1 Aula – Visão Sistemática do Orçamento de Produção ADMINISTRAÇÃO ORÇAMENTÁRIA - e Planejamento Estratégico e Orçamentário - FACITEC Prof. CARLOS EDUARDO.

Download 1 Aula – Visão Sistemática do Orçamento de Produção ADMINISTRAÇÃO ORÇAMENTÁRIA - e Planejamento Estratégico e Orçamentário - FACITEC Prof. CARLOS EDUARDO.

Post on 22-Apr-2015

103 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • 1 Aula Viso Sistemtica do Oramento de Produo ADMINISTRAO ORAMENTRIA - e Planejamento Estratgico e Oramentrio - FACITEC Prof. CARLOS EDUARDO MARINHO DINIZ
  • Slide 2
  • 2 Oramento de Produo Depois que sabemos quanto nossa estimativa de venda, poderemos calcular quanto deveremos produzir.
  • Slide 3
  • 3 Fluxo de Vendas, Produo e Estoque (fonte: Sobanski, 1994, p. 30) SENTIDO DOS INSUMOS SUB-SISTEMA
  • Slide 4
  • 4 Tipos de Processos Produtitivos: Produo constante: - Maior custo de estocagem; - Pouca flexibilidade em vendas; - Otimizao dos ativos fixos; - Minimizao do o regime extraordinrio de trabalho; - Gesto facilitada do fluxo de materiais. Produo varivel: - Maior custo de manuteno dos equipamentos; - Maior custo da mo-de-obra; - Adm. de materiais complexa; - Nveis de estoque menores. Baixo custo - de estocagem. - Flexibilidade de vendas.
  • Slide 5
  • 5 O Plano de Produo requer o conhecimento: Do Plano de Vendas Das caractersticas de armazenamento dos materiais Da Economia de escala do processo Da capacidade tima e mxima de produo Da durao e etapas do processo produtivo Dos Lotes econmicos de produo Da utilizao da MOB direta
  • Slide 6
  • 6 ORAMENTO DOS CUSTOS DE PRODUO
  • Slide 7
  • 7 Oramento de Matrias-Primas e Compras MP so bens adquiridos que, no processo industrial, por transformao ou por montagem, integram-se nos produtos acabados. Custos relacionados MP: Custo do Material adquirido Despesas relativas ao processo de compra Despesas relativas manuteno dos estoques Despesas decorrentes da falta de estoques
  • Slide 8
  • 8 Etapas para o Clculo do Custo das MP Obter a quantidade de produtos a fabricar no perodo a orar; Multiplic-la pela quantidade padro de consumo de MP por unidade de produto, obtendo a quantidade total de MP a consumir; Multiblicar o resultado pelo custo mdio unitrio previsto para o perodo, obtendo o custo total da MP consumida.
  • Slide 9
  • 9 Oramento de Compra da MP A compra da MP depende da quantidade de Estoque Inicial que se tem no perodo a orar e a quantidade de Estoque Final que se pretende deixar ao final do perodo a orar. Obedece a frmula bsica do Estoque: EF = EI + Entradas Sadas Compras = EF EI + Sadas p/ Produo
  • Slide 10
  • 10 Oramento de Mo-de-Obra Direta (MOD) Compem MOD todos os trabalhadores relacionados na atividade fim da empresa. Numa indstria, inclui os supervisores dos operrios, o pessoal do almoxarifado, da manuteno, e do planejamento e controle da produo. Normalmente considerado um custo varivel, dada a alta correlao entre o tempo de MOD e o volume de produo.
  • Slide 11
  • 11 Clculo do Custo da MOD Remunerao Lquida da MOD: Horas de MOD X Salrio/Hora Custo Total da MOD: Remunerao Lquida + Encargos + DSR Encargos: INSS, FGTS, 1/3 Frias, 13 Sal., seguros, planos de sade, subsdios de refeio etc. DSR = Descanso Semanal Remunerado
  • Slide 12
  • 12 Oramentos das Despesas do Edifcil Despesas do Edifcio so normalmente consideradas como Custos Indiretos de Fabricao (CIF) e/ou despesas administrativas. So normalmente FIXOS. Exemplos: Salrios e encargos das chefias Depreciaes Ar condicionado, gua e esgoto Despesas de conservao predial (zeladoria)
  • Slide 13
  • 13 Oramento dos CIF Custos indiretos so aqueles que no podem ser classificados como mo-de-obra direta ou matria prima (ou seja, no tm relao direta com o nvel de produo). Podem ser FIXOS, VARIVEIS OU SEMIVARIVEIS. Exemplos: Mo-de-obra indiretanormalmente FIXO Materiais indiretosnormalmente VARIVEL Manutenonormalmente SEMIVARIVEL Energia eltricanormalmente SEMIVARIVEL Depreciaonormalmente FIXO Segurosnormalmente FIXO
  • Slide 14
  • 14 Oramento das Despesas Administrativas e Comerciais Despesas so sacrifcios financeiros (das reas administrativa e comercial) para obteno de receita. Tambm podem ser FIXAS, VARIVEIS OU SEMIVARIVEIS. Exemplos: Despesas de Marketingnormalmente FIXO Salrios/encargos Adm. e de vendasFIXO e SEMIVARIVEL Telefone e comunicaonormalmente FIXO Depreciaonormalmente FIXO Material de expedienteSEMIVARIVEL TransporteSEMIVARIVEL
  • Slide 15
  • 15 Oramento de Caixa e Disponibilidades A projeo do Fluxo de Caixa uma atividade indispensvel para a grande maioria das instituies. A projeo do Fluxo de Caixa permite: Visualizar a provvel posio financeira da empresa e as possveis insuficincias ou excessos de caixa. Avaliar com antecedncia alternativas de soluo para insuficincias de caixa Identificar a melhor opo de aplicao de recursos excedentes. Embasar a poltica de pagamentos e recebimentos da empresa.
  • Slide 16
  • 16 Mtodos para o Oramento do Fluxo de Caixa Mtodo dos recebimentos e pagamentos. o mtodo mais detalhado, recomendado para projees de curto prazo. Baseia-se nos oramentos parciais, ajustado s datas em que as transaes se convertero em dinheiro (caixa). Mtodo do resultado ajustado Recomendado para projees superiores a um ano. Parte-se do resultado lquido projetado (lucro lquido) ajustando- o por despesas e custos que no representam desembolso (depreciao) e por desembolsos ou ingressos que no so registrados no resultado econmico (DRE).
  • Slide 17
  • 17 Mtodos para o Oramento do Fluxo de Caixa Mtodo dos recebimentos e pagamentos. o mtodo mais detalhado, recomendado para projees de curto prazo. Baseia-se nos oramentos parciais, ajustado s datas em que as transaes se convertero em dinheiro (caixa). Mtodo do resultado ajustado Recomendado para projees superiores a um ano. Parte-se do resultado lquido projetado (lucro lquido) ajustando- o por despesas e custos que no representam desembolso (depreciao) e por desembolsos ou ingressos que no so registrados no resultado econmico (DRE).
  • Slide 18
  • 18 Mtodo Recebimentos e Pagamentos DEMONSTRAO DO FLUXO DE CAIXA - CIA. PRESTADORA DE SERVIOS DE LIMPEZA LTDA. CONTASAgostoSetembroOutubroNovembroDezembro Saldo Inicial - 6.250,00 - 4.580,00 10.580,00 Fluxo Operacional 2.200,00 (3.580,00) 4.580,00 6.000,00 3.100,00 Entradas: 4.000,00 3.620,00 13.180,00 14.000,00 13.300,00 Vendas a vista 4.000,00 - 4.800,00 10.000,00 Vendas a prazo - 3.620,00 8.380,00 4.000,00 3.300,00 Sadas: 1.800,00 7.200,00 8.600,00 8.000,00 10.200,00 Salrios operacionais (limpeza) 1.800,00 4.200,00 6.100,00 1.700,00 6.000,00 Salrios Adm. - 1.400,00 2.500,00 2.000,00 Materiais de limpeza - - - 3.000,00 2.000,00 Materiais de expediente - 1.600,00 - 800,00 200,00 Fluxo No operacional 4.050,00 (2.670,00) - - (560,00) (+) Integralizao de Capital 4.500,00 - - - - (-) Compra de mquina limpeza 450,00 50,00 - - - (-) Dividendos - 2.620,00 - - 560,00 Saldo Final de Caixa 6.250,00 - 4.580,00 10.580,00 13.120,00
  • Slide 19
  • 19 Mtodo do Resultado Ajustado 1. Saldo Inicial das Disponibilidades (CX/BCOS) 2. Lucro (Resultado) Lquido Projetado 3. Adies ao Lucro Lquido Depreciao Venda de ativos permanentes Reduo de devedores Reduo de estoques Aumento de credores Aumento de capital Sub-total: 4. Dedues do Lucro Lquido Pagamentos antecipados Compra de ativos permanentes Aumento de devedores Aumento de estoques Reduo de credores Dividendos pagos Sub-total: 5. Saldo Final das Disponibilidades (1+2+3-4)
  • Slide 20
  • 20 Oramento Empresarial Estimativa da quantidade de bens que devem ser fabricados durante o perodo oramentrio de modo a suprir as demandas da projeo de vendas e das variaes do estoque de produtos acabados Exigncias de produo = Projeo de vendas + Variao de estoques ORAMENTO DE PRODUO
  • Slide 21
  • 21 Oramento Empresarial Decises exigidas para preparao de um plano de produo: 1) Determinao das necessidades totais de produo (por produto) para o perodo oramentrio 2) Determinao das polticas de estoques em relao a produtos acabados e em elaborao. As polticas de estoque devem ser estabelecidas com grau razovel de preciso 3) Determinao de polticas de capacidade de produo tais como as relativas aos limites de tolerncia para o nvel de produo durante o ano 4) Determinao da adequao da capacidade de produo (expanso ou reduo) ORAMENTO DE PRODUO
  • Slide 22
  • 22 Oramento Empresarial Decises exigidas para preparao de um plano de produo: 5) Determinao da disponibilidade de matria-prima, de componentes adquiridos externamente e de mo-de-obra 6) Determinao do efeito do prazo de durao das atividades de processamento 7) Determinao dos lotes econmicos de fabricao 8) Determinao do escalonamento de produo durante o ano ORAMENTO DE PRODUO
  • Slide 23
  • 23 Oramento Empresarial Impacto das polticas de estoque sobre... Vendas Vultosos estoques so necessrios para atender rapidamente as necessidades de vendas Produo Estoques substanciais de matrias-primas so necessrios para assegurar disponibilidade para atividades de fabricao, alm de ser exigido um estoque elevado de produtos acabados para facilitar a obteno de nveis estveis de produo Compras Compras em grandes quantidades minimizam os custos por unidade e as despesas gerais de aquisio Finanas Estoques pequenos minimizam as exigncias em termos de investimento (fluxos de caixa) e reduzem os custos de manuteno de estoques (armazenagem, obsolescncia, riscos, etc.). ORAMENTO DE PRODUO
  • Slide 24
  • 24 Oramento Empresarial Fatores relevantes no estabelecimento de polticas de estoque de produtos acabados: 1) Quantidades necessrias para atender as demandas em termos de vendas. Este fator envolve a anlise do oramento de vendas e da sazonalidade da procura. Os executivos de vendas devem ser diretamente envolvidos no processo 2) Perecibilidade dos produtos 3) Durao do perodo de produo 4) Instalaes de armazenamento 5) Adequao dos recursos financeiros para cobrir os custos de produo dos estoques com alguma antecedncia em relao s vendas. No raro encontrar volumes excessivos de capital de giro aplicados em estoques ORAMENTO DE PRODUO
  • Slide 25
  • 25 Oramento Empresarial Fatores relevantes no estabelecimento de polticas de estoque de produtos acabados: 6) Custos de manuteno de estoques tais como seguros, mo-de-obra, impostos, aluguis e manejo 7) Proteo contra faltas de matrias-primas 8) Proteo contra falta de mo-de-obra 9) Proteo contra aumento de preos dos insumos 10) Riscos associados a estoques tais como obsolescncia, queda de preos, roubos e furtos, insuficincia de procura, etc ORAMENTO DE PRODUO
  • Slide 26
  • 26 Oramento Empresarial Planejamento e controle da utilizao das compras de matrias- primas O planejamento de matrias-primas inclui os quatro sub- oramentos seguintes: 1) Oramento de matrias-primas 2) Oramento de compras 3) Oramento de estoques de matrias-primas 4) Oramento do custo das matrias-primas consumidas ORAMENTO DE PRODUO

Recommended

View more >