativa, a escola passa a pertencer oficialmente ao programa, habilitando-se a receber todas as informaes, materiais e recursos didticos que forem disponibilizados durante seu desenvolvimento. O Frum Escolar de tica e de Cidadania A base de sustentao deste programa a organizao e funcionamento em cada escola participante do Frum Escolar de tica e de Cidadania. Esse Frum tem como papel ki2_mod01.indd 6 3/6/07 10:15:31 AM sistemas de ensino estaduais ou municipais de educao ou por iniciativa das prprias 9. 7 essencial articular os diversos segmentos da comunidade escolar que se disponham a atuar no desenvolvimento de aes mobilizadoras em torno das temticas de tica e de cidadania no convvio escolar. Sua composio a mais aberta possvel, pela prpria caracterstica de um frum. Como base mnima de organizao, no entanto, sugerimos que dele participem representantes docentes, discentes,deservidores(as),dadireoedasfamliasdacomunidade.Deacordocomarealidade da escola, podem ser convidados lderes comunitrios e representantes da comunidade, como comerciantes, moradores(as) e conselheiros(as) de direitos da criana e do adolescente. Dentre as possveis atribuies do Frum, destacamos: Definio de sua poltica geral de funcionamento, organizao e mobilizao dos diversos segmentos da comunidade escolar. Preparao dos recursos materiais para a implantao dos projetos. Formulao de cronograma de aes. Avaliao permanente das aes em desenvolvimento. Alm disso, o Frum deve criar condies que viabilizem a qualidade das aes e o envolvimento do maior nmero possvel de docentes, estudantes e membros da comunidade. Nesse sentido, pode: atuar junto direo da escola para garantir os espaos e tempos necessrios ao desenvolvimento dos projetos; buscar recursos para a aquisio de material bibliogrfico, videogrfico e assinatura de jornais e revistas; interagir com especialistas em educao/pesquisadores que possam contribuir para o melhor desenvolvimento das aes planejadas; articularparceriascomoutrosrgoseinstituiesgovernamentaiseno-governamentais (ONGs) que possam apoiar as aes do projeto e apresentar propostas que promovam seu enriquecimento. Se as atitudes acima descritas so as ideais para a participao no Programa tica e Cidadania, consideramos que a organizao do Frum na comunidade escolar pode ocorrer de maneira mais simples, de acordo com a realidade de escolas menores ou que tenham poucos profissionais interessados na sua implantao. Dessa forma, um pequeno grupo de professores pode se reunir e comear a desenvolver os projetos e atividades propostos nos materiais e recursos didticos enviados escola. ki2_mod01.indd 7 3/6/07 10:15:32 AM 10. 8 Com o tempo, podero conseguir a adeso de outros(as) colegas e de outros segmentos da comunidade escolar. O funcionamento do Frum Escolar de tica e de Cidadania Como em toda organizao democrtica, um dos pressupostos bsicos para o bom funcionamento do Frum a sistematizao de suas normas. Isso significa que estabelecer regras claras e transparentes, construdas democraticamente por meio do dilogo e da cooperao, fundamental para o bom andamento deste programa. Apresentamos a seguir algumas sugestes que podem garantir o bom funcionamento das reunies e atividades do Frum em cada comunidade escolar: Estabelecer um calendrio fixo de reunies para todo o ano escolar. Nossa sugesto de uma periodicidade quinzenal ou mensal. Escolher um(a) coordenador(a) ou um comit gestor para o Frum, que se responsabilizar pela organizao das reunies e a comunicao com a secretaria do Programa tica e Cidadania. Estabelecer antecipadamente a pauta dos encontros, que pode ser elaborada com sugestes de quaisquer membros, e divulg-la amplamente, no s aos participantes regulares, mas tambm aos demais membros da comunidade que porventura se interessem em participar. Registrar todas as reunies por meio de atas, mesmo que simples, fundamental, no s para documentar as decises tomadas e as regras estabelecidas, mas tambm para assegurar a histria e a memria dos encontros. Ter abertura para o dilogo e para a discusso permanente das regras de convivncia e de participao nos encontros. Manter constantes avaliaes dos projetos e das reunies do Frum. Garantir o livre direito de expresso, mantidos os preceitos de respeito mtuo, e incentivar a participao presencial e oral de alunos e alunas. Princpios para organizao e funcionamento do programa Este programa tem um carter descentralizado, no-linear e no-hierrquico. O programa descentralizado porque cada escola participante tem liberdade de seguir, dentre os inmeros caminhos possveis, aquele que considerar mais adequado sua ki2_mod01.indd 8 3/6/07 10:15:32 AM 11. 9 realidade. Dessa maneira, o material enviado pelo Ministrio da Educao no define as formas de atuao e desenvolvimento do programa em cada comunidade, trazendo apenas referncias e sugestes de possveis caminhos a serem trilhados. A caracterstica de no-linearidade aparece na prpria estrutura dos materiais e recursos didticos enviados s escolas. Apesar de haver uma ntida inter-relao entre os quatro mdulos que sustentam o programa, tais materiais e recursos esto organizados de forma independente e identificados por cores diferentes. Isso significa que no existe uma ordem especfica para seu desenvolvimento. Cada escola define, a partir das sugestes presentes nos materiais e recursos enviados, se quer comear abordando o mdulo Convivncia Democrtica, se prefere comear pelo mdulo Direitos Humanos ou, ainda, atuar nos quatro eixos simultaneamente. O programa no hierrquico porque nele no est presente a idia de pr-requisitos. No existe uma melhor seqncia de desenvolvimento das atividades dentro de cada unidade de trabalho, nem de execuo dos mdulos apresentados. Sua ordem de apresentao aleatria, no indicando de forma alguma que alguns dos temas devem preceder outros. Compreender e assumir tais princpios um passo importante para que a implementao do Programa tica e Cidadania alcance resultados satisfatrios. Temos conscincia de que a maioria das escolas participantes no tem condies de aplicar todas as sugestes, leituras e materiais de apoio que sero enviados. Esse grande volume se deve diversidade de condies encontradas em nosso pas. Assim, os materiais e recursos didticos que compem o programa devem ser encarados como referncia, e no como algo que deva ser executado obrigatoriamente. O convite est feito e o desafio lanado. Vamos construir coletivamente este programa de tica e de cidadania. Mos obra. Esperamos que cada escola e cada sistema de ensino que esteja recebendo este material se dedique organizao do Frum Nacional Escolar de tica e de Cidadania e construo de uma nova sociedade, mais justa, solidria e feliz, que o objetivo a longo prazo deste trabalho. ki2_mod01.indd 9 3/6/07 10:15:32 AM 12. ki2_mod01.indd 10 3/6/07 10:15:32 AM 13. Protagonismo juvenil tica Mdulo1 ki2_mod01.indd 11 3/6/07 10:15:32 AM 14. Sumrio Introduo ............................................................................................................... 13 Dilogos com o mundo juvenil................................................................................ 17 Ideologia e globalizao............................................................................................ 31 Participao dos jovens na escola.............................................................................. 37 ki2_mod01.indd 12 3/6/07 10:15:32 AM 15. tica Introduo Protagonismo juvenil ki2_mod01.indd 13 3/6/07 10:15:32 AM 16. 14 O desenvolvimento de capacidades do indivduo para que possa pertencer a uma comunidade poltica uma das bases da moral e da tica desde a antigidade, na Grcia, pois no interior das relaes comunitrias que a sociedade se desenvolve e seus membros aprendem a ser morais. Assumindo idias como essas, Cortina1 (2003, p.113) afirma que...</p>